Vôlei feminino fica mais forte sem a Mari

Não era novidade nenhuma que uma das escolhidas para ficar fora do grupo seria a Mari. Ela já está há algum tempo em má forma física e técnica e sem perspectivas de melhorar no curto prazo.

Não foi bem na Copa do Mundo no ano passado, fez uma temporada abaixo da crítica pelo Rio de Janeiro e acabou ficando de fora do Pré-olímpico.

Ela chegou a ser testada como oposta durante o Grand Prix, onde não teria muitas obrigações com o passe, mas também oscilou demais e não aprovou.

Por isso tudo, na minha opinião, o técnico da seleção Zé Roberto Guimarães acertou mais uma vez. Até porque além de estar passando por uma fase muito ruim, é nítido que ela não vem tendo um bom relacionamento com o grupo.

Os desentendimentos com a Sheila estavam atrapalhando o rendimento e dificultando o bom entrosamento da equipe fora de quadra.

Agora a seleção tem 14 jogadoras e duas ainda serão cortadas. Para mim Sassá e Tandara são as mais fortes candidatas a ficarem de fora também. Nesse caso Natália seria a oposta reserva da Sheila.

Só que Natália ainda não está cem por cento e ainda preocupa.

Existe também a possibilidade do Zé Roberto não levar duas líberos, e aí Fabi seria uma das escolhidas para o corte já que Camila Brait passa por um momento melhor. Resumo da história: Sassá, Tandara, Fabi e Natália correm perigo.

Dessas quatro jogadoras, duas vão ficar fora de Londres. A expectativa é grande e é importante que esses cortes aconteçam o quanto antes para definir logo o grupo. Até a próxima.

Veja mais:

+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!

+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia

+ Todos os blogs do R7

 

Contusão pode atrapalhar Usain Bolt em Londres

usainbolt Contusão pode atrapalhar Usain Bolt em Londres

Depois das derrotas nos 100 e 200 metros para Yohan Blake na seletiva da Jamaica para as olimpíadas de Londres, o mundo inteiro faz a mesma pergunta: será que Bolt não é mais aquele homem imbatível nas pistas?

Essa resposta só será respondida nas finais olímpicas das duas provas em que ele briga pelo bicampeonato em Londres. Ele é o atual detentor do recorde mundial e olímpico dos 100 e 200 metros, mas vai ter que confirmar o favoritismo contra adversários de peso, entre eles o também jamaicano Yohan Blake.

A explicação para essas derrotas é que ele vem sofrendo com um desconforto no músculo posterior da coxa e já viajou para a Alemanha para se tratar com um especialista antes do inicio dos Jogos. O objetivo é estar cem por cento em Londres. O problema é se vai dar tempo para ele se recuperar completamente e repetir o desempenho de Pequim.

Bolt claramente se poupou na seletiva e correu o suficiente para se classificar, gerando dúvida se ele realmente terá condições de buscar o ouro olímpico. O agente dele Ricky Simms, afirmou ontem para a imprensa britânica que o jamaicano teve que se poupar para não agravar a contusão, mas já está voltando a rotina normal de treinos e voltará aos grandes resultados durante os Jogos Olímpicos.

Tomara que seja só uma contusão sem muita gravidade e que ele possa brilhar no estádio olímpico de Londres em agosto. Grande parte dos ingressos vendidos para o atletismo se devem ao carisma e ao talento desse atleta fora de série. O brilho dessas olimpíadas não será tão intenso se Bolt não puder competir na plenitude da forma.

Até a próxima.

Veja mais:

+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!

+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia

+ Todos os blogs do R7

Convocação sem surpresas. Defesa pode dar dor de cabeça

Para ser sincero, achei que o técnico Mano Menezes ia surpreender na última hora não convocando o Ganso, mas me enganei. Eu não o teria convocado porque acho que ele está passando por um momento ruim e ainda recuperando a forma física. Além disso, um setor que já tem Oscar e Lucas talvez não precisasse tanto assim do Ganso, mas não penso também que sua convocação foi um absurdo.

Mano preferiu deixar de fora o zagueiro David Luiz, o que pra mim é temeroso. Não sei se o Bruno Uvini ou o Juan vão dar conta do recado mesmo tendo o Thiago Silva do lado. Acho que a defesa é o ponto fraco da seleção e pode dar muita dor de cabeça. O técnico da seleção preferiu convocar o Hulk entre os acima dos 23 anos para melhorar o ataque, um setor que já tem Alexandre Pato, Neymar e Leandro Damião. Eu não concordo, mas claro respeito a decisão do Mano Menezes.

Acho que ele acertou ao convocar o Marcelo na lateral esquerda, já que ele vem se entendendo muito bem nesse setor com o Neymar e é muito forte no apoio. Quanto ao Thiago Silva ele é uma das poucas unanimidades desta seleção. Será o capitão da equipe na Olimpíada e se o time for campeão, vai ter o papel de xerife da seleção principal também.

Apesar de algumas divergências de opiniões que sempre vão existir em convocações de seleção, penso que o grupo é forte e tem totais condições de conquistar o inédito ouro para o Brasil no futebol. Confio também no bom relacionamento do grupo e no bom trabalho do Mano Menezes diante desta prova de fogo que pode até valer o seu cargo no final da competição. Abaixo a lista completa dos 18 jogadores divulgada nesta quinta. A estreia será contra o Egito no dia 26 de julho. Tá chegando a hora. Boa sorte Brasil!

Goleiros

Rafael Cabral (Santos)

Neto (Fiorentina)

Laterais

Alex Sandro (Porto)

Marcelo (Real Madrid)

Rafael (Manchester United)

Danilo (Porto)

Zagueiros

Thiago Silva (Milan)

Bruno Uvini (São Paulo)

Juan (Inter de Milão)

Volantes

Sandro (Tottenham)

Rômulo (Spartak de Moscou)

Meias

Paulo Henrique Ganso (Santos)

Oscar (Internacional)

Lucas (São Paulo)

Atacantes

Neymar (Santos)

Leandro Damião (Internacional)

Alexandre Pato (Milan)

Hulk (Porto)

Veja mais:

+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!

+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia

+ Todos os blogs do R7

Caso Jade serve de exemplo de como não se deve agir antes de uma olimpíada

Jade Barbosa pensou melhor, voltou atrás, e resolveu assinar o termo de contrato com o patrocinador da seleção faltando menos de um mês para os Jogos de Londres. Mas espera aí, e as outras atletas que estão participando de todos os treinos e competições? Como é que elas agiriam sabendo que uma companheira decidiu em cima da hora que queria ir para Londres e acabou conseguindo? No mínimo seria injusto com quem está desde o inicio seguindo todo o cronograma da preparação para ir as Olimpíadas.

Porque não foi só o papel que ela deixou de assinar. Faltou treinos, não esteve em competições importantes antes dos Jogos, não se concentrou para as olimpíadas junto com as companheiras, enfim fez tudo o que uma atleta de ponta jamais poderia fazer antes de uma competição tão importante quanto essa. E pode ter sido a ultima chance de disputar uma Olimpíada na carreira, já que não se sabe como ela estará fisicamente para o Rio 2016.

Se competir numa olimpíada era tão importante para ela, deveria ter pensado melhor e mesmo contrariada, tinha que ter seguido o cronograma da Confederação brasileira de Ginástica. Ela não está sozinha, até porque ela ia para a competição por equipes também. Não é um esporte individual, e mesmo se fosse, o atleta tem uma entidade e uma comissão técnica por trás que não podem simplesmente serem ignoradas.

Imagina o precedente que a CBG abriria se voltasse atrás e a incluísse na delegação? Por isso acho que a decisão de não levá-la foi acertada. É uma pena pois acredito que todos perdem: a equipe brasileira, que fica sem o talento da Jade para brigar por uma colocação melhor em Londres, e a própria atleta, que fica de fora quem sabe de uma última olimpíada. Não foi a primeira vez que ela se envolveu em polêmicas e atos de indisciplina. Pode ser uma má influencia de familiares e amigos, mas fato é que pegou muito mal para a Jade Barbosa ter agido dessa forma. Que esse fato lamentável sirva de exemplo do que não deve ser feito para que um atleta possa construir uma grande e vitoriosa carreira. Até a próxima.

Veja mais:

+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!

+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia

+ Todos os blogs do R7

Belém parou para a passagem do ônibus da Record

 Belém parou para a passagem do ônibus da Record

 Belém parou para a passagem do ônibus da Record

O maior público de toda a viagem do ônibus da Record está sendo aguardado na Praça Dom Pedro II, aqui em Belém. No Balanço Geral local durante a tarde, mais de três mil pessoas curtiram o som e a participação de todos os craques comentaristas da Record.

Um sol escaldante e um calor de mais de 34 graus ajudaram a esquentar o clima da festa que empolgou o público e contou com muita descontração dos comentaristas no palco. Várias clínicas e a presença de inúmeros atletas locais, fizeram do evento um enorme sucesso em Belém, onde a Record dá um show de audiência e é muito querida por onde passa.

Nesta sexta à noite, durante o Jornal da Record apresentado também aqui de Belém  pela Ana Paula Padrão teremos um público estimado de 30 mil pessoas curtindo o show e tendo a oportunidade de ver as estrelas do jornalismo e do esporte da emissora.

Aproveito  esse espaço para agradecer o carinho e a receptividade das pessoas com todos nós da Record. A passagem do ônibus por aqui com certeza vai deixar saudades.

Veja mais:

+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!

+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia

+ Todos os blogs do R7

Bellucci vai para os jogos de Londres

bellucci backhand RG 450x338 Bellucci vai para os jogos de Londres

Bellucci vai para os jogos de Londres como convidado e sem muitas ambições. Não há muito o que comemorar.

O que já era esperado aconteceu:  o brasileiro Thomaz Bellucci recebeu convite da ITF e vai representar o Brasil em Londres. Uma pena que o brasileiro não conseguiu entrar por ranking direto na chave olímpica.

Mas participar dos jogos já é uma boa notícia para um tenista que está passando por uma fase ruim e que até agora teve um ano decepcionante, tanto é que despencou no ranking e ficou torcendo para entrar na lista de convidados para  poder disputar a olimpíada.

Aliás, essa lista contém atletas pouco conhecidos ou jogadores que estão no final de carreira como é o caso do australiano Lleyton Hewitt, que já foi número um do mundo, mas há alguns anos vem demonstrando que já deveria ter encerrado a carreira.

O tenista de 31 anos é o atual número 202 do ranking e nesta terça foi eliminado na primeira rodada em Wimbledon pelo francês Tsonga, por 3x0. Logo Wimbledon, torneio que ele já faturou em 2002 e que tem como sede exatamente o local dos jogos de tênis  na Olimpíada: a grama sagrada do All England Club.

Quem foi eliminado também na primeira rodada de Wimbledon foi exatamente o brasileiro Bellucci, que não teve sorte na chave e pegou logo o espanhol Rafael Nadal. Até que fez um bom primeiro set levando para o tie break, mas depois voltou a cometer muitos erros e perdeu em três sets seguidos.

Se continuar jogando desta forma, Bellucci não vai muito longe nos jogos olímpicos. Vai só fazer figuração em Londres, demonstrando a péssima fase do tênis brasileiro, que ainda terá mais três representantes nos jogos: André Sá, que jogará dupla com o próprio Bellucci, e a dupla Bruno Soares e Marcelo Melo, que entrou por ranking direto na chave olímpica.

Confira a lista completa dos jogadores que vão disputar as olimpíadas divulgada no site da ATP (com asterisco os convidados):

 

Argentina: Juan Martin del Potro, Juan Monaco, Carlos Berlocq, David Nalbandian

 

Austrália: Bernard Tomic, Lleyton Hewitt (*)

 

Áustria: Jurgen Melzer

 

Bélgica: Olivier Rochus, David Goffin, Steve Darcis

 

Brasil: Thomaz Bellucci (*)

 

Bulgária: Grigor Dimitrov

 

Canadá: Milos Raonic, Vasek Pospisil (*)

 

Taiwan: Yen-Hsun Lu

 

Colômbia: Santiago Giraldo, Alejandro Falla

 

Croácia: Marin Cilic, Ivo Karlovic, Ivan Dodig

 

Chipre: Marcos Baghdatis

 

República Tcheca: Tomas Berdych, Radek Stepanek

 

Finlândia: Jarkko Nieminen

 

França: Jo-Wilfried Tsonga, Gilles Simon, Gael Monfils, Richard Gasquet

 

Alemanha: Philipp Kohlschreiber

 

Grã-Bretanha: Andy Murray

 

Índia: Somdev Devvarman (*)

 

Itália: Andreas Seppi, Fabio Fognini

 

Japão: Kei Nishikori, Go Soeda, Tatsuma Ito

 

Cazaquistão: Mikhail Kukushkin

 

Luxemburgo: Gilles Muller

 

Holanda: Robin Haase

 

Polônia: Lukasz Kubot

 

Romênia: Adrian Ungur (*)

 

Rússia: Mikhail Youzhny, Alex Bogomolov Jr., Nikolay Davydenko, Dmitry Tursunov

 

Sérvia: Novak Djokovic, Janko Tipsarevic, Viktor Troicki

 

Eslováquia: Lukas Lacko, Martin Klizan

 

Eslovénia: Blaz Kavcic (*)

 

Espanha: Rafael Nadal, David Ferrer, Nicolas Almagro, Fernando Verdasco

 

Suíça: Roger Federer, Stanislas Wawrinka

 

Tunísia: Malek Jaziri (*)

 

Ucrânia: Sergiy Stakhovsky (*)

 

Estados Unidos: John Isner, Andy Roddick, Donald Young, Ryan Harrison

 

Uzbequistão: Denis Istomin

BOLT NÃO TERÁ VIDA FÁCIL EM LONDRES

usainbolt ok BOLT NÃO TERÁ VIDA FÁCIL EM LONDRES

Definidos os atletas americanos que vão correr os 100 metros rasos em Londres, já se pode prever que Usain Bolt continua sendo o favorito, mas não pode bobear na prova, pois os tempos da seletiva americana disputadas neste fim de semana em Eugene foram muito fortes e numa prova de 100 metros surpresas podem acontecer.

Justin Gatlin surpreendeu e venceu a seletiva com 9,80 segundos, o segundo melhor tempo do ano.  Além disso, bateu o seu próprio recorde e injetou confiança na performance que ele pode ter nos Jogos Olímpicos.

Gatlin foi campeão olímpico em Atenas 2004, depois ficou quatro anos afastado por doping. Mais maduro e agora com 30 anos ele quer provar ao mundo que pode ser campeão de novo e acha possível derrotar o jamaicano favorito na prova.

Por falar em favorito, Tyson Gay que hoje é considerado o grande nome dos 100 metros nos Estados Unidos, teve que amargar a segunda colocação na seletiva, mas também com um tempo de respeito: 9,86 segundos, que lhe garantiu a segunda vaga.

Ele também entra como nome forte na prova, mas não acho que ele seja capaz de conseguir o ouro olímpico. Na minha opinião para desbancar Bolt nessa prova, será necessário correr na casa dos 9,6 segundos ou torcer pro jamaicano queimar a largada.

Vamos ver o que acontece no dia 05 de agosto, na grande final dos 100 metros rasos em Londres. Até a próxima.

Veja mais:

+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!

+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia

+ Todos os blogs do R7

Phelps x Lochte – Briga promete ser boa na seletiva americana para Londres

Os olhos do mundo inteiro estarão voltados para Omaha, Nebraska, nos Estados Unidos, onde vai acontecer a partir da próxima segunda, dia 25, o trial que vai definir a delegação americana de natação para os Jogos de Londres.

Somente os dois primeiros atletas de cada prova poderão representar o pais nas olimpíadas. Para muitos especialistas, essas provas na maioria das vezes são mais difíceis do que a própria final olímpica por causa do altíssimo nível e de toda a tradição que os atletas americanos tem na natação.

Entre os participantes, dois monstros sagrados da natação mundial merecem destaque: Michael Phelps, para mim o maior nadador de todos os tempos, que ganhou oito medalhas de ouro em Pequim, e Ryan Lochte, dono de seis medalhas olímpicas e recordista mundial dos 200M Medley, prova em que os dois vão travar uma disputa espetacular, não só na seletiva americana, mas também nos jogos olímpicos.

Aliás, os 200M Medley promete ser uma das provas mais disputadas em Londres justamente pela recente rivalidade entre Phelps, que já não é mais aquele atleta imbatível  de quatro anos atrás, e Lochte, que vive uma grande fase na carreira e já declarou que não perde mais essa prova para o seu grande rival. É esperar pra ver em Londres, com o nosso Thiago Pereira nadando por fora e tentando beliscar uma medalha nessa prova também.

O Trial dos Estados Unidos começa na próxima segunda e vai até domingo com muita emoção na piscina de Omaha, Nebraska. Phelps mostra que continua com fome de medalhas olímpicas e vai nadar 7 provas: 100 livre, 200 livre, 100 borboleta, 200 borboleta, 200 costas, 200 e 400 medley.

Lochte foi ainda mais radical e está inscrito em 11 provas: 50 livre, 100 livre, 200 livre, 400 livre, 100 costas, 200 costas, 100 borboleta, 200 borboleta, 100 peito,  200 medley e 400 medley. Quem será que vai pegar mais vagas e brilhar mais em Londres? Façam suas apostas!

Veja mais:
+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!

+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia

+ Todos os blogs do R7

 

Ônibus da Record atrai multidão

Os mineiros deram um show na passagem do ônibus da Record por Belo Horizonte. 12 mil pessoas se aglomeraram na belíssima Praça da Estação para receber o ônibus e todo o timaço da emissora.

Ana Paula Padrão comandou o Jornal da Record direto de BH e animou o público que depois foi presenteado com o show do mineiro Alexandre Pires. Pessoas de todas as idades estiveram no local, que tem como pano de fundo o fantástico Museu de Artes e Ofícios.

Que noite agradável na capital mineira! Não caiu nenhuma gota de chuva e a temperatura esteve bem amena, em torno dos 20 graus. Além dos comentaristas da Record, esteve presente também o campeão mundial de judô Luciano Corrêa, que vai ser um dos representantes do Brasil em Londres com boas chances de medalha.

Queria agradecer de coração o carinho do povo mineiro com a Record. Agora o ônibus vai continuar subindo o país e indo em direção ao nordeste. De BH pra Vitória, daí para Salvador, que vai ter outra grande parada do ônibus, com direito a muita festa na terra do axé. Até a próxima.

1 Ônibus da Record atrai multidão

2 Ônibus da Record atrai multidão

3 Ônibus da Record atrai multidão

Veja mais:
+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!

+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia

+ Todos os blogs do R7

Basquete feminino: teste verdadeiro será contra a Austrália

O Brasil voltou a massacrar as chilenas no basquete feminino: 111 à 28 em amistoso disputado em Jundiaí. Assim como na última sexta, a seleção não encontrou dificuldades diante da fraca equipe chilena.

Damiris mais uma vez foi o destaque com 23 pontos e 12 rebotes. A jogadora recentemente escolhida pelo Minesotta Lynx (atual campeão) para atuar na WNBA, mostrou que tem vaga certa no time comandado pelo técnico Luiz Claudio Tarallo. A armadora Adrianinha com 14 pontos e 10 assistências e a ala Iziane, com 17 pontos, também se destacaram.

Mas não podemos exagerar na dose de otimismo ganhando do Chile, que tem um time fraco e sem tradição. O verdadeiro teste começa agora com uma série de amistosos contra a Austrália, nos dias 24, 26 e 28 de junho.

Nesses jogos provavelmente teremos a volta da Érika, que é peça fundamental para o Brasil buscar uma boa campanha em Londres e na minha opinião uma das três melhores pivôs do basquete mundial na atualidade. Ela se recupera de uma distensão na coxa esquerda, mas estará cem por cento para os jogos olímpicos.

Em uma participação no Esporte Record News Londres, Luiz Cláudio Tarallo afirmou que somente nos amistosos mais difíceis ele terá a chance de avaliar o grupo e definir as 12 jogadoras que estarão na Olimpíada. Por enquanto a seleção conta com 18 jogadoras, e não será uma tarefa fácil cortar seis atletas antes dos Jogos.

Uma coisa é certa: a preparação do Brasil começa pra valer agora. A Austrália tem muita tradição no basquete feminino, está no grupo do Brasil em Londres, e sempre faz jogos duros contra as brasileiras. Vale lembrar que o Brasil foi vice-campeão mundial em 1994 perdendo exatamente para a Austrália. Até a próxima!

lucas pereira Basquete feminino: teste verdadeiro será contra a Austrália

Página 73 de 74Primeiro...7071727374