munique

“Ituano da Europa”, Atlético de Madri anula Messi e Neymar, vence Barça e vai à semi da Champions

neymar tristeza derrota atletico madri Ituano da Europa, Atlético de Madri anula Messi e Neymar, vence Barça e vai à semi da Champions

 

 

Atlético de Madri 1 X 0 Barcelona.

 

Atlético classificado para as semifinais da Champions League 2013/2014.

 

Vitória merecida de um time que, embora inferior tecnicamente e sem o seu artilheiro (o brasileiro Diego Costa), encarou um dos times mais temidos do mundo sem medo do rival e de ser feliz.

 

O Atlético jogou um primeiro tempo com muita personalidade, com uma marcação mista que envolvia pressão individual na intermediária do Barça e, depois, por zona a partir do meio de campo.

 

Enquanto isso, Tata Martino errava ao prender Neymar (na foto acima lamentando a eliminação logo após o apito final) na direita do ataque e Messi, bem marcado, se afastava da área para tentar alguma arrancada,. Só que o espaço vazio não existia na bem executada marcação mista do Atlético de Madri.

 

O time da casa teve a sorte de fazer seu gol logo aos cinco minutos do primeiro tempo.

 

E, depois,  no segundo tempo, a exemplo do rival catalão, adiantou sua marcação, como no início da partida, e fez o tic-tac do Barça, normalmente envolvente, tornar-se improdutivo.

 

Messi e Neymar foram figuras apagadas em campo.

 

Embora certo ao optar pela velocidade de Pedro na segunda etapa, o técnico do Barça, o argentino Tata Martino, acabou por facilitar a vida o Atlético ao tirar seu melhor - ou menos pior - jogador até então: o craque Andrés Iniesta.

 

No final, entre mortos e feridos, prêmio a Atlético de Madri, o time que, apesar de ter tocado menos e ficado com a bola em apenas cerca de um terço da partida, executou o seu plano de ação com maior objetividade e coragem.

 

O Atlético de Madri, o Ituano da Champions League, vai às semifinais da Champions com toda justiça.

 

Opine.

 

Registre o seu comentário.

 

Bayern gasta R$ 470 milhões anuais só com salário. É mais do que um ano e meio de faturamento total do Timão

bayern de munique Bayern gasta R$ 470 milhões anuais só com salário. É mais do que um ano e meio de faturamento total do Timão

Assim, com esse caraminguá todo encaixado, é para correr para o abraço mesmo, né não rapaziada?

 

 

Um estudo publicado pelo jornal alemão Bild mostra que o Bayern de Munique gasta a bagatela de 144 milhões de euros por ano apenas com salários do elenco e da comissão técnica.

 

Isso mesmo: cerca de R$ 470 milhões anuais apenas em salários da rapaziada.

 

Um valor 61% maior do que o faturamento total do Corinthians, líder do ranking brasileiro, em 2013, de R$ 290,4 milhões.

 

Dá para encarar?

 

Opine.

 

Registre o seu comentário.

 

Bayern campeão, Raja revelação e Atlético-MG, decepção. Galo tinha condição de se impor como fizeram os alemães – mas tremeu

ribery final afp Bayern campeão, Raja revelação e Atlético MG, decepção. Galo tinha condição de se impor como fizeram os alemães   mas tremeu

     AFP

 

 

Final de jogo - e do Mundial de Clubes 2013.

 

 

Raja Casablanca 0 X 2 Bayern de Munique.

 

 

Franck Ribéry (acima) fez uma bela competição mas, ao meu ver, não merecia a Bola de Ouro do torneio. Outros companheiros seus jogaram mais bola. O próprio Lahm, capitão da equipe e Bola de Prata, foi um deles.

 

 

Belíssima cena de todo o elenco do Bayern formando um corredor e aplaudindo os jogadores do Raja que passavam entre os alemães a caminho do palco para receber a medalha de prata. Coisa emocionante.

 

 

O Raja está de parabéns por ter perdido dignamente para o melhor time do mundo na atualidade.

 

 

O Bayern é um time que tem tudo: talento, treinamento obsessivo, disciplina tática dos jogadores, profissionalismo absoluto e uma obediência admirável à proposta de jogo de seu técnico, o espanhol Guardiola.

 

 

É impressionante ver como todo mundo é treinado para se posicionar bem do meio campo para frente já que ninguém guarda posição fixa. O jogador pega a bola e tem sempre, no mínimo, um colega livre ao seu lado.

 

 

Teve 73% de posse de bola no jogo.

 

 

O Raja até que teve algumas chances para marcar. Jogou com dignidade. Não ganhou do Galo à toa.

 

 

E uma curiosidade: deu o mesmo número de chutes (11) do que o Bayern, embora o time alemão tenha acertado sete no gol contra cinco do rival.

 

 

Com os 2 a 0 e a leve pisada no freio do Bayern, teve algumas oportunidades e merecia até um gol.

 

 

O Bayern, efetivamente o melhor time do mundo, a equipe que incorporou ainda mais rapidez e pragmatismo ao tic-tac solidificado pelo Barcelona, é o legítimo campeão.

 

O Raja Casablanca sai como o grande destaque, a grande revelação do torneio, o dono da grande história diferente a ser contada sobre este torneio.

 

E o Galo, claro, a maior decepção.

 

Claro que há uma diferença de talento e determinação tática entre o Bayern e o Atlético-MG.

 

 

Mesmo assim, o Galo tinha futebol e conjunto para fazer, ainda que em menor escala mas de forma suficiente, o que o Bayern fez dutante toda a partida: impor o seu futebol e a sua superioridade de favorito, a sua força de melhor estruturado, mesmo nos momentos mais difíceis da partida.

 

 

Mas não o fez - e de no que vimos.

 

 

Infelizmente.

 

 

Opine.

 

 

Registre o seu comentário.

 

 

Um carro popular zero. Foi o que cambistas pediram por um ingresso na final da Champions League

euros Um carro popular zero. Foi o que cambistas pediram por um ingresso na final da Champions League

 

 

Mais de um milhão de pessoas se inscreveram pela internet para comprar um dos 60 mil ingressos da partida final da Champions League, entre o alemão Bayern de Munique e o inglês Chelsea, neste sábado (19), no estádio Allianz Arena, em Munique, vencida pelo clube da Inglaterra por 4 a 3, nos pênaltis, após empates em 1 a 1 no tempo normal e em 0 a 0 na prorrogação.

 

Uma batalha como essa só poderia gerar uma boa clientela para eventuais cambistas.

 

E não deu outra.

 

Eles, é verdade, não eram muitos, até pelo sistema de venda e controle bem mais rígido do que o utilizado na América Latina e mesmo em outras competições europeias.

 

Mas os poucos com alguns ingressos para vender aos desamparados no lado de fora do Allianz chegaram a pedir até 10 mil euros por bilhete.

 

A cotação foi atingida cerca de duas horas antes do início da partida.

 

Para uma leve comparação, o euro fechou a sexta-feira (18) ao câmbio de R$ 2,58.

 

Isso significa que os caras pediram nada menos do que R$ 25,8 mil, praticamente um bom carro popular zero no Brasil, por um ingresso.

 

Você pagaria se tivesse e pudesse?

 

Opine.

 

Registre o seu comentário.

 

Real fora. Gostei pelo marrento do Mourinho, que se acha gênio nos momentos em que esquece ser Deus

Real Madrid 2 x 1 Bayern de Munique.

 

Real Madrid 1 x 3 Bayern de Munique na disputa de pênaltis.

 

O técnico mais bem pago (o português José Mourinho), o jogador mais caro e o elenco mais valioso do mundo (o do Real) estão eliminados.

 

No próximo dia 19 de maio, as "zebras" Bayern (Bávaros) de Munique e Chelsea-ING farão a final na casa do clube alemão, o Allianz Arena.

 

A rigor, o Bayern era considerado menos zebra do que o Chelsea. Para muitos, entre os quais este que vos escreve, o clube alemão tem o terceiro melhor time da atualidade, atrás apenas dos dois espanhóis, Barça e Real.

 

O Real parecia que iria fazer valer o mando de campo, o apoio de 85 mil torcedores e a suposta superioridade técnica de seu elenco.

 

Aos 14 minutos, já vencia de 2 a 0, com dois gols de Cristiano Ronaldo.

 

Com o gol de Arjen Robben, de pênalti, aos 27, o Bayern ganhou confiança e voltou ao jogo.

 

Na segunda etapa, o Bayern fez uma belíssima partida.

 

Com coragem, bom posicionamento e ótimas atuações de Schweinsteiger e sobretudo do brasileiro Luiz Gustavo. Adiantados e com passes precisos, esses dois volantes jogaram praticamente como meias.

 

No ataque, Ribéry, Robben e Gómez se movimentavam muito, trocando de posição o tempo todo.

 

Como era esperado, o Bayern respeitou Real sem temer - e por isso venceu.

 

No Real, CR7 começou fulminante mais caiu de produção a partir dos 30 minutos do primeiro tempo. Fez o primeiro de pênalti, mas perdeu o seu na disputa final. Não foi o culpado pelo fracasso, fez os dois gols de seu time mas brilhou muito cedo na partida e, quando o time precisou de seu talento, ele não conseguiu aparecer.

 

Os brasileiros Marcelo e Kaká, que entrou no segundo tempo no lugar de DiMaría, foram muito mal, sobretudo o meia-atacante, que não fez nada de útil na partida e ainda perdeu o pênalti na disputa final.

 

No final, pela  atuação destemida, técnica e com disciplina tática, o Bayern mereceu eliminar o Real pela quinta vez em competições europeias e voltar a final da Champions onze anos depois da disputa de sua última final.

 

Gosto do Real.

 

Mas valeu por ver a tristeza de José Mourinho, técnico inegavelmente competente mas a personagem mais marrenta do futebol mundial no momento.

 

Arrogante e ególatra, Mourinho se acha um gênio da raça - isso quando esquece que é Deus.

 

Opine.

 

Registre o seu comentário.

 

 

Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com