Para fugir dos ‘palhaços’, Scolari ameaça se refugiar no site do Palmeiras. Parabéns à Unimed, ao Banif e à Parmalat por seu garoto propaganda…

gettyimages23 Para fugir dos palhaços, Scolari ameaça se refugiar no site do Palmeiras. Parabéns à Unimed, ao Banif e à Parmalat por seu garoto propaganda...

Os radialistas de São Paulo mostraram como enfrentar a cólera de Luiz Felipe.

Sem ofendê-lo, bater boca, pedir reuniões às escondidas.

Diante do justo questionamento com o descaso com Valdivia, jogador que o Palmeiras gastou cerca de R$ 12 milhões, o treinador se irritou com as perguntas e as classificou como "palhaçada".

E classificou o bravo repórter Rafael Prates, da Rádio Globo, como o "mais palhaço" por ter insistido na pergunta.

A situação ridícula aconteceu em uma coletiva.

Televisões do Brasil inteiro gravaram a cena.

Que ficou pior, mas teve de ser censurada.

Ao ser questionado porque o médico Otávio Vilhena não deu entrevista explicando a contusão de Valdivia, Felipão se descontrolou de vez.

"Então, foda-se."

E virou as costas aos repórteres e foi embora para os vestiários, depois do empate com os reservas do Atlético Mineiro.

Foi para uma reunião na Aceesp e falou sozinho para o site do Palmeiras.

Sem interrupções ou perguntas verdadeiras.

Ele pensou que tudo estivesse acabado.

Acontece que ele não contava com a união dos radialistas paulistas.

Deram uma lição de coragem, bom humor e inteligência.

A maioria consciente colocou nariz de palhaço e recepcionou Scolari.

A mensagem foi clara: "Nós somos sim os palhaços que questionam o técnico de maior salário do Brasil".

E, infelizmente, nos últimos tempos, o mais truculento.

A resposta foi pública, como a ofensa.

Scolari não quis dar entrevista coletiva como troco.

Deve ser uma boa política para a Unimed e para o Banco Banif e para a Parmalat.

Eles pagam caro pela publicidade na camisa do treinador do Palmeiras e ela é mostrada em destaque nas coletivas.

Scolari é a maior estrela do Palmeiras.

Mas ninguém no clube tem coragem de enfrentá-lo.

Dizer o que fazer.

Ele não é o técnico do presidente em exercício, Salvador Hugo Palaia, a quem desafiou publicamente.

Quando Valdivia reclamou por estar sendo substituído, o treinador disse publicamente que era ele quem mandava no time.

E colocaria e tiraria quem desejasse.

Fosse até o "filho do presidente".

Filho, Valdivia não é.

Mas foi graças a Palaia que chegou ao Palmeiras.

Foi ele quem acreditou no chileno pela primeira e segunda vez que foi contratado pelo clube.

Palaia colocou nas duas vezes dinheiro do seu bolso.

Quem poderia conter Scolari está se recuperando de grave operação cardiáca, o presidente eleito Belluzzo, quem o contratou.

Os radialistas deram uma demonstração ontem que Scolari precisa tratar as pessoas com respeito.

Na Inglaterra ele foi demitido do Chelsea e teve de se submeter a várias perguntas duras da imprensa inglesa.

Lá ele não xingou ninguém de palhaço.

Por que será?

O Palmeiras ganhou a partida do Goiás, mas a sua estrela não falou.

A estrela que fecha os treinos.

Proíbe os jogadores de falar antes, no intervalo e logo após o jogo.

Que pensou que poderia ficar pisando em quem quisesse.

Um dia ele acertou um soco no rosto do então repórter do Diário de São Paulo, Gilvan Ribeiro, e nada aconteceu.

Agora, não.

Ele encontrou os bravos radialistas paulistas.

Os que dignificaram os narizes de palhaços.

Sem saída, sem graça, Scolari ameaça continuar a falar só com o site do Palmeiras.

Talvez seja melhor, lá ele xinga, não humilha ninguém...

Parabéns à Unimed, à Parmalat e ao Banco Banif pelo investimento...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Felipão: perceba sua importância no futebol brasileiro. Não se deixe dominar por assessores frustrados…

reuters24 Felipão: perceba sua importância no futebol brasileiro. Não se deixe dominar por assessores frustrados...

Nos seus últimos tempos como treinador do Boca Juniors, Carlos Bianchi tomou uma decisão.

Escalação do time só no seu site.

Foi uma maneira de estimular o crescimento, o acesso ao site.

Garantir patrocinadores.

Acabou ridicularizado na Argentina por esta atitude pequena.

Luiz Felipe Scolari falou palavrões na coletiva logo depois da partida contra o Corinthians.

Ele se irritou diante do óbvio: porque o jogador mais caro da história do Palmeiras jogou apenas 34 minutos.

Como era possível ter voltado a sentir a contusão na coxa esquerda se três dias antes se desgastou por 90 minutos contra um adversário insignificante como o Universitario de Sucre?

Por que tanta falta de cuidado com ele?

Não bastasse isso, logo depois, contra os reservas do Atlético Mineiro, Valdivia suportou apenas 18 minutos.

Diante da óbvia e reincidente barbeiragem, Felipão ficou ainda mais irritado.

Falou que era uma palhaçada o que a imprensa estava querendo fazer com o caso Valdivia.

E ainda chamou de o mais palhaço o repórter da rádio Globo por ter coragem e insistir na pergunta que Felipão não queria ouvir.

Por que escalar Valdivia machucado?

A repercussão foi internacional.

Como um treinador campeão do mundo começa a falar palavrões em coletiva e a chamar repórteres de palhaços?

Ele teve uma reunião com a cúpula da Aceesp, Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo.

A intenção era de que tudo fosse resolvido e que o técnico passasse a respeitar os jornalistas.

Logo em seguida à reunião, o seu assessor de imprensa disse ao R7 que Felipão não pediu desculpas, apenas acertou arestas.

Toda sexta-feira, o treinador dava entrevistas coletivas no Palmeiras.

Ontem não quis.

Teria de falar novamente de Valdivia.

O que fez?

Falou no site do Palmeiras.

Falou à vontade, sem ser interrompido.

Não tocou no nome do Valdivia, óbvio.

Sorriu e mostrou como gostaria de ser "entrevistado".

Quem faz o site do Palmeiras é a assessoria de imprensa do clube.

São jornalistas pagos para divulgar o que interessa aos dirigentes, ao técnico, aos jogadores.

Não noticiam, divulgam.

No site nunca haverá referência à dívida do clube, aos balanços reprovados pelo Conselho Deliberativo.

Pelos motivos da implosão do departamento de futebol com Palaia assumindo a presidência.

Nada.

Apenas o que interessa.

Essa é a função da assessoria.

Talvez não seja por acaso que Felipão deu essa autoentrevista, me lembra um esperto leitor.

Quem mesmo lançou a autoentrevista?

Palaia.

Quem era o assessor de imprensa de Palaia?

O mesmo que "assessora" Felipão.

Foi seguindo conselhos dele que o treinador proibiu entrevistas antes, no intervalo e depois das partidas.

Ele não acredita que seus jogadores irão conseguir se controlar diante dos microfones.

Só o Palmeiras adota essa política digna da ditadura Pinochet.

Agora, há a ameaça no ar de Scolari só falar para o site do clube.

Fazer convenientes autoentrevistas.

É uma pena que Luiz Felipe Scolari esteja seguindo esse caminho feio, ultrapassado.

Ele não precisa disso.

É uma pessoa vencedora na sua profissão.

Mas sujeita a erros também.

E por que tanta angústia, tanta raiva ao admitir um erro?

Ele é um excelente técnico, mas não está acima do bem ou mal.

Faz parte das suas funções explicar de verdade o que acontece no Palmeiras.

Ganha o maior salário entre os técnicos no Brasil para isso.

Dar "entrevista" no site do Palmeiras é uma atitude medrosa, que talvez combine com seu assessor, não com Felipão.

Ele tem recursos intelectuais para conversar de maneira decente com os jornalistas.

Pode pensar sozinho, apesar do seu assessor acreditar que não.

Foi um motivo de orgulho para a imprensa paulista o retorno de Felipão ao Palmeiras.

O pentacampeão do mundo estava voltando para reestruturar um grande clube de São Paulo.

O "campeão do século XX".

Uma pena que ele esteja tão mal assessorado, aconselhado.

Quando compreender o triste papel que está desempenhando, ficará envergonhado.

Felipão não se apequene.

Não seja usado por pessoas que são motivadas pela frustração, pela paranoia.

Seu papel na história do futebol brasileiro é muito maior...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

A aposentadoria precoce e amadora do melhor árbitro brasileiro

reuters87 A aposentadoria precoce e amadora do melhor árbitro brasileiro

De maneira discreta, triste até, o melhor árbitro brasileiro encerra sua carreira.

Aos 39 anos, o gaúcho Leonardo Gaciba decidiu ser comentarista de arbitragem da Rádio Gaúcha.

Justo neste momento conturbardo da arbitragem brasileira.

O que Héber Roberto Lopes fez com o Grêmio contra o Fluminense foi um absurdo.

Por mais que Conca houvesse decidido o jogo, não marcar pênalti de Leandro Eusébio em Jonas foi inexplicável.

A partida estava 1 a 0 para o Fluminense.

O time gaúcho, que estava muito melhor na partida, poderia até ter virado o jogo.

Mas ninguém vai saber.

O erro crucial de Héber mudou todo o cenário.

Este Brasileiro está sendo marcado por enormes e inexplicáveis erros.

Não há um clube só beneficiado.

Ou só um prejudicado.

Quem sofre é o torcedor, aquele que acredita que a partida irá ser decidida apenas pelo rendimento do time.

Graças à CBF, os árbitros são os únicos amadores entre os profissionais.

Eles trabalham pelos "cachês" dos jogos.

Apitar é quase como se fosse um hobby.

A Comissão de Arbitragem exige que os árbitros tenham outra profissão.

E provem que trabalham.

Provem que não se dedicam integralmente à arbitragem.

O ideal, os próprios árbitros dizem "em of"', seria se preparar fisicamente, mentalmente e com análises constantes dos jogos que comandaram para melhorar.

Para isso seriam necessários preparadores físicos, psicólogos e orientadores.

Onde há estrutura?

Os sindicatos dos árbitros estão amarrados nas Federações.

Não há porque incentivar a independência.

Os presidentes de Federações colocam para apitar os árbitros de sua confiança.

Não necessariamente os melhores, muitas vezes os que melhor sabem fazer política

Os que agradam certos clubes.

Os árbitros ficam completamente dependentes.

E inseguros.

Em todos os sentidos.

Os erros são cada vez mais constantes.

Tiram a credibilidade de qualquer campeonato.

Os árbitros são afastados, mas o problema não é resolvido.

Eles não têm apoio nenhum.

A não ser, repito, os que trabalham bem politicamente.

Vale a pena voltar a Gaciba.

Ele estava cotado para apitar as duas últimas Copas do Mundo.

Mas tinha um problema crônico e digno de um excelente psicólogo.

Não passava nos testes físicos.

"Eu não sei o que acontece comigo.

Nos testes que faço na academia de ginástica e que não são para valer, passo tranquilamente.

Quando vale, eu travo.

Fico nervoso, tenso.

E vou reprovando.

Não sei o que fazer."

Gaciba me disse isso ao fracassar em mais um teste físico.

Fui cobrir Ana Paula Oliveira que também fracassou, logo após posar para a Playboy.

Soube do drama psicológico de Gaciba por acaso.

E hoje fico sabendo do final da sua carreira, aos 39 anos.

Foi vencido pelos testes físicos.

Lamento.

Mas ele é apenas mais um triste desperdício na arbitragem brasileira.

Que foi criada para estimular os erros e a dependência e o amadorismo...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Douglas: uma convocação de Mano em homenagem à falta de visão de Mario Gobbi…

divulgação341 Douglas: uma convocação de Mano em homenagem à falta de visão de Mario Gobbi...
Hotel Intercontinental. Rio de Janeiro.
Local da convocação da Seleção Brasileira."

A convocação de Douglas para o jogo contra a Argentina foi uma resposta de Mano Menezes.

Direcionada ao diretor do Corinthians, Mário Gobbi.

O homem que disse ao assumir o cargo que não entendia nada de futebol.

E o que consagrou a frase 'futebol é business' ao explicar as vendas de André Santos, Douglas e Cristian.

Vendas que desestruturaram o clube para a Libertadores de 2010.

A do centenário.

Mário Gobbi foi o maior defensor da saída do trio.

Por meros R$ 11 milhões, o Corinthians perdeu a espinha dorsal do time.

R$ 11 milhões parcelados.

Cristian saiu chorando do clube.

André Santos queria ganhar mais na Turquia.

"Eu não queria ser vendido do Corinthians.

Fui forçado pela diretoria", me disse Douglas.

E quem ficou irritado, com um nó na garganta com a saída de Douglas foi Mano Menezes.

Ele sempre o considerou um meia diferenciado, talentoso e muito frio.

Douglas e André Santos eram a força corintiana.

Pela esquerda, o clube destroçava seus adversários.

Mas Gobbi conseguiu convencer Andres que as propostas pelo trio eram boas.

E eles foram vendidos.

O Corinthians começou a ser eliminado da Libertadores de 2010 quando eles saíram do Parque São Jorge.

Para amigos, Mano sempre falou que o trio deveria estar na seleção brasileira.

Hoje ele provou para Gobbi que não estava exagerando.

André Santos e Douglas já são jogadores de seleção brasileira.

Cristian tem chances de seguir pelo mesmo caminho.

Uma pergunta que Gobbi deveria responder para Andrés Sanchez...

Para a torcida corintiana.

Quanto valem André Santos e Douglas depois da convocação?

Responda, Gobbi...

Afinal, futebol não é business?

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Se Neymar tivesse brigado com Marcel ontem, não seria convocado por Mano hoje…Os dirigentes santistas já perderam o controle sobre o Karatê Kid da Baixada…

divulgação102 Se Neymar tivesse brigado com Marcel ontem, não seria convocado por Mano hoje...Os dirigentes santistas já perderam o controle sobre o Karatê Kid da Baixada...
Hotel Intercontinental, Rio de Janeiro.

Local de convocação da Seleção para o amistoso contra a Argentina.

Parecia piada.

Os poucos jornalistas que ainda estavam aqui no início da tarde não se conformavam.

Logo no dia em que Mano Menezes anuncia o final de castigo a Neymar, ele discute e quase troca agressões com Marcel.

O técnico da Seleção tinha deixado bem claro que confiava no que o Santos iria fazer com Neymar.

O que os dirigentes fizeram?

Passaram a mão no topete do atacante.

Porque ele abandonou o treinamento após a ríspida discussão.

Mandaram avisar a imprensa que ele foi embora para cuidar do passaporte.

No futebol é assim: várias pessoas acreditam que os jornalistas são débeis mentais.

Que acreditam apenas no que ouvem dos dirigentes.

Outra vez nada efetivamente acontecerá com Neymar.

O dia que deveria ser de festa foi motivo de mais constrangimento.

Neymar derrubou Dorival Júnior.

Já xingou o capitão Edu Dracena.

Já chegou à concentração santista às três da manhã.

Humilhou seu ex-assessor de imprensa.

Disse ao jogador do Avaí que é milionário.

Esteve a ponto de agredir seu marcador João Marcos.

Ficou de fora da convocação contra Irã e Ucrânia para pensar nas suas atitudes, de acordo com Mano Menezes.

Ele chegou até a dar uma entrevista posando de regenerado para o Fantástico.

Pelé deu entrevista e disse que Neymar precisa entender que não é mais um menino...

O dia deveria ser de festa para o jovem atacante.

Mano estava muito satisfeito em falar dele nesta manhã.

Ele nunca imaginaria que, enquanto falava, Neymar partia para cima de Marcel.

Foi Pará quem o conteve.

Pessoas poderosas da CBF juram que se essa briga tivesse acontecido ontem, Neymar não seria convocado.

Mano já deixou bem claro que não tolerará jogadores rebeldes.

E que não irá dar privilégios a Neymar.

Jornalistas cariocas me perguntam se ele é desequilibrado.

Respondo que seu problema está no fato de ser extremamente mimado.

A diretoria do Santos continua a tratá-lo como a reencarnação do Buda.

Não importa o que ele faça.

E para variar, sua briga já circula em sites do mundo todo.

Depois de derrubar Dorivial Júnior, tenta agredir um companheiro.

No dia em que é perdoado pelo treinador da Seleção Brasileira.

E é convocado para enfrentar a Argentina.

Ele não deveria ter xingado e partido para cima de Marcel, que chutava bolas em Zé Eduardo, o aniversariante.

Mas o seu brother de baladas estava tomando boladas.

Ele já havia gritado com Marcel e ele o desobedeceu.

E ninguém desobedece Neymar na Vila Belmiro.

Taí o cerne da confusão.

Será que os dirigentes santistas não percebem ou fingem não perceber o quanto Neymar está se desvalorizando.

Cada bobagem que faz, seus direitos federativos diminuem...

Quem quer investir R$ 101 milhões em um rebelde sem causa?

Ele deveria ter acalmado Marcel, não se exposto a outra confusão.

Sabe o quanto está visado.

Mas quem controla o gênio de Neymar?

Com certeza não a diretoria santista...

Por mais que Marcel parecesse um ogro alucinado, não deveria ser Neymar quem teria a obrigação de tentar conter a selvageria. Um dos mais animado no 'massacre' a Zé Eduardo era, por exemplo, Edu Dracena, que não parava de dar socos no seu braço. Com tantos problemas, Neymar deveria ser inteligente e ter procurado o técnico Marcelo. Mas como ele pensa que seu desejo é ordem, outra confusão na sua longa lista da sua curta carreira. E ele só agiu certo ao ir embora para não apanhar feio de Marcel.)

Ronaldinho Gaúcho convocado para valorizar o amistoso contra a Argentina. Ele não é o meia de Mano…

reuters13 Ronaldinho Gaúcho convocado para valorizar o amistoso contra a Argentina. Ele não é o meia de Mano...

Hotel Intercontinental. Rio de Janeiro.

Mano Menezes acaba a coletiva da convocação da seleção brasileira que enfrentará a Argentina.

O jogo será no dia 17 de novembro, em Doha, Qatar.

Ronaldinho Gaúcho já é manchete no mundo inteiro por seu retorno.

Sua última convocação foi em março de 2009.

Perdeu a Copa do Mundo por falta de comprometimento.

Apesar de haver prometido a Dunga que se afastaria de confusões, o treinador não o convocou depois de ter a confirmação de uma festa que ele organizou.

A festa teria levado três dias e três noites.

Ronaldinho não estava de férias.

Acabou sendo riscado do grupo de Dunga sem dó.

O seu retorno à seleção foi necessária.

Com Ganso machucado, Mano não tinha um meia efetivo para a seleção.

Isso ficou claro como esse jogador fez falta diante do Irã e da Ucrânia.

Tanto que convocou também Douglas do Grêmio.

A convocação de Ronaldinho Gaúcho chega em ótima hora por um motivo comercial também.

Neste processo de renovação, o Brasil não tem uma grande estrela internacional.

Para os organizadores dos jogos do Catar, o Brasil não tinha quem rivalizar com Messi.

Agora sim os cartazes terão um contra o outro e a certeza de que o estádio estará cheio.

Ninguém por lá ainda sabe quem é Neymar.

E Robinho não chegou ao quilate que acha que tem.

De acordo com gente ligada à CBF, Ronaldinho Gaúcho foi muito receptivo a Mano Menezes.

Não guardou mágoa da seleção.

Apenas de Dunga.

Chega na seleção tentando mostrar que tem potencial para estar no grupo em 2014.

A sua posição é de Paulo Henrique Ganso.

A sua convocação foi conveniente para Mano e melhor ainda para a organização do jogo.

É uma enorme chance de provar que tem sangue nas veias, vontade de atuar pela seleção.

Dunga também havia detectado no meia uma postura de 'tanto faz' em relação à Copa do Mundo.

Ronaldinho Gaúcho não cedeu, não mandou recado, não pediu nova chance.

Perdeu a Copa do Mundo e tudo bem.

Nem desabafar, protestar, xingar ele teve vontade.

Ricardo Teixeira deixou Mano completamente à vontade em relação a Ronaldinho Gaúcho.

Ele é baladeiro, mas na seleção nunca levou ninguém para suas noitadas.

Foi levado.

Não é um líder negativo.

Não é líder.

Mano vai deixar que jogue como gosta.

Lucas, Ramires e Elias deverão correr por ele para que possa mostrar o seu talento.

Aí por diante é com ele.

Quando der o primeiro toque na bola, os caros ingressos já terão sido vendidos.

E a cota de US$ 2 milhões livres (R$ 3,4 milhões) já estará nos cofres da CBF.

O principal, os organizadores do amistoso estarão sorrindo satisfeitos.

Messi contra Ronaldinho Gaúcho ainda é atração no mundo todo.

Santa convocação...

Se ele chegará à Copa do Mundo de 2014?

Meia titular com 34 anos?

Aí a história será bem diferente.

Mas vamos deixar isso para lá...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

A Libertadores e a Copa do Brasil mataram o Campeonato Paulista. E os demais estaduais…

divulgação043 A Libertadores e a Copa do Brasil mataram o Campeonato Paulista. E os demais estaduais...

A fórmula de sucesso do Campeonato Carioca e a queda de interesse mudaram o Campeonato Paulista.

Ele continua interminável, com um número exagerado de clubes.

São 20 clubes.

O motivo de tantos está na necessidade de Marco Polo del Nero fazer política.

Ficar bem com o máximo possível de clubes pelo Interior.

Clubes que ficarão abandonados mais da metade do ano, quando o torneio acabar.

Por isso, dá-lhe clubes de aluguel.

Que servirão apenas para expor os jogadores de empresários amigos.

Mal acaba o Paulista, os atletas voltam para o desemprego.

Os clubes do Interior, sem estrutura, contabilizam seus prejuízos.

Essa é a rotina.

A fórmula de pontos corridos foi um fracasso.

Pode ser justa, mas ninguém tem interesse em tantos jogos insignificantes.

A solução foi fazer como os cariocas.

Não na simplicidade.

Não há como fazer turno: semifinal e decisão do primeiro turno e batizar de Taça Guanabara.

E nem segundo turno, semifinal e decisão do segundo turno e dar o nome de Copa Rio.

Isso acontece por lá porque há bom senso de ter apenas 16 times.

Os quatro a mais daqui fazem enorme diferença.

Não há datas para tantos clubes.

Há jogos sem o menor interesse nem dos pais dos jogadores.

De acordo com o passar Campeonato Paulista, ele perde público e audiência por causa da Libertadores e da Copa do Brasil.

Sempre há os grandes envolvidos na disputa.

A saída foi criar um mata-mata.

Para contar, teoricamente, com todos os grandes.

Oito times estarão classificados para esse mata-mata depois de um longo primeiro turno.

Se os grandes não ficarem pelo menos entre os oito, será má vontade demais...

O primeiro colocado enfrentará o oitavo e assim por diante.

Por causa das poucas datas, o mata-mata será diferente.

Nas quartas de final será apenas um jogo.

Na casa de quem fez mais pontos, e acabou.

O mesmo critério vale para as semifinais.

Um jogo...e deu.

Apenas as finais serão em duas partidas.

Na verdade, Marco Polo del Nero tenta salvar um torneio cada vez mais insignificante.

Os estaduais só atrapalham os clubes.

Eles deveriam estar fazendo uma pré-temporada para suportar o ano.

Mas não pode ser assim.

A Federação Paulista de Futebol pode até desfiliar clubes que não disputem o torneio.

Uma vez desfiliado, nada de Campeonato Brasileiro, Libertadores, Copa do Brasil.

Ou seja: o torneio é obrigatório.

Muitos clubes ameaçam colocar jogadores juniores, mas mudam de ideia por pressão de Marco Polo.

Este é o Campeonato Paulista que, como os outros estaduais, poderia estar extinto.

Não faria falta.

Principalmente se os dirigentes tivessem visão de que poderiam estar excursionando, fazendo amistosos milionários e preparando as equipes para competições que realmente valem algo.

Mas cadê coragem para enfrentar as federações?

Ainda mais quando os clubes estão amarrados financeiramente.

As federações são boazinhas e vivem fazendo antecipação de verba de transmissão e empréstimos a juros baratinhos, baratinhos.

Tudo para não perder a freguesia...

Porque audiência e público já despencaram.

Quem vai gastar dinheiro indo para o estádio no primeiro turno, sabendo que oito equipes se classificarão para os mata-matas?

E ainda mais sabendo que Libertadores e Copa do Brasil acontecem ao mesmo tempo?

Um dia os dirigentes terão coragem, enfrentarão as federações e os estaduais vão acabar...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Travestis calados. Flamenguistas suspiraram aliviados: “Ah, se Ronaldo tivesse dez quilos a menos”…

reuters2222 Travestis calados. Flamenguistas suspiraram aliviados: Ah, se Ronaldo tivesse dez quilos a menos...

Mal terminou a partida de ontem no Engenhão, Ronaldo estava orgulhoso.

Sabia o que havia feito em campo.

Gol, toques de calcanhar, tabelas, dribles...

Foi muito festejado nos vestiários corintianos.

Calou os travestis que foram ao estádio atazaná-lo...

Ganhou até a admiração dos rivais flamenguistas.

Léo Moura e Maldonado, que o acompanharam de perto travaram o seguinte diálogo flagrado por um radialista.

"Você viu o que o Ronaldo fez?", perguntou Léo.

"Ele é f...Quando a bola cai nos pés dele não dá para tomar", respondeu o chileno.

"Imagine se ele tivesse dez quilos a menos...", completou Moura.

Maldonado balançou a cabeça concordando.

Essa foi a grande sensação ontem.

E, por coincidência ou não, todos insistiam nesse número: 10 quilos a menos...

Todos viram o grande desempenho de Ronaldo.

E imaginaram o que seria dele e do Corinthians se ele tivesse dez quilos a menos.

Até ele se conscientizou.

E jogadores corintianos sentem o quanto ele está arrependido pela falta de cuidado com seu corpo.

Por mais que sinta diversas dores no treinamento, todos no Parque São Jorge sabem dos vilões que o levaram ao apelido de "Gordo".

Pratos sofisticados e pesados, vinho e charutos.

Adilson Batista tentou se meter usando a autoridade de técnico e se deu muito mal.

Tite por enquanto tem uma postura olímpica, até porque Ronaldo está mais contido.

Quer tentar jogar o máximo que puder para tentar dar o Brasileiro ao Corinthians.

Se tivesse essa disposição desde o segundo semestre de 2009, muita coisa seria diferente na sua vida.

Inclusive na Seleção Brasileira, basta lembrar tudo o que fez no primeiro semestre de 2009.

Ronaldo acordou.

Tarde, é verdade.

Mas melhor do que nunca.

No mínimo o Corinthians terá um outro jogador na Libertadores de 2011...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Juiz não deixou o Palmeiras vencer. Mas nada justifica a grossura de Felipão. Ele precisa respeitar o cargo que ocupa…

divulgação12 Juiz não deixou o Palmeiras vencer. Mas nada justifica a grossura de Felipão. Ele precisa respeitar o cargo que ocupa...

Impossível não ficar revoltado com o que aconteceu com o Palmeiras em Sete Lagoas.

Mesmo não tendo jogado bem, só não venceu os reservas do Atlético Mineiro graças ao árbitro Marcelo de Lima Henrique.

Ele teve uma arbitragem bizonha, inaceitável.

Os mineiros só empataram a partida depois de um pênalti inexistente de Márcio Araújo em Obina.

Até o atacante ficou surpreso com a marcação.

Antes, Marcelo já havia voltado atrás em um pênalti que havia marcado com toda convicção de Jairo Campos em Lincoln.

Seguiu o auxiliar que apontou impedimento.

O estranho foi a demora que Marcelo agiu.

A direção do Palmeiras vai protestar alegando que o auxiliar foi avisado por alguém de fora que viu na tevê o dificíl impedimento.

E o Palmeiras acabou empatando com os reservas do Atlético Mineiro.

No dia 10 de novembro, Dorival Júnior ameaça colocar os titulares no Pacaembu.

E brigar com o que tem de mais forte para tentar ficar com a vaga para a semifinal da Sul-Americana.

O post deveria acabar aqui.

Mas não pôde.

Novamente Valdivia, o chileno sentiu dores na coxa esquerda.

Ficou 18 minutos em campo apenas.

Que médicos são esses que o liberam para jogar?

Como o blog já havia avisado, o médico Otávio Vilhena não quis dar entrevistas.

Valdivia já avisou que não entrará mais em campo enquanto não estiver recuperado.

Ou seja, estava sendo induzido a jogar.

Felipão fez mais uma vez um papel lamentável.

Indigno para alguém com seu currículo.

Depois de outra atuação decepcionante do time dirigido pelo técnico que mais recebe no Brasil, ele tratou de descontar na imprensa sua frustração.

Primeiro chamou os repórteres de estarem fazendo palhaçada por perguntarem sobre Valdivia.

Depois apontou para um dos jornalistas na coletivo e o chamou de ser o 'mais palhaço'.

Lembrando que a coletiva é sempre uma covardia a favor do entrevistado.

Depois de fazer a pergunta, a palavra fica com o técnico, com o jogador ou com o dirigente.

Felipão atacou quem quis e não ouviu o troco.

Ele perdeu toda a noção de civilidade ao ouvir que o médico não quis falar sobre Valdivia.

"Foda-se", respondeu e encerrou a triste coletiva.

Pouco importava para ele se crianças e mulheres acompanhavam a coletiva ao vivo.

Felipão precisa se colocar no seu lugar.

Ele é um profissional de respeito internacional.

Está comandando o Palmeiras, não um time de várzea.

A imprensa pode questioná-lo, ele recebe R$ 700 mil livres também para ser questionado.

É sua função esclarecer o torcedor palmeirense.

Ele tem muitos mais argumentos do que simplesmente sair xingando descontrolado quando não gosta da pergunta.

A direção do Palmeiras precisa deixar de ser fraca e questionar seu treinador.

Ele não pode desviar o foco toda vez que o time vai mal e que escala de maneira precipitada Valdivia.

Felipão está desrespeitando o Palmeiras.

A Unimed, patrocinadora especial do técnico palmeirense.

Alguém precisa mostrar para Felipão que papel ridículo ele está se prestando...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Marcelo Teixeira e Luís Álvaro. O ego dos dois fez a Vila Belmiro ser penhorada…

divulgação656 Marcelo Teixeira e Luís Álvaro. O ego dos dois fez a Vila Belmiro ser penhorada...A Vila Belmiro penhorada por uma ação do ex-presidente Marcelo Teixeira.

Ele cobra na Justiça um empréstimo de R$ 17 milhões ao Santos.

É dinheiro que colocou para ajudar o clube e não recebeu.

E ele aproveitou também para entrar com outra ação: contra a rejeição das contas do clube em 2008 e 2009.

Na Justiça, conseguiu o direito de juntar documentos que foram vetados pelo Conselho Deliberativo do clube.

O que significa tudo isso?

Algo simples e duro de aceitar: os presidentes fazem o que querem com o dinheiro dos clubes.

Por que Marcelo Teixeira emprestou R$ 17 milhões ao Santos?

Por que não R$ 20 milhões ou R$ 5 milhões ou então nada, como manda o bom-senso?

Ele emprestou porque quis.

Foi a sua forma de administrar, tentar títulos.

E depois, como está se vendo, conseguir o dinheiro de volta na Justiça.

Mesmo se o clube passar pelo vexame de ter de empenhar a Vila Belmiro enquanto o problema não se resolve.

O regime presidencialista protege os mandatários dos clubes.

A legislação ainda mais.

Embora exista o Conselho Deliberativo e o Conselho Fiscal, a última palavra onde colocar cada centavo no clube é do presidente.

E ele não precisa arcar com erros, com prejuízo.

Nada.

Pode até emprestar dinheiro e cobrar depois.

As auditorias de novos dirigentes são sempre anunciadas com pompa e circunstância.

Mas na prática, nada acontece.

Seja qual for o resultado das investigações.

Marcelo Teixeira diz que não deseja prejudicar o Santos.

Só quer o seu dinheiro de volta.

Ele é inimigo de morte de Luís Álvaro.

Mas em comum existe, ou deveria existir, o amor ao Santos.

Qual o benefício para os dois desse vexame público?

Expor o Santos dessa maneira?

Já passou da questão da política.

É terrível ver a falta de cuidado com o glorioso Santos Futebol Clube.

Por que transformar o clube em motivo de piada?

Lógico que Marcelo Teixeira não irá ganhar a Vila Belmiro e transformá-la no Parque do Gugu.

Bastaria que ele e Luís Álvaro e seus inúmeros assessores conseguissem resolver a questão.

Como pessoas civilizadas, evoluídas.

Não era preciso que o mundo todo soubesse que o estádio que consagrou Pelé está penhorado.

Não importa se Marcelo ou Luís Álvaro esteja certo.

Essas duas pessoas não tinham o direito de expor o clube dessa maneira.

Para piorar a situação, gente dos dois lados garante que não vão desistir da briga na Justiça.

Alguém acha que essas pessoas estão preocupadas com o Santos?

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7