goal ref

Saiba como funcionam as tecnologias para confirmar gol (por que a Fifa demorou tanto para aprová-las?)

A Fifa anunciou nesta terça-feira (19) a aprovação de dois sistemas para a detecção automática de gols, a DAG, nas partidas de futebol, informa o nosso R7.

 

São tecnologias que informam ao árbitro, no mesmo instante, em tempo real, se foi gol ou não nos lances em que há dúvida a respeito do fato de a bola ter cruzado a linha da trave.

 

Os sistemas se chamam Hawkey e GoalRef.

 

O Hawkey usa câmeras instaladas na trave, ligadas a um sistema de observação em tempo real para uso da arbitragem.

 

O Goal Ref cria um campo magnético no espaço da trave, na linha do gol. Assim que a bola cruza a linha do gol, este campo magnético entra em contato com um chip instalado na redonda e o sistema emite um sinal para um aparelho em poder do árbitro.

 

As duas tecnologias, testadas no último Mundial de Clubes, no Japão, vencido pelo Corinthians, serão usadas na Copa das Confederações 2013 e na Copa do Mundo 2014, no Brasil.

 

A Fifa diz estar aberta a testar e, se for o caso, aprovar outras tecnologias.

 

A notícia é boa.

 

Mas é assustador constatar que a Fifa só agora incorpora uma tecnologia barata, plenamente desenvolvida e à disposição da sociedade, inclusive em casos particulares, há várias décadas.

 

Tomara que, neste embalo, sejam aprovados sistemas para ajudar em lances de impedimento, toques de mão não identificados e outros casos polêmicos.

 

Mesmo porque é preciso combinar: hoje em dia, com a quantidade de câmeras a fiscalizar cada detalhe do jogo, em todos os seus ângulos, com precisão absoluta, essa conversinha de que o “romantismo do erro da arbitragem faz parte do jogo e acabar com ele seria matar as discussões e o próprio esporte”, convenhamos, é uma cascata velha sem mais qualquer espaço na realidade.

 

Além de um instrumento conservador para ajudar a manter o sofrimento e a exposição em praça pública da arbitragem, submetida às limitações e às traições dos reflexos humanos diante dessa avalanche de tecnologia.

 

Uma batalha cada vez mais perdida.

 

Opine.

 

Registre o seu comentário.