divulgacaosbt Traffic e Flamengo vão lutar na Justiça. Ninguém quer pagar por Ronaldinho Gaúcho. A preocupação do jogador é outra: o Carnaval está chegando...
O combinado não vale no futebol.

A postura da Traffic não poderia ser pior.

A empresa de Jota Hawilla havia se comprometido a pagar 75% dos salários de Ronaldinho Gaúcho.

A diretoria do Flamengo em troca daria porcentagens sobre os patrocínios que o clube conseguisse.

Tudo certo, simples.

Foi esse acordo que fez com que o jogador não fosse para o Grêmio ou Palmeiras.

A Traffic viu no mercado carioca o caminho certo para o lucro.

Hawilla e Patricia Amorim apertaram as mãos e trocaram um longo abraço celebrando a parceria.

Só que nada aconteceu.

Por um motivo muito simples.

Nenhuma das partes realmente confiava na outra.

O Flamengo queria que a Traffic conseguisse os patrocínios como Hawilla havia sugerido.

E a empresa desejava participações em todas as ações envolvendo clube.

Os dois lados se defendiam usando a mesma estratégia.

O fato de não terem assinado um contrato formal.

Tanto o acordo do pagamento dos 75% do salário de Ronaldinho...

Como a participação da Traffic nos patrocínios do Flamengo após a contratação do ídolo.

Pouco mais de um ano, o negócio se mostra um fracasso.

Ainda mais pelos sonhos que a chegada do jogador bastaria para trazer milhões e milhões de reais.

Amistosos pelo mundo.

A certeza que ele será o camisa 10 na Copa de 2014 virou uma piada sem graça.

A atuação de ontem contra o Madureira, com direito a vaia da própria torcida falam por si.

Para o que o Flamengo e a Traffic sonhavam...

A contratação de Ronaldinho Gaúcho foi um grande fracasso.

As empresas já perceberam isso.

E com educação, seus gerentes de marketing dispensam a oportunidade de patrocinarem o atleta.

Agora chegou a conta.

De maneira vergonhosa, cada um tenta empurrar para o outro.

A Traffic quer se afastar de mansinho dizendo que não assinou nada oficialmente.

Com Ronaldinho Gaúcho no colo, Patricia Amorim esperneia.

Tem de pagar o salário de R$ 1,250 milhão até 2015.

Sua multa contratual é de ridículos R$ 400 milhões.

Assis, seu empresário, irmão e leiloeiro, não quer nem saber.

O que está escrito no contrato de Ronaldinho tem de ser pago.

Não importa por quem.

Nem que seja Michel Teló.

Ele exige o salário em dia e fez Patricia prometer que o dinheiro não irá mais atrasar.

Enquanto isso, Ronaldinho Gaúcho está tenso.

O Carnaval é na próxima semana.

E o bloco que criou no ano passado, Samba, Suor e Paixão precisa desfilar.

O resumo da ópera bufa é simple.

Flamengo e Traffic vão para a Justiça.

Ninguém quer pagar por Ronaldinho Gaúcho.

Nenhuma das partes aceita a paternidade.

Assis quer o dinheiro em dia.

E o meia, que cada dia joga pior, só tem uma preocupação : se divertir...

http://r7.com/435Z