Toda mágoa do tetracampeão brasileiro Muricy Ramalho com o futebol de São Paulo…

r7 Toda mágoa do tetracampeão brasileiro Muricy Ramalho com o futebol de São Paulo...
Rio de Janeiro...

Engenhão...

Chegou a hora do desabafo.

Muricy Ramalho mostrou o quanto estava atravessado com o futebol paulista.

Com os fracassos com o São Paulo na Libertadores de 2009.

E, principalmente, com sua passagem desastrosa pelo Palmeiras.

Hoje foi a hora da vingança, de mandar recados direcionados.

Bastou um repórter perguntar porque o futebol paulista o havia perdido para o Rio de Janeiro.

"Perdeu porque não concordo com certo tipo de coisa que muitos concordam.

Contratar jogador que um ganha um pouco, o outro um outro tanto.

Contratar por interesse que não seja ganhar uma partida de futebol não combina comigo.

O momento então era de sair, procurar outro lugar.

Estava muito decepcionado com que aconteceu comigo.

Quem me conhece sabe o quanto sou honesto e trabalhador."

Muricy se recusou a falar nome de quem ganharia dinheiro com contratações.

Ficou claro que a pessoa sabe muito bem a quem ele está se referindo.

E em que clube...

Eis que surge um outro repórter e pergunta no campo sobre o momento que ganhou o elenco do Fluminense.

Como ele conseguiu que os jogadores se matassem por ele.

"Foi quando disse não à Seleção Brasileira.

Não foi nada fácil, não mesmo.

Mas eu tinha de ser leal a quem me contratou.

E aí, Deus me ajudou...

Eu precisava de uma grande compensação por ter aberto mão da Seleção Brasileira.

Deus premia a quem é honesto, trabalhador, vencedor.

Quem não faz as coisas com maldade.

E veio este título do Brasileiro.

E o Fluminense tinha de ganhar comigo, comigo."

Surge uma outra repórter e pergunta sobre a importância dos garotos do Fluminense.

"Eles foram fundamentais.

Seguraram as pontas quando tudo estava dando errado.

Tinha um monte estrelas contundidas.

Não adiantava nada.

E muita gente disse que eu só ganhava porque tinha estrelas e mais estrelas.

Ninguém presta muito atenção.

Quantos partidas eu não montei o time com jogadores que ninguém nem lembra, como o Tarta?"

Aí, alguém lembrou de Fred.

Do seu enorme jejum de gols.

"Eu quero sempre ter o Washington no meu time.

Ele é honesto, um homem trabalhador.

Cheguei nele quando vi que estava perturbado e chamei para conversar.

Não gosto disso, mas estava vendo todos os dias o monte de bobagem que ele ouvia todos os dias.

Fui claro.

Meu, está na hora de você dar uma parada.

Ir para a igreja, rezar.

Se acalmar.

Depois você volta.

Tenso desse jeito não é bom para você, nem para o time.

Ele fez o que eu falei e o resultado esta aí.

Estou muito contente pelo Fred.

Eu não desisto de quem trabalha."

A maior emoção estava reserva ao sonho que teve na madrugada de ontem.

"Eu sonhei com o Telê Santana.

Ele não falava nada.

Mas eu ia até ele e o dava um enorme abraço.

Ele sorria muito.

Foi de arrepiar.

Eu sabia que só poderia vir coisa boa hoje, depois desse sonho.

Foi especial para mim."

E uma bela cutucada ele reservava para quem deseja mudar a fórmula de pontos corridos.

"Não tem cabimento.

É a mais justa, meu.

Quem consegue ganhar mais, fica com o título.

Mas para isso é preciso trabalhar o ano inteiro.

Não tem essa história de dar gás só no final.

O Fluminense só foi campeão porque trabalhou demais.

Eu tenho quatro Brasileiros porque trabalhei muito.

Abri mão dos meus três filhos maravilhosos, da minha companheira.

Tive uma meta e o resultado taí.

Ninguém pode questionar."

Enquanto falava, Muricy percebeu o ex-presidente Roberto Horcades querendo se aproximar.

O técnico foi duro com ele.

"Deixa eu acabar que depois você fala por duas horas, presidente."

Dito e feito.

Só quando estava satisfeito, Muricy se livrou dos repórteres que o cercavam.

E avisou Horcades.

"Pronto: agora as câmeras são todas suas.

Pode falar à vontade."

Esse é Muricy Ramalho, tetracampeão brasileiro.

Alguém muito magoado com o futebol de São Paulo...

Veja mais:
+ Veja os destaques do dia
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Com todo sofrimento e mais um prêmio de R$ 1,5 milhão: Fluminense campeão do Brasil…

divulgação10 Com todo sofrimento e mais um prêmio de R$ 1,5 milhão: Fluminense campeão do Brasil...
Rio de Janeiro...

Engenhão...Foi um sofrimento.

O Fluminense jogou taticamente errado.

Parte da torcida vaiou no intervalo.

Muricy Ramalho, tenso, esteve perdido durante todo o primeiro tempo.

Os apedrejados reservas do Guarani tiveram o auxílio dos nervos, da insegurança do time carioca, que refletia na torcida.

Vagner Mancini tratou de marcar o único jogador criativo do Fluminense e o time parou, não andou.

O desespero passou do time para a torcida.

O medo de um vexame histórico no Engenhão era enorme.

A festa já estava preparada há muito tempo.

A Unimed havia prometido a singela contribuição de R$ 1,5 milhão de premiação.

E até o intervalo parecia que iria economizar o dinheiro.

Sem criatividade, inseguro, o Fluminense era facilmente marcado pelos rebaixados bugrinos.

No intervalo parte dos torcedores tentou vaiar o time.

E quase foi espancada pela maioria que preferia apoiar.

A mala branca do Corinthians estava dando certo.

Os jogadores de Campinas que rebaixaram o time para a Segunda Divisão mostravam um empenho que
deveriam ter durante o Brasileiro.

Não só quando surgiu a promessa de R$ 500 mil do Corinthians.

Mas o jogo continuou e a sorte corrigiu o grave erro de Muricy.

Júlio César se contundiu e ele foi obrigado a acabar com os três volantes.

E ele trocou a insegurança pela famosa estratégia “vamos que vamos”.

Colocou Washington e seu time ficou com três atacantes.

Conca, cansado demais, por jogar todas as partidas do Brasileiro.

Acabava, sem querer, facilitando a marcação campineira.

Sobrava Diguinho uma obrigação que era acima da sua capacidade: armar o time.

Quando a situação estava ficando caótica, coube à providência ajudar.

Carlinhos foi para a linha de fundo e cruzou.

Washington desviou de cabeça e Emerson marcou o choradíssimo gol.

Gol do título.

O improvisado Guarani não tinha forças para reagir.

O estádio inteiro sabia que o Brasileiro de 2010 estava resolvido.

Depois de 26 anos, o único time da elite a visitar o inferno da Terceira Divisão

E voltou graças a um plano de saúde.

O dinheiro da Unimed foi fundamental para a recuperação do Fluminense.

Tão importante que o plano de saúde fez o novo presidente do clube.

Mas esses são detalhes que não pesam agora.

O que interessa é que o Fluminense resgatou a sua moral de vez.

É campeão do Brasil de novo.

O sofrimento ficou para trás.

Seu torcedor já pode encarar qualquer outro sem constrangimento.

O futebol do Brasil se dobrou ao Fluminense.

Tricampeão, tricampeão, tricampeão, gritou a torcida que contabilizou não só o de 1984, como o de 1970.

Hoje o tricolor pode tudo.

Inclusive cobrar do presidente Lula a visita que ele havia prometido ao Corinthians se o seu time fosse campeão.

Quem ganhou foi o Fluminense.

Prepare o sorriso amarelo, presidente...

Veja mais:
+ Veja os destaques do dia
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Depois de cerveja, empresas fazem fila para ter Mano Menezes como garoto-propaganda…

divulgação09 Depois de cerveja, empresas fazem fila para ter Mano Menezes como garoto propaganda...
O desempenho de Mano Menezes agradou em cheio aos executivos da Kaiser.

O técnico da Seleção mostrou dotes desconhecidos dotes dramáticos na sua primeira propaganda da cerveja.

Foi muito melhor do que Dunga, Luiz Felipe Scolari e até o veterano das telas, Ronaldo.

Mano foi contratado a peso de ouro pela Heineken, dona da marca Kaiser.

Concorrente da Ambev, patrocinadora da Seleção Brasileira.

Mas Ricardo Teixeira não criou qualquer problema.

Pelo contrário: ficou orgulhoso pelo assédio que garantiu um substancial aumento nos seus rendimentos.

Trabalhando para dirigir a Seleção ele recebe R$ 400 mil mensais e mais 13º.

Muito preocupado em aproveitar tudo o que sua carreira oferece, Mano vem desenvolvendo seus dotes artísticos desde que assumiu o Corinthians.

E fez propaganda para a Nike.

Não teve o menor constrangimento em 'escalar' a Kaiser.

Ou seja, treinador da Seleção recomendando bebida alcólica.

Sem dor na consciência, questionamento ético, nada disso...

Tempos modernos.

Será???

E ele fará mais.

A propaganda, sugerindo um documentário sobre a vida do técnico, deu mais do que certo.

Tanto que em 2011, com a disputa da Copa América e mais amistosos importantes, o ator Mano voltará às telas.

Não só da Kaiser.

Há várias empresas interessadas no treinador da Seleção.

Esse assédio o fortalece diante daqueles que apostavam que estava apenas esquentando a cadeira para Luiz Felipe Scolari.

Os mais de 1,7 milhão de seguidores no seu twitter estimulam os publicitários.

Adoram essa modernidade em um técnico de futebol.

Mano está na Argentina, procurando hotéis e escolhendo a melhor concentração para o Brasil na Copa América.

Caso consiga se manter no cargo até 2014, publicitários importantes garantem que ele será o treinador que mais ganhará dinheiro com publicidade na história da Seleção Brasileira.

Depois de 2014, Mano irá investir para valer na sua carreira internacional.

Quer comandar grandes times na Europa.

Para não repetir a amarga experiência de Felipão no Chelsea, ele se aprimorará em inglê.

E italiano não será dificuldade.

Assim como a arte dramática...

Veja mais:

+ Leia mais sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Prove se é melhor do que Muricy, Tite ou Cuca. Qual jogador decidirá o Brasileiro de 2010? Conca, Ronaldo ou Montillo?

divulgação993 Prove se é melhor do que Muricy, Tite ou Cuca. Qual jogador decidirá o Brasileiro de 2010? Conca, Ronaldo ou Montillo?
Depois é fácil dizer...

"Eu não falei?"

Em meio a tantos comentários sobre mala branca e entrega de jogos...

Antes de começar a última rodada do Brasileiro, uma última proposta aos leitores.

Qual será o jogador que desequilibrará?

Quem dará o título ao seu time?

Conca, Ronaldo, Montillo?

Ou será um jogador que ninguém espera que irá roubar a cena?

Mariano, Roberto Carlos, Gil?

Quem merece ser campeão do Brasileiro?

Por quê?

A última vaga da Libertadores será do Grêmio, Botafogo ou Goiás?

E a última indagação...

Há controvérsia na CBF sobre a fórmula de 2011.

Você acha ideal manter os pontos corridos ou voltar para o mata-mata?

Veja mais:

+ Leia mais sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Cruzeiro prepara festa e discurso para amanhã. Se proclamará o campeão moral do Brasil de 2010…

divulgação550 Cruzeiro prepara festa e discurso para amanhã. Se proclamará o campeão moral do Brasil de 2010...
Em 1978, o Brasil terminou a Copa do Mundo invicto.

Nenhuma seleção teve força para vencê-lo.

Nem a Argentina, a campeã, que jogava em casa.

Acabou com a terceira colocação.

Graças à estranha atuação do Peru na derrota por 6 a 0 para a Argentina, Claudinho Coutinho cunhou uma frase que se perpetuou.

"O Brasil foi o campeão moral desta Copa do Mundo."

Desde então os campeões morais se espalham pelo planeta.

E amanhã, em Minas Gerais, há muita possibilidade de haver um novo.

A torcida, a diretoria e os jogadores prometem festejar mesmo se o clube não ganhar o Brasileiro.

Vencer os reservas e juniores do Palmeiras é garantido.

Mas não há o que fazer se Fluminense e Corinthians vencerem suas partidas.

Zezé Perrella, Cuca e seus jogadores já têm o discurso decorado.

Diante de vários erros dos árbitros durante o Brasileiro, principalmente o de Héber Roberto Lopes contra o Botafogo e de Sandro Meira Ricci, diante do Corinthians, o Cruzeiro se declarará campeão moral do Brasileiro de 2010.

Os dirigentes devem até dar um prêmio aos atletas pela conquista simbólica.

Não é preciso ter mais do que dois neurônios para saber que Corinthians e Fluminense têm muito mais força política do que o Cruzeiro.

Se a montagem do ofensivo e habilidoso time foi perfeita, o trabalho de bastidores, não.

Houve erros demais neste Brasileiro.

Todas as equipes, sem exceção, foram prejudicadas.

Todas.

Mas os erros contra o Cruzeiro foram em jogos cruciais.

Principalmente diante do Corinthians.

Não adiantou protesto, lágrimas, murros na mesa.

O time chega dois pontos atrás do Fluminense e um atrás do Corinthians.

Os dirigentes podem espernear, bater a cabeça na parede.

Eles sabem que o título de verdade foi embora.

O combalido Guarani e o desinteressado Goiás não serão rivais para Fluminense e Corinthians.

Por mais que Zezé Perrella tenha mexido nos bolsos para incentivá-los.

Restará apenas a conquista da imaginação.

O tal campeão moral.

Então quem quiser acompanhar a festa por um título inexistente já sabe onde festejar amanhã.

Basta ir para Sete Lagoas.

Procurar a Arena do Jacaré

Vestir azul.

E colocar um nariz de palhaço...

Em homenagem a tudo que aconteceu contra o Cruzeiro...

Veja mais:

+ Leia mais sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Torcida do Guarani já apedrejou seus jogadores. Promete fazer pior se o time ganhar ou empatar com o Fluminense. Seguranças foram contratados pelo clube. Armados…

Agencia Estado333 Torcida do Guarani já apedrejou seus jogadores. Promete fazer pior se o  time ganhar ou empatar com o Fluminense. Seguranças foram contratados pelo clube. Armados...
Foi escrito aqui que a torcida organizada do Guarani é uma das mais violentas de São Paulo.

E que se preparava para 'punir' time, técnico e diretoria que a envergonharam.

O aviso foi dado.

E não foi levado a sério.

Pois bem, ontem aconteceu.

No estacionamento do clube, em Campinas.

Cena de guerrilha.

Torcedores chutaram, riscaram, amassaram carros.

Jogaram pedras nos jogadores.

Estavam prontos para espancá-los, quando seguranças começaram a dar tiros para o alto.

Sim, tiros.

Como se todos estivessem no Velho Oeste.

Foi um caos.

A diretoria resolveu afastar Moreno do jogo de amanhã contra o Fluminense.

Foi ele que no começo da semana revelou ter recebido telefonema de um diretor do Corinthians oferecendo mala preta.

Ele disse diretor.

Depois foi aconselhado a se retratar e no meio da semana tentou dar uma desculpa, dizer que não sabia quem ligou para ele.

Vagner Mancini, que fez seu pior trabalho na carreira, disse o óbvio.

Que o comportamento selvagem da torcida o fará sair do Guarani em 2011.

Só que ele sabe que não ficaria.

A direção iria dispensá-lo e com motivos.

A campanha foi péssima.

Tanto que o clube foi rebaixado.

A torcida do Guarani exige a derrota amanhã.

Fez vários manifestos garantindo que não perdoará os jogadores se conseguirem um bom resultado.

O time está há 12 partidas sem vitórias.

Se vencesse alguns desses jogos, o Guarani não estaria na Segunda Divisão.

Como aceitar que o time se desdobre, se mate em campo por um punhado de reais corintianos?

Essa é a lógica da torcida.

Os jogadores têm a proposta da mala branca nas mãos.

Mas estão com medo.

Com muito medo dos torcedores bugrinos.

A diretoria também está sendo ameaçada pelos torcedores.

Os dirigentes têm recebido telefonemas com várias ameaças.

Cada uma pior do que a outra.

O tom é o mesmo.

Os torcedores prometem voltar a atacar se o time ganhar ou empatar no Rio.

A segurança do Guarani foi reforçada.

Com mais homens armados.

Esse é o clima do adversário do Fluminense, no jogo que decidirá o Brasileiro de 2010...

Veja mais:

+ Leia mais sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Simon. O juiz que Corinthians e Cruzeiro não queriam no jogo do Fluminense…

reuters43 Simon. O juiz que Corinthians e Cruzeiro não queriam no jogo do Fluminense...
Ninguém da diretoria do Corinthians gostou.

Os dirigentes do Cruzeiro detestaram.

Mas ninguém irá confirmar publicamente.

Para os dois clubes vai apitar o jogo entre Fluminense e Guarani quem não poderia.

Carlos Eugênio Simon fará a sua despedida do futebol no Engenhão.

Justo na partida que definirá o campeão do Brasileiro.

Se o Fluminense tropeçar deixará caminho aberto aos outros dois concorrentes.

Ele tem um convite para trabalhar como comentarista de arbitragem da TV Bandeirantes.

Jornalista formado, sindicalista, comunista, presidente do Sindicato dos Árbitros do Rio Grande do Sul.

Gosta de ressaltar sua imagem de independente.

Jura que sempre esteve acima de todas as pressões de quem quer que seja.

Recordista entre todos os árbitros do Brasil.

O único a apitar três Copas.

Muito bem relacionado na CBF.

Não há como negar que teve uma carreira mais do que vencedora.

Ele sempre se irritou e protestou contra essa fama que persegue todos os árbitros do País.

A fama de, na dúvida, apitar para o clube mais forte.

Neste domingo ele terá a última chance de provar essa reputação não se justifica.

Tomara, que os corintianos e cruzeirenses estejam errados.

E que, se o Fluminense for campeão, não tenha que repartir o título com Simon...

Veja mais:

+ Leia mais sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Richarlyson. Saída pela porta dos fundos do São Paulo. Enquanto isso, a direção do Fluminense comemora a chance de fazer o ‘negócio do ano’…

AFP Richarlyson. Saída pela porta dos fundos do São Paulo. Enquanto isso, a direção do Fluminense comemora a chance de fazer o negócio do ano...
Jogadores cantaram Amigo para Jorge Wagner.

E o abraçaram, choraram com sua saída do São Paulo.

Ele começará a partida contra o Atlético Mineiro.

Será homenageado.

Sairá pela porta da frente do clube para atuar no Japão.

Já Richarlyson não terá nada disso.

O presidente Juvenal Juvêncio ordenou que o departamento jurídico não tentasse livrá-lo da suspensão pela expulsão contra o Fluminense.

Decidiu que nunca mais ele vestiria a camisa do São Paulo.

Sua saída seria pela porta dos fundos.

Com a última imagem fixada na retina dos torcedores, a expulsão que os dirigentes consideram forçada e só não têm coragem de afirmar publicamente.

A suspeita que teria forçado o vermelho para ajudar o time carioca não se justifica.

O São Paulo estava entregue naquele fatídico jogo.

Não mostrava a mínima vontade de ganhar no segundo tempo.

Estava claro que desejava prejudicar o Corinthians.

Mas a expulsão, realmente infantil, de Richarlyson caiu do céu.

A direção repassou toda a culpa para o jogador que negocia sua ida para o Fluminense.

E a vida segue...

Richarlyson está magoado demais com a direção do São Paulo.

Só que não vai criar confusão para não deixar tudo pior.

Talvez depois, quando já estiver em outro clube em 2011, ele fale o que pensa agora.

Sabe das enormes pressões que sofreu para deixar o clube.

Principalmente das torcidas organizadas do próprio São Paulo.

E de parte importante dos conselheiros.

Sempre negou ser homossexual.

Mas foi perseguido como se fosse.

Ter a suspeita de ser homossexual no futebol é fatal.

A diretoria do São Paulo se mostrou firme e sempre deu guarida a Richarlyson.

E ele foi muito macho em continuar no Morumbi.

Poderia ter saído e mesmo muito pressionado, ofendido, ficou.

E lhe deu até assistência jurídica quando o dirigente palmeirense José Ciryllo Júnior insinuou na TV que o jogador seria homossexual.

Ciryllo pediu desculpas e tudo foi esquecido.

Que fique bem claro.

Richarlyson não está saindo dessa maneira deprimente do São Paulo por nenhum boato sobre a sua sexualidade.

Mas pelas inúmeras expulsões infantis.

E, principalmente, pelo seu futebol que caiu demais nos últimos anos.

Só que não deixa de ser um enorme desperdício.

Inclusive financeiro.

Um atleta de alto nível sair pelas portas do fundo do Morumbi.

Motivado, tem nível para atuar até na seleção brasileira.

Como volante e não pela lateral como Dunga forçou que atuasse.

É uma pena.

Um grande prejuízo.

Sair e não render um centavo ao São Paulo.

A direção do Fluminense já esfrega as mãos garantindo ter feito o melhor negócio de 2010...

(Após o post ter sido escrito, alguns jogadores se reuniram diante da imprensa e de Richarlyson.

Detalhe que foram alguns.

E se despediram dele.

Depois o jogador chorou e disse que se dependesse dele ficaria no São Paulo.

Deixou claro que estava sendo dispensado.

Chorou.

Marco Aurélio Cunha tentou amenizar a situação e disse que todos no São Paulo 'amam' Richarlyson.

Só que o amam longe do Morumbi.

E ele foi embora.

Pela porta dos fundos...)
Veja mais:

+ Leia mais sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Temendo a perda do Brasileiro para o Fluminense, Adriano é cortina de fumaça para Tite. E para os dois pontos que jogou fora na Bahia, que podem custar o jejum no centenário…

gettyimages00002 1024x708 Temendo a perda do Brasileiro para o Fluminense, Adriano é cortina de fumaça para Tite. E para os dois pontos que jogou fora na Bahia, que podem custar o jejum no centenário...
Não há a mínima confiança da direção do Corinthians no Guarani.

Mesmo com a disposição de enviar uma mala branca recheada: R$ 500 mil.

E ainda a promessa de alguns jogadores emprestados para 2011.

Andrés Sanchez sabe o quanto o time é fraco.

Assim como o trabalho de Vagner Mancini.

Se o título do Brasileiro for mesmo perdido, é preciso blindar a equipe.

E principalmente Tite.

Se o Fluminense for campeão com um ponto de vantagem, a direção do Corinthians não quer que o trabalho do novo treinador seja questionado.

E que as pessoas raciocinem como Carlos Alberto Parreira.

Ele foi claro.

"A rodada que definiu o Campeonato Brasileiro foi quando o Corinthians jogou com o Vitória.

E o Fluminense com o São Paulo.

O Corinthians não poderia ter empatado com o time baiano.

Foi neste jogo que deu a vantagem ao Fluminense."

Pois bem, naquela partida em Salvador, Tite tratou de defender o empate com o time ameaçado de rebaixamento.

Mesmo sabendo que o Fluminense começava a golear o desinteressado time do rancoroso Juvenal Juvêncio.

Como evitar que a cobrança recaia sobre Tite?

O técnico que pode ter jogado o Brasileiro no ano do centenário pelo lixo?

Além do mais, será ele o comandante da Libertadores de 2011.

Se ele começar o ano desmoralizado será difícil segurar.

A melhor maneira para blindá-lo caiu do céu.

Adriano.

Se o Corinthians perder mesmo o Brasileiro, ter a perspectiva de ter o atacante da Roma ameniza a dor.

Faz o torcedor sonhar.

E esquecer o desperdício que pode ser o Brasileiro de 2010.

Lógico que Adilson Batista fez um péssimo trabalho no Parque São Jorge.

Mas Tite assumiu a equipe e ganhou de presente a primeira colocação do Brasileiro.

Só que a jogou fora empatando, por falta de coragem e ousadia, em Salvador.

De acordo com Ronaldo, Adriano quer voltar.

Está infeliz no futebol italiano, de novo.

O empresário Gilmar Rinaldi tenta convencer o impulsivo atacante a continuar na Europa.

Pelo menos até o final do Campeonato Italiano.

Se ele conseguir, o jogador não chegará para a Libertadores.

Adriano está indeciso.

Sabe que se voltar ao Brasil, aos 28 anos, e duas desistências de times grandes da Itália, adeus carreira no exterior.

Ronaldo não quer nem saber e garante que está convencendo o jogador a atuar no Parque São Jorge.

Essa indefinição serve como excelente cortina de fumaça.

Todos se esquecem do tropeço na pior hora do técnico.

E como gosta de repetir Andrés: "Vamos que vamos".

Ao final da partida em Goiânia, se o Fluminense for campeão, se prepare.

O assunto será Adriano, Adriano e mais Adriano.

A contratação é difícil.

Mesmo se ele decidir voltar, tem contrato com o time italiano.

E não quer não R$ 450 mil mensais como foi divulgado.

Ele deseja R$ 800 mil.

Só com patrocinador forte para bancar esse salário.

Quem quer ter sua imagem ligada à de Adriano depois dos acontecimentos dos últimos dois anos?

Mas não importa.

Ninguém vai pensar.

Basta repetir o nome do jogador da Roma como um mantra.

Adriano, Adriano, Adriano...

O importante será hipnotizar impresa e torcida.

Para felicidade de Adenor Leonardo Bacchi, responsável pelo desperdício de dois pontos fundamentais para o fraco Vitória de Antônio Lopes.

Que podem custar o único título no ano do centenário...

Veja mais:

+ Leia mais sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Depois de vender porcentagem de Neymar, Santos deve vender partes de Ganso. Bem barato. Igualzinho ao que fazia Marcelo Teixeira…

divulgação1101 Depois de vender porcentagem de Neymar, Santos deve vender partes de Ganso. Bem barato. Igualzinho ao que fazia Marcelo Teixeira...
Quando Luis Álvaro articulava a sua candidatura para a presidência do Santos, ele gostava de tocar em um ponto.

Pegava em um dos vários calcanhares de Aquiles de Marcelo Teixeira.

Insistia que achava um absurdo o concorrente ter repassado partes dos direitos federativos dos jogadores.

Teixeira vendia a grupos econômicos.

Principalmente o de Delcir Sonda.

Foi assim com Robinho, por exemplo.

Luís Álvaro não concordava com a maneira fácil de ganhar dinheiro.

E repassar barato demais o patrimônio santista.

Pois bem, nada como estar no poder.

Querendo reforçar o time para de qualquer maneira tentar ganhar a Libertadores, a direção santista foi em um alvo importante.

Aproveitando a depressão e a reserva de Elano no futebol turco, foi fácil convencê-lo a voltar para a Vila Belmiro.
Mas como pagar os três milhões de euros, cerca de R$ 6,6 milhões ao Galatasaray?

O caixa do Santos está baixo.

As dívidas ultrapassam R$ 150 milhões...

Para não perder a oportunidade, Luís Álvaro seguiu o mal falado caminho de Marcelo Teixeira.

Vendeu partes dos direitos federativos de Neymar e Arouca.

E com grande desconto, principalmente, Neymar.

Os 5% ao grupo Guia, na verdade, conselheiros amigos do presidente, saíram por R$ 3,5 milhões.

Eles valem na verdade, R$ 5 milhões.

O lucro de R$ 1,5 milhão aos conselheiros tem a explicação que o Santos precisava do dinheiro no ato

Arouca teve 20% dos seus direitos federativos vendidos por R$ 1,7 milhão.

Conversando com pessoas ligadas a Luís Álvaro, a estratégia vai continuar.

Por isso ele conseguiu na justiça todos os 100% dos direitos federativos de Ganso.

Será parte deles que o Santos usará para pagar os próximo jogadores contratados.

O atual presidente se defende daquilo que prometeu nunca fazer.

A sua explicação é que o Conselho Deliberativo foi consultado e aprovou sua maneira heterodoxa de negociar.

Ele diz que Marcelo vendia e não consultava ninguém.

Mas não é o ato de consultar que está sendo julgado.

Mas o de vender, a preço baixo demais, os direitos federativos de estrelas santistas.

O dirigente que se dizia tão imaginativo, criativo, está usando uma estratégia tosca de arrumar dinheiro.

Esta vendendo barato um produto caríssimo.

De alto poder de revenda.

Triste estratégia e que não combina em nada com seu discurso modernoso...

Veja mais:

+ Leia mais sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7