O Galo trocou 6 por 4

Estava na cara que o Roger seria demitido no Galo.

Perder em casa pro Bahia foi a gota d'água para um trabalho que não vinha funcionando.

Se antes o Atlético era imbatível em casa, agora o torcedor teve que amargar uma triste estatística.

Desde o começo do ano, quando Roger começou a dirigir o clube, foram quatro derrotas em oito jogos no Independência.

Sinceramente, continuo acreditando na competência do treinador.

O trabalho feito com o Grêmio em 2015, quando levou a equipe gaúcha ao terceiro lugar no campeonato, foi digno dos melhores técnicos do futebol brasileiro.

Ele ficou super valorizado depois disso.

Mas a verdade é que o Galo, com o elenco que tem, tinha que estar jogando muito mais.

Ele simplesmente não conseguiu dar um padrão de jogo ao time.

A diretoria mostrou toda a sua pressa e resolveu trazer o Rogério Micale, que na minha opinião, não é mais treinador que o Roger.

Não é nem trocar seis por meia dúzia. É trocar seis por quatro, no máximo.

rogerio micale O Galo trocou 6 por 4

Rogério Micale foi campeão olímpico com a seleção nos Jogos do Rio

O grande problema é a falta de opções no mercado.

Muitos atleticanos acreditam que a diretoria não deveria ter mandado embora o Levir Culpi, no final de 2015, por causa da identificação dele com o clube.

Sinceramente, não vejo uma luz no fim do túnel pro Atlético no restante da temporada.

Na Copa do Brasil, o time tem uma vantagem mínima e já volta a jogar na próxima quarta diante do Botafogo.

Micale não terá tempo suficiente pra ajeitar nada. Vai ser na base da motivação psicológica.

Na Libertadores, a equipe perdeu a primeira partida por 1 x 0 para o Jorge Wilstermann na Bolívia, com uma atuação muito fraca.

No dia 09 de agosto, vai tentar reverter a situação em Belo Horizonte, onde o time está inseguro e não vem se apresentado bem. Acho que a torcida, neste momento tenso, vai pressionar mais do que ajudar.

O Campeonato Brasileiro é a menor das preocupações. A equipe está no meio da tabela e tem vários outros times com uma vontade enorme de cair.

Mas, se não briga contra o rebaixamento, também não vai lutar pra ficar entre os seis primeiros.

Portanto, as próximas duas semanas vão definir o ano do Atlético.

Com Rogério Micale no comando, tem boas chances de ser um 2017 desperdiçado.

Até a próxima.

 

 

 

 

 

Sai a Libertadores, entra a série B

O casamento entre Camilo e o Botafogo chegou ao fim.

Acho que os dois se beneficiaram muito dessa relação, mas nada é eterno.

Camilo chegou no clube, vindo do futebol árabe e cercado de desconfiança. Ninguém apostava muito nele.

Mas o jogador superou todas as expectativas e mostrou um futebol que encheu os olhos.

Com uma técnica refinada e muita movimentação, ele não só virou titular absoluto como virou ídolo da torcida.

Impressionante como ele, no auge, chegou a vestir a camisa da seleção brasileira. Com todo o mérito.

Foi aí que o Botafogo fez muito bem pra ele, o tirando lá dos Emirados Árabes, onde ficou cinco meses sem receber, para colocá-lo na vitrine novamente.

Ele correspondeu em campo com grandes atuações e muito espírito de luta.

Não tenho dúvidas de que ele foi o grande responsável por ter levado o clube para a disputa da Libertadores deste ano.

Camilo botafogo Sai a Libertadores, entra a série B

Foram 57 jogos e 7 gols com a camisa do Botafogo

Acredito que o os problemas começaram quando a diretoria resolveu trazer o argentino Montillo, que jogava mais ou menos na mesma faixa de campo que ele.

Foi aí que o casamento começou a desmoronar.

O técnico Jair Ventura chegou a ser questionado se dava pra jogar com os dois juntos no meio-campo.

E ele chegou a escalar os dois ao mesmo tempo. Foram poucas ocasiões, é verdade. Sempre tinha um ou outro entregue ao departamento médico.

Camilo mostrou sua insatisfação, achando que ficava mais sacrificado no esquema, sendo o escolhido pra voltar e ajudar na marcação. Teve até uma discussão com o treinador.

A partir deste momento ele nunca mais foi o mesmo.

A concorrência também ficou mais forte.

Apesar da aposentadoria do Montillo, o menino João Paulo foi testado como o número 10 e agradou.

Sem falar no Marcos Vinícius, vindo do Cruzeiro, que vem conquistando a torcida com boas atuações.

Aí ele foi perdendo espaço no time, virou reserva, e quando entrava não mostrava o mesmo futebol que encantava todo mundo.

A parte física também prejudicou muito. Em vários jogos ele se mostrava pesado e se arrastava em campo.

A situação ficou insustentável.

Tanto é que o Camilo preferiu jogar pela série B, no Inter, do que continuar disputando a Libertadores.

Pelo menos lá no sul ele vai ter chance de jogar.

Uma coisa é certa. Ele vai precisar jogar mais do que vem mostrando pra conquistar o seu espaço no Colorado.

Até a próxima.

Diego Alves é a solução?

Olho com desconfiança esta chegada do Diego Alves ao Flamengo.

O clube confirmou a contratação do goleiro, com direito a festa no aeroporto e pose para fotos com a camisa de sócio torcedor, no Rio de Janeiro.

Ele vem para disputar a Sul-Americana e o Campeonato brasileiro. Copa do Brasil já não dá mais por causa do prazo de inscrição.

Atualmente o elenco tem o jovem Thiago, de 21 anos, como titular. Ele é considerado ainda muito inexperiente e inseguro na função.

Além do Alex Muralha, que chegou a ser considerado um dos melhores do Brasil na posição, inclusive cotado pra seleção. Mas hoje ele amarga a reserva e ainda não se recuperou da má fase.

 Diego Alves é a solução?

Diego Alves foi titular do Valência e atuou em 33 partidas do último Campeonato Espanhol

Não sei se o Diego vai resolver o problema do Flamengo no gol.

Tudo bem que ele é considerado o maior pegador de pênaltis do mundo, com o incrível aproveitamento de 47% de defesas.

Ele até já defendeu cobrança do Messi e três batidas do Cristiano Ronaldo, ficando famoso no mundo inteiro por estas façanhas.

Mas com a bola rolando o aproveitamento dele não enche os olhos.

No último campeonato espanhol, ele defendeu apenas 85 das 160 bolas que foram chutadas no seu gol.

Um aproveitamento de 53% das bolas atiradas contra a sua meta.

Entre os 20 goleiros da primeira divisão na Espanha, ele ficou apenas na 18° colocação.

Estes números explicam porque o Valência resolveu vendê-lo ao Flamengo por 300 mil euros parcelados.

Diego Alves, que ganhava mais de 1 milhão de reais por mês na Espanha, vai passar a receber 500 mil reais mensais.

Claro que continua sendo um super salário, mas é a metade do que ele vinha recebendo.

Aí a gente pode fazer algumas perguntas: por que o Valência quis se desfazer do goleiro por tão pouco?

Por que nenhum outro clube da Espanha ou da Europa se interessou em trazê-lo?

Sei não, mas acho que o Diego Alves não vem pra resolver de uma vez por todas a carência no gol que o Flamengo vem enfrentando.

 

 

 

 

Libertadores tem que ser a prioridade

Renato Gaúcho continua um fanfarrão mesmo.

É do tipo de personagem que, na minha opinião, faz falta ao futebol brasileiro.

Não tem muito filtro pra falar o que pensa e nem tem preocupação em ser politicamente correto.

Ontem, após a surpreendente e importante vitória sobre o Flamengo, fora de casa, ele voltou a mostrar a sua língua afiada.

Disse na coletiva que o Corinthians começou muito bem no brasileirão e com todo o mérito é líder isolado.

Mas não deixou de cutucar o rival, afirmando que o tricolor gaúcho ainda briga pelo título, mesmo estando dez pontos atrás.

Segundo ele, o Corinthians não vai manter o ritmo avassalador, em que conquistou 11 vitórias e 2 empates nos 13 primeiros jogos.

Ainda usou a expressão "o Corinthians vai despencar", pra justificar o seu otimismo.

renato gaúcho Libertadores tem que ser a prioridade

Renato adora dar declarações polêmicas

Eu até concordo em parte com ele.

Acredito sim que o Corinthians não vai continuar com esse aproveitamento assustador.

Todas as equipes oscilam em um campeonato longo como esse. Não tem jeito.

Não vai continuar dando tudo certo como vem acontecendo.

Sim, acreditem, apesar de todo o mérito corintiano, acho que quando a fase é boa, as coisas dão certo naturalmente.

Jogadores de qualidade duvidosa acabam rendendo melhor quando uma equipe está afinada e confiante.

Uma diferença de 10 pontos também dá a tranquilidade necessária pro grupo de jogadores não sentirem tanto a pressão.

O problema que afunda a tese do Renato Gaúcho é que o Grêmio também vai passar por altos e baixos ao longo da competição.

Inclusive já passou por um momento ruim. Vale lembrar que depois da derrota em casa para o Corinthians, a equipe sofreu mais duas derrotas consecutivas, inclusive pro Avaí.

E tem um outro detalhe.

O time está praticamente nas quartas-de-final da Libertadores, após a boa vitória fora contra o Godoy Cruz.

Sem falar na Copa do Brasil, quando o clube praticamente garantiu a sua vaga na semifinal, depois que atropelou o Atlético PR por 4 x 0.

É óbvio que a equipe estará com as atenções voltadas pra estas duas competições que estão na reta final. A chance do título em pelo menos uma delas é muito forte.

Portanto, é bom o Renato Gaúcho parar de falar em campeonato brasileiro. Não dá pra alcançar o Corinthians, esquece isso.

Acho que nem a própria torcida esteja acreditando ou torcendo muito por esta reação.

O título da Libertadores é prioridade absoluta neste momento. Se possível acumulando uma boa gordura no brasileirão.

Até a próxima.

 

Clássico vovô de volta ao Maraca

Hoje tem clássico carioca pela 13ª rodada do campeonato brasileiro.

Fluminense x Botafogo, voltam a se enfrentar no Maracanã, após mais de dois anos.

O último jogo no estádio, aconteceu no dia 11 de abril de 2015, pelo campeonato estadual.

Após este período, o maior palco do futebol carioca ficou mais uma vez fechado para a reforma visando os Jogos do Rio.

Depois da Olimpíada, foi aquele descaso todo que nós presenciamos, o que dificultou o uso dele no campeonato carioca deste ano.

A partida começa às 21 horas e terá arquibancada dividida para as duas torcidas, apesar do mando ser do tricolor.

Os dois chegam para este jogo com campanhas parecidas no brasileirão. O Flu tem 17 pontos, contra 16 do rival.

Acredito que o Botafogo chega mais inteiro para o duelo. O único desfalque não é bem uma ausência.

O goleiro Gatito Fernandez continua em tratamento com um corte no joelho.

Mas depois da atuação de gala do Jefferson diante do Atlético Mineiro, acho que ele ia ficar no banco mesmo.

O técnico Jair Ventura ia ser até cobrado caso deixasse o goleiro, que é ídolo da torcida, na reserva, depois de tudo que ele fez na sua volta ao futebol.

Do meio pra frente a equipe segue com o jovem Matheus Fernandes no lugar do Camilo, que fica como opção no banco.

Pimpão e Roger formam o ataque, com João Paulo encostando lá na frente.

Os dois vem de três partidas sem vitória. Pelo menos o tricolor não perdeu, acumulando só empates, enquanto o Botafogo perdeu dois jogos e empatou um.

O Fluminense sim tem uma ausência importante, com Henrique Dourado suspenso com três cartões amarelos.

Abel Braga deve optar por colocar em campo uma equipe mais rápida no ataque, com Richarlison como centroavante, Wellington Silva de um lado e Calazans do outro.

A outra alternativa seria escalar o jovem Pedro como referência na área, no lugar do Wellington Silva.

No meio-campo mais problemas, com o desgaste físico de Gustavo Scarpa e Orejuela, que inclusive são dúvidas para o jogo. Lucas Fernandes e Marlon Freitas estão de sobreaviso.

Meu palpite é de um empate com gols.

Resultado que não é bom pra nenhum dos dois, que vão ver a zona da Libertadores mais distante ainda.

Já a outra zona, a do rebaixamento, pode ficar mais perto.

A conferir...

 

 

 

 

 

Fim de semana dos goleiros

Foi um fim de semana em que os goleiros brilharam no campeonato brasileiro.

Começando por Jéferson, no Botafogo, que finalmente voltou após 14 meses sem jogar.

Ele chegou a pensar na aposentadoria depois do momento difícil que viveu, mas resolveu apostar na sua volta.

E não poderia ter sido um retorno mais fantástico. Nem ele, nem o mais otimista botafoguense, poderia imaginar que ele fizesse uma partida extraordinária dessa. Até porque, seria normal que ele sentisse falta de ritmo.

Pois ele fez pelo menos quatro defesas difíceis. Sem falar no pênalti defendido na cobrança do Rafael Moura.

Por falar em pênalti defendido, foram quatro nessa rodada.

Cássio, do Corinthians, voou no canto certo e defendeu a cobrança de Lucca, da Ponte. Uma defesa muito difícil e bonita.

Victor, goleiro do Galo, defendeu o pênalti batido por Roger, do Botafogo. Mas, no rebote, o atacante botafoguense conseguiu tocar pro fundo da rede.

Douglas Avaí1 Fim de semana dos goleiros

Douglas defendeu o Grêmio até setembro do ano passado

Mas o grande destaque do domingo foi Douglas do Avaí.

Ele literalmente fechou o gol contra seu ex-clube, o Grêmio, sendo o maior responsável pela zebra da rodada, com a vitória catarinense por dois a zero.

Foram sete defesas difíceis. Sem falar no pênalti defendido na cobrança do Edílson.

O tricolor gaúcho dominou totalmente a partida, mas parou no goleirão do Avaí, que teve uma das melhores atuações desse brasileirão.

Tudo bem que a batida do Edílson foi no meio do gol. Mas ele chutou forte e apostou que o goleiro ia cair para um dos cantos. Mérito do Douglas que ficou parado.

No total foram cinco pênaltis perdidos, porque ainda teve a bola na trave do Luccas Pratto, no clássico São Paulo x Santos.

Nenhum pênalti entrou neste fim de semana. Coisa rara de se ver no futebol.

Até a próxima.

 

Clássico tem favorito sim

A última vez que o clássico Vasco x Flamengo aconteceu em São Januário, foi no campeonato carioca do ano passado, com vitória cruzmaltina por um a zero.

Foi uma partida tensa dentro e fora de campo, com direito a um contingente de 450 policiais envolvidos no jogo. Número digno de uma decisão.

Neste sábado, às 18 horas, os dois voltam a se encontrar no estádio do Vasco, com todos os 22 mil e quinhentos ingressos vendidos.

Desses, 1125 bilhetes foram destinados a torcida rubro-negra, setor que também já está esgotado.

Espero, sinceramente, que não tenhamos problemas entre as torcidas. Que seja um sábado de paz e sem conflitos. Torcedores de outros times não são inimigos, e sim adversários.

Falando do jogo, o Flamengo é o favorito, mesmo acontecendo na arena vascaína.

Tem mais elenco e mais opções para mudar o esquema se o jogo pedir.

O Vasco tem a motivação de atuar diante da sua torcida e derrotar um time que vem crescendo no brasileirão, com três vitórias seguidas.

A última vez que o rubro-negro perdeu ponto no campeonato, foi exatamente num clássico regional, contra o Fluminense, quando empatou nos acréscimos.

Corinthians, Grêmio e Palmeiras, os outros candidatos ao título, claro, torcem por um tropeço do Flamengo.

A equipe terá um desfalque amanhã. O lateral direito Pará sentiu dores no joelho e fica fora. Rodinei entra no lugar.

Diego, muito gripado, foi poupado dos últimos treinamentos e é dúvida pro duelo. Se não jogar, será realmente um desfalque importante.

Ele vive um grande momento no time, inclusive começando a se entender com o recém-chegado Éverton Ribeiro, que já mostrou que pode dar muitas alegrias pra torcida.

É extremamente rápido e inteligente com a bola nos pés, inclusive dividindo a armação das jogadas com o próprio Diego.

Com a dupla de Évertons e Guerrero lá na frente, e Diego encostando nos atacantes, o Flamengo, na minha opinião, tem o melhor time do futebol brasileiro do meio-campo pra frente.

O Vasco, por sua vez, tem a pior defesa do campeonato ao lado da Chapecoense, com 22 gols sofridos. Número que mostra como o torcedor vascaíno pode sofrer amanhã.

O negócio é torcer para que Nenê ou Luiz Fabiano estejam num dia inspirado pra conquistar uma vitória improvável.

Até a próxima.

 

 

 

 

Para espantar a má fase

Mesmo não atravessando um bom momento, a torcida do Botafogo tem motivos para virar a chave e acreditar em um bom resultado esta noite diante do Nacional do Uruguai, partida de ida das oitavas-de-final da Libertadores.

O time vem fazendo uma campanha sólida na competição, eliminando alguns campeões, como Colo Colo, Olímpia e Atlético Nacional.

Além disso, o aproveitamento fora de casa é bem razoável, com uma vitória, dois empates e duas derrotas, marcando quatro gols no total.

Por falar em gols, teremos o artilheiro do time, Rodrigo Pimpão, em campo.

Ele marcou quatro dos cinco gols da equipe até agora na Libertadores e é peça chave para balançar as redes fora de casa. Pimpão terá a companhia de Roger no ataque.

Vale lembrar, que o time vem de três derrotas seguidas, sem marcar nenhum gol.

Um momento que pode ser considerado o pior do ano.

O Bota ainda vai ter o jovem Matheus Fernandes de volta, entrando no lugar do Camilo, que fica como opção no banco de reservas.

Com esta mudança a equipe ganha em velocidade e poder de contra-ataque para tentar surpreender os uruguaios.

Convenhamos que um empate já seria um ótimo negócio. Daria mais tranquilidade pra sequência do brasileirão.

O jogo da volta acontece somente no dia 10 de agosto. Portanto, muito tempo pra ficar remoendo um placar adverso.

Do outro lado, o Nacional do Uruguai quase não se classificou para a fase mata-mata. Ficou com a vaga dos piores segundos colocados. Assim mesmo, porque a Chapecoense foi punida.

Mas parece que, depois disso, conseguiu se acertar, vindo de três vitórias consecutivas no campeonato uruguaio, marcando três gols em cada jogo. Tudo bem que o fraco campeonato uruguaio não serve muito de parâmetro. Mas dá confiança.

A notícia ruim pra eles é que o atacante Aguirre, lesionado, está fora do jogo.

Boa sorte para o Glorioso.

Até a próxima.

 

 

 

A tragédia do Sarriá

Hoje está completando exatamente 35 anos de uma das derrotas mais doloridas que eu já vi no futebol.

A tragédia do Sarriá, como ficou conhecida a partida em que a Itália derrotou o Brasil por 3 a 2, e eliminou a seleção "canarinho" da Copa de 1982, na Espanha.

Eu tinha 10 anos na época e já era um apaixonado por futebol.

Principalmente por causa dessa seleção brasileira, que, de longe, foi o time que jogava mais bonito que eu já assisti.

Tanto é que, até hoje eu me lembro da escalação completa do timaço dirigido pelo mestre Telê Santana.

Principalmente do meio-campo pra frente, o grupo era muito diferenciado e qualificado.

Muitos até hoje falam que o Telê errou ao montar uma equipe tão ofensiva.

Mas eu discordo totalmente. Uma seleção que tinha Cerezo, Falcão, Sócrates, Zico e Éder, tinha que jogar junto.

Não dava pra deixar nenhum deles no banco de reservas. Telê sabia disso.

Ele simplesmente colocou o que havia de melhor em campo. Acabou sendo castigado por isso.

Coisas do destino.

brasil de 82 A tragédia do Sarriá

Geração fantástica que, infelizmente, não levou nenhuma Copa do Mundo

Até aquele fatídico jogo, o Brasil tinha feito 10 gols e sofrido apenas 3.

Diante destes números, não dava pra dizer que o time marcava mal ou era fraco na defesa. De jeito nenhum.

Por outro lado, a Itália só tinha conquistado uma vitória em 4 jogos. Empatou com Polônia, Peru e Camarões, depois ganhou de 2 a 1 da Argentina.

Por ter feito um gol a mais contra os hermanos, a seleção brasileira jogava pelo empate pra seguir na Copa.

Detalhe que deixou ainda mais dolorido aquele 5 de julho de 1982, com a derrota por 3 a 2, com 3 gols do carrasco Paolo Rossi.

Foi uma derrota tão sofrida, que mudou para sempre o rumo e o estilo do futebol brasileiro em Copas do Mundo.

Saiu o futebol bonito e bem jogado, e entrou o futebol competitivo e de resultados.

Sinceramente, sempre fui a favor do espetáculo. Mesmo sabendo que muitas vezes o resultado acaba não vindo.

Até a próxima.

 

 

Demissão bizarra

Sinceramente, não entendi a demissão do técnico Vágner  Mancini da Chapecoense.

Contra o Fluminense, na noite desta segunda-feira, a equipe fez uma das melhores partidas neste brasileirão.

Levou um gol muito cedo, mas acabou virando ainda no primeiro tempo.

No segundo tempo, mesmo jogando com um a menos, ficou novamente na frente no placar.

Um time que batalhou muito durante todo o jogo. E que se mostrou ousado e agressivo mesmo atuando fora de casa.

Será que ele foi desligado do clube porque levou o gol de empate nos acréscimos?

Normal, visto que o Fluminense também lutou até o fim pra não ser derrotado em casa.

Tudo bem que a Chape completou o seu quinto jogo sem vitória.

Chegou a liderar o brasileirão por duas rodadas e hoje está mais perto da zona do rebaixamento.

Mas a campanha, com 14 pontos conquistados, não chega a ser horrorosa.

 Demissão bizarra

Mancini foi campeão catarinense com a Chape

Achei super precipitada a decisão de rescindir o contrato do treinador. Até o próprio Mancini foi pego de surpresa e nem esperava que acontecesse uma reunião na manhã desta terça para decidir o seu futuro no clube.

O aproveitamento dele dirigindo a Chape foi de 50,7 %, com 20 vitórias, 10 empates e 16 derrotas.

Não acredito que tenha alguém no mercado dando sopa, com as mesmas qualidades dele.

Tremenda bola fora da diretoria.

Até a próxima.

 

Página 5 de 83Primeiro...34567...Último