Santos%20dan%C3%A7a%20grande Santos, o time mais talentoso (e o mais prepotente) do Brasil...

"Acho que esses meninos estão um pouco abusados.

Eles têm talento.

Mas ganharam de que times?

No Santos que eu joguei, ganhamos de Milan, Juventus, Benfica, Real Madrid.

E todos sempre fomos humildes."

As palavras são de Pelé.

"Ô Vanderlei, pode esperar...a tua hora vai chegar."

Coro dos jogadores santistas se referindo ao técnico do Atlético Mineiro.

"Eu quero ver esse time do Santos de Neymar, Ganso, Robinho jogando a Libertadores.

Não o Paulista."

Frases do ex-jogador Amoroso.

"Se jogarmos o que jogamos nos primeiro quatro meses pode ter Wagner Tardelli, Armando Marques e até Vanderlei Luxemburgo que não tem para ninguém."

Afirmação do presidente do Santos, Luís Álvaro Ribeiro.

"Craque joga futebol.

O craque é reconhecido dentro de campo, e não abaixando a calça do companheiro em entrevista", respondeu Luxemburgo, relembrando o episódio em que Robinho baixou as calças de Diego no fracassado Pré-Olímpico de 2004. O Brasil não conseguiu vaga para a Olímpiada de Atenas.

"Eu sou foda. Eu sou foda. Eu sou foda", dizia Neymar comemorando seus gols na final e apontando o seu nome nas costas.

Os jovens jogadores santistas ridicularizaram a brega festa de entrega dos melhores do Campeonato Paulista.

Brincavam entre eles, riam, ironizavam os vencedores.

"Isso tudo que eles estão fazendo não é coisa de menino. É de moleque", acusa Diego Tardelli.

Resumo da ópera, de sensação...

De resgate do futebol arte...

O Santos se transformou no time mais criticado, mais prepotente, mais chato do País.

Os talentosos meninos não mais vistos com simpatia.

Pelo contrário.

Basta colocar a lente de aumento.

Neymar, Ganso e Robinho não são tão bonzinhos assim.

Desde o chapéu com a bola parada que Neymar deu em Chicão do Corinthians.

As risadinhas do time irritaram até o frio e profissional Ronaldo.

Foi fácil perceber nas duas partidas contra o Santo André o quanto eles provocaram os rivais.

Não só jogando.

Mas falando, xingando, tentando humilhar.

"Vocês não sabem quem são esses caras dentro de campo.

Vocês não sabem. Eles se acham. Muito mais do que são", disse Nunes do Santo André ao ser expulso na final do Paulista.

Há quem garanta que os meninos eram muito mais tranqüilos até a chegada de Robinho.

Foi ele quem aprimorou as dancinhas, as comemorações dos gols exageradas, narcisistas.

Realmente, foi ele quem comandou todas as brincadeiras e provocações após a conquista do Paulista.

Inclusive o canto provocativo em relação a Luxemburgo.

Pois bem: a hora que diziam para o técnico e o Atlético Mineiro esperar, finalmente, chegou.

Hoje eles vão ter de justificar.

Provar que sabiam com quem estavam mexendo.

E com uma torcida contrária que só cresce.

O time que resgatou o futebol arte no País virou o fio.

Se tornou o mais prepotente.

E justificar em campo, em todas as partidas, virou obrigação.

Que comece eliminando de forma incontestável o campeão de Minas Gerais.

De preferência, sem ajuda de bandeirinha loira...

Leia as últimas notícias de futebol no R7

http://r7.com/nZDm