1agenciacorinthians1 Vagner Love, 30 anos. R$ 9 milhões em salários. Último ato de Mario Gobbi. Seu troco nos empresários de Guerrero. Um presente de grego para Roberto de Andrade...
A grande vingança de Mário Gobbi? Um presente de grego para Roberto de Andrade apresentar hoje, dia de eleição no Corinthians? O fim de qualquer possibilidade de renovação de Paolo Guerrero?

Assim, cheios de questionamentos, foi como os conselheiros e vários membros da diretoria que se despede viram a contratação de Vagner Love. Fosse há dez anos, quando deveria ter sido contratado pela MSI, haveria festa no Parque São Jorge. Mas o anúncio da chegada do jogador de 30 anos, não mereceu arroubos de felicidade. Pelo contrário. Gerou muita preocupação.

Ele rescindiu com o Shandong Luneng. O Corinthians não vai dar um centavo ao clube chinês. Em compensação, vai gastar muito com o atacante. O contrato tem um ano e meio. Salários de R$ 500 mil mensais. A conta simples é de R$ milhões. Fora luvas, bônus por título e artilharia. Serão R$ 9 milhões só de salários. A conta pode passar dos R$ 12 milhões. O empresário de Love, Evandro Ferreira, ainda fez um abatimento e tanto. Na China, o atacante recebia R$ 1 milhão mensal.

Guerreiro está exigindo R$ 18 milhões e um salário de R$ 520 mil mensais. O Corinthians, que está com dificuldades financeiras para pagar o Itaquerão, bancará um ataque de R$ 1 milhão para dois atacantes. "A contratação foi uma vingança de Mario Gobbi. A chegada do Love inviabiliza a permanência do Guerrero", me diz um conselheiro muito influente, no final da sexta-feira.

É interessante. A tese tem lógica. Gobbi rompeu com os agentes do atacante peruano. Eles eram os representantes também de Dudu. Haviam acertado salários, luvas e tempo de contrato com o ex-presidente Andrés Sanchez e o candidato da situação, Roberto de Andrade. O presidente ficou irritado por ser o último a saber. Tratou de desfazer a negociação. Passou pelo desprazer de ler o que os representantes do jogador escreveram em uma nota oficial. Diziam que com ele, Gobbi, o Corinthians se apequenou.

1ae9 Vagner Love, 30 anos. R$ 9 milhões em salários. Último ato de Mario Gobbi. Seu troco nos empresários de Guerrero. Um presente de grego para Roberto de Andrade...

Foi muito duro de digerir o ataque direto. Ninguém defendeu o presidente publicamente. Foi quando surgiu a notícia, que Vagner Love iria rescindir com os chineses. E estava disposto a voltar ao Brasil. Gobbi autorizou o gerente Edu Gaspar a tentar convencer o atacante a atuar no Corinthians. Não foi difícil.

O Palmeiras também se insinuou. Mas por causa da grave briga com as organizadas, Love não quis saber de mais um retorno ao Palestra Itália. Sem saber, ele foi um dos grandes responsáveis pela perda do título do Brasileiro de 2009. O Palmeiras liderava com vantagem, quando ele foi contratado. Ganhando o maior salário do elenco. Diego Souza provocou uma revolução pelo que achava um 'disparate', já que o grupo estava arrumado, jogando muito bem e conseguindo vitórias importantes no torneio.

Diego Souza exigiu de Belluzzo o mesmo salário de Love, uma equiparação. Ouviu um sonoro não. Pronto, o ambiente estava sabotado. Muricy não pôde evitar o rompimento, o péssimo clima na equipe. Jogadores passaram a não se falar. E o Brasileiro foi para a lata do lixo. Mesmo com o Palmeiras tendo uma grande vantagem em relação aos adversários e um poderoso time.

A diretoria vazou a história para as organizadas do Palmeiras. E acabou resultado em uma lamentável briga entre o jogador e dois torcedores numa agência bancária. A partir daí, ameaças de morte a ele e seus familiares. Ele implorou e foi liberado para atuar no Flamengo. Acabava sua história no Palmeiras.

A relação de Vagner Love com o Corinthians remonta de muito tempo. Dez anos atrás, eu estava acompanhando uma das mais estapafúrdias entrevistas da minha carreira. O atacante estava no CSKA. Veio ao Brasil de férias. Foi quando Kia Joorabchian, então presidente da MSI, o convenceu a atuar no Parque São Jorge. Acertou tudo, salários e tempo de contrato. A notícia vazou. E Love resolveu dar uma entrevista coletiva.

Ela aconteceu em uma loja esportiva no Shopping West Plaza, ao lado do Palmeiras, onde o jogador nasceu para o futebol. Foi patético. Por mais de uma hora ele ficou repetindo que não era jogador do Corinthians. Mas queria atuar pelo clube. Só faltava a liberação do CSKA. A loja quis aproveitar a entrevista. E confeccionou por iniciativa própria camisetas do Corinthians com o nome do jogador e o número 9.

1reproducao8 Vagner Love, 30 anos. R$ 9 milhões em salários. Último ato de Mario Gobbi. Seu troco nos empresários de Guerrero. Um presente de grego para Roberto de Andrade...

Os russos ficaram irritadíssimos quando a notícia chegou em Moscou. Os dirigentes avisaram Kia Joorabchian que não venderiam Love por dinheiro algum. E até o ameaçaram. Ele tomaria uma surra se aparecesse por lá. Love também tomou bronca inesquecível. Os dirigentes o cobravam cercados de seus gigantescos guarda-costas armados. O recado foi entendido. O brasileiro atuou por lá mais quatro anos, antes de ser emprestado ao Palmeiras.

O acerto com Vagner Love foi feito no início da semana passada. Mas ele acabou sendo anunciado ontem à noite como uma manobra eleitoral. Teoricamente para ajudar Roberto de Andrade na eleição que acontece hoje. Mas, na verdade, acabou deixando tudo mais difícil a quem assumir a presidência corintiana.

Aos 30 anos, ele perdeu muito do seu arranque, da sua explosão muscular. Sua velocidade não é mais a mesma. Diante do baixo nível atual do futebol brasileiro, ele pode até se sobressair. Mas não tem mais condições técnicas nem para atuar em equipes médias da Europa. Quanto mais as grandes.

O que fazer com Guerrero? O peruano já estava considerava desculpa o clube não aceitar pagar o que pedia. Isso em relação aos R$ 43 milhões que gastou só na contratação de Pato. Mas os R$ 800 mil de salários que pagou. Até bancar 'apenas' R$ 400 mil para que atue no São Paulo. Fora os R$ 40 mil de auxílio-moradia.

A contratação de Vagner Love é um recado claro a Guerrero. O Corinthians tem dinheiro. E bancou a chegada de um atacante vivido, experiente, como ele. A situação só dá força para que o jogador não baixe sua proposta de renovação. O contrato termina em julho. Mas ele pode assinar desde 15 de janeiro com qualquer outra equipe. E ir embora em agosto, sem render deixar um centavo no Parque São Jorge.

O jogador já está irritadíssimo. Um reflexo foi sua expulsão infantil contra o Once Caldas quarta-feira, pela Libertadores. Tite se mostra empenhado para tentar acalmá-lo, incentivá-lo. Só que esta contratação de Love pode deixar tudo pior. Aliás, não era um pedido especial do treinador. Foi uma 'oportunidade' que surgiu. E ele aceitou.

A oposição, com Roque Citadini como candidato a presidente, cresceu muito nestas últimas semanas. Mas o candidato da situação, Roberto de Andrade, ainda é o favorito. Com direito até a um vídeo de Ronaldo pedindo votos para o 'homem de Andrés'. O pleito começou às nove da manhã. Vagner Love e Guerrero conseguiram desviar a atenção de muitos eleitores. A enorme dívida do Itaquerão ficou em segundo plano...
1getty1 Vagner Love, 30 anos. R$ 9 milhões em salários. Último ato de Mario Gobbi. Seu troco nos empresários de Guerrero. Um presente de grego para Roberto de Andrade...

http://r7.com/SOnM