Posts com a tag: Botafogo

René Simões denuncia. Dirigentes queriam escalar o Botafogo. Por isso foi mandado embora. Deixando o clube em primeiro lugar na Série B. Esse é o futebol brasileiro…

1ae25 René Simões denuncia. Dirigentes queriam escalar o Botafogo. Por isso foi mandado embora. Deixando o clube em primeiro lugar na Série B. Esse é o futebol brasileiro...
Para quem duvida como as coisas acontecem no futebol brasileiro. René Simões assumiu o Botafogo só com duas missões. Classificar o time para a Série A. E classificar a equipe entre os quatro no Carioca. Apenas isso.

Ele ouviu dos dirigentes que não teriam como pagar muito. A dívida do Botafogo é a maior do Brasil. Já são R$ 845 milhões. Ele aceitou o salário de R$ 70 mil mensais. Um dos menores do país.

A torcida e a diretoria estavam conformados. Acreditavam em campanhas medianas. E até aceitariam. Pelo menos eram o que disseram a René.

Mas veio o Campeonato Carioca. O clube conseguiu se superar e chegou à decisão do título. O que incendiou o ambiente. Todos passaram a acreditar e cobrar o título. Mas o Vasco conseguiu ser campeão.

Por irônico, seria melhor se o Botafogo não tivesse chegado. Veio a Série B. Mesmo com um time limitado, o time é o líder da competição. Está em primeiro lugar. Mas a Copa do Brasil também seria disputada ao mesmo tempo.

A equipe passou pelo Botafogo da Paraíba e Capivariano. Chegou o Figueirense. Antes da Copa América, o time conseguiu excelente resultado. Empatou em 2 a 2 em Santa Catarina. No jogo da volta, no Rio, criou inúmeras chances. Chutou bola na trave. Poderia empatar em 0 a 0, 1 a 1.

Mas tomou um gol aos 46 minutos do segundo tempo. De letra de Marcão. O time estava eliminado em pleno Engenhão. Dirigentes ensandecidos. O pior deles, o vice de futebol, Antonio Carlos Mantuano, tentou agredir o técnico do Figueirense, Argel. Foi contido por seguranças, em uma cena lamentável.

1reproducao28 René Simões denuncia. Dirigentes queriam escalar o Botafogo. Por isso foi mandado embora. Deixando o clube em primeiro lugar na Série B. Esse é o futebol brasileiro...

Depois a raiva foi ser descontada em René Simões, o técnico. Baratinho, fácil de mandar embora. E assim aconteceu. Com o Botafogo em primeiro lugar da Série B.

Seria uma maneira de acalmar os torcedores. E a imprensa. Repassar a culpa e ponto final. Só que René Simões fez questão de enviar uma carta aberta de despedida.

E o experiente treinador de 63 anos mostra outros absurdos. Entre eles, dirigentes que desejavam escalar um jogador ou outro. E tiveram seus interesses contrariados. Este seria o verdadeiro motivo de sua demissão.

Nada mais deve causar espanto neste futebol brasileiro. Abaixo a inacreditável carta de René Simões. O homem que foi contratado para colocar o clube pelo menos entre os quatro do Carioca. Fez o clube, o segundo.

E, a prioridade, fazer o clube um dos quatro primeiros Série B. A quarta colocação seria mais do que aceitável. É mandado embora liderando a competição.

1sspress René Simões denuncia. Dirigentes queriam escalar o Botafogo. Por isso foi mandado embora. Deixando o clube em primeiro lugar na Série B. Esse é o futebol brasileiro...

"Caro torcedor alvinegro,

Costumo dizer que o treinador só tem uma certeza – a incerteza de seu cargo. Ontem isso ficou comprovado na prática. Tenho optado em minha carreira em não me pronunciar nesses momentos, pois não gosto de aumentar especulações. Porém, minha passagem pelo Botafogo, assim como minha saída, foi diferente de muito o que já vivi, e quis dividir isso com vocês. Peço licença aos jogadores, aos quais disse ontem que não iria falar nada.

Entrei no Botafogo com duas missões dadas pela Diretoria – ficar entre os primeiros quatro times do Carioca e subir para a Série A. Saio com a conquista da Taça Guanabara, o vice-campeonato Carioca e a liderança da Série B.

Sim, estávamos passando por um momento difícil, com resultados atípicos para o padrão que foi estabelecido durante a minha passagem. Padrão esse que estava muito além do que qualquer um poderia imaginar no início do ano. Em junho, avisei à Diretoria que passaríamos por um período difícil. Exatamente como aconteceu com o Corinthians e pelo mesmo motivo: desmontagem do grupo inicial. Dito e feito.

4ae12 René Simões denuncia. Dirigentes queriam escalar o Botafogo. Por isso foi mandado embora. Deixando o clube em primeiro lugar na Série B. Esse é o futebol brasileiro...

Para você, torcedor apaixonado (mesmo que conhecedor de futebol), às vezes é difícil entender por que um treinador insiste em um jogador ou outro, mas a verdade é que a saída do Mattos, Jobson, Gilberto e Bill afetaram o time. Um jogador não precisa fazer gol ou ser o melhor em campo para ter um efeito importante nos outros 10. As lideranças fazem diferença.

Não costumo me despedir dos jogadores ao ser mandado embora e fazer entrevistas coletivas. Ontem, pela primeira vez, me despedi deles. Precisava fazer isso, pois o grupo, apesar do que alguns dizem, estava muito unido. Costumo brincar que um treinador tem 11 jogadores que gostam muito dele, 7 que gostam dele e outros tantos que querem que ele seja mandado embora. Nenhum jogador que se preze gosta de ficar fora, mas a sintonia do grupo estava muito boa. Ouso até dizer que foi o grupo mais coeso e profissional com o qual já trabalhei.

Além do mais, não escondo de ninguém que quem escala, tira ou põe sou eu. Para alguns, isso pode ser considerado intransigência, mas escuto apenas a Comissão Técnica e mais ninguém, assumindo 100% de responsabilidade na função para a qual fui contratado. Isso aborreceu alguns, que me chamavam de dono da verdade.

Soube, através da mídia, que o estopim da decisão para minha saída foi a entrevista na qual elogiei a equipe apesar da derrota. Você torcedor, que acompanha cada passo do time, sabe que em todas as entrevistas desde o começo do Carioca comentei performance, independente de resultado. E em inúmeras vezes disse que achei que o time foi mal apesar da vitória, pois me baseio em indicadores, números e estatísticas para passar a minha análise do jogo.

Não poderia ser diferente no jogo contra o Figueirense. Jogamos o primeiro tempo muito bem sim, como fazíamos no Carioca. Com a saída do Elvis e do Otavio, caímos no segundo tempo e não mantivemos o mesmo nível. Isso jogando contra um time de Série A, numa competição que não estava nos planos de meta para 2015, e na qual, infelizmente, perdemos o primeiro jogo na competição, e no nosso estádio, aos 47 minutos do segundo tempo. Fiquei zangado com a derrota, mas resignado em poder focar no Brasileiro, pois estávamos todos confiantes de que o trabalho tinha qualidade suficiente para contornar esse momento difícil. Afinal, alguém esperava que o ano do Botafogo fosse fácil?

5ae7 René Simões denuncia. Dirigentes queriam escalar o Botafogo. Por isso foi mandado embora. Deixando o clube em primeiro lugar na Série B. Esse é o futebol brasileiro...

Minha surpresa foi apenas ao ver que, ao contrário de algumas mensagens internas que recebi em momentos de vitórias, todo o caminho difícil não seria mais trilhado junto. Prefiro ficar com a lembrança das mensagens mais verdadeiras, que recebi ontem. Geralmente quando se está "por baixo" o telefone raramente toca, e receber tantas mensagens e telefonemas de apoio me deixou muito feliz. Quero agradecer a todos que o fizeram.

Saio de cabeça erguida como sempre. Saio com a sensação de ter cumprido tudo aquilo que me foi estabelecido, e com a certeza de que o tempo que gastei me reciclando e me atualizando antes de voltar a atuar como técnico de futebol me fez muito bem, e que tenho uma comissão técnica muito competente.

Aos funcionários, jogadores e torcedores do Botafogo, agradeço pelo tempo que passei no clube, do qual sempre terei boas lembranças.

Obrigado

René Simões"

É bom o novo treinador ler com atenção a carta de René. E se preparar.

Talvez tenha de fazer uma pergunta singela aos dirigentes.

"Qual é o time que eles querem ver escalado?"

Assim é o futebol brasileiro...
6ae2 René Simões denuncia. Dirigentes queriam escalar o Botafogo. Por isso foi mandado embora. Deixando o clube em primeiro lugar na Série B. Esse é o futebol brasileiro...

Os loucos anos de Emerson/Márcio no Parque São Jorge. Valeu a pena o Corinthians ter contratado esse alucinado ser humano. Agora, tem o direito de beijar a camisa que ama: a do Flamengo…

1ae10 Os loucos anos de Emerson/Márcio no Parque São Jorge. Valeu a pena o Corinthians ter contratado esse alucinado ser humano. Agora, tem o direito de beijar a camisa que ama: a do Flamengo...
Emerson Sheik é um personagem criado por Márcio Passos de Albuquerque. Mudou o nome e diminui três anos dos 17 que tinha, fez nova e falsa certidão de identidade. Fez teste e foi aprovado no São Paulo e passou a atuar entre os garotos de 14 anos. Como gato, fez seis jogos pela Seleção Brasileira sub-20. Um pequeno escândalo que todos fazem questão de esquecer.

Seu dom de jogar futebol abriu todos os caminhos. Não quis assumir seu nome verdadeiro, mesmo depois de flagrado pela Polícia Federal, embarcando para o Catar. Foram dez anos se acostumando a ser chamado de Emerson.

Depois do caso Sandro Hiroshi, outro atleta a diminuir sua idade, a diretoria do São Paulo investigou melhor Emerson. E, imediatamente, ele foi despachado para o futebol japonês, onde ficou cinco anos. Depois passou quatro no Catar, onde se naturalizou catariano e disputou as Eliminatórias para o Mundial da África do Sul.

Fez três jogos pelo Rennes da França, passou pelo Flamengo, Emirados Árabes, Fluminense e desembarcou para quatro longos anos de Corinthians, que acabam de terminar. Ele acertou seu retorno para o clube do coração. Pôde se dar a este privilégio. Aos 36 anos, milionário, com a vida resolvida, ainda dá tempo para seu último sonho: se transformar em ídolo de verdade na Gávea, com a camisa rubro-negra que adora, de verdade. O carinho não é falsificado.

Tite sabe o quanto esse homem irreverente foi importante na inédita conquista da Libertadores pelo Corinthians. "Ele fez o diabo em campo. Ironizou, provocou, xingou, mordeu e principalmente jogou muito futebol. O Emerson tem lugar eterno nesta conquista que parecia impossível. O grupo todo foi fantástico. Mas ele foi especial", admite o técnico, com muita saudade daquele 2012 que parece mais distante.

3reproducao6 Os loucos anos de Emerson/Márcio no Parque São Jorge. Valeu a pena o Corinthians ter contratado esse alucinado ser humano. Agora, tem o direito de beijar a camisa que ama: a do Flamengo...

A relação entre Sheik e Corinthians foi inconstante como sua vida amorosa. Cheias de alegrias inesperadas, comemorações, frustrações. Preparadores físicos e fisioterapeutas confidenciam que se ele tivesse um pouco mais de dedicação poderia ter ido muito mais além. Só que ele nunca abriu mão de fazer o que tinha vontade.

2ae4 Os loucos anos de Emerson/Márcio no Parque São Jorge. Valeu a pena o Corinthians ter contratado esse alucinado ser humano. Agora, tem o direito de beijar a camisa que ama: a do Flamengo...

Como morar no luxuoso condomínio de Alphaville, em Barueri, e treinar no CT Ecológico, cerca de 40 quilômetros de distância. Separado, festas e baladas sempre foram constantes na sua vida. Dormir pouco também. Os atrasos aos treinamentos também. Ele ria quando chegou a alugar helicóptero para chegar no horário.

Os dirigentes corintianos nunca foram próximos de Sheik. Principalmente Andrés Sanchez. Se dependesse dele, sairia logo após a conquista da Libertadores, quando estava em alta. E houve a possibilidade de voltar ao futebol árabe. Mas Emerson/Márcio não quis. Disputou o Mundial, foi campeão. Ainda renovou seu contrato por dois anos em 2013, graças à pressão de Tite.

Essa ligação fraterna teve consequências. Fez Sheik dar um beijo na boca de um dono de restaurante. Foi substituído no Brasileiro de 2013, contra o Coritiba. Irritado, não cumprimentou Tite, apesar de o técnico ter sido responsável por sua renovação. Para tentar desviar o foco, foi até o restaurante Paris 6, chamou o amigo Isaac Azar. E decidiram se beijar e colocar na rede social a foto. Seria uma manifestação contra a homofobia. Na verdade, uma maneira de todos se esquecerem do desrespeito a Tite.

3reproducao5 Os loucos anos de Emerson/Márcio no Parque São Jorge. Valeu a pena o Corinthians ter contratado esse alucinado ser humano. Agora, tem o direito de beijar a camisa que ama: a do Flamengo...

A malandragem de Sheik foi excessiva. Só conseguiu despertar o ódio das organizadas e dos dirigentes do Corinthians. O ex-presidente e delegado Mario Gobbi permitiu que os chefes das principais torcidas se trancassem com o jogador. E o fizeram jurar que não era homossexual. E ainda avisaram que divulgaria uma frase atribuída a ele. "Não sou gay porque não sou são-paulino." Se pronunciou de verdade essas palavras, ninguém saberá. Se assumiu a frase para não tomar alguns bofetões, também não.

Pior do que os chefes das organizadas corintianas, só seu relacionamento com Mano Menezes. Os dois se detestavam. Sheik considerava Mano desrespeitoso, arrogante sem consideração pelo time campeão da Libertadores, Mundial. Acreditava que ele tinha prazer em destruí-lo por uma pitada de inveja. Depois de uma discussão ríspida entre os dois, Mano disse a Gobbi que não trabalharia com ele. E Emerson/Márcio foi emprestado ao Botafogo.

O atacante chegou a um clube corroído pelas dívidas. Mas, esperto que é, fez questão de fazer um acordo. O Corinthians seguiria responsável por seus salários de R$ 520 mil. Em General Severiano virou o jogador mais querido. Vendo a necessidade, principalmente dos mais jovens, emprestou, deu dinheiro para aluguel, escola de filhos, remédios, comida de vários companheiros.

Expulso contra o Bahia, no Maracanã, fez questão de antecipar o que aconteceria com José Maria Marin. Andou até a câmera mais próxima e, em close, falou o que muita gente sempre pensou. "CBF, você é uma vergonha!"

Revoltado com a incompetência dos dirigentes, incapazes de pagar os salários em dia, comprou briga com a diretoria botafoguense. Acabou afastado do clube em outubro. Teve férias de quase 90 dias. Com seu salário religiosamente pago pelo Corinthians. Sem ter o que fazer, namorava atrizes e sub-celebridades. E se deixava fotografar e filmar no luxuoso apartamento a beira mar que tem na milionária Barra da Tijuca.

Seu retorno ao Corinthians não foi o que Tite esperava. Sheik voltou irritadiço, tenso. Os atrasos de salários e direitos de imagem mexeram demais com seu comportamento. Ele não esperava que isso acontecesse no Parque São Jorge. Em plena primeira Libertadores no Itaquerão. Foi quando falou a seu agente Reinaldo Pitta. Tinha certeza que seu contrato não seria renovado.

Daí veio à tona sua paixão verdadeira pelo Flamengo. Emerson/Marcio saiu do Fluminense porque, brigado com a diretoria, cantou o funk Bonde do Mengão em pleno ônibus tricolor. Fez de propósito. E quando o troféu da Libertadores veio cair na sua mão, depois da conquista contra o Boca, ele sabia muito bem onde colocava a boca. Irônico para os fotógrafos, beijou o espaço reservado para o clube da Gávea.

1reproducao10 Os loucos anos de Emerson/Márcio no Parque São Jorge. Valeu a pena o Corinthians ter contratado esse alucinado ser humano. Agora, tem o direito de beijar a camisa que ama: a do Flamengo...

Havia prometido que um dia voltaria para o Flamengo. Esse dia voltou. Vai receber R$ 270 mil a menos. Seu salário será de R$ 250 mil a cada 30 dias. Ao lado de Guerrero e Alan Patrick reforçarão a equipe que sonha com uma vaga na Libertadores. O lateral Ayrton do Palmeiras poderá também ir para a Gávea.

Ele jogou no Flamengo em 2009. Fez ótima dupla com Adriano. Mas teve de sair, negociado como Al-Ain dos Emirados Árabes. Agora, não. Aos 36 anos, escolheu onde deverá terminar a carreira. Seu contrato vai até o final do ano, com o clube da Gávea tendo a prioridade para 2016. Ela será exercida se vier a Libertadores.

O Vasco acenou com uma proposta para o jogador. Mas a vida permitiu que ele faça suas escolhas. E virou as costas ao maior dinheiro que viria de São Januário.

Da mesma maneira que se esqueceu do nome Márcio e só atende por Emerson, escolheu a camisa rubro-negra. Vai embora de vez do Parque São Jorge. Sabe que deixou para sempre sua marca.

Apesar de todas as confusões valeu muito a pena o Corinthians ter contratado esse polêmico jogador. A Libertadores deixou de ser inédita graças aso seus dribles, arrancadas, mordida, gols.

Foi um privilégio acompanhar esse alucinado Sheik, com o número 11, do Sport Club Corinthians Paulista, nas costas.

Ele conquistou o direito de voltar beijar a camisa que realmente ama...
5reproducao Os loucos anos de Emerson/Márcio no Parque São Jorge. Valeu a pena o Corinthians ter contratado esse alucinado ser humano. Agora, tem o direito de beijar a camisa que ama: a do Flamengo...

A dolce vita de Emerson Sheik. As regalias do jogador pagas pelo Corinthians. R$ 520 mil mensais. Santos, Flamengo, Vasco, China? Só vai pensar no futuro em 2015. Agora está ocupado…

1reproducao9 A dolce vita de Emerson Sheik. As regalias do jogador pagas pelo Corinthians. R$ 520 mil mensais. Santos, Flamengo, Vasco, China? Só vai pensar no futuro em 2015. Agora está ocupado...
São R$ 520 mil mensais. Pouco importa que tenha sido dispensado do Botafogo há mais de um mês. O dinheiro cai religiosamente na sua conta bancária. Nem executivos das maiores multinacionais norte-americanas ou europeias recebem tanto. Amigos o cumprimentaram por exigir que seu salário do empréstimo fosse vinculado ao Parque São Jorge. Esperto, escapou da fileira de atletas botafoguenses que sofre por atraso de salários.

Emerson Sheik só irá jogar em outra equipe novamente em 2015. As contratações no Brasil estão proibidas. O mercado para o Exterior fechado. O que ele pode fazer? Se manter em forma fazendo ginástica em academia, correr na praia. E aproveitar a vida. Solteiro e muito bem relacionado, se divertir é o que o atacante de 36 anos faz melhor.

2reproducao2 A dolce vita de Emerson Sheik. As regalias do jogador pagas pelo Corinthians. R$ 520 mil mensais. Santos, Flamengo, Vasco, China? Só vai pensar no futuro em 2015. Agora está ocupado...

Conselheiros no Parque São Jorge não cansam de questionar Mario Gobbi. Estão furiosos porque o Corinthians já acumula R$ 40 milhões de déficit em 2014. Querem de qualquer maneira que o clube encontre uma maneira legal para parar de continuar a pagar o salário de Sheik. Gobbi responde que não pode fazer nada. Metade do salário é parte do pagamento do uruguaio Lodeiro. E os R$ 260 mil restantes são responsabilidade corintiana. Esse foi o acordo.

Emerson sabe que não atuará mais no Parque São Jorge. Nem mesmo depois que seu maior inimigo, Mano Menezes, for embora. Ele criou uma área de atrito forte demais com as organizadas ao beijar na boca o dono do restaurante Paris 6. A rejeição ao atacante por parte dos chefes das torcidas já foi passada aos candidatos a presidente do Corinthians.

O ódio entre Mano e Sheik é recíproco. Ambos garantem que nunca mais trabalharão juntos. O treinador por acreditar que o jogador estava acomodado no Corinthians. E sem o menor envolvimento na recuperação do time nesta temporada. O atacante não esconde de ninguém que considera Mano o técnico mais arrogante com que já trabalhou. Os dois não fazem questão nem de disfarçar. Confirmam publicamente que não aceitam trabalhar um com o outro.

3reproducao1 A dolce vita de Emerson Sheik. As regalias do jogador pagas pelo Corinthians. R$ 520 mil mensais. Santos, Flamengo, Vasco, China? Só vai pensar no futuro em 2015. Agora está ocupado...

Sheik perdeu o apoio também de um treinador com quem sempre se deu muito bem. E responsável pela renovação do seu contrato no Corinthians: Tite. O técnico que está para voltar ao Parque São Jorge ficou decepcionado com a falta de dedicação do jogador no último semestre de 2013. Quando mais precisou dele, de sua personalidade irreverente, de sua liderança. Emerson estava desinteressado. E não percebia o quanto Tite foi criticado por ter convencido Gobbi a renovar contrato com o veterano atleta. Em vez de se dedicar, Sheik se omitia.

Caso retorne mesmo ao Parque São Jorge, Tite não quer trabalhar novamente com Emerson. Na nova reformulação que o time sofrerá, ele está fora. Roberto Andrade, Paulo Garcia ou Ilmar Schiavenato. Quem vencer a eleição no Corinthians tentará um acordo com Sheik. Tentará economizar R$ 3,1 milhões. E rescindir o contrato do jogador. Seria o primeiro ato dos sonhos dos candidatos.

Acontece que Emerson está longe de ser bobo ou ingênuo. A não ser que ele tenha uma proposta financeiramente muito compensadora, não vai jogar no lixo seis meses de salários. Por isso empresários ligados à periferia do futebol mundial buscam clubes para o jogador. Os mercados chineses, norte-americanos e árabes são os mais indicados ao veterano atacante.

No Brasil, conselheiros corintianos ouviram nos últimos dias o nome do Santos. Dependendo de quem vença a eleição, Sheik poderia ser emprestado até o final do seu contrato para a Vila Belmiro. O jogador teria também boas relações com o Vasco e Flamengo. Todos esses clubes não aceitariam pagar o salário integral do atacante. Apenas a metade. O que já seria uma economia de mais de R$ 1,5 milhão.

4reproducao1 A dolce vita de Emerson Sheik. As regalias do jogador pagas pelo Corinthians. R$ 520 mil mensais. Santos, Flamengo, Vasco, China? Só vai pensar no futuro em 2015. Agora está ocupado...

Sheik não está nem um pouco preocupado. Sabe que legalmente está amparado. E a amigos já disse que fará o que for melhor para ele e sua família. Primeiro ele deseja esperar pelo desligamento oficial de Mano Menezes do Parque São Jorge. E o fim do vínculo com o Botafogo, até o final deste ano.

Suas férias serão de quase três meses. O jogador acertou ontem sua participação em um amistoso contra veteranos da Seleção Argentina em Natal. A partida festiva acontecerá no dia 23 de novembro. Sheik ganhará cachê para atuar com Marcos, Cafu, Edílson e outros contra Caniggia, Mancuso, Batistuta. Sheik tem o status de grande estrela da festa.

Enquanto isso no Parque São Jorge, todo final de semana é a mesma coisa. Conselheiros almoçam revoltados com o dinheiro desperdiçado no atacante. E que tanto fez para o clube vencer a sonhada Libertadores, em 2012. Parece até que foi em outra encarnação. Ninguém poderia supor que aquele atleta tão importante se tornaria alguém que virou símbolo de dinheiro jogado fora. Cobram omissão de Gobbi, mas o irritado presidente responde que não pode fazer nada contra. Legalmente está tudo acertado.

Só que os três candidatos à presidência corintiana não comungam da mesma opinião. Farão de tudo para se livrar de Emerson. Tentando não pagar nem mais um centavo do excelente salário de R$ 520 mil que recebe. Sheik sabe de tudo isso. Mas não se importa. Pensará nisso em fevereiro, após as eleições. Antes disso quer acompanhar de camarote a saída do seu inimigo declarado, Mano Menezes, do Corinthians. Até lá, no entanto, tem muito o que fazer...

Loco Abreu cansou de sofrer no Botafogo. E quer outro clube para jogar… O que aconteceu ontem em Santa Catarina foi a gota d’água…

r7.com10 Loco Abreu cansou de sofrer no Botafogo. E quer outro clube para jogar... O que aconteceu ontem em Santa Catarina foi a gota dágua...

Lógico que há motivos de sobras para criticar o Argentino Juniors e a Conmebol.

Em Buenos Aires aconteceu um espetáculo vergonhoso, lamentável, horripilante.

Mas e em Santa Catarina?

Avaí e Botafogo foram grotescos.

A briga após o jogo não tem cabimento.

As imagens já circulam pelo mundo.

O Brasil é mais uma vez ridicularizado.

E merece.

Não se justifica o que os jogadores fizeram no gramado de Florianópolis.

A CBF não terá moral para cobrar suspensão de ninguém se não punir gravemente catarinenses e cariocas.

Por mais que Ricardo Marques Ribeiro tenha sido um árbitro confuso, incoerente.

Não tenha marcado um pênalti claro e dado outro mais do que duvidoso para o Avaí...

Marquinhos deveria ter feito a festa da classificação com seu time, seu técnico, seus torcedores.

Menosprezar Loco Abreu só acendeu o rastilho de pólvora...

E o uruguaio deveria ter reagido durante a partida, feito dois, três gols...

Socos, pontapés e um agarrão ridículo em Marquinhos não vão compensar o final do semestre ao Botafogo...

O vexame no Campeonato Carioca ficou pior com a participação vergonhosa na Copa do Brasil...

O Botafogo já deve cerca de R$ 300 milhões...

Ficará até o dia 22 de maio sem disputar uma partida oficial...

Terá de assistir aos jogos finais do Carioca...

Da Copa do Brasil...

Treinar, remodelar a equipe...

Sem dinheiro, com a moral baixa demais...

Caio Júnior precisa juntar os cacos.

E ter a coragem de afastar quem não tem condição técnica de jogar por um time tão importante.

Não foi por acaso que Marcelo Mattos pediu reforços.

Todos sabem da fragilidade da equipe.

E do sério risco de rebaixamento no Brasileiro.

O blog antecipa aqui o que empresários importantes do Brasil estão garantindo...

Loco Abreu está disposto a trocar de clube.

Mesmo antes da briga estúpida de ontem, ele já estava disposto a deixar o Botafogo.

Vai completar 35 anos.

Acredita que precisa buscar um clube onde sofra menos.

Com maior potencial técnico.

Onde a bola chegue mais ao ataque.

O Botafogo já é a sua 17ª equipe, mudar não é problema para ele.

Quando não está tendo mais prazer onde está, é o que faz...

E se cansou de sofrer no Botafogo...

Embora veterano, sabe que há times interessados de toda América do Sul.

No Brasil, seu nome é muito comentado no Corinthians.

O presidente Maurício Assumpção vai tentar segurar o uruguaio e buscar reforços baratos.

Mas ele sabe que não será fácil.

O desgaste do Botafogo em 2011 já é enorme.

A vida financeira do clube só piora.

As desclassificações antecipadas do Campeonato Carioca e da Copa do Brasil fizeram com que o clube deixe de arrecadar milhões de reais...

E aumentar o descrédito de seus atletas, cada vez mais desvalorizados...

A enorme briga de ontem não teria acontecido, por exemplo, se o potencial botafoguense fosse maior do que o do Avaí...

Os dois times se equivalem.

Por isso cada lance será discutido até a eternidade.

Sim, o Botafogo foi prejudicado...

Mas se tivesse um time melhor, teria vencido o confronto pela vaga na Copa do Brasil...

Não teria empatado em 2 a 2 no Rio...

A situação é mais triste do que vergonhosa...

Protestar pela arbitragem não vai esconder a própria incompetência...

O Botafogo precisa se reinventar...

Sem dinheiro, apostar tudo o que tem e o que não tem nas categorias de base...

Deixar de depender de veteranos fracos tecnicamente que jogam em General Severiano por falta de opções...

A hora de reagir é agora...

Ou, então, esperar passivamente chegar a Segunda Divisão do Brasileiro em 2012...

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Conheça todos os blogs do R7


Joel Santana não tinha o direito de ironizar o fracasso do Botafogo. Ele é mais seu do que de Caio Júnior…

divulgacao231 Joel Santana não tinha o direito de ironizar o fracasso do Botafogo. Ele é mais seu do que de Caio Júnior...
Joel Santana não tinha o direito.

Ele não.

Execrar o Botafogo por não ter conseguido chegar sequer às semifinais da Taça Rio.

Dizer hoje que iria mais longe se ainda estivesse comandando o time.

Ver o Campeonato Carioca acabar com uma antecedência inaceitável.

Nas manipuladas fórmulas dos estaduais, a previsão era uma semifinal disputada entre os quatro grandes.

Mas o Botafogo agora de Caio Júnior titubeou.

Já vinha mal nas mãos de Joel Santana, ninguém se esqueça.

Descambou de vez contra o Flamengo.

E o Vasco ajudou como pôde ao empatar com o Olaria.

Por coincidência, que coincidência boa..., irá enfrentar de novo o time pequeno na semifinal.

Não o Botafogo...

Mas quem deixou os vascaínos terem essa opção foi o próprio Botafogo.

O choque do defensivismo de Joel Santana com a ofensividade de Caio Júnior foi demais para o time.

A equipe se perdeu nos conceitos.

Não fez bem nem uma coisa nem outra.

Está desclassificada com toda a justiça.

Envergonhada com a perda precoce da disputa pelo bicampeonato, a diretoria vê na Copa do Brasil uma saída digna.

Fazer o time se desdobrar para não passar por novo vexame.

E buscar reforços.

Ricardinho, pedido especial de Caio Júnior, já está bem adiantado.

O clube também promete investir no interior paulista.

Enquanto isso, a polícia protegeu General Severiano.

O medo era dos próprios torcedores botafoguenses.

Mas eles não tiveram nem motivação para reclamar, xingar, cobrar.

Acharam que não valia a pena.

Neste ambiente desolador, não fica nada bem Joel Santana querer aparecer.

Foi excelente em 2010.

Começou mal demais 2011.

Não suportou as merecidas vaias que tomou.

E pediu para ir embora.

Se saiu, esqueça o clube.

Não se aproveite da tristeza, do fracasso que ele mesmo contribuiu demais para se materializar.

Joel, não era a hora.

Continue no seu exílio esperando um novo clube.

Deixe o sofrido Botafogo lamber suas feridas...

Com cerca de R$ 300 milhões em dívidas, o clube faz o que pode...

E não é muito...

Por sorte, a diretoria não é tão irresponsável quanto tantas que passaram por lá...

Seria muito fácil aumentar ainda mais as dívidas com contratações milionárias...

E deixá-las para quem vier a assumir o clube...

Maurício Assumpção pode ser atacado por várias atitudes...

Menos a de dilapidar ainda mais General Severiano...

E no atual universo de presidentes de clubes, essa postura é uma dádiva...

No futebol é evidente que o clube tem um time limitado, carente...

Você melhor do que ninguém sabe disso, Joel...

Lidou com essa dificuldade até ontem...

Respeite o sofrimento do clube que diz que ama...

E responda porque 2010 parece estar tão distante...

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Conheça todos os blogs do R7


Jobson. Uma aula de como tentar jogar a carreira fora. Atlético e Botafogo se cansaram dele. Oferecido ao Palmeiras, Felipão avalia…

divulgacao44 Jobson. Uma aula de como tentar jogar a carreira fora. Atlético e Botafogo se cansaram dele. Oferecido ao Palmeiras, Felipão avalia...
Poucos jogadores de futebol, no final de suas carreiras, podem olhar para trás e pensar:

"A vida me deu várias chances".

Este não será nunca o caso de Jobson.

Atacante rápido, ousado, atrevido.

Surgiu como grande esperança no Brasiliense.

O ex-senador Luís Estevão, dono do clube, viu nele a possibilidade de fazer muito dinheiro.

Mas logo Jobson se mostrou muito atraído pelas tentações da vida.

Mulheres, bebidas, noitadas, punições e fugas para o Pará, onde nasceu e tem família.

Logo as situações ficaram repetitivas, rotineiras.

Luís Estevão se cansou, mas não queria perder dinheiro.

Tratou de emprestá-lo para o mais longe que conseguiu.

E lá foi Jobson jogar na Coréia do Sul, no Jeju United.

Não se acostumou à rigidez oriental.

E muito menos os coreanos se adaptaram ao brasileiro e seus atrasos.

Trataram de devolvê-lo.

Foi quando o Botafogo acabou o levando.

Rio de Janeiro...

Time grande, torcida, dinheiro no bolso.

Noitadas...

Se Jobson logo chamou a atenção de todos no Botafogo: pelos gols e pelas baladas e baladas.

Os jogadores faziam rodízio para sair com ele.

Ninguém suportava o seu ritmo forte.

Os atrasos já começavam a incomodar, quando ele foi pego no antidoping.

A substância apontada foi cocaína.

Um dia, ele disse que a consumiu pura.

No outro, ela chegou ao seu organismo graças ao crack.

Não importa.

Estava negociado com o Cruzeiro quando estourou o escândalo.

Tudo foi desfeito.

Foi suspenso por dois anos.

Dois anos...

Mas o destino o ajudou e a pena caiu para apenas seis meses.

Uma oportunidade de ouro para se recuperar.

Voltou ao Botafogo.

Mas nem Joel Santana, com toda a sua paciência suportou os atrasos, a volta às noitadas de Jobson.

Gastou saliva tentando convencer o atacante a se levar a sério.

Se cansou.

E logo o Atlético Mineiro surgiu e o levou emprestado.

Com a saída de Tardelli e Obina, a diretoria acreditou que o jogador teria todo o espaço para atuar.

Só que não contavam com a seriedade de Dorival Júnior.

Com ele, Jobson não seria tratado como um menino levado.

Pelo contrário.

O técnico, que sabia de toda a história do atleta, foi direto.

Ou ele se enquadraria ao clube e seria seu titular ou ficaria de lado.

Jobson não teve espaço e nem companhia para aprontar.

Dorival Júnior conseguiu montar um grupo consciente e disciplinado.

O time recebe em dia.

Mas sabe que não há espaço para indisciplina ou falta de entusiasmo.

Jobson se viu isolado, pressionado.

E sem ninguém para o mimar, como acontecia nos tempos do Brasiliense, do Botafogo.

Nem mesmo sua mãe, dona Lourdes, que perdeu oito quilos por sofrimento...

Enquanto durou a suspensão do filho por uso de cocaína...

É a única pessoa no mundo que não acredita que ele tenha usado drogas...

Mesmo diante da confissão do atacante...

Coisa de mãe...

Quem tem sabe o que é...

Jobson pediu para sair do Atlético Mineiro.

Alegou falta de adaptação.

Dorival Júnior não moveu uma palha para segurá-lo.

O treinador sabe quanto tempo perdeu tentando convencê-lo a se dedicar à carreira...

A direção do Atlético Mineiro o quer devolver.

O Botafogo não o deseja de volta.

Situação absurda, criada pela falta de responsabilidade, amor à profissão de um jogador.

Mas o destino parece não se cansar de Jobson.

Empresários o estão oferecendo ao Palmeiras.

Felipão já disse uma vez que gostaria de ter o atleta.

Que o endireitaria.

As negociações mal começaram.

Pode ser que não dê em nada.

Mas só o interesse do Palmeiras recoloca o interesse de outras equipes em Jobson.

Realmente, ele nunca poderá reclamar de falta de oportunidade na vida, na carreira.

Que pense agora.

Tem 23 anos e a história de um jogador veterano, problemático, sem rumo...

Seu sonho é passar a aposentadoria pescando no Pará.

Pode ser em um barco moderno e seu...

Ou em uma vara de pescar, sentado na margem do rio...

As escolhas que fizer daqui por diante na vida é que definirão a qualidade de vida que terá e dará à sua família...

Pense bem, Jobson...

Um dia o destino vai cansar de você...

Honre o sofrimento de dona Lourdes...

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Dívida segurou os quatro do Rio ao Clube dos 13…E abre espaço até para conciliação…

divulgacao0084 Dívida segurou os quatro do Rio ao Clube dos 13...E abre espaço até para conciliação...
A polêmica união dos clubes cariocas para a discussão dos direitos de transmissão precisa de intérprete.

Uma explicação sobre o motivo que os fez se juntar e não sair do Clube dos 13.

A resposta é simples, direta.

Vem dos assessores de Fábio Koff.

Eles não se desfiliaram por dinheiro.

Juntos devem mais de R$ 60 milhões à entidade.

Como?

Empréstimos e adiantamento de cotas de televisão.

Se fossem se desfilliar teriam de pagar à vista o que devem.

Então o caminho foi o da esperteza.

Eles inventaram uma licença por conta própria.

Continuam filiados, não pagam o que devem e negociam à parte só o direito dos Brasileiros de 2012, 13, 14.

Koff não está disposto a aceitar a tal licença nada poética.

Para ele ou os clubes pagam e fazem o que quiser da vida...

Ou ficam e participam normalmente das decisões do Clube dos 13...

Isso abre a possibilidade de conciliação...

Koff também quer imediatamente os R$ 25 milhões que o Corinthians deve.

Como Andres anunciou a sua desfiliação, tem de pagar.

O maior aliado de Ricardo Teixeira nesta revolta finge que não é com ele.

E nem ameaça pagar.

O Coritiba já aderiu aos revoltosos.

O Cruzeiro está próximo.

Os presidentes de Santos e Palmeiras mudam de postura de hora em hora.

Juvenal Juvêncio tem, por enquanto, o grande apoio de Inter e Grêmio para tentar manter o Clube dos 13 vivo.

A TV Globo jura que não negociará com o C13 de jeito nenhum.

Mas muita gente importante acredita ser um blefe da emissora carioca.

Continuam as reuniões, telefonemas, promessas e mentiras.

Muitas mentiras...

Os bastidores do futebol brasileiro poucas vezes estiveram tão sujos...

Veja mais:
+
Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

O substituto de Bruno rouba a cena de Ronaldinho Gaúcho. Mas a Taça Guanabara ainda não é do Flamengo…

divulgacao128 O substituto de Bruno rouba a cena de Ronaldinho Gaúcho. Mas a Taça Guanabara ainda não é do Flamengo...
A Felipe o que é de Felipe...

Ele roubou a cena e levou o Flamengo à decisão da Taça Guanabara contra o Boavista.

O ex-corintiano conseguiu compensar o que Ronaldinho Gaúcho e o esquema de Luxemburgo não fizeram.

O instável goleiro jogou como nunca no Engenhão.

Não só foi decisivo nas cobranças dos pênaltis.

Durante o jogo foi ele quem garantiu o empate em 1 a 1.

Está certo que Joel Santana levou 45 minutos e a desvantagem por 1 a 0 no primeiro tempo para atacar.

Foi a pitada de coragem que precisou para o time encurralar o Flamengo de Luxemburgo.

A impressão que a semifinal deixou foi a de desperdício...

Se Joel colocasse sua equipe no ataque desde o início ganharia o jogo.

Os raros contragolpes pararam no ótimo goleiro Jeferson...

O gosto amargo ficou na garganta dos botafoguenses por causa dos pênaltis...

De Felipe...

Mas a festa flamenguista, a felicidade de ir para a final contra o pequeno Boavista não esconde o principal...

Ronaldinho Gaúcho...

Outra atuação abaixo do esperado...

Um chute perigoso ao gol durante todo o jogo.

É muito pouco.

Está repetindo atuações pífias como no tempo do Milan...

Não adianda dar toques de calcanhar ou gingar em cima da bola no meio de campo...

Precisa ter habilidade, força física e velocidade para fazer jogadas assim na área adversária...

Não foi o caso de hoje...

O Flamengo chegou aos trancos e barrancos à decisão...

Todos sabem...

O primeiro turno do Campeonato Carioca foi de péssimo nível técnico...

Fluminense e Botafogo são equipes melhores definidas taticamente do que os finalistas...

Mas conseguiram ser piores e mereceram a eliminação nos pênaltis...

O Flamengo tem mais nome, tradição e jogadores caros do que a equipe de Saquarema...

Mas a decisão é imprevisível...

Mesmo com Ronaldinho Gaúcho, ninguém pode apostar de olhos fechados.

Muito pelo contrário...

O Flamengo só está na final graças a excelente atuação de Felipe...

O substituto de Bruno...

Apesar do carnaval antecipado, o primeiro turno, que os cariocas batizam de Taça Guanabara, ainda não tem dono...

Loco Abreu se cansou mesmo do Botafogo de Joel Santana…Quer um time que tenha coragem de atacar…

gettyimage28 Loco Abreu se cansou mesmo do Botafogo de Joel Santana...Quer um time que tenha coragem de atacar...
Loco Abreu é um definidor de jogadas.

É incapaz de armar um atacante, sair driblando da intermediária.

Sua característica é outra, ficar ciscando de um lado para o outro na área adversária.

É tudo que seu físico e seu talento permitem.

Seu faro para o gol é indiscutível.

Mas há um detalhe fundamental.

A bola precisa chegar aos seus pés.

Do outro lado está Joel Santana.

O colecionador de Campeonatos Cariocas.

Pode não falar inglês com o sotaque de Oxford...

Mas tem uma visão privilegiada de um jogo de futebol.

Principalmente das limitações do time que lhe entregam para treinar.

Fez história e fama assim.

Sabe que o potencial do Botafogo não melhorou desde 2010.

Mesmo assim, tirou água de pedra e conquistou o Campeonato Carioca.

Desbancou o Império do Amor que dominava, em todos os sentidos, o Flamengo.

Recusou ir para a Gávea.

Foi fiel à palavra dada e ganhou respeito e todo o espaço possível em General Severiano.

Continuou montando uma equipe traiçoeira, que permite o ataque do inimigo e vence seus jogos nos contragolpes...

Depois do título carioca, quase fica com uma das vagas para a Libertadores.

Perdeu porque não tinha elenco forte o suficente.

E todos reconheceram.

O ano foi excelente.

Do lado do portão de fora do Botafogo.

Internamente, entre os jogadores sempre houve um descontentamento.

Se gostaram do resultado, detestaram o caminho.

Principalmente os atacantes.

Eles se cansaram de precisar de sobras, escanteios, bolas paradas, erros dos zagueiros adversários.

Queria que o Botafogo tivesse coragem...

Buscasse jogar na frente, tentando encurralar o adversário...

Não pedir para ser encurralado...

Loco Abreu aproveitou o apelido e ousou desafiar Joel publicamente.

Reclamou por sair do time e da maneira que a equipe atuava, lógico, defensivamente.

Vários jogadores que foram treinados por ele dizem que ele não é tão amistoso longe das câmeras.

E Loco Abreu descobriu isso em uma conversa séria, forte, de cima para baixo...

O atacante foi enquadrado...

Mas mal começou o ano, logo no primeiro jogo do Carioca, contra o Duque de Caxias...

E tudo igual...

Botafogo passando sufoco, virando o jogo com a água no pescoço...

Pouquíssimas bolas para Loco Abreu que fez o gol de pênalti...

E não saiu satisfeito...

Reclamou do esquema tático...

Joel Santana afirmou ser uma questão de opinião...

Mas já mostrou novamente quem manda no clube.

Loco Abreu é mais racional do que deixa transparecer...

Ele sabia que reclamando na televisão, tocando no assunto que Joel detesta, haveria reação...

O uruguaio nômade já percebeu como será 2011 se ele continuar no Botafogo...

Ainda há um resquício do fugaz sucesso da Copa da África...

Ele pode arrumar uma transação...

Mais uma na sua vasta carreira...

A impressão é essa no clube...

A que ele está procurando sarna de propósito...

Por que sente que se continuar no clube que tão bem lhe acolheu, seus gols serão poucos, muito poucos...

Joel e sua teia que envolve os adversários não possibilitam a um definidor ser chamado de artilheiro...

Esse impasse tem tudo para não terminar bem...

Se Joel Santana já perdeu a paciência...

O uruguaio que de louco não tem nada, muito mais...

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Ordem do prefeito do Rio desarmou farsa absurda de Somália…

divulgação2214 Ordem do prefeito do Rio desarmou farsa absurda de Somália...
O presidente do Botafogo, o dentista Maurício Assumpção, é um gentleman.

Esteve sempre ao lado de Jobson no caso do exame antidoping pelo uso de crack.

Foi ele quem defendeu o retorno do jogador, enfrentando toda a sua diretoria, contrária à decisão.

Até mesmo quando Jobson voltou a aprontar, atrasando, faltando a treinos do time, Assumpção se conteve.

Emprestou-o ao Atlético Mineiro sem desmoralizar o atacante.

Bastaria contar a verdade, tudo o que Jobson aprontou.

Sem aumentar uma palavra e o jogador seria apreciado com outros olhos pela torcida do Atlético Mineiro.

Jobson não conseguiu tirar Maurício Assumpção do sério.

Mas Somália... sim.

O dirigente está revoltado com o comportamento absurdo do seu jogador.

Ele tem o péssimo costume de chegar atrasado aos treinamentos.

Foi assim durante 2010.

O paciente Joel Santana quis até afastá-lo da equipe diante da falta de compromisso com o relógio.

Somália foi alertado antes de sair de férias que estava na alça de mira de Joel e da diretoria.

Pois bem, logo no primeiro dia de trabalho do time, ele falta.

Telefona avisando que havia sofrido um sequestro-relâmpago.

A notícia foi divulgada no mundo inteiro.

Mais uma desmoralização da segurança do Rio de Janeiro, cidade da final da Copa de 2014 e da Olimpíada.

Ele deu detalhes do sequestro.

Disse que teve um cordão de ouro e relógio roubados e teve sorte porque o sequestrador não o reconheceu.

Só por isso foi solto.

Fez até um boletim de ocorrência, no 16º Distrito Policial, na Barra da Tijuca.

Disse aos policiais que passava o tempo todo pensando na filha.

Tinha medo de ser morto.

Foi a mesma história que contou para os dirigentes do clube.

Acabou tratado como um herói e ninguém se lembrou do dia de treino que perdeu.

Acontece que os policiais do Rio receberam ordem do prefeito do Rio, Eduardo Paes.

Ele queria o crime resolvido.

Até para limpar a imagem da cidade no Brasil, no mundo.

Logo na primeira averiguação, a história de Somália ruiu.

Ele disse que havia sido sequestrado às 7h da quarta-feira.

Só que as imagens gravadas por câmeras no seu próprio prédio o denunciaram.

Ele chegou às 4 da madrugada no prédio.

Com o cordão de ouro e o relógio que disse terem sido roubados.

Às nove da manhã sai do prédio sem o cordão e o relógio, e vai para a delegacia.

Para os policiais não há dúvida: ele inventou o sequestro.

No Botafogo, a confirmação.

Ele não queria ser multado em 40% do salário como havia sido ameaçado caso se atrasasse em 2011.

Somália preferiu usar a criatividade, a mentira, para escapar da punição.

Só que foi desmoralizado pela polícia.

Nunca ele iria imaginar que o próprio prefeito carioca iria exigir uma investigação detalhada sobre o caso.

E ficou claro que ele foi capaz até de usar a própria filha para tentar sensibilizar os dirigentes do clube.

Maurício Assumpção está revoltado com a traição de Somália.

Joel Santana pediu que não rescindisse o seu contrato.

Ele é importante no time para 2011.

O gentleman presidente concordou.

Apenas avisou que Somália terá de arrumar um advogado para enfrentar a Polícia Civil.

Ele deverá ser processado por haver criado essa incrível farsa.

Pode pegar de um a seis meses de detenção.

Foi ridículo, irresponsável.

Policiais que poderiam estar trabalhando contra o tráfico de drogas no Rio, tiveram de perder tempo com essa fantasia colegial de Somália.

Maurício Assumpção não se conforma com a atuação dramática e mentirosa digna de novela do jogador.

O volante precisará jogar tudo o que sabe e o que não sabe para continuar no Botafogo.

Poderá ser dispensado por qualquer bobagem que aprontar.

Ele já foi avisado.

Também, como o teatro de nada adiantou, será multado em 40% do salário por perder o primeiro dia de treino.

Poucas vezes na história do futebol brasileiro uma multa foi tão bem aplicada...

Ele que escolha bem o advogado, a Polícia Civil do Rio está indignada...

E ansiosa por processá-lo pela denúncia mentirosa.

Quer que sirva de exemplo...

Para que jogadores nunca mais envolvam com farsas egoístas a ocupadíssima polícia do Rio de Janeiro...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Página 1 de 41234