Volta à seleção, salário maior do que o da Itália, Libertadores 2011. Dupla com Ronaldo. O plano do Corinthians está nas mãos de Adriano. E ele está disposto a aceitar…

reuters92 Volta à seleção, salário maior do que o da Itália, Libertadores 2011. Dupla com Ronaldo. O plano do Corinthians está nas mãos de Adriano. E ele está disposto a aceitar...
As pessoas ligadas a Andrés Sanchez dizem que o presidente está exultante.

Feliz, brincalhão, piadista.

Não que a dívida corintiana tenha baixado da casa dos R$ 100 milhões.

Não é a liderança do Brasileiro, a permanência de Ronaldo garantida até o final de 2011, a sondagem do PT para ser candidato a prefeito de São Paulo...

Ou a garantia da construção da Arena Itaquera.

Tanta alegria domina o dirigente porque o empresário Gilmar Rinaldi sinalizou sobre a real possibilidade de Adriano jogar no Corinthians no próximo ano.

Está dando certo a campanha "cerca Adriano", feita com a colaboração de Ronaldo e Roberto Carlos.

Os dois já falaram com o Imperador na Itália.

Ele está muito desgastado com a cobrança e falta de tratamento especial por parte da Roma.

Sem a proteção digna de baby-sitter dos tempos de Flamengo, ele foi exposto.

A nutricionista do clube romano vazou para a imprensa que o jogador chegou ao clube com 15 quilos acima do peso ideal.

Sim, você leu certo: 15 quilos.

Ele teve duas contusões musculares.

Agora está sem jogar, recuperando-se fisicamente.

A direção da Roma tinha a certeza de haver montado um time para ser campeão italiano.

Adriano seria o grande destaque.

Mas só ocupa a desagradável sexta posição.

Adriano foi uma aposta de risco.

Os dirigentes aceitaram pagar 2,85 milhões de euros por ano, cerca de R$ 6,6 milhões a Adriano.

Mais luvas.

Por mês, ele recebe cerca de R$ 800 mil.

O departamento de marketing corintiano garante encontrar patrocinadores para não só bancar o jogador, como ainda trazer dinheiro a mais ao clube, se contratar o atacante.

A imprensa italiana acredita que a diretoria do clube italiano jogou dinheiro fora.

A temperatura começa a baixar na Europa.

Roma já está vivendo tempo nublado e 14 graus.

O frio do inverno deixa Adriano depressivo.

Ele detesta.

Ainda mais estando sem jogar.

E sem falar com a imprensa.

Ele está em greve com os jornalistas italianos e brasileiros.

Ficou irritado com a notícia do seu peso e por estar sendo considerado uma péssima contratação do time.

Andrés já apresentou o plano de ter Adriano e Ronaldo juntos na Libertadores a Gilmar Rinaldi.

E mais: uma campanha intensa para o seu retorno à seleção brasileira.

Resgatar a sua carreira...

A saída do atacante não é difícil da Itália.

Os dirigentes europeus já estão buscando outro atacante no lugar do jogador brasileiro.

O Flamengo não é rival para o Corinthians.

A presidente Patricia Amorim já sinalizou não ter dinheiro e nem disposição para uma nova temporada do Imperador na Gávea.

Por isso Andrés Sanchez está sorrindo, fazendo piadas.

Sabe que a contratação de Adriano está mesmo por um triz para ser fechada.

E com a segurança de que Ronaldo e Roberto Carlos controlariam a vocação baladeira do Imperador.

Ele está disposto a voltar.

E quando o jogador toma uma decisão é quase impossível fazer com que mude de ideia...

(Adriano jogou vinte minutos neste sábado, contra a Udinese.

Não foi bem.

Sorte que o time venceu por 2 a 0.

Na Itália seu conceito como jogador só piora.)

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Com o respaldo de Ricardo Teixeira, Sérgio Correa enfrenta o Cruzeiro e quem aparecer… Ninguém toca nos seus árbitros…

divulgação3 Com o respaldo de Ricardo Teixeira, Sérgio Correa enfrenta o Cruzeiro e quem aparecer... Ninguém toca nos seus árbitros...

A direção do Cruzeiro entregou à CBF o DVD com os 18 erros de Sandro Meira Ricci no jogo contra o Corinthians.

As cenas serão avaliadas, mas não serão consideradas.

Não irão mudar nada.

Isso porque Sandro já teve a sua arbitragem completamente aprovada.

E por quem interessa.

O presidente da Comissão de Arbitragem, Sérgio Corrêa.

Ele foi enfático.

Não aceita que queiram crucificar o 'seu árbitro'.

Palavras dele.

Até ironizou, perguntando se Zezé Perrela não iria crucificar Wellington Paulista por ter perdido um gol fácil contra o Vitória ou Montillo por ter errado um pênalti contra o Atlético Mineiro.

Deixou claro ao Estado de S.Paulo que pretende processar o presidente do Cruzeiro por ter se referido a ele como 'safado' e 'incompetente'.

Sandro deve voltar a trabalhar na última rodada do Brasileiro.

Quando retornar de Nova York.

Sérgio Corrêa teve todo o respaldo de Ricardo Teixeira para enfrentar a cúpula cruzeirense.

Por isso a firmeza das suas palavras.

Na escalação dos árbitros para as partidas importantes da antepenúltima rodada do Brasileiro, muita experiência.

Corrêa é esperto.

Chega de correr riscos.

Para a partida do líder Corinthians e Vitória, em Salvador, Carlos Eugênio Simon.

Fluminense e São Paulo, Héber Roberto Lopes.

E Cruzeiro e Vasco, Leandro Vuaden.

O presidente da Comissão de Arbitragem garantiu que não vai aceitar vetos de ninguém.

E a ninguém.

Vai além: ameaça processar quem disser que o Brasileiro de 2010 será decidido no apito.

Zezé Perrella será o primeiro que vai descobrir se Corrêa está ou não blefando...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Flamengo: o time mais barato para assistir no Brasileiro… Que tristeza…

divulgação5 Flamengo: o time mais barato para assistir no Brasileiro... Que tristeza...

Depois da goleada por 4 a 1 para o Atlético Mineiro, Luxemburgo havia prometido uma grande mudança.

Tudo seria diferente no Engenhão contra o Guarani.

Promessa feita, promessa cumprida.

Luxemburgo conseguiu sua grande mudança tática.

Quem falou que o treinador está decadente?

Terá o reforço que precisa para fugir do rebaixamento.

Graças a ele, Vanderlei Luxemburgo.

Seu charme, seu poder de convencimento.

Ele apelou para a presidente Patricia Amorim e os ingressos estarão mais baratos no Engenhão.

Para enfrentar o fraco Guarani do desmotivado Mancini, o preço é baixo.

Entre R$ 20,00 e R$ 10,00.

As inteiras.

As meias saem por R$ 10,00 e R$ 5,00.

Sim, R$ 5,00!

Os ingressos custavam entre R$ 60,00 e R$ 30,00.

Missão cumprida de Luxemburgo.

Dentro de campo, não haverá mudança significativa.

E precisa?

O time jogou muito bem contra o Atlético Mineiro.

Mostrou firmeza na marcação.

Velocidade, eficiência no ataque.

Houve marcação em bloco.

Infiltrações inesperadas dos meias, dos volantes.

Inversão de jogadas.

Triangulações.

Futebol moderno.

Típico futebol de muito treinamento, que deu orgulho aos flamenguistas.

Perder por 4 a 1 foi detalhe.

Não importa.

O que vale é lotar o Engenhão com ingressos a R$ 5,00.

E ficar devendo Adriano e Vagner Love.

Não comemorar um título no ano.

E lugar com o pobre Guarani para escapar do rebaixamento.

Ver o Fluminense lutar pelo título.

O Botafogo tentando a Libertadores.

Ver que o Vasco já sobreviveu à Série A.

O Flamengo nunca pensou tão pequeno.

Ou será que se perder do Guarani o ingresso das suas partidas no Rio custarão R$ 1,00?

Ou então pagará para seus torcedores irem ao estádio?

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Douglas. A primeira vítima da Seleção de Mano Menezes. Para desespero de Renato Gaúcho…

gettyimages231 Douglas. A primeira vítima da Seleção de Mano Menezes. Para desespero de Renato Gaúcho...

"Dooouglas...

Vá tomar n... .....

Corre, corre, corre..."

Os gritos desesperados de Mano Menezes foram a trilha sonora para o gol da Argentina.

Logo vira funk no youtube.

Depois da bobeada do meia, Benega lhe roubou a bola, tocou para Messi...

O resto o mundo sabe.

Logo na sua primeira convocação, Douglas ficou marcado.

Como tudo o que Mano não quer na Seleção Brasileira.

Um jogador disperso na intermediária, travado pelo nervosismo.

Seu batismo de fogo na Seleção Brasileira foi logo contra a Argentina.

E acabou se queimando.

Já que o palavrão de Mano em relação a ele foi o que mais repercutiu do jogo.

Ele sabe que só foi convocado porque Ganso e Kaká estão contundidos.

Com o retorno da dupla em 2011, Seleção para Douglas já seria quase impossível.

Depois da sua falta de atitude de ontem, pode esquecer.

Quem ficou mais irritado com toda a situação foi Renato Gaúcho.

Ele já conversou com a direção do Grêmio.

Todos precisarão fazer o possível para recuperar a autoestima de Douglas.

Jogador sensível emocionalmente, instável.

Renato Gaúcho acredita que um dos seus maiores trunfos desde que assumiu o Grêmio foi ter recuperado Douglas.

Ele conseguiu resgatar o potencial do meia, que se tornou dos principais jogadores do time.

Agora com essa partida da Seleção, Renato acredita que tudo possa ter ido pelo ralo.

Tem a certeza de que Douglas voltará deprimido.

E já pediu auxílio da direção gremista.

A ordem é blindá-lo o máximo possível.

Isolá-lo, tirá-lo do foco da imprensa.

Ninguém no Olímpico se conforma com o palavrão colado ao gol da Argentina.

A transmissão da TV Globo acabou por crucificar Douglas.

Ele virou vilão nacional.

Encobriu a péssima atuação de Robinho.

A timidez de Neymar.

A falha de Mano Menezes em não colocar um definidor no ataque.

Tudo caiu na conta de Douglas.

A convocação que havia sido tão comemorada virou um tormento.

Era tudo o que ele, o Grêmio e Renato Gaúcho não precisavam...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

“Entregar jogo não é com o São Paulo. Se é a maneira de agir de outros clubes não é problema nosso.” O recado de Juvenal Juvêncio ao Corinthians de Andrés Sanchez…

AgenciaEstado831 Entregar jogo não é com o São Paulo. Se é a maneira de agir de outros clubes não é problema nosso. O recado de Juvenal Juvêncio ao Corinthians de Andrés Sanchez...
A ordem foi de Juvenal Juvêncio.

Quer o São Paulo jogando contra o Fluminense como se fosse uma final.

Não importa se o time não tem mais condições de chegar à Libertadores.

Nem se vai ajudar o rival Corinthians.

O clube de Andrés Sanchez, que lutou e conseguiu tirar o Morumbi da abertura da Copa.

E a levou para o estádio inexistente de Itaquera.

Juvenal quer uma grande vitória até por conta da rivalidade.

Deseja mostrar uma postura bem diferente do seu adversário.

Ele e grande parte da sua diretoria não esqueceram a maneira com que o Corinthians jogou diante do Flamengo em 2009.

A "doce derrota" como estampou o jornal "Fiel" ficou na retina de Juvenal.

A imagem do goleiro Felipe não se mexendo para defender a penalidade cobrada por Léo Moura.

O presidente quer um comportamento completamente diferente do São Paulo.

Exige a vitória em Barueri.

Quer mostrar que o seu clube não se sujeita a perder uma partida só para prejudicar o rival.

Ele não se esquece de que o São Paulo salvou o Corinthians do rebaixamento no Paulista de 2004, quando Grafite marcou os salvadores gols contra o Juventus.

Juvenal conversou sério com Paulo César Carpegiani.

Ele entendeu e repassou a mensagem aos jogadores.

É para ganhar e bem do Fluminense de Muricy Ramalho.

"Entregar jogo não combina com o São Paulo.

Se é a maneira de agir de outros clubes, não é problema nosso", repete, irritado, a todos que lhe perguntam sobre como será a postura do São Paulo no domingo.

Muricy Ramalho está avisado.

Ele e Andrés Sanchez...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Palmeiras 2010. Ou Criciuma, 1991? A estratégia e o comandante são os mesmos…

divulgação3333  Palmeiras 2010. Ou Criciuma, 1991? A estratégia e o comandante são os mesmos...
Luiz Felipe Scolari viu a chuva e o gramado pesado do Serra Dourada.

E abriu um enorme sorriso.

Aos seus olhos, estava vendo mais um presente dos céus.

O cenário não poderia ser melhor para o seu Palmeiras guerreiro, mas sem técnica.

Diante desse time, estava o franco atirador Goiás, tentando compensar o rebaixamento certo no Brasileiro com a tentativa de chegar à final da Copa Sul-Americana.

Sem Valdivia, mesmo o torcedor fanático palmeirense sabia que haveria sufoco.

Felipão lotou a intermediária de jogadores.

A intenção era não deixar, de qualquer maneira, que os goianos trocassem bola na entrada da área.

Vigiar Rafael Moura e Felipe era missão dada.

E tinha de ser cumprida.

Para desafogar a pressão, Kléber na frente.

E os mágicos chutes de Marcos Assunção.

Luan desempenhava a função que consagrou Jorge Henrique no Corinthians: tomar todo o corredor esquerdo como um maratonista, marcando e atacando.

O Goiás não teve como se livrar da previsível estratégia de Felipão.

Faltou dinheiro para contratar jogadores talentosos.

A partida foi um desespero para os dois lados.

O futebol era feio de doer.

E era extremamente favorável ao Palmeiras.

Tudo acontecia exatamente como Felipão queria.

O primeiro tempo terminou e o 0 a 0 estampado no placar era ótimo para os paulistas.

Mas ficou espetacular quando Marcos Assunção dominou a bola da entrada da área.

Logo aos três minutos, ele acertou o chute indefensável.

No ângulo esquerdo de Harlei, grande goleiro e dono do time goiano.

Palmeiras: 1 a 0.

Melhor do que Felipão e seus jogadores esperavam.

Os desanimados goianos baixaram a guarda.

Nervosos, tensos.

Estavam prontos para serem abatidos.

Mas Felipão não quis nem saber.

Ousadia para quê?

Estava tudo fantástico.

Tratou de tirar o meia Lincoln e colocar o volante Pierre.

A estratégia: dar chutões e tentar fazer o tempo passar.

Seu aliado, os nervos à flor da pele e ruindade do adversário.

Deola também era um pilar para tranquilizar Felipão.

Evandro Rogério Roman anulou um gol marcado em impedimento do Goiás no fim da partida, o máximo que a equipe de Artur Neto conseguiu.

Logo depois, a confirmação da importantíssima vitória palmeirense.

O time só precisará empatar na próxima quarta-feira (24), no Pacaembu, para se garantir na final da Sul-Americana.

Aí a história será diferente contra o Independiente ou LDU.

Mas isso é depois.

Agora é comemorar mais uma vitória sofrida que nasceu dos pés de Marcos Assunção.

Mas que estão salvando o ano palmeirense.

Scolari está justificando cada centavo que recebe.

Está fazendo milagre com o elenco que tem nas mãos.

Do seu jeito.

Do jeito que aprendeu com o Criciuma, campeão da Copa do Brasil em 1991, quando nascia para o cenário nacional.

Sua estratégia com o Palmeiras está sendo a mesma que deu certo há 19 anos.

Repare na primeira fileira de baixo para cima da foto.

Na quinta pessoa, da direita para a esquerda.

Sim, esse bigodudo é mesmo ele, o adorador de gramados enlameados para times limitados.

Luiz Felipe Scolari...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Dói demais perder para a Argentina. Mas aproveite bem a sua primeira derrota, Mano Menezes…

gettyimages345 Dói demais perder para a Argentina. Mas aproveite bem a sua primeira derrota, Mano Menezes...

É...

Quem queria ver Ronaldinho Gaúcho, Robinho e Neymar juntos, bateu palmas para Messi.

A jogada foi sensacional, linda.

Faltando um minuto para acabar o jogo no Qatar, Messi foi Messi.

Invadiu a intermediária brasileira driblando, escapou do pontapé de Lucas e chutou rasteiro.

A bola passou no meio das pernas de Thiago Silva e fugiu para o cantinho esquerdo de Victor.

O que sobrou além do gosto amargo da primeira derrota de Mano Menezes?

Do Qatar ficou algumas certezas.

O Brasil precisa ter um atacante de referência.

Alguém fixo na área para além das conclusões.

Neymar precisa de um atacante para tabelar.

Hoje esteve muito isolado.

Pena a ausência de Pato, de Luís Fabiano.

Robinho não pode jogar na posição de Ronaldinho Gaúcho.

Ele mostrou que ainda tem talento, pode ser útil.

Só que a equipe não pode se sacrificar para que ele fique esperando bolas.

Quis avisar ao mundo ainda estar vivo, avisou.

Se tivesse feito o gol de calcanhar no primeiro tempo estaria na capa do jornal Olé.

Mas não tem energia para ficar mais do que 45 minutos em um futebol rápido, envolvente que Mano Menezes pretende ver na seleção do meio para a frente.

Mas Ganso e Kaká ainda se encaixam muito bem nesse time.

Principalmente Paulo Henrique, talentoso e com dribles, toques e lançamentos inesperados.

Os laterais foram bem.

Principalmente Daniel Alves no início da partida, inclusive com um chute na trave de Romero.

A zaga também.

Os volantes deram muito espaço.

Marcaram de longe.

Ramires principalmente chegou atrasado em vários lances e se o jogo fosse sério poderia até ser expulso por excesso de faltas.

Lucas não pode nem sonhar em largar um meia como Messi com a bola dominada.

Tanto que deu no que deu.

Não há como culpar ou o que reclamar de Victor: ele inspira confiança.

O pecado brasileiro foi a indefinição de ataque.

Muita gente boa para driblar, tabelar, envolver, mas faltou alguém para chutar ao gol.

E olha que os argentinos tinham os veteranos Zanetti e Heinz facilitando as coisas.

Dói perder o jogo.

Ainda mais para os nossos rivais.

Mas tem a função de um colírio ácido.

Abre os olhos, não deixa ninguém se empolgar.

O palavrão de Mano Menezes quando Douglas perdeu a bola dominada mostrou que ele antevia a tragédia, no gol de Messi.

O jogo foi interessante.

A derrota, proveitosa.

Dói, mas amistoso para valer é isso.

Serve para trazer à tona os problemas.

Parabéns para a Argentina de Batista, que sabe ter muito para corrigir até a Copa América de 2011...

E palmas, de pé, para Messi.

Pena que ele não nasceu um pouquinho mais para cá...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Ricardo Teixeira pode ficar com todo o lucro da Copa no Brasil. Como assim? Por favor, presidente, se explique…

reuters289 Ricardo Teixeira pode ficar com todo o lucro da Copa no Brasil. Como assim? Por favor, presidente, se explique...
Ricardo Teixeira tem a obrigação de esclarecer a impactante matéria publicada pelo Lance.

Michel Castellar trouxe a revelação de quem são os sócios do Comitê de Organização Local da Copa do Mundo de 2014.

De acordo com a matéria, os sócios são a CBF e a pessoa física de Ricardo Teixeira.

A CBF tem direito a 99,99% dos lucros e Teixeira, a 00,01%.

Já é estranho.

Mas o agravante é que esse percentual poderia ser mudado de acordo com a vontade dos sócios.

Ou seja: se Teixeira quiser, pode ficar com 100% dos lucros do Mundial no Brasil.

O próprio presidente Blatter revelou nunca ter visto a maneira com que o Comitê Organizador Local brasileiro se dividiu.

O normal é a participação do governo, de empresários e da entidade que comanda o futebol no país.

Aqui na Copa do Brasil será só a CBF.

E o seu sócio Ricardo Teixeira.

A Copa da Alemanha, por exemplo, teve lucros de mais de R$ 260 milhões.

Há quem fale que, por aqui, os lucros poderão passar de R$ 500 milhões.

O que Teixeira fez não é ilegal.

Está dentro das leis.

O contrato está registrado na Junta Comercial do Rio de Janeiro, de acordo com a matéria.

Mas como explicar a possibilidade de um cidadão ficar com os lucros da Copa no Brasil?

Ricardo Teixeira está em Doha, acompanhando o amistoso entre Brasil e Argentina.

Ele tem de se justificar.

A CBF não é uma entidade sem fins lucrativos nos seus estatutos?

A palavra é toda sua, Ricardo Teixeira...

O futebol brasileiro está de queixo caído...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Nenhum pacto interno esconderá a falta que faz Valdivia. Justo agora, com o Palmeiras a um passo da Libertadores…

Agencia Estado92 Nenhum pacto interno esconderá a falta que faz Valdivia. Justo agora, com o Palmeiras a um passo da Libertadores...
Os dirigentes do Palmeiras e do Goiás disfarçam, não assumem publicamente.

Mas eles sabem, tanto quanto eu, que faltam duas rodadas para o término do Campeonato Equatoriano.

A LDU está em segundo lugar, com folga.

Do Campeonato Equatoriano se classificarão três clubes para a Libertadores de 2011.

A LDU será um deles.

O forte e milionário time está nas semifinais da Sul-Americana e enfrenta o Independiente da Argentina.

Favorito, se confirmar a vaga à final, basta ao Palmeiras ou Goiás chegarem à decisão da Sul-Americana que a participação na Libertadores está assegurada.

Mesmo com uma derrota na final.

Ou seja, a partida de hoje a noite tem uma importância absoluta.

O Goiás melhorou demais nas mãos de Arthur Neto.

O poder de marcação cresceu, assim como a rapidez dos contragolpes.

O Brasileiro já foi para o ralo.

A Série B virou realidade.

Por isso joga a sua vida contra o time de Scolari.

Nunca a equipe goiana chegou tão longe em uma competição internacional.

Está mostrando um bom futebol.

Tirou a liderança do Fluminense, em pleno Rio de Janeiro.

Por tudo isso, dói demais nos palmeirenses a ausência de seu principal jogador.

Por uma questão de preservação, ninguém acusa abertamente ninguém.

É como se o destino houvesse decidido que Valdivia, a maior contratação feita por um clube brasileiro, não pudesse jogar.

Isso é o que a diretoria, Felipão, Valdivia, os preparadores físicos e os médicos palmeirenses gostariam que todos pensassem.

Na verdade, houve erros inadmissíveis em um clube grande e tão estruturado quanto o Palmeiras.

Como ele foi liberado para jogar por três vezes e sentiu o estiramento na coxa esquerda, tendo de ser substituído aos 36, 18 e 16 minutos?

Do primeiro tempo?

Ansiedade?

Falta de responsabilidade do meia em seguir o tratamento dado pelos médicos?

Por que a demora da inflamação na coxa ceder?

Precipitação dos preparadores físicos?

Erro de avaliação dos médicos?

Ninguém vai ficar sabendo porque houve um pacto.

Virou "problema interno", como se os investidores no Valdivia e os torcedores palmeirenses não tivessem o direito de saber como é tratado o principal jogador do clube.

Ou R$ 14 milhões.

Todos se calam, as explicações foram vagas de propósito.

O que interessa é que o Palmeiras fará sua partida mais importante do ano sem o chileno.

Scolari sabe que um empate em Goiânia seria sensacional para decidir a vaga para a final em São Paulo.

"Copeiro", como gosta de ser chamado, Felipão montou sua equipe com um forte poder de marcação.

No mais traiçoeiro dos estádios brasileiros, o Serra Dourada, o time terá três volantes: Edinho, Marcos Assunção e Tinga.

Um meia inteligente, mas muito mais lento do que Valdivia, Lincoln.

Luan para atrapalhar a saída de bola e Kléber isolado na frente.

Não há dúvida a diferença que Valdivia faria nesta semifinal.

Que a velocidade dos contragolpes palmeirenses seria muito maior.

A possibilidade de um drible inesperado, a tabela com a bola dominada.

Único jogador que merece ser chamado de criativo, com imaginação, talentoso.

Mas a falta de competência de alguém impediu que estivesse em campo.

De quem?

Lembre-se do pacto sobre o homem de R$ 14 milhões.

Ninguém pode falar nada de concreto.

Ordens do presidente Palaia, de Scolari.

O Palmeiras pode até ganhar, e bem, do Goiás hoje.

Mas deveria ser obrigação de ter Valdivia no seu elenco.

Saudável, saltitante.

Pronto para jogar.

Gastou o que não tinha para contratar o chileno.

E não pode usá-lo quando mais precisa.

Absurdo desperdício.

Isso nenhum pacto interno vai esconder...

(A alegria durou pouco. A assessoria de imprensa da Conmbol me confirmou:

Se a LDU for campeã da Sul-Americana e tiver conquistado a vaga da Libertadores também pelo Campeonato Equatoriano, os brasileiros não ganham nada.

A outra vaga da Libertadores passará a ser do quarto colocado do Campeonato Equatoriano.

Simples assim.)

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Sua chance dos sonhos, Ronaldinho Gaúcho. Mostre aos argentinos, e para nós, quem é você…

divulgação93 Sua chance dos sonhos, Ronaldinho Gaúcho. Mostre aos argentinos, e para nós, quem é você...

Melhor chance para o retorno em alto estilo para a Seleção Brasileira não existe.

Enfrentar a Argentina.

Ainda mais com um esquema ofensivo, capaz de explorar o seu talento.

E lhe dando todo o espaço para jogar o que sabe.

Como diria o locutor anunciando facas Guinsu:

"Você pensou que acabou? Pois ainda tem mais"

Convocação garantida para o amistoso contra a França em fevereiro.

Tudo isso é oferecido para o Brasil ter novamente uma estrela de primeira grandeza.

Alguém que seja uma grife.

E ele é.

Ronaldinho Gaúcho tem tudo isso hoje com Mano Menezes.

Ele só terá de mostrar que aquele jogador com talento acima do normal ainda existe.

Apesar das evidências.

No Milan atual ele não é unânimidade, titular absoluto.

Desprezado por Dunga por sua atração irresistível pela noite, pelas festas, deu sorte.

Mano Menezes é apaixonado por seu futebol.

E inteligente, além de renovar a Seleção, a mando de Ricardo Teixeira, o treinador está dando um tiro certo chamando Ronaldinho.

Se o jogador não render, não será novidade para ninguém.

A sério, ele nunca foi um atleta sensacional com a camisa da Seleção.

O último jogo importante que todos lembram foi a vitória contra a Inglaterra, em 2002.

2002!

Agora, se Ronaldinho Gaúcho conseguir colocar em prática tudo o que sabe hoje, o mérito será dado a Mano.

Por ter encontrado um lugar para ele.

Por ter a coragem de chamá-lo.

Ele foi o jogador mais procurado na delegação brasileira em Doha.

A estrela do amistoso do nosso lado.

Alguém para rivalizar com Messi, como os organizadores do jogo queriam.

Como sempre fez, Ronaldinho prometeu humilde, que vai aproveitar a chance.

A esperança é vê-lo em ação ao lado de Neymar.

No futebol de botão ou no videogame seria um ataque dos sonhos.

Basta torcer para que a realidade seja lúdica também.

Que Ronaldinho Gaúcho jogue o que todos esperam dele na Seleção há pelo menos oito anos.

Esse amistoso é seu.

Ou você é um atacante que só rende mesmo é nos clubes?

E não tem personalidade para render na Seleção Brasileira?

Mostra para los hermanos quem é você...

Eles, e nós, já esquecemos, Ronaldinho Gaúcho...