Posts com a tag: Grêmio

Homem algum é mais importante do que o Grêmio. Nem Felipão. Abandonar o time durante a derrota para o Veranópolis foi um ato de desrespeito. Por que não virou as costas para a Seleção nos 7 a 1?

1reproducao15 Homem algum é mais importante do que o Grêmio. Nem Felipão. Abandonar o time durante a derrota para o Veranópolis foi um ato de desrespeito. Por que não virou as costas para a Seleção nos 7 a 1?
Foi um ato de ingratidão. Do mais profundo desrespeito. E que merece ser destacado. Não ficar ofuscado pelo brilho do Carnaval no Brasil. Algo absurdo, amador, triste. Humilhante para jogadores, dirigentes, torcedores. Desrespeito ao clube no mais alto grau. Traição.

Luiz Felipe Scolari foi massacrado pelo vexame da Seleção Brasileira na Copa do Mundo. Cometeu erros primários. Como acreditar que a Seleção já era hexacampeã sem mesmo entrar em campo. Acreditou ingenuamente que a conquista da Copa das Confederações era a garantia do título. Ele e Parreira não avaliaram a decadência da Espanha, do Uruguai, a fragilidade da Itália, que fracassaram na competição. Nem pensaram em outros esquemas táticas, nem aventaram a possibilidade de um plano B, jogar sem Neymar. Abriram a Granja Comary para a farra de Mumuzinho, Luciano Huck, para as notícias exclusivas do Jornal Nacional.

Mesmo depois do 7 a 1 para a Alemanha, a pior derrota brasileira de todos os tempos, e da perda do quarto lugar, depois da vitória da Holanda por 3 a 0, Felipão acreditava que continuaria comandando o futebol deste país. Marin e Marco Polo, que tanto o abraçaram, o trataram como se estivesse com uma doença contagiosa. E trataram de despachá-lo sem piedade. Ele que arcasse pelo resto da vida por suas péssimas escolhas.

Massacrado, só um clube do país o acolheu de braços abertos. O Grêmio de Fabio Koff. Era o que precisava. Ser valorizado no pior momento não só de sua carreira, mas de sua vida. Chegava ao clube se recusando a falar de Seleção Brasileira, de Copa do Mundo. Só o preocupava a reestruturação do time que jura ser do seu coração.

Koff avisou que o Grêmio caiu em uma arapuca financeira em relação ao novo estádio. Iria passar por dificuldades financeiras terríveis nos próximos anos. A prioridade: arrumar dinheiro para se livrar das dívidas, dos juros da arena. Seria um período de sacrifício. De folha salarial baixa, de time sem estrelas, jogadores jovens, inexperientes, mesclados com atletas longe do auge da carreira, com salários baixos. Felipão serviria como escudo do time.

Tanto Felipão aceitou as condições que fez campanha para o candidato da situação, de Fabio Koff. O eleito, Romildo Bolzan, assumiu e avisou que precisaria baixar a folha salarial do elenco para R$ 5 milhões. Eram R$ 2 milhões a menos do que em 2014.

O Grêmio no Brasileiro passado se desdobrou e quase conseguiu a classificação para a Libertadores. Escorregou pelos dedos. O que deu mais força a Romildo a economizar. E sem dó, liberou ou negociou jogadores importantíssimos. Barcos, Marcelo Moreno, Pará, Bressan, Saimon, Werley, Zé Roberto, Breno, Riveros, Fernandinho, Dudu, Alan Ruiz e Maxi Rodríguez.

1agenciapressdigital Homem algum é mais importante do que o Grêmio. Nem Felipão. Abandonar o time durante a derrota para o Veranópolis foi um ato de desrespeito. Por que não virou as costas para a Seleção nos 7 a 1?

E foram contratados atletas cinco atletas de potencial muito baixo ou em decadência. Marcelo Oliveira, Erazo, Galhardo e Douglas. Escolhas de Felipão. O técnico não aceita trabalhar com Kléber Gladiador, Edinho e Adriano. Jogadores que treinam em separado.

A mistura de jovens jogadores com atletas ruins não poderia dar grande coisa. Como diretoria e os próprios torcedores esperavam. Mas apostavam todas suas fichas no carisma, na experiência, na vivência de Scolari. Treinador com 33 anos de experiência.

Foi assim que começou o Campeonato Gaúcho. 16 equipes jogando em turno único. Classificação para a fase final, dos mata-matas das oito primeiras. Na primeira partida do Grêmio, vitória diante da União Frederiquense por 3 a 0. Mas logo no segundo confronto, a derrota para o Aimoré por 2 a 1. Felipão já reclamava do time.

Veio a terceira rodada. Vitória por 3 a 1 diante do Avenida. No quarto jogo, outro fracasso. 1 a O para o Brasil de Pelotas. Scolari esbravejando contra tudo e contra todos. Como se não soubesse o que o aguardava.

Mas o pior estava reservado para o sábado. Em plena arena do Grêmio. Jogo contra o limitado, em todos os aspectos, Veranópolis. Obrigação de vitória gremista. Mais de nove mil torcedores foram ao estádio para apoiar o time de Felipão.

Marcelo Grohe, Matías Rodrigues, Erazo, Rhodolfo e Júnior (Galhardo); Marcelo Oliveira, Felipe Bastos, Luan, Everton (Pedro Rocha) e Douglas; Lucas Coelho (Lincoln).

Esse foi o time que Scolari colocou em campo. Outra vez o Grêmio jogou mal demais. David Dener marcou para o time do interior gaúcho aos 21 do segundo tempo.

A torcida vaiava, xingava os jogadores, Felipão. Acabava a paciência. Foi quando, aos 41 minutos, faltando quatro para acabar a partida, Luiz Felipe Scolari levantou do banco de reservas. E simplesmente foi para o vestiário tomar banho. Virou as costas para o time, torcida, jogadores que escolheu, diretoria. Um ato inaceitável. Descabido para o comandante de qualquer equipe no mundo.

"Me expulsei. Mais vergonha do que isso, impossível passar. A equipe não apresenta nada daquilo que a gente faz no treinamento. Não adianta ficar enganando a torcida do Grêmio. Não tinha mais o que fazer, fui embora para o vestiário. Acabou o assunto. Não criamos nada, os adversários vêm aqui e tomam conta do jogo. Não aproximamos. Faltava 3 ou 4 minutos e fui embora. Para não tomar uma atitude errada e esfriar a cabeça."

2reproducao6 Homem algum é mais importante do que o Grêmio. Nem Felipão. Abandonar o time durante a derrota para o Veranópolis foi um ato de desrespeito. Por que não virou as costas para a Seleção nos 7 a 1?

Por maior descontrole emocional que tivesse sentido, Felipão é o único brasileiro da face da Terra que não poderia usar essa desculpa. Como assim, 'mais vergonha do que isso, impossível passar'? E os 7 a 1 da Alemanha? Por que ele não teve coragem de levantar do banco de reservas do Mineirão e ir embora?

A atitude de Felipão só expôs seus jogadores para o massacre dos torcedores, da imprensa. Agiu como se não tivesse qualquer responsabilidade sobre o que acontecia. Era culpa 'deles'. Não de Scolari.

"Não tive a oportunidade de conversar com o Felipão. Acho que nem era hora. Acho que ele ficou de cabeça quente. Todos nós queremos um resultado melhor. Compreendo sua reação. Acredito que poderia ser um pouco melhor elaborada, mas ele é um homem sanguíneo, com um comprometimento com o clube. Não farei uma situação desintegradora."

Essa foi a postura de Romildo Bolzan. Omissão cristalina. O presidente do Grêmio não pode admitir que ninguém se coloque como mais importante que o clube. Abandonar o banco de reservas com tempo ainda para tentar evitar mais uma derrota gremista foi um ato de traição ao clube. Aos princípios básicos de um técnico, de um comandante.

3reproducao1 Homem algum é mais importante do que o Grêmio. Nem Felipão. Abandonar o time durante a derrota para o Veranópolis foi um ato de desrespeito. Por que não virou as costas para a Seleção nos 7 a 1?

Felipão tem uma carreira fantástica. Fez o Brasil pentacampeão mundial. Levou Portugal ao vice campeonato europeu, à quarta colocação em uma Copa do Mundo. Comandou o Chelsea. É Cavalheiro Nacional da Ordem do Mérito pelo governo Brasileiro. É cavalheiro da Ordem do Infante Dom Henrique por Portugal.

Conseguiu vencer na profissão, na vida. É milionário. Aos 66 anos, não precisa estar mais trabalhando no futebol. Se está, precisa respeitar sua trajetória. O clube que diz amar. O Grêmio lhe proporcionou a chance de ter alcançado todo esse prestígio. Por mais fraco time que esteja em campo, não merece ser abandonado por seu líder.

Felipão que faça um balanço honesto das verdadeiras condições do Grêmio. Caso considere que o time é fraco demais para um técnico com seu currículo, que vá embora de vez. Não submeta um clube de tantas tradições, campeão mundial, da Libertadores, com uma torcida apaixonada, a humilhações como a de sábado.

Inaceitável sua atitude. Pior, só a postura da direção, do presidente Romildo que aceitou tamanho desrespeito. Ninguém é maior do que o Grêmio. Nem mesmo o cidadão Luiz Felipe Scolari, que só tem o currículo maravilhoso graças ao preto, azul e branco. Não cabe tanta ingratidão...
5reprodução Homem algum é mais importante do que o Grêmio. Nem Felipão. Abandonar o time durante a derrota para o Veranópolis foi um ato de desrespeito. Por que não virou as costas para a Seleção nos 7 a 1?

Exclusivo. Empresário e Grêmio travam batalha jurídica por 50% de Luan. O jogador de 21 anos que o Valencia está disposto a pagar R$ 32 milhões…

luan Exclusivo. Empresário e Grêmio travam batalha jurídica por 50% de Luan. O jogador de 21 anos que o Valencia está disposto a pagar R$ 32 milhões...

"O Grêmio não pode vender o que não lhe pertence. Tenho 50% dos direitos do Luan. Tenho o contrato registrado. Estou tentando avisar a direção do clube gaúcho desde o meio do ano passado. Mas ninguém me dá atenção. Acreditam que podem pisar em mim. Mas essa gente está muito enganada. A Justiça está do meu lado e posso provar.

"Tenho os contratos assinados do Luan, do Guilherme e do Karon. Além da direção da Catanduvense. Tudo registrado. Soube que o Valencia está tentando comprar o Luan. É bom os espanhóis ficarem sabendo que terão problema na Justiça se efetivarem a compra. E mais. O Grêmio não poderia ter adquirido o Luan sem eu ter sido consultado.

Porque além de comprar 50% desses jogadores, tenho a prioridade para comprar os demais 50%. Tudo por escrito. Não sou uma pessoa despreparada. Vou até as últimas consequências para conseguir o que é meu por direito. Queria deixar a imprensa fora disso, mas agora chega! Tenho de tornar público o que estão fazendo comigo."

O desabafo feito por exclusividade ao blog foi feito pelo empresário Luis Alfredo Mariano. A história é emblemática. E acaba com o glamour de muitas negociações feitas no país. Mariano foi dono de uma fábrica de papelão por décadas. Teve uma grande oferta para vendê-la. Aceitou. Resolveu trabalhar como empreiteiro, construindo e vendendo casas.

Ele foi procurado por pessoas ligadas à Catanduvense. Elas garantiram que havia a possibilidade de ganhar muito dinheiro com três destaques do time juniores. O clube interiorano os havia emprestado para disputar a Copa São Paulo de 2013 pelo América de São José do Rio Preto.

Contrato Catanduva Marianos e atletas 0042 e1420569148745 Exclusivo. Empresário e Grêmio travam batalha jurídica por 50% de Luan. O jogador de 21 anos que o Valencia está disposto a pagar R$ 32 milhões...

Luan, Kerlon e Guilherme Rato chamaram a atenção de alguns empresários. A hora era essa para Mariano. "Eu via tanta gente ganhando dinheiro com futebol que resolvi investi. Comprei 50% dos três. Paguei R$ 200 mil por metade dos direitos do Luan, R$ 200 mil pelo Guilherme e mais R$ 150 mil para o Kerlon. A Catanduvense estava muito mal financeiramente. O presidente me agradeceu muito e me felicitou, dizendo que tinha feito um ótimo negócio", relembra o empresário.

Foi quando surgiu a oportunidade. "O presidente da Catanduvense me procurou no meio do ano passado dizendo que o Grêmio queria levar os três. Veio me avisar e pedir a minha permissão. Fiquei entusiasmado. A chance para os meninos aparecer para o Brasil e para o Exterior. Era o retorno do meu investimento."

Mas veio a surpresa para Mariano. Houve uma troca na direção da Catanduvense. De acordo com o empresário, o novo presidente não considerou o contrato da venda de 50% do trio. E vendeu 100% dos direitos dos garotos ao clube gaúcho. Ele não foi nem avisado.

Contrato Catanduva Marianos e atletas 001 e1420563735960 Exclusivo. Empresário e Grêmio travam batalha jurídica por 50% de Luan. O jogador de 21 anos que o Valencia está disposto a pagar R$ 32 milhões...

"Olha, já vi gente safada. Mas no futebol é demais. Acreditaram que eu ficaria quieto. Aceitaria me passarem para trás. De jeito algum. Foi quando entrei na Justiça. Tenho direito a 50% do Luan e dois outros dois. Não abro mão de jeito nenhum. Fui decente, procurei a direção do Grêmio. Expliquei que não há como vender algo que não te pertence. Se eles foram enganados, o problema não é meu. Não vou abrir mão do que comprei."

Mariano procurou o escritório de Gislaine Nunes. Ela tem no currículo a liberação de Ronaldinho Gaúcho do Flamengo, Juninho Pernambucano do Vasco, Luizão do Corinthians, perdão da dívida de Marcelinho Carioca do Corinthians. O escritório assumiu a causa. E o grupo de advogados que trabalham com Gislaine tem a certeza que o Grêmio terá de dividir o que lucrar com Luan.

"Os documentos que o senhor Mariano possui são legais. Não há como desprezá-los. Qualquer transação que o Grêmio fizer envolvendo os três atletas, ele tem direito de 50%. E mais. A Catanduvense não teria como vender os 100% do trio ao clube gaúcho. Isso provamos na Justiça, sem problema algum", assegura a advogada Clara Gaudino.

Ela fez um resumo jurídico, sob o ponto de vista do escritório, da transação.

"Em 06/02/2013, o clube Grêmio Catanduvense de Futebol, a empresa Marianos empreendimentos (nossa cliente) e os atletas Luan Guilherme de Jesus Vieira, Kairon Rodrigo dos Santos Assumpção e Guilherme da Silva Amorim Marcondes, firmaram contrato pelo qual o clube de Catanduva vendeu à empresa Marianos 50% (cinquenta por cento) dos direitos econômicos de cada um dos jogadores em questão; sendo que no mesmo contrato ficou estipulado o direito de preferência de compra dos outros 50% de cada atleta, ou seja, no caso de haver a intenção do Catanduvense vender os direitos econômicos à terceiros, era obrigação do mesmo, por previsão contratual, dar a preferência expressa à empresa Marianos para que a mesma pudesse exercer a preferência na compra dos direitos econômicos restantes.

Todos os atletas concordaram com a negociação e venda dos direitos econômicos, tendo, assinado os respectivos contratos.

No mês seguinte, ou seja, em 01/03/2013, o Catanduva emprestou os atletas ao Grêmio (cessão temporária e gratuita), com a intenção de colocá-los em um vitrine do futebol, buscando alavancar a carreira dos jogadores. Até aí tudo bem, pois como se sabe é interessante para o clube, empresário e atleta que o jogador esteja em um clube de renome para que as oportunidades de crescimento profissional de multipliquem meteoricamente.

Contrato Catanduva Marianos e atletas 011 e1420563952543 Exclusivo. Empresário e Grêmio travam batalha jurídica por 50% de Luan. O jogador de 21 anos que o Valencia está disposto a pagar R$ 32 milhões...

Porém, esse empréstimo, diga-se, feito entre os clubes, sem a ciência da empresa Marianos Empreendimentos, ignorou totalmente o contrato havido entre o clube de Catanduva e a Empresa Marianos, violando direitos já estabelecidos no contrato, pois como se vê do contrato de empréstimo, inicialmente temporário, a empresa Marianos já era dona de 50% dos direitos econômicos de cada um dos atletas, incluindo-se o Luan, além de ter no contrato a preferência para comprar os 50% restantes.

1reproducaogremio Exclusivo. Empresário e Grêmio travam batalha jurídica por 50% de Luan. O jogador de 21 anos que o Valencia está disposto a pagar R$ 32 milhões...

Tudo isso foi ignorado pelos clubes, o Catanduvense ardilosamente “revendeu” os direitos que já tinha vendido à empresa Marianos, além de ter cedido ao Grêmio de Porto alegre 10% como taxa de vitrine. O contrato assinado pelo Catanduvense, a empresa Marianos Empreendimentos e com ciência dos atletas, foi totalmente desconsiderado pelos clubes, no processo, a empresa provará que o Grêmio de Porto Alegre tinha ciência das negociações passadas... Mas preferiu descartar a empresa para ficar sozinha com os direitos econômicos dos atletas.

Para isso, 19/09/2013, o Catanduva “vendeu” os atletas ao Grêmio Porto Alegrense (cessão definitiva e onerosa dos direitos econômicos ), "revendendo" os direitos econômicos que já pertenciam à empresa Marianos, sem sequer dar ao mesmo o direito contratual de compra do percentual restante, como está ajustado no contrato.

Diante disso, a empresa procurou o escritório, que ajuizou duas ações, a primeira denominada como ação ordinária onde se busca a nulidade do contrato entre os clubes, pois que é, a nosso ver, simulado e portanto, juridicamente nulo; bem como para restabelecer os direitos assegurados no contrato em favor da empresa Marianos.

Na outra ação, cautelar, buscou-se do Poder Judiciário, fossem protegidos os direitos da empresa pedindo ao juiz que fosse condicionada qualquer transferência dos atletas, nacional ou internacional, ao depósito em juízo de 50% do valor da venda ou empréstimo oneroso de quaisquer dos jogadores.

A MM. Juíza da 2ª Vara Cível de Catanduva, a Dra. Maria Clara Schmidt de Freitas, entendeu perfeitamente cabível tal pedido e condicionou a transferência de quaisquer dos atletas ao deposito de 50% do valor negociado em juízo; o que ao contrário do que alega o Grêmio de Porto Alegre não viola o direito ao exercício da profissão dos atletas, mas tão somente, protege a empresa de levar o calote que já é bem conhecido para os investidores que apostam suas fichas no futebol e que, algumas vezes são passados para trás.

O Grêmio, recorreu da decisão da MM. Juíza (agravo de instrumento), tendo o Tribunal de Justiça de São Paulo – TJ/SP, revogado a decisão sob o fundamento de que a empresa não pode, nesse momento, bloquear valores de eventuais negociações, pois, a questão da titularidade dos direitos econômicos (quem é o dono ou não) pende ainda de decisão judicial, tornando sem efeito a decisão da MM. Juíza de 1ª instância.

A empresa recorreu da decisão do Tribunal, que foi mantida sob o mesmo fundamento. Porém, diante da iminente “venda” de um dos atletas dos quais a empresa é contratualmente, dona dos direitos econômicos – Luan, os advogados estudam acionar mais uma vez o Poder Judiciário para a proteção dos direitos da empresa, pois, o que era só um risco de lesão à direitos, já está sendo publicamente concretizando-se em danos.

O contrato entre o Catanduvense e a empresa existiu, os atletas assinaram o contrato como anuentes (concordando); os direito econômicos já eram da empresa Marianos Empreendimentos; os clubes não podem rasgar um contrato para se beneficiarem de sua própria torpeza (má-fé); os caminhos processuais necessários na ação principal são lentos e o Poder Judiciário não pode admitir ou se furtar de proteger a parte autora do eminentíssimo risco de lesão; trata-se de mandamento constitucional.

De alguma forma, o reconhecimento judicial do contrato, restabelecendo os direitos da empresa Marianos nos fará mover todas as medidas para receber o que de direito em favor da empresa; sem exclusão da possibilidade de bloqueio judicial de valores e bens do clube ou dos clubes; até que os direitos da empresa Marianos sejam garantidos."

O blog entrou em contato com o departamento jurídico do Grêmio. O advogado Gabriel Vieira foi veemente.

"Esse pessoa nos procurou e nos ameaçou. Dizia que tinha parte do Luan e dos outros jogadores que vieram da Catanduvense. Respondemos que não temos nada a ver com essa questão. Nós compramos os atletas de um clube. Se este clube não honra os acordos com seus investidores, a questão não é nossa.

Já ganhamos o primeiro julgamento em São Paulo. E ganharemos quantos aparecerem. Por questões dessa natureza que a Fifa mudou a legislação a partir de janeiro deste ano. Não permite mais a participação de agentes nos direitos dos atletas. Repito. O Grêmio está tranquilo em relação ao Luan e os outros jogadores que vieram da Catanduvense."

Mas Mariano garante que vai continuar na sua luta. Quer fazer valer o acordo que, no seu ponto de vista, garante 50% de Karon, Guilherme. E, principalmente, do valorizado, Luan...

Contrato Catanduva Marianos e atletas 002 e1420563752565 Exclusivo. Empresário e Grêmio travam batalha jurídica por 50% de Luan. O jogador de 21 anos que o Valencia está disposto a pagar R$ 32 milhões...

Gilberto Silva terá de mostrar no Grêmio que não esqueceu seu futebol em 2002, com Luiz Felipe Scolari…

reuters839 Gilberto Silva terá de mostrar no Grêmio que não esqueceu seu futebol em 2002, com Luiz Felipe Scolari...
O Grêmio confirmou hoje a contratação de Gilberto Silva...

Volante pentacampeão do mundo...

Foi um pedido específico de Renato Gaúcho...

O treinador diz, com razão que seu time tem muitos jogadores jovens...

E não fala em voz alta que são limitados...

Com a eliminação deprimente da Libertadores...

Mais a perda do Campeonato Gaúcho...

Junto com a pressão da torcida...

A direção gremista foi às compras...

O retorno de Gilberto Silva remete à Copa do Mundo da África...

Um dos jogadores mais questionados na Seleção de Dunga...

Atleta que se limita a roubar a bola e dar passe curto, de um ou dois metros...

Os treinadores o adoram...

Porque antes de tudo é um líder positivo...

Primeiro a chegar nos treinamentos e último a ir embora...

Com muita discrição, conversa horas e horas com todos os jogadores do time que atua...

Anima, orienta, empolga, explica o que o técnico quer em campo...

É bem mais do que um mero auxiliar...

Gilberto Silva não aparenta os 34 anos que tem...

De tanto treinar parece um garoto...

Só parece...

Só que, infelizmente, não é o volante ágil, esperto nos botes...

Com a antevisão espantosa de nove anos atrás...

No auge da sua carreira, na Copa de 2002...

Luiz Felipe Scolari tirou dele tudo de bom que poderia...

E mais alguma coisa que nem o jogador sabia que tinha...

Depois do pentacampeonato, nunca mais foi tão eficiente...

Agora caberá a Renato Gaúcho fazer Gilberto Silva sair da área de conforto...

Na Grécia, no Panathinaikos, ele se restringia a próximo da área protegendo os zagueiros...

Isso é pouco para o atual Grêmio que está sendo remodelado...

Que já fechou com Miralles e está pertinho de Marquinhos...

Gabriel já voltou...

Com a fratura de perna de Rodolfo, Renato quer mais um zagueiro...

E ainda outro atacante...

A diretoria do Grêmio sonha com a Libertadores de 2012...

E Renato Gaúcho é mais humilde...

Só deseja não ter de ir embora do clube que mais ama...

Alguns gremistas chamaram Zé Roberto de macaco no Grenal. Mas e daí, para que levar a sério? Ele mesmo já ‘deixou para lá’…

divulgacao2404 Alguns gremistas chamaram Zé Roberto de macaco no Grenal. Mas e daí, para que levar a sério? Ele mesmo já deixou para lá...
Outra vez um jogador no Brasil é hostilizado pela cor de sua pele.

Zé Roberto denunciou que parte da torcida gremista o xingou de macaco...

E fez gestos imitando o animal...

Basta ele pegar na bola na lateral do campo e lá vinham as ofensas...

Era final do Campeonato Gaúcho...

A decisão mais empolgante do País...

Renato Gaúcho de um lado...

Falcão de outro...

As ofensas iriam passar e ninguém iria comentar se não fosse o destino...

Na decisão por pênaltis coube a Zé Roberto decidir o título...

Cobrou e marcou...

Só nas entrevistas ele resolveu revelar a humilhação que passou...

Disse que já viveu essa triste situação fora do Brasil...

Aqui,não...

Classificou de asqueroso...

Mas como muitos outros jogadores, vai deixar por isso mesmo...

Grafite, Manoel e tantos outros tomaram o mesmo rumo...

O Internacional também não vai se envolver...

Comprar uma briga com a torcida do maior rival não vai acabar nunca...

A CBF fez a mesma coisa quando a torcida peruana fez o mesmo com Diego Maurício na seleção sub-20...

Roberto Carlos não quis levar adiante a banana que o torcedor russo queria lhe entregar...

Como se fosse um macaco...

E assim vamos levando a vida...

Como se tudo fosse normal...

E o futebol vai fazendo sua importante contribuição social...

Divulga o preconceito...

E até pior: o incentivo à omissão...

A covardia das autoridades...

Dos dirigentes...

Dos jogadores...

A lição, o exemplo que fica para os jovens torcedores que fazem sua avalanche no Olímpico...

Por que não seguir os estúpidos que chamam jogadores negros rivais de macacos?

Não acontece nada...

Mais uma vitória da impunidade...

Desta vez na rica e desenvolvida Porto Alegre...

E assim a vida segue...

No Brasil, o país onde não existe preconceito racial...

Então, tá...

O futebol está mostrando a maior ídolo da história do Inter. Não há mais lugar para a utopia, Paulo Roberto Falcão…

divulgacao2974 O futebol está mostrando a maior ídolo da história do Inter. Não há mais lugar para a utopia, Paulo Roberto Falcão...
Rivellino quase foi apedrejado quando resolveu ser diretor de futebol do Corinthians.

Hugo de Leon saiu pelas portas do fundo do Olímpico quando foi treinador do Grêmio.

Assim como Toninho Cerezo no Atlético Mineiro...

"Nunca serei técnico do Flamengo.

Tive mais de dez convites.

Mas não suportaria a torcida que me idolatrou me chamando de 'burro'.

Prefiro ser ídolo por toda a vida na história do clube que eu amo."

As declarações são de Zico.

Renato Gaúcho aceitou o desafio e foi para o Grêmio.

Foi tratado como um rei pela torcida.

Isso estimulou os dirigentes do Inter a apostar em Falcão.

O comentarista já queria voltar a ser técnico há pelo menos dois anos.

Comprou a briga.

Mesmo lembrando que não foi bem na sua primeira passagem como treinador no Beira Rio em 1993.

Agora sua chegada foi celebrada como a salvação colorada.

Seria a antítese do pragmatismo modorrente de Celso Roth.

O Inter teria um elenco para dar espetáculos.

E não ficar rastejando entre 0 a 0 e vitórias magras, esqueléticas, por 1 a 0...

Seria a chegada de um DJ, de um MC...

Falcão iria animar as tardes e noites do Beira Rio...

Transformar os jogos em festas, em celebrações...

Assumiu em plena Libertadores...

Confiança total na sua filosofia ofensiva.

Ter no Barcelona um espelho...

Tudo lindo na teoria, no mundo de Alice...

Aí chegou a realidade...

Um time sem poder de marcação no meio de campo...

Aberto é tudo o que treinadores atuais adoram enfrentar...

Foi assim que o Peñarol conseguiu se classificar em plena Porto Alegre...

E que o Grêmio de Renato Gaúcho não teve dificuldade em vencer ontem...

O Beira Rio virou sala de tortura para a torcida colorada...

Em duas partidas decisivas marcou três gols...

Mas tomou nada menos do que cinco gols...

É muito...

Os gols que vem tomando são infantis...

Ridículos...

O Inter foi eliminado da Libertadores...

E agora precisa vencer o Grêmio por dois gols de vantagem no Olímpico para ser campeão...

Está em uma situação delicadíssima...

A torcida está mais do que desconfiada...

Começa a ficar desiludida...

No futebol atual tudo está muito rápido...

Os dirigentes estão dando todo o apoio ao maior ídolo da história colorada.

Mas já há os que começam a questionar a escolha...

Falcão estava sem treinar um time desde 1995...

Foram 16 anos só comentando, cobrando de longe...

Está certo que pegou só partidas importantes...

Primeiro para classificar o Inter para o mata-mata da Libertadores...

Depois para a final do Gaúcho...

Classificou.

Mas já caiu na competição sul-americana...

E está com um pé no precipício no Campeonato Gaúcho...

Trombou de frente com Renato, que não tem a menor vergonha de colocar seu time para jogar feio...

Dar bicões, fazer faltas, matar o jogo...

Filosofia contrária ao já questionado ídolo colorado.

As cabeças de Bolivar, Rafael Sóbis e Renan estão para ser oferecidas em praça pública...

Para o Grenal decisivo de domingo, o trio pode estar fora...

E D'Alessandro passará por um tratamento de choque para acordar...

É uma maneira de proteger o treinador...

Mesmo se o pior acontecer, Falcão terá o Campeonato Brasileiro...

Pelo menos o início dele...

Paulo Roberto quis correr o risco...

E está pagando o preço...

As primeiras tímidas vaias a ele já surgiram no final do jogo de ontem...

Ser o maior ídolo da história de um clube é maravilhoso...

Mas não garante imunidade nenhuma quando o ex-jogador resolve ser treinador...

"Ter sido técnico foi a pior escolha que fiz na minha vida."

Johan Cruiff, treinador da Catalunha, região que sonha em se tornar independente da Espanha...

E que joga em média uma vez por ano...

Talvez seja o tempo ideal para grandes craques talentosos preparar a equipe dos seus sonhos...

E abusar da utopia...

De um time que não se humilha marcando, dando pontapés em ninguém.

Que não funciona na Libertadores, no Campeonato Gaúcho, na vida...

O Grêmio não suportou três meses de Carlos Alberto. O Vasco não o quer de volta. Quem ainda acredita nele?

divulgacao3987 O Grêmio não suportou três meses de Carlos Alberto. O Vasco não o quer de volta. Quem ainda acredita nele?
No Corinthians a sua contratação estourou como uma bomba...

Kia Joorabchian e sua tenebrosa MSI haviam contratado o melhor brasileiro atuando na Europa.

O de melhor fase.

Ele voltaria ao Brasil para se valorizar.

Carlos Alberto.

Campeão mundial pelo Porto de José Mourinho.

E da Champions League.

Tem as duas taças tatuadas nas costas.

E mais a singela mensagem:

"Muitos querem, poucos conseguem".

Ele mesmo se apresenta como um incrível vencedor...

Como alguém para ser admirado...

Idolatrado...

Seria o meia ideal para Carlitos Tevez.

O arco para a fecha argentina.

Desde que chegou ao Parque São Jorge seu comportamento foi estranho.

Não era, mas se comportava como se fosse a grande estrela da companhia.

Não gostava de ficar à sombra de Tevez.

Logo a expectativa que o precedeu se transformou em decepção.

Não era o grande craque que assessores da MSI gostavam de espalhar.

Muito pelo contrário.

E para piorar as coisas, seu comportamento começou a irritar os treinadores.

Atrasos, discussões.

Tudo ficou pior quando começou a engordar.

Os preparadores físicos pediam compaixão aos repórteres.

Ele havia perdido um grande amor e descontava a ansiedade comendo sanduíches.

Perdeu a posição de titular.

Se tornou cada vez mais agressivo.

Trocou socos, pontapés e cusparadas com Tevez.

Quase agrediu o então técnico Leão ao ser substituído em uma partida contra o Lanús.

Com a Polícia Federal ameaçando a MSI ele acabou sendo emprestado ao Fluminense, clube onde nasceu.

De lá, acabou vendido para o Werder Bremen.

Foi um fracasso.

Não conseguiu jogar.

Para não perder todo o dinheiro, os alemães resolveram emprestar o brasileiro.

Ao clube que aparecesse.

Foi para o São Paulo.

Não conseguia entrar em forma e não parava de criar confusões.

Foi dispensado após uma briga.

O Bremen não o quis de volta.

E o emprestou desta vez ao Botafogo.

Estava bem, mas o clube não lhe pagou.

Foi à justiça e abandonou a equipe.

Acabou emprestado ao Vasco.

Em 2008 era o seu terceiro clube.

Foi um dos jogadores mais importantes na volta do clube para a Série A, em 2009.

Seu problema crônico de peso era um tormento para os preparadores físicos.

E também sua falta de controle emocional.

O que provocou recordes de cartões amarelos e vermelhos.

Acabou discutindo com o presidente do Vasco, Roberto Dinamite no início deste ano.

E foi emprestado ao Grêmio.

Em Porto Alegre prometeu ser um novo jogador.

Seria o grande líder de Renato Gaúcho.

Seu futebol foi fraquíssimo.

Era nítida a sua dificuldade em entrar em forma.

Estava sempre pesado e irritado.

Apesar de Renato fazer tudo para defender o meia, acabou por colocá-lo na reserva.

Não havia jeito.

Estava prejudicando o time.

Alegando problemas particulares no Rio, largou o Grêmio por uma semana.

Os dirigentes ficaram irritadíssimos.

Expôs Renato Gaúcho para a exigente imprensa de Porto Alegre.

Abandonou coletivas para não brigar com jornalista.

Seu ambiente era péssimo.

Nos vôos do time se recusava a apertar o cinto de segurança e discutia com aeromoças.

Chegou a quebrar uma janela irritado após uma partida que jogou mal.

Contra o Universidad Catolica entrou em campo como solução do banco de reservas.

Não conseguiu produzir nada de bom.

Parecia um ex-jogador.

Fora de ritmo, sem força muscular.

E adquiriu a mania de arrumar inimigos no twitter.

Ficava ironizando torcedores, escrevendo bobagens.

O ponto final seria a irritação da direção ao saber que ele arrumou confusão na terça-feira.

No hotel onde o Grêmio estava concentrado.

Às seis da manhã teria resolvido tomar um banho de piscina.

E acabou por perturbar hóspedes que dormiam, que se queixaram à recepção do hotel.

Foi repreendido por um segurança e arrumou uma grande confusão.

Não completou sequer três meses no Grêmio.

Jogou 12 jogos e marcou apenas um gol.

A direção do Vasco não quer aceitá-lo de volta.

Prefere reemprestá-lo para quem aparecer.

Só que não há interessados.

Ele recebe um bom salário por contrato.

Carlos Alberto tem apenas 26 anos.

Quando José Mourinho esteve no Brasil em 2009, estranhou,.

Não entendia o porquê de Carlos Alberto não ter se transformado em um jogador de nível internacional.

Se ele morasse aqui, talvez entendesse...

Carlos Alberto e Borges. Como o Grêmio foi colocar seu futuro na Libertadores nas mãos dos dois?

divulgacao2399 Carlos Alberto e Borges. Como o Grêmio foi colocar seu futuro na Libertadores nas mãos dos dois?
Carlos Alberto e Borges.

Como é que o Grêmio foi colocar toda a sua esperança na Libertadores nesta dupla?

Lógico que Renato Gaúcho tem muita responsabilidade na derrota contra o Universidad Catolica.

Em casa, o tricolor parecia um grupo de soldados da Revolução Farroupilha...

Com raiva de tudo e de todos.

Mas sem consciência nenhuma.

O time se deixou levar pelo nervosismo, pelos gritos da torcida no Olímpico.

Tomou dois gols de contragolpes previsíveis, com o time aberto, sem proteção...

E também é verdade que o árbitro argentino Nestor Pitana foi péssimo...

Inseguro, deveria ter expulsado pelo menos dois chilenos...

Mas pior do que tudo só Borges e Carlos Alberto.

Em um jogo tão importante, logo na abertura das oitavas-de-final da Libertadores.

Na primeira partida, em casa, foi imperdoável a expulsão de Borges.

Desde os tempos dos coletivos no São Paulo ele tinha a fama de irritado.

E lógico que seria provocado hoje.

Caiu como um juvenil.

Acertou uma cotovelada no seu marcador, Henriquez e foi expulso aos 34 minutos do primeiro tempo.

Quando o Grêmio já perdia por 1 a 0.

A agressão foi clara.

Os 35 mil gremistas que estavam não tiveram coragem nem de reclamar.

Renato Gaúcho parecia que iria esganá-lo.

O jogador não teve nem coragem de olhar para o técnico e foi para o vestiário.

Ficou claro porque a carreira de Borges nunca deslanchou.

Nas horas mais importantes, mais nervosas, nos jogos mais decisivos, não se pode contar com ele.

O time brasileiro ficou com dez jogadores por uma estupidez.

Não há outra palavra.

Depois de muito sacrifício, o Grêmio empata, com um gol espetacular de Douglas.

Mas veio outro contragolpe absurdo de tão previsível...

E Pratto marcou como quis 2 a 1 para os chilenos.

Renato colocou sua maior esperança de mudar o rumo do jogo: Carlos Alberto...

Jogador contratado a peso de ouro...

Chegou com toda a moral de quem seria o ídolo do time.

Cheio de problemas pessoas e de peso, acabou na reserva...

Entrou e nada fez...

Mostrou uma fragilidade física assustadora...

E a mesma displicência que virou sua marca registrada...

Não só nada produziu, como desanimou de vez os torcedores...

Como o Grêmio foi colocar o seu futuro na desejada Libertadores....

Nas mãos de Borges e Carlos Alberto?

(Após a partida, a diretoria resolveu multar Borges.

E irá se reunir para decidir se rescinde o seu contrato.

Quanto a Carlos Alberto...

O de sempre...

Continuará na reserva...

Impossível punir o meia por ser uma decepção em mais um clube da sua carreira...)

Renato Gaúcho jogou a liderança do Grêmio no colo do Junior Barranquilla. Pedir reforços agora é fácil…

divulgacao352 Renato Gaúcho jogou a liderança do Grêmio no colo do Junior Barranquilla. Pedir reforços agora é fácil...
Renato Gaúcho teve seu dia de Adilson Batista ontem na Bolívia.

E, como o treinador que está no seu quarto clube em menos de um ano, o ídolo gremista pagou caro.

A gripe de Douglas foi a desculpa para inventar.

O Grêmio perdeu seu grande articulador.

O desperdiçado meia que o Corinthians jogou fora.

E contra o desclassificado lanterna Oriente Petrolero, que poupou vários titulares para o Campeonato Boliviano...

Com o time gaúcho precisando da vitória para terminar a primeira fase como primeiro do seu grupo...

O que fez Renato?

Colocou Gabriel na meia.

Ele confundiu treinos recreativos, onde o filho de Wladimir mostra muita habilidade, com uma partida de verdade.

Gabriel estava perdido e sem ter o que fazer.

O ataque gremista desligado do restante da equipe.

Lúcio, lateral também improvisado no meio de campo, não pôde ajudar Gabriel por muito tempo.

Bruno Collaço se contundiu e ele teve de atuar na sua posição.

A entrada do volante Fernando piorou toda a situação.

O time perdia de vez a maior qualidade levada por Renato Gaúcho ao Olímpico: a compactação da equipe.

A saída foi tentar ganhar a partida nos contragolpes.

Só que com isso o Grêmio atraiu o Oriente Petrolero para a sua área.

Ao sentir tanta facilidade para articular suas jogadas sem problemas, os bolivianos se animaram.

Arce, desprezado por Corinthians e Sport, jogava como se fosse Cristiano Ronaldo movido a chá de coca...

Estava em todos os setores do ataque.

E fazia até pose antes de chutar para o gol.

Victor teve de se virar e mostrar porque tem a confiança de Mano Menezes.

Mas nem se o Grêmio pudesse ter atuado com quatro goleiros evitaria a vitória boliviana.

Mário Fernandes, Rafael Marques e Rodolfo pareciam atuar em câmera lenta.

Se João Gordo dos tempos da MTV estivesse no ataque do Oriente Petrolero teria feito pelo menos três gols.

Foi um constrangedor massacre.

3 a 0 foi injusto para os bolivianos.

Pior do que o fraquíssimo futebol, só a expulsão absurda e infantil de Rodolfo.

Para mostrar que é homem, resolveu acabar com o olé que a torcida boliviana gritava em coro.

A pontapés.

Foi merecidamente expulso pelo equatoriano Omar Ponce.

E está fora da primeira partida do mata-mata decisivo das oitavas de final da Libertadores.

Uma enorme bobagem.

Assim como o pedido de desculpas de Renato Gaúcho, dizendo que o Grêmio não jogou nada.

O ídolo da torcida ontem foi vilão.

Errou feio na escalação do seu time.

Mesmo sem Douglas, não teve coragem para tentar ganhar o jogo e sair como primeiro colocado do Grupo 2.

Apesar de enfrentar o desclassificado e desfalcado lanterna Oriente Petrolero.

O Grêmio se classificou em segundo.

Terá vida mais difícil na fase decisiva da Libertadores.

O ídolo Renato Gaúcho pode contabilizar esse pecado no seu ótimo trabalho no Grêmio.

Mas que não conseguiu ganhar sequer uma partida fora do Olímpico.

Isso é péssimo para quem sonha ser campeão da Libertadores.

Em Santa Cruz de La Sierra, ontem, Renato foi mal demais...

E o clube que o ama pagou por seu erro...

Pedir reforço, dizer que o elenco é pequeno é fácil demais....

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Conheça todos os blogs do R7


Renato Gaúcho disse que passou trote e não vai para o Fluminense. Que história mal contada…

divulgacao85 Renato Gaúcho disse que passou trote e não vai para o Fluminense. Que história mal contada...
A história mais mal contada desta terça-feira no futebol brasileiro.

A 'notícia' mobilizou redações de sites, jornais, rádios e televisões durante a tarde inteira.

Fez da vida dos dirigentes do Grêmio e do Fluminense um inferno.

Renato Gaúcho disse a Jorge Kajuru que 'era grande a chance dele voltar a Laranjeiras'...

E abandonar o Olímpico, onde é tratado como um semideus...

Os boatos cresceram e Muricy já estaria até contratado pelo Grêmio.

O caos se instalou no clube gaúcho.

Torcedores fanáticos querendo saber de conselheiros se a história era verdadeira.

Conselheiros querendo saber da direção do clube se a heresia iria acontecer.

A raiva pela traição de Renato Portaluppi já contagiava a todos.

Nas Laranjeiras, torcedores fanáticos queriam saber de conselheiros se a história era verdadeira.

Conselheiros tensos procuravam a direção do clube.

Uns alegres.

Outros irritados com a escolha.

A família de Renato Gaúcho já seria a culpada pela troca.

Ela não teria se adaptado ao Rio Grande do Sul e queria voltar ao Rio de Janeiro.

Esse clima durou horas.

Até que repórteres de rádios gaúchos conseguiram falar com Renato Gaúcho.

Ele está na Bolívia com o time que jogará pela Libertadores.

Assustado com a repercussão, o treinador se desmentiu.

De uma maneira boba, infantil.

"Eu recebo de sete a oito trotes por dia.

Pensei que fosse alguém se passando pelo Kajuru.

Dei um trote e acabei me dando bem.

Foi só um trote."

A justificativa foi recebida com muita desconfiança por parte da imprensa gaúcha.

Há quem acredite de verdade que Renato pode estar querendo voltar ao Rio.

Ainda mais porque não há multa que o segure no Grêmio.

A direção do clube gaúcho diz que não o libera de maneira alguma.

Os dirigentes do Fluminense negaram de forma inconvincente ter havido contato.

Se Renato Gaúcho decidir trocar o clube onde é o maior ídolo da história para ir para as Laranjeiras será uma traição.

Maior do que a de Ronaldinho Gaúcho.

O Grêmio acaba de resgatar a sua carreira como técnico.

Mas como me disse um veterano repórter gaúcho em relação ao caso:

"Está tudo muito estranho.

Muito estranho."

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

A incrível revolução que Renato Gaúcho promoveu no seu amado Grêmio… De provocar inveja no Beira-Rio…

divulgacao924 A incrível revolução que Renato Gaúcho promoveu no seu amado Grêmio... De provocar inveja no Beira Rio...
O Grêmio pode até perder do Caxias hoje no Olímpico.

Mesmos se esse pouco provável resultado acontecer, o trabalho de Renato Gaúcho precisa ser aplaudido.

De pé...

Um dos poucos homens no mundo que aceitaram o grande desafio no futebol.

Ser treinador no clube onde é o maior ídolo de todos os tempos.

Não é para qualquer um...

E ainda ter sucesso.

Fazer um trabalho invejável...

Mexer em vespeiros e ainda sair intacto...

Ele se reencontrou em Porto Alegre.

Conseguiu o que muitos duvidavam.

Mostrou como montar uma equipe segura, confiável, competitiva, ofensiva.

Não imbatível, lógico.

O Grêmio vai perder seus jogos até porque a qualidade técnica dos seus atletas não é excepcional.

Mas o time, com Renato Gaúcho, conquistou o que nos últimos anos faltava ao tricolor: confiança.

Como ninguém é mais vaidoso do que ele no cenário brasileiro, ele sabe bem como detectar guerra de egos.

E soube neutralizar essa grande vilã dos Pampas.

Não há mais argentino sem falar com brasileiro, carioca que não quer ser companheiro de quarto de paulista.

Tirou atletas do grupo atletas como Souza, especialistas em trazer polêmicas desnecessárias.

Montou uma equipe que tem o comportamento bem diferente do dele quando jogava.

Ninguém imagina, por exemplo, Fábio Rochemback, saltando o muro da concentração para ir para a farra.

Borges tolera as caneladas de André Lima sem fazer escândalo.

E André Lima tolera a fome de Borges sem chutar placas de publicidade.

Renato Gaúcho conseguiu mostrar quem manda, quem é o líder no clube.

Foi o planejamento dele que conseguiu uma boa arrancada na Libertadores.

Aliás, foi graças a ele a arrancada histórica no Brasileiro que levou o time à competição sul-americana...

E também estar a centímetros da conquista do primeiro turno Gaúcho.

Enquanto isso, o metódico Inter de Celso Roth já caiu nesta Taça Piratini.

Sim, Taça Piratini...

Virou moda no Brasil ter troféu, volta olímpica, dança do Créu, na conquista de um mero primeiro turno...

Mas isso não importa hoje em Porto Alegre.

Vale que é a primeira decisão do Grêmio nas mãos de Renato Gaúcho...

Um homem que pareceu destinado a brilhar com as cores azul, branca e preta...

Ele nasceu para o Grêmio.

E o Grêmio nasceu para ele...

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Página 1 de 612345...Último