A força do Corinthians na CBF…

andres sanchez blog1 A força do Corinthians na CBF...

Foto: André Schiliró

Nada como ter um bom amigo no comando da CBF...

Andres Sanches pediu e Ricardo Teixeira autorizou.

Para qualquer clube adiar um jogo é dificílimo,  um parto.

Menos para o Corinthians de Andres.

A partida contra o Vasco não acontecerá mais no dia 1 de setembro.

Andres queria a vaga porque neste dia o Corinthians completará 100 anos.

E empresários já estão desesperados tentando conseguir um adversário estrangeiro para um amistoso.

O sonhado por Andres é o Real Madrid.

Ronaldo e Roberto Carlos estiveram envolvidos na tratativa.

A direção corintiana quer um jogo marcante.

Talvez até mesmo contra uma seleção.

O vice de marketing, Luiz Paulo Rozenberg, quer um jogo de qualquer maneira.

Pode ser até contra os garçons do Passatempo, casa de shows que os dirigentes corintianos freqüentam.

Mas o jogo tem de sair.

Além disso, há a promessa de um grande show.

E, claro, o anúncio da construção do novo estádio.

Há três propostas até agora.

Nada está decidido.

De uma coisa pelo menos, o presidente corintiano se gaba aos conselheiros da situação: conseguiu adiar para outubro o jogo contra o Vasco.

Graças a ele, o aniversário do Corinthians será comemorado da 'maneira merecida'.

Mais uma vez mostrou que seu poder cresce na CBF.

Ele continua sonhando em suceder Teixeira em 2014.

Mas tem adversários fortíssimos que nem imagina...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Veja as principais notícias do dia
+ Todos os blogs do R7

Robinho promete roubar a festa hoje na Bahia, na sua despedida. Será que desta vez cumpre a palavra?

divulgação544 Robinho promete roubar a festa hoje na Bahia, na sua despedida. Será que desta vez cumpre a palavra?

Ele já decepcionou na Copa do Mundo.

Quando, sem ninguém pedir ou cobrar, ele bateu no peito e disse que seria "o cara" da África do Sul.

Acabou sendo mais um no fracassado time de Dunga.

Essa tem sido a carreira de Robinho: quando mais se espera, ele some.

Seu enorme destaque em um jogo decisivo foi na final do Campeonato Brasileiro de 2002.

Diante do Corinthians de Parreira.

Deu suas incríveis sete pedaladas, teve como coadjuvante Rogério.

Sofreu o pênalti e se consagrou para o mundo.

Ganhou os holofotes, mas não se consagrou como esperava.

Saiu do Santos para o Real Madrid.

Bateu no peito - como ele gosta de bater no peito! - e disse que seria o maior do mundo.

Não chegou nem perto.

Sua personalidade egocêntrica acabou o isolando na Espanha.

Ele encontrou uma poderosa panela e que tinha um comandante, Raúl.

Robinho não se enquadrou e acabou sem ambiente.

Recebeu uma cantada de Felipão para ir jogar no Chelsea.

Quando os dirigentes espanhóis souberam colocaram as coisas de maneira clara.

Ou Manchester City ou reserva no Real Madrid.

Como último conselho do então seu empresário Vagner Ribeiro, foi para o Manchester City.

Como Ribeiro não conseguiu convencer os dirigentes do Real a vendê-lo ao Chelsea, acabou demitido.

Robinho não só não brilhou no time inglês, como decepcionou.

A imprensa britânica o criticou muito.

Jornalistas publicavam que ele não se empenhava nos treinamentos e que havia se arrependido de aceitar a proposta do Manchester City.

Acabou em capas de tabloides, em escândalo que logo foi abafado.

A essa altura, ele já havia se transformado em reserva eventual.

Eventual porque havia partidas que nem no banco ficava.

Dunga lhe disse textualmente: "Ou tu volta a jogar ou não tenho como te levar para a Copa".

Assustado, Robinho ligou para os dirigentes do Santos se oferecendo.

Ele mesmo procurou a direção do Manchester City e disse que perderiam dinheiro se não o emprestassem.

Se continuasse como reserva eventual não iria à África do Sul.

Os árabes, donos do time, não são bobos.

E o cederam ao Santos.

A Unilever e a Seara se juntaram no investimento de R$ 6,5 milhões para ter Robinho de fevereiro a agosto na Vila Belmiro.

Foi tudo calculado pela direção do clube brasileiro: empréstimo terminando hoje, dia 4 de agosto.

Luís Álvaro tinha certeza de que o Santos chegaria até a final da Copa do Brasil.

Pois bem, hoje é a despedida de Robinho do clube, que o trata como um filho.

Ele recuperou parte do seu futebol atuando com a camisa branca.

Não foi brilhante, mas teve grandes momentos.

Ele passou confiança a Ganso, Neymar, André.

Também os influenciou onde não deveria.

A concentração santista parece uma reunião de adolescentes se preparando para uma balada.

Com direito a todas as bobagens e excessos.

Como trocar socos com Wesley depois de quebrar seu celular e ter o retrovisor de seu carro despedaçado.

Embora a diretoria lamente a perda do talento do atacante, há um certo alívio com sua saída.

Será muito mais fácil controlar Neymar e Ganso.

Madson é considerado um caso perdido e deve sair logo após a final de hoje.

Assim, Robinho se despedirá mais uma vez do Santos.

Foram 22 partidas e 11 gols.

E, pela terceira vez, bate no peito.

Prometeu a amigos que fará uma partida histórica.

De dar saudades.

De deixar as portas escancaradas para um novo retorno.

Ele precisa ter o que mostrar para quando chegar ao Manchester City.

Robinho quer ir para outro clube grande.

O sonho dourado continua sendo o Barcelona.

Sonho, porque a realidade é dura.

Até agora só surgiram propostas do futebol turco e do Leste europeu.

Ele sabe: hoje na Bahia, tem de roubar o show.

Brilhar mais do que Neymar, Ganso, Elkeson, Ramon, Simon, Ivete Sangalo, Carla Perez...

Chega de promessas e depois sumir nos jogos importantes, decisivos.

Há oito anos Robinho faz a mesma coisa...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Veja as principais notícias do dia
+ Todos os blogs do R7

Mais um vexame brasileiro. Cadê a taça de bolinhas?

divulgação211 Mais um vexame brasileiro. Cadê a taça de bolinhas?

A ridícula situação estaria explicada.

Finalmente teria sentido.

De acordo com o colunista Ancelmo Gois, a famosa Taça de Bolinhas desapareceu.

A CBF pediu em abril o troféu que estava em poder da Caixa Econômica Federal.

Ricardo Teixeira decidiu entregá-lo ao São Paulo.

O clube paulista seria o primeiro a vencer cinco vezes o Brasileiro.

A CBF resolveu desconsiderar o título da Copa União do Flamengo.

Desde 1992, há essa pendência.

Como bem me lembrou o leitor Renato, o São Paulo espera pela taça desde 2007.

Havia uma pressão enorme por parte dos dirigentes flamenguistas que não se conformavam com a decisão.

E por falta de firmeza da CBF a questão não se resolveu por 18 anos.

A taça Jules Rimet, pelo tricampeonato mundial da seleção brasileira, já foi derretida.

O troféu das bolinhas pode ter ido pelo mesmo caminho.

Ou até mais desmoralizante: estar enfeitando a sala de algum funcionário da CEF.

Os dirigentes do São Paulo e do Flamengo estranharam demais o silêncio de Ricardo Teixeira desde abril.

O presidente havia prometido a entrega imediata ao São Paulo.

Patricia Amorim prometeu um escândalo.

Marco Aurélio Cunha ironizou e prometeu que o clube iria desfilar com a taça com um carro de bombeiros.

E depois do estardalhaço de uma semana, o silêncio constrangedor.

Ninguém entendeu nada.

Ricardo Teixeira não tocou mais no assunto.

Até que vazou hoje a informação que a Caixa Econômica Federal não encontra a taça.

O troféu estava na CEF por uma questão de segurança.

Mais um vexame brasileiro...

(A assessoria de imprensa da Caixa Econômica Federal diz que a taça está em um de seus cofres.

Só não a entregou à CBF por falta de um comprovante.

A história continua estranha.

Por que a CEF exigiria um comprovante já que o mundo sabe que a taça é da CBF?

Por que a taça não é mostrada à imprensa?

O vexame pode ser até maior do que parece...)

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Veja as principais notícias do dia
+ Todos os blogs do R7

Ninguém no Corinthians acredita que Ronaldo cumprirá seu contrato até o final. Ninguém…

divulgação459 Ninguém no Corinthians acredita que Ronaldo cumprirá seu contrato até o final. Ninguém...

Ronaldo está perto de completar três meses sem jogar pelo Corinthians.

Sua última partida foi no dia 9 de maio, contra o Atlético Paranaense.

Maio.

Parou de atuar para se recondicionar fisicamente.

Linda expressão que Mano usou para emagrecer.

Estava tão gordo, tão pesado, que seus joelhos, tornozelos, coxas e panturrilhas o torturavam.

E as pequenas lesões surgiam em seguida.

Ronaldo parou e ninguém ligou.

Não acabou o mundo.

Depois do primeiro semestre de 2009 maravilhoso, ele cansou.

Se irritou com as longas concentrações em Itu, com as dores, com o regime espartano que deveria seguir.

Com a conquista da Copa do Brasil e a classificação antecipada para a Libertadores de 2010, ele relaxou.

Abriu mão até de uma possível vaga para a Seleção Brasileira.

Resolveu ter vida dupla.

Ser jogador e aproveitar um pouco os milhões de euros que possui e ser Ronaldo.

Ele foi a festas, reality shows, jantares, rodadas de pôquer.

Lógico que não suportou mais treinamentos intensivos.

Passou a engordar e enfraquecer como atleta de elite.

Quebrou a mão e a proveitou para fazer uma lipoaspiração.

De nada adiantou.

Tirou um pouco de gordura da barriga, mas e o fôlego?

Com os músculos mais flácidos do que deveriam, cadê o arranque para os dribles sensacionais que encantaram o mundo?

Sua queda foi vertiginosa.

Mesmo protegido pelos companheiros e por todos esquemas táticos que Mano Menezes pudesse inventar...

Ronaldo foi se tornando figura decorativa.

Andrés Sanchez fingia que não percebia.

O importante, como viria a se confirmar, era fechar o maior patrocínio da América Latina.

E ele precisava de Ronaldo.

Não precisava nem ser o atacante, bastava o símbolo.

Impossível não olhar para ele e relembrar o homem que foi três vezes melhor jogador do mundo.

Maior artilheiro da história das Copas.

Porta aberta para mundo, os patrocinadores aceitaram pagar o que Andrés queria.

Inteligente, Ronaldo pegou o seu enorme quinhão.

E tudo certo.

A desenfreada decadência logo o atingiu de frente.

Na madrugada, acompanhando o Carnaval no Rio de Janeiro encontrou Dunga.

Não chegaram a se falar, mas amigos comuns levaram a notícia que nem adiantaria sonhar com a Copa.

Ronaldo já estava gordo, mas sonhava que seu talento não seria desperdiçado.

O grupo de amigos que o cerca também o iludiu.

Esses "amigos" repetiam para ele que a seleção não iria ficar sem seu "presidente".

Para que se preocupar com peso, com treinos extenuantes que acabavam em fortes dores?

Tudo bem, "presidente", dá para maneirar?

Não deu.

Não veio a convocação, chegou a tristeza, a certeza do desperdício.

A forra viria na Libertadores da América.

Mostraria ao mundo que ainda era Ronaldo e daria o título mais importante da história para o Corinthians.

Enredo de filme infanto-juvenil.

O astro que consegue dar a última volta por cima.

Só que esqueceram de avisar os adversários, principalmente o seu clube de coração, o Flamengo.

Enorme e definitiva decepção para os corintianos.

Finalmente, o rei, ou melhor, o presidentes estava nu.

Mesmo os mais apaixonados viram Ronaldo ser uma mera sombra do que foi.

Tentava correr, mas não conseguia.

A barriga, indisfarçável.

A sua presença atrapalhava o time, fazia com que todos tivessem de correr por ele.

Resultado: Corinthians eliminado, no Pacaembu, diante de sua apaixonada torcida.

A aura de Ronaldo é tão intensa que ele foi poupado.

Ninguém quis bater, xingar.

Apenas houve a dolorida constatação de que o sonho havia acabado.

Ele estava longe de ser o enviado dos céus que daria a Libertadores para o Corinthians.

Ainda houve um teatro.

Caiu preparador físico, fisiologista.

Como se eles fossem o culpado pela gordura de Ronaldo.

E ele sumiu para se recondicionar.

Só que já não era mais manchete.

Ninguém mais estava assim tão interessado.

Foi como se todos percebessem ao mesmo tempo.

O momento havia passado.

Hoje só faltou soltarem rojão, a sirene soar no Parque São Jorge.

Ronaldo conseguiu treinar por uma semana inteira.

Adilson Batista faz o seu papel e procura comemorar, dizer que há chances dele atuar domingo.

O adversário é o Flamengo pelo Brasileiro.

A esperança de mais um retorno.

Mas as fotos são cruéis.

Mostram Ronaldo de camisa larga para tentar disfarçar a teimosa barriga.

O rosto está cheio demais.

Os músculos não conseguem se destacar nas pernas, como em todo atleta profissional.

Brincando com a bola ele continua mostrando o talento fora do comum.

Assim como Maradona...

Como Zico...

A volta aos gramados está ficando cada vez mais difícil.

Ronaldo tem contrato com o Corinthians até o final de 2011.

Diz cada vez menos que vai cumprir o que assinou.

Andrés Sanchez quer que ele fique.

Nem que seja para jogos de exibição.

Deseja mais dinheiro para o Corinthians.

Sonha com Ronaldo sendo o embaixador que vai buscar patrocínios para o sonhado estádio.

Não precisa nem jogar.

Basta ser quem é.

Mas se quiser, e puder, pode entrar de vez quando com o time.

Ainda vai marcar alguns gols.

Pênaltis são todos deles.

Mas o tempo de Ronaldo virar manchete apenas como jogador já passou.

Esperto, sabe usar tudo o que aparece para continuar sendo notícia.

Agora é o twitter.

Qualquer coisa que escreva ele sabe que milhões de pessoas lerão e repercutirão.

Como escrever que a ultrapassagem de Rubinho em Schumacher foi o gol mais bonito do final de semana.

Ronaldo é Ronaldo.

Tudo o que fizer ainda vai chamar a atenção.

Só que ele está cansado.

No ocaso da carreira.

Vai completar 34 anos no dia 22 de setembro.

Tem a vida pela frente.

Para aproveitar tudo o que tem direito.

O desejo de quem o viu surgir e encantar o mundo é um só.

Que ele tenha respeito por ele mesmo no final de carreira.

Não se torne uma caricatura.

Grandes jogadores que não queriam parar foram obrigados.

Quando zagueiros medíocres os anulavam porque tinham mais juventude, mais força física, arrancada.

Que Ronaldo e coragem de parar de maneira digna.

É só isso que seus fãs de verdade pedem.

Porque mesmo no Parque São Jorge ninguém acredita que ele chegará jogando até dezembro de 2011.

Ninguém...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Veja as principais notícias do dia
+ Todos os blogs do R7

O São Paulo que nunca jogou junto vai para a semifinal contra o Inter…

divulgação3333 664x1024 O São Paulo que nunca jogou junto vai para a semifinal contra o Inter...

A maior aposta da vida de Ricardo Gomes como técnico.

Ele percebeu que não adianta posar de racional na partida que pode ser a última sua como comandante do São Paulo.

E foi para o tudo ou nada.

Depois da absurda postura covarde de Porto Alegre, o extremo.

Ele escancara o São Paulo e coloca três atacantes.

O que pode parecer ousadia e vai ganhar elogios de comentaristas na tevê e rádio pode ser exagero.

Falta de equilíbrio.

O ideal seria tirar Dagoberto, manter Marlos na meia e ter na frente Fernandão e Ricardo Oliveira.

Ainda mais porque o Internacional de Celso Roth foi montado exatamente para o contragolpe.

Ele quer ser atacado e responder em velocidade quando retomar a bola.

Fernandão terá a missão de jogar na vaga de Marlos.

Será um meia.

Na frente, Ricardo Oliveira e Dagoberto.

Os três foram orientados para se preocuparem com o ataque.

4-3-1-2 nunca é 4-3-1-2 com o time Cléber Santana.

O jogador de meio-campo tem jogado um pouco mais à frente em uma tentativa de ganhar a torcida.

Sente a resistência que grande parte dos torcedores nutre por ele.

Não por ter jogado n0 Santos, como gosta de imaginar.

Mas está passando uma fase muito ruim e não gosta de admitir.

O Internacional terá cinco jogadores no meio de campo.

A ordem de Celso Roth é travar o ritmo da partida nas intermediárias.

E explorar nos contragolpes a velocidade de Taison e D'Alessandro.

Além de ter a vantagem de haver vencido a partida em Porto Alegre por 1 a 0, ele aposta na pressão da torcida tricolor para atrapalhar o time escancarado de Ricardo Gomes.

Os próprios jogadores do São Paulo estranharam a escalação e a maneira de entrar em campo.

Eles sabem que Ricardo Gomes está dando a sua última cartada.

Hernanes já foi vendido para a Lazio, mas os dirigentes não estão nem um pouco preocupados.

Têm a certeza de que ele colocará o pé, a cabeça, o pescoço nas divididas.

O medo é mesmo do que Ricardo Gomes aprontará.

Ele já sabe.

Não há salvação se o São Paulo for eliminado da competição que mais ama.

Ainda dentro do Morumbi.

E por isso aposta tudo.

Ricardo Gomes tem o seu emprego a perder.

Mas o São Paulo, muito mais.

A obsessão de Juvenal Juvêncio pelo Morumbi na Copa de 2014 acabou por expor demais o clube.

Inacreditável o time chegar à semifinal da Libertadores e improvisar...

Colocar a equipe que tem um treino.

E nunca jogou junta.

No sábado, Fernandão entrou no segundo tempo no lugar de Xandão.

Juntos, os onze só treinaram hoje no Morumbi.

Uma estratégia, digamos, revolucionária.

Nem parece que é o Ricardo Gomes que deseja Ricardo Oliveira, Fernandão e Dagoberto juntos.

Não é e nunca foi o seu estilo...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Veja as principais notícias do dia
+ Todos os blogs do R7

Vitória e Santos. O mesmo medo: Simon…

divulgação453 Vitória e Santos. O mesmo medo: Simon...

Poucas vezes isso aconteceu no futebol mundial em uma decisão.

As diretorias do Santos e do Vitória estão muito preocupadas, tensas.

O motivo é o mesmo.

O  da decisão de amanhã.

Nem baianos e nem paulistas gostaram do nome sorteado: Carlos Eugenio Simon.

O juiz recordista em Copas pelo Brasil deveria ser o profissional que maior segurança levaria ao jogo.

Deveria.

Só que os dois times têm prevenção contra ele.

E, evidente, não vão confirmar publicamente.

Do lado santista, o medo é a maneira com que ele trata as firulas dos jogadores de Dorival Júnior.

A mania de simular faltas e pênaltis de Neymar e Robinho.

As constantes reclamações de Paulo Henrique Ganso.

Todos notam que Simon está muito mais impaciente do que o normal.

No final de carreira, há a preocupação que Simon queira tanto mostrar isenção que pode se voltar contra o favorito, o Santos.

Do lado do Vitória, a velha preocupação com os 'interesses maiores' desejarem o Santos na Libertadores.

O poderio financeiro do estado mais rico do país.

Jogadores consagrados, quatro da Seleção Brasileira.

A vontade de valorizá-los ainda mais com a conquista do título.

A decisão da Copa do Brasil entre Corinthians e Brasiliense, em 2002 é recordada em toda conversa reservada.

E há razão.

Houve a marcação de um impedimento absurdo de Wellington Dias na primeira partida.

A sua posição era legal em 62 centímetros.

No segundo gol do Corinthians, Gil derrubou o zagueiro antes de dar o passe para Deivid marcar.

Os lances duvidosos foram para a equipe paulista.

Ricardo Silva já avisou seus jogadores para evitarem discussões fora da bola.

E falar com Simon.

Todos já notaram a irritabilidade do gaúcho, ainda mais em jogo tão importante, que vai parar o Brasil.

Só o veterano Ramon tem licença para falar com ele.

Os dirigentes dos dois clubes já orientaram os atletas a não dar nenhuma declaração sobre o juiz.

Os presidentes Luís Álvaro e Alexi Portela foram claros.

Ninguém tem permissão para falar mal de Simon.

Pelo menos antes do jogo.

Depois da partida é outra história...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Veja as principais notícias do dia
+ Todos os blogs do R7

Um dia o São Paulo quis 25 milhões de euros por Hernanes. Vendeu por 9,5 milhões para a Lazio e agradece aos céus…

reuters898 Um dia o São Paulo quis 25 milhões de euros por Hernanes. Vendeu por 9,5 milhões para a Lazio e agradece aos céus...
O final de 2008, Juvenal Juvêncio estava exultante.

O time havia tricampeão brasileiro.

Hernanes escolhido pela imprensa como o melhor jogador no País.

E atuando como volante.

Clubes da Europa se interessaram.

Ofertas chegaram em 15 milhões de euros.

Mas o clube recusou.

E Juvenal Juvêncio teve uma ideia que considerou brilhante.

Se a Europa aceitava pagar 15 milhões de euros por um volante, quanto não pagaria por um camisa 10?

Um meia de verdade, habilidoso, talentoso.

O sonho era obter 25 milhões de euros.

E assim foi feito.

Desde 2009, h0uve uma grande pressão para que Hernanes virasse meia no time de Muricy Ramalho.

O resultado foi péssimo.

Hernanes não conseguiu se adaptar à posição.

Ele sempre soube que é segundo volante.

Seu futebol rende na intermediária do próprio São Paulo.

E surgindo de supresa.

Não fixo na intermediária adversária, como meia.

Ele não funcionou.

Passou a jogar muito mal.

Perdeu lugar na Seleção.

Prestígio no clube, entre os empresários.

Nas equipes européias.

As ofertas sumiram.

Ninguém mais estava disposto a pagar os 15 milhões que Juvenal rejeitou no final de 2009.

A situação foi se complicando com o passar do tempo.

Hernanes se tornou um jogador sem confiança.

Ela só voltou no início deste ano, quando teve uma conversa com Ricardo Gomes.

E conseguiu convencê-lo que seu futebol renderia muito mais se fosse recuado.

Assim foi feito.

Hernanes passou a atuar como gosta e sabe.

Veio a proposta da Lazio da Itália.

Nem pensar nos 25 milhões de euros sonhados um dia por Juvenal.

O presidente sabe que ele não mostrou futebol para tanto.

Nem para atingir os 15 milhões de euros.

A negociação fechada apenas no final da noite desta segunda feira ficou em 9,5 milhões de euros.

A muito custo.

A Lazio não queria passar dos 8 milhões de euros.

E o São Paulo insistia em 11 milhões.

Chegaram a um meio termo.

A promessa da equipe italiana é pagar no final do ano para o clube brasileiro.

O São Paulo tem 75% dos direitos federativos do jogador.

A Traffic, 17%.

Hernanes e seu empresário, Joseph Lee, repartiram os 8% restantes.

O jogador será liberado após o final da participação do São Paulo na Libertadores.

Não teve jeito: quem sonhava com 25 milhões de euros, teve de comemorar os 9,5 milhões.

É o preço pela diretoria ter forçado um excelente volante a se transformar em um péssimo meia.

Quando voltou a atuar como volante, o ótimo futebol retornou.

Mas a desvalorização era inevitável...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Veja as principais notícias do dia
+ Todos os blogs do R7

Exclusivo. Depois das desculpas forçadas, Madson e Felipe estão na alça de mira da diretoria santista…

divulgação02 Exclusivo. Depois das desculpas forçadas, Madson e Felipe estão na alça de mira da diretoria santista...

"Eu vim da favela. Todos sabem a minha origem humilde."

Foi assim que Felipe se desculpou por ter dito a um torcedor que 'o que ele gastava com a ração para o seu cachorro era igual ao salário santista'.

E só se desculpou por ordem do presidente Luís Alvaro.

O mesmo fizeram Madson e Zé Eduardo.

Só se retrataram do vexame de domingo à noite por causa da diretoria.

Dorival Júnior disse outra vez que por ele, tudo estaria esquecido.

Os dirigentes também.

Mas não será assim.

A postura do treinador e da diretoria é não atrapalhar o clube na decisão da Copa do Brasil, quarta-feira, contra o Vitória.

Dorival Júnior e Luís Alvaro não suportam mais a irresponsabilidade do time.

Madson não é nenhum garoto.

Tem 24 anos.

É pai.

Veio do Vasco.

Ele já aprontou há pouco tempo, chegando três horas atrasado na concentração santista.

Foi afastado.Ganso

Mas o treinador resolveu perdoá-lo.

O avisou que seria a última vez que aceitaria suas desculpas.

Depois do jogo contra o Vitória, há muitas chances de Madson e Felipe deixarem o Santos.

Chegou a h0ra do técnico e do presidente tomar uma atitude, dar um exemplo aos garotos.

Não dá para dispensar ou empurrar Neymar ou Ganso para qualquer time.

Neymar vale R$ 80 milhões.

Ganso, R$ 130 milhões.

A tolerância é maior com a dupla quando se leva em consideração o que ela pode render.

Madson e Felipe são reservas, considerados dispensáveis.

O Santos já procura um goleiro e espera anunciá-lo depois da decisão da Copa do Brasil.

Felipe não se mostrou pronto para assumir o gol do Santos.

Empresários tentarão emprestá-lo ou vendê-lo.

Com isso, todos esperam ter acabado com os focos da irresponsabilidade.

O maior tormento,  o 'Nero' que incendiou os garotos vai embora.

Voltará para o Manchester City.

O clube inglês tenta negociá-lo com outra equipe europeia.

Não quer prorrogar o empréstimo ao Santos.

Robinho brinca, mas sabe até onde ir.

Tanto que ironizou a bobagem que os jogadores aprontaram em Presidente Prudente.

"Essa juvenilzada tem que tomar uma pá de porrada (sic). Fizeram merda."

Dorival Júnior e Luís Alvaro querem mostrar que o Santos ainda tem comando.

Mas só depois da final da Copa do Brasil.

É bom Felipe e Madson estarem preparados...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Veja as principais notícias do dia
+ Todos os blogs do R7

Os jogadores mais mimados e prepotentes do Brasil estão no Santos…

reuters59 Os jogadores mais mimados e prepotentes do Brasil estão no Santos...

"O que eu gasto de ração com o meu cachorro é o teu salário no mês.

Então, não fode."

Essas singelas frases são do goleiro Felipe, do Santos.

Ele respondia a um torcedor santista que cometeu o pecado mortal de chamá-lo de 'mão de alface'.

Em vez de brincar ou até se explicar, o goleiro reserva optou pela humilhação.

Pela discriminação em relação à condição financeira do torcedor santista.

Quem quiser entender um pouco a maneira com que os jogadores modernos respeitam os torcedores deve ver o que fizeram Felipe, Madson e Zé Eduardo.

Foi deplorável.

Usando a twitcam, eles ficaram se mostrando para os torcedores.

Com postura cafajeste, sem camisa, não pareciam jogadores profissionais de uma clube tão importante.

Veja o vídeo aqui:

Mostraram que o Santos está sem comando há muito tempo.

Desde que Paulo Henrique Ganso se recusou a sair do campo na final do Paulista.

Desde que Neymar, Ganso, Madson e André chegaram atrasados à concentração.

Desde que Neymar quis cobrar um pênalti na final da Copa do Brasil dando cavadinha.

Dorival Júnior e Luís Alvaro precisam ter mais respeito com a torcida santista.

Por mais talento que esses jogadores tenham é obrigatório ter disciplina.

O Santos Futebol Clube passa a imagem de um clube onde a bagunça impera.

Onde os jogadores fazem o que querem.

Não se respeitam e não respeitam o clube.

Mimados, prepotentes.

Só querem se aproveitar da fama, da visibilidade.

Comparar o salário de um torcedor, trabalhador comum, ao que um jogador gasta com seu cachorro é imoral.

Comparar a uma molecagem será mais uma demonstração de fraqueza, de quanto a diretoria e o treinador estão reféns dos seus jogadores.

Proibir os atletas de fazer transmissão pelo twitter, pela internet,  é muito pouco.

O clube precisa se dar ao respeito.

Há muito tempo jogadores adversários reclamam que os santistas tentam humilhá-los no gramado.

Não com dribles, mas falando do salário, do time onde jogam.

Robinho, Neymar, André, Paulo Henrique Ganso.

Atletas talentosos e de Seleção Brasileira.

Mas que estão colocando tudo a perder com o comportamento de garotos.

Madson falando como se fosse Zé Pequeno não foi hilário, foi assustador.

Zé Eduardo dizendo a Robinho que ele não fará a menor falta depois que for embora, incompreensível.

Alan Patrick e Zezinho também estavam no quarto.

E Felipe comparando o salário do torcedor à ração do seu cachorro, deplorável.

O que mais Luís Alvaro e Dorival Júnior estão esperando?

Mais do que os jogadores, o presidente e o técnico precisam respeitar o Santos.

E não admitir mais um vexame absurdo como o de ontem de noite..

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Veja as principais notícias do dia
+ Todos os blogs do R7

E o Goiás continua despencando. Graças à briga de Leão…

divulgação456 E o Goiás continua despencando. Graças à briga de Leão...

Depois da estúpida briga de Leão e o repórter baiano Roque Santos, o prejuízo para o Goiás.

O clube despencou no Brasileiro.

Depois da humilhante goleada de ontem para o Avaí por 4 a 1, a zona do rebaixamento.

Por causa do descontrole do treinador, o time ainda perdeu Romerito e Rafael Moura, que compraram a briga.

O Goiás tem sido orientado em campo pelo sobrinho do técnico, Fernando Leão.

E ainda está sem seus principais jogadores.

O presidente Syd de Oliveira garante que não vai punir Leão.

Só que já existe um levante de conselheiros e descontentamento dos patrocinadores.

A situação está longe de estar tranqüila.

A famosa data de validade do técnico está chegando ao final.

Só para lembrar: Leão tem 60 anos.

E ele havia prometido que quando chegasse a essa idade iria abandonar a profissão de treinador.

Talvez tenha se esquecido.

Para falta de sorte do nobre Goiás.

As imagens da estúpida briga rodaram o mundo.

Será que é desta maneira que o presidente Syd de Oliveira quer seu clube seja conhecido no Exterior?

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Veja as principais notícias do dia
+ Todos os blogs do R7