1futurapress Rogério Ceni pressionado. Mesmo com resultados medíocres, ele pede para ficar dois anos como técnico do São Paulo. Para aprender. Enquanto isso, torcida protesta depois do frustrante empate com o Fluminense. Leco, venda a sua honra.

"Leco, venda sua honra.

Respeite a nossa história."

"Pior presidente da história."

"São anos lutando para não cair."

Estas eram as faixas de torcedores do São Paulo.

Eles estavam postados de fora do Morumbi.

Aguardavam a saída do time que chegou a cinco partidas no Brasileiro sem vitórias. O time de Rogério Ceni decepcionou outra vez, apenas empatou com o Fluminense em 1 a 1. Se não fosse Renan Ribeiro fazer três grandes defesas, a equipe seria derrotada. Mesmo empatando, segue flertando com a zona do rebaixamento.

Está em 16ª na classificação.

A um ponto dos quatro piores...

Outra vez a equipe atuou mal, perdida taticamente.

A torcida ficou irritada com o que viu.

Ceni mostra sua insegurança, imaturidade, incapacidade.

Colocou mais uma formação, das dezenas que tentou esse ano.

Apostou no jovem Denilson como titular no ataque e Araruna na lateral.

O jovem Fluminense estava muito melhor distribuído taticamente em campo.

Tinha consciência do que fazia.

Veio para São Paulo para marcar forte e buscar contragolpes em velocidade. Como Rogério Ceni não terminou o curso de treinador, parece que ele só aprendeu a atacar. E não defender. Sua equipe segue sem organização na recomposição. Sua zaga, não importa quem jogue, é sacrificada, desprotegida.

Jucilei marcou para o time da casa, em sobra de bola parada, aos seis minutos do primeiro. O gol despertou a falsa impressão de uma vitória importante. Balela. Logo a equipe caiu. Cueva outra vez disperso, Marcinho corria, perdido, Denilson afobado. O trio não fazia a bola chegar no desesperado Lucas Pratto. Araruna e Júnior Tavares bem marcados, nada produziam.

O time vivia de escanteios e chuveirinhos, desespero de time mal treinado, que não sabe usar o meio de campo. Esquema frágil que deixa os jogadores inseguros, tensos. Nem parece o São Paulo em campo. Qualquer adversário se sente à vontade.

 Rogério Ceni pressionado. Mesmo com resultados medíocres, ele pede para ficar dois anos como técnico do São Paulo. Para aprender. Enquanto isso, torcida protesta depois do frustrante empate com o Fluminense. Leco, venda a sua honra.

O Fluminense empatou graças a um golaço de Wendel, chute fortíssimo de fora da área. O gol, aos cinco minutos, perturbou ainda mais os jogadores de Ceni e a torcida. O nervosismo, a tensão dominou o Morumbi. Tivesse um pouquinho mais de qualidade no elenco, Abel Braga teria vencido a partida.

Ao final de mais esse vexame, a torcida passou vaiar, xingar e gritar um coro que incomodava a todos.

E desvalorizava os jogadores de Leco.

"Pipoqueiros, pipoqueiros, pipoqueiros."

Rogério Ceni foi poupado pelos torcedores.

Mas não por conselheiros importantes.

Leco já está sendo pressionado para cobrar o treinador.

O dirigente, especialista em vendas, não sabe o que fazer.

Mais perdido do que Leco, só o próprio Ceni.

Suas coletivas estão cada vez mais surreais.

Distantes da realidade.

Ele age como se tudo estivesse bem.

Seu discurso é vazio e não engana ninguém.

Apenas que não assistiu às partidas.

Os próprios jornalistas o ironizam assim que as coletivas acabam.

Só que hoje, ele decidiu mudar.

Sabe que está pressionado.

Seus jogadores chamados de pipoqueiros.

Leco transformou o clube em um balcão de negócios.

Xingado pelos torcedores, ele se escondia.

Atrás de parrudos seguranças.

Diante do cenário deprimente, Ceni apelou.

Falou como ídolo,

E pediu dois anos como treinador.

Tentou distrair a atenção de mais um péssimo jogo.

Mas quer aprender.

Usar o time como seu laboratório particular.

"Eu tinha o sonho de jogar pelo São Paulo quando era jovem e realizei esse sonho em 1990. Tinha o sonho de ser campeão pelo São Paulo como atleta e fui, muitas várias vezes. Passei dificuldades morando embaixo das arquibancadas, coisas muito difíceis e cresci como homem. Tinha o sonho de virar treinador do São Paulo e atingi.

"Assinei contrato de dois anos e sabia que teria dificuldades neste primeiro ano. Por isso, fui a Cotia, observei jogadores, aproveito muitos da base. Em janeiro, me explicaram as dificuldades financeiras e vem sendo um grande desafio. Vim apra fazer primeiro ano com muita dificuldade, mas para melhorar condição financeira, promovendo garotos.

616 Rogério Ceni pressionado. Mesmo com resultados medíocres, ele pede para ficar dois anos como técnico do São Paulo. Para aprender. Enquanto isso, torcida protesta depois do frustrante empate com o Fluminense. Leco, venda a sua honra.

"Tinha como objetivo o título paulista, que não veio, e, nos pontos corridos, esperava posição melhor. Mas tenho ainda muita confiança de que faremos um São Paulo com uma temporada próxima muito melhor. Espero estar aqui no ano que vem. decisão não passa por mim, mas sou apaixonado por aqui e acredito muito que faremos um ano de 2018 como programei, sem deixar de lutar agora, porque 2018 depende de 2017. Não vou deixar de trabalhar. Passamos por momentos difíceis, elencos enxutos, sem peças por azar, acaso.

"Não desistirei de fazer o meu melhor pelo São Paulo. Como torcedor, também estou xingando por dentro, também sinto isso. Mas vou trabalhar todos os dias e não vou me entregar, não vou jogar fora. Sonhei com isso na minha vida e que trabalharia para ser campeão no clube do meu coração. Esse é o meu objetivo."

Mas essa convicção pode ser abalada.

O time enfrenta Flamengo e Santos fora de casa.

Um tropeço pode significar mergulho na zona de rebaixamento.

523 Rogério Ceni pressionado. Mesmo com resultados medíocres, ele pede para ficar dois anos como técnico do São Paulo. Para aprender. Enquanto isso, torcida protesta depois do frustrante empate com o Fluminense. Leco, venda a sua honra.

E aí, nem seu passado como maior ídolo pesará.

Pelo contrário.

Torcedores já perceberam que o time está nas mãos de um novato.

Que tem a aura do maior personagem da história do São Paulo.

Mas como goleiro.

Como capitão, líder de time.

Como treinador, quem conseguir se distanciar, verá a verdade.

Ainda não passa de um colecionador de resultados medíocres.

Porque não está preparado para ser técnico de um time grande.

Simples assim.

Responsável pela eliminação no Paulista.

Na Copa do Brasil.

E na Copa Sul-Americana.

Fosse qualquer outro, só pelos resultados, estaria demitido.

Mas como é Rogério Ceni, vai ficando.

E prejudicando o próprio clube que jura amar.

Leco, seu escudo está rachando..

1reproducao31 1024x681 Rogério Ceni pressionado. Mesmo com resultados medíocres, ele pede para ficar dois anos como técnico do São Paulo. Para aprender. Enquanto isso, torcida protesta depois do frustrante empate com o Fluminense. Leco, venda a sua honra.

http://r7.com/dnpA