A pol%C3%ADcia fez buscas no escrit%C3%B3rio da sede da Federa%C3%A7%C3%A3o Internacional Associa%C3%A7%C3%B5es de Futebol Fifa em Zurique na Su%C3%AD%C3%A7a FIFA e CBF, escândalo, vergonha!

Não existem, mesmo, limites para a desfaçatez, para o escândalo e para a vergonha que paga fortunas. Amigo e colega de décadas, hoje o correspondente do Estadão na Suíça, o jornalista Jamil Chade, um dos especialistas em FIFA no planeta, acaba de divulgar mais uma das tretas em que, na entidade, na organização de Copa do Mundo, na CBF e nos seus correlatos, ocorreram usos e abusos, não se avexe, por favor, dignos de criminalização.  

Em Maio de 2015, uma operação conjunta da Interpol, do FBI e das autoridades da Suíça, sede da FIFA, sem a menor piedade detonou um conclave da organização e deteve diversos dos seus dignitários. José Maria Marin, o então presidente da CBF, ainda agora, com o incômodo mimo de uma tornozeleira eletrônica até no banho, na Trump Tower de Nova York (sem nenhuma ironia, ele mora num apartamento gigantesco naquele complexo), aguarda o seu julgamento e a sua pena.  

No presente furo de Jamil Chade, porém, as denúncias, inclusive com documentos fornecidos pela FIFA, voltam a incriminar Ricardo Terra Teixeira, antecessor de Marin, e Marco Polo Del Nero, seu ex-vice e sucessor de ofício. Depois de sobreviver a dramas pessoais e a investigações nos EUA, onde chegou a morar, Teixeira se esconde na Fazenda Santa Rosa, de Piraí, interior do Estado do Rio, onde cria gado leiteiro e onde já manteve uma indústria queijeira. Del Nero preserva o trono da CBF. Todavia, se afastou dos holofotes, das lanchas, das namoradas, pelo temor de que a Interpol o conduza até os EUA.

 mari.teixeira.delnero FIFA e CBF, escândalo, vergonha!

Existem no processo, de acordo com Chade, 20.000 peças de evidências, distribuídas nas 1.300 páginas do catatau. Uma espécie de Delação Premiada dos cartolas que absorveram a FIFA pós 2015. E a FIFA atual, num esforço ingente para salvar a face e o bolso, ainda deseja que o trio Teixeira+Marin+Del Nero repare os danos que causou com um reembolso de US$ 5,3 milhões. 

Nos seus idos de Comitê Executivo da entidade, Teixeira e Del Nero teriam se nutrido, respectivamente, em majestades invejáveis, gastos de viagem, restaurantes  e outras sinecurazinhas, com US$ 3,5 milhões e com US$ 1,67 milhão. Pobrezito do Marin, entrou no barco só com U$ 114 mil. Vergonha? Não, não, só essa palavra não exprime. 

Gostou? Clique em “Compartilhar”, em “Tuitar”, ou registre a sua opinião em “Comentários”. Obrigado. E um abraço enorme!

http://r7.com/glsJ