Dívida segurou os quatro do Rio ao Clube dos 13…E abre espaço até para conciliação…

divulgacao0084 Dívida segurou os quatro do Rio ao Clube dos 13...E abre espaço até para conciliação...
A polêmica união dos clubes cariocas para a discussão dos direitos de transmissão precisa de intérprete.

Uma explicação sobre o motivo que os fez se juntar e não sair do Clube dos 13.

A resposta é simples, direta.

Vem dos assessores de Fábio Koff.

Eles não se desfiliaram por dinheiro.

Juntos devem mais de R$ 60 milhões à entidade.

Como?

Empréstimos e adiantamento de cotas de televisão.

Se fossem se desfilliar teriam de pagar à vista o que devem.

Então o caminho foi o da esperteza.

Eles inventaram uma licença por conta própria.

Continuam filiados, não pagam o que devem e negociam à parte só o direito dos Brasileiros de 2012, 13, 14.

Koff não está disposto a aceitar a tal licença nada poética.

Para ele ou os clubes pagam e fazem o que quiser da vida...

Ou ficam e participam normalmente das decisões do Clube dos 13...

Isso abre a possibilidade de conciliação...

Koff também quer imediatamente os R$ 25 milhões que o Corinthians deve.

Como Andres anunciou a sua desfiliação, tem de pagar.

O maior aliado de Ricardo Teixeira nesta revolta finge que não é com ele.

E nem ameaça pagar.

O Coritiba já aderiu aos revoltosos.

O Cruzeiro está próximo.

Os presidentes de Santos e Palmeiras mudam de postura de hora em hora.

Juvenal Juvêncio tem, por enquanto, o grande apoio de Inter e Grêmio para tentar manter o Clube dos 13 vivo.

A TV Globo jura que não negociará com o C13 de jeito nenhum.

Mas muita gente importante acredita ser um blefe da emissora carioca.

Continuam as reuniões, telefonemas, promessas e mentiras.

Muitas mentiras...

Os bastidores do futebol brasileiro poucas vezes estiveram tão sujos...

Veja mais:
+
Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Adriano corre sério risco. Nem a volta ontem garante que seu contrato não será rescindido na Roma…

divulgacao0034 Adriano corre sério risco. Nem a volta ontem garante que seu contrato não será rescindido na Roma...
"Vocês ficam inventando muita m... de mim."

Foi assim que Adriano evitou as entrevistas, ontem no seu embarque forçado para a Itália.

Forçado porque a Roma lhe deu um ultimato.

Ou voltava imediatamente para lá ou seu contrato seria rescindido.

E ele daria adeus aos R$ 8 milhões por ano que recebe.

Para vir ao Rio, Adriano insistiu, brigou, pediu, implorou aos italianos.

Disse que precisava estar perto da família para se recuperar da operação no ombro.

Só que mal desembarcou nas terras brasileiras, ele já aprontou.

Perdeu a carta de habilitação porque dirigia o seu Porshe Carrera visivelmente embriagado.

Tanto que se recusou a fazer o teste do bafômetro.

Dirigentes italianos tentaram defendê-lo por lá dizendo que ele não estava dirigindo o carro.

Seria um mero carona.

As declarações foram desmentidas facilmente pelos correspondentes europeus aqui no Brasil.

Em seguida, circulou na Intenet fotos do jogador ao lado de um copo alto de cerveja, bebida que adora.

Novo motivo para o jogador virar motivo de piada em Roma.

Ele atrasou em dois dias a sua volta à Itália.

Enganou o seu próprio agente, Gilmar Rinaldi.

Há uma grande pressão por parte da diretoria do seu clube para que o contrato seja rescindido.

Mesmo com o retorno ontem do brasileiro.

Há uma cláusula que protege do clube do comportamento pouco profissional de Adriano.

Ele viajou irritado e com medo.

Sua contratação foi considerada o desperdício de 2010.

De acordo com a nutricionista do clube, ele chegou 15 quilos acima do peso.

Demorou cerca de dois meses para perder peso.

Quando jogou, ficou muito abaixo do esperado.

Não marcou sequer um gol.

E se contundiu...

A sua situação com a Roma está no limite.

Se escapar da rescisão agora, não escapará se aprontar outro ato de indisciplina.

Mas Adriano sabe que não precisa se preocupar...

Enquanto esteve no Rio recebeu recados de Patricia Amorim...

As portas do Flamengo estarão sempre abertas para ele no Flamengo...

A proposta é mais do que interessante para Adriano...

E pode ser o seu destino a partir de junho...

Veja mais:
+
Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

O que aconteceu com o forte Fluminense, campeão do Brasil? Muricy precisa reinventar esse time…

divulgacao0082 O que aconteceu com o forte Fluminense, campeão do Brasil? Muricy precisa reinventar esse time...
Muricy Ramalho pode dizer o que quiser.

Elogiar, exaltar o espírito, a distribuição tática.

Falar bem até da cor dos cabelos de Diguinho...

Mas a verdade é que o Fluminense desperdiçou quatro pontos nos seus dois primeiros jogos na Libertadores.

Depois do Argentinos Juniors, ontem foi a vez do Nacional do Uruguai empatar no Engenhão.

Outra decepção do campeão brasileiro.

No sábado já havia sido eliminado da final da Taça Guanabara pelo Boavista...

Muricy Ramalho resolveu apostar no esquema que o consagrou no São Paulo.

Com três zagueiros.

Só que colocou seis jogadores no meio de campo e não cinco.

E deixou apenas Rafael Moura como referência no ataque.

Os uruguaios trataram de fazer o que a lógica indicava.

E que seria seguida por qualquer time juvenil.

Marcaram o jogador de neurônios e talento no time brasileiro.

Anularam Conca.

E travaram o Fluminense.

Sem opção, os cariocas logo se afobaram.

Partiram para os chutes de longa distância e cruzamentos da intermediária.

Quando havia um escanteio era uma festa para o banco do Fluminense.

Foi uma atuação patética.

Principalmente na comparação de tudo o que essa equipe fez no Brasileiro de 2010.

No segundo tempo, Muricy, desesperado, desmanchou tudo o que montou.

Colocou Souza e Araújo e 'vamos que vamos'.

O que melhor aconteceu para o time brasileiro foi não tomar o gol.

Santiago partiu em disparada em um contragolpe.

Driblou Leandro Euzébio e Ricardo Berna...

Com o gol vazio, chutou embaixo da bola, para fora...

Foi o momento de maior alegria da torcida tricolor no Engenhão.

Por falar em torcedores, o número pequeno, dez mil, já mostra a descrença.

A empolgação da conquista do Brasileiro já acabou.

Mesmo os jogadores estão tensos, à beira da crise.

Agora o Fluminense terá três partidas seguidas fora de casa pela Libertadores.

Tudo que não fez em casa deverá fazer no México, na Argentina e no Uruguai.

Há todos os motivos do mundo para preocupação.

Muricy rebate a quase todos.

Menos um.

O fraco futebol do seu time em 2011.

Os adversários decoraram a forma de jogar e sabem, de olhos fechados, anulá-lo.

Por isso, não há desculpas para o treinador que deveria estar no lugar de Mano na Seleção...

Veja mais:
+
Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

O Palmeiras salvou o ano do Bode dos Carnaubais. Quem salva o Palmeiras?

divulgacao0015 O Palmeiras salvou o ano do Bode dos Carnaubais. Quem salva o Palmeiras?
"O desgaste é deles.

Vou estar sentadinho no banco de reservas."

Felipão tentou ironizar, brincar com a desgraça.

Mas ele mais do que ninguém sabe que a vitória por 2 a 1 contra o Comercial do Piauí foi uma derrota.

A CBF faz do primeiro, o jogo mais fácil da Copa do Brasil.

Há anos é assim.

O time grande do Rio, de São Paulo, de Minas, do Rio Grande do Sul vai a um lugar fora do eixo do futebol.

É a chance dos torcedores locais assistirem pelo menos uma partida por ano de um grande do Brasil.

E até dos jogadores desconhecidos do grande público enfrentarem atletas que conhecem pela tevê.

Se o grande é atração por lá, o pequeno com seus desconhecidos não são atração nos grandes centros.

Como a Copa do Brasil prevê a renda do mandante, esse segundo jogo é prejuízo certo ao grande.

Por isso, o regulamento reza que, em caso de vitória fora de casa por dois gols de diferença, não há volta.

Isso vale nas primeiras rodadas.

A primeira é obrigação o time grande ganhar, fazer a diferença de gols, se livrar do jogo da volta.

E ainda dividir a arrecadação, já que, quando há eliminação direta a divisão é obrigatória.

Foi tudo o que o Palmeiras não conseguiu.

Diante de um adversário fraquíssimo, com folha salarial de R$ 40 mil, outra vez o time decepcionou.

Contra os piauienses, os paulistas criaram e desperdiçaram chances de gol.

Mas nem tanta como se imaginaria.

A falta de vocação do líder do Campeonato Paulista em atacar é algo gritante.

Incomoda até torcedor do Corinthians.

A equipe não tem objetividade.

É carente de atletas criativos, talentosos.

E olhe que Valdivia esteve em campo.

Jogou por uma hora, mas foi uma sombra do meia que o clube gastou R$ 16 milhões para ter de volta.

Deu uma bela assistência para Adriano Michael Jackson marcar.

Nem a dança que o tornou conhecido o jogador se dispôs a fazer.

Ele quer se livrar do personagem bizarro que criou para ele mesmo com seus gols marcados no Rio e na Bahia.

O segundo gol do Palmeiras foi ridículo.

Nasceu de um lateral cobrado para Kléber, o atacante virou entre três zagueiros e fez 2 a 0.

A um minutos do segundo tempo.

Perfeito para os paulistas.

Placar que matava a volta.

Só que Anibal Lemos mandou o Bode dos Carnaubais, como o Comercial é conhecido, para cima do Palmeiras.

E aos 30 minutos, Barata caprichou no escanteio e o zagueiro Rafael cabeceou forte e...gol...

Foi um dos gols mais comemorados da história do Albertão em Teresina...

A derrota foi uma das mais festejadas.

A partida rendeu R$ 250 mil e o dinheiro ficará com o Comercial.

Para pagar seis meses de salários e ainda guardar R$ 10 mil.

Ao Palmeiras, o prejuízo financeiro e moral.

Foi mais um fracasso na sua história recente.

Vai enfrentar o São Paulo no domingo mais uma vez questionado.

Depois, jogar na próxima quarta-feira no Pacaembu contra o Bode.

Quem se interessa por esse segundo confronto?

O dinheiro será curto, outra decepção.

E Felipão está errado.

O desgaste não é só dos jogadores.

Que treinador pentacampeão do mundo não consegue montar uma equipe para ganhar por dois do Bode dos Carnaubais?

Você quer, mas não vai sair ileso de mais esse vexame.

O Palmeiras de Michael Jackson e Pardalzinho envergonhou mais uma vez seu torcedor.

Isso já virou rotina, um hábito...

No Pacaembu, na próxima quarta-feira, o grito de guerra será:

Dá-lhe, Bode...

Veja mais:
+
Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

O caos organizado para acabar com a força dos clubes está dando certo…

divulgacao96 O caos organizado para acabar com a força dos clubes está dando certo...

TV Globo e CBF conseguiram o que desejavam há décadas: acabaram com a força do Clube dos 13.

Tendo o presidente do Corinthians como o grande articulador, terminou a união dos grandes brasileiros.

Há dois blocos dispostos a ir até a última conseqüência: talvez até a disputa de dois torneios nacionais paralelos.

Corinthians, Flamengo, Vasco, Fluminense, Botafogo, Cruzeiro e Palmeiras de um lado.

Do outro, os outros clubes restantes, tendo à frente o São Paulo de Juvenal Juvêncio, vice de Fábio Koff.

A chegada ao olho do furacão foi hoje.

A disputa pela transmissão dos jogos dos Brasileiros de 2012, 2013 e 2014, revolucionou o futebol brasileiro.

Pela primeira vez a concorrência à Globo foi para valer.

A emissora que estava disposta a pagar R$ 500 milhões pelos direitos da TV aberta, a cabo, pay-per-view.

E mais telefonia celular e Internet.

Só que o Cade ordenou que tudo seja vendido individualmente.

E para um clube ter o direito de exclusividade sobre todos os meios terá de ganhar todas as concorrências.

O que deveria valer um aumento de, no mínimo, 150% do atual contrato.

Dos R$ 250 milhões atuais para R$ 650 milhões.

A cúpula da Globo quase caiu de costas quando soube que o Clube dos 13 exigia R$ 500 milhões só pela tevê aberta.

Alegou que os índices de audiência não justificavam esse aumento.

E diz que não vai fazer qualquer proposta ao Clube dos 13.

Vai negociar com os dissidentes.

Esta ameaça abre margem para a criação de Brasileiro com os clubes que saíram da administração de Koff.

E com o aval da CBF, que desejava há anos recuperar o poder pleno no futebol brasileiro.

Enquanto isso, os demais clubes organizariam um campeonato paralelo.

A radicalização da Globo pegou a todos de surpresa.

Muitas reuniões e coletivas acontecerão.

Tudo está ainda indefinido.

Mas uma situação é clara, transparente.

Os clubes estão divididos e muito mais fracos para reivindicar qualquer coisa.

Vitória política da CBF.

De Andres Sanches, que se vê cada vez mais forte para suceder Ricardo Teixeira...

E que saboreia cada vitória contra o lado em que estiver Juvenal Juvêncio...

Terrível derrota para o Clube dos 13 e Fabio Koff.

Depois de 26 anos de controle absoluto sobre o futebol brasileiro...

Era lógico que a Globo reagiria ao enfrentar pela primeira vez concorrência de verdade...

Esse caos não tem nada de espontâneo...

Nada...

O uso da Taça das Bolinhas que o diga...

Veja mais:
+
Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

A farra dos empresários no Brasil não tem hora para acabar… Viva a Lei Pelé! Viva!…Viva!…

divulgacao0110 1024x702 A farra dos empresários no Brasil não tem hora para acabar... Viva a Lei Pelé! Viva!...Viva!...
"Eu pensei que a mudança da lei iria tirar o poder dos clubes e dar aos jogadores.

Mas o domínio do futebol brasileiro caiu no colo dos empresários.

Me incomoda a lei levar o meu nome."

A declaração é de Pelé.

Durante décadas, os clubes trataram seus jogadores como escravos.

Os usavam como queriam.

Foram inúmeros casos que carreiras foram prejudicadas, interrompidas por pura teima de dirigentes.

A lei Zico de 1993 foi criada para mudar essa relação.

E a lei Pelé, de 1998 chegou para acabar com distorções, aprimorar a anterior, que havia deixado vários pontos soltos.

"Os contratos passaram a ter limites, as multas rescisórias baseadas nos salários e tempo de contrato estabelecido.

Todos nós pensávamos que o jogador iria assumir a sua carreira.

Foi o nosso maior engano", afirma Pelé.

Em todas as ocasiões que é questionado, ele fecha a fisionomia e se mostra decepcionado.

A situação está neste pé porque é mais cômoda aos jogadores.

Os empresários atualmente têm escritórios com advogados e, mais importante, estão ligados a empresários do Exterior.

Alguns deles estão riquíssimos, a ponto de oferecer seu dinheiro para comprar o passe de um atleta.

E usar um clube laranja para registrá-lo, já que uma pessoa física não pode ter um jogador.

É a vitória da hipocrisia.

Criaram redes fortíssimas e enfrentam dirigentes sem medo.

Com dinheiro, advogados de alto nível e clubes do Exterior para colocar seus jogadores, estão muito bem armados.

Foi o caso da renovação de Lucas com o São Paulo.

Wagner Ribeiro já havia antecipado que o seu salário iria ser multiplicado por 10.

Se não fosse, daria um jeito de tirar o jogador do São Paulo.

Ele recebia R$ 12 mil.

A diretoria teve de ceder porque a ameaça era real.

E se dobrou: hoje Lucas ganha R$ 120 mil e tem a sua multa contratual de R$ 180 milhões.

Maior do que Ganso e Neymar.

Casemiro, também titular absoluto e grande revelação da sub-20, tentou a mesma situação.

Ele ganha R$ 30 mil no Morumbi.

E tinha certeza de que também ganharia um aumento.

Inocente, sonhou que ele seria espontâneo.

Como não foi, acionou seu agente Júlio Fressato.

Só que ele não tem o mesmo poder de fogo de Wagner Ribeiro.

Os dirigentes são-paulinos nem se desgastaram em mandar recado dizendo que não haveria aumento algum.

Casemiro tem contrato por mais cinco anos.

Ele que consiga se firmar como titular do clube, ser convocado para a Seleção principal.

E cruze os dedos para um clube do Exterior fazer uma proposta verdadeira por ele.

O jogador insinuou que havia sido procurado por representantes de equipes européias.

A direção percebeu a manobra e rebateu que não chegou qualquer proposta efetiva no Morumbi.

Para não criar problemas, Casemiro agora resolveu se calar.

Ou seja: Pelé está mais do que certo.

Os jogadores brasileiros trocaram de donos.

Passaram das mãos dos dirigentes para as dos empresários.

E os mais fortes fazem o que querem com os atleta e com os próprios clubes.

Fazem a festa com gosto.

Talvez por isso, Wagner Ribeiro parece um sultão.

Em vez de 120 mulheres, tem 120 jogadores.

Mesmo que tenha dificuldades várias vezes de lembrar até o nome de quem representa.

Não tem 300, 4000 porque não quer.

Famílias oferecem meninos a ele com 11, dez, nove anos...

Nove anos...

Você não ofereceria?

Se ganhasse um salário mínimo e soubesse o que o sultão, desculpe, empresário pode fazer pelo futuro do seu filho?

Ele é empresário do Neymar...

Isso ninguém se esquece...

Todos não querem nem pensar nas centenas de garotos que ficaram pelo caminho e apostaram em Wagner.

Sem estudo e que não deram certo como jogadores...

Frustrados, despreparados e sem saber o que fazer da vida...

E assim caminha o futebol no Brasil...

País que tem uma lei chamada Pelé...

Veja mais:
+
Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

O Cruzeiro transformou o Grupo da Morte em um grande baile…

divulgacao111 O Cruzeiro transformou o Grupo da Morte em um grande baile...
Como transformar o grupo da Morte no grupo mais fácil da Libertadores?

Aulas na Toca da Raposa.

Quando Cruzeiro, Estudiantes foram designados para o mesmo grupo, a situação já era complicada.

Ficou mais ainda quando o Corinthians deveria ser o terceiro clube.

Deveria por que o Tolima mudou o script fácil.

O Guarani do Paraguai nunca foi levado em consideração.

Zezé Perrela se empolgou com sua eleição para senador suplente.

E quis reforçar o caixa deixando sair ótimas opções para o banco de reservas.

Contratou com economia.

E disse para Cuca se preparar para a guerra.

O treinador analisou a sua trincheira e percebeu o quanto era limitada.

Um ótimo time, um banco nem tanto.

Para atravancar mais a situação, o obrigatório Campeonato Mineiro.

E o Atlético de Dorival Júnior babando para ganhar...

A chave sobre fortalecer o Cruzeiro passava sobre o que fazer com Gilberto, Roger e Montillo.

Tantos com nenhum meia.

E ele com três.

Técnicos, talentosos e vaidosos.

Montillo foi o injustiçado de 2010.

Se o Fluminense não fosse campeão brasileiro, ele seria o argentino melhor do Brasil.

Gilberto é um dos jogadores mais inteligentes taticamente da América do Sul.

Sabe onde deve estar e quando está improdutivo.

Para competir com os dois, o marido de Deborah Secco.

Ele não quis ir para o Vasco.

Não queria desperdiçar a Libertadores.

Quis ganhar a vaga no grito, usando a mídia de Bruna Surfistinha.

Acabou no banco.

Mas veio a Luz...

Com o auxílio de Dorival Júnior.

Depois da derrota para o Atlético Mineiro por 4 a 3, a sacada.

Por que não Gilberto como ala e Montillo com Roger no meio de campo?

Foi ótimo para o time.

Contra o Estudiantes, os argentinos nem viram a bola.

Ontem nem precisou.

Uma contusão afastou Gilberto do jogo contra os pobres paraguaios, fadados a lanternas do grupo.

A melhor descoberta do ano foi Wallyson.

Não há um ser vivente no território nacional que não esteja cansado de Thiago e Wellington Paulista.

A dupla do quase...

Quase boa...

Quase efetiva...

Quase tudo...

Faltava um atacante sem tantas firulas...

Que gostasse de chutar a bola na rede...

E ouvir a torcida cruzeirense vibrando...

Wallyson apareceu na hora certa, no clube certo.

Fez mais dois ontem.

Até o tosco Farias marcou.

Thiago Ribeiro fez o seu para ninguém se esquecer dele...

Novo gols nas duas primeiras partidas...

O Cruzeiro deu a melhor arrancada na Libertadores da sua história...

Transformou o grupo da morte em parque de diversões.

No reveillon, Cuca ganhou coragem de atacar, de buscar os gols.

E o milagre se fez.

Ele adiantou a marcação na intermediária.

E soltou Diego Renan e Pablo...

Treinou infiltrações em grupo e deslocações.

Além da insistir nas bolas paradas...

Victorino também entrou bem no time...

No ponto fraco do time azul...

O Cruzeiro está desfilando em Sete Lagoas.

A Libertadores está sendo uma brincadeira de criança.

O começo é melhor do que o senador Perrela poderia imaginar.

Esta empolgação no início é excelente para quem quem sonha com o título da Libertadores.

Que a coragem de Cuca não seja apenas um sonho de algumas noites de verão em Sete Lagoas...

Veja mais:
+
Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

“Se eu tiver o Ronaldo por seis meses, ele disputa a Copa de 2014.” Exclusiva com Nuno Cobra, o preparador de Ayrton Senna…

divulgacao56 Se eu tiver o Ronaldo por seis meses, ele disputa a Copa de 2014. Exclusiva com Nuno Cobra, o preparador de Ayrton Senna...
"Se eu tiver o Ronaldo nas mãos por seis meses ele disputa a Copa de 2014".

A promessa é de ninguém menos do que Nuno Cobra.

Fisiologista que transformou Ayrton Senna em um atleta de verdade, o melhor preparo físico da Fórmula 1.

Em entrevista exclusiva, Nuno revela a máfia dos preparadores físicos que o deixou afastado do futebol.

E o quanto se motivaria em acabar com a aposentadoria de Ronaldo...

Nuno, o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez diz que sonha com a volta de Ronaldo.

Garante que depois de dois ou três meses ele voltará por saudade aos campos.

Isso é possível?

A aposentadoria do Ronaldo agora será o maior desperdício do mundo.

Ele tem 34 anos.

Fisiologicamente, o potencial de um homem é igual dos 20 aos 40 anos.

Basta trabalhar muito e de maneira inteligente.

Um atleta precisa ser tratado fisicamente, espiritualmente e mentalmente.

O Ayrton Senna chegou até mim arrasado.

Inseguro, travado, sem confiança.

Mal conseguia se erguer em uma barra.

No fim dos dez anos do meu trabalho com ele, estava quase um atleta olímpico.

O que é necessário é motivação, perseverança, vontade.

Só depende do Ronaldo.

Ele está parando com o futebol por falta de orientação.

Mas Nuno, ele diz que perdeu para o corpo.

Está gordo, com dores...

Eu treinava o tenista Cesar Kist e o fazia correr com dois coletes de dois quilos.

Ele reclamava, desanimava, sentia dores no corpo todo.

Depois, sem eles, seu preparo na quadra era excelente.

Eu te pergunto, Cosme, com quantos coletes o Ronaldo estava jogando nestes últimos jogos?

Com pelo menos uns oito.

Ele deve estar 16 quilos acima do peso.

Quem joga sem dor com oito coletes no corpo?

O Ronaldo é um fenômemo do lado fisiológico.

Ele tem fibras rápidas demais nas pernas de um jogador.

Por isso fazia o que queria com os zagueiros.

Agora, com 16 quilos a mais é impossível...

Nuno, e em relação aos cigarros e as bebidas alcóolicas que ele aprecia?

O Neto não conseguia dar um pique de 100 metros.

Quando comecei a trabalhar com ele, estava bebendo como um louco.

Comigo ele parou.

E fomos treinar em Campinas.

Depois de dar uma volta em velocidade em parque de lá, ele começou a chorar, me agradecendo.

Eu não peço para os atletas pararem com seus vícios.

Eles percebem a importância de respeitar o próprio corpo.

Uma pena que meu trabalho teve de ser interrompido com o Neto porque o supervisor do Corinthians soube.

E o Neto foi proibido de treinar comigo.

Há uma máfia absurda no futebol entre os preparadores físicos.

Você teve outra experiência parecida?

Treinei o Hugo Hoyama, um dos melhores mesotenistas de todos os tempos no Brasil.

O resultado foi tão bom que o pai dele, conselheiro do Palmeiras, ficou empolgado.

Me recomendou para o clube.

Queria que eu recuperasse o Edmundo, o Animal.

Mas não deixaram nem eu chegar perto dele.

Ficou claro para mim a existência da máfia no futebol e só por isso não trabalhei com grandes jogadores.

Voltando ao Ronaldo, você disse que ele deve o fim precoce de sua carreira a um método burro?

Sim. A sua estrutura é de uma pessoa magra.

Quando ele foi jogar na Europa, fizeram com que ele ganhasse massa de uma maneira estúpida, burra.

Musculação intensa e o encheram de suplementos, como a um cavalo.

Não levaram em consideração a sua formação fisiológica, suas articulações.

Com o peso excessivo ele sempre ficou sujeito a lesões.

E elas vieram.

O caso do Ronaldo é clássico, bem nítido o erro na formação física desse talento extraordinário.

Você resolveria como a falta de motivação de Ronaldo para continuar?

O Ronaldo precisa redescobrir a alegria de ser um atleta respeitado.

Ser chamado de baleia, gordo, pançudo quebra a motivação de qualquer um.

O trabalho tem de ser feito primeiro na mente de Ronaldo.

Ele precisa voltar a se gostar, a se enxergar como jogador de futebol.

Ter orgulho do seu corpo.

Ele é privilegiado por Deus.

Ninguém tem tanto talento como atacante no futebol mundial.

Parar com 34 anos é um crime!

Se eu tivesse seis meses com ele, Ronaldo voltaria a ser Ronaldo.

Disputaria a Copa de 2014...

E jogaria até os 40 anos, brincando.

Só peço seis meses.

E nem precisa me pagar um tostão.

Faria isso por amor, por prazer de salvar tanto talento que está sendo jogado fora...

Veja mais:
+
Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

O que realmente está por trás da briga pela transmissão dos jogos pela TV: a formação ou não da Liga dos Clubes brasileiros…

divulgacao20 O que realmente está por trás da briga pela transmissão dos jogos pela TV: a formação ou não da Liga dos Clubes brasileiros...

As águas de março estão chegando.

E com elas, a definição de qual emissora transmitirá o Campeonato Brasileiro de 2012, 2013, 2014.

A briga pelas imagens dos jogos esconde algo até mais significativo para o futebol brasileiro.

A CBF tenta desarticular, acabar com o Clube dos 13.

Qual o interesse?

Manter o poder absoluto do futebol e exterminar qualquer chance de criação de uma Liga.

A Liga reunindo os principais clubes do país tornariam obsoletas as federações e a própria CBF.

Na prática, as federações e a CBF servem organizar campeonatos e registrar os jogadores.

Para vários clubes seriam dispensáveis.

Só que não levam em conta a força política que Ricardo Teixeira tem na América do Sul, na África.

E, principalmente, junto ao presidente da Fifa, Joseph Blatter.

Ainda mais agora, na organização da Copa do Mundo de 2014...

Nos grandes países da Europa, as Ligas controlam o futebol.

Sem maiores problemas.

Aqui, no Brasil, não.

A estrutura foi montada para manter o poder dos presidentes das Federações e da própria CBF.

Só uma grande reviravolta promoveria uma revolução no futebol.

Revolução que não desperta o menor interesse da CBF.

As ideias subversivas crescem no Clube dos 13.

Ricardo Teixeira sabe disso.

E por isso lançou de forma abrupta Kléber Leite como candidato de oposição a Fabio Koff.

O ex-presidente do Flamengo e grande amigo de Teixeira perdeu a eleição em 2010.

Mas Teixeira estuda outra solução.

Para rachar o Clube dos 13.

E acabar com a ideia da criação da Liga na raíz.

Usando o seu grande aliado Andrés Sanchez.

O presidente do Corinthians foi chefe da delegação brasileira na África do Sul.

E teve todo o apoio de Teixeira na confirmação da construção da Arena em Itaquera para abrir a Copa do Mundo.

Andres já queria se unir ao Flamengo para ter o direito de transmissão dos jogos.

Ele acredita que os clubes de maior audiência merecem receber mais do que os demais.

E assumiu ontem querer sair do Clube dos 13.

"É um direito meu buscar o melhor para o Corinthians.

Não sou obrigado a continuar a ficar em um lugar que eu acredito que me dê prejuízo."

Mas ele quer arrastar o Flamengo.

Andres tinha grande proximidade com Márcio Braga.

Com a eleição de Patricia Amorim, houve um afastamento.

A solução foi usar a Taça das Bolinhas para a reaproximação.

Ele interferiu junto a Ricardo Teixeira, com o apoio da Federação Carioca pelo retorno do troféu ao Flamengo.

O reconhecimento do torneio de 1987 seria obrigatório.

Mesmo voltando atrás ao que já cansou de repetir, Teixeira aceitou hoje confirmar Flamengo e Sport como campeões de 1987.

A direção do Sport promete ir para a Justiça exigindo que o ano tenha um campeão só.

Enquanto isso, os dirigentes do Flamengo se juntam aos dirigentes corintianos.

E discutem a criação, em toque de caixa, do Clube dos Sete.

A ideia de Andrés Sanchez é juntar as sete equipes de maior audiência do país.

Sete clubes efetivos e um convidado.

Clube dos Sete que são oito...

Não é novidade no Brasil, já que o Clube dos 13 é formado por 20 clubes...

Andrés não quer o São Paulo, pela profunda rivalidade criada em relação ao Morumbi e a Arena Itaquera.

Há quem garanta que eles já estão fechados com a TV Globo e com Ricardo Teixeira.

Sem o apoio destes grandes clubes, a criação da Liga é impossível.

Com tanto empenho está explicado o motivo pelo qual Teixeira quer Andrés como seu sucessor...

Enquanto isso, Fábio Koff tenta manter de qualquer maneira a unidade do Clube dos 13.

E deixar o processo de licitação acontecer normalmente como estava previsto.

Nessa semana as propostas dos interessados na transmissão devem chegar às mãos da cúpula do Clube dos 13.

O resultado será divulgado em março.

Por isso a pressa corintiana no rompimento.

E a rapidez na ajuda pelo reconhecimento do título do Flamengo em 1987.

Depois do apoio inesperado, Patricia Amorim quer ouvir com seriedade a proposta de Andrés.

A pressão vem de todos os lados.

Das Federações, das TVs, dos políticos...

O interesse está muito além da transmissão das partidas...

Mas da própria sobrevivência da CBF...

Da permanência do sistema que controla o futebol no Brasil...

Quem merece a taça das bolinhas? Flamengo? São Paulo? Ou a derrete e faz dois vasos e dá um para cada clube?

divulgacao83 Quem merece a taça das bolinhas? Flamengo? São Paulo? Ou a derrete e faz dois vasos e dá um para cada clube?
Na briga pelo direito da transmissão do jogos do Brasileiro vale tudo.

A CBF acaba de reconhecer o título de 1987 do Flamengo.

Em vez de vencedor da Copa União ele será considerado campeão brasileiro.

Ou seja: haverá dois campeões no mesmo ano: o time da Gávea e o Sport, vencedor do módulo amarelo.

Com a atitude, a CBf assim ganhou um poderoso aliado, o Flamengo.

Ao lado do Corinthians para fechar o contrato de transmissão com quem mais interessar.

A Taça das Bolinhas já está de posse do São Paulo, inimiga mortal da entidade.

Até na disputa pela transmissão.

Ricardo Teixeira vai pedir que seja devolvida ao Flamengo, como prêmio ao primeiro pentacampeão brasileiro.

O que você acha dessa história toda?

Quem tem razão?

Quem merece ficar com a Taça das Bolinhas?

Ou derrete e faz dois vasos e dá um para cada clube?

Seja um Ricardo Teixeira cover e decida...