O drama dos Atléticos

A sétima rodada do brasileirão ainda não foi completada. Faltam ainda dois jogos nesta quinta-feira.

Mas nada vai mudar a zona do rebaixamento.

Podemos dizer que o Z4 é a grande surpresa até agora do campeonato, após praticamente um quinto da competição já disputada.

É realmente incrível como dois dos três Atléticos do campeonato estão entre os quatro últimos.

E não é o Atlético Goianiense não.

O mineiro ocupa a 17ª posição, enquanto que o paranaense amarga a lanterna!

Tudo bem que o Furacão não estava cotado para ser um dos candidatos ao título. Mas está classificado para as quartas da Libertadores e tem um elenco mediano, pelo menos no papel.

E olha que se não tivesse vencido ontem fora de casa, já estaria quatro pontos atrás do primeiro fora da zona de rebaixamento (que é exatamente o terceiro Atlético, o de Goiás). Por pouco não tivemos os três Atléticos juntos no grupo da degola.

Por coincidência, a vitória do Furacão fora de casa foi exatamente contra o Galo em BH.

Se na última temporada o fator casa era o grande diferencial do time mineiro, agora passou a ser o ponto fraco. O aproveitamento é pífio, com duas derrotas em quatro jogos no Independência.

Achei que desta vez o resultado foi um castigo muito duro. A equipe fez pressão desde o início do jogo e até fez dois gols, que foram bem anulados por conta de impedimento.

O detalhe é que o Atlético Paranaense teve o Lucho Gonzalez expulso aos 39 do primeiro tempo.

Mesmo assim, no final da partida fez o gol que lhe deu a primeira vitória, numa incrível falha do Felipe Santana, aumentando ainda mais o drama do adversário.

Não acho que seja o caso de demitir o técnico Roger Machado.

Sinceramente, a equipe está passando por uma fase ruim onde nada está dando certo.

Robinho perdeu algumas chances claras de gol. Fred também fez falta.

Acredito que a equipe vai voltar ao caminho das vitórias.

Ao contrário do Furacão, que pode passar sufoco durante todo o brasileirão.

 

 

 

 

Vitória tranquila em um jogo morno

A seleção brasileira praticamente começou a partida na frente.

Com 10 segundos, o time já fazia o primeiro gol, numa saída errada da Austrália. Diego Souza recebeu bom passe do Giuliano e bateu no canto do goleiro.

O estádio vazio já demonstrava que os australianos não tinham muita expectativa, nem interesse neste confronto.

Mas, se engana quem achou que seria um jogo fácil, com direito a goleada. Os australianos avançaram a marcação e ocuparam o campo de ataque, levando mais perigo que o Brasil.

A partir da metade do primeiro tempo, a seleção conseguiu ter mais a posse de bola e controlar melhor o jogo.

Coutinho era o melhor jogador em campo.

Impressionante como ele está cada vez mais  à vontade com a camisa da seleção. Eu diria que ele está garantindo um lugar na equipe titular para a Copa do Mundo.

Gostei também do Rafinha apoiando pela direita. Acho ele mais jogador que o Fagner.

David Luiz se apresentou bem como volante. Pela sua versatilidade, seria um dos meus convocados para a Copa.

Diego Souza também estava bem à vontade no jogo. Foi o jogador que mais se movimentou no ataque brasileiro, com toques inteligentes e finalizações.

Não acho que ele seja um dos melhores atacantes do nosso futebol.

Jogadores como o Jô, Fred e até o Luan, do Grêmio, são meus preferidos. Sem falar no Gabriel Jesus, que é o meu titular na posição.

Mas é inegável que o Diego Souza vem aproveitando as chances que vão surgindo.

Ao contrário do Douglas Costa, que se esforçou muito, mas não foi bem. Acabou passando pelo vexame de ser substituído pelo Taison.

No segundo tempo a Austrália trocou alguns jogadores e facilitou ainda mais. Thiago Silva fez, de cabeça, o segundo gol brasileiro aos 16 minutos.

Até o Taison fez o dele, aos 29, depois de uma linda troca de passes da equipe, com direito a toque de calcanhar do Paulinho.

O atacante até chorou quando fez o gol, porque ele sabe que provavelmente será o primeiro e último com a camisa da seleção.

Rodriguinho foi o que menos teve chances com o Tite nestes dois amistosos. Só entrou aos 31 minutos do segundo tempo e pouco pôde mostrar.

Ainda deu tempo do Diego Souza fazer mais um nos acréscimos.

De qualquer maneira, gostei do amistoso. Valeu para experimentar e dar rodagem a alguns jogadores.

A partir de agora, só faltam mais 9 jogos entre eliminatórias e amistosos, até a estreia na Copa do Mundo.

Valeu pelo teste.

 

 

Derrota que serve para amadurecer

Foi um primeiro tempo bastante equilibrado em Melbourne.

As duas equipes buscavam marcar pressão no campo do adversário.

O Brasil se movimentava mais e tocava a bola com rapidez.

Foi assim que a seleção teve uma grande oportunidade com o Phillippe Coutinho aos 22 minutos.

Passamos por um susto, quando Maidan fez falta feia em Gabriel Jesus. Justamente no pé direito que sofreu uma fratura pelo Manchester City. Mas ele ficou bem.

A partir dos 35 minutos, a Argentina ficou mais com a posse de bola e se tornou mais perigosa.

Jogando principalmente em cima do Fágner, com Di Maria tendo grande atuação pela esquerda do ataque, a equipe passou a finalizar com mais perigo.

O gol, no final do primeiro tempo, aconteceu por uma falha do miolo de zaga do Brasil. Otamendi subiu sozinho e cabeçeou na trave. No rebote, Mercado tocou pro fundo das redes.

No segundo tempo, Tite inverteu a posição com Willian passando para a direita e Coutinho pela esquerda.

Depois de um início sonolento, a seleção brasileira aos poucos foi se tornando mais perigosa, com Gabriel Jesus e Coutinho se destacando.

Aos 16 minutos, o gol de empate só não saiu por um milagre. Jesus chutou na trave já com o goleiro batido. No rebote Willian acertou a trave novamente.

Aos 20 minutos, a primeira alteração do Tite. Douglas Costa entrou no lugar do Renato Augusto, tornando a equipe mais ofensiva.

Na metade do segundo tempo Dybala foi substituído. O vice-campeão da Champions pela Juventus esteve apagado em campo.

Aos 27 minutos foi a vez do Rafinha entrar na vaga do Fágner. Acho que ele entrou até tarde no jogo. O Tite poderia ter experimentado o jogador desde o início do segundo tempo.

O Brasil continuava sendo mais perigoso, mas pecava nas finalizações. O resultado mais justo seria um empate.

Mas até acredito que, se tem uma boa hora para uma primeira derrota do Tite, a hora é essa.

Bom que foi num amistoso.

Mas claro que perder pra Argentina nunca é agradável.

Que sirva para que ninguém tenha a impressão de que o Tite na seleção é imbatível.

Parabéns ao Jorge Sampaoli pela grande estreia.

 

 

 

 

 

Ataques poderosos

Brasil e Argentina se enfrentam nesta sexta em território australiano, em um jogo cercado de expectativa.

Se anteriormente, os técnicos das duas equipes não contavam com a confiança de suas torcidas, agora a situação é bem diferente.

Tite e o recém-contratado Jorge Sampaoli, também chegam com status de protagonistas.

Um deles, já classificou sua seleção e agora já planeja a participação na Copa do ano que vem.

O outro, ainda terá que arrancar nas eliminatórias para classificar a Argentina.

Mas, não tenho dúvidas de que Sampaoli tem condições de fazer a equipe dar essa virada e chegar no Mundial como um dos favoritos.

Para o jogo que será disputado no Lakeside Stadium, em Melbourne, a seleção argentina chega praticamente completa e promete mostrar um futebol bastante ofensivo.

Pelo menos nos treinos, Sampaoli já deu sinais de que vai atuar com três zagueiros, liberando os alas.

Além disso, vai colocar no ataque Higuaín, Messi e Dybala juntos, numa formação que assusta qualquer sistema defensivo.

higuain dybala juventus sassuolo serie a 12xjn5bc88hes1e5o8b37l5t3r 1024x576 Ataques poderosos

Higuaín e Dybala ficaram com o vice da Liga dos Campeões pela Juventus

O Brasil terá alguns desfalques. Os mais importantes são Neymar, Marcelo e Daniel Alves.

Com isso, a defesa brasileira será formada por Wéverton, Fágner, Thiago Silva, Gil e Filipe Luís.

Não sei não, mas acho que essa defesa pode ter sérios problemas diante dos argentinos. Fernandinho e Paulinho terão que voltar e ajudar muito na marcação para proteger mais a zaga.

Para a ausência de Neymar, Willian vai começar jogando, atuando mais pelo lado esquerdo, com Phillippe Coutinho pela direita e Gabriel Jesus centralizado.

Mesmo não contando com nosso principal jogador, esse trio também forma um ataque de respeito.

Por isso, acho que tem tudo pra ser um jogão. De preferência, com muitos gols.

Levir não é a solução

A demissão do técnico Dorival Júnior era inevitável. Não por falta de competência, mas porque o ciclo dele no clube acabou.

Não dá pra negar que o trabalho dele foi muito bom no ano passado. Terminou o brasileiro como vice-campeão e conquistou o título paulista.

Em muitos momentos o time encheu os olhos do torcedor, com um futebol envolvente e ofensivo.

Mas acho que o prazo de validade venceu.

Este ano está sendo muito ruim para o Santos.

A equipe não conseguiu vencer nenhum clássico. Contra os times da série A, as únicas vitórias foram contra Ponte Preta e Coritiba.

A torcida já demonstrava a sua insatisfação com o Dorival há muito tempo, invadindo treinamentos e pedindo a saída do treinador.

Alguns santistas só defendiam a permanência dele por falta de opções no mercado. Achavam que a qualidade e a experiência dele não seriam facilmente substituídas.

Muitos gostariam de ver o Elano assumindo a equipe com a ajuda do Serginho Chulapa, como assistente.

Mas temem que a falta de experiência pese e ele repita o insucesso do Rogério Ceni no São Paulo.

elano Levir não é a solução

Elano tem a vantagem de conhecer bem o elenco santista

Aí vem a diretoria e acerta com Levir Culpi!

Sinceramente, não dá pra entender essa decisão.

O último trabalho do treinador foi pífio.

Quando ele chegou ao Fluminense a expectativa era muito grande.

Mas o time não conseguiu render o esperado. E o Levir não pareceu se importar muito com isso.

A impressão que dá é de que ele não tem mais tanta paciência nem força de vontade pra ser treinador de um grande clube.

Pode ser que eu queime a minha língua e que ele faça sucesso no Peixe.

Mas, não sei não...

Acho que trocar Dorival por levir é trocar seis por meia dúzia.

Acho até que é trocar seis por três ou quatro.

Até ele chegar e conhecer bem o elenco, o time já caiu eliminado da Libertadores e já se afundou na classificação do brasileiro.

Pra trazer o Levir, seria melhor deixar o Elano mesmo e dar respaldo ao trabalho dele.

Até a próxima.

 

Confrontos da Copa do Brasil

Finalmente foram definidos os confrontos de quartas-de-final da Copa do Brasil.

Como todos os times que permanecem no torneio tem muita tradição e uma camisa pesada, os duelos tem tudo pra serem bem equilibrados.

Flamengo e Cruzeiro entram com a vantagem de não estarem preocupados também com a Libertadores.

Todas as outras seis equipes estão na competição continental.

Vamos aos confrontos:

Flamengo x Santos - O Santos vem para este confronto bastante fragilizado. A derrota para o Corinthians, que desencadeou na demissão do Dorival Jr, mostra como a equipe não encontrou seu futebol este ano. Jogadores como Vitor Bueno, Ricardo Oliveira e Bruno Henrique estão jogando muito abaixo do esperado. Dos quatro jogos que disputou no brasileirão, perdeu três e quase entrou na zona de rebaixamento. O time rubro-negro tem um grupo mais forte, apesar de estar oscilando demais. A volta do Diego deve dar mais qualidade do meio pra frente. O menino Vinícius Jr também está mais adaptado ao ambiente dos profissionais e pode ajudar. O primeiro jogo é no Rio e o da volta em Santos.

Atlético MG x Botafogo - Inexplicavelmente o Galo, que era considerado um dos favoritos ao título, está na zona do rebaixamento do Brasileirão. Mas não se enganem. O time é bom e o treinador é competente. Acho que essa fase ruim vai passar em breve. Mas não sei se será o suficiente para eliminar o Botafogo, que também tem um bom técnico e um elenco equilibrado. O time tem ainda a vantagem de jogar a segunda partida em casa, sabendo de quanto precisa pra se classificar. Acredito que é o confronto mais difícil para um prognóstico.

Grêmio x Atlético PR - A equipe gaúcha deu sorte no sorteio. A fase ruim do Furacão parece não ter fim. Neste fim de semana, a equipe sofreu mais uma derrota para o Coritiba, que vem levando grande vantagem contra o rival nesta temporada. Se não fosse a improvável vitória no Chile contra a Universidad Católica, a equipe também já estaria fora da Libertadores. O Grêmio, por sua vez, passou sem dificuldades pelo Fluminense e vem brigando lá em cima na classificação do brasileiro. Sem falar na fama de copeiro que o Renato Gaúcho tem.

Palmeiras x Cruzeiro - Outro duelo complicado e muito equilibrado. O time paulista não vem rendendo o esperado mesmo com a chegada do Cuca. Jogadores como o Tchê Tchê, Borja, Roger Guédes e Edu Dracena, caíram muito de produção e vão dando dor de cabeça para o treinador. Mano Menezes parece estar com um time bem mais acertado do lado cruzeirense. A difícil classificação lá em Santa Catarina contra a Chape deu mais moral ainda para um grupo que tem qualidade. O time mineiro ainda tem a vantagem de jogar a última partida em casa. Mas acredito que uma hora a má fase do Palmeiras acaba. Só não se sabe se será diante do Cruzeiro.

Como ainda teremos muito tempo até o primeiro jogo, as equipes podem chegar com situações bem diferentes das atuais.

As partidas de ida acontecerão entre 28 de junho e 4 de julho. A volta está marcada para 26 de julho ou 9 de agosto.

Os cruzamentos até a final da Copa do Brasil já estão definidos e ficaram assim:

As semifinais terão os vencedores dos jogos Atlético-MG/Botafogo x Flamengo/Santos e Atlético-PR/Grêmio x Palmeiras/Cruzeiro.

Portanto, poderemos ter uma semifinal com clássico carioca ou uma decisão com dois times mineiros ou paulistas.

Até a próxima.

Que Palmeiras é esse?

O torcedor do Palmeiras deve estar comemorando uma suada classificação para as quartas da Copa do Brasil.

Apesar da derrota, o time ficou com a vaga pelo gol marcado fora de casa.

Mas, se eu fosse palmeirense, estaria preocupado também.

Foi a terceira derrota seguida.

E o que nós vimos ontem à noite, mais uma vez,  foi um time apático, desorganizado, e que teve o Cuca inventando um novo jeito de jogar.

Acho que ele acertou ao colocar o Keno no lugar do Dudu, que saiu contundido.

Ele não podia também abrir mão do Borja, que entrou quando a equipe precisava de gols.

Agora, a saída do Edu Dracena, deslocando o Felipe Melo para a zaga, eu não entendi.

Thiago Santos, que acabou entrando, foi o autor do gol da classificação.

Acredito que foi muito mais um golpe de sorte do que uma alteração tática que mudou o time.

O Inter foi melhor praticamente o jogo inteiro. Mas acabou recuando demais depois que fez 2 a 0.

O Colorado chamou o Palmeiras para o seu campo. A partir deste momento, vimos a equipe paulista abusando do chuverinho na área.

Acabou dando certo.

Menos mal para o Cuca, que mostrou que tem estrela e classificou o time.

Agora ele já começa a falar que está difícil trabalhar com este grupo sem reforços.

Quem diria, o tão falado e comentado elenco do Palmeiras, talvez não seja tão bom assim.

Ou será que o Cuca perdeu a mão com este grupo e não consegue mais ajeitar o time, como fez no ano passado?

Vamos ver o que acontece daqui pra frente.

Até a próxima.

Palpites da Copa do Brasil

Hoje teremos uma noite quente de Copa do Brasil, com jogos de volta das oitavas.

Vou deixar aqui meus palpites. Tomara que eu acerte pelo menos um. kkk

Fluminense x Grêmio -  O tricolor gaúcho venceu a primeira por 3 a 1 e pode se dar ao luxo de perder por um gol de diferença. A única chance do Fluminense é uma vitória por 2 a 0. Mas, com a defesa que tem, levando muitos gols em praticamente todos os jogos (a vitória contra o Galo foi a exceção), acho que o Grêmio vai fazer pelo menos um gol e sai classificado.

Inter x Palmeiras -  O ambiente no time Colorado não é dos mais tranquilos. Guto Ferreira já foi anunciado como novo treinador, mas só assume amanhã. Portanto hoje a equipe contará apenas com o assistente Odair Hellmann. Do outro lado, o Palmeiras também não vive um bom momento. Vem de duas derrotas seguidas no brasileirão. A equipe tem a vantagem de jogar pelo empate, já que venceu na ida por 1 a 0 em SP. No meu palpite, eu coloco o Inter devolvendo o placar de 1 a 0 e ganhando nos pênaltis na sequência.

Atlético MG x Paraná - Na ida, a equipe paranaense venceu por 3 a 2. Portanto o Galo pode vencer por 1 a 0 ou 2 a 1, para ficar com a vaga. Apesar do momento instável que a equipe mineira enfrenta, acredito na classificação até com certa folga. Tem muito mais time que o Paraná.

Sport x Botafogo - O Botafogo venceu a primeira em casa por 2 a 1 e joga por um empate. O time pernambucano vem de uma boa vitória contra o Grêmio pelo brasileirão e a torcida promete lotar a Ilha do Retiro. Mesmo assim, acredito que Alvinegro passa com um empate. Os cariocas tem um elenco mais equilibrado e que sabe jogar no erro do adversário. O Bota passa.

Atlético PR x Santa Cruz - O Santa não fez o dever de casa e empatou sem gols a primeira partida. Mais do que um palpite, acho que o Atlético tem obrigação de conquistar uma vitória sem sustos.

Chapecoense x Cruzeiro - Vale lembrar que este confronto só acontece amanhã. O Cruzeiro tem mais time, mas construiu um placar magro (1x0) em casa. O fator torcida pode ser decisivo para uma vitória da Chape. Mas, acho que será uma vitória por um gol de diferença e levando gol (2x1 ou 3x2). Por isso, mesmo com uma derrota, o Cruzeiro se classifica.

Equilíbrio e surpresas no início do brasileirão

Mal começou o brasileirão e já deu pra perceber o equilíbrio que deve ser o padrão desse campeonato.

Dos 20 times participantes, 16 já perderam pelo menos uma vez. Somente Corinthians, Cruzeiro, Flamengo e Chapecoense ainda estão invictos.

Não por acaso, o Timão divide a liderança com a Raposa. Se a Chape vencer hoje o clássico catarinense diante do Avaí, se junta aos dois na liderança com sete pontos.

O Flamengo ficou pra trás por ter empatado duas das três partidas que disputou.

O Vasco vem surpreendendo positivamente.

Se antes ele era considerado um dos candidatos ao rebaixamento, principalmente depois da goleada sofrida na estreia, agora o time deu a volta por cima e vem de duas vitórias seguidas.

Os três pontos no clássico carioca, comprovam que o fator casa pode ser predominante para a equipe fugir da zona de rebaixamento. Convenhamos que este é o grande objetivo do clube este ano.

As surpresas negativas ficam por conta de Palmeiras e Atlético MG.

Os dois, que entraram na competição como candidatos ao título, aparecem bem próximos do Z4.

O caso do Galo é ainda mais grave porque o time ainda não venceu em três jogos.

Tudo bem que o pensamento dos dois é a Libertadores. Ninguém esconde que a prioridade é a competição continental.

Mesmo assim, eles montaram um elenco bom o suficiente para brigar lá em cima em tudo que disputa.

O Palmeiras começou bem, com uma goleada, mas vem de duas derrotas seguidas, jogando muito abaixo do esperado.

Claro que é muito prematuro fazer uma avaliação agora. O campeonato está só começando.

Mas, se demorar pra reagir, pode ser tarde demais pra alcançar o grupo da frente.

Até a próxima.

 

 

Dois tricolores em alta

Nem sempre as coisas fazem sentido no futebol.

Por isso é que ele é tão apaixonante.

Depois da final do campeonato carioca, o Flamengo saiu fortalecido e com o merecido título. Alguns dias depois, foi eliminado na fase de grupos da Libertadores, com uma combinação de resultados absolutamente improvável.

O Fluminense, que havia perdido o título e já não conseguia achar mais o futebol envolvente que estava jogando, parecia que ia cair drasticamente de produção.

Não foi o que aconteceu.

Apesar da derrota para o Grêmio, na Copa do Brasil, o time começou muito bem o brasileirão, com duas vitórias diante de grandes equipes, como Santos e Atlético MG.

Neste domingo, o tricolor carioca jogou uma de suas melhores partidas do ano.

Muito em função de algumas modificações que o Abel fez no time.

A primeira foi a troca de Renato Chaves por Nogueira na zaga. Renato estava mal tecnicamente há algum tempo. Vale lembrar que foi dele a falha para o gol do Everton no primeiro FlaxFlu decisivo.

Ele voltou a falhar contra o Grêmio pela Copa do Brasil. Já estava na hora dele deixar a equipe.

A outra mudança foi tática.

O treinador do Fluminense percebeu que o esquema com três atacantes já não estava mais dando resultado.

Então, ele barrou Welington Silva, e promoveu a volta do Gustavo Scarpa ao time.

Com isso o meio-campo voltou a ter quatro jogadores. Teve mais a posse de bola e melhorou na marcação. A equipe ficou mais encorpada e compacta.

As mudanças deram resultado e o Fluminense conseguiu a façanha de derrotar o Galo dentro do Estádio Independência.

Claro que tomou pressão no final, mas bravamente segurou o resultado, mesmo jogando os 15 minutos finais com um a menos.

Não por ter tido alguém expulso. É que o Sornoza fraturou o tornozelo e a equipe já havia feito três substituições.

Logo quando o Scarpa está voltando depois de um longo tempo parado, o elenco perde outro titular.

O equatoriano ficará pelo menos três meses longe dos gramados.

Mesmo assim, o tricolor parece feliz.

Afinal de contas, parece que o Fluminense reencontrou o bom futebol.

Na próxima semana, Fluminense e Grêmio, os líderes do brasileirão, com 100% de aproveitamento, voltam a se enfrentar em um confronto decisivo pela Copa do Brasil.

O tricolor gaúcho pode até perder por um gol de diferença, que mesmo assim sai classificado para as quartas-de-final.

Vai ser um jogão!

Até a próxima.

 

Página 5 de 82Primeiro...34567...Último