Paulo César Oliveira. O árbitro que o jornal antecipou que seria sorteado. E que Corinthians e Palmeiras não querem. Mas vai apitar…

AgenciaEstado33333 Paulo César Oliveira. O árbitro que o jornal antecipou que seria sorteado. E que Corinthians e Palmeiras não querem. Mas vai apitar...
A situação é mais do que constrangedora.

E perigosa demais para a credibilidade do Campeonato Paulista.

O Jornal da Tarde antecipou o nome do árbitro que seria sorteado para Palmeiras e Corinthians.

Seria um pedido corintiano.

Paulo César Oliveira.

Ele é um juiz que o Palmeiras já tentou vetar para seus jogos.

Mesmo assim, o jornal bancou a informação.

E o nome sorteado foi...

Paulo César Oliveira.

A Federação Paulista de Futebol nem cogitou trocar o nome do juiz depois da antecipação da notícia.

"Foi coincidência", se defende o comandante da arbitragem no estado, coronel Marcos Marinho.

Um militar chefia os árbitros em São Paulo exatamente para trazer mais credibilidade.

Foi nomeado depois que o juiz da Fifa Edilson Pereira de Carvalho foi flagrado negociando resultados de jogos...

A direção do Palmeiras recebeu uma avalanche de pedidos de torcedores.

Todos com medo do que possa acontecer no domingo.

Marco Polo del Nero, conselheiro vitalício do Palmeiras, disse que não fará qualquer alteração.

Será Paulo César quem apitará o clássico.

A pressão está enorme, acima do aceitável.

No Parque São Jorge há uma enorme preocupação.

O medo é que Paulo César para mostrar que é independente trabalhe preocupado, tenso.

E sugestionado psicologicamente prejudique o Corinthians.

A cúpula corintiana também não o quer mais no Pacaembu.

O Palmeiras entrou com um pedido oficial para a troca de árbitro.

Mas a Federação não quer ceder.

Não admite perder o controle do campeonato.

Paulo César está isolado e com a recomendação de não dar entrevistas.

Até para não piorar a situação.

O Palmeiras promete continuar reclamando, mas não fará nada mais drástico.

Como ameaçar não entrar em campo com Paulo César.

O Corinthians também.

Os dois clubes não têm como desobedecer a Federação.

Devem cotas de antecipação de transmissão.

Estão fazendo o máximo que é protestar.

Mas não há a menor dúvida de que está tudo encaminhado para uma grande confusão no domingo.

Qualquer lance duvidoso será motivo para escândalo.

O time que for eliminado reclamará demais...

A Federação Paulista expõe o futebol de São Paulo ao ridículo.

O resultado do Campeonato de 2011 poderá ficar manchado por pura teimosia.

Por que não trocar Paulo César?

Até para preservá-lo?

Em nenhum lugar do mundo seu nome seria mantido.

Só em São Paulo.

Resta torcer para que nenhum jornal antecipe quem vai ganhar o clássico...

Travado, recuado, o Cruzeiro sofreu demais na Colômbia. Não convenceu, mas venceu. Pelo menos, Cuca tem um trauma a menos na vida…

divulgacao3900 Travado, recuado, o Cruzeiro sofreu demais na Colômbia. Não convenceu, mas venceu. Pelo menos, Cuca tem um trauma a menos na vida...
O que valeu foi o resultado.

Vitória por 2 a 1 diante do Once Caldas, na Colômbia.

A quase 2.200 metros de altitude.

Primeira equipe brasileira a conseguir ganhar em Manizales.

Tudo isso é importantíssimo.

Mas o Cruzeiro não tem de se orgulhar pelo futebol mostrado.

Os próprios jogadores admitem falta de concentração, time preso na defesa.

Esperando apenas o erro do adversário.

Quem disse que o passado não condena?

Tentando jogar de igual para igual contra o Once Caldas em 2004, Cuca perdeu.

E deixou de levar o São Paulo para a final da Libertadores.

Lógico que os jogadores são diferentes.

Até o clube que comanda também é outro.

Mas Cuca não quis se arriscar a passar pelo mesmo tipo de situação.

E tratou de prender seu time.

A ordem era proteger a defesa, tocar a bola e explorar os contragolpes.

Mas no primeiro tempo, com Montillo muito marcado, Roger não colaborou.

Estava apático.

E o time errando passes demais.

No intervalo, Cuca tirou o marido de Deborah Secco e passou Gilberto da lateral para o meio de campo.

A postura cruzeirense continuou a mesma.

O que melhorou foi a qualidade no passe.

O aproveitamento nos contragolpes.

E, quem diria palmeirenses?, Ortigoza foi definitivo no jogo.

Fez o cruzamento para o belo peixinho de Wallyson.

E o paraguaio mesmo marcou 2 a 0.

O gol colombiano veio no final, aos 43 minutos.

Já virou redundância, mas Fábio fez grandes defesas que asseguraram a vitória.

A comemoração mineira não foi exagerada.

O time sabe que foi abaixo do seu potencial.

Cuca era prático.

Sabia que o mais importante tinha conseguido: os três pontos, a vitória.

Depois de passar o gosto amargo de uma partida irregular, virá a tranquilidade.

O time pode até empatar em casa para ficar com a vaga para as quarta-de-final.

A situação é invejável.

Mas o futebol do Cruzeiro ontem, não foi...

Pelo menos, Cuca superou mais um trauma na vida...

Muricy quer colocar reservas contra o São Paulo para poupar o time para o América do México. E agora, presidente Luís Álvaro?

divulgacao2929 Muricy quer colocar reservas contra o São Paulo para poupar o time para o América do México. E agora, presidente Luís Álvaro?
As câmeras mostraram rapidamente.

A pressa para entrevistar jogadores do Santos atrapalhou.

Os jogadores e a Comissão Técnica do América do México comemoraram muito a derrota por 1 a 0.

Se abraçavam, se cumprimentavam, animados...

O time saiu da Vila Belmiro convicto que o resultado foi muito bom.

Fácil de reverter terça-feira, no México.

Do seu lado, Muricy Ramalho fez questão de saudar com entusiasmo o 1 a 0.

Para ele, o gol de Ganso obrigará o América a se abrir.

O time só sobreviverá se ganhar por dois gols no México.

E tudo o que o Santos quer é espaço para contragolpear.

Quem está certo?

As aparências apontam para o Santos.

A equipe ganhou ontem o jogo de uma maneira diferente do que vinha acontecendo.

Jogou de forma madura, segura.

Não se desmanchava para atacar.

Quando Jonathan estava na frente, Léo ficava no meio de campo.

E vice-versa.

Arouca e Danilo tiveram mais cuidado com a proteção aos zagueiros.

Elano não disputou bola com Zé Eduardo na área adversária.

Tratou de ajudar a fechar a intermediária.

O Santos não se desmanchou para atacar.

Manteve a sua estrutura sólida.

Neymar e Ganso tiveram a liberdade que necessitam.

Mas foram marcados muito de perto.

São duas celebridades do futebol mundial.

Cada vez menos terão espaço em jogos importantes como o de ontem.

Ganso fez o gol em um belo chute, mas ainda está em busca do seu melhor ritmo.

Ainda pesa o longo período parado para se recuperar da operação no joelho.

E Neymar foi caçado.

Sofreu outra vez um nojento rodízio de pontapés.

Os árbitros fingem que não percebem.

É revoltante.

Mas ficou claro que o America do México já teve atletas com maior potencial técnico.

A vantagem santista é sim muito importante.

Os mexicanos não deveriam comemorar tanto antecipadamente.

Se der espaço para o time de Muricy na próxima terça-feira vão se arrepender.

O grande problema para o Santos é o clássico de sábado.

Como colocar o melhor time na semifinal do Paulista que promete ser uma guerra.

Contra o São Paulo e seus torcedores dominando o Morumbi.

Como ter energia para essa batalha e logo em seguida viajar para a América do Norte?

E enfrentar o o time mexicano em outra decisão?

Será preciso coragem.

Muricy tem de poupar jogadores importantes no sábado.

Não dá para comparar Campeonato Paulista com Libertadores.

Se tiver de abrir mão de um para lutar de verdade pelo outro, não tem nem de pensar...

E é o que ele fará se tiver respaldo da diretoria...

Para o Santos o melhor é colocar reservas no Morumbi...

Clube grande luta pela Libertadores...

Campeonato Paulista é compensação de quem não consegue ganhar algo importante na vida...

E agora, presidente Luís Álvaro?

Como fica a sua simpática relação com a cúpula da Federação Paulista de Futebol?

Juninho Pernambucano no Vasco. O raro resgate de um ídolo com caráter para o futebol brasileiro…

AgenciaEstado934 Juninho Pernambucano no Vasco. O raro resgate de um ídolo com caráter para o futebol brasileiro...
Inesquecível aquele sábado na Alemanha...

Comoção entre nós, jornalistas brasileiros, na zona mista do estádio de Frankfurt...

A Seleção havia acabado de ser eliminada da Copa de 2006, diante da França...

Esperamos os jogadores saírem...

Os minutos são de tortura intermináveis...

Os reservas saem antes...

Entre vários que fogem das entrevistas, um resolve enfrentar a imprensa...

Os olhos verdes estão vermelhos por causa do choro...

Me aproximo junto com um batalhão de colegas e consigo pergutar a ele...

"Qual a sensação que você fica em relação à Copa do Mundo, à Seleção Brasileira?"

Ele me encara e responde de maneira direta.

"A de que eu não me encaixo na Seleção Brasileira.

Não concordo com várias coisas que aconteceram por aqui.

Pensei que a Copa do Mundo fosse uma competição disputada de outra forma.

Para mim acabou...

Vou pensar na minha carreira, no meu clube...

Já tenho 31 anos.

Vou tocar a minha vida."

Os jornalistas que estavam comigo na Alemanha se chocaram com a firmeza das palavras.

Ele se referia à esbórnia, a falta de seriedade com que vários jogadores disputaram o Mundial.

Adriano, Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho, Roberto Carlos, Robinho e muitos outros não dispensavam uma balada.

Cansaram de voltar no horário limite das cinco da manhã, 'imposto' por Parreira.

Adriano e Ronaldo estavam bem acima do peso.

Kaká e Ronaldinho Gaúcho atravessavam fase muito fraca.

O 'quadrado mágico' era uma mentira.

E ele treinando melhor do que os quatro...

Sem uma chance real de ganhar uma posição...

Vendo a bagunça...

A falta de comprometimento...

Aguentou calado, respeitou a Seleção...

Para ele, bastou...

Disputou para nunca mais uma Copa do Mundo pelo Brasil...

"Se eu soubesse que não teria chance real de ajudar preferia não ter ido..."

Esse pequeno exemplo mostra quem é Juninho Pernambucano que o Vasco acaba de repatriar...

Ele é a melhor contratação possível para o time...

Aos 36 anos não tem o mesmo vigor físico, a mesma arrancada...

Talvez nem a mesma precisão nas cobranças de falta...

Mas a sua liderança, a visão de jogo, a personalidade será fundamental em São Januário...

O Vasco está precisando de um capitão como ele...

Uma figura capaz de ensinar aos próprios companheiros como a camisa cruzmaltina precisa ser respeitada...

Digno, intelectualizado e firme nas suas decisões, Juninho Pernambucano tinha de voltar ao Vasco...

Brigado com Eurico Miranda, ele se aproveitou da legislação para deixar o clube...

Não foi uma saída pela porta da frente...

Mas ele havia cansado de brigar com o ex-presidente do clube...

Não foi uma briga comum entre capitão e dirigente...

Não reivindicou mais dinheiro de premiação...

Juninho ficou indignado com a queda do alambrado de São Januário na final do João Havelange contra o São Caetano...

Nos microfones questionou a irresponsabilidade da diretoria...

E provocou a ira de Eurico...

Percebendo que não teria paz, aproveitou a mudança da legislação em relação aos direitos do jogador e foi embora...

Foi um dos maiores ídolos no Lyon...

Nos últimos anos passou seu tempo de duas maneiras...

Ganhando muito dinheiro...

E recusando propostas de clubes brasileiros...

Internacional, Santos, Fluminense, Grêmio, Flamengo, Sport...

O São Paulo insistiu tanto quanto o Vasco...

Por quatro anos os dirigentes do Morumbi tentaram o meia...

Mas ele manteve uma ligação de coração com o Vasco...

Ainda mais sem Eurico Miranda...

Ele não conseguiu resistir ao convite de Roberto Dinamite...

O acerto pelo 'salário mínimo' como foi divulgado é pura hipocrisia.

Bobagem para agradar o torcedor.

Juninho Pernambucano não receberá menos de R$ 500 mil...

A direção vascaína está correndo atrás desse dinheiro...

A princípio, o meia quer atuar até o final do Brasileiro deste ano.

E depois virar gerente de futebol vascaíno...

Ou até mesmo presidente do clube que ama...

Mas os planos do Vasco são os de que 'pelo menos' dispute todos os campeonatos até o final de 2012...

Entre em campo o máximo que puder...

É o resgate do grande jogador da conquista da Libertadores de 1998...

O líder na reviravolta incrível na final da Taça Mercosul no Palestra Itália...

Quando o Palmeiras vencia por 3 a 0 no primeiro tempo.

Com direito a abrir champanhe no vestiário durante o intervalo...

E veio o absurdo 4 a 3...

Juninho Pernambucano foi o líder daquele time de Romáro e Juninho Paulista...

Ele fará bem para São Januário..

Para o futebol brasileiro...

Tão órfão de ídolos com caráter..

É a melhor contratação em muitos anos...

Chegou a hora, Cuca… De mostrar se o seu Cruzeiro merece mesmo tanta confiança… Sem traumas… Sem insegurança… Nem marcha-ré…

divulgacao2999 Chegou a hora, Cuca... De mostrar se o seu Cruzeiro merece mesmo tanta confiança... Sem traumas... Sem insegurança... Nem marcha ré...
A única conquista da carreira de Cuca como treinador foi o Carioca de 2009.

Só.

Desde 1998 ele é técnico.

Já trocou de clubes 22 vezes.

Isso desde 1998.

Com o passar dos tempos, ele ganhou duas famas.

A primeira de fazer grandes trabalhos, mas não vencer.

E a segunda, a de "'chorar" para justificar essas derrotas.

No mês passado fiz uma exclusiva com ele e Cuca mostrou que está mudado.

Mostrou-se muito mais seguro, determinado.

Amadureceu.

Parou de perder tempo com as inúmeras opiniões que as pessoas sempre darão em times grandes...

Não presta mais tanta atenção com o que pensa presidente, diretor, jogador, jornalista...

Foi muito difícil, já desde a época como jogador ele foi uma pessoa de passar horas falando sobre futebol...

E sempre levou demais em consideração as opiniões contrárias...

Demorou para perceber que como treinador há a necessidade de apostar em um caminho e não mudar o rumo...

Não se importar para críticas de jornal...

Nem procurar saber se o reserva do reserva diz que não gosta do seu trabalho...

Não trocar idéias com dirigentes sobre a forma com que sua equipe joga...

Deixou de ser influenciável...

Foi uma enorme mudança na sua personalidade, naturalmente dócil...

Demorou 11 anos, mas percebeu...

O futebol brasileiro de elite exige que o técnico seja quase um ditador...

Talvez ainda resquício do final dos anos de chumbo, onde os militares mandavam...

Muitos não sabiam o que faziam, mas mandavam...

Uma matéria publicada pela revista Placar teve muita influência em Cuca...

Ela o mostrava como um homem fraco, cheio de manias, inseguro e supersticioso...

A ponto de não permitir que o motorista que dirigia o ônibus desse marcha ré.

Cuca acreditava que seu trabalho com o time também andaria para trás se o ônibus desse ré...

É para dar dó do motorista tentando estacionar...

A matéria foi um marco pessoal.

Ele percebeu o quanto estava virando um personagem folclórico.

E mudou.

No Cruzeiro procurou se reinventar.

Aproveitou a proteção oferecida por Zezé Perrela aos técnicos que leva para a Toca.

E resolveu ir muito além do trabalho deixado por Adilson Batista.

A primeira providência foi acabar com as improvisações, que os jogadores tanto detestavam...

E insistiu demais no toque de bola, na ofensividade...

Cuca foi um meia inteligente, de bom potencial...

Soube aproveitar o fato de o Cruzeiro lhe oferecer Montillo, Gilberto e Roger...

Esse diferencial equipe alguma da América do Sul possui...

E se impôs diante do marido de Deborah Secco...

Muitas vezes ele ficou na reserva ou nem isso, quando esteve mais rebelde...

Cuca montou um esquema ofensivo em casa e, no Brasileiro, colocou a equipe nos contragolpes fora de Belo Horizonte...

Chegou a um controverso vice no Campeonato Nacional, com seu time prejudicado em jogos fundamentais pela arbitragem...

Em 2011, o técnico foi além...

Percebeu que o Cruzeiro também poderia atacar muito mais jogando fora...

E se tornou mais ousado do que foi na sua carreira inteira...

Arriscou.

Soltou as rédeas da equipe.

E com requintes de crueldade.

Quebrou o famoso código entre os jogadores.

O de poupar uns aos outros.

Ou seja: se o time está ganhando de 4 a 1, por exemplo, vários times diminuem o ritmo com a vitória garantida...

Cuca tem exigido mais...

E a resposta veio em forma de goleadas, como a de 8 a 1 no América de Teófilo Otoni na semifinal do Mineiro...

A melhor campanha na primeira fase da Libertadores é resultado da sua confiança, da sua libertação...

Ele me disse que tudo isso pode ser esquecido a partir de hoje...

"É bonito, as pessoas estão aplaudindo a nossa campanha, os gols, as vitórias.

Mas depois começa a fase do mata-mata na Libertadores.

Tomamos 1 a 0 fora de casa e não conseguimos vencer em Belo Horizonte e tudo acabou.

Eu sei como as coisas funcionam.

Não me iludo.

Por isso, o Cruzeiro não vai mudar o que fez até hoje.

Vai jogar para se impor contra quem for, sem ilusão.

Mas principalmente, sem medo."

E ainda mais hoje...

Manizalles e o Once Caldas têm um sabor diferente para Cuca.

Há sete anos, lá mesmo deixou de ir para a final da Libertadores.

Perdeu com o São Paulo.

Depois do 0 a 0 no Morumbi, o jogo estava empatado em 1 a 1 até perto do final...

Quando os colombianos fizeram o gol decisivo...

Chegou a hora de dar um fim em mais esse trauma...

O Once Caldas é um time muito piorado em relação ao que venceu a Libertadores em 2004...

Basta ter confiança.

O exilado Brandão substitui bem Thiago Ribeiro...

O resto da equipe é a mesma que está impressionando a todos em 2011...

Não há porque tremer...

O Cruzeiro dos 60 gols pode...

O Cuca reinventado, também...

É para assistir de camarote...

Sem direito a marcha ré...

Carlos Alberto e Borges. Como o Grêmio foi colocar seu futuro na Libertadores nas mãos dos dois?

divulgacao2399 Carlos Alberto e Borges. Como o Grêmio foi colocar seu futuro na Libertadores nas mãos dos dois?
Carlos Alberto e Borges.

Como é que o Grêmio foi colocar toda a sua esperança na Libertadores nesta dupla?

Lógico que Renato Gaúcho tem muita responsabilidade na derrota contra o Universidad Catolica.

Em casa, o tricolor parecia um grupo de soldados da Revolução Farroupilha...

Com raiva de tudo e de todos.

Mas sem consciência nenhuma.

O time se deixou levar pelo nervosismo, pelos gritos da torcida no Olímpico.

Tomou dois gols de contragolpes previsíveis, com o time aberto, sem proteção...

E também é verdade que o árbitro argentino Nestor Pitana foi péssimo...

Inseguro, deveria ter expulsado pelo menos dois chilenos...

Mas pior do que tudo só Borges e Carlos Alberto.

Em um jogo tão importante, logo na abertura das oitavas-de-final da Libertadores.

Na primeira partida, em casa, foi imperdoável a expulsão de Borges.

Desde os tempos dos coletivos no São Paulo ele tinha a fama de irritado.

E lógico que seria provocado hoje.

Caiu como um juvenil.

Acertou uma cotovelada no seu marcador, Henriquez e foi expulso aos 34 minutos do primeiro tempo.

Quando o Grêmio já perdia por 1 a 0.

A agressão foi clara.

Os 35 mil gremistas que estavam não tiveram coragem nem de reclamar.

Renato Gaúcho parecia que iria esganá-lo.

O jogador não teve nem coragem de olhar para o técnico e foi para o vestiário.

Ficou claro porque a carreira de Borges nunca deslanchou.

Nas horas mais importantes, mais nervosas, nos jogos mais decisivos, não se pode contar com ele.

O time brasileiro ficou com dez jogadores por uma estupidez.

Não há outra palavra.

Depois de muito sacrifício, o Grêmio empata, com um gol espetacular de Douglas.

Mas veio outro contragolpe absurdo de tão previsível...

E Pratto marcou como quis 2 a 1 para os chilenos.

Renato colocou sua maior esperança de mudar o rumo do jogo: Carlos Alberto...

Jogador contratado a peso de ouro...

Chegou com toda a moral de quem seria o ídolo do time.

Cheio de problemas pessoas e de peso, acabou na reserva...

Entrou e nada fez...

Mostrou uma fragilidade física assustadora...

E a mesma displicência que virou sua marca registrada...

Não só nada produziu, como desanimou de vez os torcedores...

Como o Grêmio foi colocar o seu futuro na desejada Libertadores....

Nas mãos de Borges e Carlos Alberto?

(Após a partida, a diretoria resolveu multar Borges.

E irá se reunir para decidir se rescinde o seu contrato.

Quanto a Carlos Alberto...

O de sempre...

Continuará na reserva...

Impossível punir o meia por ser uma decepção em mais um clube da sua carreira...)

Alex do Spartak representa para Tite o mesmo que Tcheco significou para Mano Menezes. Esse é o grande medo dos dirigentes…

divulgacao451 Alex do Spartak representa para Tite o mesmo que Tcheco significou para Mano Menezes. Esse é o grande medo dos dirigentes...
Mano Menezes pediu, insistiu...

Garantiu a Andres Sanches que tinha um jogador fundamental para o Corinthians...

E ele estava fácil de contratar...

De personalidade forte, grande visão tática, inteligente...

Atleta para ficar anos e anos no Parque São Jorge...

Virar ídolo...

Seu nome...

Tcheco...

Foi um dos grandes furos n'água do agora treinador da Seleção Brasileira...

Não conseguiu se firmar no clube.

Nem no futebol e muito menos na liderança.

Está na reserva do Coritiba...

A situação veio à tona no clube porque Tite está fazendo a mesma coisa.

Todos os dias o que pode falar de Alex do Spartak ele fala...

Vê no meia o jogador cerebral, inteligente, talentoso...

Capaz de ser peça fundamental na meta de voltar à Libertadores via Campeonato Brasileiro...

Ele seria o jogador que o Corinthians precisa e não sabe...

Andres Sanches comprou a idéia...

E os contatos com Alex são constantes...

Os russos querem R$ 16 milhões por seu capitão...

A direção corintiana acha um absurdo, já que Alex tem 29 anos...

E, como havia sugerido a Jose Fuentes, empresário de Luís Fabiano...

O clube quer que Alex consiga baixar o preço do próprio passe...

Tite só fica na torcida...

Ele acredita que, com a saída de Bruno César, possivelmente também de Danilo, Alex será a solução...

O meia dos sonhos...

A direção corintiana acredita piamente na palavra do treinador...

E vai continuar fazendo tudo para contratar o ex-jogador do Internacional...

Os dirigentes são não garantem o mesmo empenho se o Corinthians for eliminado pelo Palmeiras no domingo...

Aí a situação de Tite pode mudar...

Talvez ele tenha de procuar um clube na Rússia...

A Portuguesa não perdoou a traição do valente Jael com o Santos. Cansou de ser desprezada por seus jogadores…

divulgacao201 683x1024 A Portuguesa não perdoou a traição do valente Jael com o Santos. Cansou de ser desprezada por seus jogadores...
Manuel da Lupa se cansou de ser desprezado pelos jogadores do seu próprio clube.

Ele é presidente da Portuguesa.

Já se cansou ao longo de anos de receber visitas desesperadas na sua sala.

São sempre no mesmo tom de voz.

Atletas que se destacaram no Canindé e acabaram seduzidos por outros clubes.

A ladainha é sempre a mesma.

"Agradeço demais a chance que a Portuguesa me deu...

Tenho um orgulho imenso de ter vestido essa camisa...

Mas surgiu uma chance em outra equipe e eu gostaria de..."

O jogador não precisa nem completar a frase...

Foram dezenas que pediram a saída para Manuel da Lupa...

E centenas ao longo da história da Portuguesa...

O clube do Canindé é visto como mero formador ou recuperador de atletas...

Não uma equipe para o jogador se fixar, seguir uma longa carreira...

E foi o que aconteceu com Jael...

A Portuguesa aceitou de braços abertos o atacante que veio do Bahia...

Ele saiu do clube nordestino por um motivo singelo...

Discutiu com o gerente de futebol André Araújo...

Não gostou do que ouviu...

E resolveu acabar com a conversa de um modo diferente...

Acertou um soco no dirigente...

Foi banido do Bahia...

Chegou à Portuguesa humilde, mostrando que estava disposto a mudar de vida...

Feliz da vida pela chance que a diretoria do Canindé estava lhe dando...

Foi apresentado no dia 11 de fevereiro...

Prometeu gols e muitas alegrias à torcida...

Como prova maior de agradecimento, pouco mais de dois meses, ele acertou sua ida para o Santos...

Sem a direção da Portuguesa sequer sonhar o que estava acontecendo...

Mas chegou a hora da liberação...

Com toda a falta de sensibilidade possível, o jogador resolveu pedir a liberação da Portuguesa logo após a derrota para o São Paulo...

Resultado que tirou o clube da semifinal do Paulista...

Ele pediu com pressa porque tinha até ontem à noite para ser inscrito na Libertadores no lugar de Diogo...

Manuel da Lupa se revoltou com mais essa traição...

E simplesmente disse não...

"O presidente Luís Álvaro não deveria ter feito isso comigo.

Não é assim que se negocia.

Ele deveria ter me procurado.

Não acertar tudo direto com o jogador.

Assim, não.

A Portuguesa precisa ser respeitada."

E Jael foi para o Santos ontem.

Perdeu uma chance de ouro para disputar a Libertadores.

Pode achar que a direção da Portuguesa foi dura demais com ele.

Mas não tem idéia que acabou pagando por dezenas de jogadores...

Atletas que não tiveram o menor respeito pelo clube...

E os dirigentes da Portuguesa aceitavam passivamente o desprezo...

Finalmente Manuel ontem se revoltou...

E disse não...

Até que enfim...

Ausência de Lucas contra o Santos causa tensão no São Paulo. Perder seu jogador fundamental irritou profundamente Carpegiani…

divulgacao300 Ausência de Lucas contra o Santos causa tensão no São Paulo. Perder seu jogador fundamental irritou profundamente Carpegiani...
O clima está tenso no São Paulo.

Não para a partida de amanhã contra o Goiás no Morumbi.

A preocupação é com o sábado, diante do Santos.

Perder Lucas para a semifinal foi um golpe duro demais para Paulo César Carpegiani.

O treinador perdeu seu jogador fundamental.

É ele quem consegue dar velocidade, mudar o ritmo do time, surpreender as defesas contrárias.

Se pudesse, o técnico perderia cinco titulares e não Lucas.

Embora Ilsinho esteja em momento muito melhor do que quando chegou, Carpegiani tenta disfarçar a tensão.

Sabe que a equipe fica muito mais lenta, previsível sem ele.

E isso pode ser fatal contra o Santos, já que o ponto fraco do time de Muricy Ramalho é a lentidão da sua zaga.

Os médicos do São Paulo nem ousam falar na palavra milagre.

O estiramento na coxa que o garoto sofreu é mesmo para duas semanas de repouso e tratamento.

Seu organismo não suportou a falta de férias no final do ano...

A disputa do Sul-Americano sub-20...

E o louco retorno para disputar o Paulista e a Copa do Brasil...

Amistoso da Seleção principal...

Tudo em seguida, como se Lucas fosse uma máquina...

Os 18 anos não foram suficientes para protegê-lo de tanto desgaste...

Colocar uma multa rescisória de R$ 180 milhões não basta para resguardar o jovem talento...

Ter um empresário tão vivido e esperto que não enxergou o óbvio...

Faltou visão a todos...

O desgaste era evidente...

Médicos, fisiologistas, preparadores físicos alertam que Neymar pode ser o próximo a se contundir...

Está jogando demais...

Mas para o São Paulo a preocupação é ficar sem Lucas...

O garoto jogou várias e várias partidas insignificantes nesse ridículo Paulista e agora está fora...

Exatamente pelo desgaste desses jogos desnecessários...

Um clube que se orgulha do seu planejamento deveria ter feito uma avaliação melhor...

Para não chegar na hora da decisão e ter seu técnico aflito pela ausência de seu jogador fundamental...

Lógico que o São Paulo pode sim ganhar do Santos e ir para a final do Paulista...

Mas sem Lucas será muito mais difícil...

Os jogadores também sabem...

E a culpa é não pode ser repassada para ninguém...

Nem fica bem usar a palavra fatalidade para quem se orgulha do Reffis que ostenta...

Foi pura falta de visão do próprio São Paulo.

Como ele se submeteu a tantos exames constantes e nenhum deles indicou o desgaste excessivo?

Por que médicos fazem sempre o mesmo ar de surpresa com contusões musculares vindas de fadiga?

Que time do Brasil abriria mão de ter Lucas em uma decisão?

Dá para entender muito bem a irritação de Carpegiani...

Palmeiras proíbe jogadores e Felipão de criticar escolha do Pacaembu. Ninguém queria a ‘casa do Corinthians’, mas eles vão se calar…

divulgacao349 Palmeiras proíbe jogadores e Felipão de criticar escolha do Pacaembu. Ninguém queria a casa do Corinthians, mas eles vão se calar...
Para evitar uma crise interna, a ordem no Palmeiras será evitar críticas à semifinal acontecer no Pacaembu.

A diretoria sabe que jogadores e Felipão não queriam de jeito nenhum a partida no estádio municipal.

O treinador já havia levado essa opinião aos dirigentes.

Mas eles tiveram de dobrar à pressão da FPF e da TV Globo.

A emissora não queria deslocar seus equipamentos para o Interior do Estado, como queria Scolari.

Mas Arnaldo Tirone não quer nenhum dos seus funcionários o questionando publicamente.

A ordem é disfarçar.

Ou então fazer como Valdivia.

Uma hora afirmar que o "Pacaembu é a casa deles" e que a vantagem é corintiana.

E na outra, mudar completamente de opinião.

"Para mim tanto faz onde será o jogo."

O discurso a partir desta terça-feira será orquestrado no Palestra Itália.

Mas Felipão ficou profundamente decepcionado com os dirigentes.

Não é problema dele se o Palmeiras já adiantou cotas do Campeonato Paulista de 2014...

E não tem como brigar com a TV Globo...

Os jogadores e o técnico não estão se importando com o fato de o clube ter 95% dos torcedores no domingo...

Eles queriam a partida em qualquer lugar....

Não na casa do Corinthians...

Mas a direção do Palmeiras não teve como tirar de lá...

Mas não aceitará ninguém criticando a sua falta de força...

O maior medo está nas entrevistas de Marcos e Kléber...

Os mais sinceros do grupo...