Posts com a tag: esporte

Acorde, Muricy Ramalho! Não deixe o Fluminense repetir o que o Palmeiras fez em 2009…

gettyimages94 Acorde, Muricy Ramalho! Não deixe o Fluminense repetir o que o Palmeiras fez em 2009...
Muricy Ramalho.

Tricampeão brasileiro em seguida com o São Paulo.

Feito só alcançado por Rubens Minelli, que venceu duas vezes com o Inter e outra com o São Paulo.

No ano passado teve a chance de se tornar quatro vezes seguidas com o Palmeiras.

Naufragou quando o grupo rachou com a chegada de Vagner Love e seu salário maior do que os que estavam no time.

Foi demitido de forma deprimente do Palmeiras depois de uma goleada por 4 a 1 do São Caetano.

Assumiu o Fluminense com todo apoio financeiro possível.

Ganhou Deco.

Ao contrário do que aconteceu no Palmeiras, ele tem todo o apoio da diretoria carioca.

Ainda mais depois de ter recusado a seleção brasileira pelo compromisso com o Fluminense.

Tem carta branca para escalar ou tirar do time quem quiser.

Mas mesmo assim, o Fluminense está atuando como o Palmeiras nos jogos finais do Brasileiro de 2009.

A equipe está insegura, tensa, ansiosa.

Apela para os chutões, despreza o meio de campo.

E parece viciada nos chuveirinhos.

Os inúmeros planos táticos que Muricy gosta de estudar até cair no sono de madrugada parecem não existir.

O time passa a viver de bolas cruzadas na área adversária.

Não importa a distância.

O que interessa é chutar a bola pelo alto para ver o que acontece.

Até porque não há sincronia na movimentação dos seus jogadores na área.

Situação inexplicável.

Os dois pontos que o Fluminense jogou no lixo contra o rebaixado Goiás foram de chorar.

Basta ver o vídeo da partida e perceber que a equipe consciente jogou de verde.

O Fluminense foi um apanhado de jogadores desesperados.

Não perdeu a partida por sorte.

Mas jogou a liderança do Brasileiro no colo do Corinthians.

Onde está o grande Muricy Ramalho nesta hora em que o Fluminense mais precisa dele?

Por mais contusões e suspensões, não dá para entender a falta de padrão de jogo.

Roger pede para Palmeiras e São Paulo entregarem suas partidas para tentar fazer o Flu campeão.

Talvez seja mesmo necessário.

Porque o fraco futebol que o time mostra o credencia até a perder uma vaga na Libertadores.

Não é impossível perder para os reservas palmeirenses, os desinteressados são-paulinos e os desesperados bugrinos.

Muricy precisa dar uma resposta.

Não desaforada na coletiva de imprensa.

Mas uma resposta tática.

Fazer esses jogadores mostrarem em campo o que podem.

Potencial eles têm.

Está faltando estratégia, esquema, altenativas de jogo.

Muricy Ramalho precisa mostrar o que veio fazer nas Laranjeiras.

Conca, Deco, Fred, Washington, Mariano, Diguinho não podem correr como se estivessem em uma pelada de amigos.

A hora é essa.

Aliás, já passou da hora, Muricy...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Mundial do Corinthians não passou mesmo de um Mundialito. Roberto Carlos estava certo…

reuters3967 Mundial do Corinthians não passou mesmo de um Mundialito. Roberto Carlos estava certo...

"Era um Mundialito.

Mas, sinceramente, muitos jogadores do nosso time ficavam acordados até as 5 horas, 6 horas.

O pessoal não dormiu, muitos vieram aqui a passeio.

Além do mais, os times europeus enfrentaram um calor enorme.

O pessoal do Manchester United, então, lá no Rio, ficava só na piscina tomando cerveja".

Ele desmoralizou a maior conquista corintiana, o Mundial de 2000.

Outra vez o lateral-esquerdo foi sincero e paga por isso.

A pressão no Corinthians para ele se desmentir é imensa.

Andrés e Ronaldo não perdoaram o desatino.

Porque no futebol quem fala a verdade é punido.

Ainda mais porque Roberto Carlos não é mais funcionário do Real Madrid.

Seu dinheiro vem do Corinthians.

Como eu não tenho nada a ver com o Corinthians, dou o meu depoimento.

Cobri o Mundial, ou Mundialito - depende do freguês.

Acompanhei, na primeira fase, justamente os jogadores do Real Madrid, que ficaram em São Paulo.

Primeiro: os espanhóis estavam contrariados.

Não concordavam com o formato do torneio.

Estavam irritados com o calor.

A preocupação era com o que acontecia na Europa.

Lindas mulheres estavam, por coincidência, por supuesto, no luxuoso hotel do Real Madrid.

O treinador era ninguém menos do que Vicente del Bosque, atual campeão mundial com a seleção espanhola.

A estrela máxima era Raúl.

O jovem goleiro Casillas não saía do hall do hotel.

Deu tanta entrevista que ninguém mais queria falar com ele.

O espírito era de raiva e de pressa para voltar para a Espanha.

Todos faziam questão de mostrar que estavam no Mundialito obrigados.

As farras noturnas estavam presentes nas olheiras dos jogadores pela manhã.

Prostitutas de luxo da região dos Jardins fizeram a festa.

Para elas sim, foi um verdadeiro Mundial.

Fui para a fase final no Rio de Janeiro.

E encontrei a delegação do Manchester United.

Não no treino.

Mas na danceteria Nuth.

Muitas mulheres bonitas, público selecionado.

A grande estrela era Beckham.

Ele e seus companheiros de time estavam simplesmente celebrando a eliminação do torneio.

Sim.

Comemorando voltar para a Inglaterra.

Foi a primeira e última vez que vi isso na carreira.

Todos beberam muito.

Ficaram o tempo todo no camarote.

Alguns garotos furaram o cerco, se aproximaram, conversaram, arrancaram alguns beijos.

Menos Beckham, o mais arredio, preocupado com fotógrafos.

Era transparente a felicidade dos ingleses por estarem livres para voltar do Rio.

Ao final da noite, Beckham terminou bêbado, sentado na calçada, esperando o ônibus para levar o time de volta ao hotel.

Cena surreal que não tem preço.

Ou seja: Roberto Carlos não estava menosprezando o Mundial do Corinthians.

Os europeus realmente não deram a menor importância para o torneio que a Fifa resolveu fazer no Brasil.

E os obrigou a disputar.

O Corinthians é o digno campeão.

Jogou com todo empenho e seriedade.

Assim com o Vasco.

Cobrindo evento, a divisão foi clara.

Para os brasileiros, a competição valia a vida.

Para os europeus, um torneio sem sentido que a Fifa os obrigou a disputar.

E que eles sabiam que nunca mais seria repetido da mesma forma.

Não foi mesmo.

Só quem acreditou que haveria outro Mundial daquele foi o ex-presidente Mustafá Contursi.

Ele abriu a vaga do Palmeiras para o Vasco apostando no segundo, na Espanha.

Mustafá e os palmeirenses estão esperando por esse novo Mundial, ou Mundialito, há dez anos...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Ronaldo não joga contra o Santos. Cadê a novidade?

divulgação843 Ronaldo não joga contra o Santos. Cadê a novidade?

Sábado à noite, festa dos 34 anos no sofisticado bar Cortez.

Brincou de jogar golfe com Sabrina Sato.

Ela sugeriu um esporte menos estressante.

Talvez por acaso o mais difundido entre os aposentados do Primeiro Mundo.

Domingo, descanso da festa.

Segunda-feira, fisioterapia.

E hoje, provocar Dentinho no twitter.

Mais tarde, fisioterapia e outra vez a confirmação: fora de outra partida.

Desta vez contra o Santos, na Vila Belmiro.

Desde o início de agosto, ele não participa de uma partida.

Ninguém mais se choca, questiona.

Esta está sendo a vida de Ronaldo no Corinthians.

Adilson Batista simplesmente não conta com ele.

Não perde tempo bolando esquemas alternativos para que jogue.

Pelo contrário.

Quando ele não atua tudo fica mais simples.

O jogo flui.

O ataque cria muito mais.

Só que Ronaldo simboliza dinheiro de patrocínio.

E prestígio internacional ao clube.

O atacante vai testando o poder da medicina ortomolecular.

Quer perder peso e sabe que diuréticos são proibidos, caso seja sorteado para o antidoping.

Não há clima ruim, tensão.

Ronaldo brinca, os jogadores o adoram, a diretoria não cobra, a torcida aceita.

Está calmo demais esse período da relação Corinthians e Ronaldo.

De acomodação.

Os dois lados já sabem que não adianta cobrar, reclamar , lembrar do R$ 1,5 milhão por mês.

Ronaldo passou a ser um bônus.

Faltando 15 rodadas para o líder do Brasileiro tentar o título, o importante é deixar Ronaldo fazer o que pode, o que tem condições.

O time é muito bom e joga até melhor sem ele.

E será nessa batida que o jogador que já foi três vezes o melhor do mundo vai seguir.

Pelo menos até o final da Libertadores de 2011, como prometeu a Andres.

Depois...Nem ele sabe...

Então hoje à noite em vez de concentração, Ronaldo tem uma bela noite livre em São Paulo...

Pode ir para um restaurante...

Jogar poquêr...

Assistir dvd...

Se divertir no twitter...

Essa é a rotina de Ronaldo no Corinthians de 2010.

Até o torcedor mais fanático quando vai comprar o ingresso sabe que não pode contar com ele em campo.

Virou um especialíssima celebridade  que, de vez em quando, joga futebol...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Neymar: o cenário para a volta contra o Corinthians está montado…Punição rápida essa, não?

pele%20xuxa1 Neymar: o cenário para a volta contra o Corinthians está montado...Punição rápida essa, não?

Escorregão feio de Mano Menezes.

Na gravação do programa Roda Viva que a TV Cultura mostra logo mais, o técnico errou.

Para defender Neymar usou a maior imagem que lhe ocorreu: a de Pelé.

Diante das várias atitudes infantis e egocêntricas do atacante santista, o treinador do Brasil falou.

"Não podemos esquecer que o Pelé não foi um anjinho em campo."

Não mais falou.

Porque treinador de seleção e político espertos deixam no ar.

Mas houve uma tremenda injustiça com Pelé.

Ele quebrou pernas, deu cotovelas, é verdade.

Porém na grande maioria dos casos, para quem tem memória ou se informou, ele participou de duelos.

Era ele ou o oponente.

Antes de fazer a alavanca para machucar seu marcador, Pelé havia sofrido pontapés tão criminosos quanto.

Ele quebrou a perna do alemão Kiesman e do zagueiro cruzeirense Procópio.

E deu uma cotovelada no uruguaio Dagoberto Fontes durante a Copa de 1970.

Esses foram os casos mais marcantes.

Não há espaço nesse post para dizer quantas vezes Pelé não pôde jogar por pancadas.

O rodízio da seleção portuguesa em 1966 já basta.

A desculpa de Mano, trazendo Pelé para a discusão é inconsistente.

Por que Neymar é prepotente, mimado.

Não é violento como Pelé foi às vezes.

Mano defende Neymar porque sabe que ele é imprescindível para a sua seleção.

O garoto de 18 anos é mesmo muito talentoso.

Está sendo muito criticado pelas molecagens que aprontou como xingar técnico e companheiros.

Mano já viu o que ele é capaz de fazer no amistoso contra os Estados Unidos.

O treinador sabe muito bem de que lado ele é obrigado a estar nesta dividida.

Do lado de Neymar.

Para o bem do futuro da seleção olímpica e da principal.

Só que ele não deveria ter usado Pelé.

Apesar de ser genial com a bola nos seus pés, ele nunca xingou seus treinadores ou companheiros.

Respeito, limites são características que Neymar não tem.

O talento o protegeu.

E agora ele o está usando para o mal.

Há a certeza na Vila Belmiro de que o garoto estará de volta contra o Corinthians.

Os indícios demonstram que Dorival Júnior fracassou na vontade de impor uma suspensão de 15 dias.

Para sua falta de sorte, a tabela marcava Santos e Corinthians na Vila Belmiro.

Tanto que não houve jeito.

Está mais  do que claro no clube quem importa mais: se o treinador ou o jogador de R$ 100 milhões...

Neymar já treinou hoje com o restante do elenco.

Talvez, no máximo, comece o clássico no banco de reservas.

E entre logo.

Alguém tem dúvida de que Neymar vai jogar?

Nem seu defensor Mano Menezes.

Ou mesmo Pelé...

Veja mais:

+ Tudo sobre esporte no R7
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Carlão Barreto “doping de Chael Sonnen fez bem para a credibilidade do UFC”…

divulgação341 Carlão Barreto doping de Chael Sonnen fez bem para a credibilidade do UFC...

Carlos Barreto foi um dos melhores lutadores de MMA que o Brasil já produziu.

Depois, virou árbitro internacional, organizador, comentarista.

Uma referência do país no MMA.

Em entrevista exclusiva, ele explica o que significa o doping de Chael Sonnen na luta contra Anderson Silva.

Revela o quanto Anderson mudou depois da luta contra o Demian Maia.

E dá a notícia mais esperada pelos fãs: UFC voltará mesmo ao Brasil.

Em 2012...

Mais precisamente em São Paulo...

Carlão, vamos direto ao assunto: o que você achou do doping do Chael Sonnen?

Reafirmou a seriedade do MMA, do UFC.

Não houve qualquer proteção, favorecimento por ele ser americano.

Foi pego e hoje o mundo inteiro sabe que estava dopado.

O UFC poderia ter mantido a situação de forma interna.

Mas fez questão de mostrar para os fâs do esporte que um dos top five usou substâncias proibidas.

Fica uma lição que o MMA é um lugar hoje para atletas de pontas.

Que treinam meses e meses por uma luta,.

A Comissão Antidopagem é rígida e a mais moderna do mundo.

É o futuro do esporte que está em jogo em cada exame.

O Chael iria ter a revanche com o Anderson.

Não terá mais.

Sei que ele será seriamente punido.

E merece. Não tem cabimento uma atitude dessas.

O MMA saiu fortalecido, foi um aviso a todos.

Quem for fraco e cair nesta tentação do doping será pego.

Você não estranhou a maneira com que ele dominou o Anderson?

- Sim. Agora tudo se explica.

A facilidade com que ele aplicava as quedas.

Sua força era desproporcional, aumentada artificialmente.

E mostrou o poder de superação de Anderson Silva.

Mesmo contra um dos melhores wrestlers do mundo na sua categoria, dopado, machucado, ele ainda ganhou.

Você não acha que o Anderson não deveria ter lutado já que estava machucado,  com a costela fissurada?

- Acho que ele foi uma pessoa até responsável demais.

O Anderson tem a noção de tudo o que cerca o esporte.

E a frustração mundial que seria o adiamento da sua aguardada luta.

Ele teve uma postura de guerreiro.

Enfrentou o Chael mesmo machucado, com dores.

Mostrou todo o seu talento e ganhou ainda a luta.

O resultado foi espetacular ainda mais depois desse doping, que me entristece muito.

O MMA não tem lugar para lutadores que se dopam.

Você acha que o Anderson tomou essa atitude depois do que ele fez com o Demian Maia?

- Essa luta foi o maior erro do Anderson e do Demian também.

Porque eu quero ser justo: o Demian falou algumas bobagens desnecessárias.

A luta era entre dois brasileiros campeoníssimos, eles deveriam ter se respeitado.

O Anderson abusou na hora da luta.

Ele reconhece isso agora.

Foi uma lição na vida dele.

O Anderson é um lutador, uma pessoa muito honrada.

Mas é humano.

Errou e reconheceu o erro publicamente.

Sua postura mudou depois daquele combate.

E acredito que não há motivo para os praticantes do jui-jítsu ficarem contra o Anderson.

Ele não queria atacar o jui-jítusu, mas o Demian.

Graças a Deus tudo já foi superado.

Os dois vão continuar no esporte.

O Damian tem um grande talento.

E o Anderson é esse absurdo...

Não fuja, Carlão...

Quem vence: Anderson Silva ou Victor Belfort?

- Só isso?

Você quer complicar a minha vida.

Os dois são excelentes lutadores e muito meus amigos.

O Victor tem um boxe sensacional e uma explosão impressionante.

O Anderson tem o talento natural, o dom.

Ele nasceu para lutar.

E é imprevisível, pode aplicar todo tipo de golpe em uma luta.

Fora os que ele aprendeu, os que inventa.

O favorito natural dessa luta é o Anderson pelo momento.

Mas eu acho, de coração, um confronto imprevisível.

Todos querem ver esse tira-teima.

Eu também.

Apesar de saber que vou ficar triste por quem perder.

Mas o mundo do MMA é assim...

Você acredita que o nocaute que o Lyoto Machida levou do Shogun foi duro demais?

Haverá consequências, traumas?

Ele será o mesmo lutador?

- É sempre duro um nocaute para quem o leva.

A personalidade precisa ser forte.

Mas o Lyoto tem uma base familiar sensacional.

Seu pai é lutador, sua esposa só lhe dá força.

Seu irmão...

Tenho certeza de que ele voltará melhor do que antes do nocaute.

Já deve ter estudado a luta várias vezes e viu onde errou.

Seu ponto fraco.

E ele não perdeu para qualquer um.

Ele foi derrotado pelo Shogun que é um fenômeno.

Acredito em um retorno de altíssimo nivel do Machida.

Terá pela frente o Rampage Jackson, ex-campeão do UFC.

Será um enorme desafio, mas o Lyoto vai voltar e mostrar de novo porque é um dos melhores do mundo.

Aliás, quem é o melhor lutador do mundo?

- São três: o Anderson, o George Saint-Pierre e o Fedor.

Aliás, quero mandar um grande abraço ao Verdum pela vitória sensacional contra o Fedor.

Os brasileiros são incríveis.

Por que isso, Carlão?

- Pela miscigenação das raças.

Pelo amor que temos pela competição, pelo esporte, pelo futebol, pelas lutas.

Nascemos para lutar.

Quero dizer que não há nenhum favorecimento ao Brasil no MMA.

É puro talento.

Vários países tentam impor seus lutadores e não conseguem, mesmo sendo mais fortes economicamente.

E como no futebol, não paramos de produzir craques.

Não dá para falar nesse menino, o Charles do Bronx.

Ele terá uma carreira sensacional, pode escrever.

Carlão, você sabe todos os bastidores do UFC.

Quando ele vai voltar ao Brasil?

- Olha, conversei com o presidente do UFC, o Dana White.

E a prioridade em 2011 será o mercado asiático.

Por isso vendeu 10% do UFC para um sheik árabe (Tahnoon Bin Zayed Al Nahyan).

Ele quer dominar o mercado asiático com a ajuda do sheik.

Mas eu tenho uma boa notícia para você e para quem gosta do MMA...

Boa, não.

Maravilhosa...

Qual?

- Em 2012 o UFC voltará ao Brasil.

O UFC 17 aconteceu em outubro de 1998, em São Paulo.

Depois de tantos anos voltará com a grandiosidade atual.

Será um evento para parar o mundo.

O esporte evoluiu demais, os americanos sabem como fazer marketing.

Transformaram o UFC em um fenômeno mundial.

E vou antecipar que se o Rio de Janeiro terá Olimpíada e final de Copa do Mundo...

São Paulo vai ficar com o UFC.

Será um evento espetacular.

Virão os melhores do mundo.

Fico muito orgulhoso em dizer que o nosso país terá esse evento.

Quantos países ricos tentam e não conseguem?

A organização será sensacional.

Quem viver, verá...

Veja mais:

+ Tudo sobre esporte no R7
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Na tarde dos zumbis, Marcelinho/Lucas salvou o clássico no Pacaembu…

agenciaestado74 Na tarde dos zumbis, Marcelinho/Lucas salvou o clássico no Pacaembu...

Marcelinho ou Lucas.

Tenha o nome que tiver...

O garoto de 19 anos acabou com a monotonia do clássico.

Palmeiras e São Paulo faziam o que prometiam.

Uma partida de muita marcação e sem emoção.

Ficava mais uma vez explicado no frio Pacaembu porque os dois clubes caminham como zumbis no Brasileiro.

Dois times irmanados na limitação.

O Palmeiras sem Kléber não tinha vibração, sangue.

Uma equipe sem jogadas pelas laterais.

Aliás, o clube só pode ter contratado o irmão gêmeo de Vitor do Goiás.

O verdadeiro deve estar milionário na Ucrânia, atuando com o apelido de Zé.

Não é o mesmo jogador.

Incrível sua falta de confiança de cruzar ou chutar para o gol.

Ele se livra da bola da intermediária: chuta para a área e der o que quer.

Da outra lateral é injusto comentar.

Fabrício é zagueiro, joga improvisado porque o clube não tem um lateral esquerdo.

O volante Rivaldo, que também atua fora de posição não jogou por estar machucado.

Tadeu e Ewerthon correram de um lado para o outro, sem coordenação, técnica.

Dois jogadores fracos.

Valdívia continua fora de forma e sem a menor condição de ser o que se espera dele.

O Palmeiras vivia à espera de uma falta para Marcos Assunção.

Justiça foi feita: ela não veio.

Para completar o quadro, a infanfil expulsão de Felipão.

Ele gritou para Tadeu falar para José Henrique de Carvalho acertar a distância da barreira do São Paulo na hora das faltas.

Expulsão boba, a troco de nada.

O São Paulo que vinha das derrotas para o Botafogo e para o Inter se propôs a contragolpear.

Sabia que o fraco Palmeiras, empurrado pela sua torcida, teria de buscar os gols.

A troca de Cléber Santana por Casemiro foi uma benção.

Assim como a volta de Alex Silva.

Ilsinho mostrava que iria ajudar bastante quando, outra vez, se machucou.

A briga estava muito forte no meio de campo, quanto apareceu Marcelinho/Lucas.

O garoto se aproveitou muito bem do desvio de bola de cabeça de Fernandão e fez um belíssimo gol.

Depois, deu o segundo para Fernandão.

Pronto: decidiu o clássico.

O resultado não vai mudar a vida dos dois zumbis no Brasileiro.

Vão continuar lutando por posições intermediárias, ávidos para o ano acabar.

Tanto Palmeiras quanto São Paulo farão grandes reformulações nos seus elencos.

Está mais do que demonstrado que precisam.

Mas enquanto 2011 não vem e o Brasileiro não acaba, vamos comemorando um garoto de futuro.

Marcelinho, Lucas, seja lá como ele quiser ser chamado.

Mostrou hoje no Pacaembu que valeu a pena os dirigentes do São Paulo mostrarem o Centro de Treinamento de Cotia a ele e ao seu pai.

Logo o cover de Marcelino Carioca se esqueceu do Parque São Jorge e trocou o Corinthians pelo São Paulo.

Mudou até o apelido para romper com tudo que lembre sua passagem pelo clube branco e preto, como adoraram os dirigentes.

E tem tudo para brilhar com a camisa tricolor.

Uma boa notícia para o São Paulo neste Brasileiro esquecível.

Para o Palmeiras de Scolari, nem isso...

Ah, e Mano Menezes foi ao Pacaembu.

Dizem que estava com o radinho de pilha ouvindo Inter e Vasco.

Mas deve ser maldade...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Vagner Ribeiro começa a usar com Neymar a mesma tática que adotou para tirar Kaká do São Paulo. E Robinho do Santos…

reuters742 Vagner Ribeiro começa a usar com Neymar a mesma tática que adotou para tirar Kaká do São Paulo. E Robinho do Santos...

Vagner Ribeiro.

Foi acreditando nele que a família Neymar acabou aceitando a proposta do Santos.

"Ele será tratado como um rei.

Nunca no Brasil houve um plano de valorização de um atleta.

Estou orgulhoso pelo que o Santos fez.

O Neymar só vai sair do clube depois da Copa de 2014."

As afirmações foram feitas no dia 19 de agosto.

Não faz um mês.

Ele assinou novo contrato de cinco anos com o Santos.

Sua multa pulou para exorbitantes 45 milhões de euros ou R$ 101 milhões.

Muitos empresários importantes da América Latina acreditaram ter sido uma loucura.

Dos dois lados.

O Chelsea oferecia R$ 40 milhões para o jogador por cinco anos.

E R$ 30 milhões (R$ 69 milhões) ao Santos.

Proposta recusada.

Neymar aumentado para R$ 500 mil mensais.

Com a saída de Robinho, Wesley e André e a contusão de Ganso, o futebol do Santos caiu.

Ficou um time mais fácil de marcar e não impossível de derrotar.

Os amigos publicitários de Luís Álvaro não encontraram as sonhadas empresas dispostos a pagar fortunas para ter Neymar como garot propaganda.

As promessas de transformar Neymar em um jogador midiático mundialmente não são tão fáceis de realizar.

Com o fim da transação com o Chelsea, ele desapareceu do noticiário internacional.

Foi muito bem na Seleção Brasileira.

Voltou a ganhara alguns elogios em jornais espanhóis e italianos.

E só.

Desde que voltou para o Santos para o Campeonato Brasileiro deixou de interessar.

Vagner Ribeiro já não estava tão contente.

Não tinha certeza de foi um bom negócio manter sua estrela no Brasil.

Ou uma perda de tempo e dinheiro,como seus amigos empresários lhe diziam.

Foi quando estouraram as confusões envolvendo o menino contra o Avaí, Ceará e Atlético Goianiense.

Ele se conteve.

Tudo ruiu ontem quando Dorival Júnior percebeu que havia perdido prestígio.

Passou a ser criticado como um técnico sem comando, golpe fatal para alguém de sua profissão.

E resolveu impor um afastamento de 15 dias a Neymar.

Dorival Júnior nunca assumirá publicamente, mas essa multa de 30% nos salários do garoto que a diretoria promete impor, ninguém acredita.

Se fosse real, Vagner Ribeiro teria feito um escândalo.

Ele se calou.

Só voltou a gritar, reclamar quando Dorival Júnior tirou o jogador da partida contra o Guarani.

Qual sua arma?

O twitter...

"Faltou respeito em ambos os casos.

Um pede perdão, mas o treinador insiste em mostrar poder e não perdoa.

Autoridade se impõe com critérios e firmeza.

Recusa de substituição é afronta?

Elogiar o erro depois é normal?

E depois do elogio, chegar no vestiário e criticar é coerente?

Não estou pondo lenha.

Mas não posso ficar quieto ao ver alguém usar uma criança confessa e o pegar para Cristo."

Ribeiro não faz nada por acaso.

Ao citar Ganso, ele quer fazer intriga, aumentar a confusão.

Vagner garante que duvida que Dorival Júnior terá coragem de deixar Neymar fora do clássico contra o Corinthians na quarta-feira.

Ao desrespeitar o técnico do Santos, Vagner Ribeiro sabe que começa a detonar o plano para segurar Neymar na Vila Belmiro.

Por coincidência ou não, quando ele quis tirar Kaká do São Paulo criou um clima insuportável.

A mesma coisa aconteceu quando Robinho saiu do próprio Santos.

Hoje foi um dia marcante.

O dia em que Ribeiro começa a sabotar o plano de Neymar e Santos.

Quando no seu twitter Neymar diz estar cansado de tudo.

Ele quer dizer: cansado de sua vida em Santos, no Santos.

O garoto de 18 anos está profundamente humilhado por haver treinado e não viajado para Campinas.

Se Dorival Júnior lhe queria dar uma lição, só o deixou ainda mais irritado.

E disposto a repensar seu futuro no Santos.

Tudo que está ruim pode ficar muito pior.

Vagner Ribeiro, Kaká e Robinho sabem bem disso...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

O mundo do jiu-jítsu brasileiro nunca perdoará Anderson Silva, o campeão sem alma…

ap O mundo do jiu jítsu brasileiro nunca perdoará Anderson Silva, o campeão sem alma...

"O UFC apenas suporta o Anderson Silva porque é ele é fenômeno.

Mas não tem humildade.

O mundo do jiu-jítsu do Brasil ainda não perdoou o que ele fez com o Demian Maia.

E nem vai perdoar.

Vai ganhar fácil a revanche contra o Chael Sonnen.

Mas seu reinado acabará  nas mãos do Victor Belfort.

O Anderson é fantástico, mas não faz bem para a imagem do esportista brasileiro.

Mil vezes o Shogun: talentoso e humilde."

As palavras são do campeão mundial de jiu-jítsu Alexandre Soares de Bem, o Ratinho.

Campeão dos médios, em 2007, o faixa preta e mestre não se conforma com a postura de Anderson.

Como a imensa maioria dos praticantes de jiu-jítsu no País...

Quando os lutadores de jiu jitsu vão perdoar o Anderson Silva?

- Sinceramente, nunca.

Eu converso muito com vários mestres e o que ele fez com o Demian Maia foi vergonhoso.

Para ele, para o Brasil.

Só de lembrar já revolta.

Era a primeira vez que o UFC ia para Dubai.

A luta entre ele e o Demian era a principal.

Todos esperavam um espetáculo de altíssimo nível e não a baixaria que ele fez.

Ficar humilhando, provocando, dançando em frente ao Demian porque ele é do jiu-jítsu foi amador.

Foi uma molecagem, não uma atitude de campeão do mundo.

Ele passou a ser mal visto pelo mundo da luta.

Tanto que houve uma vibração enorme, uma grande torcida pelo falastrão do Chael.

Eu estou falando aqui no Brasil.

Você acha que o Anderson foi irresponsável lutando com uma fissura na costela?

- Ele acreditou que ganharia assim mesmo.

Não levou em conta nem os limites do seu corpo.

Se expôs a uma contusão muito séria, grave.

Imagine se o Chael acerta um golpe forte e rompe a sua costela?

Foi outra atitude equivocada do Anderson.

Ele não quis passar por covarde pedindo o adiamento da luta.

Fez uma imensa bobagem.

Apanhou o tempo todo porque não tinha mobilidade para reagir.

Ganhou porque encaixou um triângulo no finzinho da luta.

Engraçado, não é?

Apelou para o jiu-jitsu para se salvar.

Ele pode até ter aprendido aquele triângulo com o Demian.

Vamos deixar bem claro: o Anderson é um lutador sensacional, fora do comum.

Só que ninguém suporta a sua prepotência, falta de humildade.

Como será a revanche contra o Chael em janeiro de 2011?

Se chegar inteiro e lutar a sério, não há comparação.

O Anderson é muito mais lutador do que o Chael.

Nasceu para isso.

Criou seu estilo, golpes inusitados.

Mistura muay thai, capoeira, dança e muito instinto.

Ele é faixa preta de jiu-jitsu porque ele é Anderson Silva.

Ele ganhou a faixa, não conquistou como qualquer aluno.

Tanto que seu chão não é bom.

Ganhou do Chael no triângulo porque o americano se empolgou como um garoto.

Ele se ofereceu para tomar o golpe.

Perdeu por pura falta de concentração, empolgação com uma luta ganha.

Por que o Anderson vai para oitava defesa de cinturão no MMA?

Por que tem 13 vitórias consecutivas?

Esses recordes mostram que ele é o melhor lutador do mundo?

Não dá para negar seu imenso talento.

Poucas pessoas no mundo treinam tanto como ele.

Até porque a história do Anderson exemplifica o motivo de tantos brasileiros campeões no UFC.

A origem pobre, a revolta com a vida, a falta de oportunidades.

A raiva foi canalizada para o mundo das lutas.

Para sobreviver, milhares de brasileiros dão a vida treinando, sonhando em ser lutador profissional.

O Anderson mistura essa gana, essa necessidade de dinheiro, o instinto, a revolta e o talento.

Ele era muito pobre.

Tem uma vida de rei graças ao seu talento lutando.

O que acabou sendo um motivador psicológico.

É tudo muito simbólico, representativo.

Apesar de tudo isso, eu e todos que conheço no jiu-jítsu preferem o Shogun.

Ele tem alma de campeão.

O Anderson tem o talento de campeão.

Há uma enorme diferença.

Quando irá acabar o reinado do Anderson?

Quando ele cruzar com o Victor Belfort.

Ele é um lutador completo.

Tem explosão, é um talento no boxe.

E seu jiu-jítsu tem altíssimo nível.

Ele tem tudo para socar o Anderson e o colocar no chão.

Aí então finalizar...

Você não achou irônico com todo o desrespeito que o Anderson demonstrou diante do Demian Maia justo o jiu jitsu o salvar do Chanel?

Sim, foi mesmo muito irônico.

Mas o Anderson nunca será um representante verdadeiro do jiu-jítsu.

Falta humildade na sua essência...

É um lutador talentoso, especial, fantástico, mas sem alma de campeão.

Um campeão respeita o seu adversário.

Ele não respeita ninguém.

O presidente do UFC, Dana White, que o diga...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

E pensar que Felipão não queria o veterano Marcos Assunção…

reuters258 E pensar que Felipão não queria o veterano Marcos Assunção...

Quando Felipão chegou ao Palmeiras achou o time lento.

E logo foi mexer em um jogador veterano do meio de campo.

Aos 34 anos, Marcos Assunção só poderia estar atrapalhando.

O treinador logo tratou de deixá-lo no banco.

Só que as partidas e os treinos foram se sucedente.

E o consagrado treinador percebeu o grande erro que cometeu.

Além de ser o grande líder do time, Assunção é o melhor volante que o clube possui.

E mais.

Ele reencarna um jogador que Felipão cultua como um dos mas importantes na sua carreira.

Daqueles que o ajudou a se tranformar no técnico respeitado que é hoje em dia: Arce.

O lateral paraguaio que batia na bola com maestria.

Desde a época do Grêmio.

Time de Felipão em problema, o pé direito de Arce entrava em ação e mudava o destino normal de um jogo.

Falta, escanteio, pênalti, tiro de meta.

A precisão de Arce era invejável.

Tanto que foi a primeira contratação que Felipão assegurou quando trocou o Grêmio pelo Palmeiras.

Agora Marcos Assunção segue o mesmo caminho.

A precisão é parecida.

Quando a falta acontece do lado esquerdo do ataque palmeirense, os goleiros já sabem o que terão de enfrentar.

O excelente Victor, melhor do Brasil, sabia onde a bola iria.

Mas não teve como evitar o gol.

Assim como Ewerthon só teve o prazer de pular de peixinho e comemorar.

A bola levantada por Marcos Assunção foi mais de meio gol.

Além da bola parada, a dedicação do volante durante os jogos é para orgulhar qualquer palmeirense.

Parece um garoto querendo garantir um lugar no time.

Não para de correr e falar durante o jogo todo.

Se o Palmeiras respira aliviado com a vitória diante do Grêmio, se deve a Marcos Assunção.

Ao contrário do que pensava Felipão ao chegar, ele é indispensável.

Em tempos de vacas magras.

Valdívia fora de forma.

Kléber colecionando seus cartões.

A falta de jogadores talentosos.

Atraso de direito de imagens.

É uma dádiva o Palmeiras ter o pé direito de Marcos Assunção.

Como um dia teve o de Arce...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Renato Gaúcho. Depois de cinco mil mulheres, agora ilude a torcida do Grêmio…

divulgação72 Renato Gaúcho. Depois de cinco mil mulheres, agora ilude a torcida do Grêmio...

Psicólogos dizem que uma das grandes qualidades de um sedutor é aumentar suas qualidades.

Iludir a mulher desejada.

Falar o que ela quer ouvir.

Acreditar ter qualidades que não possui.

Ainda mais se for o amor de uma noite só.

Renato Gaúcho se gaba de ser o maior conquistador a colocar chuteiras no País.

Perdeu o número de mulheres que seduziu.

Contou até cinco mil.

Como jogador, ele não precisava falar sobre o seu potencial.

Foi espetacular.

Quem não viu não tem idéia do que perdeu.

Mesmo sendo muito alto e forte, era habilidoso e muito veloz.

Se tivesse um mínimo de noção, soubesse esperar as noitadas, seria consagrado também na Seleção.

Mas ele já disse que sentia uma compulsão e saia à caça todas as noites.

Perdeu a Copa do Mundo de 1986 quando foi flagrado por Telê Santana.

Ele e Leandro pulando o muro da concentração.

Situação constrangedora.

Há quem garanta que a situação só aconteceu porque Leandro bebeu e atrasou Renato.

Por que ele era profissional nas escapadas.

Os dois estavam no auge e não foram para a Copa do México.

Perdemos todos.

Renato foi sensacional com a bola nos pés.

Se acostumou com a reverência da imprensa, da torcida.

E pensou que tudo continuaria a mesma coisa quando virasse treinador.

Só que os resultados mostraram que não é a mesma coisa.

Sua visão de jogo é boa, mas seu esquema não tem variação.

Basta ter pela frente um treinador vivido e um esquema fortemente defensivo que seus times se complicam.

Foi o que aconteceu ontem, no aniversário do Grêmio, não teve como evitar a festa do Palmeiras, de Felipão.

Seu elenco é voluntarioso, tem raros lampejos de talento.

É limitado.

É dependente de bolas paradas.

E do apoio da apaixonada torcida gremista.

Vai no coração, na empolgação, na raça.

Nunca na estratégia.

Renato já tinha cometido o mesmo erro no Rio.

Quando levou o Fluminense à decisão da Libertadores em 2008.

Falou várias vezes que o time sairia campeão do Maracanã.

E depois, a equipe brincaria no Brasileiro, se preparando para a decisão do Mundial.

Os organizadores do jogo chegaram a colocar fitinhas vermelhas, brancas e verdes para quando o capitão do time vencedor levantasse a taça.

A certeza que seria o Fluminense era absoluta.

Afinal, Renato não havia dado sua garantia?

No final, a equatoriana LDU ganhou o título.

E o Fluminense quase foi rebaixado no Brasileiro que iria brincar.

Antes, demitiu Renato.

Ele foi para o Vasco.

Garantiu que salvaria o time do rebaixamento.

A torcida e os dirigentes acreditaram.

Resultado?

Queda para a Segunda Divisão pela primeira vez na história vascaína.

Renato ficou de molho muito tempo.

Como um galã que vai sempre à mesma balada e acaba marcado por não levar ninguém a sério.

As meninas largadas e os dirigentes de clubes decepcionados não perdoam.

Ainda mais para quem já deu entrevista dizendo ter ficado pelo menos com cinco mil mulheres no seu tempo de solteiro.

Cinco mil mulheres, isso mesmo.

Entre elas, várias atrizes consagradas e capas de Playboy...

Mas o boicote dura só algum tempo.

Sempre alguém cai em tentação quando a conversa é boa.

A tentação de que 'comigo será diferente' prevalece.

Foi o que aconteceu com o Bahia.

Projeto de acabar com o domínio do Vitória no Campeonato Baiano.

Resultado: tetracampeonato dos rubros negros.

Depois, subir o Bahia para a Série A.

Resultado, abandonou o projeto quando surgiu a proposta gremista.

Ele é o maior ídolo da história do clube tricolor.

Sabe o carisma que tem.

E fez o discurso bem ao contrário de Silas.

Falou o que a torcida queria ouvir, assim como já sussurou mentiras sinceras no ouvido de muita garota carente.

E os gremistas acreditaram que o time era melhor do que os olhos mostravam.

Não é time para ser rebaixado.

Mas também não pode ter maiores aspirações neste Brasileiro.

Bastaram algumas vitórias e vieram as promessas do galanteador.

O Grêmio estava com o caminho aberto para ganhar uma vaga para a Libertadores.

E em dez anos ele chegará  à Seleção Brasileira.

Hoje, após a derrota diante do esforçado Palmeiras, diante da sua apaixonada torcida, uma sensação conhecida.

O olhar decepcionado dos torcedores lembra aqueles de milhares de mulheres que acreditaram nas suas promessas.

E dá-lhe desculpas: foi o juiz, falta de sorte, o Palmeiras só jogou na defesa...

A culpa nunca é de Renato Gaúcho.

Como ele mesmo já disse: financeiramente ele não precisa mais do futebol.

É o seu ego, a vontade de voltar a sensação de ganhar.

Ele é treinador desde 1996.

São 14 anos.

Ganhou uma Copa do Brasil com o Fluminense.

E só.

É muito pouco.

Se não fosse o seu carisma, o que fez no passado como jogador, não teria as chances que teve.

E as está desperdiçando por ainda se comportar como se fosse um galã e não um técnico de futebol...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Página 1 de 712345...Último