Ginástica no Brasil

Sem título Ginástica no BrasilAs manchetes podem ter títulos diferentes mas o texto traz  enredo semelhante.

Quase trinta anos depois... ai me Deus como o tempo passou...

As coisas mudaram? Sob certo aspecto sim, e para melhor. Em termos de resultados e medalhas com certeza. Aquela ginasta brasileira, da década de 80, embora finalista olímpica, era apenas a 35ª melhor do mundo. Ele, melhor ginasta brasileiro e sul americano no individual geral de todos os tempos, é o 5º do mundo em 2013.

O que não mudou? As condições de treinamento para a maioria dos atletas, a falta de apoio e incentivo direto principalmente para os atletas dos esportes que requerem estrutura mais  pesada e, em tese, mais cara. A remuneração dos treinadores que são uns abnegados,  apaixonados e em sua maioria autodidatas e que com a obstinação refletida de seus atletas encontram motivação para despenderem mais tempo no ginásio do que com a própria família. Além, é claro, a falta de patrocínio no momento da carreira em que mais precisam de recursos para viagens e equipamentos. Ou seria a falta de patrocínio quando as estrelas já mostraram a que vieram e, mesmo assim, por não ser a ginástica a modalidade número um,  tal incentivo simplesmente não cruze o seu caminho.

Mas como explicar o sucesso do Brasil sem tais condições ideais?  O talento  garimpado responderiam uns; a dedicação ferrenha responderiam outros. Eu me dou o direito de emendar outra pergunta, imagina se tivéssemos as tais condições?

Lembro-me que, em de 1989 , fomos a uma cidadezinha chamada Erklenz, na Alemanha,  para um estágio de treinamento . Na ocasião, movimentamos a pequena comunidade  que devia ter pouco mais de 30 mil habitantes, se é que tanto. Fomos recebidos por membros da prefeitura com um jantar especial e visitamos alguns locais, entre eles um ginásio  completo de  treinamento, com todos os aparelhos de ginástica feminina e masculina,  inclusive cama-elástica para o fosso (piscina de espumas para auxiliar no aprendizado dos movimentos mais difíceis).  E bem quentinho! Aquele era o ginásio do bairro. Público.

Talvez devêssemos dar  um desconto, levando em conta que a ginástica tem seu berço na Alemanha e se desenvolveu como esporte lá,  anos após a origem grega na antiguidade.

Mas  até quando vamos nos considerar jovens nesta modalidade? Penso que já mostramos que podemos brigar como gente grande.

A estadia em Erklenz  ocorreu logo após Seul 88, minha primeira olimpíada, para a qual não dispus sequer de tablado (solo) para treinar um série completa, exceto um mês antes, quando tivemos a chance de treinar  no centro mais bem equipado do mundo na época e talvez até hoje um dos melhores: o DTB, no meio de um bosque s exuberante, em Frankfurt, na Alemanha.

Veja mais:
+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!
+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Para os amantes da ginástica

Depois de Londres 2012, estou de volta para o novo ciclo olímpico, muita história pra contar, dicas, comentários e novidades. Inaugurando a coluna de bate-papo, tive a honra de trocar e-mails com a YUMI YAMAMOTO SAWASATO, melhor árbitro feminina de nível olímpico do Brasil, que esteve em Londres e, recentemente, como acontece todos os anos após os jogos, ministra cursos capacitando e atualizando os brevês de árbitros do mundo inteiro.

Aqui no Brasil já aconteceram dois cursos, um em Aracajú, cidade sede da Confederação Brasileira e outro aqui no Rio. Atualmente o Brasil tem mais de 30 árbitros femininos de nível internacional oriundos de  6 estados (RJ, SP, PR, RS, SC e MG) mais o Distrito Federal.

Perguntei a ela sobre as principais mudanças deste novo ciclo 2013-2016 e Qual o impacto destas mudanças ? Ela disse que a grande mudança aconteceu logo após os JO de Atenas em 2004 quando a nota máxima de 10.00 passou a 2 notas somadas D+E sem limite. Após Pequim 2008 e Londres 2012 apenas foram feitas algumas adaptações para que a ginástica seja mais artística e não tão (somente) acrobática.

É constante a preocupação da FIG (Federação Internacional de Ginástica) em reavaliar o sistema de julgamento e o código de pontuação a fim de manter o mais harmônica a ginástica possível, mantendo suas características artísticas originais sem perder o passo da inovação e evolução.

Fato é que as adaptações serviram para que realmente haja uma ligação entre a arte da representação com interligação entre as acrobacias, ou elementos de dificuldade com a parte artística.

A execução já está sendo avaliada segundo critérios bem mais rigorosos. Isto quer dizer que um elemento quando realizado será descontado se não for dentro da técnica prevista no código de pontuação. Se uma postura era para ser carpada e não apresentar a posição correta será descontada sem dó nem piedade. Não que isto já não funcionasse assim, mas sabe como é, se o critério do ciclo é mais frouxo, os descontos são mais leves e vice-versa.

Então o que veremos até 2016 inclusive, são as exigências técnicas, posturais e a precisão nas aterrissagens sob a mira dos árbitros em busca permanente da perfeição e da precisão.

Para o solo e trave um enfoque cada vez mais abrangente para a Apresentação Artística. E alguns ajustes simplificando os requisitos de composição e as ligações que ajudam a aumentar as dificuldades das séries.

daiane ok Para os amantes da ginástica
A expressividade, criatividade, perfeição na técnica, variação no ritmo, e em específico para o solo, a musicalidade, a seleção da música e a interpretação da mesma..., são alguns dos itens, segundo Yumi, que o Brasil tem que melhorar e muito!!! As coreografias devem mostrar a fluência nas  ligações entre a parte acrobática e coreográfica... Sem pausas de preparação e cuidar  para que as séries não se apresentem desconectadas... Temos que melhorar nossa composição.

"É necessário que diversifiquem os treinos com aulas de dança de diferentes tipo, muita expressão corporal e facial!" Praticamente uma teatralização da ginástica então. "Valorizar mais esta parte será um diferencial", afirma Yumi.

Além desta parte artística, o mundo todo corre em busca de elementos  e ligações mais complexas para aumentar a Nota D, de Dificuldade. Porém, não basta uma série difícil, no final o diferencial será sempre a execução que parte de 10.00 pontos, que é a nota E, ou seja, Técnica e Apresentação artística!

Atenção ginastas, Yumi dá dicas: "Enriquecer o vocabulário do movimento corporal e sua relação com a trave ou a área do solo, com contrastes no ritmo, velocidade  e intensidade entre movimentos rápidos, lentos e suaves, sobretudo dinâmico, com movimentos e transições criativas e originais e que os movimentos do corpo e a expressão da ginasta deve estar em harmonia com o caráter da música selecionada, utilizando novas idéias, formas e interpretação que transmita a sintonia do movimento com o público e a arbitragem. Pura arte!

E o Brasil, como está neste cenário? Sabemos que o ponto fraco do Brasil no feminino são as paralelas, contrastando com a enorme evolução mundial. Yumi ressalta "as ginastas estão voando e muito alto...vários elementos de voo fazem parte das séries". Nós ainda estamos, diria eu um pouco, "apegadas" demais às barras.

dani Para os amantes da ginástica
Para 2016 a maior preocupação não é exatamente com as regras que vão afetar...é o contingente reduzido de ginastas na faixa etária ideal (idade mínima de 16 anos em 2016) em condições de nível olímpico. O melhor exemplo contrário são os EUA, com uma seletiva invejável de mais de 500 ginastas, obviamente numa etapa nacional primária mas que permite uma boa margem de escolha dentre as melhores.  Felizmente contamos com algumas estrelas que surgem de tempos em tempos, e brilham, às vezes, no tempo certo.

rebeca ok Para os amantes da ginástica

Para os que não conhecem a Yumi aqui vai um breve curriculo:

Ginasta de 1963 a 1970;

Campeã Sul-Americana por equipe 1969; bronze no salto e paralelas;

Técnica de Ginástica Artística no EC Pinheiros de1972 a 1991;

Sócia Fundadora da Yashi academia de Ginástica Olímpica em 1991 até a presente data... Agora Instituto Yashi –  Presidente da instituição;

Árbitro Internacional a 10 ciclos olímpicos, desde 1978;

Árbitro nas Olimpíadas de Sydney/2000 – Athenas/2004 – Pequim/2008/Londres/2012;

Árbitro em 10 Campeonatos Mundiais e Jogos Pan-Americanos desde 1983(exceto/Cuba);

Mestre em Educação Física pela Universidade de São Paulo;

Professora da disciplina Ginástica Artística/Olímpica na FEFISA – Faculdades Integradas e FMU- Faculdades Metropolitanas Unidas;

Coordenadora Técnica da Confederação Brasileira de Ginástica e Federação paulista de Ginástica da Ginástica Artística Feminina;

Saudações Olímpicas! Paz e Alegria, até breve!

O nosso “Rei Arthur”

Londres 2012, meia-noite e quinze.

A ficha começa a cair.

Se pra mim está sendo assim, imagina com o dono da medalha.

Se a ginástica é uma das modalidades que mais encanta nas Olimpíadas, imagina com um brasileiro medalhista!

São muitas coisas que influenciam e fazem com que uma medalha olímpica aconteça, mas sem dúvida uma delas é crucial. Muito trabalho. E foi isso que levou Arthur Zanetti a primeira medalha olímpica da América Latina, e de ouro.

Um trabalho que, embora realizado numa modalidade individual e numa prova específica, representa um plural. Muitas pessoas e condições contribuíram para esta histórica vitória: treinador, médico, psicólogo, família, amigos, adversários, talento, motivação, objetivo, foco...

Recebemos o "Rei Arthur" nos estúdios da Record com salva de palmas duradoura. Ele e sua linda família, assim como seu treinador, Marcos Goto. Todos do ABC Paulista, mais precisamente de São Caetano. Emoção interminável. Fotos, muitas fotos. Entrevistas, muitas entrevistas.  De repente, descobrimos que uma boa parte da equipe da Record é do ABC e até mesmo de São Caetano.  Nossa, como um herói pode desabrochar tanta autoestima em tão pouco tempo.

Início da transmissão... Álvaro José abre a narração e passa a expectativa para mim. Minha preocupação inicial foi passar à audiência uma referência de nota a esperar na final das argolas com base nas notas da classificatória. Disse que 15.700 seria uma nota boa, 15.800 uma nota ótima e qualquer nota mais próxima de 16 seria maravilhosa. Meus manuscritos continham a nota maravilhosa como 15,900.

O primeiro ginasta a se apresentar foi o atual campeão olímpico que realizou uma série campeã, obviamente. Com a maior nota de partida, ele era o favorito ao bicampeonato, sem dúvida. Então, ele tinha a pressão. E ainda era o primeiro, o que ele assimilou com categoria de campeão e se saiu muito bem. Mas não seria suficiente.

Outros candidatos também eram muito cotados e igualmente muito focados, porém, somente um poderia ser o campeão. E Arthur subiu nas argolas, com a ajuda de Marcos Goto, seu técnico e aquele com quem provavelmente passou mais horas do dia nos últimos 15 anos do que com seu próprio pai, e seguiu, confiante e concentrado, para realizar a sua série, treinada horas antes, durante o aquecimento da final e claro, meses antes como parte de todo o planejamento do treinamento.

Sua performance foi próxima a perfeição, por isso a medalha foi mais do que merecida.

Arthur nos estúdios, alvoroço com respeito... tudo a seu tempo... Primeiro Ana Paula Padrão, depois, Zucatelli, depois Heródoto....

Arthur ainda fala como ginasta que cumpriu mais uma etapa de treinamento, como um simples mortal, e não como o mais novo deus olímpico. A ficha dele ainda não caiu, embora não tenha se desgrudado da medalha. Aliás, que medalha linda! A Deusa da Vitória na frente e London 2012 no verso.

Uma medalha de ouro para a ginástica do Brasil, que nasceu para o mundo em 1980, há pouco mais de trinta anos. Qual não é a perspectiva para o futuro?

A TV Britânica acaba de anunciar o resumo do dia e comenta que Arthur levou o ouro com uma série perfeita, precisa, demonstrando toda a força muscular e ao mesmo tempo leveza. O Brasil está marcado para sempre na história da ginástica internacional.

Arthur Zanetti, um rapaz simples, simpático, obstinado, talentoso e medalhista olímpico. A monarquia da ginástica tem o seu Rei!

Parabéns Arthur, o Brasil agradece.

Veja mais:

+ Acompanhe a cobertura dos Jogos Olímpicos
+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!

+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Todos os blogs do R7

Em primeira mão!

Este é o leotard dos ginastas brasileiros em Londres 2012.

Rio de Janeiro Em primeira mão!

Arthur, Diego e Sergio vestirão estas cores! Com a nossa torcida eles irão mostrar tudo o que treinaram para a competição.

Com sorte traremos a nossa primeira medalha olímpica. Quem sabe no plural!

Veja mais:

+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!
+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia

+ Todos os blogs do R7

A ginástica tem sua casa própria no Rio!

Uma justa recompensa por anos de resultados crescentes e ainda potencial por vir.

A ginástica brasileira ganhou um Centro de Treinamento novinho em folha no miolo do Velódromo do Rio de Janeiro.

Um sonho de todos os apaixonados veteranos ou não que se dedicam a ginástica.

11 A ginástica tem sua casa própria no Rio!

21 A ginástica tem sua casa própria no Rio!

31 A ginástica tem sua casa própria no Rio!

41 A ginástica tem sua casa própria no Rio!

5 A ginástica tem sua casa própria no Rio!

A honra da presença do nosso Prefeito Olímpico é sinal de que fizemos por merecer. Ele tentou se esquivar de dar umas "cambalhotas" dizendo que já comprou uma bicicleta para rodar no velódromo. Por enquanto a gente aceita as desculpas pois as equipes Feminina e Masculina do Brasil já estão em treinamentos no CT TIME BRASIL rumo a Londres 2012.

O COB tomou a decisão certa ao construir este CT e contou com a ajuda de uma ex-atleta agora arquiteta para torná-lo ainda mais aconchegante e adequado aos ginastas. A ex-judoca Daniela Pouzin.  Valeu Dani, obrigada pelo projeto!

Esperamos que o espaço seja realmente bem aproveitado para o melhor desenvolvimento da ginástica. E quem sabe não sobra uma vaguinha para uma futura equipe master de ginástica do Brasil icon smile A ginástica tem sua casa própria no Rio!  Eu tô dentro!

Saudações ginásticas.

Veja mais:

+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!
+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia

+ Todos os blogs do R7

Esporte de alto rendimento e educação física na Marinha do Brasil!

Hoje tive a honra de falar um pouco sobre Educação Física e Epsorte de Alto Rendimento aos novos alunos da Escola de Formação do CEFAN - Marinha do Brasil, no Rio de Janeiro. Muito bem recebida pelo Reitor o Comte. Sidney, e demais Comandantes e oficiais que tiveram uma participação efetiva e atenciosa com perguntas e comentários muito interessantes.

Foi uma oportunidade incrível de fazer um paralelo entre a Educação Física e o esporte de competição e com isso voltar no tempo desde o início da ginástica no Brasil com um dos precursores o nosso eterno Rapesta, in memorian, até os meus dias atuais às vésperas de Londres 2012.

1 Esporte de alto rendimento e educação física na Marinha do Brasil!

2 Esporte de alto rendimento e educação física na Marinha do Brasil!

3 Esporte de alto rendimento e educação física na Marinha do Brasil!

4 Esporte de alto rendimento e educação física na Marinha do Brasil!

Foi aí que percebi que já estou quase batendo meu próprio recorde de anos de atuação como ginasta (ao todo 16), e agora como comentarista, já se vão lá mais de 12 anos.  é chão hein....digo, é microfone!:-)

E percebi que o Brasil estará mesmo ligado na Record, pois muitos oficiais já acompanharam o PAN de Guadalajara que a Record transmitiu com exclusividade.

Certamente não será diferente em Londres.

Mais um pouco da semente do esporte e especialmente da ginástica foi distribuida aos jovens desta carreira militar nesta forlça que foi a escolhida por meu pai e muito honra nossa nação.

Beijos,

Luisa.

Veja mais:

+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!
+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia

+ Todos os blogs do R7

Enquanto Londres não vem, na Record já começou!

A preparação para os Jogos Olímpicos de Londres 2012 está a todo o vapor. Para comentaristas, narradores, ginastas brasileiros e olímpicos do mundo inteiro.

É comum incluir no planejamento do treinamento rumo a uma competição–alvo, como, por exemplo, os Jogos Olímpicos, eventos de nível internacional, que permitam aumentar a experiência dos ginastas não só em termos técnicos quanto em termos psicológicos.

Da mesma forma, a Record e seus profissionais estão levando tão a sério esta preparação que foram planejados pilotos para aprimorar o desempenho dos profissionais. Para nós, Londres já começou.

Para os ginastas que estarão em Londres, inclusive campeões olímpicos e mundiais, ou seja, a elite da ginástica artística, o desafio começou nesta quinta-feira (22), quando participaram do  FIG Challenge Cup em Cottbus, na Alemanha, um dos eventos mais antigos do esporte. Começou a ser realizado em 1973, coincidentemente, o ano em que nasci.

Arthur Nabarrete Zanetti representará o Brasil no masculino, e Daiane dos Santos, Bruna Leal e Daniele Hypolito no feminino.

Veja a fonte completa da imprensa da FIG aqui.

Além das ginastas principais do evento acima, Ethiene Franco e Priscila Cobello representarão o Brasil em outro evento: a Copa do Mundo de Doha, que começa no próximo dia 31 de março, sob o comando da minha querida amiga e técnica Viviane Cardoso.

Veja mais:

+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!
+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia

+ Todos os blogs do R7

Londres promete!

Estados Unidos, Rússia, China, Romênia, Japão, Austrália, Alemanha, Grã-Bretanha, Itália, Canadá, França e Brasil serão as doze equipes completas da  Ginástica Artística Feminina (GAF) que estarão em Londres. Além destas equipes a federação internacional dispõe algumas vagas para ginastas individuais de medalhistas mundiais  e alguns convidados também de modo que países em desenvolvimento nesta modalidade possam ter a oportunidade da experiência olímpica.

Para nossa alegria o Brasil feminino conseguiu se classificar na repescagem, um evento que ocorreu no início deste ano. Isto significa que estamos entre os melhores, mas não necessariamente que nossas chances de medalhas sejam mais reais que a realeza.

78327794 Londres promete!

Por falar em realeza, a equipe do anfitrião não precisou participar de seletivas, a vaga pela sede do evento é garantida.  Mas é claro como todo anfitrião estão treinando para fazer bonito e se possível brilhar alto.

Quando eu digo que Londres promete me refiro ao show de ginástica que se poderá assistir  posto que como costumamos  dizer é a "nata da nata". São realmente os melhores ginastas do mundo que irão disputar o sonho olímpico.

No masculino as doze equipes estão encabeçadas por Japão, Estados Unidos, China, seguidas de  Alemanha, Rússia, Coréia, Romênia, Ucrânia, Grã-Bretanha, França, Espanha e Itália.

Por bem pouco o Brasil não foi completo.  Mas teremos Diego, Arthur e Sergio competindo individualmente.  Nossos três mosqueteiros serão um por todos e todos por um!

Veja mais:

+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!
+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia

+ Todos os blogs do R7

Morte de Sócrates

sócrates Morte de Sócrates

Lamento profundamente a morte do esportista Sócrates.

Os momentos que antecederam foram de sofrimento, mas muito breves perto da longeva trajetória de marcos no esporte e na vida.

Que ele descanse em paz e que sua família seja confortada com a emoção dos milhões de fãs espalhados por todo o Brasil e no mundo.

Veja mais:

+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!
+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia

+ Todos os blogs do R7

 

O carisma e as medalhas dos Hypolitos no Pan 2011!

A ginástica é linda, e se puder render medalhas fica perfeita! Foi exatamente o que os irmãos fizeram. Sentimos orgulhos de vocês! Parabéns!

post luisaparente2 O carisma e as medalhas dos Hypolitos no Pan 2011!
As finais da ginástica artística em Guadalajara transcorreram muito bem, como sempre representando um espetáculo maravilhoso para os espectadores in loco e pela TV.

O nível das finais pode ser considerado médio a alto, equivalente às melhores etapas da copa do mundo. A organização específica da ginástica foi excelente e os closes, que só a Record mostrou, permitiram o requinte do detalhe, o melhor que a ginástica oferece.

O caso emblemático da Dominicana dando um exemplo de luta por uma paixão esportiva deve servir a todos. E muitos outros casos de superação e dedicação vistos ao longo dos cinco dias de competição.

Diego atingiu sua meta pessoal e também a meta para o Brasil. Suas três medalhas de ouro foram significativas para o quadro de medalhas brasileiro. Diego obtém reconhecimento do Comitê Olímpico em tempo real e é eleito o porta-bandeira para a cerimônia de encerramento. Honraria para poucos.

post luisaparente3 O carisma e as medalhas dos Hypolitos no Pan 2011!

Dani, por sua vez, esteve muito bem, esbanjando autoconfiança contou com sua competência e com a sorte de toda estrela que se preze, contribuindo com duas medalhas de bronze, em apresentações na trave e no solo deliciosas de se comentar.

post luisaparente O carisma e as medalhas dos Hypolitos no Pan 2011!
Fico feliz por todos e faço votos de um bom descanso para ambos, mas não muito longo, pois janeiro está aí espera o Brasil para a vaga olímpica, tanto para a seleção feminina quanto para a masculina.

Aproveito e parabenizo a todos os ginastas participantes dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara 2011 pelo brilhantismo que deram às competições.

E obrigada a Record por esta transmissão.

Veja mais:

+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!
+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia

+ Todos os blogs do R7

Página 1 de 612345...Último
Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com