bemboa Robinho só não foi para o São Paulo por dinheiro e por tempo de contrato...

R$ 1.800.000,oo.

Um milhão e oitocentos mil reais a cada trinta dias.

Esse era o salário de Robinho no Manchester City.

Para jogar no Brasil ele exigiu, pelo menos, R$ 1 milhão.

Não é especulação.

Os dados são da diretoria do Sâo Paulo.

A versão do lado tricolor.

Juvenal Juvêncio garantiu aos dirigentes do Morumbi que o jogador só não foi atuar no Morumbi por falta de acerto financeiro.

Fechar com o atacante pelo valor que  acertou na Vila Belmiro colocaria em risco toda a política financeira do clube.

Até em relação a jogadores consagrados como Rogério Ceni.

E de acordo com dirigentes são-paulinos, Robinho não se dobrou à exigência  de um acerto até dezembro deste ano.

Não houve essa romântica escolha pelo clube em que nasceu, o Santos.

Muito pelo contrário.

Só aceitou ficar na Vila Belmiro até o dia 4 de agosto porque o presidente Luís Álvaro assegurou que ele receberá o que salário que deseja.

Para os são-paulinos, os números são exatos: R$ 1 milhão.

Ou seja: o salário será mais do que o dobro dos R$ 400 mil que chegaram até a imprensa por parte de dirigentes santistas.

Por isso a resistência do presidente santista em falar valores ou quem vai bancá-lo.

"As empresas que estão por trás do acordo ainda não querem se manifestar", diz o dirigente.

Mas qual empresa não gostaria de ser apontada como responsável pela volta de Robinho à Vila?

Na verdade tudo foi muito rápido e Luís Álvaro ainda está buscando parceiros para ajudarem a pagar o caro jogador.

Por enquanto, o Santos banca.

O novo presidente santista insiste no 'amor de Robinho' ao Santos.

Não diz que venceu a disputa com o São Paulo no dinheiro.

Repete  a versão do coração, da saudade, na poesia...

E na segunda-feira da apresentação do jogador na Vila Belmiro, o presidente quis aquecer os torcedores antes dos aplausos a Robinho.

Haverá um show do Charlie  Brown Júnior.

Jogadores do passado santistas já foram convocados para render homenagem a Robinho.

Muitos deles com dificuldades financeiras.

Não vale nem citar nomes para não constranger ídolos eternos do Santos.

Mas eles estarão lá para dar boas-vindas ao milionário, no exato sentido da palavra, atacante santista.

Será tratado como o filho que foi para a Europa, sofreu e agora volta ao aconchego do lar.

Tudo muito romântico.

Não fosse o futebol uma atividade profissional normal.

Os empregados vão onde lhe pagam mais.

E é exatamente esse o caso de Robinho.

Por mais glórias que o Santos tenha.

Apesar de ter sido o berço do maior de todos, Pelé.

O uniforme branco que chama atenção no mundo todo.

Robinho voltou para garantir uma vaga na Seleção, já que não estava jogando no Manchester por não se aplicar nos treinos.

E, sem ingenuidade, para continuar a ganhar um dos maiores salários pagos a jogadores brasileiros em todos os tempos.

O amor vai só até certo ponto.

A partir de agosto, depois da Copa do Mundo, ele voltará a buscar o R$ 1.800.000,00 em outro clube.

Bem longe da Baixada Santista...

http://r7.com/CClj