Armstrong, uma história arremessada no lixo – Blog do Silvio Lancellotti – R7

Armstrong, uma história arremessada no lixo

lancearmostrong 1 Armstrong, uma história arremessada no lixo

Existisse uma competição universal de especialistas em desfaçatez, o ciclista Lance Armstrong bateria o velocista Ben Johnson, aquele dos cem metros nos Jogos Olímpicos de Seul, em 1988, por um bilhão a zero.

Mais do que o crime esportivo de se dopar, o norte-americano cometeu a infâmia moral de mentir, de enganar deslavadamente a sua família, os seus amigos, os seus fãs, os seus adversários e principalmente os integrantes da Livestrong, a fundação que criou para apoiar o combate ao câncer.

Não consigo digerir a confusão que ele faz ao justificar pateticamente a frequência com que usou meios ilícitos para vencer, por exemplo, sete vezes o Tour de France. Diz que, depois de se curar de um tumor em um dos seus testículos, não pensava em outra coisa além de triunfar.

Paralelamente, afirma saber que traiu muitas pessoas em todo o mundo.

Fui um dos seus admiradores mais ferrenhos.

Confesso que, por um bom tempo, enverguei com orgulho a pulseirinha amarela  que me demonstrava como um dos partidários da Livestrong.

Hoje, apenas me resta atirar a tal pulseirinha no lixo.

Como fez Armstrong com a sua história.