Saída inevitável

Na minha opinião, o Palmeiras tem o elenco mais completo do futebol brasileiro.

Mesmo assim, o time não vem tendo boas atuações.

Vale lembrar, que antes dessa derrota pífia para o Jorge Wilstermann, o time vinha ganhando seus jogos pela Libertadores sempre no sufoco, fazendo o gol da vitória nos acréscimos.

Estas vitórias prolongaram um pouco o emprego do Eduardo Baptista.

Sinceramente, achei que ele ia embora depois da eliminação pra Ponte.

Jogadores como o Borja, Tchê Tchê e Vitor Hugo, não vinham rendendo o esperado.

Quando um grupo muito forte e muito caro não encontra o melhor futebol, a culpa sempre recai no treinador. Desta vez não foi diferente.

Tanto é que o Corinthians do Carille e o São Paulo, do Ceni, perderam menos jogos no ano que o Palmeiras.

Dava pra perceber que alguma coisa de errada estava acontecendo.

Sem falar, que ele não era uma unanimidade desde a época em que chegou no clube.

O fantasma do Cuca, que conquistou o título brasileiro e montou um esquema que dava gosto de ver jogar, não saía da cabeça dos palmeirenses.

Agora o antigo treinador, que só saiu para resolver problemas particulares, é o mais cotado para reassumir a equipe.

É o que a torcida espera.