divulgacao772 Robinho briga com a Nike e fica fora da Seleção Brasileira. Enorme coincidência...

Robinho e Nike brigam na Justiça.

A principal patrocinadora da Seleção Brasileira continua sendo a empresa norte-americana.

O motivo do desentendimento é a renovação de contrato, que terminou em dezembro de 2010.

Matéria na Folha mostra que há dois textos.

Um em português e outro em inglês.

Robinho teria de se reunir com a direção da Nike para acertar a renovação.

Isso no documento em português.

Já a renovação seria automática em inglês.

De acordo com a apuração da Folha...

A justiça decretou que a Nike tem razão.

E contrato tem de ser cumprido, renovado automaticamente.

Se o jogador não usar material esportivo da empresa terá de pagar 300 mil euros por dia, como multa.

Cerca de R$ 690 mil a cada 24 horas.

Mas os advogados do atacante estão recorrendo...

As partes estão mais furiosas.

Robinho está revoltado.

A briga se tornou pública.

E o capitão da Seleção de Mano Menezes não foi chamado para enfrentar a Escócia...

Sim, porque ele vinha sendo convocado por Mano normalmente.

Mesmo quando essa briga se tornou pública.

Agora, tudo mudou...

As perguntas são simples.

Você acha que esta briga teve alguma coisa a ver com a não convocação de Robinho?

Por isso que, de capitão do time, passou a excluído contra a Escócia?

Você acredita que a Nike tem poder sobre a Seleção Brasileira?

Lembra de algum exemplo concreto?

Alguém desconfia que a empresa interferiu, por exemplo, na final da Copa de 1998?

Ou é tudo imaginação, teoria da conspiração?

(A Nike, por via da sua assessoria de imprensa, pediu alguns adendos ao post.

Aqui estão...

1 – O contrato não é de responsabilidade exclusiva da Nike, mas sim das duas partes envolvidas.

2 – Não existem dois contratos, mas apenas um, original, em inglês. Existe também uma versão juramentada em português. E, em ambos os contratos, está a observação que, em caso de dúvidas ou problemas relacionados à tradução, vale a versão em inglês.

3 – O estafe de Robinho entrou na Justiça no Brasil. E perdeu. Recorreu, então, na Holanda. E perdeu novamente.

Esta é a versão da Nike.

Os advogados de Robinho garantem que vão continuar com o processo.

Porque ainda existe recurso.

A tese é simples: que na versão do contrato em português, o texto está diferente do inglês.

E a renovação não poderia ser automática...

A briga vai continuar...)

( Tanto vai continuar que a assessoria do escritório da advogada de Robinho, Marisa Alija, procurou o blog.

Para dar a sua versão sobre as ponderações da Nike.

1) A Nike adota um contrato padrão para todos os atletas.

Ele tem praticamente os mesmos termos para todos os jogadores, mudando eventualmente os valores e prazos.

Inclusive a redação dos contratos em inglês e português é de responsabilidade da companhia.

2) Todos os contratos de Robinho desde 2002 e de todos os outros jogadores possuem as versões em português e em inglês.

E as versões em português dos contratos de Robinho e dos outros atletas não são juramentados.

Podemos garantir isso.

3) Considerando que o contrado de Robinho com a Nike terminava no do dia primeiro de dezembro de 2010 e que a empresa já havia ameaçado entrar na justiça para obrigar a renovação automática por mais quatro anos, decidimos pedir uma liminar na Justiça do Brasil para que o jogador se desobrigasse de utilizar o material da empresa. E que a imagem do atleta não fosse mais utilizada pela Nike.
O juiz no Brasil antes de decidir pediu para ouvir a Nike.
Ciente do assunto, a Nike entrou na Justiça holandesa pedindo a aprovação do acordo baseado no contrato em inglês.
Nesse momento, como a Nike já utilizava, em nossa visão, erroneamente a imagem de Robinho, já que o contrato estava expirado, resolvemos retirar o pedido de liminar antes que houvesse uma decisão no Brasil. Isso caracteriza algo bem diferente do que perder a ação. Até porque esse pedido não seria mais útil naquele momento. Adotamos a estratégia de nos defender primeiro na Holanda e posteriormente prepararemos uma ação completa na Justiça brasileira, invocando aí sim uma discussão sobre a legalidade dos termos do contrato. Vale lembrar que a Justiça holandesa concedeu apenas uma liminar para a Nike obrigando Robinho a utilizar o material da companhia e ele está cumprindo a decisão até que o assunto volte a ser analisado juridicamente.)

Está claro que a briga mal começou...

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

http://r7.com/Mcbj