Mais arrastado do que nunca

Após três rodadas de pobre futebol, dá pra dizer que o brasileirão ainda não engrenou.

Que me perdoem os nordestinos e torcedores do Sport, mas o fato do rubro-negro pernambucano estar na liderança da competição, mostra bem que o campeonato está nivelado por baixo. Bem por baixo.

Neste final de semana, por exemplo, somente o São Paulo venceu entre todos os grandes times paulistas e cariocas. E assim mesmo derrotou o fraco Joinville, lanterna da competição, com uma atuação discreta e contando com o brilho individual de alguns jogadores, como o Alexandre Pato.

Entre os times do Rio, o Vasco ainda não perdeu nem ganhou de ninguém. Mostrando um futebol pobre e de pouca criatividade, a equipe somou três empates até agora e está lá na rabeira da classificação. Contra o Inter, se salvou no final da partida com um gol de bola parada, quando tinha um jogador a mais em campo. Foi o primeiro gol da equipe no campeonato. E olha que foi contra os reservas do Inter, que está mais interessado na Libertadores nesse momento.

O Flamengo fez pior. Sofreu mais uma derrota no brasileiro, desta vez contra o Avaí.  Acho até que os flamenguistas reclamaram com razão do segundo gol catarinense, mas o fato é que o time não mereceu sorte melhor. Sem posse de bola e com pouca criatividade no meio, a equipe foi envolvida pelo adversário principalmente no segundo tempo. Agora o rubro-negro vive um momento de pressão, com apenas um ponto e na zona do rebaixamento. Luxemburgo, antes elogiado pela diretoria e torcedores, começa a ter o seu trabalho questionado.

E o Fluminense? Bem, o "clássico"contra o Corinthians foi duro (de assistir). Num jogo muito fraco tecnicamente as duas equipes tiveram pouquíssimas chances reais de gol. O tricolor teve duas oportunidades e somente no primeiro tempo, quando inclusive acertou a trave do Cássio. No segundo tempo, Guerrero jogou pra fora a melhor chance da partida. No final o 0 x 0 ficou de bom tamanho pros dois.

Impressionante como o Corinthians não consegue mais jogar como antes, mesmo só tendo o brasileirão como foco. Do fluminense não se espera muita coisa mesmo. Principalmente tendo o Enderson Moreira como técnico.

No próximo domingo tem o  Fla x Flu dos desesperados. Quem perder, mergulha de vez na crise já no início do campeonato. Principalmente o Flamengo, que não pode se dar ao luxo de continuar com apenas um pontinho  em quatro jogos. Arrisco dizer que, em caso de derrota, vai sobrar pro Luxa.

Até a próxima.

O fim da carreira do técnico do penta

O técnico Luiz Felipe Scolari pediu demissão do Grêmio após uma série de resultados adversos e a certeza de que ele não tem mais credibilidade para assumir nenhum time de grande porte.

Primeiro veio o desastre com a seleção. Na sua ambição de se tornar mais consagrado ainda, o técnico do penta resolveu buscar o hexa em casa. Fracassou e entrou para a história como o treinador da pior derrota da seleção em todos os tempos.

Quando todos achavam que ele daria um tempo depois do desastre, eis que ele acerta com o Grêmio uma semana depois da Copa. Com o discurso de que somente o clube gaúcho poderia dar o carinho que ele precisava naquele momento, o ambicioso Felipão queria dar a volta por cima onde ele tinha um passado de glórias.

Agora ele perdeu isso também. Nem mais a torcida gremista, nem os dirigentes, aguentaram tanta decepção. Nem o título gaúcho desse ano veio, tendo como único adversário à altura, o eterno rival Colorado que estava mais preocupado com a Libertadores. No ano passado, a chance de disputar mais uma Libertadores caiu por terra nas últimas rodadas do brasileirão.

A gota d'água veio com as críticas públicas ao elenco tricolor, desvalorizando justamente os companheiros de grupo que poderiam tirá-lo dessa situação. No final das contas, ele se viu sozinho e afundado na própria soberba e ambição.

Acredito que agora o caminho natural do Felipão seja a aposentadoria. Não vejo lugar pra ele como técnico de um grande clube aqui no Brasil. A sucessão de fracassos deixa claro que a era Felipão já passou.

Outra solução pra ele seria ir para os Emirados Árabes ou algum canto bem distante daqui pra começar de novo. Assim mesmo um Presidente de clube só teria a intenção de contratá-lo por uma jogada de marketing. Nesse caso acho que seria um marketing negativo...

Até a próxima.

 

E o Tite? Continua sendo o melhor do Brasil?

Incrível como a carruagem virou abóbora. Em pouco tempo, o time com uma das melhores campanhas da primeira fase da Libertadores e que estava atropelando os adversários, foi eliminado no Paulistão e na Libertadores.

A saída do Campeonato Paulista podia até ter a desculpa de que a equipe estava com a cabeça na Libertadores.

Mas as duas derrotas para o mediano Guaraní do Paraguai, levando três gols e não fazendo nenhum, provou que a coisa desandou. O time caiu de produção assustadoramente e não conseguiu se recuperar. Muitos já diziam que o time poderia fazer bonito na Liga dos Campeões da Europa. Pois caiu nas oitavas aqui na América do Sul.

Aí vem a pergunta. O que aconteceu? A equipe ficou cansada? Mas estamos ainda no início da temporada. Esse cansaço era esperado só para o segundo semestre, no meio do brasileirão. Então, não acho que foi esse o motivo.

Acredito que a equipe confiou muito no seu taco diante de um adversário teoricamente mais fraco. Afinal de contas, quem não lembra da comemoração dos corintianos, quando souberam que enfrentariam o Guaraní?

Mas a equipe paraguaia se mostrou sólida na defesa e bem distribuída taticamente. Melhor do que o Corinthians. Teve o mérito de fazer dois a zero em casa e jogou com inteligência no Itaquerão, com uma defesa bem montada e uma linha de quatro jogadores marcando em cima no meio-campo.

O descontrole emocional do Timão no segundo tempo mostrou bem que o Tite não soube segurar os nervos dos seus comandados. As duas expulsões tiraram qualquer chance de reação e a equipe ainda levou um gol no final.

Podemos dizer que essa queda de produção não foi tão repentina assim. Desde a derrota para o São Paulo na reta final da primeira fase da competição, já dava pra perceber que o time já não "jogava por música" como antes.

Claro que não dá pra culpar só o Tite. Mas ele também tem muita responsabilidade em tudo o que aconteceu. O torcedor já não vai mais considerá-lo o melhor técnico do Brasil.

A noite para o corintiano só não foi pior, porque o rival São Paulo também caiu. Perdeu para o Cruzeiro tendo a sorte de não levar mais de um gol e foi justamente eliminado nos pênaltis.

Um jogo que ficou marcado como a última partida do Rogério Ceni numa Libertadores. Ele já disse que vai se aposentar agora em agosto (será?) e se despediu da competição.

Não sei não, mas estou achando que ele vai prorrogar a aposentadoria até o final do ano, só pra ver se o tricolor se classifica pra mais uma Libertadores. Aí ele adia de novo...

Parabéns para o bicampeão brasileiro Cruzeiro e para o Inter, que seguem na Libertadores.

Pelo elenco que o Inter tem e pela forma como está jogando, posso afirmar aqui que o Colorado é um dos favoritos para a conquista do título. E pega um adversário teoricamente mais tranquilo. Só não pode é pagar o mesmo mico do Corinthians diante do Independiente Santa Fé da Colômbia.

Até a próxima.

 

Brasileirão já começa esvaziado

Vai começar o Brasileirão 2015.

O campeonato mais importante, longo e arrastado do nosso futebol.

Uma competição que só esquenta mesmo nas últimas rodadas. Isso porque tem sempre um time grande brigando pra não ser rebaixado. A briga boa mesmo é pra não cair, que envolve uns quatro ou cinco times.

Lá em cima, na disputa pelo título, na maioria das vezes um time dispara e é campeão por antecipação de várias rodadas. Vide o que aconteceu com o Cruzeiro nos últimos dois anos.

Em 2013 foram 11 pontos de vantagem para o Grêmio, segundo colocado. No ano passado o São Paulo terminou com uma diferença de dez pontos para o clube celeste.

Disputas insossas que geraram várias discussões se a fórmula dos pontos corridos deveria permanecer. Na minha opinião, a fórmula mais emocionante seria a volta mata-mata entre os oito melhores. Mas sei que a imensa maioria pensa o contrário. Que o mais justo é continuar insistindo nos pontos corridos. Então, lá vamos nós para mais um brasileirão com 20 clubes disputando turno e returno.

Se o início do brasileirão já é meio morno, imagina com alguns clássicos esvaziados por causa da Libertadores? Sim, porque os cinco times que continuam brigando por vaga nas quartas, vão entrar com time misto nesse fim de semana.

Melhor para o Flamengo, no clássico contra o São Paulo, apesar do jogo ser no Morumbi. E pro palmeiras, que enfrenta em casa um mistão do Galo. Cruzeiro x Corinthians, que deveria ser um dos destaques na abertura da competição, não terá os principais jogadores das duas equipes. É inegável que a cabeça vai estar toda voltada para a Libertadores.

Diante disso, só nos resta torcer para que esse ano seja diferente dos anteriores e tenha emoção até o fim na briga pelo título também. Quem sabe com quatro ou cinco equipes disputando ponto a ponto pra ver quem será campeão?

Eu tenho que parar com esses meus devaneios otimistas...

Até a próxima.

 

O respeito voltou

Enfim, depois de 12 anos, o Vasco volta a conquistar um título carioca. Um triunfo que veio de forma incontestável. Sem brecha pra qualquer tipo de discussão sobre erro de arbitragem ou favorecimento de quem quer que seja.

Depois de eliminar o Flamengo na semifinal sem levar gols, a equipe venceu os dois confrontos diante de um aguerrido Botafogo, que não foi páreo para a consistência vascaína.

Mérito total para o técnico Doriva, que conseguiu a façanha de conquistar um bicampeonato estadual nos dois maiores centros do futebol brasileiro. Foi campeão paulista com o modesto Ituano ano passado, e repetiu o sucesso no Rio esse ano.

Ele montou um time com uma defesa sólida e que sabe jogar no erro do adversário. Foi assim inclusive que saiu o primeiro gol no jogo desse domingo. Além disso, fez alguns jogadores renderem muito bem ao longo da competição, como o Rafael Silva, que fez gols decisivos nas partidas mais importantes.

Não tenho dúvida de que o sentimento do torcedor vascaíno agora é o da volta por cima. O resgate do respeito perdido após mais um rebaixamento no brasileirão em 2013. Isso ficou definitivamente no passado. A torcida, que tomou conta do Maracanã, comemorou muito essa conquista. E com toda razão. Dessa vez o estigma de vice foi pelos ares.

Claro que o Campeonato Carioca não pode servir de parâmetro para o restante do ano. O Brasileiro é muito mais longo e mais difícil. Mas já é um bom indício de que o clube está no caminho certo. As vitórias diante de Flamengo, Fluminense e Botafogo mostram que o Vasco vai dar trabalho no Campeonato mais importante do ano.

Parabéns Vasco, pelo 23º título carioca! Que esse domingo memorável possa realmente ser o resgate daquele Vasco gigante e vitorioso que sempre impôs respeito como um dos clubes mais tradicionais do nosso futebol.

Não podemos deixar de destacar também o bom trabalho do Renê Simões à frente do Botafogo. O clube, que entrou na competição como o mais desacreditado dos quatro grandes, chegou com toda a justiça na final e provou que tem condições de fazer uma boa campanha na série B. Time competitivo pra isso ele tem.

Até a próxima.

Vasco fica mais perto de sair do jejum

O primeiro jogo da final do Campeonato Carioca não foi dos mais emocionantes. Longe disso. Sinceramente esperava mais de uma partida que vale muito pros dois.

Pro Botafogo vale a volta por cima depois de mais uma queda para a segundona no final do ano passado. Começar 2015 com um título estadual, daria a moral e confiança necessárias para o grande objetivo da temporada, que é a volta série A.

Pro Vasco vale a certeza de que clube está no caminho certo. Depois da volta à primeira divisão, o cruzmaltino quer sair de um jejum sem títulos estaduais que já dura 13 anos.

Mas os dois times deixaram a desejar. O Botafogo praticamente só chegou duas vezes com real perigo. As duas com Bill, que está substituindo o punido Jobson. No mais a equipe não jogou com tanta objetividade e esbarrou no bom sistema defensivo vascaíno.

O Vasco também não foi tão audacioso como se  esperava. Teve mais posse de bola e dominou as ações, mas não criava tantas chances claras de gol. Achei que o Doriva acertou ao tirar Dagoberto e Marcinho pra colocar Rafael Silva e Bernardo.

O primeiro inclusive, acabou tendo a felicidade de fazer o gol da vitória já nos acréscimos. Um gol que premiou a equipe que mais tentou alguma coisa. Um time que nos segundo tempo, mostrou estar mais inteiro fisicamente.

Agora a vantagem é vascaína para o segundo jogo. Um simples empate garante o tão cobiçado título. O Botafogo terá que vencer por pelo menos um gol de diferença pra levar a decisão pros pênaltis.

Vamos aguardar o capítulo final no próximo domingo. Eu aposto as minhas fichas no Vasco.

Até a próxima.

 

 

São Paulo e Corinthians vivem noite de papéis invertidos

O São Paulo finalmente venceu um clássico no ano e se classificou na Libertadores.

Não que o time tenha feito uma grande partida, longe disso. O resultado veio muito mais em função da apatia do lado corintiano, que foi um time totalmente diferente do que costumamos ver.

Parecia que os lados estavam invertidos. Aquele Corinthians aplicado, compacto, que incomoda o adversário o tempo todo, não entrou em campo. No seu lugar jogou um time displicente e preguiçoso, que lembra bem o São Paulo desse ano.

Melhor para o tricolor paulista, que viu sua vida ficar ainda mais fácil com a expulsão infantil do Sheik. Eu até acho que o árbitro exagerou ao dar o vermelho, mas que ele quis dar um chutinho no tornozelo do Tolói, não resta dúvida. Quis ser malandro e acabou pagando caro por isso.

Com um homem a mais o São Paulo construiu o resultado com Luiz Fabiano e Michel Bastos, que mais uma vez mostrou ser peça chave da equipe. Acertou bons cruzamentos e arriscou boas descidas pro ataque. Ainda contou com a falha do Cássio, que errou o tempo de bola e permitiu que a bola entrasse no cantinho.

No início do segundo tempo Luiz Fabiano (sempre ele) se estranhou com Mendoza e os dois foram expulsos. Mas nesse momento a partida já estava definida, e coube ao São Paulo esperar o fim do jogo pra comemorar a classificação.

Não podemos aqui tirar o mérito do tricolor, que pegou um grupo difícil e deixou pra trás o último campeão da Libertadores, que perdeu em casa para o fraco Danúbio.

Com mais esse resultado negativo, os corintianos já começam a ficar preocupados com o futuro do time na competição. Incrível como a equipe comandada pelo Tite caiu de rendimento. Sorte que o adversário das oitavas é o Guaraní do Paraguai.

Já o tricolor terá um confronto bem complicado contra o Cruzeiro, numa disputa sem favorito.

Até a próxima.

 

Vitória dramática não apaga atuação ruim

Que sufoco passou o São Paulo hein!

Me arrisco a dizer que o tricolor não merecia os três pontos. O empate teria sido mais justo pelo que as duas equipes produziram.

E olha que o Danúbio além de ser um time tecnicamente muito fraco, ainda não tinha o fator motivação para incomodar o São Paulo. Já estava eliminado e só queria ganhar pelo menos uma em casa nessa participação na Libertadores.

Mesmo assim pouquíssimas chances foram criadas. A rigor, no primeiro tempo só teve uma cabeçada contra que quase se transformou no primeiro gol são paulino.

O segundo tempo começou com a famosa ducha de água fria. Um chute despretensioso de fora da área conseguiu derrotar o Rogério Ceni que, sem explicação, foi de um jeito displicente pra bola e tomou um frango.

Depois disso o São Paulo tentou ser mais agressivo, mas sem a menor organização. Chega a ser irritante como o Ganso e o Pato erram passes. Mesmo com uma defesa muito fraca, o time uruguaio conseguia anular o ataque adversário com facilidade. Mesmo com a entrada do Luiz Fabiano, o time não era capaz de fazer a bola chegar nele.

Michel Bastos eram quem mais se movimentava. Em alguns momentos ele tentava buscar o apoio pelo lado esquerdo do ataque. Numa dessas descidas ele acertou um cruzamento perfeito para o gol de cabeça do Alexandre Pato.

Alguns minutos depois, Michel Bastos repetiu a jogada e o Pato quase marcou. Dessa vez o goleiro fez uma defesa difícil.

Nos minutos finais, quando ninguém mais acreditava, Michel Bastos novamente, na base do chuveirinho na área, encontrou o argentino Centurión bem colocado pra cabecear no cantinho e virar o jogo.

Festa do São Paulo, que viu suas chances de classificação aumentarem consideravelmente. Se tivesse empatado, teria obrigatoriamente que derrotar o Corinthians na última rodada.

Mas foi uma festa bem contida. Do jeito que o time jogou no Uruguai, mesmo que se classifique, a tendência é que seja um fiasco na próxima fase. A esperança é que a equipe se ajeite até lá. O problema do Milton Cruz é fazer a equipe jogar de forma mais competitiva.

Com Ganso, Pato, Luiz Fabiano e companhia em péssima fase, fica difícil acreditar que as coisas vão mudar.

Isso prova que o Muricy Ramalho não era o maior culpado...

Até a próxima.

 

 

 

Flamengo x Vasco fraquinho no Maracanã

O nervosismo e a violência chamaram mais a atenção no clássico do que as chances perdidas.

O lance em que o Jonas deveria ter sido expulso logo no início do jogo demonstrou bem como seria a tônica da tarde pouco inspirada no Maracanã. Sabiamente, Luxemburgo o substituiu alguns minutos depois.

Apesar das falhas individuais, no primeiro tempo vi um Flamengo mais veloz e perigoso em campo. Só o Cirino perdeu duas chances claras. O Vasco em várias ocasiões marcava em linha e tomava sustos desnecessários.

No segundo tempo o Vasco foi pro ataque com mais vontade e teve a chance de definir a partida, principalmente a partir dos trinta minutos. Faltou competência nas finalizações.

No final das contas, acho que o 0x0 ficou de bom tamanho. No jogo da volta mais um empate vai favorecer o Flamengo, mas o confronto está totalmente aberto. Uma vitória simples leva o Vasco pra final.

No sábado o Fluminense reverteu a vantagem que o Botafogo tinha. Aproveitou melhor as chances que teve e fez 2 x 0. Na reta final da partida o Botafogo acordou, diminuiu e teve a chance do empate, que acabou não vindo.

Agora quem joga pelo empate é o tricolor. Mas também não dá pra arriscar quem passa. Tudo pode acontecer.

Até a próxima.

 

 

Fluminense elimina o Madureira de forma dramática. Botafogo leva a Taça GB

As semifinais do campeonato carioca estão definidas.

O Flamengo, que não passou de um empate contra o Nova Iguaçu, perdeu a liderança e a Taça Guanabara para o Botafogo, que derrotou o Macaé e levou vantagem no confronto direto.

A terceira posição ficou mesmo com o Vasco, que fez um bom segundo tempo e derrotou o Volta Redonda. Com isso, Flamengo e Vasco se enfrentam com a vantagem rubro-negra de dois resultados iguais.

O adversário do Botafogo será o Fluminense, que passou no sufoco do Madureira num jogo dramático, com direito a gol contra nos últimos minutos.

Agora teremos dois clássicos pra decidir os finalistas.

O Botafogo terá a chance de vingar a derrota que sofreu para o tricolor na primeira fase. Está em melhor fase e na minha opinião é o favorito.

No outro duelo eu sou mais o Flamengo. Acho um time mais arrumado e com mais poder ofensivo que o Vasco. Mas é um clássico e tudo pode acontecer.

Até a próxima.

 

Página 1 de 5512345...Último