chato São Paulo coagiu ou não a mãe de Oscar? Ministério Público e FPF precisam acordar...

A acusação é pesada demais.

O presidente do Sindicato dos Atletas Profissionais de São Paulo, Rinaldo Martorelli, já havia falado ao blog nesta semana sobre os garotos que abandoram o São Paulo.

Disse que iria investigar e disse que daria uma entrevista coletiva hoje.

E falou.

Garantiu que o clube coagiu a mãe de Oscar para que ele se emancipasse e assinasse um contrato de três anos com o clube.

A mãe do menino.

O presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, rebateu à tarde.

Mandou a sua diretoria jurídica rebater.

Por meio de um comunicado, a diretoria classifica Martorelli como oportunista e leviano.

E negou ter coagido a mãe de Oscar.

A situação fica ainda mais constragedora ao analisar a declaração que Sueli, a mãe do jogador deu ao Estadão.

Ele se referia ao gerente das categorias de base do São Paulo, Geraldo de Almeida.

"Quando ele me ligou, já estava no cartório aqui em Americana e fiquei com medo porque o Oscar era uma criança.

 Mas me fez assinar ao falar que ele não jogaria mais no São Paulo."

A situação está exposta da maneira mais clara possível.

Martorelli disse que vários outros garotos vão entrar com processos contra clubes paulistas.

Se a rica Federação Paulista de Futebol quiser agir, ver onde está a verdade, o momento é esse.

Não só no São Paulo, mas nas categorias de base dos clubes mais importantes do Estado.

Várias denúncias acontecem nos bastidores.

Só faltava uma vir a público de maneira clara.

Basta o presidente Marco Polo del Nero se mexer.

O Ministério Público acordar.

E a vida de muitos garotos poderá mudar.

Isso está acontecendo em um dos clubes mais ricos e organizados do País.

Dá até medo pensar no que acontece nos outros.

Se você tiver uma denúncia a fazer, o momento é esse...

http://r7.com/DR6s