Abandonou a régua-T e se dedicou exclusivamente à profissão de jornalista — e, inclusive, se especializou em gastronomia. Na Folha e no Estadão, Sílvio implantou, com sucesso, um estilo leve e divertido de apresentar receitas e de analisar restaurantes. Também apresentou, na Record, e em outras emissoras de TV, perto de 6.000 programas destinados à culinária.

No percurso, lançou um batalhão de livros. Além de comida, dois sobre a Cosa Nostra no Brasil: Honra ou Vendetta, por exemplo, mereceu uma esplêndida adaptação de Lauro César Muniz, na Record, Poder Paralelo, mais de um ano em cartaz. Ainda, lançou seis a respeito do Esporte, como o volumoso compêndio “Olimpíada – 100 Anos”, com a história integral dos Jogos, prova a prova, desde 1896.

No começo da década de 80, principiou a cuidar dos comentários das partidas na Band, na ex-Manchete, na Record e nos canais ESPN. São quase três décadas de dedicação ao futebol da Velha Bota — uma expressão, aliás, que ele criou. No final de 2011, lançou Em Nome do Pai dos Burros, um romance polêmico, bastante elogiado.

Este é um blog bem diferente do convencional. Ostenta seções diversas — algumas renovadas diariamente; outras, semanalmente. No blog, apropriadamente batizado de “Copa & Cozinha”, exibe frases que coletou, fala sobre fatos pontuais, recorda experiências de Olimpíada e de Mundiais de futebol, compartilha as suas experiências na culinária, aconselha os mais jovens e ainda revela as suas predileções musicais.