Os ferozes chineses

A janela de transferência do futebol chinês está aberta e ainda pode levar muita gente.

Dinheiro é o que não falta.

Basta lembrar que o argentino Carlitos Tevez acertou com o Shanghai Shenhua e vai ganhar 129 milhões de reais por ano.

Com este contrato, ele passa a ser o jogador mais bem pago do mundo.

E olha que o Tevez nem é considerado um atacante de elite do futebol mundial.

Não se compara com as estrelas dos grandes times da Europa.

Alguns deles foram sondados e receberam propostas milionárias, mas acabaram recusando.

Cristiano Ronaldo, por exemplo, chegou a ter uma oferta de espantosos 340 milhões de reais por ano para atuar na liga chinesa, mas não aceitou alegando que dinheiro não é tudo.

A exceção foi o meia brasileiro Oscar, que estava muito bem no Chelsea da Inglaterra, mas resolveu aceitar a grana do Shanghai SIPG, time dos compatriotas Hulk e Elkeson.

Na equipe chinesa, ele vai ganhar cerca de 7 milhões de reais por mês.

No caso dele, o dinheiro falou mais alto.

Não cabe aqui julgar a prioridade nem a necessidade de cada um.  Mas Oscar não ganhava mal no Chelsea e estava na vitrine do futebol mundial.

 Os ferozes chineses

Clube chinês desembolsou 206 milhões de reais para ter Oscar

O mesmo não podemos falar dos brasileiros que jogam por aqui.

Uma boa proposta financeira da China pode ser bem tentadora.

Vale lembrar que no início de 2016 o Corinthians teve o elenco desmantelado pelo mercado chinês.

Foram embora do campeão brasileiro na época, Renato Augusto, Jadson, Gil e Ralf.

Esse é o medo que muitos clubes daqui estão sentido agora.

Será que alguns times serão desmontados como no ano passado?

O Palmeiras, atual campeão, que se cuide.

Mas não tem só gente indo não.

Montillo voltou da China e acertou com o Botafogo.

Luiz Fabiano também cansou de lá, mas ainda não acertou com nenhum clube.

Até a próxima.

 

 

 

 

 

 

Depois de um mês, a mistura de sentimentos

Estamos hoje completando um mês da tragédia com o avião que levava a Chapecoense e um grupo de jornalistas para a Colômbia.

A mistura de sentimentos é grande.

Vai desde a tristeza, passando pela saudade, com a revolta por tudo que aconteceu graças à irresponsabilidade de quem decolou com pouco combustível.

Mas, não adianta mais pensarmos nisso.

A hora agora é de juntar os cacos, ajudar as famílias e buscar a reconstrução do clube.

Hora de todos os envolvidos com a Chape pensarem nas competições que virão no ano que vem.

Sim, um 2017 de Libertadores inédita para o clube e de tentar se manter na primeira divisão do futebol brasileiro.

A ideia de anistia e proteção à Chapecoense foi totalmente descartada pelo próprio clube e pela CBF.

Portanto, o time disputa normalmente o campeonato brasileiro, com chances de cair para a série B, como todos os outros.

Acho que levados pela emoção do momento, todos acharam certo cogitar essa proteção.

Mas hoje, com a cabeça mais fria, um mês após o ocorrido, acredito que não seria correto e justo com a própria Chapecoense jogar com essa imunidade.

Seria uma situação constrangedora para o elenco e para a torcida.

No momento, ninguém envolvido com o clube quer que as pessoas tenham pena de ninguém.

A sensação é de dar a volta por cima. De reconstruir a instituição que a cidade tanto ama e que vai fazer de tudo para fazer bonito ano que vem.

Força Chape!!!

E um feliz 2017 pra todos vocês!

 

 

 

As apostas de 2017

Todo final de ano é assim.

Os dirigentes se mexem em busca dos treinadores disponíveis no mercado.

Todos querem começar 2017 com  um técnico e uma filosofia de trabalho já definidos.

Nem sempre esse planejamento dá certo. Eu diria que, na maioria das vezes, as coisas não saem como o esperado.

Neste sentido, acredito que o São Paulo será a grande atração do ano que vem.

A aposta no ídolo Rogério Ceni é arriscada, mas ao mesmo tempo a torcida vai estar com ele mesmo se o início não for tão bom como treinador.

A vontade do ex-goleiro é tão grande, que ele aceitou o desafio de comandar o time do coração mesmo sabendo que 2016 foi um ano ruim para o clube.

O tricolor, famoso no passado pela organização e bom planejamento, sofreu com conflitos políticos e quase foi rebaixado no brasileirão.

Rogério Ceni virou a esperança de dias melhores em 2017. Confesso que estou muito curioso em vê-lo em ação do banco de reservas.

Se o São Paulo está arriscando, podemos dizer que o Corinthians também está apostando num treinador que não deu muito resultado este ano.

Tanto é que ele foi substituído pelo Oswaldo de Oliveira.

Tá certo que o Fábio Carille foi o melhorzinho na era pós-Tite, com 4 vitórias, 1 empate e 3 derrotas.

Mesmo assim, não está no nível da grandeza do clube.

Acho que o torcedor corintiano tem motivos para estar preocupado com o que vai acontecer no ano que vem.

Com uma dívida alta e sem poder de fogo para contratar jogadores nem um treinador de alto nível, a aposta é que a garotada assuma a responsabilidade e dê conta do recado.

Sei não...

O Palmeiras se viu obrigado a mudar de comandante.

Cuca pediu as contas após o título alegando motivos pessoais.

Eduardo Baptista assume com a dura responsabilidade de manter o alto nível e continuar conquistando bons resultados.

Após o inesquecível ano de 2016, o palmeirense está mais exigente e não vai se contentar com qualquer coisa. E com razão.

Agora sem Gabriel Jesus, o ex-técnico da Ponte terá ainda mais trabalho pela frente.

Dos quatro grandes paulistas, o único que não mudou a comissão técnica foi o Santos.

Após trabalhos pífios no Fluminense, Vasco, Flamengo, Atlético MG, Palmeiras (a lista é grande), eis que o treinador se reinventou no Santos e conseguiu fazer um bom trabalho nesse brasileirão.

É bem verdade que o bom elenco ajudou muito, mas Dorival teve seus méritos.

No momento, ele é o único com o privilégio de dar continuidade a um trabalho que foi bem realizado.

 As apostas de 2017

Dorival foi campeão paulista e vice-campeão brasileiro este ano

Por tudo isso, acho que o Santos vai levar vantagem e sair na frente no início de 2017.

Até que os outros técnicos se acertem nos demais clubes, vai demorar um pouquinho.

Até a próxima.

 

 

 

 

Momento inesquecível de 2016

Oi pessoal,

Já estamos nos últimos dias de 2016.

Por isso, gostaria de postar aqui no blog um dos momentos mais marcantes do esporte neste ano.

Um dos mais importantes da história do futebol brasileiro.

Claro que nada vai superar o impacto da tragédia com o avião da Chapecoense, inclusive matando alguns jornalistas que já foram meus companheiros de trabalho.

Um momento muito doloroso do ano que está terminando.

Mas quero aqui falar de coisas boas e relembrar a conquista do inédito ouro olímpico no futebol em um Maracanã lotado.

Foi sofrido.

Só soltamos o grito de campeão nos pênaltis.

No vídeo dá pra perceber a tensão de todos os profissionais envolvidos com a disputa e logo em seguida uma explosão de alegria.

A participação especial de Fábio Porchat junto com os comentários do jornalista Ricardo Martins deram um toque especial a esta transmissão.

A data: 20 de agosto de 2016. Um dia inesquecível!

Confira no link abaixo.

watch?v=SFoc61fcMZE

Só resta uma vaga

Depois dos resultados desta quarta-feira, já dá pra definir três rebaixados.

América e Santa Cruz matematicamente já caíram.

O Figueirense, mesmo com o gol de empate marcado aos 47 do segundo tempo, já caiu também.

A equipe catarinense agora está cinco pontos atrás do primeiro fora do Z4, faltando três rodadas pro final.

Só um milagre livraria o time da segundona.

Então, só resta uma vaga pra definir os quatro rebaixados.

Neste momento o Inter é o de pior situação, por que está dentro do Z4.

A equipe vai ter uma partida decisiva nesta quinta contra a Ponte.

Por jogar em casa, é obrigado a ganhar. O empate já é um péssimo resultado.

Até porque depois terá dois dos três jogos fora de casa. Sai pra enfrentar o Corinthians e o Fluminense, e tem o mando de campo diante do Cruzeiro.

O Vitória está um ponto na frente, mas pega o Santos hoje na Vila. Provavelmente vai levar um sacode e entrar na zona do rebaixamento.

Mas a tabela pode ajudar. Na sequência, tem dois confrontos diretos contra Figueirense e Coritiba. Na última rodada deve pegar o Palmeiras já com o título garantido.

Apesar da derrota de ontem em casa para o Cruzeiro, o Sport não deve cair.

Vai ter a sorte de enfrentar os já rebaixados América e Figueirense até o final do campeonato. Convenhamos que é uma grande vantagem.

Portanto, na minha opinião, Inter e Vitória estão na briga pra não ficarem com a última vaga que resta.

A pressão em cima do time gaúcho é maior por nunca ter caído antes. Este fator pode atrapalhar muito um elenco já abalado psicologicamente.

Até a próxima.

 

 

 

Ele resolve

E pensar que o Vasco poderia não subir para a primeira divisão este ano.

Convenhamos que seria como se fosse outro rebaixamento.

Acho até que a torcida não aguentaria outra decepção dessa e abandonaria de vez os estádios.

O time que chegou a ser líder por muitas rodadas foi caindo de produção e chegou a ficar três partidas sem conquistar uma vitória.

Aliás, nos últimos oito jogos foram apenas duas vitórias e a chance de não subir cada vez mais presente.

Mas, tudo ficou mais tranquilo depois dos três pontos diante do Bragantino fora de casa.

Um resultado que ainda não garante o acesso, mas deixa a equipe cinco pontos na frente do quinto colocado, precisando de apenas mais uma vitória pra matematicamente se garantir na elite do futebol brasileiro.

O torcedor agora pode respirar mais aliviado.

E pode agradecer muito ao ídolo Nenê.

Foi ele quem cobrou o escanteio para o gol do Thales e fez o segundo de pênalti.

Finalmente o craque desencantou. havia dez partidas que ele não sabia o que era balançar a rede.

Um jejum que coincide com a má fase do Vasco.

Tá na cara que quando ele está bem, o jogo da equipe flui muito mais.

A "Nenê dependência" durou o campeonato inteiro, mostrando que o elenco não é lá essas coisas, mas tem um jogador diferenciado e que resolve.

Deu gosto de ver a alegria dele e dos torcedores após o final do jogo contra o Bragantino. Ele fez questão de cumprimentar todos que estavam atrás do gol, deixando claro que a paz voltou entre a torcida e o time.

7b2528 c4095576898b44aebc6c505d29d373f1 Ele resolve

Nenê é vice-artilheiro da série B com 13 gols

A volta à primeira divisão pode acontecer já no próximo sábado em Santa Catarina contra o Criciúma, que não briga por mais nada no campeonato.

O retorno para o lugar de onde um clube grande como o Vasco jamais deveria ter saído.

Mas esta é a conta que o Vasco tem que pagar pela incompetência de Eurico Miranda, Roberto Dinamite e outros dirigentes que por lá passaram.

Até a próxima.

 

A melancólica despedida do Levir

Terminou de forma vexatória a passagem de Levir Culpi pelas Laranjeiras.

Foram 52 jogos, com 22 vitórias, 15 empates e 15 derrotas, no comando do Fluminense.

Muito pouco para um técnico caro e que veio com o objetivo de brigar pelas primeiras posições.

A exigência da torcida era de pelo menos uma vaga  na Libertadores. E olha que na época que ele veio, ainda era G4.

Mas, depois de seis jogos sem vencer no brasileirão, Levir foi embora.

Na minha opinião, ele já deveria ter saído antes.

Vale lembrar que o treinador já tinha colocado o seu cargo à disposição em setembro, após a derrota de virada pra Chapecoense dentro de casa.

Vamos combinar que o Fluminense, mesmo passando várias rodadas entre os seis primeiros, já vinha jogando mal há um bom tempo.

Derrotas inexplicáveis, contra a Chapecoense e contra o São Paulo, por exemplo, mostravam que o time estava sem comando e nervoso em campo.

O próprio empate diante do Vitória, na volta ao Maracanã, levando o gol nos minutos finais, exibiam uma fragilidade enorme no setor defensivo, com os zagueiros Gum e Henrique cometendo erros bizarros.

Mas a culpa não é só deles. Muito menos só do Levir.

A verdade é que o elenco é fraco.

Os laterais Wellington Silva e William Matheus não são bons nem no apoio nem na defesa.

Os atacantes não estão a altura de um clube grande.

Richarlison é apenas esforçado. Magno Alves já está perto do fim da carreira.

Marcos Júnior era uma grande esperança mas não vem rendendo.

O melhorzinho ali é o Wellington, que vai pra cima da marcação e é habilidoso, mas muitas vezes peca pelo individualismo.

O setor de meio-campo é o mais talentoso, com Scarpa e Cícero.

Mas falta um equilíbrio maior, com jogadores mais fortes na marcação. O Douglas ou o Henrique jogaram várias vezes como o único volante.

Sim, porque não dá pra contar com o Cícero como um dos volantes. Se eu fosse treinador do Flu, o colocaria pra jogar lá na frente, com a força que ele tem para as jogadas aéreas.

Análises à parte, agora é tarde pra uma mudança radical.

Só faltam quatro jogos, e a chance da equipe ir pra Libertadores é pequena.

Nesse momento, acredito até que o Marcão seja uma boa opção. Ele tem uma história no clube e pode fazer o mesmo sucesso de treinadores inexperientes,  como o Jair Ventura e o Zé Ricardo.

O problema é a falta de tempo pra mostrar serviço.

Convenhamos que em quatro jogos, ele dificilmente vai fazer o Fluminense mudar da água pro vinho.

marcao2 A melancólica despedida do Levir

Marcão já foi várias vezes interino, mas nunca teve chance como treinador titular

Aí, quando acabar o campeonato, o novo Presidente eleito vai contratar outro medalhão a peso de ouro.

E o Marcão volta a ser só interino.

Filme que eu já vi várias vezes no futebol brasileiro...

Até a próxima.

 

 

Prêmio tem nome diferente, mas figuras são as mesmas

THE BEST

Este é o novo nome que a FIFA adotou para o prêmio de melhor jogador do mundo em 2016.

Vale lembrar que houve uma separação com a revista France Football, que vai continuar com o nome  "bola de ouro" para o vencedor, numa outra premiação.

A cerimônia da FIFA acontece somente no dia 9 de janeiro do ano que vem.

A lista inicial tem 23 jogadores. Entre eles, as figuras que sempre marcam presença, como CR7, Messi e Neymar.

Outros jogadores que se destacaram no ano, como o uruguaio Luis Suarez e o francês Antoine Griezmann, também fazem parte do seleto grupo, mas com menos chances de ganhar.

Eu diria nenhuma chance.

Nomes surpreendentes que conquistaram o título inglês com o Leicester, como Jamie Vardy, Riyad Mahrez e N’Golo Kanté, atualmente no Chelsea, também foram lembrados. Só de fazerem parte da relação, já é uma grande vitória pra eles.

A novidade para este ano é a participação popular, via internet, para escolher o vencedor.

Tá certo que o peso é de apenas 25% na votação.

Outros 25% saem de 200 jornalistas selecionados para a escolha.

E os outros 50% são dos votos de treinadores e capitães de seleções nacionais espalhadas por todo o globo.

Mas de qualquer maneira, a votação online do público, vai ter sua voz.

As pessoas tem até o dia 22 de novembro pra participar pelo site da FIFA.

A relação com os três finalistas será divulgada no dia 2 de dezembro.

Se não houver nenhuma zebra, Messi, Cristiano Ronaldo e Neymar novamente vão estar na disputa.

O grande favorito é Cristiano Ronaldo, que conquistou dois títulos importantes no ano. A Liga dos Campeões com o Real Madrid, e a Euro com Portugal.

Estes troféus dão um peso muito grande para a vitória do gajo.

Sem falar nos 16 gols que ele marcou na competição, se tornando o maior artilheiro da história da Champions, com 93 gols.

Na Euro, já desgastado na parte física, se arrastou em alguns jogos, mas foi fundamental pela sua liderança em campo para a inédita conquista de Portugal.

 Prêmio tem nome diferente, mas figuras são as mesmas

Apesar da grande olimpíada que fez, Neymar corre por fora no prêmio

Messi e Neymar conquistaram o título do espanhol e da Copa do Rei pelo Barcelona, mas sem o brilho do rival.

Pelo menos o Neymar foi o grande responsável pelo inédito ouro nos Jogos do Rio.

Já o argentino, foi vice na Copa América quando era o grande favorito contra os chilenos.

Até a próxima.

 

 

 

 

 

 

O fantasma ainda assombra

Parecia que o São Paulo tinha se reencontrado e que o rebaixamento não assombrava mais.

Mas, depois da derrota de ontem para o já rebaixado América, o medo voltou ao clube.

E com toda a razão.

O que se viu na partida em BH foi um time nervoso, confuso e que ainda sente a pressão de ter que pontuar para ter um final de ano um pouco mais tranquilo.

A vantagem do América saiu de falha coletiva. Três jogadores erraram e permitiram o gol do centroavante Michael.

O primeiro foi Wesley, que quis driblar no lugar e na hora errada e permitiu o desarme do Danilo Barcelos.

Depois, Maicon perdeu o tempo de bola e deixou Michael livre pra chutar.

Vamos combinar que o chute não foi forte e foi de longe.

O goleiro Dênis  falhou mais uma vez e não conseguiu fazer a defesa.

Digo mais uma vez, porque ele já vem sendo criticado não é de hoje.

Começou muito mal o campeonato, depois até melhorou e fez algumas defesas importantes quando o time mais precisava.

Aí vieram as falhas diante do Santos e do América. O suficiente pra torcida perder a paciência mais uma vez e pedir a contratação de um outro goleiro.

Bom, mas isso é um assunto pra se pensar na próxima temporada. Até o final do ano tem que se virar com ele mesmo.

O pior é que ele deu declaração após a partida e o frango que tomou, convicto de que não houve falha. Só disse que o goleiro não pode deixar a bola passar.

Ora isso é óbvio né Dênis!

Se o goleiro deixa a bola passar num chute defensável, ele falhou ué!?

 O fantasma ainda assombra

Torcida quer a cabeça do Dênis

Não posso deixar de mencionar a chance perdida por David Neres no rebote do goleiro João Ricardo.

Ele ficou com tanto medo de errar o gol que chutou em cima do goleiro.

Não só David Neres, Chavez também perdeu boas chances. O ataque tricolor não teve uma noite feliz.

Agora o clássico contra o Corinthians no sábado à noite ganhou importância ainda maior.

Sorte do São Paulo que o jogo é no Morumbi.

Hora do torcedor esquecer esta derrota doída pro América e apoiar o time.

Afinal de contas, o fantasma do rebaixamento ainda está rondando por aí.

Até a próxima.

 

 

 

 

 

Rodada decisiva

O brasileirão vai caminhando para as últimas rodadas e os jogos vão ficando cada vez mais decisivos.

A 33ª rodada, que começa hoje, pode definir o título ou embolar novamente o campeonato.

Basta dizer que teremos amanhã o confronto entre Galo e Flamengo no Mineirão.

Um triunfo dos mineiros vai colocar o Atlético na vice-liderança e praticamente tirar os cariocas da briga.

Um outro cenário é vitória rubro-negra e derrota do Palmeiras para o Santos na Vila, resultado absolutamente normal.

Aí a diferença entre os dois primeiros cai pra três pontos, o que encheria o Flamengo de esperança, principalmente depois de derrotar o Galo fora de casa.

Caso o Atlético vença, vai torcer também por derrota do Palmeiras. Mas neste caso a diferença seria de cinco pontos.

Agora tem um detalhe. Se o Palmeiras ganhar do Santos pode botar a faixa de campeão no peito.

Em caso de empate, fica com o título praticamente assegurado.

O melhor resultado para os paulistas no outro confronto, seria um empate entre Atlético e Flamengo.

Vitória atleticana não é um negócio tão bom pro Palmeiras, já que os dois se enfrentam duas rodadas depois em Belo Horizonte. O ideal pros paulistas seria enfrentar o Atlético já sem chances de brigar pelo título.

Matemática à parte, fato é que Santos x Palmeiras e Atlético x Flamengo podem definir o campeonato amanhã.

Sem falar na briga contra o rebaixamento.

A vitória do Sport ontem contra a Ponte botou pressão no Inter e no Coritiba.

A tarefa do Colorado é teoricamente mais tranquila. Pega o lanterna Santa Cruz em casa.

Já o Coxa sai pra enfrentar o embalado Botafogo.

Sorte deles que o Vitória tá fazendo uma força danada pra cair. E hoje pega o Fluminense no Maracanã. Menos mal pra eles que o estádio deve estar vazio diante da má fase dos tricolores.

Façam suas apostas.

Até a próxima.

Página 2 de 7112345...Último