Pato fez a sua estréia? Quase…

pato Pato fez a sua estréia? Quase...

Pato estreia no Corinthians

Cinco da tarde em São Paulo. Céu nubladíssimo. Mas, sem a ameaça de um temporal. No estádio do Pacaembu, os atletas do Corinthians e do Oeste de Itápolis se perfilam à espera da exibição do Hino Nacional.

 

Só às 17h04, num dos seus canais pagos, uma câmera da Globo captura uma cena do banco de reservas do Timão. Lá está Alexandre Pato.

 

Daí, às 17h08, Pato aparece em mais minúcias, ao amarrar uma chuteira.

 

O cotejo transcorre, modorrento...

 

Então, às 17h09 o ala Alessandro desce pela direita, e cruza. A pelota cai bem na testa do peruano Guerrero, Corinthians 1 X 0 sobre o Oeste.

 

A TV não mostra a alegria eventual de Pato. Mas, um informante de plantão, no banco do Timão, me assegura: o garoto vibrou, e bastante.

 

Doze minutos, outro levantamento de Alessandro, e Guerrero 2 X 0.

 

Nada de Pato na TV... E eu recorro aos meus velhos tempos de jornalista, nos quais as informações mais insignificantes seriam as fundamentais.

 

Tivesse o poder de pautar a TV, determinaria: uma câmera só no Pato.

 

Quem custou, afinal, certa de 45 milhões de reais?

 

Nunca, jamais, em tempo algum, uma despesa tão alentada...

 

Perto de 17h20. Enfim, uma câmera capta o Pato, barbudinho, de mão no queixo, no banco do Timão. Que domina o cotejo, tranquilamente...

 

Com o escudo de campeão do planeta, um mimo da FIFA, na sua camisa, e com a sua sobranceria de quem sabe até que ponto pode evoluir...

 

Será?

 

O Corinthians se esconde do combate. Placar de 2 X 0, suficiente.

 

Alessandro surge, atrás de Guilherme. E uma torcedora desponta, airosa, com um pato de borracha na sua mão. Pois é, 2 X 0, vale tudo...

 

Mas, Paulinho, anota um golaço primoroso, 41 minutos. Obra de Émerson.

 

No marcador, 3 X 0.

 

Cadê o Pato?

 

Desde 10 de Novembro o Corinthians não somava três gols...

 

E cadê o Pato?

 

Retorno à etapa derradeira. E cadê o Pato?

 

Perto de nove minutos. Émerson desperdiça um pênalti...

 

E cadê o Pato?

 

Pois o garoto, aos 23 de idade. conclamado por 30.000 fanáticos no Pacaembu, entrou no campo segundos antes de Danilo registrar 4 X 0. Valeu...

 

E nos 27, depois de bater de destra e de receber uma rebatida do arqueiro, Pato finalizou de canhota e fez com que a sua estrela fulgurasse, 5 X 0.

 

Finalizou, feliz, sorridentíssimo...