Posts com a tag: Vasco

As lágrimas de Guerrero e Vagner Love. Os dois sentem na pele. São os atacantes mais pressionados do futebol brasileiro. Será sempre assim até o final de seus dias no Flamengo e no Corinthians…

1ae20 As lágrimas de Guerrero e Vagner Love. Os dois sentem na pele. São os atacantes mais pressionados do futebol brasileiro. Será sempre assim até o final de seus dias no Flamengo e no Corinthians...
Dois jogadores choraram muito após voltarem a marcar. Um ainda dentro do campo, no Maracanã. E outro nos vestiários do Itaquerão. Ambos tão diferentes mas ligados profundamente pelo destino. Guerrero e Vagner Love.

"Vinha com chances claras de gol, mas infelizmente a bola não entrava. Hoje também tive oportunidades antes de marcar e a bola não queria entrar. A bola quica muito aqui no Maracanã, e não consigo finalizar do jeito que gosto. E não estava conseguindo dormir direito. O motivo? Era o jejum", confirmava Guerrero.

"Tenho minha bagagem e meu currículo, por onde passei fiz gols e ganhei títulos. Quero ganhar aqui também. Sei que muitos zagueiros ainda me respeitam, e vou procurar aumentar ainda mais esse respeito. Não só os zagueiros, mas alguns colegas de vocês (jornalistas) têm de me respeitar. Eu tenho uma história, não caí de paraquedas no futebol. A cada dia vou mostrar mais isso", desabafava Vagner Love.

A ligação entre eles é umbilical. Eles sabem. Guerrero só está no Flamengo por causa de Vagner Love. E Vagner Love só está no Corinthians porque Guerrero estava no Parque São Jorge.

Por trás dessa estranha relação está o ex-presidente Mario Gobbi. Cansado da longa e difícil negociação para o peruano continuar no Corinthians, o dirigente começou a ser ríspido com os empresários de Guerrero. A reação? Os agentes disseram que não negociaram mais com ele. Só com o novo presidente, Roberto de Andrade.

Gobbi sabia da terrível situação financeira do Corinthians. Só haveria condições financeiras para um só atacante caro. E inviabilizou a permanência de Guerrero contratando Vagner Love da China. Ofereceu contrato de 19 meses. Com salário de R$ 500 mil. Golpe de mestre para quem não aceita desaforo. E lá se foi Guerrero para a Gávea.

A atitude de Gobbi teve reflexos pesados nos dois jogadores. A sombra do peruano ainda continua forte, incômoda para Vagner Love. O atacante teve de admitir que o seu antecessor está patamares acima dele mesmo.

 As lágrimas de Guerrero e Vagner Love. Os dois sentem na pele. São os atacantes mais pressionados do futebol brasileiro. Será sempre assim até o final de seus dias no Flamengo e no Corinthians...

"Se o Guerrero fosse brasileiro seria titular da Seleção Brasileira. Mostrou isso na Copa América. Mesmo atuando pelo Peru, uma seleção que tem fama de não ter grandes jogadores. Foi terceiro lugar na competição. E acabou como um dos artilheiros. Representaria bem o futebol brasileiro." O jogador fez essa análise de forma exclusiva ao R7.

Love teve de suportar a injusta comparação. Ele tem menos recursos técnicos do que o peruano. E ainda mais estava vindo da China, onde o treinamento é muito menor do que nos grandes centros do mundo. O futebol por lá é primário. Falta intensidade, técnica. E Vagner precisa estar muito bem treinado para render.

Foi o diagnóstico de Tite. Por isso, o jogador ficou afastado do grupo buscando se recondicionar fisicamente. Mesmo assim, quando seu rendimento seguia baixo. Ele havia perdido a confiança, estava tenso, correndo errado. Prejudicando o time.

O jovem Luciano finalmente mostrava estar dominando o ego. Sua passagem no Panamericano do Canadá deu mais confiança. E seria firmado como titular do Corinthians. Love teria de se conformar com a reserva. Até que, contra o Santos, Luciano rompeu os ligamentos cruzados do seu joelho direito. Ficará entre seis e oito meses sem jogar. A volta será apenas em 2016.

Daí a oportunidade voltar para Love. Mas por um motivo médico. Não técnico. E ele sabia disso. O choro, o pedido de respeito são justos. Se for analisado o passado. O presente do jogador ainda é instável. Não rendeu bom futebol e nem marcou os gols necessários para despertar confiança na torcida ou na imprensa.

4ae15 As lágrimas de Guerrero e Vagner Love. Os dois sentem na pele. São os atacantes mais pressionados do futebol brasileiro. Será sempre assim até o final de seus dias no Flamengo e no Corinthians...

Love continuará muito pressionado, cobrado.

E ele sabe disso.

Paolo Guerrero sabia o que enfrentaria no Rio de Janeiro. A diretoria do Flamengo o quer transformar no maior ídolo do futebol deste país. Só por isso aceitou pagar R$ 12 milhões de luvas e R$ 500 mil mensais. Vale a pena explicar. O jogador aceitou menos do que os R$ 18 milhões de luvas que pedia ao Corinthians. Por um motivo simples, com a chegada de Love, os corintianos não tinham condições de oferecer nem R$ 5 milhões de luvas. E um salário de meio milhão de reais. Gobbi implodiu essa possibilidade.

O presidente Bandeira de Mello fazia, com o peruano, sua grande investida na reeleição. Ele percebeu que sua política de austeridade, para diminuir a espantosa dívida de R$ 850 milhões, garantiria um time fraco, torcida, sócios e conselheiros descontentes. Chance de derrota na eleição do clube no final do ano.

5ae9 As lágrimas de Guerrero e Vagner Love. Os dois sentem na pele. São os atacantes mais pressionados do futebol brasileiro. Será sempre assim até o final de seus dias no Flamengo e no Corinthians...

Daí a aposta em Guerrero. O peruano sentiu a pressão. Sabia que vinha para ser a solução para o clube mais popular do Brasil. A sua apresentação já deixou clara a expectativa da torcida, da imprensa. O peruano nunca falará isso publicamente. Mas ele sabe que o time flamenguista é fraco. O que torna tudo muito mais difícil.

Ele já entra em campo que terá poucas chances de gol, ao contrário que acontecia no Corinthians. Por isso bastaram cinco partidas sem marcar e seu estado emocional ficou abalado. A cobrança veio forte. Principalmente dele mesmo. Por isso o desabafo, as lágrimas ao marcar contra o desarrumado São Paulo de Juan Carlos Osório.

E ambos sabem da importância da quarta-feira. Os dois precisarão ser peças fundamentais nas viradas que Corinthians e Flamengo precisam dar na Copa do Brasil. Os times foram derrotados em clássicos pelos rivais Santos e Vasco. Os clubes que lhes pagam meio milhão de reais a cada trinta dias precisam de seus gols.

Os dois entendem muito bem seus papéis. O que todos esperam da dupla. Até porque, por coincidência, os dois têm 31 anos. Não são mais meninos. Longe disso.

Se fossem, deixariam escapar. A ligação de Guerrero com o Corinthians é para sempre. Foi o artilheiro do Mundial de 2012. Se sentia muito feliz no Parque São Jorge. A ponto de dizer que encerraria sua carreira por lá.

Vagner Love mais ainda. Ele assumidamente ama o Flamengo. Ainda hoje. Um dos maiores presentes seria acabar sua trajetória por lá.

Mas os dois não tiveram como controlar suas carreiras. E estão cada um no clube que o outro desejava estar. Ironia do futebol.

6ae6 As lágrimas de Guerrero e Vagner Love. Os dois sentem na pele. São os atacantes mais pressionados do futebol brasileiro. Será sempre assim até o final de seus dias no Flamengo e no Corinthians...

Só a dupla sabe. O melhor é esquecer o sentimento. E fazer valer o profissionalismo. Por isso, vão dar a alma para que a insônia, a irritação, a boca amarga, a raiva não voltem.

As lágrimas de alívio já estarão secas daqui a dois dias, às 22 horas.

Flamengo e Corinthians precisam de mais uma virada marcante na sua história. Ou não sobreviverão na Copa do Brasil de 2015.

Love e Guerrero disfarçam, mas têm consciência.

A cobrança por gols virá redobrada.

Quem falou que seria fácil?

Os dois são os atacantes mais pressionados do Brasil.

Sentem o peso da camisa 9 do Flamengo e do Corinthians...
1reproducao26 1024x693 As lágrimas de Guerrero e Vagner Love. Os dois sentem na pele. São os atacantes mais pressionados do futebol brasileiro. Será sempre assim até o final de seus dias no Flamengo e no Corinthians...

A festa de despedida de Edmundo do Vasco tem um preço: R$ 1,8 milhão. Se ele pagar tem festa. Se não, pode esquecer…

divulgacao390 A festa de despedida de Edmundo do Vasco tem um preço: R$ 1,8 milhão. Se ele pagar tem festa. Se não, pode esquecer...
Na euforia pela conquista da Copa do Brasil...

O presidente Roberto Dinamite falou com Edmundo...

Ao vivo, pela rádio Globo...

E disse que organizaria um jogo de despedida dele do seu amado Vasco...

Muito emocionado, Edmundo aceitou na hora...

Só que, infelizmente, havia algo por trás...

A direção vascaína quer fazer a festa mais do que merecida...

Só que deseja que ele faça a sua parte...

Já que ele ama tanto o Vasco...

Que faça a sua colaboração...

E dê como presente o seu perdão...

O seu perdão tem preço: R$ 1,8 milhão...

Essa é a dívida que o clube tem com ele desde os tempos em que era jogador...

Ele entrou na Justiça do Trabalho...

A questão está ganha...

São salários e luvas acertados em contrato....

Não há como o ídolo vascaíno perder...

E agora?

Ele ficou muito constrangido ao saber desse pedido de perdão...

O Vasco tem dívidas que ultrapassam os R$ 300 milhões...

A maior parte delas com impostos e dívidas trabalhistas...

Edmundo não sabe o que fazer...

Romário e Juninho Pernambucano já confirmaram presença na despedida...

O jogo poderia ser contra o também seu Palmeiras...

A situação constrangedora deve ser definida na semana que vem...

Até porque há a séria desconfiança de que se ele não perdoar o R$ 1,8 milhão...

Não haverá festa de despedida...

Edmundo está em uma encruzilhada...

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

A vitória do Vasco foi um enorme passo. Mas nada está decidido na final da Copa do Brasil mais empolgante dos últimos anos…

divulgacao51 A vitória do Vasco foi um enorme passo. Mas nada está decidido na final da Copa do Brasil mais empolgante dos últimos anos...
O jogo foi empolgante, tenso...

Como uma decisão precisa ser...

A torcida vascaína, apaixonada.

Os poucos representantes do Coritiba também fizeram sua parte em São Januário...

Gritaram, vibraram...

Ricardo Gomes conseguiu passar ao time carioca a vibração que não conseguiu no Morumbi...

A luta, a aplicação de jogadores veteranos como Felipe foi emocionante...

Correu até perder o fôlego...

O empenho para conseguir a obrigatória vitória em casa desequilibrou o confronto...

Mesmo com mais técnica, o Coritiba foi batido pelo coração vascaíno...

O gol de Alecsandro coroou a entrega carioca...

Justo ele tão vaiado pela própria torcida, decidiu...

E imitou as caretas do pai Lela, ídolo justo do Coritiba...

Nas suas palavras após o jogo, um gosto amargo de ressentimento...

"Pois é, alguns não acreditavam em mim...

Mas eu sei do meu potencial.

Sei o que fiz no Cruzeiro, no Internacional...

Agora estou fazendo pelo Vasco.

Espero que reconheçam.

Gol se faz em jogo importante..."

Aliás, o Vasco parecia um digno representante do bravo futebol gaúcho...

Da famosa malemolência, característica dos times do Rio de Janeiro, não tinha nada...

A vantagem por 1 a 0 é ótima...

Mas não garante o sonhado título da Copa do Brasil...

Pelo contrário.

Será uma guerra ainda maior na próxima quarta-feira para sair vivo do Paraná...

"Há derrotas e há derrotas", foi provocador Marcelo Oliveira...

O treinador sabe que não ficou mesmo nada decidido...

"Nós jogamos com a nossa raça, com vontade de ser campeões.

E teremos ainda mais vontade no Couto Pereira.

Foi só o primeiro tempo deste jogo", prometeu Ricardo Gomes.

E pensar que em 2009, o Vasco estava na Série B....

E em 2010, quem disputava a Segunda Divisão do País era o Coritiba...

A decisão da Copa do Brasil está mais eletrizante do que se poderia imaginar...

E cada vez mais justa....

Coritiba e Vasco. A final merecida, justa da Copa do Brasil. Os dois clubes estão de volta para o futuro…

divulgacao0304 Coritiba e Vasco. A final merecida, justa da Copa do Brasil. Os dois clubes estão de volta para o futuro...
Vasco e Coritiba fazem a final da Copa do Brasil de 2011.

Os dois fizeram ontem por merecer essa inesperada e inédita decisão.

Em plena Ressacada, o time de Ricardo Gomes se impôs.

Aos três minutos, Felipe cobrou falta e Revson desviou de cabeça e marcou contra.

Já havia feito a mesma coisa no Morumbi, a favor do São Paulo.

Um fato inusitado, gols contra nas quartas e semi da Copa do Brasil.

Estranha e terrível coincidência para o Avaí.

O time de Silas precisava apenas do 0 a 0 para ficar com a vaga.

Não teve nem tempo para administrar a vantagem conseguida em São Januário.

Sair na frente era o melhor sonho do experiente time vascaíno.

Em casa, pressionado pela eufórica torcida, o Avaí se expôs.

E deu toda a liberdade para um jogador que parecia ter se esquecido de quem era...

Diego Souza...

Jogou como há dois anos anos não fazia, quando foi escolhido o melhor meia do Brasil...

Atuando pelo Palmeiras no Brasileiro de 2009...

Armou, tabelou, lançou...

E fez o segundo gol em um contragolpe muito bem articulado...

Com muito talento colocou a bola por cima do ótimo goleiro Renan...

O passe de Alecsandro foi fantástico para o gol e precisa ser reverenciado...

Aos 34 minutos, a semifinal estava acabada...

Silas ainda tentou colocar seu time marcando a saída de bola no segundo tempo...

Pressionar ao máximo os cariocas...

Mas mérito de Ricardo Gomes que conseguiu travar o rival na intermediária...

O sistema de marcação esteve muito bom...

Melhor ainda a velocidade nos contra-ataques...

O Vasco ainda teve um gol mal anulado de Alecsandro...

A justiça seria que tivesse vencido por mais gols...

Mas a vitória por 2 a 0 levou o time para a final...

E fez o vascaíno sentir outra vez algo que havia esquecido...

Um orgulho danado do seu time...

Porém a final não será nada fácil...

Os cruzmaltinos terão pela frente o Coritiba...

O caminho à decisão dos paranaenses foi favorecido ontem...

A proposta covarde de jogo de Vagner Mancini acabou sendo um tiro no pé...

O treinador violentou a maneira com que o Ceará estava vencendo na competição...

Descaracterizou o time ao colocar três volantes defensivos...

Geraldo mais atrás, ajudando no combate na intermediária...

Iarley também mais preocupado em marcar a saída de bola...

E Marcelo Nicácio à míngua mais isolado do que o ministro da Casa Civil, Antônio Palocci...

O Coritiba agradecia a falta de ousadia cearense...

Aceitou o convite para jogar rondando a área de Fernando Henrique...

Se não fosse o experiente goleiro e suas excelentes defesas, os cearenses perderiam o rumo de casa...

O domínio do time de Marcelo Oliveira foi total...

A troca de posições, as descidas dos laterais, as tabelas...

Tudo funcionou...

Facilitado, é verdade, pelo enorme espaço que ganhou de Mancini...

O gol da vitória era uma questão de tempo...

E ele veio de forma muito bonita, aos cinco minutos do segundo tempo...

Anderson Aquino dominou a bola e invadiu a área e deu belíssimo chute...

Indefensável para qualquer goleiro...

Perdendo por 1 a 0, Mancini mostrou outra vez sua falta de controle emocional nas decisões...

O Ceará ficou sem seu melhor articulador, armador, Geraldo...

E a bola não tinha como chegar nos atacantes...

O Coritiba agradeceu e tratou de domar o ritmo do jogo...

Atacar e administrar a vantagem...

Não foi perturbado e chegou com toda justiça à decisão...

Desde 1985 não tem a chance de ganhar um título nacional de magnitude...

O Vasco não vence o Brasileiro desde 2000...

E há dez anos não disputa a Libertadores...

A chance está nas mãos de Ricardo Gomes...

Mais do que uma final inédita, será uma decisão justa...

Vasco e Coritiba se superaram e merecem brigar pelo título...

Aos favoritos São Paulo, Flamengo, Palmeiras, Atlético Mineiro, Botafogo...

Só resta ter a dignidade de aplaudir os finalistas...

E lutar até a última gota de suor no Brasileiro e Sul-Americana pela Libertadores...

A Copa do Brasil de 2011 será do Coritiba ou do Vasco...

Será que se Eurico Miranda ainda fosse presidente os dois pênaltis para o Vasco contra o Avaí também não seriam marcados?

divugalcao Será que se Eurico Miranda ainda fosse presidente os dois pênaltis para o Vasco contra o Avaí também não seriam marcados?
Quatro perguntas diretas...

Wilson Luis Seneme não estava enxergando Ramon ontem em São Januário?

Não viu a camisa do atacante ser puxada na área do Avaí?

Muito menos o pênalti escandaloso do Renan no mesmo atacante?

Se o polêmico Eurico Miranda fosse presidente do Vasco...

Esses dois pênaltis não seriam marcados?

Ricardo Gomes. Vasco e Avaí. Jogo fundamental para o treinador mais desacreditado do País…

divulgacao2903 Ricardo Gomes. Vasco e Avaí. Jogo fundamental para o treinador mais desacreditado do País...
O São Paulo causou um enorme trauma na carreira de Ricardo Gomes.

Sua imagem ficou muito desgastada.

Tanto que ele esteve a ponto de pensar que só saindo do País para voltar a trabalhar.

A impressão de treinador inseguro...

Sem liderança, apático...

Ficou difundida no Brasil todo...

Ainda mais porque substituiu Muricy Ramalho...

Educado até demais para um treinador de futebol...

No Morumbi todos estranharam demais suas atitudes...

As conversas com titulares e reservas...

O cuidado para não deixar os atletas deprimidos que não jogavam...

Mas o que causou péssima impressão foi seu comportamento durante os jogos...

Sua aparente omissão, falta de vibração, gritos, palavrões...

Ele aceitava as derrotas de uma maneira impressionante...

E que parecia que contagiava o time...

O São Paulo de Ricardo Gomes foi uma equipe sem vibração...

Que aceitava perder...

Justo ele que, como jogador, foi capitão da Seleção Brasileira...

Foi assim no Brasileiro de 2009, quando o título estava nas mãos do time...

No Paulista de 2010...

E na Libertadores do ano passado...

Quando chegaram as semifinais contra o Inter ele já estava completamente desacreditado...

Ninguém mais o queria perto do Morumbi...

Era só o São Paulo cair diante do Inter...

A primeira partida em Porto Alegre foi a mais acovardada da história do time tricolor...

Cavou de vez a demissão de Ricardo Gomes...

Mas veio a revanche no Morumbi...

E o time vibrou demais...

Foi eliminado, mas saiu aplaudido...

Tudo foi tarde demais...

Juvenal Juvêncio deixou o contrato do treinador acabar e, como era de se esperar, não o renovou...

O treinador que chegou até a sofrer um AVC e voltou a trabalhar antes da liberação médica...

Viu seu esforço não ser recompensado...

Gomes ficou sem trabalho e sem perspectivas...

De agosto de 2010 até fevereio de 2011...

Foram seis meses de desgosto...

De espera pelo telefone tocar...

E ele não tocava...

Até que veio o convite de Roberto Dinamite...

O desacreditado Vasco da Gama precisava de um treinador...

Com nome no mercado e barato...

Foi a chance que Ricardo Gomes agarrou de unhas e dentes...

O sofrido período no São Paulo...

E o mais ainda sem trabalho...

A dor serviu para ensinar ao técnico que o futebol brasileiro precisa de um comandante vibrante...

Ele forçou e mudou o seu estilo blazè que poderia combinar com o futebol francês...

Mas não com o Brasil...

E ele tratou de montar um Vasco lutador, brigador...

Até jogadores técnicos como Felipe tiveram de acordar e lutar pela posse de bola...

Diego Souza também está vendo em São Januário uma fundamental chance na já desacreditada carreira...

Bernardo tenta mostrar o que o Cruzeiro está jogando fora...

Dedé que pode chegar à Seleção...

Éder Luís, que é um incompreendido...

Ricardo Gomes montou um time à sua feição....

O Vasco que entrará em campo hoje contra o Avaí pela semifinal da Copa do Brasil briga pela autoestima...

O time como um todo quer ser reconhecido como grande, poderoso...

Recuperar a aura que já teve...

Assim como o clube...

Depois da sofrida classificação contra o Atlético Paranaense...

O Vasco é a mais tradicional equipe entre as semifinalistas da Copa do Brasil...

Avaí, Ceará, Coritiba não despertariam medo há 30 anos...

Pelo contrário...

Seria impensável...

Mas o mundo e o futebol mudaram demais nesses últimos 30 anos...

O Vasco e Ricardo Gomes sentem isso na pele...

E vão fazer a cruz de malta voltar a mostrar sua força hoje no Rio...

O técnico descobriu que o Brasil não é a França...

E Dinamite que camisa não ganha jogo...

Por isso essa semifinal da Copa do Brasil será especial...

Tanto Ricardo Gomes como o Vasco precisam voltar ao futuro...

E vão precisar sofrer muito...

O Avaí já fez um estrago imenso no São Paulo, o clube que maltratou Ricardo Gomes...

Silas, o treinador adversário, jogou com Gomes na Seleção Brasileira...

E também precisa vencer para voltar a ser um treinador promissor...

Sua passagem por Grêmio e Flamengo o desmoralizaram...

Mas sua situação ainda é muito melhor do que a de Gomes...

Se não será o mais importante jogo no território nacional...

Vasco e Avaí será o mais tenso...

Será uma prova de fogo para o treinador mais desprezado dos últimos tempos no País...

Juninho Pernambucano no Vasco. O raro resgate de um ídolo com caráter para o futebol brasileiro…

AgenciaEstado934 Juninho Pernambucano no Vasco. O raro resgate de um ídolo com caráter para o futebol brasileiro...
Inesquecível aquele sábado na Alemanha...

Comoção entre nós, jornalistas brasileiros, na zona mista do estádio de Frankfurt...

A Seleção havia acabado de ser eliminada da Copa de 2006, diante da França...

Esperamos os jogadores saírem...

Os minutos são de tortura intermináveis...

Os reservas saem antes...

Entre vários que fogem das entrevistas, um resolve enfrentar a imprensa...

Os olhos verdes estão vermelhos por causa do choro...

Me aproximo junto com um batalhão de colegas e consigo pergutar a ele...

"Qual a sensação que você fica em relação à Copa do Mundo, à Seleção Brasileira?"

Ele me encara e responde de maneira direta.

"A de que eu não me encaixo na Seleção Brasileira.

Não concordo com várias coisas que aconteceram por aqui.

Pensei que a Copa do Mundo fosse uma competição disputada de outra forma.

Para mim acabou...

Vou pensar na minha carreira, no meu clube...

Já tenho 31 anos.

Vou tocar a minha vida."

Os jornalistas que estavam comigo na Alemanha se chocaram com a firmeza das palavras.

Ele se referia à esbórnia, a falta de seriedade com que vários jogadores disputaram o Mundial.

Adriano, Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho, Roberto Carlos, Robinho e muitos outros não dispensavam uma balada.

Cansaram de voltar no horário limite das cinco da manhã, 'imposto' por Parreira.

Adriano e Ronaldo estavam bem acima do peso.

Kaká e Ronaldinho Gaúcho atravessavam fase muito fraca.

O 'quadrado mágico' era uma mentira.

E ele treinando melhor do que os quatro...

Sem uma chance real de ganhar uma posição...

Vendo a bagunça...

A falta de comprometimento...

Aguentou calado, respeitou a Seleção...

Para ele, bastou...

Disputou para nunca mais uma Copa do Mundo pelo Brasil...

"Se eu soubesse que não teria chance real de ajudar preferia não ter ido..."

Esse pequeno exemplo mostra quem é Juninho Pernambucano que o Vasco acaba de repatriar...

Ele é a melhor contratação possível para o time...

Aos 36 anos não tem o mesmo vigor físico, a mesma arrancada...

Talvez nem a mesma precisão nas cobranças de falta...

Mas a sua liderança, a visão de jogo, a personalidade será fundamental em São Januário...

O Vasco está precisando de um capitão como ele...

Uma figura capaz de ensinar aos próprios companheiros como a camisa cruzmaltina precisa ser respeitada...

Digno, intelectualizado e firme nas suas decisões, Juninho Pernambucano tinha de voltar ao Vasco...

Brigado com Eurico Miranda, ele se aproveitou da legislação para deixar o clube...

Não foi uma saída pela porta da frente...

Mas ele havia cansado de brigar com o ex-presidente do clube...

Não foi uma briga comum entre capitão e dirigente...

Não reivindicou mais dinheiro de premiação...

Juninho ficou indignado com a queda do alambrado de São Januário na final do João Havelange contra o São Caetano...

Nos microfones questionou a irresponsabilidade da diretoria...

E provocou a ira de Eurico...

Percebendo que não teria paz, aproveitou a mudança da legislação em relação aos direitos do jogador e foi embora...

Foi um dos maiores ídolos no Lyon...

Nos últimos anos passou seu tempo de duas maneiras...

Ganhando muito dinheiro...

E recusando propostas de clubes brasileiros...

Internacional, Santos, Fluminense, Grêmio, Flamengo, Sport...

O São Paulo insistiu tanto quanto o Vasco...

Por quatro anos os dirigentes do Morumbi tentaram o meia...

Mas ele manteve uma ligação de coração com o Vasco...

Ainda mais sem Eurico Miranda...

Ele não conseguiu resistir ao convite de Roberto Dinamite...

O acerto pelo 'salário mínimo' como foi divulgado é pura hipocrisia.

Bobagem para agradar o torcedor.

Juninho Pernambucano não receberá menos de R$ 500 mil...

A direção vascaína está correndo atrás desse dinheiro...

A princípio, o meia quer atuar até o final do Brasileiro deste ano.

E depois virar gerente de futebol vascaíno...

Ou até mesmo presidente do clube que ama...

Mas os planos do Vasco são os de que 'pelo menos' dispute todos os campeonatos até o final de 2012...

Entre em campo o máximo que puder...

É o resgate do grande jogador da conquista da Libertadores de 1998...

O líder na reviravolta incrível na final da Taça Mercosul no Palestra Itália...

Quando o Palmeiras vencia por 3 a 0 no primeiro tempo.

Com direito a abrir champanhe no vestiário durante o intervalo...

E veio o absurdo 4 a 3...

Juninho Pernambucano foi o líder daquele time de Romáro e Juninho Paulista...

Ele fará bem para São Januário..

Para o futebol brasileiro...

Tão órfão de ídolos com caráter..

É a melhor contratação em muitos anos...

As muitas, muitas e muitas promessas de Diego Souza… O jogador que decidiu ser ídolo de todos os clubes do Brasil…

divulgacao0038 As muitas, muitas e muitas promessas de Diego Souza... O jogador que decidiu ser ídolo de todos os clubes do Brasil...
Palavras de Diego Souza ao chegar a três grandes clubes do Brasil.

Desde 2008 até hoje, foram três apresentações...

"Queria agradecer a todos porque a negociação não foi fácil.

Mas prevaleceu a minha vontade.

Disse que gostaria de jogar no Vasco e vou procurar honrar esta camisa e este número.

Tenho contrato longo e desejo um dia me tornar um ídolo aqui em São Januário.

Vou me firmar aqui e logo voltarei para a Seleção Brasileira."

"Eu não esperava uma recepção como aquela no aeroporto.

Mas quando se trata dos torcedores do Atlético Mineiro, sei que é assim mesmo.

Quando eu for entrar em campo aquela recepção vai contar muito.

Meu objetivo é voltar à Seleção Brasileira.

Vou trabalhar muito aqui para chegar à Seleção e disputar a Copa.

Antes quero ser muito feliz no Atlético.

Virar um ídolo do clube e da torcida.

Minha história aqui em Belo Horizonte será linda e muito longa.

Sinto que eu e o Luxemburgo faremos um excelente trabalho."

"Vim para o Palmeiras porque soube dos planos do clube.

Queria muito trabalhar com Vanderlei Luxemburgo.

Tenho certeza de que farei história no Palmeiras.

O time que está sendo montado é para ganhar a Libertadores.

Quero muito ser ídolo desse time.

Tenho certeza que ficarei muito anos por aqui..."

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Quem, além do Vasco, ainda acredita em Diego Souza? E a Traffic paga seus pecados…

agenciaestado94 Quem, além do Vasco, ainda acredita em Diego Souza? E a Traffic paga seus pecados...
A Traffic está pagando seus muitos pecados.

Em dobro.

O motivo da danação se chama Diego Souza.

Jota Hawilla chegou a fazer uma festinha particular ao ser confirmada a contratação do jogador.

Sua empresa gastou R$ 10 milhões ao Benfica.

Ganhou o leilão com o Grêmio e São Paulo.

Tinha certeza do lucro fácil.

O deu nas mãos do seu treinador favorito no clube que diz amar.

E assim chegou Diego Souza ao Palmeiras de Vanderlei Luxemburgo.

Apesar de a equipe ganhar o Paulista, o técnico quis dar mais privilégio ao jogador.

E convenceu o ex-presidente Della Monica a despachar Valdivia.

Só para Diego Souza atuar na faixa do campo onde gosta.

Luxemburgo disse que isso seria suficiente para levá-lo à Seleção Brasileira...

Valorizá-lo para uma venda com enorme lucro para a Europa.

O sonho deu certo por um curto período.

Diego fez um ótimo Brasileiro, só que caiu no final, junto com a equipe.

Mas o Palmeiras se classificou para a Libertadores.

Na competição foi um fracasso.

Luxemburgo foi demitido por querer mandar mais do que Belluzzo.

Muricy Ramalho chegou.

E encontrou uma caricatura de Diego Souza.

O atleta se iludiu que iria para a Copa do Mundo.

Ouviu tanto Luxemburgo que caiu em depressão quando teve só uma real chance com Dunga.

E acabou queimado.

O ex-técnico da Seleção Brasileira o colocou nos primeiros 45 minutos da partida contra a Bolívia, em La Paz.

Ele não foi bem, mas como todo o time.

Só que toda a culpa pelo fraquíssimo futebol acabou com Diego Souza.

As portas para a Copa da África foram fechadas.

Ele percebeu isso e desanimou.

Logo ganhou peso, perdeu a empolgação de jogar no Palmeiras.

Acabou saindo depois de vaiado pela torcida se irritou e teve uma atitude exagerada, infantil.

Mostrou o dedo médio aos palmeirenses em pleno Palestra Itália.

Muitos dirigentes acreditam que a atitude não foi impensada, pelo contrário.

Ele teria criado uma maneira mais fácil de sair do clube.

E foi o que aconteceu.

O Atlético Mineiro de Alexandre Kalil o levou.

Ele caiu de novo no colo de Luxemburgo.

Mesmos planos, mesmas conversas.

Só que o futebol de Diego Souza não foi o mesmo.

O treinador montou uma péssima equipe.

Com jogadores rodados, sem comprometimento com o clube, desgastados, sem velocidade.

Diego Souza conseguiu ficar sempre acima do peso, sem força física para jogar.

Depois de quase rebaixar o Atlético Mineiro, Luxemburgo foi demitido.

Dorival Júnior assumiu a equipe e teve um enorme susto com o jogador.

Desmotivado, pesado, irritadiço, se comportava como se fosse o grande injustiçado do futebol mundial.

Era uma mistura de revolta com depressão.

E péssimo estado físico.

"Eu tenho um plano específico para o Diego Souza.

Ele precisa se recuperar a sua força, sua velocidade para voltar a ser o grande jogador que sempre foi."

Essas foram as palavras de Dorival na entrevista exclusiva que fiz com ele no mês passado.

O treinador tinha esperança de recuperá-lo.

Acontece que Diego Souza não teve paciência.

Se cansou de ficar apenas treinando.

Disse à direção da Traffic que queria ir embora.

Ele já havia recebido desde o início do ano telefonemas de Roberto Dinamite, presidente do Vasco.

As ligações se tornaram mais frequentes com a saída de Carlos Alberto.

O dirigente garantiu que a camisa 10 cruzmaltina esperava por ele.

E ontem à noite, Diego Souza conseguiu o que queria.

Rescindiu seu contrato com o Atlético Mineiro.

Depois de 32 partidas, apenas cinco gols e péssimo futebol...

Ele está livre para recomeçar no Vasco...

Para trabalhar com Ricardo Gomes, que foi seu técnico em 2004 no Fluminense...

A Traffic não pode fazer nada a não ser aceitar os caprichos do jogador...

Aos 25 anos, Diego Souza é visto pelos donos da empresa como o pior investimento já feito no futebol...

Além do dinheiro, foi o atleta que mais deu trabalho, quem mais desgastou Jota Hawilla com o Palmeiras...

Mesmo Alexandre Kalil do Atlético Mineiro se arrependeu demais por ter acreditado em Luxemburgo...

Agora a hora é de Roberto Dinamite...

A sagrada camisa 10 vascaína está esperando pelo problemático jogador...

A honre...

Que justifique a pouca expectativa que ainda consegue gerar...

Tenha mais garra e menos ego...

E salve a carreira daquele que foi o melhor jogador no Brasil em 2009...

Dívida segurou os quatro do Rio ao Clube dos 13…E abre espaço até para conciliação…

divulgacao0084 Dívida segurou os quatro do Rio ao Clube dos 13...E abre espaço até para conciliação...
A polêmica união dos clubes cariocas para a discussão dos direitos de transmissão precisa de intérprete.

Uma explicação sobre o motivo que os fez se juntar e não sair do Clube dos 13.

A resposta é simples, direta.

Vem dos assessores de Fábio Koff.

Eles não se desfiliaram por dinheiro.

Juntos devem mais de R$ 60 milhões à entidade.

Como?

Empréstimos e adiantamento de cotas de televisão.

Se fossem se desfilliar teriam de pagar à vista o que devem.

Então o caminho foi o da esperteza.

Eles inventaram uma licença por conta própria.

Continuam filiados, não pagam o que devem e negociam à parte só o direito dos Brasileiros de 2012, 13, 14.

Koff não está disposto a aceitar a tal licença nada poética.

Para ele ou os clubes pagam e fazem o que quiser da vida...

Ou ficam e participam normalmente das decisões do Clube dos 13...

Isso abre a possibilidade de conciliação...

Koff também quer imediatamente os R$ 25 milhões que o Corinthians deve.

Como Andres anunciou a sua desfiliação, tem de pagar.

O maior aliado de Ricardo Teixeira nesta revolta finge que não é com ele.

E nem ameaça pagar.

O Coritiba já aderiu aos revoltosos.

O Cruzeiro está próximo.

Os presidentes de Santos e Palmeiras mudam de postura de hora em hora.

Juvenal Juvêncio tem, por enquanto, o grande apoio de Inter e Grêmio para tentar manter o Clube dos 13 vivo.

A TV Globo jura que não negociará com o C13 de jeito nenhum.

Mas muita gente importante acredita ser um blefe da emissora carioca.

Continuam as reuniões, telefonemas, promessas e mentiras.

Muitas mentiras...

Os bastidores do futebol brasileiro poucas vezes estiveram tão sujos...

Veja mais:
+
Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Página 1 de 41234