O Jô não tem culpa

Que o gol do Jô pelo Corinthians, na vitória sobre o Vasco foi irregular, todo mundo viu. Todo mundo sabe.

Logo o Jô, que aplaudiu o fair play do Rodrigo Caio pela sinceridade, lembra?

Agora não foi capaz de ser sincero e dizer que foi com o braço mesmo.

Preferiu inventar uma história de que não sabe se tocou ou não porque o lance foi muito rápido.

Tá na cara que ele faltou com a verdade. Até porque ele estica um pouco o braço quando percebe que a bola ia passar.

Tem gente dizaendo que a bola já entraria mesmo. Eu até concordo.

Mas que o gol foi irregular, ninguém tem dúvida.

Agora, eu até entendo que ele tenha este tipo de atitude.

Imagina se ele chega pro árbitro e pede pra anular o gol porque foi com o braço.

Já imaginou qual seria a reação da torcida?

Certamente a Fiel não o perdoaria jamais.

Principalmente num jogo chave como este, em que o Corinthians precisava vencer de qualquer jeito.

Acredito até que ele ficaria marcado pela torcida e pela diretoria.

O erro aqui foi da arbitragem, que não viu ou fez vista grossa no lance.

Sim, porque o árbitro auxiliar estava muito perto da jogada.

Pra mim ele não teve peito pra alertar sobre o toque e pedir pro árbitro invalidar o gol.

Nestas horas, o peso da camisa e a circunstância da situação contam muito.

Portanto, o Jô tá perdoado.

Já a arbitragem...