O barato Adilson Batista não entusiasma ninguém no Santos. Todos queriam Abel Braga…

divulgação499 O barato Adilson Batista não entusiasma ninguém no Santos. Todos queriam Abel Braga...

Uma coisa é Tite.

Outra é Abel Braga.

Se a diretoria do Al Wahda não colocou qualquer dificuldade para a saída do treinador brasileiro sem um título significativo, não foi assim com o Al Jazira.

Afinal, não se libera um campeão do Mundo, da Libertadores por causa de um sorriso, uma piscada.

Ele tem contrato até maio de 2011.

Se o Santos tivesse mesmo uma diretoria ousada, gastaria US$ 1 milhão da multa e o contrataria.

Abel Braga estaria hoje na Vila Belmiro já planificando a Libertadores da América.

Montando o time que será um dos favoritos, com Ganso, Neymar, Arouca e os reforços escolhidos pelo novo treinador.

Abel seria contratado com um craque.

Mas faltou coragem, disposição.

E aí surgiu Adilson Batista.

A direção do clube o havia deixado como segunda opção, caso Abel não se livrasse do Al Jazira.

Na madrugada de ontem, conselheiros trocavam telefonemas.

E nenhum deles se empolgava com o nome do técnico demitido pelo Corinthians.

O fato de Adilson ser barato só anima o presidente Luís Álvaro, que tenta forçar a semelhança entre ele e Dorival Júnior.

Seus conselheiros e amigos mais próximos não compraram a idéia.

Pelo contrário: sabem que um é antítese do outro.

Dorival Júnior trabalha de uma forma simples, focada.

Não complica psicologicamente seus jogadores.

Já Adilson...

Ele gosta de treinar de uma maneira e improvisar na hora de colocar o time em campo.

Os corintianos detestaram.

A maneira escancarada que monta seu meio de campo oferece chance efetiva para qualquer adversário.

Não foi por acaso que ficou 17 partidas no Parque São Jorge e em apenas três delas o time não sofreu gols.

Luís Álvaro ficou abatido demais com a negativa do Al Jazira.

Já tem acertada a contratação do meia Alex, ex-Inter, para agradar Abel, que sugeriu o jogador.

O presidente santista quer Adilson Batista.

Conselheiros importantes sonham com Paulo Autuori, também no mundo árabe.

Empresários já ofereceram Joel Santana, Ricardo Gomes, Antônio Lopes, René Simões.

Dunga também faz parte da longa lista.

Mas Luís Álvaro tem sido firme.

Quer o desempregado Adilson Batista.

Mas chora pelos cantos da Vila Belmiro por Abel Braga, técnico que todos, inclusive os jogadores, consideram ideal para o Santos.

Seus cabos eleitorais eram Ganso e Neymar pelo que ouviram falar dele como profissional e como pessoa.

Só que Luís Álvaro nem pensa em abrir o precedente de oferecer o US$ 1 milhão pelo treinador campeão da Libertadores e do mundo, comandando o Inter.

Vai com o que estiver na mão.

E quem está soltinho e aguardando rezando o convite santista é Adilson Batista...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Exclusivo: “Adriano não sairá da Roma em janeiro. A imprensa italiana mente. Por isso ele está em greve com os italianos e também com os jornalistas brasileiros. É mentira demais”, Gilmar Rinaldi…

adriano Exclusivo: Adriano não sairá da Roma em janeiro. A imprensa italiana mente. Por isso ele está em greve com os italianos e também com os jornalistas brasileiros. É mentira demais, Gilmar Rinaldi...

Gilmar Rinaldi.

Cada cabelo branco que surge na sua cabeça tem um culpado: Adriano.

O goleiro tetracampeão do mundo é empresário de um dos jogadores mais problemáticos da história.

Ele tem fugido das entrevistas.

O momento de seu principal cliente na Itália não é bom.

A imprensa italiana garante que ele irá embora da Roma em janeiro.

Que estaria descontente por jogar pouquíssimo no seu clube italiano.

E que deseja romper seu contrato de três anos.

Seu acordo garante três milhões de euros por ano, ou cerca de R$ 7, 2 milhões.

Só que acabei de falar com quem comanda a carreira de Adriano, Gilmar Rinaldi.

E ele antecipou ao blog.

"O Adriano não sairá da Roma.

Tudo isso é mera especulação da imprensa.

Isso é uma resposta porque o Adriano não está dando entrevista para ninguém.

Eu garanto que ele continuará no clube em 2011 e no resto do contrato", disse, tranquilo.

"Estou calmo porque desta vez o Adriano não aprontou nada. É tudo mentira da imprensa italiana."

Gilmar, o que está acontecendo com o Adriano?

Nada. Está fulo da vida porque está contundido.

Não está jogando porque está machucado.

A direção da Roma sabe disso.

Todos os exames foram feitos e sua contusão foi confirmada.

Ele queria muito voltar a jogar, até porque a campanha da Roma é fraca.

O time precisa dele, só que machucado não dá.

Mas e a história de que ele quer ir embora em janeiro?

- Quem faz as negociações do Adriano sou eu.

E garanto que não passa de mentira da imprensa.

Os jornalistas não têm acesso ao Adriano.

Como tem saído muita mentira sobre ele, resolvemos que o melhor é se calar.

Deixa escrever o que quiserem sobre ele.

É tudo bobagem.

Ninguém sabe como ele está querendo vencer na Roma.

E vai conseguir.

Basta se recuperar.

Teve uma contusão na coxa, outra no tornozelo.

Não está fazendo os gols que a Roma precisa porque está machucado.

E a história de que ele está com problemas com o técnico Claudio Ranieri?

- Grande bobagem.

O Ranieri está sempre perguntando diretamente a Adriano quando estará bom para jogar.

Não há problema algum de relacionamento.

Muito pelo contrário, quero registrar que ele está sendo muito bem tratado na Roma.

E se sentindo tão bem que vai levar a sua família no final do ano para morar com ele.

Se quisesse ir embora da Itália iria levar os familiares?

Vamos falar sério.

A imprensa italiana, quando fica sem notícias é terrível.

E vou dizer mais.

Também a brasileira.

Saiu por aí que o Adriano esteve no Rio e saiu com algumas mulheres.

Mentira grossa.

Ele também não está falando com a imprensa brasileira.

Cansamos de mentiras por todos os lados.

O Adriano já errou muito, mas agora está centrado, focado em jogar na Roma.

Não vamos dar munição para jornalistas que só querem prejudicar sua carreira.

A última pergunta. A nutricionista da Roma falou que ele chegou com 15 quilos a mais?

- Outra bobagem publicada pela imprensa italiana.

O Adriano chegou um pouco acima do peso, mas nunca 15 quilos.

E emagreceu.

Está trabalhando muito a sério por lá.

Quer mostrar que valeu o investimento, a aposta da Roma.

Tínhamos vários clubes para escolher.

Ficamos com a Roma porque há um projeto para o Adriano.

E de longo prazo.

Ele, mais do que ninguém, quer cumprir os três anos de contrato.

Não é verdade essa bobagem de sair de lá em janeiro.

Já estou cansado de desmentir essa imprensa italiana...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Por que o melhor do mundo nunca estará jogando no Brasi? A Fifa só enxerga a Europa…

divulgação887 Por que o melhor do mundo nunca estará jogando no Brasi? A Fifa só enxerga a Europa...

Júlio César (BRA) – goleiro – Internazionale
Maicon (BRA) – lateral – Internazionale
Daniel Alves (BRA) – lateral – Barcelona
Xavi (ESP) – meia - Barcelona
David Villa (ESP) – atacante – Barcelona
Xabi Alonso (ESP) – meia – Real Madrid
Iker Casillas (ESP) – goleiro – Real Madrid
Carles Puyol (ESP) – zagueiro – Barcelona
Andres Iniesta (ESP) – meia – Barcelona
Cesc Fabregas (ESP) – meia – Arsenal
Cristiano Ronaldo (POR) – atacante – Real Madrid
Diego Forlán (URU) – atacante – Atletico de Madrid
Wesley Sneijder (HOL) – meia – Internazionale
Arjen Robben (HOL) – atacante – Bayern de Munique
Lionel Messi (ARG) – atacante – Barcelona
Miroslav Klose (ALE) – atacante – Bayern de Munique
Philipp Lahm (ALE) – lateral – Bayern de Munique
Thomas Müller (ALE) – atacante – Bayern de Munique
Mesut Özil (ALE) – meia – Real Madrid
Bastian Schweinsteiger (ALE) – meia – Bayern de Munique
Didier Drogba (CMA) – atacante – Chelsea
Asamoah Gyan (GAN) – atacante – Sunderland
Samuel Eto’o (CAM) – atacante - Internazionale

Esta é a lista dos 23 jogadores que concorrem para ser o melhor de 2010 pela Fifa.

O grande favorito é Iniesta meia campeão do mundo com a Espanha.

O holandês Sneidjer corre por fora.

A Europa como sempre olhar para o próprio umbigo.

Nenhum jogador indicado atua fora do continente.

A tese do presidente do Santos, Luís Álvaro, é que vai mudar toda esta perspectiva por Neymar.

Seu plano de carreira, recusado por Ganso, prevê a hiperexposição do atacante ao mundo.

Pouca gente na Vila Belmiro acredita que ele conseguirá.

E o caminho de Neymar será também embarcar em um avião e ir jogar no futebol europeu em 2011.

Nenhum jogador atuando no Brasil ganhou o prêmio.

Por mais talento que tivesse.

Você acredita no plano de Luís Álvaro para Neymar?

É uma injustiça Ganso, Montillo e D'Alessandro não estarem na lista?

Por mim vence o Iniesta.

Em segundo lugar, o futuro jogador do São Paulo, quanto tiver 35 anos, Diego Forlan.

Quem merece ser apontado como o melhor do mundo em 2010 para você?

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Só o Capitão Nascimento e Dorival Júnior para consertar o estrago de Luxemburgo no Atlético Mineiro…

capitao blog ok Só o Capitão Nascimento e Dorival Júnior para consertar o estrago de Luxemburgo no Atlético Mineiro...

Dorival Júnior está fazendo o impossível para salvar o Atlético Mineiro do rebaixamento.

A começar por enfrentar o próprio presidente Alexandre Kalil.

O dirigente acreditava que a única solução para tentar consertar o estrago deixado por Luxemburgo seria dinheiro.

Estava disposto a pagar a maior premiação do Brasil se os seus jogadores conseguissem manter o clube na Série A.

Talvez até mesmo maior prêmio do que o futuro campeão do País.

Só que Dorival insistiu que o problema nunca foi dinheiro.

Mas a falta de comprometimento.

Luxemburgo escolheu atletas rodados e sem história de envolvimento com os clubes por onde passaram como reforços para o Brasileiro.

Dorival não sentiu maior emoção nestes jogadores depois da sua estreia com derrota para o Grêmio.

E tratou de mudar a filosofia de trabalho.

Ao contrário do que era com Luxemburgo, os treinamentos passaram a ser em dois períodos.

Principalmente pela manhã, coisa que não acontecia.

Dorival Júnior fez questão de comandar todos os treinos.

Inspirado em José Mourinho, Luxemburgo só assumia de verdade o treinamento nas sextas-feiras.

Dorival Júnior acabou com o falso glamour que tanto agradava Kalil.

Tratou de colocar em campo uma equipe competitiva, compacta, com forte poder de marcação.

E contragolpe em alta velocidade.

Viu a bobagem que era a estratégia anterior de tocar a bola com calma para tentar vencer o jogo apenas no talento.

O novo treinador percebeu que o time não estava mais acostumado a marcar, a brigar pela bola.

As cobranças passaram a ser tão duras quanto criativas.

Discretamente, ele deixou Alexandre Kalil e o diretor Eduardo Maluf longe dos vestiários.

Os palpites terminaram.

Os jogadores perceberam o forte comando de Dorival.

Forte o suficiente para acabar com o complexo de grandeza da diretoria.

Antes de sonhar em ganhar a Sul-Americana e sonhar com a Libertadores de 2011, muito mais importante era não ver o Atlético Mineiro rebaixado de novo para a Série B.

E o técnico conseguiu o impossível.

Convenceu Kalil a priorizar o Brasileiro de forma absoluta.

O dirigente aceitou, percebendo o quanto eram vazios os sonhos de conquista da América, a internacionalização do Atlético Mineiro, proposta por Luxemburgo.

O fundamental era continuar na elite dos clubes brasileiros.

E aceitou.

Tanto que Dorival Júnior, Kalil e até a torcida sabem, e não se importam, do enorme favoritismo do Palmeiras nas quartas-de-final da Sul-Americana.

Importante de verdade são as sete partidas que restam pelo Brasileiro.

A vitória no clássico contra o Cruzeiro, só com torcedores azuis, foi fundamental nesta corrida de recuperação.

Para entender a façanha, nada como desvendar o criativo segredo de Dorival Júnior.

Impressionado com os filmes Tropa de Elite e Tropa de Elite 2, o treinador fez um dos capitães do Bope que inspiraram José Padilha a dar uma palestra antes do clássico.

Paulo Storani foi para Uberlândia e insuflou os jogadores do Atlético Mineiro.

Eles entraram no Parque do Sabiá como se estivessem subindo o morro, sem medo de nada e de ninguém.

Se impuseram diante dos inimigos.

Chegaram até a estar vencendo por 4 a 1 o Cruzeiro, então líder do Brasileiro.

Jogadores malemolentes como Tardelli e Diego Souza pareciam outros em campo.

A palestra do capitão do Bope entrou no coração, na alma de Obina.

Assim Dorival Júnior está conseguindo a maior façanha do Brasileiro.

Está conseguindo ressuscitar o morto Atlético Mineiro de Luxemburgo.

Mostrar a grande bobagem que a diretoria do Santos fez ao optar por sua demissão em vez de punir Neymar como deveria.

E acordar Alexandre Kalil.

Quando o presidente do Atlético Mineiro for contratar treinador vai pensar no presente e não no passado, no currículo de quem vai comandar seu time.

Porque, se Luxemburgo continuasse, nem o Bope e a Swat juntos salvariam o clube da Série B...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

O Flamengo não retribuirá o favor que o Corinthians fez em 2009. Nada de acordo. Jogará de verdade na quarta-feira…

divulgação011 O Flamengo não retribuirá o favor que o Corinthians fez em 2009. Nada de acordo. Jogará de verdade na quarta feira...

No ano passado, o Corinthians já estava classificado para a Libertadores.

Ganhou a Copa do Brasil.

O Brasileiro foi disputado sem ambição.

A maior preocupação era refazer o time com as vendas de Cristian, Douglas e André Santos.

A segunda era com Ronaldo, que já começava a relaxar sua dieta e seu preparo físico e engordar.

O Flamengo de Andrade e Adriano disparava no Brasileiro.

Ameaçava Palmeiras e São Paulo na briga pelo título.

No dia 20 de novembro de 2009, o Corinthians sem pretensão alguma enfrentaria o Flamengo.

A partida foi em Campinas.

E foi muito estranha.

O time paulista não mostrava o menor empenho para ganhar o jogo.

Pelo contrário.

Como esquecer a imagem do goleiro Felipe parado enquanto Leonardo Moura cobrava um pênalti?

A torcida corintiana não protestou, não vaiou.

Comemorou os gols cariocas e a vitória do Flamengo.

No estádio Brinco de Ouro da Princesa, as duas torcidas apoiaram o rubro-negro.

A capa do jornal oficial do Corinthians, o Fiel, estampava na capa:

"Doce derrota".

Andres Sanches não se irritou, não protestou contra ninguém.

Ronaldo nada fez contra o seu clube de coração.

Ninguém nunca irá provar, mas ficou a sensação para quem assistiu ao jogo que o Corinthians não se importou em perder.

Dirigentes do São Paulo e do Palmeiras ficaram irados e insinuaram a entrega do jogo.

Os três pontos não fizeram a menor falta ao Corinthians.

Ao Flamengo foram fundamentais para a conquista do Brasileiro.

Por coincidência, só por coincidência, claro, Andres vive afirmando que o Flamengo é 'clube irmão'.

A fraternidade não é tão recíproca.

Liguei para duas pessoas que cuidam do futebol do Flamengo.

E a resposta foi a mesma.

Não há a menor possibilidade de, digamos assim, o clube carioca não se esforçar tanto para vencer.

Ou seja: não haverá retribuição ao grande favor feito pelos corintianos em 2009.

Há ainda a chance matemática de rebaixamento flamenguista.

Luxemburgo e os dirigentes flamenguistas não podem brincar.

E vão jogar para valer no Engenhão.

O recado já chegou até a cúpula corintiana.

Se quiser os três pontos, o Corinthians terá de correr muito mais que o Flamengo fez em novembro de 2009.

Infelizmente, a vida é assim.

Mesmo entre irmãos.

A reciprocidade é relativa.

Fica mais uma lição aos corintianos...

Veja mais:

+ Tudo sibre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Felipão: você errou feio com o Valdivia, sim. É permitido cobrá-lo como a qualquer técnico. Acabou a ditadura militar. Pinochet morreu…

reuters39 Felipão: você errou feio com o Valdivia, sim. É permitido cobrá lo como a qualquer técnico. Acabou a ditadura militar. Pinochet morreu...

A situação absurda que aconteceu com Valdivia terá consequências no Palmeiras.

O importante meia chileno teve um estiramento na Copa Sul-Americana na Bolívia.

A previsão era que voltasse aos gramados em 15 dias.

Ou seja: não enfrentaria o Corinthians ontem.

Só que por um milagre da ciência, em uma semana ele estava recuperado.

E jogou os 90 minutos contra o Universitário de Sucre, adversário fraquíssimo.

Presença completamente dispensável.

O esforço desnecessário cobrou juros e correção monetária.

Contra o Corinthians ele suportou apenas 34 minutos.

Ele entrou no intervalo e pediu para sair antes de a partida terminar.

Os jornalistas foram falar com os médicos do Palmeiras para saber o que havia acontecido.

E eles explicaram que nesses casos onde é impossível aferir a intensidade de dor, o diagnóstico fica muito por conta do paciente.

Foi Valdivia quem quis jogar contra o Universitario.

Ele supervalorizou a sua condição física.

Sabe o quanto custou e queria mostrar boa vontade.

Caberia aos médicos e a Felipão ter bom-senso e segurar o meia.

O esforço foi uma bobagem, já que o adversário nunca ofereceu perigo.

Quando foi confrontado com a situação na coletiva, Felipão perdeu a esportiva.

Entre palavrões desnecessários ao bravo repórter que teve coragem de perguntar, ele mostrou o quanto ficou irritado com a básica falha de planejamento.

Segundo o repórter, o médico Otávio Vilhena confirmou o que todos viram: que Valdivia travou em campo.

"O médico não confirmou bosta nenhuma, merda nenhuma.

Não vem colocar palavra na boca do médico.

O que ele tem é uma fibrose, e fibrose não impede de jogar.

Só dificulta alguns movimentos em determinados momentos.

Não o colocamos no primeiro tempo porque ele poderia sentir uma dificuldade.

E eu só o tirei para evitar outro problema.

Ele não tem nada.

Só não tinha a velocidade, pode ser que amanhã ele não sinta mais a bendita fibrose.

Não tem lesão muscular, nada.

Ele iniciou bem, depois segurou, então de que adiantava ficar em campo?"

Essa foi a resposta do melhor treinador do Brasil.

Felipão tem certeza de que foi boicotado na Inglaterra.

De que jogadores importantes como Drogba e muitos outros se juntaram para derrubá-lo do Chelsea.

A imprensa inglesa foi dura com ele nos últimos momentos.

Ele não soltou nenhum palavrão ou proibiu jogador de fazer coisa alguma.

Mas aqui ele é rei.

Além de proibir os jogadores de falarem antes, durante e depois das partidas, ele vai aproveitar o caso Valdivia para esticar a proibição.

Agora os médicos também só darão entrevistas se forem liberados por ele.

Ou seja: Felipão quer saber exatamente o que os doutores falarão para não passar por vexame.

Triste mania de tentar esconder o óbvio.

Para Felipão, muito mal orientado por seu angustiado assessor de imprensa, basta não falar que os repórteres são incapazes de raciocinar ou ter coragem de escrever o que estão enxergando.

Típica atitude do seu assessor de imprensa, que tem complexo de perseguição.

E Felipão vai se transformando em uma figura desagradável, autoritária, ultrapassada.

Que justifica a sua pior declaração na vida.

Qual é ela?

Aqui está.

"Pinochet fez muita coisa boa também.

Ajeitou muitas coisas lá no Chile.

O pessoal estava meio desajeitado.

Ele pode ter feito uma ou outra retaliaçãozinha aqui e ali, mas fez muito mais do que não fez.

Até porque há determinados momentos que ou o pessoal se ajeita ou a anarquia toma conta."

Augusto Pinochet deu o golpe militar mais sangrento da América Latina.

Ele derrubou Salvador Alliende no Chile em 1973.

Alliende saiu morto do palácio presidencial.

Durante seu governo, 20 mil pessoas foram assassinadas.

A maioria por motivos políticos.

A sua ditadura prendeu 30 mil pessoas.

Só saiu do poder em 1990.

Comandou com mão de ferro e sangue o Chile por 17 anos.

Seu assessor de imprensa tinha a obrigação de informá-lo quem foi de verdade Pinochet.

Felipão precisa mudar urgentemente seus conceitos.

E ouvir conselhos de pessoas mais equilibradas.

Ele é o melhor treinador do Brasil, disparado.

Mas não pode ser contrariado.

Alguém precisa avisá-lo que a ditadura militar acabou...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Sem Libertadores em 2011, Carpegiani quer reformulação no São Paulo. Não é possível perder tão fácil para o Ceará…

divulgação363 Sem Libertadores em 2011, Carpegiani quer reformulação no São Paulo. Não é possível perder tão fácil para o Ceará...

A derrota contra o Ceará foi a última ducha fria no São Paulo em 2010.

Da maneira passiva que foi...

Sempre sincero, até demais, com os dirigentes, o treinador adiantou o óbvio.

Não há mais como sonhar com a Libertadores de 2011.

Os pontos perdidos por Ricardo Gomes e Sérgio Baresi são impossíveis de recuperar.

Travado, na nona colocação, na derrota em Fortaleza, o treinador sentiu outra vez com o time está carente.

A ausência de Dagoberto revelou a ausência de atacante em quem Carpegiani possa confiar.

Até a inconstância de Richarlyson fez falta.

Carpegiani já sabe que o clube não fará grandes contratações.

Até mesmo o jogador que considera prioridade, o meia Branquinho do Atlético Paranense corre risco.

É considerado um atleta caro.

Por isso, os relatórios de Milton Cruz sobre jovens atletas do Brasil todo, mais fáceis de serem contratados, começam a ser analisados.

De maneira discreta, para não assustar o grupo.

Piorar o ambiente que está longe de ser o ideal.

O treinador quer também uma definição em relação a Miranda.

Ele já sentiu o quanto o zagueiro quer atuar no Exterior.

De Dagoberto cuidará ele mesmo.

Depois de fazer o time jogar para o meia atacante, ele agiu como um menino se automedicando.

Para curar uma dor de cabeça tomou um remédio proibido, considerado dopante.

Carpegiani foi obrigado a escalar Fernandão.

O veterano não resistiu ao calor infernal de Fortaleza às 15 horas.

Fernandão será analisado com todo o carinho, já que Carpegiani não gosta de suas características.

Quer montar uma equipe ainda mais rápida, ágil e compacta em 2011.

Se ficar no Morumbi, ele terá de se conformar com a reserva.

Mesmo preocupado com a imaturidade de Diogo, a recomendação para a venda de Richarlyson está decidida.

Da mesma maneira, quase chorou com a ausência de Alex Silva, fundamental para a sua primeira derrota no retorno ao Morumbi.

De acordo com o técnico, muita coisa está errada no atual São Paulo.

Juvenal Juvêncio sabe que Carpegiani tem razão.

A obsessão por colocar o Morumbi na Copa de 2014 fez com que sabotasse o time sem perceber.

Ele aceita a idéia de uma profunda reformulação.

Mas quer qualidade e não quantidade como aconteceu neste ano.

E sem gastar muito...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Washington. Em jejum, o artilheiro do Fluminense vai buscar ajuda psicológica…

reuters888 Washington. Em jejum, o artilheiro do Fluminense vai buscar ajuda psicológica...

Não é possível calcular se Washington tem tantos pecados ainda a pagar no futebol.

Centroavante rompedor, sempre fez o que estava dentro dos seus limites.

Todos os 12 clubes que o contrataram sabiam que estavam levando um artilheiro tosco, sem refinamento.

Determinado, trombador, bom cabeceador.

Um jogador grande para ficar dentro da área.

De canela, de ombro, de pescoço, de peito...

O grande mérito de Washington foi sempre empurrar a bola para as redes.

Não importa como.

Depois da descoberta do problema cardíaco e o tratamento revolucionário para voltar a jogar, acreditou que sua pior fase havia passado.

Talvez fora dos gramados.

Porque a pior chegou agora e com força total.

Depois de triste passagem pelo clube em que sempre sonhou jogar, o São Paulo, apostava que estava voltando para casa, as Laranjeiras, para ser feliz.

Ainda mais com o time que o dinheiro da Unimed estava oferecendo para Muricy Ramalho.

Não havia como não dar certo.

Atuar de novo no clube em que foi tratado como rei.

E ainda mais com o Fluminense de Muricy Ramalho jogando como gosta.

Com muitas jogadas aéreas e ele enfiado entre os zagueiros.

Mas só que a má fase o pegou para valer.

Nove partidas sem marcar um gol.

Nunca ficou tanto tempo em jejum.

E desperdiçando chances incríveis.

Já teve inúmeras conversas com Muricy Ramalho.

O treinador o percebe ansioso, revoltado, irritado.

Está tendo um comportamento pior do que um garoto.

Até por saber o quanto o Fluminense precisa de seus gols.

Embora líder do Brasileiro, a equipe não vence há cinco partidas.

E por admitir ter vergonha dos fáceis gols perdidos.

Isso o está deixando ainda mais tenso.

Muricy não pode fazer nada.

Precisa de Washington.

Fred e Emerson estão contundidos.

Rodriguinho e Tartá, suspensos.

O técnico só tem ele de atacante para a fundamental partida contra o Grêmio.

Washington já estava péssimo, saiu arrasado da Arena da Baixada ontem.

Ele conseguiu marcar um gol contra.

Bem ao seu estilo, de cabeça, deslocando o surpreso goleiro Ricardo Berna.

A torcida do Atlético Paranaense voltou a vibrar com um gol do ex-ídolo.

E retribuiu o carinho, gritando seu nome para comemorar o gol.

No final da partida, o argentino Conca ainda não o deixou cobrar o pênalti que empatou o jogo.

Washignton está arrasado psicologicamente.

É até possível que procure ajuda de um psicólogo.

Ele nunca se sentiu tão sem confiança.

E não adiantam mais as palavras de carinho de Muricy.

Mesmo aos 35 anos, Washington sabe que o problema é a sua ansiedade, sua tensão.

E assim sendo, ele deve sim procurar ajuda de um discreto psicólogo.

Nunca o Fluminense precisou tanto de um artilheiro que esqueceu como se marca gols.

Pelo menos a favor do seu time...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Montillo: vá dar cavadinha na Bombonera! Reparta a premiação com os atleticanos de Sparta. Você merece…

gettyimage55 Montillo: vá dar cavadinha na Bombonera! Reparta a premiação com os atleticanos de Sparta. Você merece...

Montillo é o melhor jogador do Brasileiro.

Há uma fila de Belo Horizonte a Buenos Aires de jornalistas que desejam entrevistá-lo.

Um argentino fazendo a festa aqui, na terra dos maiores rivais.

Até hoje havia se comportado como um jogador consciente, humilde.

Mas tantos elogios, tanta reverência acabaram pesando.

Justo em uma hora importantíssima.

No clássico contra o Atlético Mineiro.

Na partida que Dorival Júnior não contabilizava.

Nos seus planos, perder jogando no Parque do Sabiá para 20 mil cruzeirenses seria normal.

A torcida foi uma decepção.

Mesmo com a chuva, era de se esperar 45 mil torcedores do time azul.

Mas o senhor Anormal da Silva, primo do Sobrenatural de Almeida, resolveu visitar Uberlândia.

Obina foi ungido pelo abraço apertado desse tal Anorma da Silva.

E se aproveitou do calcanhar de Aquiles cruzeirense: sua transloucada zaga.

Obina marcou três gols, mas poderiam ter sido cinco.

Os jogadores do Atlético Mineiro de Dorival Júnior superaram os 300 de Sparta.

Passaram por cima do líder do Brasileiro e odiado rival.

Chegaram a marcar 4 a 1.

Depois não conseguiram evitar dois gols.

Mas saíram como heróis que não esperavam tanto.

Ganharam três pontos, saíram da zona do rebaixamento.

Não resta a menor dúvida de que o time de Dorival Júnior é bem diferente daquele que fracassava sob o comando de Luxemburgo.

A dedicação e a confiança dos jogadores são outras.

Não houve pena de explorar o grande erro de Cuca: abrir demais seu time.

O Cruzeiro ofereceu o contragolpe.

Um time amador não seria tão ingênuo.

Esse é o problema de Cuca.

Acostumado com seu esquema extremamente cauteloso, pagou os pecados por tentar atacar.

Foi a falta de prática.

E quanto a Montillo?

Qual a culpa do argentino?

Ele estava em um dia de exibição e não de um clássico tão importante.

Tentou enfeitar jogadas fáceis, perto da área atleticana.

Foi sombra do meia que está encantando os brasileiros.

Brasileiros que fazem campanha por uma convocação sua para a Seleção Argentina.

Foi com o espírito de Maradona que teve a participação no lance fundamental do clássico.

Estava 2 a 0 para o Atlético Mineiro.

Ed Carlos enganou o árbitro Sandro Ricci, simulou um empurrão de Werley na área.

Pênalti inexistente marcado.

Montillo pegou a bola.

E quis se consagrar.

Resolveu dar uma cavadinha.

Chutou a bola para fora, de forma irresponsável.

No lance seguinte, Obina fazia 3 a 0.

Assim como o Cruzeiro deve a Montillo várias e várias vitórias, a derrota fica na conta do argentino.

Ele não poderia ter sido tão prepotente e brincar com a sorte do Cruzeiro neste clássico.

Resultado: o Cruzeiro perdeu o jogo e a liderança do Brasileiro.

E o rival Atlético Mineiro saiu da zona do rebaixamento.

Palmas para Dorival Júnior e seu time de homens que venceram tudo e todos.

E pode cancelar a minha assinatura na campanha Montillo na Seleção Argentina.

O que ele fez hoje foi imperdoável...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

O inesquecível presente do Santos nos 70 anos de Pelé. Derrota para o lanterna na Vila Belmiro…

reuters03 O inesquecível presente do Santos nos 70 anos de Pelé. Derrota para o lanterna na Vila Belmiro...
36 minutos do segundo tempo.

O camisa 70 ajeita discretamente o colarinho.

O deixa esticado, estilo James Dean.

Sabe que todas as câmeras estão voltadas para ele.

Pênalti para o Santos.

Ele está usando a camisa em homenagem aos 70 anos de Pelé.

Tão certo do gol antecipado, ele dá um beijo na bola.

A Vila Belmiro está em pé.

Espera o gol que empataria o jogo contra o lanterna do Brasileiro, o Grêmio Prudente.

A cobrança é forte.

A bola bateu no travessão e foi para fora...

Neymar não pôde comemorar o gol como havia treinado, dando um soco no ar, como Pelé.

E o Santos perdeu a excelente oportunidade de encostar de vez nos líderes.

Ganhava por 2 a 0 contra o já rebaixado Grêmio Prudente.

As firulas e os toques de calcanhar já aconteciam.

O papel do time interiorano era apenas servir como figurante na festa preparada para Pelé.

Os jogadores santistas lembravam bem que no Campeonato Paulista venceram o adversário por 5 a 0.

Hoje deveria ser a mesma coisa.

E o time teve a partida sob controle.

Só que não conseguiu superar um rival muito maior do que o pobre Grêmio Prudente.

Ele atende pelo nome de soberba.

O time perdeu pelo menos mais seis gols por menosprezo.

Tentar fazer o mais difícil: a bola colocada, em vez do chute forte, do bico para as redes.

E as falhas da defesa santista foram aproveitadas com a frieza de um cirurgião.

Cada bobeada, um gol do Grêmio Prudente.

Quando Marcelo Martellote e os seus jogadores acordaram, perdiam por 3 a 2.

Foi quando surgiu o pênalti para Neymar cobrar para fora.

Essa homenagem Pelé não merecia.

Uma derrota do prepotente Santos na Vila Belmiro para o lanterna do Brasileiro.

Por essa e por outras que Abel Braga assume a equipe no final de novembro...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7