Na História da Copa Libertadores, mais tradicional que a catimba dos adversários dos clubes do Brasil nas decisões é a qualidade de quem apita os cotejos cruciais. Eu me recordo, por exemplo, de um prélio que vi em campo, na noite de 2 de Agosto... Continue lendo