Ronaldo começa a conhecer a porta dos fundos do Corinthians…

agencia estado214 Ronaldo começa a conhecer a porta dos fundos do Corinthians...
Acabou o conto de fadas de Ronaldo e Roberto Carlos com o Corinthians.

Ele estão sentindo pela primeira vez na carreira o que é ter a própria torcida os ridicularizando.

A dupla nunca sentiu na pele o medo dos torcedores.

E o recado para andar com mais seguranças do que o normal já chegou aos dois.

Ronaldo passou pelo vexame de sair pela porta dos fundos do CT.

Conselheiros corintianos garantem que ele está mais indignado do que com medo.

Assim como Andres Sanches que já avisou a Polícia Militar de São Paulo que está recebendo ameaças de torcedores.

O dirigente passa exatamente pelo passou seu antecessor Alberto Dualib, quando time tinha uma derrota significativa.

E os dois também se assemelham no mesmo erro: o de pensar que dominam os torcedores.

Andres pode ter maior proximidade, já que foi fundador da Pavilhão 9.

Mas na hora da vergonha, todos são iguais.

Ronaldo e Roberto Carlos não vão enfrentar o Palmeiras.

Vão se condicionar melhor fisicamente.

Não há previsão para retorno.

Foi uma boa decisão para os dois fugirem do Pacaembu.

Lá não existe porta dos fundos para escapar.

Ronaldo e Roberto Carlos já asseguraram a Andres que vão tentar se afastar do twitter.

No máximo, se não resistirem, um pedido de desculpas 'aos verdeiros' corintianos.

Também vão evitar a imprensa.

No máximo, uma entrevista para o repórter Mauro Naves da TV Globo, em quem confiam.

A dupla foi mal orientada.

Eles ouviram que o melhor é deixar a poeira baixar.

E a torcida logo vai esquecer.

Só que 2011 acabou para o Corinthians.

O principal objetivo acabou antes de começar, a Libertadores.

Ronaldo fez sua última partida internacional de forma oficial pelo clube.

Agora, só o fraco Campeonato Paulista e, se aguentar, o Campeonato Brasileiro.

Depois, aposentadoria.

Pela porta dos fundos.

Isso se ele não resolver sair do Corinthians.

Ninguém sabe qual será a sua reação se os frustrados torcedores continuarem a perseguição.

Não lhe darem paz quando resolver ir jantar e almoçar nos restaurantes mais caros da cidade.

Onde não é servida comida de atleta.

Andres havia combinado com as lideranças das principas torcidas corintianas que o clima seria de paz.

Mesmo em caso de eliminação.

Como compensação pela compreensão, a tradicional ajuda no Carnaval.

Na confecção de carros alegóricos e fantasias.

Andres nunca escondeu que ajuda mesmo.

Em 2009, o Corinthians jogou contra o Flamengo e parte da arrecadação foi destinada aos torcedores fazerem o Carnaval.

Nesta hora de revolta, essa ajuda compensa, acalma.

Mas há um grupo radical que não aceita esse acordo.

E promete que irá atormentar Ronaldo, Roberto Carlos e Tite enquanto estiverem no Corinthians.

Ronaldo já passou por um grande vexame hoje no CT saindo pela porta dos fundos.

Resta saber ao que mais ele estará disposto para continuar no Corinthians.

O patrocínio com o grupo Hypermarcas garante R$ 1,8 milhão a ele a cada 30 dias.

Mesmo estando gordo, jogando ou não.

O irônico é que novas propagandas estavam para ser feitas para aproveitar a Libertadores.

Elas nunca acontecerão depois da eliminação precoce.

O mais estranho em tudo isso é a postura indignada de Ronaldo.

Ele é muito inteligente, mas parece que não entendeu o que significa a Libertadores para os corintianos.

Palmeirenses, são-paulinos e santistas já a conquistaram.

E atormentam os rivais do Parque São Jorge pelas nove campanhas frustrantes.

Ronaldo foi a maior esperança de conquista.

Foi...

Acabou a tolerância dos torcedores com sua gordura, com seus almoços e jantares com celebridade...

Com o seu poder maior do que qualquer treinador...

Todos se cansaram de ter um jogador a menos em campo...

Tanta badalação, camisetas, navio, caminhão, carro de corrida...

Tudo isso para ganhar o Paulista e a Copa do Brasil de 2009?

Os torcedores passaram a enxergar...

Não foi por acaso que um cartaz fez tanto sucesso hoje no CT.

Era dedicado a Ronaldo.

"Maior salário, maior barriga e menor futebol."

Quando todos foram embora ele ficou caído.

Ao lado garrafas de espumantes baratos.

A bebida foi despejada em direção ao Centro de Treinamento.

Representava a raiva pela festa contínua que a torcida acredita que seja a vida do obeso atacante.

Por isso, Ronaldo...

Saiba que acabou a cegueira...

Para evitar novos vexames...

Se acostume com as portas dos fundos do Parque São Jorge...

Caso você continue no clube, claro...

A Gávea não é longe...

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Anderson Silva e Vitor Belfort. Eu sei quem vai ganhar…

O que seria uma honra virou uma guerra.

A raiva se espalhou pelas academias, pelos fãs.

A guerra entre Anderson Silva e Vitor rompeu o octógono.

Na madrugada deste domingo, a luta principal do UFC 126 provará muita coisa.

A primeira delas é se Anderson está ou não mudado.

A desconfiança é que seu ego o transformou em uma sombra dele mesmo.

Milionário para esta e para a próxima encarnação, ele já havia demonstrado contra Demian Maia sua petulância.

Não quis lutar, só irritar, provocar, desmoralizar os playboys do jiu jitusu.

Ninguém tem culpa se o seu talento absurdo nasceu de uma família pobre demais.

Ele quase cavou a própria cova com o ataque de estrelismo, logo na primeira vez que o UFC foi para o Oriente Médio.

Dana White esteve a ponto de expulsá-lo.

Só não fez porque empresário americano pensa com o bolso e não com o cérebro.

Depois veio a luta contra o dopado Chael Sonnen.

Mesmo com tudo que o americano injetou nas veias e mesmo com a fissura na costela, Anderson não foi Anderson.

A sua postura foi inexplicável.

Se submeteu a várias quedas como se fosse um iniciante, sem nenhuma noção de wrestling.

Caiu facilmente.

O mais interessante foi a vibração da torcida e do próprio staff de Dana White.

Anderson não percebeu que é fantástico, mas persona non grata no UFC.

Quando depois da sova que levou, conseguiu a imobilização nos segundos finais da luta, o Spider venceu.

Mas quase comemorou sozinho.

O UFC o queria destronado.

Já são inacreditáveis 12 vitórias seguidas.

Oito defesas de cinturão.

Ninguém chegou a tanto no esporte.

A categoria médios está a ponto de ser batizada categoria Anderson Silva, já que ele não teria rival à altura.

Os organizadores fazem promessa para que alguém o destrone.

De preferência o humilhando.

Acabando com a sua prepotência.

Exatamente da mesma maneira que Cain Velasquez fez com o gigante da prepotência Brock Lesnar.

E a escolha recaiu em Vitor Belfort.

Dana White queria saber se o garoto fenomenal não estava domesticado.

Tanto dentro como fora do octógono.

O mais jovem campeão em toda a história do UFC.

Teve dois cinturões de campeão: dos pesados e dos meio-pesados.

Sempre teve uma convivência difícil com os organizadores por causa das bolsas das lutas.

Por brigar por equiparação aos grandes ídolos do UFC.

Até porque ele também é.

Se cansou, foi para o Japão.

Fez muito sucesso.

Foi convidado para retornar ao UFC.

Inquieto, se desentendeu novamente.

Tentou o boxe, mas desistiu.

Retornou ao Pride.

Foi suspenso por nove meses pelo uso de testosterona.

Voltou a lutar no Gage Rage e no Affliction...

Seu sucesso foi tão grande que não houve jeito.

Dana White o chamou de volta para o UFC pela segunda vez.

Foi escolhido a dedo para abater Anderson.

Antes, para ver como estava, teve pela frente Rich Franklin.

O americano estava visivelmente com medo de enfrentá-lo.

E o brasileiro o abateu sem problema.

Dana viu que Vitor era mesmo a aposta certa.

E marcou a luta para o UFC 112.

Mas Belfort se machucou e o combate foi adiado para amanhã.

A encarada entre os dois passou dos limites profissionais.

Eles sentiram o que estava em jogo.

Anderson tratou de dizer que a luta não será a do século.

Só seria se ele enfrentasse um clone dele mesmo.

Ele se sente acima mesmo dos demais lutadores...

Victor, esperto, viu na declaração uma oportunidade para chamar o campeão do que muitos o acusam pelas costas.

De mascarado.

Anderson retrucou dizendo que será divertido abater Victor.

Os defensores dos dois lados estão tensos, irritados, preocupados.

Sabem do poder do oponente.

A luta é imprevisível.

Os americanos sentiram que a rivalidade ultrapassa as fronteiras brasileiras.

O combate é manchete no mundo inteiro.

A bolsa de apostas está quebrando recordes.

Os ingressos vendidos.

O pay-per-view está vendendo mais do que creatina nas academias...

A minha aposta?

Não importa.

O que conta será o prazer de ver um paulista e um carioca tão diferentes parando o mundo...

A encarada dos dois na coletiva de imprensa....

Já foi o aperitivo mais interessante servido em todos os tempos do UFC...

(Era o maior aperitivo.

Chegou a pesagem.

Anderson resolveu ironizar ter sido chamado de mascarado por Vitor.

Na encarada final, resolveu colocar uma máscara branca, de verdade.

E não satisfeito, tirou a máscara e passou a xingá-lo.

Ouviu de volta outros palavrões.

Dana White teve de puxar Anderson.

Se não separasse os dois brasileiros a luta aconteceria ali mesmo.

De graça.

E isso ele não quer de jeito algum.

Só por pay-per-view, gerando muito dinheiro, na madurgada de amanhã...)

Leia mais aqui.

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

“Não sou um amarelão. Eu poderia jogar. Quem manda é o Tite”, garante Roberto Carlos.

divulgação9224 Não sou um amarelão. Eu poderia jogar. Quem manda é o Tite, garante Roberto Carlos.
Roberto Carlos já tem traumas demais para carregar.

O pênalti que errou na final do Campeonato Paulista em 1995, quando já estava vendido para a Inter de Milão.

A estúpida tentativa de bicicleta na final entre Brasil e França na final da Copa de 1998.

A ajeitada no meião enquanto a França fazia o gol que eliminou a Seleção em 2006.

Ele não quer ficar com fama de 'amarelão'.

Tanto que resolveu acabar com o acordo que tinha com Tite.

O treinador quis tirá-lo do time que jogaria ontem contra o Tolima.

Alegou que estava parado há três dias.

E que seria melhor para a equipe o vigor de Fábio Santos.

Só que o técnico sabia bem que haveria um alvoroço com a imprensa.

O combinado foi que ele diria que o lateral estaria com dores na coxa direita e ponto final.

O jogador concordou.

Só que ele sabia muito bem: tinha condições de jogar.

A história vazou em Ibagué.

Chegou até São Paulo.

Conselheiros não se conformavam em ver o atleta tão experiente e bem pago fora do jogo decisivo.

A princípio, Roberto Carlos não iria confirmar a história.

Mas quando percebeu os olhares decepcionados dos próprios companheiros de time, de Ronaldo...

Ele resolveu afirmar a verdade.

Não jogou contra o Tolima por opção de Tite.

E ponto final.

Essa situação serviu para desgastar ainda mais o treinador com a cúpula corintiana.

Conselheiros estão possessos hoje à tarde.

Querem sua cabeça de qualquer maneira.

Andres Sanches ainda resiste.

Torcedores independentes resolveram cobrar, protestar, exigir a saída de Tite.

Vão pressionar Ronaldo e Roberto Carlos.

A principal acusação contra o lateral esquerdo não existe mais.

Ele mesmo fez questão de deixar claro.

Só não jogou ontem por causa de Tite.

"Não sou e nunca fui um amarelão.

Eu poderia jogar, não dependeu de mim.

Quem manda é o Tite...", disse o lateral a um amigo assim que chegou a São Paulo com a delegação.

Depois de o time fugir dos torcedores, desembarcando em Campinas e indo para um hotel em Barueri...

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

O Flamengo pode ser a saída honrosa para Ronaldo. Patricia Amorim está esticando o tapete rubro-negro…

divulgação1035 O Flamengo pode ser a saída honrosa para Ronaldo. Patricia Amorim está esticando o tapete rubro negro...
Foram necessárias duas Libertadores seguidas para o corintiano começar a enxergar.

Reparar que um jogador gordo, parado, exigindo bolas só atrapalha.

No futebol moderno é um peso morto.

Pode ter o nome que for.

O currículo maravilhoso.

Tomar chá com o Papa, ser visitado por Tom Hanks, bebericar com Paris Hilton.

Ser o garoto-propaganda capaz de atrair centenas de milhões de reais.

O que interessa é o que produz em campo.

Ainda mais na Libertadores.

Dentro do campo, Ronaldo já não tem o que fazer pelo Corinthians.

Depois do vexame histórico em Ibagué, ele deveria buscar outros caminhos.

Se divertir à vontade com o sensacional patrimônio que seu talento conseguiu lhe dar.

Viajar, dançar, comer e beber o que quiser.

Fumar charutos à vontade.

Sem ninguém controlando a sua vida, o criticando.

Ele já havia programado o seu final de carreira para 2011.

É o máximo que suas articulações e sua paciência suportam.

Isso para andar em campo.

Ele deveria tentar se informar sobre os finais da carreira de Rivellino, de Tevez no Parque São Jorge.

Analisar com seus executivos da 9ine como esses dois grandes ídolos saíram do Corinthians.

E nenhum deles deu tanta esperança para os torcedores corintianos.

Ronaldo sabe que fez o que desejou no clube.

Com a cumplicidade de Andres e dos treinadores corintianos, Mano Menezes, Adilson Batista e Tite...

Treinou quando quis, jogou as partidas que escolheu, colocou Jorge Henrique e Dentinho para correrem por ele...

Bruno César sabe muito bem porque não esteve em campo ontem...

Estava chutando demais para gol, fazendo Ronaldo gastar muita energia pedindo bolas que não chegavam...

Quando acertou seu contrato com o Corinthians foi notícia no mundo todo.

Depois, pela falta de preparo físico, acabou motivo de chacota pela imprensa de todo o planeta.

Um profundo desrespeito à sua carreira e aos envergonhados torcedores corintianos que fingiam não ver...

O rei estava nu há muito tempo.

Não ficou gordo com a comida colombiana.

Andres Sanches dava de ombros e repetia que ele é o "jogador mais barato do mundo".

Ele se referia ao dinheiro e a mídia espontânea que trouxe ao Parque São Jorge.

Por contrato com o grupo Hypermarcas, Ronaldo tem de ficar até o final do ano para o clube receber o patrocínio...

Ou melhor...

Deveria.

A eliminação na Pré-Libertadores pode mudar essa obrigatoriedade.

A saída de Ronaldo seria um grande prejuízo para o Corinthians...

Mas a sua permanência também.

Talvez maior...
Para o time.

O que será que interessa mais à diretoria que jura ter vindo das arquibancadas?

Ronaldo não é nada bobo.

Ele sabe a rejeição que terá de enfrentar se continuar em São Paulo.

Oportunista, a presidente do Flamengo, Patricia Amorim estica a mão.

Lhe abre as portas do clube do seu coração.

Para o marketing, sempre esse tal de marketing, seria sensacional tê-lo ao lado de Ronaldinho Gaúcho...

Ronaldo sabe como o dentuço foi tratado ontem no Engenhão...

E tem idéia de como será tratado daqui por diante...

Há pessoas no seu convívio que já recomendaram uma última parada na Gávea antes de encerrar a carreira.

Ele não tem mais o que fazer no Parque São Jorge.

Conselheiros ligados a Andres recomendam um grande acordo de cavalheiros, a troca de beijos e...adeus...

Torcedores do mundo inteiro são volúveis desde que nasceram...

Trocavam de admiração por gladiadores na Antiga Roma...

Esse gladiador gordo não é mais bem-vindo no Parque São Jorge...

E desejado na Gávea...

Patricia Amorim está esticando o tapete vermelho a ele...

Logo após a eliminação do Corinthians da Libertadores só se falava isso na empolgada diretoria flamenguista.

E vai entrar em contato com o jogador.

Ele nunca escondeu que o sonho da sua vida era vestir a camisa do time carioca.

Ronaldo deveria aproveitar a cegueira coletiva da torcida rubro-negra, louca para perdoá-lo...

Porque os corintianos passaram a enxergar, e muito bem, ontem à noite...

E vão cobrá-lo como ele nunca foi em toda carreira...

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

O maior vexame do Corinthians na história da Libertadores tem dono: Andrés Sanchez…

divulgação227 O maior vexame do Corinthians na história da Libertadores tem dono: Andrés Sanchez...
Logo no dia 2 de fevereiro acabou o ano para o Corinthians.

Liédson terá todo o Campeonato Paulista para se divertir.

Não precisa se preocupar com a Libertadores da América.

Ela acabou antes de começar para o Corinthians.

Ronaldo não foi suficiente, não deu o campeonato mais sonhado pela torcida.

Gordo, ineficiente, atrapalhando o time, a sua última partida na competição será inesquecível para o corintiano.

Mas o bom é que ele poderá continuar a almoçar e jantar com artistas.

Que regime, o quê?

Para quê?

Quando deveria estar magro, disputar a sério a Libertadores, não estava.

Agora não precisa.

O presidente sempre o quis para atrair patrocinadores, dinheiro.

Se esqueceu do futebol, cobrar gols.

Principalmente o título que a torcida tanto sonhava.

Mas sobra tempo para twittar à vontade...

O time de Tite e de Andrés Sanchez conseguiu fazer história.

Foi o primeiro clube brasileiro a ter a capacidade de ser eliminado na Pré-Libertadores.

O Tolima fez o que quis em Ibagué e venceu por 2 a 0.

Não há desculpa.

Foram dois jogos.

180 minutos contra os colombianos.

E eliminação justa, justíssima...

Desde a chegada no final do Brasileiro, ficou claro que Tite nunca foi o técnico indicado para assumir o cargo.

Ele ganhou o cargo de presente pela amizade que tem com Andrés.

O presidente corintiano quis corrigir o enorme erro de ter dado o time a Adilson Batista.

Substituiu mal Mano Menezes.

E pior ainda Adilson.

Tite estava em uma péssima fase.

Depois de decepcionar no centenário do Grêmio, estragou o do Internacional.

Estava sem mercado no Brasil.

Foi para o Oriente.

Andres ofereceu o cargo mesmo assim.

Queria corrigir a lamentável demissão de Tite por Kia Joorabchian, nos vestiários.

Ainda na época da MSI.

Tite não soube o que fazer com o grupo experiente, cansado.

Andres não conseguiu enxergar um palmo à sua frente.

Liberou o melhor jogador corintiano.

Não dito por mim, mas por Ronaldo.

Ele pediu para que Elias não fosse liberado.

Adiantou?

O jogador queria ir para ganhar mais dinheiro.

Cadê a capacidade do dirigente de segurá-lo pelo menos na Libertadores?

O time perdeu Elias e a experiência de William.

Leandro Castan ganhou a posição ao lado de Chicão.

Com enorme prejuízo ao time.

A defesa passou a ser um grande ponto fraco.

Roberto Carlos sentiu a contusão na coxa direita e não pôde jogar contra o Tolima.

Fábio Santos, quase apedrejado pela torcida do Grêmio, foi contratado.

E jogou no lugar de Roberto Carlos.

Deu no que deu.

E pelo setor esquerdo, dos dois abriram a porteira para o Tolima.

Com a zaga fazendo linha de impedimento, batizada por propriedade de linha burra, o Tolima fez o primeiro gol.

Chicão deu condição de jogo.

E destruiu os frágeis nervos do time.

O peruano Ramirez foi expulso como uma criança no seu primeiro lance no jogo.

Deixou o Corinthians com dez jogadores.

E logo em seguida, o pior.

No segundo gol, um mero cruzamento que a zaga assistiu.

E adeus Libertadores, antes mesmo de começar.

Andres Sanches bateu no peito que conseguiu o estádio corintiano.

Seus inúmeros companheiros de diretoria queriam que ele fosse conhecido como o melhor presidente corintiano da história.

Será?

O clube deve mais de R$ 100 milhões.

Ganhou com ele o Campeonato Paulista e a Copa do Brasil de 2009 e só...

No centenário do Corinthians, o clube não venceu sequer uma competição.

Fracassou no Paulista, na Libertadores e no Campeonato Brasileiro.

Tinha a chance de ganhar o título nacional.

Mas desde a chegada de Tite, o time parou de atacar.

E só disputou a Pré-Libertadores porque fracassou contra reservas do Goiás, empatando a partida.

Deixou de ser campeão para a terceira colocação, que levou o time para Ibagué.

A grande sorte de Andres é a sua enorme ligação com os comandantes das torcidas uniformizadas.

Só essa aliança que evitou à última hora protestos depois do empate com o Tolima no Pacaembu.

E sorte também que o Carnaval está próximo.

E a torcida conta com o apoio da diretoria para montar seus carros alegóricos.

Só por isso, os protestos de amanhã acontecerão.

Mas não da maneira veemente que acontecia no Corinthians.

É preciso entender porque as coisas estão calmas.

A premonição de Andrés Sanchez foi perfeita.

O desembarque do Corinthians será em Campinas.

Tudo foi acertado antes do jogo contra o Tolima.

Embora disfarçasse, o presidente sabia que time havia escolhido para representar o Corinthians.

Mesmo assim, ele tinha uma esperança prepotente de contratar reforços de verdade depois da Pré-Libertadores.

Agora ele que descubra o que fazer com o dinheiro economizado.

E que Liédson dispute com todo o prazer o paulistinha.

E que Andres tenha coragem de fazer o que precisa fazer.

Não tem cabimento manter Tite...

Aliás, ele poderia até deixá-lo comandando o clube.

O que tinha para perder em 2011 ele já perdeu...

Assim como fez em 2010...

Parabéns Andrés Sanchez, pré-candidato à presidência da CBF...

À prefeitura de São Paulo pelo PT...

Parabéns...

Você conseguiu o que parecia impossível...

Acabou com 2011 de quem ama o Corinthians no dia 2 de fevereiro...

Parabéns...

E agora?

Como o departamento de marketing vai aproveitar essa derrota para vender algumas camisetas?

(Andrés Sanchez acaba de dar entrevista.

Disse que se mantivesse Tite seria chamado de burro.

Se o demitisse também.

Então, preferiu mantê-lo como treinador corintiano.

Lavou as mãos.

Tite disse que não pede demissão.

Enquanto isso conselheiros ligados a Andrés vão pressioná-lo para tentar fazer Parreira voltar a treinar.

E outros defendem uma proposta para Abel Braga.

O ambiente para Tite no retorno da delegação será o pior possível...

Domingo, no Pacaembu, o jogo é com o líder do Paulista, o Palmeiras...)

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Ricardo Gomes um técnico gentil demais para o Vasco da Gama… para o Brasil…

divulgação53 Ricardo Gomes um técnico gentil demais para o Vasco da Gama... para o Brasil...
Acabo de falar com uma pessoa que acompanhou toda a trajetória de Ricardo Gomes no São Paulo.

Alguém vivido no futebol.

Ele me confirma que, na sua opinião, não existe homem mais "distinto e de princípios" no futebol brasileiro.

Homem de caráter, digno até na hora de dar as broncas nos jogadores.

De preferência na sua sala, com tom de voz baixo.

Ele me diz que Ricardo cobrou vários jogadores importantes e ninguém ficou sequer sabendo.

Assumiu o São Paulo no lugar de Muricy Ramalho.

Mas sem a alma de Juvenal Juvêncio.

Ele estava entregue na busca de fazer do Morumbi palco da abertura da Copa do Mundo.

E quanto mais dificuldades ele encontrou na CBF e na Fifa, o Juvenal teimou.

A ponto de deixar Ricardo Gomes entregue à frágil proteção do vice-presidente de apelido Leco.

Depois dos gritos, dos palavrões de Muricy, a educação de Ricardo Gomes foi mal interpretada.

Os jogadores se sentiram à vontade demais.

Tiveram saudade das cobranças em voz alta.

"Jogador de futebol é um ser estranho.

Detesta cobrança.

Mas não suporta mesmo é ser bem tratado."

Quem disse isso foi Cruyff.

O holandês odiou a transição de um jogador genial a um treinador ríspido.

O São Paulo sem dinheiro para contratações e sob uma pressão enorme.

Fracassou na tentativa da conquista do Brasileiro de 2010.

O que significaria a vitória da infraestrutura e não do treinador, o tricampeão Muricy Ramalho.

Depois outro vexame no Paulista.

Eliminação fácil demais para o Santos de Neymar e Ganso.

As forças ficaram para a Libertadores.

Ricardo Gomes foi o comandante na vergonhosa atuação do time contra o Inter em Porto Alegre pelas semifinais.

Poucas vezes o São Paulo foi tão covarde.

Na volta, a eliminação da final da Libertadores em pleno Morumbi.

Juvenal Juvêncio jurou que não iria demitir o "Francês", como era chamado por conselheiros poderosos no Morumbi.

E não o demitiu.

Esperou apenas definhar.

Quando acabou seu contrato foi embora do clube, em agosto.

Desde então ficou desempregado.

Foi procurado por Roberto Dinamite depois das recusas de Carlos Queiroz e Dunga.

Ele aceito o desafio de assumir um grupo fraco formado por jogadores limitados e veteranos sem comprometimento.

A dívida já passou dos R$ 400 milhões.

Dinamite quer Ricardo Gomes reconstruindo o futebol do clube.

A escolha foi controversa.

Outra vez pesou o regime presidencialista.

Dinamite definiu e ponto final.

Ricardo Gomes terá de enfrentar o problemático Carlos Alberto, como primeira missão.

Difícil situação.

Ainda mais para quem não está acostumado com o enfrentamento.

No auge da crise no São Paulo, ele teve um AVC.

Voltou antes do tempo recomendado pelos médicos.

Mas nem o gesto heróico despertou a simpatia dos dirigentes.

O respeito dos jogadores.

Ricardo Gomes só dará certo como treinador quando aprender a se impor.

No teatro do futebol a liderança de um grupo é conquistada aos gritos, aos murros na mesa.

Não com elegância.

Infelizmente é assim.

Talvez não na França, onde ele venceu a Copa da França, a Copa da Liga Francesa e o Troféu dos Campeões Franceses.

E no Brasil só venceu a Copa do Nordeste em 1999.

Aqui realmente é diferente.

Broncas, cobranças só aos gritos e na frente dos outros jogadores, com preferência perto de alguém da imprensa...

Aqui é assim...

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

A última chance de o Brasil ter Ronaldinho Gaúcho…

divulgação19 A última chance de o Brasil ter Ronaldinho Gaúcho...
Entre o Corinthians jogar o seu futuro em 2011 e apenas um jogador, a TV Globo ficou com Ronaldinho.

A emissora mostra para muito mais da metade do País Flamengo e Nova Iguaçu.

O lado B da rede transmite a Libertadores.

São Paulo e poucos estados ficam com o Corinthians.

Rio Grande do Sul com o Grêmio.

A Band, com Palmeiras e Mirassol mesmo...

Nestes tempos em que a emissora líder do Brasil perde audiência a cada dia, a opção foi pelo Flamengo.

Ou seja, para os executivos da tevê, a chance de show, de prender o telespectador está no Engenhão.

Nos cravos das chuteiras de Ronaldinho Gaúcho.

E não no pressionado time montado por Tite.

O auge da loucura deste jogo está na imensa bandeira que a torcida flamenguista confeccionou.

É para corroer de inveja todos os agentes da Fifa do mundo.

Os torcedores optaram por desenhar o rosto de Assis, irmão de Ronaldinho.

É o agradecimento pela vitória no leilão que ele tão bem soube fazer para levar o jogador à Gávea.

Para não aumentar o preço dos ingressos logo de cara, a diretoria aumentou o Engenhão.

Passou a 42 mil lugares.

Os torcedores que se apertem para ver a estrela.

Para que conforto ou segurança?

A venda dos ingressos foi caótica como sempre, com pessoas passando horas e horas em pé, sem água, banheiro perto.

Mas o que vale é a festa.

E o adversário foi escolhido cuidadosamente.

Se Ronaldo colocou pela primeira vez a camisa do Corinthians contra o Itumbiara.

Rivaldo, vestirá contra o Linense.

Por que não o Nova Iguaçu para o dentuço?

Aliás, até Josué Teixeira, treinador do grande rival, resolveu dar a sua singela colaboração.

A equipe está invicta no Carioca com dois empates e duas vitórias atuando no 4-5-1.

Com tantos holofotes, ele resolveu montar a equipe no 4-4-2.

Vamos dar mais espaço para o Ronaldinho Gaúcho no meio do campo.

Assim estão garantidos os seus toques de calcanhar, seus dribles desconcertantes...

Luxemburgo já assegurou que o jogador terá toda a liberdade possível.

Diante do seu fraco estado atlético, ele não precisa voltar da intermediária para trás.

Se quiser água, qualquer companheiro levará.

Não precisa nem ir ao banco de reservas para não se desgastar.

Depois de dez anos fora do país, ele retorna.

Não tem o mesmo vigor quando foi escolhido como melhor do mundo por duas vezes.

Mas, provocações à parte, fará um bem ao nosso futebol tão carente de ídolos.

O País parar para acompanhá-lo jogando é uma demonstração disso.

Na Europa ele era uma estrela.

Mas entre tantas.

Aqui temos duas: Ronaldo e ele.

Por isso, o desejo é que o irmão de Assis não decepcione.

Não frustre tanta esperança.

Não só da torcida do Flamengo, a carioca...

Paulistas, gaúchos, amazonenses...

Todo o País espera muito de Ronaldinho Gaúcho.

Dentro de três anos e meio iremos promover a Copa.

Mostrar para o mundo o talento da nossa Seleção.

Se ele se levar a sério, conseguir se segurar, terá sua chance de se redimir com a camisa verde e amarela.

E reverter até quem decepcionou tantas vezes, como Zagallo.

"O Ronaldinho nasceu para clubes e não para a Seleção", me disse várias vezes.

"É uma verdade. Ele nunca rendeu a mesma coisa que no Barcelona, por exemplo.

E nós fizemos tudo, colocamos para jogar em várias posições", relembra Parreira.

Dunga preferiu ficar sem um reserva na meia a levá-lo para a Copa da África.

O descrédito foi Ronaldinho Gaúcho mesmo quem cultivou...

Suas festas, farras intermináveis...

A perda de explosão muscular...

De velocidade...

Não foi precoce...

Foi de acordo com as noites sem dormir...

Ele havia esquecido que era humano...

Se não fosse assim, não estaria no Brasil, jogando no Engenhão contra o Nova Iguaçu.

Estaria em Milão, Madri, Londres, Barcelona, Turim, Munique.

A vida é generosa demais com Ronaldinho Gaúcho.

Ele já viveu 30 anos a mil...

Que passe três anos e meio com sabedoria.

Dosando suas festas e farras com treinamentos sérios.

O Brasil não quer um outro santo como Kaká.

Apenas que o jogador mais talentoso do mundo se leve a sério...

Por isso o País vai parar para assistir sua estréia.

As mãos estão coçando...

Por falta de ter quem aplaudir nos nossos carentes estádios de futebol..

Que as palmas sejam para você Ronaldinho Gaúcho...

O sonho é vê-lo capitão da Seleção em 2014 recebendo uma certa taça que foi embora há cinco anos.

Só depende de você...

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Corinthians: eliminação diante do Tolima vale R$ 8 milhões ao Corinthians…É bom rezar…

divulgação210 Corinthians: eliminação diante do Tolima vale R$ 8 milhões ao Corinthians...É bom rezar...
Em Ibagué há um brasileiro feliz.

Ele tem o apelido de Tite.

Soube pelos jornais da televisão local que o Tolima irá atacar o Corinthians.

Quase abandona a concentração para agradecer aos céus.

É tudo o que ele queria.

Na partida de hoje, poderá sair da pressão que já domina o Parque São Jorge.

Conselheiros que almoçam e jantam com Andres Sanches querem a cabeça de Tite em uma bandeja de prata.

Não o consideram o treinador certo para o Corinthians,.

A seqüência dos frustrantes empates diante de Bragantino, Noroeste, Tolima e São Bernardo irritou a direção do clube.

A péssima distribuição tática fez com que Tite perdesse moral.

Mas as suas substituições inexplicáveis atraíram todo tipo de canhões para sua cabeça.

Logo no dia 2 de fevereiro, o Corinthians tem seu jogo mais importante do ano.

Uma derrota e adeus Libertadores, antes mesmo de começar.

Tite perdeu Roberto Carlos, com uma lesão.

Vai colocar em campo Fábio Santos, lateral que a torcida do Grêmio aprendeu a vaiar e odiar.

Mas será no meio que Tite fará a mudança que tanto desejava.

Com a desculpa que o Tolima partirá para o ataque, ele tirará do time Bruno César.

O técnico percebeu o que aconteceu na primeira partida contra os colombianos.

Cobrado publicamente por Ronaldo pelos chutes a gol de qualquer distância, o irritado meia radicalizou.

Resolveu não chutar a gol e procurar o atacante em toda bola que caísse nos seus pés.

Ficou ridículo.

Só não viu quem não quis.

Foi a desculpa perfeita para tirar o genioso meia para colocar o volante Paulinho.

Pronto...

Tite deu um bico no esquema que não era seu, era de Mano Menezes.

Ele detesta essa história de 4-3-3, que Ronaldo, a imprensa e a diretoria estavam exigindo ver o Corinthians.

Nada como o que considera seguro, equilbrado 4-4-2.

Jorge Henrique atuará mais recuado e na frente Dentinho tentando abrir espaço pelas laterais.

Ronaldo?

Parado, como sempre, esperando uma sobra, uma bola que caia nos seus pés.

No meio, Ralf terá o auxílio de Paulinho.

E Jucilei poderá tentar ajudar o ataque de maneira mais consciente, sem dor na consciência.

Na Colômbia, Tite conversou muito com Chicão e Leandro Castán.

Ele tem muito medo que os dois repitam a marcação em linha do Pacaembu.

E que se arrisquem tentando fazer linha de impedimento.

Os atacantes do Tolima já perceberam e vão tentar explorar essa arma hoje.

Vale lembrar que em São Paulo os colombianos marcaram um gol legítimo anulado.

Alessandro e Fábio Santos estão condicionados a só atacarem quando a defesa estiver preparada.

Tite quer os contragolpes.

E a diretoria, dinheiro.

Ser eliminado da Pré-Libertadores iria muito além da vergonha.

Ter a desonra de ser o primeiro clube brasileiro eliminado nessa fase é pouco.

As gozações importam para os torcedores.

Andres Sanches e os dirigentes querem saber do dinheiro em jogo.

Se o Corinthians fracassar e for eliminado pode deixar de embolsar pelo menos R$ 8 milhões.

Em 2010, a primeira fase da Libertadores valeu R$ 6 milhões.

Neste ano, os ingressos foram majorados, estão bem mais caros.

O prejuízo poderia até ser maior, imaginando que o clube se classificasse para as oitavas-de-final da competição.

Ou seja: cair em Ibagué teria conseqüências terríveis para o planejamento de 2011.

Só para lembrar alguns dados que marcam a discrepância entre um e outro clube.

A folha de pagamento do Tolima é de cerca de R$ 500 mil.

Um terço do salário de Ronaldo.

A folha corintiana é de mais de R$ 5 milhões.

Arrecada por ano com publicidade R$ 1 milhão.

O Corinthians R$ 52 milhões.

Por tudo isso, Tite está brincando com fogo.

Precisa muito que sua principal estratégia dê certo.

Que o clube brasileiro consiga encaixar alguns contragolpes.

Caso contrário, uma eliminação iria bem além do vexame.

Seria uma ferida mortal no bolso corintiano.

Justo no último ano de Andres Sanches na presidência.

O povo de Ibagué nem imagina tudo que estará em jogo hoje à noite.

Talvez seja melhor não saber...

Ao contrário da torcida corintiana que desconfia...

E pede desesperadamente aos céus que Adenor esteja certo...

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Os argentinos ensinaram o caminho da Libertadores para o Inter. E gostaram…

divulgação0003 Os argentinos ensinaram o caminho da Libertadores para o Inter. E gostaram...
Eles ganham tanto ou até mais do que receberiam na Europa.

Mas pelo menos três ou quatro vezes do que ganhariam na Argentina em crise.

E ficam pertinho do país em que nasceram e que amam.

Por outro lado dão ao clube que os contratou a raça, a malícia, a catimba, a milonga.

Elementos fundamentais em uma competição que a todos fascina: a Libertadores.

"Vale o investimento.

É o melhor custo/benefício que podemos fazer."

O resumo é do presidente do Internacional, Giovanni Luigi.

Ele sabe do que está falando.

O Inter conquistou a Libertadores de 2010 com excelentes participações de Guiñazu e D'Alessandro.

O clube se arriscou e conseguiu trazer Cavenaghi.

Atacante de prestígio, que aceitou trocar o Mallorca pelo time brasileiro.

Aceitou os conselhos de D'Alessandro, que também nasceu no River Plate.

Apenas 1063 quilômetros separam Porto Alegre de Buenos Aires.

Os jogadores se sentem em casa no Beira-Rio.

"O intercâmbio de idéias entre brasileiros e argentinos é importante para fortalecer o time.

Os jogadores dos dois países são técnicos, mas cada um têm sua característica.

E eles acabam se completando.

A mistura foi ótima para o Inter", diz Celso Roth.

Um fator fundamental que faz a receita dar certo é o Internacional não aceitar ser apenas uma ponte.

Um pedaço da pista do aeroporto para a Europa.

Aceitou jogar no colorado tem de assinar e cumprir longos contratos.

Pablo Guiñazu desde 2007 frequenta o Beira-Rio.

O garoto-enxaqueca D'Alessandro chegou em 2008.

Nem mesmo os jogadores esperavam que iriam ficar tanto tempo em terras gaúchas.

"A infraestrutura do Inter não deixa nada a dever aos clubes europeus.

Para jogar em clubes pequenos na Europa e não ter chance de conquistas, eu fico aqui.

E muito feliz", disse D'Alessandro.

Seu raciocínio é lógico.

E também fundamentado no dinheiro.

A crise financeira na Argentina faz com que o real valha o dobro do que o peso.

Os salários que o Inter oferece são bem satisfatórios para os hermanos.

Os bônus para conquistas como a da Libertadores fazem que eles se dediquem com o coração pela integração.

Jornalistas que cobrem o dia-a-dia do Inter revelam que a camaradagem entre brasileiros e argentinos é enorme.

E um dos segredos do time.

Para animar ainda mais a todos, os treinadores da Seleção Argentina começaram a olhar para os que estão aqui.

A convocação de D'Alessandro para o jogo contra o Brasil foi vista como o reconhecimento que faltava.

Um argumento poderoso para buscar novos jogadores.

Pesou muito com Cavenaghi.

E o fez parar de passar vexame com o fraco Mallorca no Campeonato Espanhol.

Ele veio sonhando em ser visto por Sergio Batista em um time poderoso, onde a bola chegará e ele poderá marcar gols.

O Internacional tem os três mais ainda busca um quarto argentino.

O volante Bolatti, reserva da Fiorentina.

Ele estava sendo cobiçado por clubes da Inglaterra.

Mas a janela entre clubes europeus foi fechada ontem e ele ficou.

O Inter quer comprar 80% dos seus direitos federativos e ofereceu 5 milhões de euros.

O jogador está indeciso.

O celular de D'Alessandro deve voltar a fazer novas ligações internacionais...

Só três jogadores estrangeiros podem jogar ao mesmo tempo no Brasil.

Mesmo assim, a direção do Inter descarta fazer o sonho dos são-paulinos e repassar Guiñazu.

A filosofia, depois da conquista da Libertadores de 2010, é simples, direta.

Quanto mais argentinos, melhor.

E se Bolatti for contratado, o colorado terá quatro hermanos para brigarem pelo bicampeonato do Continente.

Esse time deve ser levado muito a sério...

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

“A Fifa não vai reconhecer o pré-contrato de Maikon Leite com o Palmeiras. Eu sou o representante legal do jogador. E posso provar”, garante Angelo Pimentel


vigencia normal1 A Fifa não vai reconhecer o pré contrato de Maikon Leite com o Palmeiras. Eu sou o representante legal do jogador. E posso provar, garante Angelo Pimentel

Clique na imagem para ampliar

Maikon Leite.

Um único jogador foi capaz de jogar o Santos contra o Palmeiras.

A história é conhecida.

Ele surgiu como grande revelação no Santo André.

Foi contratado pelo Santos.

Mal começou a mostrar habilidade, velocidade e inteligência quando rompeu todos os ligamentos do joelho direito.

Muitos médicos diziam que seria difícil a sua volta ao futebol.

Pelo menos jogando no mesmo alto nível.

Conseguiu o 'milagre'.

Mas, logo em seguida, os ligamentos cruzados do mesmo joelho direito não suportaram e se romperam.

Mais seis meses parado.

Voltou no início de 2010.

Foi justo o ano de Neymar e Ganso.

Maikon Leite, traumatizado pelas contusões, não conseguiu jogar bem e foi muito mal aproveitado.

Foi emprestado ao Atlético Paranaense.

Foi muito bem.

Mas se sentiu desprezado pelo Santos.

Recebeu proposta do Palmeiras e assinou um pré-contrato.

A diretoria santista agiu como um namorado vaidoso prestes a ser abandonado pela chata e feia que infernizava a sua vida.

Comprou flores, o chocolate preferido, colocou perfume, acenou com muito dinheiro e pediu para ficar.

Maikon se arrependeu e não quer ir para o Palmeiras.

Só que os dirigentes do Palestra Itália não admitem liberá-lo.

A multa é de R$ 5 milhões, se ele quiser ficar na Vila Belmiro, adianta o departmento jurídico.

A saída pode vir de onde menos se espera.

"A assinatura do pré-contrato do Maikon Leite com o Palmeiras não tem validade.

O vínculo dele comigo vai até 2012.

Sou agente Fifa e não um aventureiro.

O Maikon se deixou levar por uma outra pessoa para o Palmeiras.

Esse cidadão se apresentou como representante legal do jogador, mas ele não é.

Tenho os documentos para provar."

A revelação é do empresário Ângelo Pimentel, de Belo Horizonte.

Angelo, o que aconteceu para o Maikon ir para o Palmeiras sem te consultar?

Ele foi para lá por uma pessoa que não tem a menor poder legal para isso.

Assinou o que não poderia.

Simples assim.

Você vai tomar alguma providência?

Eu só quero que o jogador cumpra o que assinou.

Nós temos uma ligação que vem desde a época que ele foi do Santo André para o Santos.

Sou um agente Fifa e não estaria falando com a imprensa e mostrando documentos à toa.

Essa negociação com o Palmeiras não poderia ter sido feita.

A empresa Luppi tem 80% dos direitos federativos do Maikon Leite?

Sim.

E fui eu o representante da empresa quando ela adquiriu essa porcentagem dos direitos do jogador.

Por isso eu posso falar com toda a certeza que a situação não está resolvida como o Palmeiras garante.

Sem a minha assinatura, a transação não tem validade legal...

Eu avisei o Palmeiras para pedir provas da pessoa que se dizia representante do Maikon.

Mas dirigentes no Brasil são fáceis de enganar.

Mandei carta para o Gilberto Cipullo.

Mandei para a diretoria santista também.

Mas ninguém quis me ouvir...

A entrevista com Ângelo Pimentel, que já foi representante de Gilberto Silva, entre outros, termina aqui.

Procurei um advogado neutro, para analisar a situação.

E ela é complicada.

"Pelo lado esportivo, o Palmeiras pode alegar que o pré-contrato é válido.

O procurador do Maikon Leite não pode ser dono dele, um jogador pertence a um clube.

Nós sabemos que vários empresários e agentes são donos de atletas.

Mas eles os registram em uma equipe e legalmente está tudo certo.

O procurador do Maikon, não.

O fato de ser agente da Fifa, ter contrato assinado e tudo mais é munição para o Santos, sem dúvida.

Mas na área esportiva, a luta será terrível, quase perdida.

Na justiça comum, o procurador pode reivindicar a sua participação financeira na transação.

Ele tem contrato assinado.

A situação continua bastante complexa para o Santos.

Mas não deixa de ser um alento o contrato em validade com outro empresário do Maikon Leite."

A análise foi feita pelo experiente advogado João Zanforlin que representa há anos o Corinthians...

As nuvens cinzentas mostram que pode chegar uma longa luta jurídica entre Palmeiras e Santos...

assinatura blog2 A Fifa não vai reconhecer o pré contrato de Maikon Leite com o Palmeiras. Eu sou o representante legal do jogador. E posso provar, garante Angelo Pimentel

Clique na imagem para ampliar

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7