Regras do Futebol: como de costume, mais uma vez o Board escolhe o atraso e a imobilidade…

2534831 full lnd Regras do Futebol: como de costume, mais uma vez o Board escolhe o atraso e a imobilidade...

 

Presidida pelo anfitrião Jim Shaw, cartola-mor da Irlanda do Norte, a 129ª reunião do International Board, o velho conclave que define as regras do Futebol, por dois dias confabulou e confabulou num salão do Culladon Hotel de Craigard, cidadezinha bem ao lado da capital Belfast, e no fim das contas não modificou quase nada.

 

O Board existe desde o longínquo 2 de Junho de 1886, quando os próceres do Futebol da Inglaterra, da Escócia, do País de Gales e da Irlanda do Norte se encontraram em Londres com a intenção de consolidarem, num único texto, os regulamentos que organizavam o esporte nas quatro nações da então pioneiríssima Grã-Bretanha.

 

Daí, em 1906, quando as tais das quatro nações aderiram à FIFA recém-fundada, paulatinamente passaram a mandar na sua administração – até que, em 1913, compeliram a entidade a absorver o Board e a aceitar a sua dominação. Desde então, o Board abriga, sempre, oito componentes: os da Grã-Bretanha e quatro da FIFA.

 

Nem um tico democrático. Por uma cláusula pétrea, ou intocável, da sua constituição, o Board apenas promove a modernização das regras no caso de haver um mínimo de seis votos a favor. Por isso, em relação aos dois motes mais cruciais que deveriam mobilizar a reunião, como de costume empurrou as soluções com a barriga.

 

Concordou que a exibição do cartão vermelho automático ao jogador que comete um pênalti de maneira a evitar um gol do inimigo é “exagerada em demasia”. Afinal, a falta perpetrada nem sempre ocorre de um modo traiçoeiro ou violento. Concordou, mas solicitou que o comitê da FIFA que estuda as regras realize novas análises profundas antes de eliminar, nessa situação, o vermelho automático.

 

Caberá à FIFA oferecer uma proposta ainda em Março.

 

O Board também pediu mais análises na questão da quarta substituição em partidas com prorrogação. E pediu mais e mais análises na questão do uso de replays de vídeo como auxílio aos ártitros em lances particularmente controvertidos.

 

Num resumo, consolidou o atraso e a imobilidade.

 

Decisão-decisão só em função das categorias de base, até os certames infanto-juvenis. Cada federação, ao seu sabor, poderá determinar que os treinadores mereçam o direito de devolver aos cotejos os moleques e as garotas que já tenham sofrido substituições. Como em inúmeras outras competições, desde o Basquete ao Voleibol.

 

Aliás, decisão-decisão-decisão o Board tomou a respeito de um certo William McCrum (1865-1932), nascido na Irlanda do Norte e fanático pelo Futebol. Foi McCrum o idealizador, em 1890, da cobrança do pênalti em resposta às infrações na grande área. Parece que, embora bastante ricos, seus herdeiros não cuidam, como precisariam da tumba de McCrum, na vila medieval de Armagh, igualmente nas imediações de Belfast.

 

Reservou-se uma bela graninha para a recuperação da tumba.

 

Obviamente, sem palavras, cai o pano...

 

Gostou? Clique em “Recomendar”, em “Tuitar”, ou registre a sua importante opinião em “Comentários”. Obrigado. Abração!

A lâmina corajosíssima de Élora

 A lâmina corajosíssima de Élora

No mínimo comovedor o crucial depoimento de Élora Ugo Pàttaro, esgrimista brasileira de nível internacional, ao anunciar que abandona o seu esporte, aos 29 anos de idade, por se envergonhar da forma patética que a entidade respectiva, no País, utiliza na sua administração. Mais uma denúncia humilhante antes do Rio-2016

 

Acompanhe, neste link:

 

https://www.youtube.com/watch?v=GqgWc-r1eSU

 

Gostou? Clique em “Recomendar”, em “Tuitar”, ou registre a sua importante opinião em “Comentários”. Obrigado. Abração!

Do escândalo do Velódromo dos Jogos do Rio-2016 ao prêmio de Duda Amorim – contrastes amargos dos esportes do Brasil…

 Do escândalo do Velódromo dos Jogos do Rio 2016 ao prêmio de Duda Amorim   contrastes amargos dos esportes do Brasil...

Duda, a Melhor do Mundo

 

Mawal El Moutakawel, a bela marroquina que o Comitê Olímpico Internacional enviou ao Rio com a missão de verificar o estado das obras para os Jogos de 2016, ficou perplexa e preocupadíssima com o atraso  infame nas instalações de três esportes: o Ciclismo, o Golfe e o Hipismo Cross-Country.

 

Com relação ao Ciclismo, relembro que o problema do seu Velódromo é absolutamente escandaloso. Gastou-se uma fortuna com os equipamentos do Pan de 2007, então cerca de R$ 14 milhões – e a sua pista, feita com uma madeira nobilérrima, o pinho da Sibéria, sumariamente foi transferida ao Paraná. A dolorosa alegação: as instalações do Pan de 2007 não serviriam para os Jogos de 2016.

 

Resultado: a construção de uma nova pista, estimada num valor apenas (ironiazinha, claro) dez vezes maior, acima dos R$ 150 milhões...

 

O Golfe (que me perdoem os seus apaixonados praticantes), eu acho,  nem deveria integrar o programa dos Jogos. Sem dizer que o Rio já dispõe de dois endereços excelentes, os do Gávea e do Itanhangá. Ora, por quê um terceiro lugar numa modalidade que não costuma atrair multidões?

 

Culpa-se a estiagem pela má qualidade da grama do seu trajeto. Assim como se verbera a falta de chuvas pela má qualidade dos verdes caminhos do Cross-Country...

 

Viva a imprevidência! E viva a incompetência!

 

Ao menos, esta, sim, foi uma notícia primorosa, a garota Eduarda Idalina Amorim, a Duda, campeã do planeta  em 2013, acaba de conquistar o título de Melhor do Mundo.

 

Isso, numa modalidade que a mídia costuma desprezar.

 

 

Gostou? Clique em “Recomendar”, em “Tuitar”, ou registre a sua importante opinião em “Comentários”. Grato. Abração.

Dancei nos meus palpites da Champions nesta quarta. Deu Bayer e deu Monaco.

 Dancei nos meus palpites da Champions nesta quarta. Deu Bayer e deu Monaco.

Kondogbia

 

Com 16 clubes ainda em ação, dois desafios cruciais complementaram, nesta quarta-feira, dia 25 de Fevereiro, a rodada de ida da etapa das oitavas-de-final da Champions League da Europa. Na semana anterior, em outros quatro cotejos, pela mesma fase da competição, aconteceram estas contagens: PSG da França 1 X Chelsea da Inglaterra 1; Shaktar Donetsk da Ucrânia 0 X Bayern Munique da Alemanha 0; Shalke 04 da Alemanha 0 X Real Madrid da Espanha 2; Basel da Suíça 1 X Porto de Portugal 1.

 

Ontem, terça-feira, dia 24, houve dois confrontos. Mesmo em Manchester, Inglaterra, um inspirado Barcelona da Espanha superou o City por 2 X 1, placar precioso para lhe facilitar, em casa, a conquista de uma vaga às quartas-de-final.

 

Em Turim, atrapalhada por uma falha insólita do excelente zagueiro Chiellini, a Juventus bateu o Borussia Dortmund da Alemanha também por 2 X 1 – circunstância, porém, que lhe promete muitas complicações no prélio de retorno. No caso de uma igualdade de resultados, valem em dobro os tentos anotados no gramado do inimigo.

 

Sobre os combates da quarta, repriso os palpites que tinha revelado, mais o que vi nos duelos. Perdão, perdão, errei brutalmente nas apostas...

 

 

Em Leverkusen, Alemanha

Bayer 1 X 0 Atlético Madrid da Espanha

Imaginava eu que neste prélio pudesse ocorrer um escorregão do time hospedeiro. Dancei. Aos 57’ o turco Hakan Çalhanoglu perpetrou 1 X 0 e acuou os seus rivais.de além Canal da Mancha. Tento me justificar. O quadro tedesco claudicava no torneio nacional – 33 pontos em 66 disponíveis, sexta colocação, 22 atrás do Bayern. Do outro lado, num momento melhor, os “Colchoneros” da capital ibérica seguiam na briga pelo título doméstico, terceira posição, 53/72, sete atrás do rivalérrimo Real. O Bayer provinha de um empate, como visitante, em Augsburg, 2 X 2. Embora com alguns reservas, o Atlético havia despachado o Almería, 3 X 0.

 

Os “Colchoneros” devem se safar do dilema no seu Vicente Calderón

 

 

Em Londres, Inglaterra

Arsenal 1 X 3 Mônaco da França

No primeiro tempo da pugna, diante do Príncipe Albert, governante do pequenino país do Mediterrâneo, brilhou um astro inesperado, Geoffrey Kondogbia, 22 de idade, de sangue centro-africano, que fez 1 X 0 num hospedeiro nada interessante. Pior para Arséne Wenger, o treinador do Arsenal, ex-Monaco, logo aos 53’ o veterano búlgaro Dimitar Berbatov, 34, ampliou, 2 X 0. Tenso, descompensado, o elenco dos “Gunners” demorou a despertar e sacrificou um tesouro de oportunidades de reação. Aliviou-se nos acréscimos, 1 X 2, Chamberlain. Contudo, numa contra-ofensiva impiedosa, aos quase 94’, o Monaco sapecou 3 X 1, graças ao belga Carrasco. Reação dificílima em Montecarlo.

 

No seu Emirates Stadium, era favoritíssimo o anfitrião, terceiro classificado no certame de sua terra, 48/78, vinte atrás do Chelsea. Quanto ao time do Principado, quarto na tabela gaulesa, 43/75, onze atrás do Lyon, aparentemente não dispunha de efetivos suficientes e capazes de expugnar o palácio dos “Gunners”. Aparentemente. Mordi a língua...

 

O Mônaco humilhou o ídolo Wenger...

 

 

Gostou? Clique em “Recomendar”, em “Tuitar”, ou registre a sua importante opinião em “Comentários”. Obrigado. Um abração!

Champions: Barça e Juve triunfam. O Barça fora. A Juve, apertadamente, nos seus domínios.

 Champions: Barça e Juve triunfam. O Barça fora. A Juve, apertadamente, nos seus domínios.

Suárez

 

Com 16 clubes ainda em ação, dois duelos de fato empolgantes enriqueceram nesta terça, 24 de Fevereiro, a primeira parte da complementação da rodada inaugural de ida das oitavas da Champions League da Europa.

 

Na semana anteior, em quatro cotejos, pela mesma fase da competição, aconteceram estes resultados: PSG da França 1 X Chelsea da Inglaterra 1; Shaktar Donetsk da Ucrânia 0 X Bayern Munique da Alemanha 0; Shalke 04 da Alemanha 0 X Real Madrid da Espanha 2; Basel da Suíça 1 X Porto de Portugal 1. Seis gols mirrados.

 

Nesta terça houve dois confrontos. Com seis tentos anotados, predominância de sul-americanos. Comento o que sucedeu em ambos e ainda repriso os palpites que revelei ontem sobre os combates remanescentes da quarta.

 

Em Manchester, Inglaterra

Manchester City X Barcelona da Espanha

Dois sul-americanos mandaram na pugna. O uruguaio Suarez, autor dos dois tentos do Barcelona, e o argentino Aguero, ex-genro de Maradona, que diminuiu para o City. Deu Barça, até com razoável tranquilidade, 2 X 1. E o craque Lionel Messi ainda desperdiçou um pênalti nos acréscimos do combate. Apostei no equilíbrio. Não fracassei, apesar do triunfo do Barça. Ambos ocupam as segundas colocações nos certames dos seus países. O City, 55 pontos em 78 possíveis, treze atrás do Chelsea. O Barça, 56/72, quatro atrás do Real Madrid. O time britânico se embalara graças a um placar arrasador de 5 X 0 sobre o Newcastle. O elenco da Catalunha sucumbira ao Málaga, 0 X 1, em casa. Em 2013/2014 o milionário “blaugrana” eliminou o adversário, igualmente riquérrimo, nas mesmas oitavas, pelos placares de 2 X 0 e de 2 X 1.

 

Em Turim, Itália

Juventus X Borussia Dortmund da Alemanha

Apesar do platino Tevez e do espanhol Morata, dois tentos, a Juve padeceu num escorregão literal do sempre sólido Chiellini, sobra imediatamente desfrutada pelo sempre atento Reus, e tomou uma rete inominável. Fez apenas 2 X 1. E desperdiçou a chance de abrir um conforto para o retorno . Única equipe lider em atividade na rodada, a “Velha Senhora” do Piemonte, 57/72, nove à frente da Roma, pegou um decadente elenco germânico, 25/66, 31 atrás do Bayern. No passado, em diversas vezes o Borussia pespegou surpresas na Juve. Como imaginei, uma nova zebra não surgiu na Arena alvinegra. Foi, porém, um resultado basicamente perigoso.

 

 

NESTA QUARTA – 16h45

 

Em Leverkusen, Alemanha

Bayer X Atlético Madrid da Espanha

O quadro tedesco também claudica no seu torneio nacional – 33/66, 22 atrás do Bayern. Do outro lado, os “Colchoneros” da capital ibérica seguem na briga pelo título doméstico, 53/72, sete atrás do rivalérrimo Real. O Bayer provém de um empate, como visitante, em Augsburg, 2 X 2. Mesmo com alguns reservas, o Atlético despachou o Almería, 3 X 1. Bem pode ocorrer uma derrota dos hospedeiros.

 

Em Londres, Inglaterra

Arsenal X Mônaco da França

Favoritíssimo o anfitrião do Emirates Stadium, 48/78, vinte atrás do Chelsea. O time do Principado, 43/75, onze atrás do Lyon, não dispõe de efetivos suficientes para expugnar o palácio dos “Gunners”

 

Gostou? Clique em “Recomendar”, em “Tuitar”, ou registre a sua importante opinião em “Comentários”. Obrigado. Um abração!

Página 1 de 11512345...Último