129 Paulo Roberto e Cássio foram os responsáveis pela vitória épica do Corinthians. Time de Fábio Carille ganhou a primeira final do Brasileiro de 2017. Derrotou o Grêmio, em plena Porto Alegre, por 1 a 0. O líder invicto chega a incríveis 86,7% de aproveitamento...

Paulo Roberto e Cássio foram responsáveis pela vitória épica do Corinthians. Foi a primeira 'final do Brasileiro de 2017'. O volante, que só jogou por suspensão de Gabriel, deu arrancadas que mudaram a lógica da partida. E Cássio defendeu pênalti cobrado por Luan. O time de Fábio Carille mostrou toda sua disciplina tática e personalidade.

Os corintianos, líderes invictos, derrotaram o Grêmio, segundo colocado, em pleno Porto Alegre, por 1 a 0, gol de Jadson. Calaram mais de 54 mil pessoas. Foi a primeira derrota da equipe de Renato Gaúcho em casa. E até o primeiro gol que tomou, neste Brasileiro, no seu estádio. Os gaúchos vinham de marcar gols em 21 partidas seguidas. O Corinthians chega a 23 partidas sem derrotas, a sexta maior sequência de invencibilidade da história do clube. Com o resultado, os paulistas abriram quatro pontos de vantagem sobre o segundo colocado.

A partida foi entre os dois melhores times do Brasil.

A campanha incrível e inédita nos dez primeiros jogos do Campeonato Nacional. São oito vitórias e dois empates. Incríveis 86,7% de aproveitamento. A arrancada é impressionante.

"A vitória mostra a força do grupo. Um está cobrando o outro. Depois que o Grêmio sofreu o pênalti, os companheiros me deram confiança. Pessoal que fica no banco, todo mundo vibrando com a defesa, até o Valter, que disputa posição comigo. Mostra que é um conjunto, tem união. Não temos um craque, o grande craque é o conjunto e o professor Carille", alertava Cássio.

"A gente sabia da importância desse jogo, nunca tínhamos ganho na casa do Grêmio. Jogo importante, conseguimos explorar os contra-ataques e fazer o gol. Fico feliz por voltar a fazer gols e porque a equipe está com essa sequência de ótimos resultados, embalada", dizia, com razão, Jadson.

"Vitória desse tamanho é importante para o grupo inteiro. Passamos por algumas etapas que nos fortaleceram muito. Jogo contra o Palmeiras. Vitória de 3 a 0 sobre a Ponte em Campinas. E claro que uma vitória aqui dentro nos deixa muito fortalecidos, sim. Com os pés no chão, humildade e continuando com nosso trabalho.

"Se dá para pensar em título? Tem muita coisa para acontecer. Num Brasileiro você consegue quatro vitórias, faz 12 pontos seguidos. É muito cedo para falar sobre qualquer coisa. Temos de chegar embolados nas últimas oito, dez rodadas. Conseguimos pontos acima do esperado. Por nós também. De 30 pontos, conseguir 26? É muito difícil.

"Agora o pessoal já está acreditando no Corinthians. Não gosto de ler muito, assistir, mas as notícias chegam. Não tem como não acreditar agora, por tudo que está acontecendo. O discurso nosso? Isso vem muito de fora para dentro. No começo do ano tinha aquela história de quarta força. Será que Cássio é menos do que os outros? Fagner? Jô chegou a uma Copa porque é bonito?"

5agenciacorinthians Paulo Roberto e Cássio foram os responsáveis pela vitória épica do Corinthians. Time de Fábio Carille ganhou a primeira final do Brasileiro de 2017. Derrotou o Grêmio, em plena Porto Alegre, por 1 a 0. O líder invicto chega a incríveis 86,7% de aproveitamento...

Carille tem todo o direito de desabafar.

Ele conseguiu a vitória no jogo mais importante até agora no Brasileiro de 2017. No duelo tático empolgante, que demonstrou que os treinadores brasileiros estão evoluindo. Por trás do personagem Renato Gaúcho há um sensível observador do futebol europeu. E que tem como orientador, Valdir Espinosa, técnico que foi campeão mundial pelo Grêmio.

Os dois formaram uma equipe intensa, fortíssima na marcação, com excelente recomposição, que marca e ataca em bloco. Gosta de estar ditando as regras e o ritmo de jogo. Principalmente quando atua na sua casa.

O Corinthians de Carille tem características muito parecidas. Perde na ofensividade e ganha, no entanto, na hora de defender. O jogo se anunciava e foi espelhado. Ou seja, com os esquemas táticos quase idênticos. Com os dois times atuando no 4-1-4-1. Com muita movimentação desde o início até o final da partida. Eram, de verdade, os dois principais times do país.

A frieza do Corinthians é impressionante. Os gaúchos queriam aproveitar, de qualquer maneira, o fato de jogarem em casa para se impor. Conseguir uma vitória consagradora. E ela foi planejada com o time saindo na frente no placar, o mais cedo possível. Renato Gaúcho fez com que seu time impusesse a marcação alta, fustigante, intensa. Os corintianos já esperavam por isso. Mas o time não se abalou. Pelo contrário. Mostrou fortíssima convicção, consistência na intermediária.

A surpresa foi Paulo Roberto. O jogador de 29 anos, que provocou profunda revolta nos próprios torcedores corintianos ao ser contratado do Sport. Ele era reserva do time pernambucano. Carille havia indicado Rithely, mas teve de se contentar com seu suplente de 29 anos. Nas redes sociais, a recepção foi a pior possível.

E ele colaborou. Nas vezes que havia substituído Fagner, convocado para a Seleção, teve um desempenho pífio. Mas hoje, atuando na sua posição, na vaga do suspenso Gabriel, teve um desempenho impactante. Primeiro, conseguiu travar os setores que Luan gosta de correr. E ainda, teve duas arrancadas decisivas na partida. A primeira foi aos 11 minutos, quando passou por dois marcadores e chutou para ótima defesa de Marcelo Grohe. No esquema bolado por Renato Gaúcho, Paulo Roberto deveria apenas se limitar à ficar na cabeça de área, marcando.

Pagaria caro por isso, aos seis minutos do segundo tempo. Paulo Roberto deu outra arrancada inesperada, invadiu a área pela esquerda e rolou para Jô, que furou. A bola sobrou para Jadson livre. O chute não saiu forte e surpreendeu Marcelo Grohe. A bola passou no meio das suas pernas. O Corinthians marcava seu sonhado gol.

Renato Gaúcho sabia que o jogo ficaria ainda mais complicado. Porque o Corinthians, que começou a segunda etapa marcando forte a saída gaúcha, teria à sua disposição, os contragolpes. O treinador lamentava muito o gol perdido por Geromel, em um cruzamento que o pegou livre na segunda trave. Mas o zagueiro, dentro da pequena área, chutou para fora. Esta havia sido a chance mais importante gremista, até sair atrás no placar.

4reproducao3 Paulo Roberto e Cássio foram os responsáveis pela vitória épica do Corinthians. Time de Fábio Carille ganhou a primeira final do Brasileiro de 2017. Derrotou o Grêmio, em plena Porto Alegre, por 1 a 0. O líder invicto chega a incríveis 86,7% de aproveitamento...

O Grêmio foi acossando o Corinthians e o time paulista seguia marcando muito bem pelas laterais. E com confiança pelo meio. Para desespero dos torcedores e de Renato, a equipe de Carille seguia consciente, firme que a vantagem seria consolidada. Até que houve um surto. Neurônios pararam de interagir no cérebro de Marquinhos Gabriel. E ele cometeu um pênalti infantil, estúpido em Geromel. Ele o agarrou pela camisa, na frente do árbitro Wilton Pereira Sampaio, que teve ótima atuação.

Pênalti, claro e desnecessário, aos 38 minutos do segundo tempo.

Luan pegou a bola para cobrar.

E bateu sem nenhuma convicção, no canto direito de Cássio.

O goleiro, que vive excelente fase, não teve dificuldade em defender.

O Corinthians, merecidamente, conseguiu a vitória.

O resultado, com certeza, trará ainda mais confiança a este time.

Nunca na história dos Brasileiros por pontos corridos, nenhuma equipe chegou aos 26 pontos nos dez primeiros jogos do campeonato.

A arrancada é histórica.

De um time que ninguém confiava.

Nem a própria diretoria do Corinthians...

615 Paulo Roberto e Cássio foram os responsáveis pela vitória épica do Corinthians. Time de Fábio Carille ganhou a primeira final do Brasileiro de 2017. Derrotou o Grêmio, em plena Porto Alegre, por 1 a 0. O líder invicto chega a incríveis 86,7% de aproveitamento...

http://r7.com/YbdQ