Mexendo em time que está ganhando

O aumento do número de vagas a partir da Copa de 2026 já é uma realidade.

Agora só depende de uma ratificação no Conselho da FIFA pra sair do papel.

De 32, o Mundial vai passar a ter 48 seleções. Um número que vai fazer o nível técnico da competição cair bastante.

Mas os dirigentes da entidade não estão preocupados com isso. O negócio é ganhar mais apoio político de todas a s Federações em todos os continentes.

O novo formato vai esvaziar completamente as eliminatórias.

Começando pela América do Sul, que de 4 vagas diretas, passará a ter 6 classificados automaticamente.

Com somente 10 seleções na disputa, fica claro que uma não classificação para uma Copa seria um vexame histórico, mesmo entre as equipes medianas, como Equador, Chile, Paraguai e Uruguai.

Chance para que as babas do Continente, como Bolívia, Peru e Venezuela, voltem a disputar uma Copa.

Por falar em baba, imagina a eliminatória da CONCACAF?

O pessoal da América do Norte, Central e Caribe, também terá direito a 6 vagas diretas.

Estados Unidos, México, Costa Rica e Honduras teriam a obrigação de passar.

Ainda sobrariam 2 lugares para Trinidad Tobago, Jamaica, Panamá, Haiti, El Salvador e Canadá. O que não falta é opção pra fazer vexame na Copa.

Sem falar na África, que foi a mais beneficiada. O continente sairá de 5 para 9 vagas diretas.

A Oceania passa a ter uma vaga permanente. Ou seja, a Nova Zelândia disputaria todas as Copas, já que a Austrália ficaria com uma das 8 vagas da Ásia.

A Europa terá o exagerado número de 16 seleções no Mundial. Um formato que acabaria definitivamente com o problema de alguns países tradicionais ficarem de fora da competição, por causa do atual sistema de disputa.

Os grupos da morte praticamente deixariam de existir, já que quase todos os os segundos colocados também se classificariam.

Além disso, teríamos um mini torneio, com 6 seleções, que valeriam mais duas vagas.

Tudo isso se resume a uma competição inchada, cheio de jogos desinteressantes e com eliminatórias esvaziadas.

Parabéns FIFA por mudar uma competição que era tão interessante e tradicional.

Vocês são gênios!