O campeão voltou

O Corinthians voltou a embalar no campeonato brasileiro.

Já são três triunfos seguidos, coisa que não acontecia desde o primeiro turno, quando o time chegou a engrenar seis vitórias consecutivas.

Essa confiança recuperada era o que faltava para a equipe finalmente conquistar o heptacampeonato.

Sim, porque antes da partida contra o Palmeiras, o próprio torcedor corintiano já estava cheio de dúvidas se a equipe iria mesmo conseguir.

O clássico diante do rival, parece ter sido um divisor de águas para o Timão. Tanto é que, antes disso, a equipe tinha ganhado apenas um ponto em quatro jogos.

Tá certo que não dá pra dizer que o time vem jogando bem. A vitória diante do Avaí deu calafrios na torcida.

Acabou ganhando pelo placar mínimo contra um adversário que já frequenta a zona do rebaixamento há um bom tempo.

E com direito a gol do fraquinho Kazim, que substituiu o Jô na noite de sábado.

Mas tudo acabou dando certo pra eles.

Com o tropeço do Grêmio, a equipe abriu dez pontos na liderança e está a uma vitória do título.

Resultado que pode vir na próxima quarta contra o Fluminense em Itaquera.

Convenhamos que será um troféu conquistado com todo o mérito.

Depois de cair assustadoramente de produção no returno, o técnico Carille e seu elenco tiveram a calma necessária pra não estragar tudo.

O triunfo diante do Palmeiras foi decisivo.

Nenhuma equipe foi competente nem ameaçou verdadeiramente esta conquista.

O Palmeiras desperdiçou as chances que teve.

O Grêmio se viu envolvido com a boa campanha na Libertadores e perdeu pontos preciosos.

Na minha visão, tem um elenco melhor que o corintiano, mas não foi tão competitivo.

Nunca botei tanta fé no Santos, que briga também na parte de cima da tabela.

Vale lembrar que desde a quinta rodada do campeonato o Corinthians é líder. Já são praticamente 30 rodadas na liderança.

Falando do jogo da próxima quarta, não acredito que o Fluminense ofereça muita resistência.

Vem numa fase ruim e os jogadores já estão com dois meses de salários atrasados.

A pressão na Arena de Itaquera será muito grande. O torcedor está ansioso pra soltar o grito de campeão logo, depois dos sustos que levou neste returno.

Não tenho medo de afirmar aqui que faltam três dias para o hepta do Corinthians.

Até a próxima.

 

 

 

 

Rebaixamento ou Libertadores?

Impressionante como o nível do brasileirão deste ano está baixo.

Tirando o Corinthians, que se aproxima a passos largos do título e mais dois ou três times (coloco nesse grupo Grêmio, Santos e Palmeiras), todo o resto está sofrendo na competição.

Algumas equipes brigam por uma vaga na Libertadores, sem nenhum tipo de merecimento.

Vale lembrar da mudança no regulamento feita pela Conmebol que deu sete vagas para os times brasileiros na Libertadores.

Seis do brasileirão, mais o campeão da Copa do Brasil.

Portanto os seis primeiros do brasileirão vão disputar o torneio.

Um G6 que pode virar G9!

Se o Grêmio ganhar a Libertadores e o Flamengo conquistar a Sul-Americana, o nono colocado do campeonato brasileiro pode entrar na Libertadores, já que o Cruzeiro, que ganhou a Copa do Brasil, também está entre os seis primeiros.

Uma situação esdrúxula, que coloca times ameaçados de rebaixamento, com chances de ir pra competição continental.

Sim, porque tirando os rivais Flamengo e Vasco, que já não olham mais pra parte de baixo da tabela, alguns clubes estão entre o rebaixamento e a Libertadores.

O nono colocado do brasileirão é o Bahia, com 45 pontos. Com a mesma pontuação, o Galo está rigorosamente na briga.

E temos os que correm o risco matemático de cair, como São Paulo, Fluminense, Atlético PR e até a Chapecoense, que é o 14º colocado, com reais chances de chegar na Libertadores.

O caso da Chapecoense é clássico. Por mais bizarra que seja a situação, o time catarinense está a cinco pontos da zona do rebaixamento e a quatro pontos da Libertadores!

Pra todo mundo ver como o nível do nosso campeonato anda de mal a pior.

Sem falar que a Libertadores já foi uma competição nobre pra se disputar.

A partir desse ano, a coisa ficou feia...

 

 

 

Três Tricolores. Três decisões

Em um momento em que o tricolor gaúcho vive a expectativa de decidir a Libertadores, outros times com três cores podem definir sua sorte na rodada do meio de semana do brasileirão.

São três jogos que valem como verdadeiras decisões na briga contra o rebaixamento.

O primeiro deles acontece na quarta, no confronto entre Avaí e Bahia.

Enquanto o Bahia vem se recuperando no campeonato, com direito a sete pontos conquistados dos últimos nove disputados, o Avaí continua com o seu calvário e jejum de pontos ganhos.

O time catarinense ganhou apenas uma vez nas últimas oito rodadas e vem caindo de produção na hora errada no campeonato.

No último sábado foi goleado pelo Coritiba por 4 x 0 e mostrou uma apatia difícil de reverter.

Se perder para o Bahia em casa na quarta, estaciona nos 35 pontos e praticamente decreta a sua queda pra segundona.

Até porque a parte psicológica vai pesar muito nessa reta final.

Já o Bahia chegaria aos 45 pontos e ficaria apenas a dois pontos de se garantir na elite.

Na quinta teremos mais duas decisões.

O embalado Coritiba joga no Maracanã contra o Fluminense.

As duas equipes vem de vitórias importantes no fim de semana e estão motivados.

Principalmente o Coxa, que ganhou três dos seus últimos quatro jogos e conseguiu dar uma bela respirada.

Mas, se perder pro Flu, vai ver o adversário abir sete pontos na classificação e corre o risco de voltar pro Z4.

Já o tricolor carioca daria um passo gigantesco pra se livrar de vez da ameaça de rebaixamento.

Por isso a partida é tão importante. O Fluminense tentará frear o bom momento dos paranaenses, mas corre o risco de perder várias posições se tropeçar em casa.

O outro jogo decisivo acontece no Pacaembu. O São Paulo pega a Chapecoense querendo confirmar o seu bom momento no campeonato.

Uma vitória praticamente tira qualquer risco do tricolor paulista. Aí o clube já vai começar a olhar pra parte de cima da tabela, na briga por uma vaga na Libertadores.

Além disso, deixaria o adversário estacionado nos 40 pontos e cada vez mais perto do Z4.

Os tricolores de São Paulo, Rio e da Bahia, podem ficar muito perto de fechar o ano de forma tranquila.

Mas, para isso, terão que confirmar o favoritismo.

Até a próxima.

 

 

 

 

Está tudo aberto

Depois do empate do Palmeiras contra o Cruzeiro, está todo mundo dizendo que querem entregar o título de qualquer jeito pro Corinthians.

Não penso assim.

Tá certo que o Verdão tinha a chance de encostar de vez no rival, na briga pelo título.

Mas um empate contra o Cruzeiro, que foi campeão da Copa do Brasil e tem uma das melhores equipes do campeonato, não pode ser visto como um mau resultado.

Foi um jogo difícil e muito bem disputado. Um jogo digno de duas equipes que estão na parte de cima da tabela.

E o Palmeiras poderia ter saído com os três pontos. Foi agressivo, optou por um esquema tático ousado e jogou pressionando o adversário.

A diferença agora é de cinco pontos para o líder.

Pode cair pra dois, se o Palmeiras ganhar no domingo o clássico na Arena Itaquera.

Um resultado que, convenhamos, não é difícil de acontecer se formos considerar a bolinha que o Corinthians vem jogando neste segundo turno.

Tá certo que vai jogar em casa, com um estádio lotado.

Mas é justamente essa responsabilidade que preocupa a torcida.

Depois de derrotas vergonhosas, como a sofrida para a Ponte, a confiança do Timão foi embora.

Junta essa falta de confiança com um jogo difícil diante de um time que vem em ascensão no campeonato,. e temos os ingredientes certos para mais um vexame do, até então, campeão antecipado.

Eu mesmo, queimei minha língua ao decretar que o título já estava definido.

Estava redondamente enganado.

Se o Corinthians não vencer o clássico, pode ver o troféu, que parecia garantido, ir por água abaixo.

Até o empate não seria bom negócio.

Não podemos esquecer que o Santos joga no sábado em casa contra o Galo e, se vencer,  ficaria quatro pontos atrás, faltando ainda seis rodadas pro final.

É amigos...

O brasileirão que tinha tudo pra terminar sem graça na briga pelo título, pode ganhar muita emoção nas última rodadas.

 

 

 

O velho assunto dos títulos mundiais

A FIFA voltou ao assunto dos títulos mundiais conquistados até 2004.

Ela reconheceu que todos os campeões antigos, a partir de 1960, são legítimos campeões mundiais.

Vale lembrar, que no modelo antigo, o campeão da Libertadores enfrentava o campeão da Champions League em um jogo único.

Para ser sincero, este assunto já encheu a paciência dos torcedores envolvidos.

Em nenhum momento eles acharam que não eram campeões, por causa da falta do reconhecimento da FIFA.

Até porque, volta e meia muda o Presidente da entidade e a decisão também é alterada.

A chancela da FIFA  nunca foi motivo para que alguém questionasse esses títulos.

Diferente do Palmeiras, com o argumento de que a Taça Rio também deveria ser considerado como uma conquista mundial.

Não é e nunca será reconhecido pela entidade máxima do futebol.

Tenho certeza que o palmeirense não se sente campeão mundial.

Não era um torneio entre o campeão da América do Sul contra o campeão europeu. Era uma competição em que algumas equipes do mundo inteiro eram convidadas. É bem diferente.

Toda essa polêmica só foi criada porque o Palmeiras é o único grande de São Paulo sem um mundial.

Claro que a gozação e a chacota sempre vão acontecer.

Mas, voltando ao assunto dos mundiais que a FIFA reconheceu, com certeza é uma notícia que deixa os torcedores de Santos, Flamengo, Grêmio e São Paulo mais felizes.

Mais convictos de que ninguém vai ficar fazendo nenhum tipo de zoação de que estas conquistas nunca existiram.

A partir de 2005, todas os campeonatos mundiais foram organizados e reconhecidos pela entidade.

Tomara que ninguém volte mais a esta discussão.

Acho que já deu.

Até a próxima.

 

 

 

Para salvar o ano

Chegou o grande dia!

Hoje tem Fla x Flu no Maracanã, em jogo válido pelas quartas-de-final da Copa Sul-Americana.

No jogo de ida o mando de campo é do tricolor.

Lembrando que vale o gol fora de casa como critério de desempate.  Portanto, o empate com gols hoje é melhor para o Flamengo.

A expectativa é de um jogo tenso e equilibrado.

Os dois times vão tentar salvar um ano, que foi abaixo da expectativa do torcedor.

Se esperava que o Flamengo brigasse pelo título da Libertadores e do brasileirão.

Pelo elenco caro que tem, era quase uma obrigação pelo menos ir longe na Libertadores, mas caiu na primeira fase.

No brasileiro, tem chance de ficar até atrás de Botafogo e Vasco. O maior vexame seria nem ficar no G6.

Um título da Sul-Americana, mesmo que não fosse o sonho da torcida, poderia apagar a decepção do ano. Além de garantir uma vaga na Libertadores.

Já o Fluminense, surpreendentemente está na briga contra o rebaixamento.

Não acho que montou um time para brigar por títulos, mas confesso que fiquei surpreso com a drástica queda no returno do brasileirão.

E mesmo dando uma leve recuperada, o fantasma de mais uma queda pra segundona ainda se faz presente.

O sonho dos tricolores é pelo menos eliminar o Flamengo na Sul-Americana e se livrar de vez do rebaixamento.

O rubro-negro entra mais desfalcado para esta partida. Principalmente no ataque.

Guerrero e Berrío são duas ausências muito importantes.

Pelo menos, Diego e Everton Ribeiro vão atuar juntos e dão esperança de mais qualidade do meio pra frente.

O Fluminense vem praticamente completo. Somente o Douglas deve ficar de fora.

A parte física vem sacrificando as duas equipes nesta reta final de temporada. Acho que quem estiver mais inteiro hoje à noite pode levar vantagem.

O retrospecto é amplamente favorável ao Flamengo, que não perdeu para o rival no ano em seis jogos.

O elenco também é superior. Por isso, acredito em uma leve vantagem do Flamengo neste confronto.

Mas, tem a história de que em clássico não tem muito essa de favoritismo.

Até a próxima.

 

 

 

Setor carente

Ultimas experiências do Tite já na reta final de preparação do Brasil para a Copa 2018.

Serão dois amistosos em novembro, contra Japão e Inglaterra.

Bom para pegar seleções com uma escola diferente da sul-americana.

Depois desta, só teremos mais uma convocação, antes da lista final para a Copa.

Seria o momento de testes, colocando pra jogar alguns nomes que ainda tem chances de ir pro Mundial.

Não é o caso do Diego Souza nem do Taison.

Eu sei que muita gente vai dizer que é perseguição com esses jogadores, mas não é.

O fato é que eu não acho que eles sirvam pra uma seleção. Principalmente pra disputar uma Copa do Mundo.

Taison mal consegue ser titular de um time pequeno como é o Shaktar.

Já Diego Souza até melhorou nos últimos jogos, fazendo gols importantes, mas oscila demais para um jogador que sonha em disputar uma Copa.

Por coincidência, os dois jogam no mesmo setor do campo: o ataque.

Pois é, faz parte da carência do futebol brasileiro na posição.

A dupla titular, com Neymar e Gabriel Jesus, é fantástica. Não tenho medo de dizer que é uma das três melhores do mundo.

Agora, se um dos dois se machucar...

Não temos atacantes do nível deles. Firmino e Douglas Costa são dois jogadores só pra compor o grupo.

E quando conferimos os dois artilheiros do campeonato brasileiro, nós vemos o bom batedor de pênaltis Henrique Dourado, além do Jô, que não vive o seu melhor momento.

Aí fica difícil.

Até a próxima.

 

 

 

 

Um péssimo visitante

Deu pena de ver o São Paulo jogar nesta quarta no Maracanã.

Os mesmos erros se repetiram.

É incrível notar como, mesmo tendo tempo para treinar, Dorival Júnior não consegue dar um padrão de jogo para o time.

Sem falar que os erros individuais seguem atormentando o elenco.

O pênalti cometido por Júnior Tavares foi vergonhoso e infantil. Ele simplesmente meteu o braço na bola dentro da área. Sem a menor necessidade e sem estar pressionado por ninguém.

Aí fica mais fácil quando o time da casa consegue um gol ainda na metade do primeiro tempo.

No segundo gol, eu achei falta do Scarpa. Ele desloca o Rodrigo Caio no ar, o suficiente para o zagueiro errar o tempo de bola.

Agora, convenhamos que não dá para um zagueiro de seleção ir pra bola daquela maneira. Ele nem olhou pro posicionamento do adversário, se preocupando apenas em subir, de forma atabalhoada, olhando apenas pra bola.

Ele caiu de um jeito tão feio e estabanado que induziu o árbitro ao erro. Nem o assistente, que estava bem próximo do lance, viu qualquer irregularidade.

Se a defesa falhou, o ataque também deixou muito a desejar. Lucas Fernandes, Lucas Pratto e Cueva estavam perdidinhos.

A rigor, o tricolor paulista não deu qualquer trabalho para a defesa do Fluminense. Cavallieri não fez nenhuma defesa difícil.

O único gol que fez, foi fruto de um desvio no zagueiro que acabou encobrindo o goleiro.

Uma atuação que deixa a torcida bastante preocupada com as próximas rodadas.

O negócio agora é tentar ganhar em casa com o apoio da torcida.

Até porque, como visitante, o São Paulo tem a pior campanha com apenas oito pontos.

Pois bem, a equipe ainda vai enfrentar Atlético Goianiense, Vasco, Grêmio e Coritiba fora. Tem que ganhar pelo menos uns quatro pontos nestes confrontos.

O cenário da briga contra o rebaixamento fica ainda mais dramático se formos considerar que ele vai ter adversários duros como mandante. Pega Flamengo (no próximo domingo), Santos, Chapecoense, Botafogo e Bahia.

Acho que nesta reta final do campeonato não ter jogo fácil. Pra nenhum time.

O problema é exatamente este. Jogos difíceis com uma equipe imatura e que tem que tomar mais pancada pra amadurecer, como bem disse o Hernanes depois de mais uma derrota.

Quem sofre mais é a torcida, que vem fazendo a parte dela e enchendo o estádio.

Com a perda do Morumbi, o negócio é encher o Pacaembu e acreditar em bons resultados na nova casa. Fora de São Paulo, a situação tá muito difícil...

 

O previsível Corinthians

Todas as vezes que o Corinthians perde é a mesma história: todo mundo começa a fazer as contas e dizer que o campeonato está aberto ainda, que o Santos ainda pode encostar, que o Grêmio ainda tem chances, etc.

Na minha opinião, apesar da queda de produção no returno, a gordura que o time acumulou no primeiro turno continua fazendo a diferença.

Até porque, Santos, Grêmio e Palmeiras também vem oscilando demais. Não vejo nenhuma chance do Corinthians perder o título.

Agora, é inegável que o Timão já perdeu aquele status de time invencível e bem montado pelo Fábio Carille.

Aliás, o treinador já é o mais contestado quando a gente analisa a queda de rendimento da equipe no brasileirão.

Como deu tudo certo no início da competição, ele vem relutando muito para mudar qualquer coisa na montagem do time.

Jogadores que antes vinham fazendo um grande campeonato, como Rodriguinho e Jadson, agora já não são unanimidade.

A torcida já perdeu há muito tempo a paciência com eles.

Isso envolve também outros intocáveis do elenco, como Fágner, Maicon e Arana.

Muitas vezes irrita ver o Corinthians jogar de forma displicente e sonolenta como nas últimas partidas.

E o pior é que o Carille não muda o time. Nem as peças, nem o sistema tático, que já está previsível e bem manjado pelos adversários.

Sem tirar o mérito do Bahia, que dominou completamente o primeiro tempo, mas não conseguiu criar grandes chances.

No segundo tempo, viu o Corinthians reagir e ter mais iniciativa, mas soube aproveitar os erros do adversário.

Na próxima quarta tem Corinthians x Grêmio na Arena de Itaquera, com promessa de estádio lotado.

Pelo menos um jogo importante na briga pelo título em um campeonato tão fraco de emoções lá na frente.

Quem sabe o Grêmio surpreende e bota uma pimenta nesta reta final do brasileirão...

Até a próxima.

 

A paciência acabou

É inegável que o trabalho do Cuca em 2017 fracassou.

Ele não foi capaz de melhorar a situação da equipe que  assumiu após a saída de Eduardo Baptista.

A verdade é que não faltou tempo nem paciência, tanto da torcida, como do Alexandre Mattos, executivo de futebol.

Muito menos dinheiro e investimento. O elenco foi reforçado e hoje pode-se dizer que é um dos melhores do Brasil.

Vale lembrar que ele assumiu o comando do Palmeiras em maio. Tempo pra trabalhar ele teve.

Mas o time nunca jogou como no ano passado.

E não venha me dizer que o time é outro. Tudo bem que ele perdeu o Gabriel Jesus e o Vitor Hugo.

Mas a base da equipe campeã brasileira foi mantida.

Mesmo com alguns reforços não correspondendo às expectativas, como é o caso do Borja, não era pra equipe jogar tão abaixo do esperado.

O time caiu diante do Cruzeiro na Copa do Brasil e foi eliminado pelo Barcelona de Guayaquil na Libertadores.

Depois desses dois fracassos, ele sempre colocava o cargo à disposição, mas o Alexandre Mattos bancava a sua permanência.

Só que paciência tem limite.

Depois do péssimo futebol apresentado no empate contra o Bahia, ficou claro que, nem a promessa de tentar encostar no Coritnhians ia se concretizar.

Nem a diretoria do clube, nem a torcida, gostariam de vê-lo no comando do Palmeiras em 2018.

Do jeito que a coisa anda, tá arriscado o Verdão nem se classificar para a Libertadores da próxima temporada.

Então, o negócio é tentar trazer logo o Mano Menezes, que está fazendo um grande trabalho no Cruzeiro.

O nome do treinador já vem ganhando força no clube há algum tempo.

E se engana quem pensa que ele não trocaria o Cruzeiro pelo Palmeiras.

No time mineiro ele conquistou a Copa do Brasil e alcançou o objetivo dele de levar o time mineiro pra Libertadores.

Acho que ele toparia o desafio de ir para o Palmeiras, pensando na próxima temporada.

Só falta agora o Cuca ir para o Fluminense tentar salvar a equipe do rebaixamento, assim como aconteceu em 2009.

Ia sobrar pro Abel Braga.

Será que para o Cuca, que é supersticioso ao extremo, significa alguma coisa ser demitido numa sexta-feira 13?

Até a próxima.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Página 1 de 8312345...Último