divulgação221 Valdivia resolveu enfrentar Felipão. E agora? Qual dos dois continuará no Palmeiras em 2011?
E o que se anunciava aconteceu.

Valdivia resolveu enfrentar Luiz Felipe Scolari.

E não mediu palavras.

A primeira coisa que falou foi sobre estar com salários atrasados.

Se disse desrepeitado por ter sido o único jogador que teria de assinar um documento se comprometendo a se comportar nas férias.

E avisou que está sendo transformado no vilão do Palmeiras para os fracassos que o time teve.

"Se o Palmeiras quiser que eu volte em 2011, tem que me respeitar, incluindo o técnico.

Não vou aguentar que as pessoas falem mal de mim. Se for o caso, a gente pode sentar e ver a melhor forma de resolver.

"O que foi falado é mentira, não foi um documento entregue a todos, foi exclusivamente para mim, desconfiando da minha contusão,

"Eu fui (jogando e treinando) até romper e agora passei a ser um vilão.

"Quando (Felipão) precisou de mim, fui lá e joguei.

Depois, quando não deu mais, começou a falar que eu não ia tratar.

Joguei cinco partidas seguidas machucado.

O departamento médico também foi pressionado a me colocar.

Estou com salário atrasado, e existem outras pendências.

Mas ninguém sabe disso porque nunca fui na imprensa para reclamar.

É a primeira vez que falo disso.

Quando saí da Arábia e vim para o Palmeiras, aceitei ganhar bem menos.

Tinha propostas melhores do São Paulo, do Flamengo e do Cruzeiro, mas nem pensei nisso porque tenho um carinho especial pelo Palmeiras, e o torcedor sabe disso.

Mas tudo tem limite. Em 2010 fiquei calado.

Em 2011 não vou ficar mais."

As suas palavras foram gravadas pela reportagem da rádio Eldorado/ESPN.

São acusações fortíssimas.

E podem até levar até ao rompimento do contrato.

O Palmeiras já está endividado.

Antecipou suas cotas de televisão.

E também agora conseguiu que o patrocinador das camisas antecipasse o pagamento de R$ 13 milhões para não ficar devendo salários e 13º.

O chileno foi o jogador mais caro que o clube contratou na sua história: cerca de R$ 14 milhões.

Quem conhece o ego de Felipão e sua assessoria pessoal sabe que a história não acabou.

Pelo contrário.

Haverá retaliação do treinador que não pode ter o seu comando questionado por um jogador.

Ainda mais com a grave acusação que ele forçou o departamento médico a escalar o valioso meia machucado.

Belluzzo já começou o seu trabalho para tentar apaziguar as partes.

Mas será muito difícil.

A crise entre Valdivia e Felipão é profunda.

Os dois estão longe de serem grandes amigos no Palestra Itália.

Valdivia não se conforma com a maneira rígida com que o técnico trata o elenco.

Impede que os atletas falem com a imprensa.

Acha tudo exagerado, ultrapassado.

Mesmo assim, estava se segurando.

Depois, com o vazamento do documento que ele teria de assinar se comprometendo a se cuidar, tudo estourou.

Valdivia não assinou porque disse aos dirigentes que estavam duvidando do seu profissionalismo.

E mais: sabia que não vinha da diretoria e sim do técnico.

Resolveu enfrentá-lo.

Valdivia nunca foi de baixar a cabeça para treinador.

Felipão sempre deixou claro que comanda o clube que é técnico.

E percebendo que o meia estava irritado quando chegou por ser substituído seguidamente, deixou claro que não estava preocupado.

"Tiro quem tiver que tirar.

Nem se for filho do presidente", falou em alusão ao presidente em exercício Palaia ter dado dinheiro do bolso para assegurar a contratação de Valdivia.

A situação está péssima.

Não será surpresa se em 2011 o Palmeiras mantiver ou Valdivia ou Felipão.

O clube parece pequeno demais para os dois...

http://r7.com/QVDi