Sai a Libertadores, entra a série B

O casamento entre Camilo e o Botafogo chegou ao fim.

Acho que os dois se beneficiaram muito dessa relação, mas nada é eterno.

Camilo chegou no clube, vindo do futebol árabe e cercado de desconfiança. Ninguém apostava muito nele.

Mas o jogador superou todas as expectativas e mostrou um futebol que encheu os olhos.

Com uma técnica refinada e muita movimentação, ele não só virou titular absoluto como virou ídolo da torcida.

Impressionante como ele, no auge, chegou a vestir a camisa da seleção brasileira. Com todo o mérito.

Foi aí que o Botafogo fez muito bem pra ele, o tirando lá dos Emirados Árabes, onde ficou cinco meses sem receber, para colocá-lo na vitrine novamente.

Ele correspondeu em campo com grandes atuações e muito espírito de luta.

Não tenho dúvidas de que ele foi o grande responsável por ter levado o clube para a disputa da Libertadores deste ano.

Camilo botafogo Sai a Libertadores, entra a série B

Foram 57 jogos e 7 gols com a camisa do Botafogo

Acredito que o os problemas começaram quando a diretoria resolveu trazer o argentino Montillo, que jogava mais ou menos na mesma faixa de campo que ele.

Foi aí que o casamento começou a desmoronar.

O técnico Jair Ventura chegou a ser questionado se dava pra jogar com os dois juntos no meio-campo.

E ele chegou a escalar os dois ao mesmo tempo. Foram poucas ocasiões, é verdade. Sempre tinha um ou outro entregue ao departamento médico.

Camilo mostrou sua insatisfação, achando que ficava mais sacrificado no esquema, sendo o escolhido pra voltar e ajudar na marcação. Teve até uma discussão com o treinador.

A partir deste momento ele nunca mais foi o mesmo.

A concorrência também ficou mais forte.

Apesar da aposentadoria do Montillo, o menino João Paulo foi testado como o número 10 e agradou.

Sem falar no Marcos Vinícius, vindo do Cruzeiro, que vem conquistando a torcida com boas atuações.

Aí ele foi perdendo espaço no time, virou reserva, e quando entrava não mostrava o mesmo futebol que encantava todo mundo.

A parte física também prejudicou muito. Em vários jogos ele se mostrava pesado e se arrastava em campo.

A situação ficou insustentável.

Tanto é que o Camilo preferiu jogar pela série B, no Inter, do que continuar disputando a Libertadores.

Pelo menos lá no sul ele vai ter chance de jogar.

Uma coisa é certa. Ele vai precisar jogar mais do que vem mostrando pra conquistar o seu espaço no Colorado.

Até a próxima.