Com a vergonhosa derrota para o Goiás na semana passada, o Palmeiras foi eliminado da Sul-Americana.

Se vencesse a competição estaria classificado para disputar a Libertadores de 2011.

A busca de reforços seria surpreendente.

Projetos para o retorno de Ronaldinho Gaúcho e Adriano seriam levados à frente.

A tentativa da recontratação do zagueiro Henrique.

E mais dois estrangeiros de alto nível...

A Traffic voltaria a investir forte, com a visibilidade da Libertadores.

A ideia era não ficar nada a dever ao Corinthians, Santos, Fluminense, Cruzeiro e Internacional...

Só que a eliminação teve consequências constrangedoras.

Sem ter como convencer investidores, o Palmeiras partiu para uma triste estratégia.

O clube acaba de conseguir um empréstimo para pagar o 13º e o salário de dezembro.

Empréstimo com quem?

Com a Federação Paulista de Futebol.

O presidente e conselheiro do Palmeiras, Marco Polo de Nero, liberou uma quantia que gira em torno de R$ 10 milhões.

De onde saiu esse dinheiro?

Da antecipação da transmissão do Campeonato Paulista de 2012...

O de 2011 já foi...

As dívidas do Palmeiras já ultrapassam R$ 80 milhões.

O departamento de futebol é o mais deficitário.

Em dois anos de administração Belluzzo, nenhum título.

O time não venceu competição alguma.

Para não comprometer ainda mais o orçamento, o Palmeiras busca ofertas de ocasião no mercado.

O problemático Jobson é a prioridade.

Quanto mais ele apronta no Botafogo, fica mais fácil a sua contratação.

Belluzzo tenta convencer o presidente Mauricio Assunção a cedê-lo por empréstimo.

Só que o time carioca quer incluí-lo na negociação com o Panathinaikos e Marcelo Mattos.

E se livrar de vez do jogador que tanto apoiou no caso do doping por cocaína.

Leandro que será dispensado do Grêmio também interessa.

Não há problema se ele foi para uma festa na torcida organizada do São Paulo e ficou ironizando o Corinthians.

Se ele estiver livre e aceitar só salários poderá, sim, jogar no Palmeiras.

Do Atlético Paranaense, o sonho é Chico.

E não param de chegar DVDs de jogadores do Guarani, Ponte Preta e de times do empobrecido interior paulista.

Além de vários times da série B.

O castigo de Luiz Felipe Scolari será analisá-los para autorizar a contratação de alguns.

O ambiente entre a diretoria e Kleber segue ruim.

O empresário do jogador é quem tenta contornar a situação.

O atacante não esperava ser repreendido em público.

E muito menos ter ouvido que se estivesse irritado com o atraso de salários poderia ir embora.

Valdivia também será muito cobrado.

Ninguém se conforma pelas avaliações erradas da sua recuperação do estiramento na coxa.

Avaliações que ele fez e o deixaram de fora da semifinal contra o Goiás.

Como os dirigentes não cansam de dizer, nem Valdivia e muito menos Kleber são inegociáveis.

No meio deste ambiente pesado, haverá eleições no início do ano.

O quadro atual mostra Belluzzo tentando a reeleição, mesmo contrariando sua família.

Palaia continuaria com o controle do futebol.

Na oposição, o nome mais forte para enfrentá-lo é o de Arnaldo Tirone Filho, o Pituca.

O milionário Paulo Nobre corre por fora.

Conselheiros se dividem, não sabem quem apoiar.

Este é o quadro atual do Palmeiras...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

http://r7.com/MXNg