Fica Zé!

Agora é oficial.

Zé Roberto Guimarães disse ao povo que fica e vai comandar a seleção brasileira feminina de vôlei por mais quatro anos, até os Jogos de Tóquio 2020.

Quem viu o desânimo do treinador após a doída derrota nas quartas para a China, imaginava que o ciclo dele à frente da seleção tinha chegado ao fim.

Mas depois, de cabeça fria, ele pensou melhor e resolveu ficar.

Vale lembrar que a CBV sempre manifestou a vontade de manter Zé Roberto comandando as meninas.

Até porque, não ia encontrar ninguém com este currículo para substituí-lo.

Luizomar de Moura, o eterno freguês do Bernardinho na Superliga, seria um dos nomes mais lembrados. Mas não está no mesmo nível.

William Carvalho é bom treinador. Mas ainda falta experiência em times grandes pra fazer a carreira decolar.

É o caso de Wagão Coppini, Ricardo Picinin e Spencer Lee, que são bons treinadores, mas ainda pouco experientes.

Zé Roberto é o único tricampeão olímpico brasileiro. Ganhou o ouro com a seleção masculina em 1992, e conquistou o bicampeonato com as meninas em 2008 e 2012.

Acho que a eliminação precoce no Rio não era motivo para interromper um trabalho bem feito e começar do zero.

 Fica Zé!

Zé Roberto anunciou hoje numa coletiva que fica

À frente da equipe desde 2003, ele vai ter o desafio de fazer uma renovação no grupo para o próximo ano.

Jogadoras bicampeãs olímpicas, como a central Fabiana e a oposta Sheilla já anunciaram que não vão mais jogar na seleção.

Outras que podem se despedir são Dani Lins e Jaqueline. Elas ainda não se decidiram.

Boa sorte Zé!

 

 

 

 

Troca de estações

O maior nome da história dos 100 metros rasos é o jamaicano Usain Bolt, que é o recordista mundial da prova com o tempo de 9,58 segundos.

A segunda melhor marca de todos os tempos é de Tyson Gay, que já correu para 9,69 segundos.

O americano  também já foi campeão mundial da prova em 2007.

Nas duas últimas participações olímpicas, Gay não obteve sucesso.

O revezamento 4x100 metros ganhou a prata em Londres 2012, mas perdeu a medalha porque ele foi pego no exame antidoping.

Nos Jogos do Rio, no mês passado, o revezamento americano conquistou o bronze, mas acabou sendo desclassificado por causa de um erro na passagem do bastão.

 Troca de estações

O americano já está com 34 anos de idade

Depois destas duas frustrações, Tyson Gay resolveu mudar de esporte.

Isso mesmo.

Das pistas, ele vai tentar a sorte no gelo, participando da seletiva dos Estados Unidos no Bobsled.

Pra quem não lembra, a modalidade é aquela em que os atletas correm num trenó de dois ou de quatro integrantes.

Para se obter bons resultados, é preciso ter bom arranque e aceleração antes de entrar no veículo, que pode chegar a uma velocidade de 150 km/h.

Ter um ex-recordista mundial dos 100 metros na equipe seria maravilhoso para a delegação americana, que busca uma vaga para os Jogos Olímpicos de inverno, que acontecem em PyeongChang, na Coréia do Sul, em 2018.

Será que ele consegue ir bem?

Largar forte e correr muito ele sabe como ninguém.

Vale lembrar que esta mudança das pistas para o gelo não é inédita.

Já aconteceu com os brasileiros Claudinei Quirino e Edson Bindilatti, dez anos atrás. Lembra?

Claudinei, então medalhista de prata nos Jogos de Sydney 200 com o revezamento brasileiro, disputou o Bobsled na Olimpíada de inverno de Turim de 2006.

Mas a investida não deu muito certo.

O trenó dos brasileiros virou e ficou de cabeça pra baixo em duas das três descidas, terminando a competição em último lugar.

Claudinei Quirino inclusive teve que ir pro departamento médico com queimaduras no ombro, após a terceira descida.

No episódio, os brasileiros ficaram conhecidos como bananas congeladas.

Um mico que Tyson Gay certamente não quer repetir.

Até a próxima.

 

 

 

Corinthians vai melhorar sem o Cristóvão

Hoje o Corinthians recebe o Fluminense pelo jogo da volta das oitavas da Copa do Brasil.

A primeira partida, no Rio, foi um a um.

Portanto, um empate sem gols classifica o Corinthians para a próxima fase.

Teoricamente a situação da equipe paulista é mais tranquila, até por ter o mando de campo.

O problema é a fase ruim e a falta de confiança após a derrota em casa para o Palmeiras.

Mas eu acredito que a saída do Cristóvão Borges vai fazer bem ao elenco.

Na verdade a contratação dele para o lugar do Tite foi um grande equívoco, que pode começar a ser consertado a partir de hoje.

Fábio Carille, que é bom treinador, assumiu sem saber se vai só tapar buraco ou seguir em frente.

Vai depender muito dos resultados que virão.

Untitled 71 Corinthians vai melhorar sem o Cristóvão

Carille já teve uma passagem como técnico do Corinthians em 2010

Zé Ricardo do Flamengo e  Jair Ventura do Botafogo, são dois exemplos de interinos que acabaram ficando. E com muita justiça.

Uma classificação esta noite, já o garantiria pelo menos por mais algumas semanas.

Do outro lado, o Fluminense é uma incógnita para este confronto.

Não se sabe qual o time que estará em campo. O que perdeu em casa de virada para a Chapecoense, ou o que ganhou do Grêmio em Porto alegre.

Mas vale lembrar que o tricolor não vem tendo boas atuações. Mesmo na vitória diante do Grêmio, a equipe se aproveitou do nervosismo do rival para fazer um gol no contra-ataque e garantir uma improvável vitória.

Será justamente no contra-ataque que o Fluminense vai tentar surpreender hoje.

Claro que a torcida vai pressionar o Corinthians a buscar a vitória, mesmo podendo empatar sem gols pra se classificar.

É aí que mora a esperança dos cariocas. Jogar fechadinho e explorar os contra-ataques.

Meu palpite é de que o Corinthians passa hoje, apesar do mau momento.

Até a próxima.

 

A antiga mágica para apagar incêndios

A direção do Grêmio está recorrendo à velha tática de trazer pessoas identificadas com o clube para apagar o incêndio.

A queda livre no brasileirão (já são sete jogos sem vitória), exigia uma providência urgente da diretoria.

O jeito mais fácil de agradar o torcedor é trazer ídolos do passado que conquistaram o título mais importante da história do clube.

Pois bem, Renato Gaúcho e Valdyr Espinoza, foram campeões mundiais em 1983, como jogador e técnico respectivamente.

Esta estratégia já foi tentada outras vezes. Nem sempre com sucesso.

Lembram do fiasco do Felipão, que foi parar no Grêmio depois da Copa?

Ele acabou saindo pela porta dos fundos, afirmando que aquele elenco era muito fraco e não ia a lugar algum.

Roger assumiu no lugar dele e mudou a cara do time, com idéias novas e um outro tipo de linguagem com os jogadores.

Naquele momento nós constatamos como o Felipão ficou ultrapassado.

Não estou querendo dizer aqui que o Renato é ultrapassado.

Mas a idéia de escolher ídolos para acalmar a torcida é.

Vale lembrar que esta será a terceira passagem dele como treinador gremista. As outras foram em 2010 e 2013.

418ac170f868f8867e5fdb9197ef165e XL2 A antiga mágica para apagar incêndios

Renato foi vice-campeão brasileiro com o Grêmio em 2013

Na próxima quarta, a equipe tem um compromisso até certo ponto tranquilo pelas oitavas da Copa do Brasil.

Pega o Atlético PR em casa, depois de uma vitória lá em Curitiba por um a zero.

Qualquer resultado que não seja a classificação do time para a próxima fase já vai ser considerado um desastre.

Mas, Renato Gaúcho tem um bom retrospecto em competições mata-mata, tendo conquistado o título da Copa do Brasil em 2007 com o Fluminense e levando no ano seguinte a equipe tricolor à final da Libertadores.

Se o retrospecto contar, ele vai se dar bem...

Acho prematuro afirmar que ele vai mudar a cara do Grêmio em tão pouco tempo de trabalho.

É esperar pra ver.

Até a próxima.

 

 

 

 

Será o fim?

Um dos clubes mais tradicionais do futebol brasileiro corre o risco de acabar.

A Portuguesa pode ser rebaixada para a quarta (e última) divisão do campeonato brasileiro neste domingo.

Isso mesmo senhores.

O time, que até 2013 estava na primeira divisão, pode cair pra série D no intervalo de apenas três anos.

A derrocada começou no tapetão, com a perda de quatro pontos no brasileirão de 2013. Lembram?

O jogador Heverton estava suspenso, mas foi relacionado e entrou em campo contra o Grêmio.

Com isso a equipe caiu para a série B e salvou o Fluminense, que continuou na primeira divisão.

Depois deste episódio o clube despencou em queda livre.

Em 2014 caiu para a série C. No ano seguinte foi rebaixado também no campeonato paulista.

E agora está correndo o sério risco de cair de novo.

Para se salvar, precisa derrotar o Tombense jogando em Tombos, Minas Gerais.

Além disso, precisa torcer para que o Macaé, atuando em casa, não ganhe do Botafogo de Ribeirão Preto.

Se a Lusa só empatar, o Macaé terá que perder de qualquer maneira.

É uma combinação de resultados difícil mas não impossível.

Eu até acho que o Macaé não ganha do Botafogo. O problema maior é a Portuguesa fazer a parte dela.

A equipe só garantiu os três pontos diante do Guaratinguetá, porque eles já estavam rebaixados. Praticamente chutou cachorro morto.

Antes disso a equipe vinha de cinco derrotas seguidas. Duas jogando em casa.

Sinceramente, acho muito complicada a situação.

E mais uma queda pode representar a extinção da Lusa.

O Presidente do clube, José Luiz Ferreira de Almeida, garantiu em entrevista coletiva que isso não vai acontecer.

Mas ele mesmo parece não ter certeza de nada, já que o mandato acaba no final do ano e ele não quer continuar.

Ainda tem o leilão de parte do Canindé para quitar dívidas trabalhistas.

E pensar que em 1996, há exatos 20 anos, o clube chegava ao seu auge, disputando a decisão do campeonato brasileiro contra o Grêmio.

Quanta coisa mudou...

portuguesa time 2 final Será o fim?

Aquele time de 96 tinha Zé Roberto, Alex Alves e Rodrigo Fabri no elenco

O Esporte Fantástico deste sábado vai contar esse drama.

Vai contar também a história do lateral esquerdo Denner, que faz parte do elenco da Lusa, e recebeu este nome em homenagem ao famoso atacante Dener, falecido em 1994, vítima de um acidente de carro.

Até lá.

 

Enfim um jogo com cara de final

Campeonato de pontos corridos tem grandes chances de ser chato e arrastado.

Principalmente nas principais ligas européias, que só tem três ou quatro equipes brigando lá em cima.

Esperava-se que aqui no Brasil não fosse assim, até pelo grande número de clubes que tem tradição e potencial para brigar pelo título.

Mas não tem sido assim.

São raras as disputas pelo título até as últimas rodadas.

Basta dizer que nas últimas três edições do brasileirão, o campeão teve pelo menos dez pontos de diferença sobre o vice.

Por isso o jogo desta noite entre Palmeiras e Flamengo tem chamado tanta atenção.

Estavam todos com saudades de um jogo com cara de decisão.

Claro que esta partida, na prática, não vai decidir nada.

Ainda vão faltar 13 rodadas até o final e muita coisa pode mudar.

Mas só o fato de termos o líder Palmeiras enfrentando o segundo colocado, com apenas um ponto de vantagem, já é motivo pra comemorar.

Pelo menos podemos sentir o gostinho de uma final.

Até porque a liderança pode mudar de mãos esta noite.

Vale lembrar que o Flamengo só perdeu um dos últimos onze jogos e vem de oito vitórias seguidas.

A diferença para o líder caiu apenas pra um ponto.

Do outro lado, o Palmeiras só perdeu uma partida em doze disputadas com mando de campo. O aproveitamento é superior a 80 por cento.

Vale lembrar que, por conta da punição aos clubes, o estádio terá uma parte fechada para o público, mas o Flamengo não terá torcida no Allianz Parque.

Logo a torcida rubro-negra, que costuma fazer a diferença, desta vez não terá representantes na Arena do Palmeiras.

Por isso mesmo, meu palpite é de que o time da casa não perde o jogo de hoje.

E se conquistar um gol ainda no primeiro tempo, pode ganhar os três pontos com alguma tranquilidade.

Será?

Calma, é só um palpite gente...

 

 

 

Os Jogos da família brasileira

O enorme público que foi ao Parque Olímpico neste fim de semana, mostra como o brasileiro (mais especificamente o carioca), abraçou a idéia de ver as Paralimpíadas.

Em dois dias de evento, 330 mil pessoas passaram pelas arenas da competição. 170 mil no sábado e 160 mil no domingo.

Se antes a maior preocupação era com os ingressos encalharem durante o evento, agora o dirigentes do Comitê Paralímpico estão rindo à toa.

De acordo com o porta-voz da Rio 2016, Mario Andrada, foram vendidos 1,8 milhão de tíquetes até o momento. Apenas no fim de semana, cerca de 90 mil ingressos foram comprados.

Mas, o que explica este repentino interesse pelas Paralimpíadas?

Será que os Jogos Paralímpicos de repente passaram a despertar o interesse das pessoas?

Acredito que o motivo principal para o sucesso de público seja o valor mais acessível dos ingressos.

Muitas pessoas que não tinham condições de pagar para ver os Jogos do Rio, resolveram investir em visitar o Parque Olímpico neste mês de setembro. Até porque a compra foi mais fácil, diante da menor procura. Os hotéis também ficaram mais vazios e baratos.

Tanto é que o que se viu, foi a diminuição do número de estrangeiros e o aumento considerável do número de crianças.

Sim, o público infantil foi o grande destaque do fim de semana. Em alguns lugares, os "estacionamentos" de carrinhos de bebê ficaram lotados, mostrando como famílias inteiras resolveram aproveitar a ocasião.

Grupos enormes de amigos e familiares eram vistos tirando fotos e postando nas redes sociais a presença no local. Todos maravilhados com a beleza das instalações olímpicas, que realmente ficaram muito bonitas.

Claro que a maioria também estava ansiosa para ver os atletas paralímpicos em ação. Até por curiosidade, já que as modalidades são disputadas de forma bem diferente.

Não faltou emoção, nem por quem torcer. No sábado e domingo o Brasil conquistou três medalhas de ouro, cinco de prata e cinco de bronze. Já são 28 no total, com a quinta posição no quadro de medalhas.

Parabéns ao povo carioca, que deu uma aula de participação, civilidade e solidariedade. Além de prestigiar os jogos, foi importante para todos aprenderem com as diferenças e terem uma aula de superação e força de vontade.

Até as vaias aos adversários diminuíram. Estão todos mais harmoniosos e pacientes.

Mais uma vitória do Rio e porque não, do nosso país, diante dos pessimistas que só querem falar mal da cidade e das pessoas que lá vivem.

Até a próxima.

 

Só restam duas vagas

O Botafogo ganhou o clássico contra o Fluminense e encerrou de uma vez por todas com o rótulo de candidato ao rebaixamento.

Somando com o triunfo sobre o Grêmio, foram duas vitórias convincentes e diante de equipes que estão na frente do alvinegro na classificação.

Com isso a equipe chegou aos 32 pontos, somente dois a menos que o Fluminense, que era candidato a lutar pra terminar o brasileirão entre os quatro primeiros.

Jogando no Estádio Luso-Brasileiro na Ilha do Governador, o time vem mostrando força nos jogos em casa.

Já foram quatro jogos na nova Arena, que virou um alçapão para os botafoguenses. Empate contra o Flamengo e vitórias sobre Palmeiras, Grêmio e Fluminense.

Esta força com mando de campo, garante ao clube os pontos necessários para se manter na primeira divisão.

Fazendo as contas de que 45 pontos é o necessário, o Botafogo precisa somar mais 13 pontos em 15 partidas pra escapar. Ou seja, mais quatro vitórias em casa e um empate fora para se garantir na primeira divisão. Convenhamos que essa era a intenção da diretoria no início da competição.

Jair Ventura Credito Paulo Sergio LANIMA20101118 0034 26 Só restam duas vagas

Desde que assumiu, Jair Ventura conquistou 4 vitórias em 5 jogos

Com os resultados desta quarta-feira, Coritiba e Figueirense deram uma respirada na briga contra o rebaixamento, mas ainda correm sérios riscos. O Vitória perdeu pro Galo e também está nesse bolo, assim como o Sport que pega o Corinthians nesta quinta em Itaquera.

Junto com essas duas equipes temos três clubes de muita tradição brigando pra não cair: Inter, São Paulo e Cruzeiro.

Dos três, a pior situação me parece ser a do São Paulo, que não tem um treinador forte o suficiente pra reverter a situação. Sem falar que o Ricardo Gomes não aguenta a pressão por resultados. A derrota para o Palmeiras mostrou bem isso.

O Inter com o Celso Roth e o Cruzeiro com o Mano Menezes, dão pinta de que vão se recuperar na competição. Mesmo assim, se fosse torcedor destes times, não estaria tranquilo.

Vale lembrar que América e Santa Cruz já estão na segundona.

Faltam apenas duas vagas pra completar o Z4.

Com sete equipes na luta pra não pegar as duas outras vagas, a emoção está garantida até a última rodada.

Até a próxima.

 

 

 

Hoje será mais difícil

Depois de uma boa e surpreendente vitória diante do Equador fora de casa por 3 a 0, a seleção brasileira vai buscar a segunda vitória consecutiva nas eliminatórias para subir na classificação.

O Brasil pode inclusive terminar a rodada como líder, se Argentina, Uruguai e Equador tropeçarem. Os argentinos e equatorianos jogam fora de casa, contra Venezuela e Peru, respectivamente.

O Uruguai terá um jogo difícil contra o Paraguai no estádio Centenário em Montevidéu.

Uma vitória hoje à noite em Manaus contra a Colômbia, coloca a seleção brasileira no mínimo na zona de classificação, entre os quatro primeiros.

Mas, vamos com calma. Antes de pensar em subir na tabela temos que ter a consciência de que o adversário é muito qualificado e os três pontos não virão com facilidade.

Depois de uma derrota com mando de campo diante da Argentina, a seleção colombiana embalou e conquistou três vitórias consecutivas, marcando oito gols e sofrendo três.

Não é a toa que a equipe está na frente do Brasil com 13 pontos, apenas um atrás da líder Argentina.

Tite já deu entrevista enaltecendo a qualidade do adversário.

Mostrou que estudou os colombianos, observando que eles gostam de jogar pelas laterais do campo. Chamou a atenção para a velocidade do Cuadrado, e a inteligência do James Rodriguez, que bate muito bem de média e longa distância.

O treinador destacou que eles atuam com quatro no meio e dois "agudos" lá na frente. A idéia é tentar neutralizar isso.

 Hoje será mais difícil

Tite tenta superar Dunga e conquistar a segunda vitória seguida pela seleção

Sem falar no velho estilo catimbeiro dos colombianos, que bateram muito nos nossos jogadores nos últimos confrontos. Foi assim na Copa do Mundo e nas Olimpíadas.

Acho que nos Jogos do Rio, o Brasil deu a sorte de fazer um gol logo no início, numa cobrança de falta do Neymar. Depois disso, a Colômbia teve que mudar sua tática e sair pro jogo.

Mesmo assim, o que se viu foi um primeiro tempo de muitas faltas. Algumas bem violentas. No segundo tempo eles saíram mais pro jogo e deram espaços lá atrás.

Acredito que se o Brasil fizer um gol logo no início pode ter uma partida mais tranquila. Se demorar pra sair, pode deixar a equipe mais nervosa e acabar caindo na provocação deles.

De qualquer maneira, estou com o sentimento de que hoje será mais difícil do que lá em Quito. Mesmo jogando com a torcida a favor.

Só nos resta torcer.

 

 

Gabriel Jesus não é o novo Superman

Acho um exagero, como muitos estão dizendo por aí, que o Gabriel Jesus é o novo craque da seleção, o substituto do Romário ou Ronaldo Fenômeno com a camisa verde e amarela.

Talvez todos estejam carentes de grandes donos da número nove, como estes que eu citei. Na realidade, depois que estes dois craques encerraram a carreira na seleção, todos ficam esperando que um novo goleador diferenciado apareça.

Gabriel Jesus é um jogador extremamente talentoso, tem facilidade em fazer gols e teve um ótimo início de trabalho na nova seleção do Tite.

Mas acho que nós devemos esperar mais antes de depositar nele toda essa expectativa.

Já vi casos de jovens que tinham tudo pra ser craque, alcançaram o sucesso muito rapidamente e que se perderam no caminho.

Até agora a transferência para o Manchester City, equipe que ele vai defender no ano que vem, não mexeu com a cabeça dele.

mlz3ny0sq 7ta8u4q607 file Gabriel Jesus não é o novo Superman

Gabriel Jesus custou 121 milhões de reais aos cofres do City

Muito pelo contrário, a medalha de ouro no Rio só deu mais confiança para o Gabriel Jesus.

Ele será titular amanhã contra a Colômbia e tem a chance de consolidar este grande momento.

O mais importante pra ele agora é focar neste jogo.

Não dá pra ele ficar pensando em ainda voltar para disputar o clássico contra o São Paulo no dia seguinte à partida.

Por mais que a torcida palmeirense tenha esperança e o técnico Cuca também, não dá pro Gabriel Jesus jogar partidas importantes dois dias seguidos.

Sem falar no cansaço de um vôo longo vindo de Manaus.

Mesmo ele tendo apenas 19 anos de idade! Não é porque ele é muito jovem que ele tenha condições de jogar todo dia!

Claro que ele já disse que quer jogar. Até pela dívida que ele tem com a torcida e o clube, depois da transferência consumada para o exterior.

Mas ele terá muitas outras chances de pagar esta dívida ao longo do ano.

Até a próxima.

 

 

Página 1 de 6812345...Último