Exclusivo. Corinthians e São Paulo já assediam Cleiton Xavier…

divulgação131 Exclusivo. Corinthians e São Paulo já assediam Cleiton Xavier...

Um exemplo da antecipação com que são feitos os negócios no futebol brasileiro.

Claiton Xavier foi vendido para a Ucrânia pela Traffic.

Foi para o Metalist Kharkiv.

Acabou apresentado como um dos melhores jogadores no Brasil.

Ele teve de retornar na semana passada para resolver problemas na sua documentação.

Mas empresários representando o Corinthians e o São Paulo já entraram em contato com ele.

Querem saber se ele tem intenção de voltar a jogar por aqui.

Cleiton Xavier ficou surpreso com o assédio.

Mas disse que ainda nem estreou no Metalist.

Os empresários insistiram que ele não suportará o frio e vai sentir saudade do Brasil.

Os dois clubes quiseram ter a prioridade no caso de seu retorno.

Cleiton pediu para conversar com os empresários em dezembro, quando já terá feito a avaliação da sua vida na Ucrânia.

Não deu prioridade a ninguém.

Mas está muito feliz com a valorização dos rivais do Palmeiras.

Não, ninguém do seu ex-clube o procurou pedindo prioridade para um eventual retorno...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Veja as principais notícias do dia
+ Todos os blogs do R7

Até Pelé está preocupado. Ninguém doma Neymar, o menino de R$ 80 milhões…

reuters561 Até Pelé está preocupado. Ninguém doma Neymar, o menino de R$ 80 milhões...

Até mesmo Pelé está preocupado com o comportamento sem limites de Neymar.

O melhor jogador de todos os tempos conversando com amigos se queixou do que está vendo.

Ele sente que, por ter muito talento e valer muito dinheiro, ninguém tem coragem de 'lhe dar uma bronca'.

Quem vai, de verdade, o cobrar pelo 'pênalti' cavadinha que desperdiçou ontem na Vila Belmiro?

Como Dorival Júnior pode colocá-lo no banco?

Que tipo de ameaça a diretoria pode fazer para ser ouvida?

Que companheiro pode gritar com ele?

Pelé relembra que nos tempos do bicampeonato mundial, os jogadores mais velhos controlavam os mais Onovos.

Até ele mesmo.

Cansou de tomar bronca de Zito, quando exagerava nos dribles.

O volante, oito anos mais velho do que ele, era rígido e se fazia respeitar.

No início da carreira, Pelé tomou vários gritos do volante e baixava a cabeça.

Só que ele sabe : hoje o que conta é o dinheiro.

Mesmo mais velho, por exemplo, Marquinhos não tem como cobrar Neymar.

Nem se quisesse.

Não iria se expor diante de um atleta cuja multa vale R$ 80 milhões.

Nem mesmo Dorival Júnior tem como mostrar sua força.

Para piorar, quem freqüenta todos os dias a Vila Belmiro sabe que Neymar é muito influenciado por Robinho.

O jogador que deverá voltar para o Manchester City também não admite 'tomar dura' de ninguém.

E é abusado dentro e fora de campo.

Pelé diz que tudo mudou muito atualmente.

Nesses tempos de patrocinadores, assessores de imprensa, procuradores, seguranças particulares...

Zito seria ridicularizado se tentasse "enquadrar" Neymar...

Poderia até perder o lugar no time...

O que vale é o ego...

E o dinheiro que cerca o jogador.

Ou seja: não há como colocar freios no "Loco Neymar"...

E às 13 horas haverá um chat sobre futebol no R7.

Qualquer dúvida sobre o seu time...

Estarei esperando.

Os amigos e os inimigos...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Veja as principais notícias do dia
+ Todos os blogs do R7

Ah, se Neymar jogasse sério o tempo todo…

divulgação221 Ah, se Neymar jogasse sério o tempo todo...

Quantas lições Neymar precisa até aprender a não tentar desrespeitar os adversários em todos os jogos?

Será que vai custar ao Brasil a decisão da Copa do Mundo?

O pênalti desperdiçado ontem foi considerado normal.

Diretoria, jogadores e, pior, Dorival Júnior passaram a mão na cabeça do jogador.

Como se fosse um menino sem condições psicológicas de decidir o que é certo ou errado.

Que não sabe se está disputando a final da Copa do Brasil ou disputando com Robinho, André ou Ganso quem faz o gol mais bonito.

Ninguém enfrenta para valer Neymar porque sabem que ele vale mais de R$ 80 milhões.

Ele pode tudo.

Como o filho único mimado.

Neymar fez grandes jogadas, deu dribles impressionantes.

Marcou o primeiro gol de peito.

Sofreu o pênalti em que tentou humilhar o goleiro do Vitória.

Foi cheio de ginga cobrar.

Fingiu que bateu forte e cobrou cavadinha, imitando o Loco Abreu.

Esperto, Lee não caiu para canto nenhum e em pé segurou a bola que parecia recuada.

Um vexame.

Mesmo assim, o covarde Vitória escapou de uma goleada imensa por pura sorte.

O time baiano só se defendeu.

Não teve testosterona para atacar.

Estratégia tacanha de Ricardo Silva.

Uma grande decepção.

Dorival Júnior fez seu time marcar por pressão e atacar em bloco.

Foi um massacre tático e técnico.

Pena que faltasse seriedade para Neymar.

Esse é um problema que parece crônico.

Tomara que na sua carreira, ele encontre alguém com coragem para enfrentá-lo.

Alguém que possa cobrar, lhe dar uns gritos.

Porque é uma pena tanto talento estar misturado com tanta irresponsabilidade.

O Santos já criou um monstro.

E finge que não vê...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Veja as principais notícias do dia
+ Todos os blogs do R7

Alguém consegue entender Ricardo Gomes? E a diretoria do São Paulo?

reuters56 Alguém consegue entender Ricardo Gomes? E a diretoria do São Paulo?

Quando o maior orgulho de um time semifinalista da Libertadores é ficar 804 minutos sem tomar gol há algo errado.

E ontem n0 Beira Rio foi fácil perceber que ao São Paulo de Ricardo Gomes falta ambição e coragem.

O time entrou em campo preocupado apenas em se defender.

Sonhando com o empate em 0 a 0.

A escalação foi a mesma que conseguiu derrotar o Cruzeiro em Belo Horizonte.

"Só que o Internacional tem uma equipe mais forte fisicamente.

O Cruzeiro tinha vários jogadores leves e pudemos nos impor.

Aqui, não.

Não conseguimos escapar da marcação porque os jogadores do Inter são muito fortes."

A explicação é do próprio Ricardo Gomes.

Imaginando que Celso Roth não distribuiu anabolizantes pa ora seus atletas, eles já eram fortes antes do jogo.

Ou seja: se o técnico do São Paulo sabia  que iria enfrentar uma equipe mais vigorosa e que a estratégia poderia não dar certo porque apostou nela?

Ou não mudou sua equipe quando no primeiro tempo o time não conseguiu chutar uma bola sequer ao gol de Renan?

Muito sincero, Ricardo Gomes demonstrou que gostou do placar.

E foi além que seus jogadores não tinham confiança para dominar a bola e apelaram para os chutões.

"Pelo que o Internacional mostrou, o placar foi justo.

Eles tiveram o domínio inteiro da partida.

Meus atletas também rifaram demais a bola.

Só deram chutões para se livrar dela.

Não tiveram confiança para tocar e o Inter se aproveitou disso."

Ricardo só fechou a cara quando um repórter perguntou qual seria o discurso para a partida decisiva de quinta-feira.

A explicação para o time estar jogando mal no Brasileiro era a expectativa dos jogos contra o Inter pela Libertadores.

Veio a partida e o São Paulo conseguiu ir ainda pior do que está mostrando no Brasileiro.

A saída de Ricardo foi a utilizada por muitos políticos:  prometer.

"No Morumbi o São Paulo será um novo time.

O jogo será completamente diferente.

Hoje foi apenas o primeiro tempo da semifinal da Libertadores.

Na nossa casa tudo vai mudar.

Vamos virar essa decisão", disse, sem convicção.

Talvez todo esse discurso de Ricardo fique minúsculo diante do que Rogério Ceni disse.

"O nosso time não criou nenhuma chance de gol.

Lógico que o São Paulo não foi bem.

Tem muita coisa errada."

Talvez só a diretoria não perceba onde está o maior erro: no banco de reservas, comandando o time...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Veja as principais notícias do dia
+ Todos os blogs do R7

Quem dispensa um artilheiro antes de uma decisão? O organizado São Paulo Futebol Clube…

reuters43 Quem dispensa um artilheiro antes de uma decisão? O organizado São Paulo Futebol Clube...

Sorrisos, abraços apertados, despedida emocionada.

Agradecimentos.

Tudo teatro.

A saída de Washigton do São Paulo foi cercada de muita raiva.

Dos dois lados.

Sendo criticado, em péssima fase, ganhando o apelido de 'cone' entre os torcedore, ele marcou gols.

Fez nada menos do que 45 em um ano e meio de São Paulo.

Desde que começou sua carreira, Washington sonhava em jogar em um clube grande paulista.

Corinthians e Palmeiras lutaram muito por ele em várias ocasiões.

Mas tinha a certeza de que iria se consagrar no São Paulo.

Com a infraestrutura, com a moderna diretoria, com os companheiros de alto nível.

Tanto que, em 2009, ele me fez uma revelação importante depois de um programa de televisão.

"O Fluminense e o Grêmio me pagariam muito mais.

Escolhi o São Paulo porque sei que vou fazer história.

Não vou sair de lá tão fácil."

Só que, muitas vezes, a vida não é como a gente sonha.

Washington logo teve pela frente a concorrência de Dagoberto e Borges.

Muricy Ramalho deixou os três se matarem para colocar o que considerava os dois melhores.

Houve um grande e desnecessário desgate.

O incrível é que essa briga em três serviu para aproximá-lo de Dagoberto, com que não se dava bem no passado.

Borges percebeu que seu espaço estava reduzido demais e foi embora.

Desde a chegada de Ricardo Gomes, Washington percebeu que o treinador queria mais dele.

Não bastaria ser aquele atacante fixo na área.

O truculento goleador cuja função era apenas empurrar a bola para as redes.

Não.

Ricardo queria movimentação.

Trabalho de pivô.

Que ele saísse mais da área do que estava acostumado.

Foi assim que começou a matar, expor Washington.

Ele passou a se desgastar muito mais nos jogos.

Como não era mais um menino, o cansaço acabou por prejudicar a eficiência das conclusões.

Daí os inúmeros gols perdidos.

Ele estava cansado, irritado e passou a perder a confiança.

De jogador falante, amigo, se tornou fechado, tenso.

Já tinha recusado o Flamengo, sondagens do Palmeiras.

Mas até que chegou o Fluminense.

Justo às vésperas das semifinais da Libertadores.

Ele tinha certeza que a diretoria do São Paulo iria tentar convencê-lo a ficar pelo menos até o final da competição que o clube ama.

Como abrir mão do artilheiro faltando quatro partidas para a competição terminar.

Mesmo com a contratação de Ricardo Oliveira.

Ninguém no elenco tem o estilo e o faro de gols de Washington.

Mas foi a própria diretoria do São Paulo que o aconselhou a sair.

Ricardo Gomes disse que ele não faria falta.

E assim foi feito.

Washington foi receber mais dinheiro no Fluminense.

Sorriu na apresentação,  diz que se 'sente em casa'.

Mas as pessoas próximas a ele sabem o quanto ele saiu magoado e profundamente decepcionado com o São Paulo.

Que ele não faça falta hoje à noite em Porto Alegre.

Ou até mesmo se o clube paulista golear por 5 a 0...

A decisão inédita de mandar embora um artilheiro na véspera de uma decisão é da diretoria do São Paulo...

Com a indicação, lógico, de Ricardo Gomes...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Veja as principais notícias do dia
+ Todos os blogs do R7

Internacional se acha favorito. E o São Paulo jura que nasceu para a Libertadores…

divulgaçãoufc Internacional se acha favorito. E o São Paulo jura que nasceu para a Libertadores...

Se o futebol tiver lógica, o Inter vencerá hoje o São Paulo, na primeira partida das semifinais da Libertadores.

O elenco que já era forte, contratou Rafael Sóbis, Tinga e Renan.

Por uma guerra política escancarada, a CBF antecipou a janela para os gaúchos colocarem o trio diante do São Paulo.

O grupo comandando por Fernando Carvalho precisa de uma grande conquista.

Tanto que mantem uma das folhas salarias mais altas do futebol brasileiro e da história do Inter.

Dispensou o uruguaio Jorge Fossati, mesmo ele tendo levado o clube até as semifinais.

Contratou a peso de ouro Celso Roth, o tirando do Vasco da Gama.

O cenário está preparado no Beira Rio.

A torcida colorada já comprou todos os ingressos há muito tempo.

A estratégia será sufocar, tentar imprensar o São Paulo na sua área.

Mesmo com a equipe técnica que a diretoria lhe deu, Roth quer os jogadores mordendo as travas das chuteiras dos paulistas.

Há a certeza de como o São Paulo atravessa péssimo momento técnico e psicológico, o primeiro gol será fundamental nesta semifinal.

Será fazer e o rival, dirigido pelo angustiado Ricardo Gomes, se desmanchará.

Esta é a grande esperança gaúcha.

Mas do São Paulo, a expectativa é outra.

A fantasia ou delírio coletivo mostra o caminho estranho.

Quem trabalha no clube do Morumbi acredita piamente que nasceu para ganhar a Libertadores.

É um inacreditável.

Conversando com o presidente ou com o gari do centro de treinamento.

"A Libertadores é outra conversa", diz Juvenal Juvêncio.

Como por encanto, os seguidos vexames no Brasileiro se justificam.

Não eram partidas da Libertadores.

Mesmo com a contratação de Ricardo Oliveira, o São Paulo está cercado por desconfiança.

Mesmo os seus torcedores mais ferrenhos...

Aqueles que se arriscaram em mergulhar na piscina vermelha do Beira Rio...

Até eles estão preocupados, tensos.

Será que esse delírio coletivo de 'nascer para a Libertadores' dará certo?

Contra o Cruzeiro deu...

A alegação é correta.

Até certo ponto.

O time mineiro que era comandado por Adilson Batista não tinha 10% da garra do Internacional.

Foi um inimigo entregue, desanimado, com o grupo rachado.

Kléber já estava em espírito no Palmeiras e tinha péssimo relacionamento com os demais jogadores.

O atacante deveria ser o grande líder da equipe e acabou sendo o grande entrave.

Adilson Batista não conseguiu reverter o clima de apatia e foi o adversário ideal para o São Paulo.

O Internacional promete ser bem diferente.

Fernandão está tentando ajudar, carregar  Ricardo Gomes nas costas.

Insistiu que para anular a pressão gaúcha é só tocar a bola com convicção.

Não entrar no clima de pontapé, troca de palavrões, guerra emocional.

O virtualmente dispensado técnico ouviu e vai tentar fazer o que o atacante recomendou.

É tudo o que o Inter sonha.

Esta primeira partida será fundamental para a definição do finalista.

O time de Celso Roth é favorito para o mundo.

Menos para os 'nascidos para disputar a Libertadores'.

Será muito bom assistir de camarote esse duelo...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Veja as principais notícias do dia
+ Todos os blogs do R7

Santos, sem palhaçadas, quer golear. E o Vitória jogar como Santo André. Esta final será mais interessante do que parecia…

reuters23 Santos, sem palhaçadas, quer golear. E o Vitória jogar como Santo André. Esta final será mais interessante do que parecia...

Quatro convocações para a Seleção Brasileira.

Propostas milionárias.

Holofotes.

Estádio minúsculo que é uma panela de pressão.

E melhor time.

O Santos tem todos os requisitos para não só vencer, como praticamente definir a Copa do Brasil hoje, com uma goleada.

O clima de entusiasmo na Vila Belmiro chega a ser assustador.

Até os passos das dancinhas das comemorações dos gols estão ensaiados.

E há vários...

Digamos que a jovem geração santista não é muita adepta da humildade.

Esse grupo chegar à decisão de um campeonato com o superfavoritismo não é novidade.

Dorival Júnior e a torcida sentiram na pele o sufoco que foram os dois jogos contra o Santo André.

O Santos suou sangue e foi campeão paulista com o time do ABC jogando melhor nas duas partidas.

Esse é o principal trunfo do técnico Ricardo Silva.

O Vitória quer seguir o mesmo caminho do Santo André que quase acabou com a festa santista.

Seu time tem características parecidas com a boa equipe de Sérgio Soares, que foi desmantelada.

Os baianos atuam de forma corajosa mesmo jogando fora de casa.

Têm meio de campo habilidoso e um ataque rápido, fulminante.

Tentam manter o domínio da bola do meio para a frente.

Quase como se fosse uma Espanha do Nordeste.

Têm potencial para acabar com a rave marcada para o litoral paulista.

O time se preparou para a decisão da Copa do Brasil de maneira discreta, sem badalação.

O mundo já vê o Santos com a vaga para a Libertadores de 2011, vencendo a Copa do Brasil.

Menos o grupo do Vitória.

Ricardo Silva sabe que o Santos tem alguns pontos fracos importantes.

A começar pelo goleiro Rafael, instável demais.

A zaga é lenta e se complica também com bolas aéreas em escanteios.

O problema é da intermediária santista para a frente.

O poder ofensivo é mesmo o melhor do Brasil.

A saída, além da marcação forte, será travar o ritmo de jogo tocando a bola com paciência.

E atacar.

Passar do ponto de onde o Santo André chegou.

Desestabilizar emocionalmente o prepotente time santista e se aproveitar marcando gols.

Esse é o desejo baiano, que não tem o seu goleiro e líder Viáfara, suspenso injustamente.

Héber Roberto Lopes deve ter uma enorme dor na consciência pelo cartão amarelo.

Ele puniu o goleiro em maio, na semifinal contra o Atlético Goianiense.

A Fifa mandou os árbitros darem amarelo a partir de junho pela paradinha, Héber quis se antecipar.

Um absurdo.

Há a promessa de uma premiação milionária pela eventual conquista do maior título da história do Vitória.

Já que o plano de jogo baiano está detalhado, vale lembrar o santista.

Dorival Júnior tenta seguir pelo lado da seriedade, da responsabilidade.

Já deu diversas broncas, principalmente em Neymar.

Ele está deslumbrado pela seleção e pela gigantesca proposta do Chelsea.

Em conversa dura e definitiva antes do jogo, o treinador falou que não vai admitir hoje 'palhaçadas'.

E não quer passar pelo sufoco que foi contra o Santo André.

Quer o time concentrado, focado.

Nada de tentar dar show para a torcida, para a televisão, para os empresários, para Mano Menezes.

Dorival Júnior quer marcação pressão, sufoco o tempo todo.

E com seu time marcando o maior número de gols possíveis.

Ele considera o miolo da zaga baiana o ponto fraco do adversário.

Conseguir uma goleada jogando sério, como homens e não como moleques.

Dorival Júnior tem bem a noção do que aconteceria perder essa decisão.

Diretoria e patrocinadores contam com o Santos na Libertadores desde já.

Essa decisão será muito, mas muito mais interessante do que parecia...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Veja as principais notícias do dia
+ Todos os blogs do R7

“Muricy já está arrependido por ter dito não à Seleção.” Exclusiva com Milton Neves…

divulgaçao11 Muricy já está arrependido por ter dito não à Seleção. Exclusiva com Milton Neves...

"Só eu sei o quanto o Muricy queria a Seleção.

O Muricy me mandou um torpedo na quarta-feira da semana passada.

E  liguei para ele.

Estava esperançoso, torcendo, queria demais a Seleção Brasileira.

Na sexta-feira, ele disse não.

Foi a maior burrada de todos os tempos.

Perdeu a chance da vida dele.

Dentro de seis meses o Fluminense vai dar um pé no traseiro dele e aí vai querer se matar."

"Os jogadores que o Mano convocou pertencem a empresários.

Mas isso é uma hipocrisia. Todos os jogadores são de empresários graças à Lei Pelé."

"O Felipão voltou velho para o futebol brasileiro.

Não é mais um super-homem.

Está certo que o atual Palmeiras é muito ruim.

Mas ele não é mais o mesmo treinador, não."

"O Kaká nasceu para ser coadjuvante.

Não é o líder que o Brasil esperava e precisava na Copa.

Não é culpa dele, é de quem o convoca como líder."

"O Ronaldo não é jogador do Corinthians.

Ele é o Bradesco, o Itaú...

Ele é o banco, quem leva dinheiro.

E não está nem um pouco preocupado com sua imagem.

Se estivesse, não teria engordado tanto, teria se preservado, se respeitado mais."

"O Dunga é a pessoa mais vingativa do futebol brasileiro.

Não se preocupou com as outras seleções que o Brasil iria enfrentar.

Para ele, a Copa do Mundo foi a chance de se vingar da imprensa que tanto o maltratou em 1990.

Perdemos na África do Sul porque ele convocou jogadores por agradecimento.

Pelo menos uns 15 não deveriam estar lá."

"A imagem da falta de cuidado na convocação para a Copa foi a do Grafite.

Eu o adoro como pessoa, acho até um bom jogador, mas sem condições de ir para a Copa.

O Brasil perdia para a Holanda e o Dunga olhou para o banco.

O Grafite estava mais assustado do que uma pessoa fica no velório da mãe."

"A Copa de 2014 será a mais fácil de todos os tempos para o Brasil.

Se colocarem o Steve Wonder para comandar a Seleção ganha a Copa."

"Não sei se ele é culpado, mas se for, o Bruno fez o contrário da lei da Máfia.

Para se livrar de um inimigo até inofensivo, ele deveria ter usado uma pessoa só.

Mas se foi ele mesmo, chamou 11 amigos, um time de futebol.

E não tem segredo para 11 pessoas."

"Sobre o futuro do Bruno?

Eu acredito que pelo andar da carruagem, não vão devem encontrar provas contra ele.

E sem provas, não há como condenar ninguém.

Acredito que ele vá continuar sua carreira em algum clube intermediário.

E olhe que o Corinthians e o Santos está sem goleiro.

Se ele é contratado por um desses clubes iria encher o estádio.

Metade para xingá-lo e metade para apoiá-lo.

Acredito que se não aparecerem provas, sua carreira não acabou."

"Já tive convite de partidos políticos para ser vereador, deputado, governador, senador e até presidente."

"Eu tenho 59 anos.

Trabalho demais.

Depois da Copa de 2014, quero parar.

Estou em todas as mídias que você pode imaginar.

Rádio, tevê, Internet, jornal, revista, o que for.

Faço eventos, dou palestras.

Chega uma hora que é pesado demais.

Quero acompanhar o crescimento das minhas netas.

Não aguento mais."

Entrevista com Milton Neves.

Vamos começar pelo Muricy. Por que você está tão inconformado?

Porque ele é o melhor treinador do Brasil, disparado.

Muito melhor do que o Mano, que é mil vezes melhor do que o Dunga.

E como pessoa eu gosto só um pouquinho menos do que a mulher, do que os filhos dele.

Eu adoro a honestidade, a vontade de trabalhar, a cumplicidade com os amigos, a retidão de caráter.

Por isso não me conformo por ele ter jogado a chance da vida dele no lixo.

Por merecimento ele deveria ser o treinador da Seleção.

Ele queria muito.

Tem o convite e depois diz 'não'.

E eu sei que enquanto o Ricardo Teixeira estiver lá, nunca mais será chamado.

Nunca mais.

Ah, fiquei revoltado. Como profissional e como amigo.

Por que ele disse não se ele queria tanto a Seleção.

Por indecisão.

Os dois cartolas do Fluminense que tiveram os seus 15 minutos de fama o prejudicaram.

Convocaram a imprensa com uma seriedade absurda, como se fossem revelar a cura da Aids ou a descoberta da vacina para acabar com o câncer.

Na verdade, eles só quiseram mostrar que tinham mais força que o Ricardo Teixeira.

Foi uma briga política entre eles e usaram o Muricy.

E Cosme, vou fazer uma revelação aqui.

Os assessores do Muricy o atrapalharam demais.

Acabaram com a cabeça dele.

Um deles me disse que na conversa de 1h40 que o Muricy teve com Ricardo Teixeira, o presidente da CBF não falou nenhuma vez em salário.

Eu sei que ele ganha bem no Fluminense, uns R$ 400 mil.

Mas ele iria ganhar dez vezes mais de salário e com os contratos com a Ambev, Itaú e tantos outros patrocinadores da Seleção.

Que assessoria é essa que não consegue enxergar um passo a frente?

Respeito essas pessoas que cercam o Muricy, mas elas o atrapalharam, tiraram do rumo.

Ele ainda vai lamentar demais, pelo resto da vida o que jogou fora.

E vai precisar de um psicólogo.

O golpe foi muito fundo.

Ele ainda não conseguiu perceber.

Mas vai chorar lágrimas de sangue.

Ele está anestesiado, como quando qualquer pessoa perde um ente querido.

Vai lá, enterra e só depois vai perceber o vazio.

Com o Muricy será a mesma coisa.

No futuro vai tomar um pé no traseiro do Fluminense, desses mesmos cartolas que o seguraram.

E depois, quando estiver treinando, com todo o respeito, o Santa Cruz, o Bahia, aí ele vai chorar...

Como eu o conheço bem demais vi a coletiva depois do empate com o Botafogo.

Ele já estava triste, começando a perceber a burrada que fez.

Essa situação é tão absurda que me dói, me faz mal, porque sou mesmo amigo dele.

Porque o Brasil perdeu a Copa?

Por falta de visão do Dunga.

Eu já tive milhões de acertos e erros na minha carreira.

Mas o maior acerto sem dúvida foi no dia 11 de maio.

Eu fui para o Rio de Janeiro naquela última coletiva do Dunga no Brasil.

E falei na cara dele o erro que estava cometendo ao não levar o Ganso e o Neymar.

Eles eram no mínimo melhores do que 15 jogadores que ele levou.

E o Brasil perdeu a Copa do Mundo por falta de banco, exatamente como eu havia previsto.

O Dunga deu a desculpa que eles não tinham construído nenhum tijolinho no futebol brasileiro.

Respondi que eles não eram pedreiros, eram arquitetos.

A Alemanha levou garotos como o Müller e Ozil.

O Joaquin Low teve peito de apostar em jogadores que arrebentaram em março.

Exatamente como o Ganso e o Robinho.

E explicou que na Copa do Mundo o que vale é o momento.

Foi uma chacoalhada que foi direto para o Dunga.

Que visão você tem dele hoje?

Que é um treinador vingativo, não se curou de 1990.

Mas é honesto.

Fez umas quinze convocações esquisitas, mas foi mal gosto e gratidão.

Não foram convocações de bolso, como já aconteceram na Seleção Brasileira.

Só que o Dunga se mostrou um treinador intolerante, que só pensou nele.

Não deixou legado algum.

Qual a herança do Dunga?

Nenhuma.

E não quis assumir o São Paulo?

Eu tenho essa informação que ele não quis vir para dirigir o São Paulo nas semifinais da Libertadores.

Não iria suportar a cobrança, a pressão da imprensa paulista depois da Copa do Mundo que comandou.

Ele não quis o São Paulo.

E só adiou a saída do Ricardo Gomes, que é uma ótima pessoa, mas não deu certo como técnico do São Paulo.

Antes que a gente se perca, que visão você tem do Kaká?

A de um excelente jogador, grande pessoa, mas não nasceu com liderança.

Ele jogou machucado a Copa do Mundo e ainda com a responsabilidade de ser o líder da Seleção.

Mas ele nunca foi líder na vida.

Ele é exatamente o mesmo caso do Zé Sérgio, antigo ponta do São Paulo.

Os dois nasceram para ser coadjuvantes.

Não é culpa do Kaká, ele nasceu assim.

Cabe ao técnico que o comanda perceber isso.

O Dunga montou uma seleção sem líderes.

Uma seleção de surdos e mudos.

Todos esperavam a iniciativa de um companheiro e ninguém reagia.

Eu havia dito que quando o Brasil tomasse um gol e precisasse virar, não conseguiria.

E foi o que aconteceu...

Circula na Internet e jornais a lista de empresários dos jogadores que o Mano convocou...

Isso é uma sacanagem.

Antes da Lei Pelé, os jogadores eram escravos dos clubes.

Hoje os clubes são escravos dos empresários.

Não tem jeito.

Nem se o Muricy, o Felipão, o Luxemburgo ou o Papa convocasse a Seleção os jogadores seriam de empresários. Esse é o mundo atual do futebol brasileiro.

E tem mais.

Dizem que o Mano tem o Carlos Leite como empresário.

Qual o problema?

O Parreira tem. O Felipão tem.

E alguém duvida da honestidade dos dois.

O Luxemburgo que é tão patrulhado e perseguido não tem.

O futebol brasileiro é dos empresários.

O Brasil ganhará a  Copa do Mundo de 2014?

Será a Copa mais fácil da história do futebol brasileiro.

Se colocar o Steve Wonder para comandar a Seleção ganha a Copa.

O que aconteceu em 1950 foi uma fatalidade que não irá se repetir.

O Mano terá toda a calma do mundo para montar o seu time

Vai ganhar essa porcaria chamada Copa das Confederações em 2013 e ganhar fácil a de 2014.

São quatro anos para montar a Seleção Brasileira e nenhum país do mundo tem craques como nós.

Por falar em Copa o que você acha do Morumbi fora da Copa?

Uma outra sacanagem.

Vou em Mundiais desde 1990.

O Morumbi precisa de uma reforma normal.

Mas a Fifa está com frescura por sacanagem, por questão política.

Envolve até a eleição do presidente da República

O Andres Sanches também está tirando a sua casquinha já que ele se dá muito bem com o Lula.

Aliás, eu o acho o Lula do Parque São Jorge, de onde saiu e onde chegou.

Mas se eu fosse governador do Estado mandava essa Copa de 2014 para o inferno.

Quero ver fazer o Mundial sem São Paulo.

Não tem de construir novo estádio em Pirituba com o dinheiro público, não.

Nem sonhar com Arena Palestra Itália.

Vai de Morumbi, o nosso maior estádio, ou não vai.

Copa no Brasil vale por São Paulo e pelo Rio de Janeiro e o Maracanã, o templo do futebol mundial.

O resto é resto.

O que você acha da relação entre a Globo e a Seleção Brasileira/

Eu sou sincero: há uma grande vontade da imprensa crucificar a Globo.

A líder sempre incomoda.

Está certo que não é mais aquela líder com 80, 70% da audiência.

É lider com 40%, a Record, a Bandeirantes são concorrentes de verdade hoje.

Mas a Globo injeta milhões no futebol e na transmissão de jogos da Seleção.

É claro que ela vai ter privilégios.

No que o Dunga foi macho

Não deu privilégio para ninguém.

Mas extrapolou chamando o Alex Escobar para a briga, uma bobagem.

Eu acredito que a Globo luta para ter o privilégio que conseguiu por ter o futebol no País.

Acho errado e, modéstia à parte, eu teria a fórmula perfeita para as transmissões.

Como seria?

Para mim, o governo deveria comprar os direitos de transmissão.

E depois vender esses direitos para todas as tevês, baseado na audiência.

A Globo tem 40% da audiência, então vai pagar 40%.

A Record vem logo atrás, então pague como segunda colocada.

Até chegar à tevê Muzambinho.

Porque tem iria movimentar muitos patrocinadores e daria empregos a tantos jornalista desempregados.

Tem pelo menos uns dois ou três me pedindo ajuda todos os dias.

E olha que são pessoas que foram meus ídolos.

Quando a Globo fecha com um banco, todos os outros ficam longe do futebol.

Se o Itaú fecha com a Globo, o Bradesco poderia fechar com a Record, outro com a Band, outro com o SBT.

Até a tevê Muzambinho teria o patrocínio de uma fábrica de doce de leite.

E por aí vai.

A idéia é minha, mas é ótima.

O que você achou do caso Bruno?

Uma tragédia.

Mas algo tem de ser bem colocado.

O Flamengo não tem nada a ver com a história.

Não é justo vincular o clube com a bobagem que dizem que ele cometeu.

Não sei se ele é culpado, mas se for, o Bruno fez o contrário da lei da Máfia.

Para se livrar de um inimigo até inofensivo, ele deveria ter usado uma pessoa só.

Mas se foi ele mesmo, chamou 11 amigos, um time de futebol.

E não tem segredo para 11 pessoas.

Sobre o futuro do Bruno?

Eu acredito que pelo andar da carruagem, não vão devem encontrar provas contra ele.

E sem provas, não há como condenar ninguém.

Acredito que ele vá continuar sua carreira em algum clube intermediário.

E olhe que o Corinthians e o Santos está sem goleiro.

Se ele é contratado por um desses clubes iria encher o estádio.

Metade para xingá-lo e metade para apoiá-lo.

Acredito que se não aparecer provas, sua carreira não acabou

Por que o Corinthians não ganha a Libertadores?

Porque está pagando o pecado de ter vencido uma competição que chama de Mundial sem merecimento.

Como é que se pode considerar a competição de 2000 um Mundial?

Estou à vontade para comentar sobre isso porque estava na Bandeirantes na época.

O Jota Hawilla bolou esse torneio de verão.

Chamou os times e a Fifa deu o aval.

O que o Corinthians estava fazendo lá, ninguém sabe.

É como alguém se formar sem ter feito o ginásio.

O Corinthians não ganhou a Libertadores e ocupou um espaço que não era seu.

Ganhou, mas eu não considero Mundial.

Tanto que não aconteceu outras vezes.

O Corinthians está pagando um pecado divino.

E o Ronado? Você acha que está fazendo bem para ele mesmo e para o Corinthians?

A ele está se divertindo apenas.

Mas para o Corinthians está bom.

O Ronaldo não é jogador do Corinthians.

Ele é o Bradesco, o Itaú...

Ele é o banco, quem leva dinheiro.

E não está nem um pouco preocupado com sua imagem.

Se estivesse, não teria engordado tanto, teria se preservado, se respeitado mais.

Vai continuar nisso até cansar.

Mas como o Corinthians vai virar as costas para tanto dinheiro?

Qual o seu futuro, Milton Neves?

Eu tenho 59 anos.

Trabalho demais.

Estou em todas as mídias que você pode imaginar.

Rádio, televisão, Internet, jornal, revista.

Faço eventos, dou palestra.

Chega uma hora que é pesado demais.

Depois da Copa de 2014, eu quero parar.

Quero acompanhar o crescimento das minhas netas.

Não aguento mais."

Estamos em ano eleitoral.

Você já recebeu algum convite para sair candidato?

Já me chamaram para tudo.

Desde vereador, deputado, prefeito, governador, senador e até presidente.

Mas não vou concorrer a nada.

Não tenho a mínima pretensão.

Sou jornalista.

Jornalista deve fazer publicidade?

É correto?

Não há nada de errado.

Nunca vendi e nunca venderei a minha opinião por fazer publicidade.

Sou publicitário também e sei muito bem separar as coisas.

Que empresa de comunicação vive sem publicidade.

O que não se deve fazer é cobrar dinheiro de entrevistado.

Isso sim é imoral.

E nunca eu irei fazer na minha vida.

Qual o seu maior orgulho na sua carreira?

Eu tenho inúmeros.

Tudo que eu queria na minha vida era ser um funcionário pequeno do Banco do Brasil, casar com a minha mulher, ter os meus filhos e viver no interior de Minas Gerais.

Deus foi maravilhoso, bom demais para mim.

O meu maior orgulho é resgatar a história de ex-jogadores.

Tenho o acervo de mais de sete mil ex-atletas.

Com cem mil fotos.

Não há dinheiro que pague a alegrial o agradecimento das viúvas, dos filhos, dos netos desses ex-jogadores.

Muitos deles esquecidos.

Esse é a minha maior conquista...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Veja as principais notícias do dia
+ Todos os blogs do R7

Choro, festa, coletiva. Tudo para o único carioca na Seleção de Mano Menezes…

reuters21 Choro, festa, coletiva. Tudo para o único carioca na Seleção de Mano Menezes...

A convocação para o amistoso contra os Estados Unidos foi recebida com alegria.

Mano Menezes fez 24 jogadores felizes.

E um clube eufórico.

Ainda no hotel Sheraton no Rio, os jornalistas se agitavam.

"Gente, vamos ter de correr.

Foi convocada uma coletiva no Botafogo", dizia, puxando o erre, uma repórter carioca.

Se o presidente Maurico Assumpção pudesse, ele declaria feriado.

Depois de 12 anos, o seu clube levava um jogador à seleção brasileira.

Doze anos...

Para a reserva.

O goleiro Jefferson.

Estatísticas vieram à baila.

Foi lembrado que o Botafogo é o clube com mais deu jogadores para o Brasil disputar Copas.

Foram 46 atletas.

O presidente Assupção entregou emocionado a camisa da Seleção Brasileira ao seu jogador.

Houve coletiva, palmas, lágrimas.

A imprensa carioca que adora apelidos estava orgulhosa do Homem de Gelo.

E ele mereceu.

O Botafogo se aventurou com goleiros dos mais variados níveis.

Basta lembrar que no ano passado o seu camisa 1 era o minúsculo uruguaio Castillo.

O clube campeão carioca está fazendo todos os esforços para se modernizar.

Como inúmeros outros clubes, enfrenta profunda dificuldade financeira.

As alegrias foram muitas no passado.

Elas se tornaram raras.

Mas estão voltando aos poucos.

O título estadual.

O orgulho de Joel Santana escolher o Botafogo e virar as costas para o Flamengo.

E agora, quando todo o Rio de Janeiro tem apenas um jogador na Seleção Brasileira, de onde ele é?

Sim, do sofrido, mas glorioso Botafogo.

Assumpção tem de chorar de alegria mesmo...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Veja as principais notícias do dia

+ Todos os blogs do R7

Que venha o Mago que o Palmeiras precisa. Não o que some em campo…

divulgação101 Que venha o Mago que o Palmeiras precisa. Não o que some em campo...

Na África do Sul foi interessante conversar com jornalistas chilenos.

Eles não entendiam essa fixação que os brasileiros, leia-se dirigentes do Palmeiras, têm por Valdivia.

Para os colegas andinos, ele não é tão mago assim.

Sua maior mágica é desaparecer em grandes competições.

Tanto que a sua convocação para a Copa do Mundo correu sérios riscos.

Bielsa nunca foi um fã incondicional do meia.

Pelo contrário até.

Sua instabilidade durante os jogos virou marca registrada.

Um fenômeno parecido com Ronaldinho Gaúcho, guardadas as mais que devidas proporções.

Muitas e muitas vezes Valdivia fica em campo mesmo mal.

Todos ficam na expectativa de uma jogada diferente, um drible, um lançamento, um gol.

E muitas e muitas vezes, essa jogada não vem.

No Palmeiras ele também foi instável.

Porém como um namorado abandonado, o torcedor e o dirigente só lembram dos bons momentos.

Do chororô, das provocações contra os são-paulinos, corintianos.

Valdívia soube usar muito bem a mídia.

Quando ele vivia seu grande momento, teve de ser vendido.

Isso mesmo, teve de sair.

Na tese do então treinador Vanderlei Luxemburgo, ele e Diego Souza não poderiam jogar juntos.

O chileno atrapalharia o brasileiro.

E Luxemburgo não autorizou a venda.

Recomendou, pediu, insistiu.

E lá se foi Valdivia.

Assim como técnico disse não ser pecado mortal não ficar com Kléber porque o time teria Keirrison.

Agora o Palmeiras, o mais saudosista clube brasileira, resgatou seus dois amores.

Ou melhor, os três: Luiz Felipe Scolari.

Valdivia chega com uma responsabilidade imensa.

Não é aquele jogador que ninguém conhecia e foi doado pelo dirigente Palaia.

Sim, Palaia.

O dirigente que um dia, comandando o futebol do Palmeiras, resolveu fazer perguntas e respondê-las diante dos microfones da imprensa paulista.

Valdivia sofreu para ganhar espaço no clube, por mais que Palaia repetisse que ele era um craque.

Agora o meia volta como o grande camisa 10.

O meia que os torcedores e os dirigentes sonhavam em ver de volta.

Cabe agora justificar tanta expectativa.

Houve um esforço absurdo para conseguir pagar os 100% que o Al-Ain exigiu.

Traffic, palmeirenses ilustres, outros nem tanto, se juntaram para bancar os 4,4 milhões de euros...

Tomara que valha a pena.

Que ele seja o mago dos palmeirenses.

E não o mago da imprensa chilena, que desaparece quando mais se espera dele...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Veja as principais notícias do dia
+ Todos os blogs do R7