Mal desembarcou no Rio e Felipe começou a ser Felipe…O substituto de Bruno…

divulgação92 Mal desembarcou no Rio e Felipe começou a ser Felipe...O substituto de Bruno...
Começou...

Mal desembarcou no Brasil, no final da noite de ontem, foi logo avisando.

Quer ganhar os quatro campeonatos que o Flamengo vai disputar em 2011.

Campeonato Carioca, Copa do Brasil, Sul-Americana e Campeonato Brasileiro.

O goleiro pode até parecer, mas não é um alienado.

Ele tem a nítida convicção de que o Flamengo passa por uma profunda reformulação.

O que falou foi pura demagogia.

Com dívidas de mais de R$ 300 milhões, o clube carioca contratou um argentino Darío genérico de Conca.

O meia Vander, revelação do Bahia, que estava na segunda divisão.

E... Felipe.

Com esses três jogadores, o time de Luxemburgo, que quase foi rebaixado, não pode sonhar alto.

Mas Felipe precisava falar alguma coisa, cercado de repórteres no Rio de Janeiro.

Ele nunca foi de perder a chance de ter microfones perto da boca.

E o goleiro, que foi muito mal no Braga, voltou ao Brasil.

A carreira internacional que desejava tanto fazer, a ponto de abandonar a concentração do Corinthians para concretizá-la, se mostrou um fiasco.

Em menos de seis meses, ele está de volta.

A presidente Patricia Amorim já foi alertada por Andrés Sánchez .

"Ele é um mau caráter", disse o presidente corintiano.

Ele afirma que seu maior arrependimento foi ter mantido Felipe depois do rebaixamento do clube.

"Goleiro com dois rebaixamentos na carreira, saiu corrido do Vitória e pela porta de trás do Corinthians.

Que jogador é esse?", perguntou o dirigente.

Para se prevenir, Amorim fez com que o jogador assinasse o contrato com uma cláusula 'pé atrás'.

Em qualquer caso de indisciplina, o clube carioca se resguarda o direito de terminar o vínculo profissional.

Mandá-lo embora sem ter de pagar nada.

Confusão dentro ou fora do Flamengo vale.

Isso porque Patricia Amorim soube da denúncia na imprensa portuguesa de que ele teria agredido a ex-namorada.

Tudo que a presidente não quer é um jogador que bata em mulher.

Ainda mais depois do caso Bruno.

Felipe não teve outra saída a não ser assinar.

E Luxemburgo também conversou com ele.

O treinador disse que foi quem garantiu à presidente que estava fazendo o certo.

Um bom goleiro, barato.

O clube carioca só pagará R$ 280 mil por um empréstimo de um ano...

Felipe jurou que não decepcionará Luxemburgo.

Não jurou que não frustraria a torcida.

Mesmo o mais fanático, o mais alucinado rubro-negro sabe que não há a menor condição de o clube ganhar os quatro títulos de 2011.

É conversa para a boiada dormir.

Melhor do que florais de Bach na veia...

Para ganhar manchetes fáceis no preguiçoso final de ano sem grandes novidades.

Demagogia pura.

Chegou o substituto de Bruno no Flamengo: Felipe...

Há um ano e meio sem ganhar nada, São Paulo, Corinthians e Palmeiras apelam para o desprezado Paulistinha…

divulgação03 Há um ano e meio sem ganhar nada, São Paulo, Corinthians e Palmeiras apelam para o desprezado Paulistinha...
A diretoria do Palmeiras, orgulhosamente ostenta o Campeonato Paulista de 2008.

A do São Paulo tem orgulho do Brasileiro de 2008.

E Andres Sanches e seus companheiros ainda vibram com a Copa do Brasil de 2009.

Ou seja: a última conquista do 'trio de ferro' do futebol paulista tem um ano e meio.

Desde então, só acumulam fracassos e frustrações.

Sem dinheiro para grandes contratações, qual a saída para disfarçar a incompetência?

Siiiiiiiim....O velho e desvalorizado Campeonato Paulista.

Torneio que em 2010, por exemplo, Juvenal Juvêncio e Andres quase fizeram novenas para se livrar.

Era mais um obstáculo para a conquista da Libertadores.

Ah, se eles soubessem das desclassificações em casa que os aguardavam...

O Palmeiras não conseguiu sequer a classificação para as semifinais...

"Dizem que o Campeonato Paulista é o mínimo em 2011.

Então vamos atrás do mínimo", resume Luiz Felipe Scolari.

E vai colocar em campo o que puder.

Está esperando sentado as chegadas de Adriano e Ronaldinho Gaúcho...

Que tristeza...

Tite já teve a ordem de Andres para escalar o time principal no torneio estadual.

Inclusive o gordo Ronaldo.

Não quer ver sacramentada o neologismo 'centernada'.

E acredita ser obrigação vencer a competição mais fácil do ano.

Pelo menos, o Corinthians, como gosta de dizer, 'se garante'.

Mais constrangedora ainda é a postura de Juvenal Juvêncio.

Inimigo mortal do presidente Marco Polo del Nero, não vê outra saída...

Tem de disputar o Campeonato Paulista para valer.

O presidente são-paulino sutilmente articula para virar a mesa do próprio clube.

Dar uma interpretação caolha aos estatutos e continuar mais três anos no clube.

Para ter um mínimo de apoio, vencer o Paulista seria um alento.

Já que, depois de sete anos seguidos, o São Paulo não teve futebol para se classificar para a Libertadores.

Tudo isso é ótimo para Marco Polo.

A Federação Paulista usa os estaduais da mesma maneira que as outras Federações do País...

Para fazer política com os clubes pequenos e se manter ad infinitum no poder.

Ver a preocupação de Andres e, principalmente, de Juvenal com o Paulista é um orgasmo para Marco Polo.

Ninguém mais fala em tom pejorativo do Paulistinha.

Com esse interesse, maior divulgação.

Seis árbitros.

Sorteios entre 25 deles para dirigir um jogo entre grande e pequeno.

E 12 para um clássico.

O presidente nem terá de usar as ameaças veladas de quem adianta as cotas de tevê...

Ou faz empréstimos camaradas aos grandes necessitados...

Eles colocarão seus times titulares sem pressão ou ameaças...

O trio de ferro disputará o Paulista com a gana de décadas atrás.

E os presidentes dos clubes têm certeza que farão jogos emocionantes e com estádios cheios.

E estão animados demais com a possibilidade do título.

Só está faltando alguém avisar a eles que o Santos também vai jogar o 'Paulistinha'...

Neymar: ame-o ou deixe-o…

gettyimages92 Neymar: ame o ou deixe o...
Na entrega do prêmio do "Homem do Ano", dado pela revista Vip, o comportamento foi constrangedor.

Mal recebeu o troféu e o repassou para o assessor de imprensa, sem esboçar a menor emoção.

Na festa para os melhores do Campeonato Brasileiro, ele fingia não ouvir os jornalistas o chamando.

Aos que chegavam mais perto, ele acenava para os seguranças e o repórter era afastado.

Na boate Disco, amigos que o acompanhavam impediam que fosse ele fosse fotografado.

Jornalistas que trabalham no dia a dia no Santos reclamam que está cada dia mais vaidoso.

E o que é pior: prepotente.

Na Seleção sub-20, ao contrário do que Ney Franco havia prometido, já tem tratamento diferenciado.

Ganhou folga especial.

E é tratado como uma divindade.

Ai daquele que ousar encostar na sua gola de camisa levantada...

Ou desmanchar o seu topete moicano grudado a potes de gel...

Por causa dele e de mais ninguém, Dorival Júnior é o treinador do Atlético Mineiro...

E Adilson Batista o do Santos...

O que o faz crescer a indisfarçável antipatia de quem analisa os passos do jovem jogador...

Cada vez mais quem acompanha a carreira de Neymar de perto percebe o contraste.

Em campo ele é um talento admirável.

Fora dele segue o caminho da falta de humildade.

Apesar de todos os conselhos do seu pai e do empresário Vagner Ribeiro.

Eles deixaram de ser ouvidos fora do gramado há muito tempo.

Neymar decide o que faz e não admite interferências.

Esse é o grande problema para o plano de Luís Álvaro de valorização da imagem do atacante.

O presidente do Santos sabe e ouve todos os dias detalhes sobre o deslumbramento de Neymar.

Ele tem de fazer cara de paisagem.

Comprar briga com o jovem jogador é dar um tiro no pé.

Ele busca o melhor dos mundos, que garantiria a algum clube a ousadia de pagar R$ 101 milhões por ele.

Para isso, um gênio em campo e um garoto exemplar fora dele.

Neymar não é de beber, fumar ou brigar.

O seu problema é se comportar como uma prima donna.

E estar cercado de um grupo de amigos que carrega para todos os lados.

E eles o tratam como uma estrela de Hollywood.

Isso combina com a diretoria que o adula como se fosse a reencarnação de Pelé.

Por mais que as tevês tentem forçar matérias sobre o lado humano, bonzinho de Neymar, não estão convencendo.

Quem está muito perto do Santos percebe uma diferença gigantesca entre a personalidade dele e a de Ganso.

Embora alguns poucos anos mais velho, Ganso é muito mais centrado e discreto do que Neymar.

A direção e, principalmente, o pai querem que ele frequente de verdade um psicólogo.

Já perceberam que o deslumbramento cresce com o assédio da mídia.

E pelo salário privilegiado que recebe.

Ainda em 2011 chegará ao R$ 1 milhão que Robinho recebia a cada 30 dias.

Nada mal para um garoto de 18 anos.

Ou alguém coloca um freio no Neymar ou o Brasil criará o jogador mais mimado de todos os tempos...

Quer algo mais assustador?

A frase que ele disse ontem...

Profética, diante de tanta mídia que ele já conseguiu...

"Sei que sou o espelho para os mais jovens..."

Que tipo de geração de jogadores virá seguindo o péssimo exemplo de Neymar?

Melhor nem imaginar...

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Troféu ‘Vá com Deus…E não volte’. Edição 2010…

hoje em dia Troféu Vá com Deus...E não volte. Edição 2010...
Os europeus costumam ser mais cruéis do que os brasileiros no final do ano.

Principalmente os italianos.

Adriano que o diga.

Ganhou o prêmio de pior jogador de lá por três temporadas, inclusive essa.

Como o espírito natalino já foi embora, chegou a hora de mostrar quem foi a maior decepção.

Aquele que quando foi contratado os torcedores esfregaram as mãos de felicidade.

E quando pularem as setes ondas na passagem do ano desejarão com ardor que ele se vá para bem longe.

Ou com lágrimas nos olhos agradecerão por já ter ido.

E pode ser técnico também.

Sugestões não faltam...

Luxemburgo no Atlético Mineiro...

Keirrison no Santos...

Val Baiano no Flamengo...

Abbondanzieri no Internacional...

Leandro no Grêmio...

Jobson no Botafogo...

Defederico no Corinthians...

Ricardo Gomes no São Paulo...

Diego Souza no Palmeiras...

Farias no Cruzeiro...

Vagner Mancini no Vasco...

Dunga na Seleção Brasileira...

Felipe Melo...

Richarlyson...

Essas foram só sugestões...

P.S.: só serão contabilizados os votos quando vierem acompanhados do motivo da escolha...

Detalhes secretos que fazem qualquer torcedor se orgulhar de um argentino chamado Conca…

divulgação20 Detalhes secretos que fazem qualquer torcedor se orgulhar de um argentino chamado Conca...
Foi no início de setembro que ele procurou o departamento médico do Fluminense e Muricy.

Disse que sentia uma dor incômoda no joelho esquerdo.

E ele estava inchando depois de qualquer jogo.

Os exames foram feitos em sigilo e constataram um desgaste nas articulações.

Havia duas opções: ou ele fazia uma artoscopia e perdia o resto do Brasileiro...

Voltaria a poder correr apenas em dois meses...

Ou seguia jogando e se arriscava a ter um um rompimento nos meniscos.

Se o pior acontecesse poderia ficar parado seis meses.

Tudo dito de maneira clara, aberta.

O pequeno Conca se agigantou.

Assumiu os riscos e disse que não operaria de jeito nenhum.

Mesmo sabendo os gramados irregulares e as botinadas que teria pela frente.

Muricy Ramalho sabia o quanto precisava dele e diminuiu a intensidade de treinamento do argentino.

E combinou que, durante os jogos restantes do Brasileiro, ele poderia relaxar durante alguns momentos.

Ficar mais parado à frente.

Trocar a articulação pela finalização.

E foi o que Conca fez.

Surgiu muito mais à frente do gol.

Roubou a atenção e o prêmio de melhor jogador do País do seu compatriota Montillo.

Foi peça fundamental do Fluminense na conquista do título.

E o mais incrível.

Participou de todos os jogos: 38 partidas.

Não foi por acaso que Celso Barros foi tão generoso e ofereceu um contrato de cinco anos com o meia.

Ele e Muricy sabem que pouquíssimos jogadores da elite do futebol brasileiro correria esse risco.

Mano Menezes soube da história do sacrifício de Conca e ficou impressionado.

A possibilidade de um teste na Seleção depois que ele se naturalizar em 2011 é real.

Finalmente, amanhã, o guerreiro se renderá ao bisturi.

Três meses depois enfrentará a artroscopia tão necessária quanto adiada.

A expectativa de todos é que retorne em fevereiro, na primeira fase da Libertadores.

Esta história deveria ser espalhada com seus detalhes pelo próprio Fluminense.

A coragem de Conca foi incrível.

E absolutamente rara no cenário nacional.

Não há como não ter orgulho desse argentino.

Os corredores das Laranjeiras agradecerão sempre a Eurico Miranda.

Por ter trazido esse argentino ao Rio de Janeiro...

A mensagem de Natal de Felipe Melo para Neto e Caio Ribeiro…

divulgação102 A mensagem de Natal de Felipe Melo para Neto e Caio Ribeiro...
Finzinho de Natal.

Clima de fraternidade.

Promessas de amor entre os povos.

A figura do Papai Noel idealizado pela Coca Cola no começo do século passado domina o mundo...

Neste clima amoroso, vale a pena para engrandecer o espírito humano algumas frases de um pacifista.

Não tanto quanto Mahatma Gandhi.

Mas alguém que também celebra a comunhão entre as pessoas.

E sempre muito humilde.

Felipe Melo.

Entrevista inesquecível para a Globo.

Para marcar o Natal.

Frases para serem lidas comendo panetone...

"Não me incomoda nem os jornalistas.

Mas os ex-jogadores.

Eles não chegaram nem na minha canela.

Não vou falar os nomes para não dar moral.

Um foi eterna promessa (Caio Ribeiro).

E o outro foi conhecido por agredir arbitro (Neto).

Não fizeram nem a metade do que eu fiz e hoje querem falar.

Falaram tanta coisa (durante a Copa) e me colocaram como vilão.

Me colocaram contra o Brasil (...)

Na Disney estava usando óculos e boné por causa do calor...(Tiveram a coragem que foi para ele se esconder... Imagine... Só porque ele foi hostilizado no Rio depois da Copa...Imagine...)

Tenho qualidade para voltar à Seleção Brasileira.

É só manter a minha humildade."

Vamos falar um pouco sério, Felipe Melo tem nome vetado por Ricardo Teixeira.

Mano Menezes sabe que o presidente da CBF não perdoa o que ele fez diante da Holanda.

A selvagem expulsão, o pisão em Robben.

E, apesar da humildade, do futebol incrível...

Da idolatria que acredita que torcida da Juventus tem por ele, Felipe Melo pode esquecer.

Seus jogos pela Seleção Brasileira acabaram.

Mas ele poderá continuar a vida inteira esnobando Caio Ribeiro e Neto.

Os dois nunca jogaram uma Copa do Mundo.

E no raciocínio de Felipe Melo nunca chegaram à canela do seu futebol...

Talvez tenham tido sorte.

Nunca foi bom negócio conhecer a canela ou os cravos das chuteiras de Felipe Melo...

Juvenal Juvêncio não quis novo técnico da Inter de Milão: Leonardo

AgenciaEstado923 Juvenal Juvêncio não quis novo técnico da Inter de Milão: Leonardo
Europa, Ásia, África, América do Sul, Marte...

A essência é igual...

Um subordinado, na emoção de uma conquista, fala mal de quem manda, vai embora.

Foi o que aconteceu, de maneira simplória, com Rafa Benítez na Inter de Milão.

Substituir José Mourinho não é fácil nem como síndico do prédio.

Ainda em um clube que ganhou tudo que disputou.

Rafa Benítez é um espanhol que ficou seis anos no Liverpool.

Ganhou até a Liga dos Campeões de 2004/2005.

Rogério Ceni evitou que vencesse o título mundial.

Mas depois de cinco anos, ele ganhou com a Inter.

E caiu na tentação primária de cobrar reforços da direção do clube italiano.

Justo ele que não estava indo bem.

O time não tinha padrão disputando a Liga dos Campeões e o campeonato nacional.

O presidente Massimo Moratti não o perdoou pela cobrança.

E o demitiu sem pestanejar.

Isso todos sabem.

O que poucos souberam é que o escolhido no lugar de Benítez foi recusado pelo São Paulo.

Raí tem grande ligação com Juvenal Juvêncio.

É dono de um camarote no Morumbi.

E tem portas abertas no clube.

Fez o que pôde para ajudar o presidente na inglória briga para que o estádio fosse o da abertura da Copa de 2014.

Raí costuma dar seus pitacos quando o assunto é troca de treinador.

E assim aconteceu quando Ricardo Gomes chegou ao clube.

Ele deu ótimas indicações sobre o trabalho do técnico na França.

Só que no São Paulo seu desempenho deixou muito a desejar.

Quando ele não teve seu contrato renovado no São Paulo, Raí voltou a falar com Juvenal.

E recomendou Leonardo.

Ele é seu grande parceiro no mundo do futebol.

Jogou e tem identificação com o São Paulo.

Os dois comandam o grande trabalho social na Fundação Gol de Letra.

Só que o nome não agradou Juvenal e a cúpula do clube.

O motivo: viram nele uma reedição de Ricardo Gomes.

Muito culto, com pouca experiência efetiva como técnico, apenas um ano no Milan.

E total desconhecimento da pressão do futebol brasileiro.

A recusa foi educada.

Disseram que era um ótimo nome, mas o clube buscava outro perfil.

Sérgio Baresi foi interino e depois chegou Paulo Cesar Carpegiani.

Se Juvenal tivesse aceitado a sugestão de Raí, Leonardo não assumiria a poderosa Inter de Milão.

Coisas do destino...

Ronaldo quer ser o maior empresário do esporte mundial. E o Corinthians na Libertadores de 2011?

reuters09 Ronaldo quer ser o maior empresário do esporte mundial. E o Corinthians na Libertadores de 2011?
Está definido o futuro de Ronaldo assim que parar com o futebol.

Não, ele não será o embaixador do Corinthians.

A não ser que o clube pague e pague bem por isso.

Ele irá seguir o caminho do aposentado William.

Mas em escala altíssima.

Ele quer ser o maior empresário do esporte mundial.

Vai abrir uma consultoria e gerenciar carreiras de jogadores, astros do esporte.

A informação saiu na Folha de S. Paulo.

Na lista dos prováveis clientes da 9INE, Kaká, Pato e Anderson Silva, melhor peso por peso do UFC.

O plano é ousado.

Ronaldo quer administrar a carreira dos esportistas com maior destaque.

Não só brasileiros.

Peixe pequeno não serve.

Ele usará todo o seu relacionamento de decádas como um dos jogadores mais midiáticos do planeta.

A notícia não vazou por acaso.

Ele mesmo a revelou em entrevista para a revista Alpha.

Agora vieram os detalhes.

Ronaldo não suporta mais as dores no corpo.

O sacrifício da dieta.

Beber e fumar pouco charuto.

Há muita possibilidade de antecipar o encerramento da carreira.

Não seguir até dezembro de 2011.

O fim da participação do Corinthians na Libertadores da América pode marcar o abandono das chuteiras.

Isso se o clube do Parque São Jorge não chegar ao título.

Aí, lógico, ele decidiria o Mundial em dezembro.

Ronaldo já está completamente envolvido com o projeto.

Ele, seu sócio, o empresário Marcus Buaiz e o maior grupo publicitário do planeta, o britânico WPP.

O atacante vai aproveitar a quase década e meia que foi o jogador mais midiático do futebol.

Tem imensos contatos.

E vai utilizá-los para projetos grandes.

A sede da empresa não será no Rio de Janeiro por acaso.

Ronaldo quer fechar grandes contratos para a Copa do Mundo, Olimpíada e UFC, que acontecerá em agosto.

A final da Copa, as provas olímpicas e o UFC serão privilégios dos cariocas.

Ronaldo pode tentar até negociar já o nome da arena do Corinthians que será construída em Itaquera.

O jogador está empolgadíssimo com o projeto.

Tem todos os contados e sente que será o intermediário perfeito entre as empresas e os atletas.

Neymar, Ganso e até Adriano também estão na sua mira.

A preocupação no Parque São Jorge é que livre, sem outra atividade, Ronaldo já não entrava em forma.

Agora com a 9INE a todo vapor já em 2011, ninguém sabe o quanto ele se dedicará ao futebol.

Com seus exercícios extenuantes.

Suas partidas sem sentido pelo desinteressante Campeonato Paulista.

Como motivá-lo se o foco do seu pensamento agora está na 9INE?

Outro ponto importante: a prioridade para a representação da empresa será para o Corinthians.

Mas se outro clube se interessar em ter a 9INE cuidando de seus patrocínios, não haverá discriminação.

Desde que seja uma equipe forte, grande.

A meta de Ronaldo é pegar a elite do futebol brasileiro e até mundial.

Se atletas estrangeiros decidirem trabalhar com ele, não haverá problema.

Até de outros esportes.

Ele acredita que precisa entrar de cabeça nesse mundo milionário do UFC.

Anderson Silva é só o primeiro que ele busca capturar para sua empresa.

O mesmo vale para atletas olímpicos.

Corredores de Fórmula 1, quem for importante...

Andres sabe desta decisão de Ronaldo há muito tempo e o tem apoiado.

E vai tentar usar a 9INE o máximo que puder.

Agora, em relação ao artilheiro Ronaldo, o clube só o usará em 2011 quando o jogador quiser...

(Quero aproveitar esse post e desejar um Feliz Natal aos meus masoquistas leitores.

A todos os companheiros do dia-a-dia deste nebuloso mundo dos bastidores do futebol.

Está sendo um privilégio acompanhar o crescimento do portal R7.

Do blog.

Obrigado a todos pelo apoio, pelas reclamações, pelas queixas, pelos palavrões até.

São mais de 100 mil comentários...

Além de informar, quero acordar, incomodar, acordar o leitor para que perceba o que está acontecendo.

Não ficar na pura notícia.

Mostrar suas conseqüências, os caminhos que a tornaram possível.

E o cenário nem sempre é bonito.

Muito pelo contrário...

O resultado está melhor do que eu esperava.

Este já é o meu grande presente neste Natal de 2010...

Grande abraço...

Cosme Rímoli...)

Decepcionado com o Palmeiras, Kléber pensa em voltar para o Cruzeiro…

gettyimages9223 Decepcionado com o Palmeiras, Kléber pensa em voltar para o Cruzeiro...
O triângulo amoroso entre Kléber, Palmeiras e Cruzeiro é inexplicável.

Quando o atacante estava pela primeira vez no Palmeiras, ele foi desprezado.

Vanderlei Luxemburgo convenceu Belluzzo que era melhor deixá-lo ir embora.

Tinha um garoto que seria "mil vezes" melhor do que ele.

Keirrison.

O garoto realmente teve uma excelente fase no Palestra Itália.

Mas não pensou duas vezes em virar as costas ao clube seduzido pelo Barcelona.

Foi contratado e nunca jogou pelo clube catalão.

Talvez atingido pela maldição de Luxemburgo, que perdeu o emprego com sua saída e nunca mais foi o mesmo.

Perambulou por clubes médios da Europa e agora está desprestigiado, escondido na reserva do Santos.

Enquanto isso, Kléber ganhou espaço no Cruzeiro.

Se tornou o grande líder da equipe.

O jogador que acabou com a postura politicamente correta dos mineiros.

Distribuiu cotoveladas e gols.

Foi vice da Libertadores.

Mas nunca escondeu a saudade do clube que o tratou melhor na carreira: o Palmeiras.

Os torcedores amaram o atacante raçudo.

Era uma reencarnação do espírito indomável de Edmundo.

Kléber nunca teve uma torcida que o colocasse como ídolo.

Mesmo no Cruzeiro, comparecia à sede da Mancha Verde e falava do seu sonho em voltar.

Seu empresário, Giuseppe Dioguardi, incentivava esse desejo.

Ele é ligado não só de coração, mas também politicamente ao Palestra Itália.

Há chance até de se tornar diretor de futebol se Paulo Nobre ganhar a eleição presidencial.

Giuseppe e Kléber tanto insistiram com Belluzzo e Zezé Perrella que o jogador voltou ao Palmeiras.

O negócio foi excelente para o Cruzeiro: três milhões de euros por 50% dos direitos federativos de um jogador de 27 anos.

E que fez uma importante cirurgia de púbis.

Tudo isso é levado em conta pelo especialista em vendas, Zezé Perrella.

Kléber voltou para o Palmeiras.

Beijou a camisa verde com vontade.

Tinha no coração as promessas de Belluzzo de jogar em uma grande equipe que seria montada.

E ainda mais um carro, sócio remido do Palmeiras e salário diferenciado, sem nunca atrasar.

Kléber voltou e se decepcionou.

Encontrou uma equipe fraca.

Felipão, irritado com o potencial do time, tratou de comandá-lo com mão de ferro.

Proibindo os jogadores de dar entrevistas, deixando o clima pesado, de cobrança exagerada.

Jogadores com fama de bons moços, como Marcos e Marcos Assunção, detestam trabalhar nessa ditadura.

Pior ainda Valdivia e Kléber, comandos sob esse regime autoritário.

Kléber não se conforma com as multas aos jogadores que resolverem falar aos jornalistas.

E com o técnico que fica com todas as explicações sobre a partida para ele mesmo.

O atacante não suporta os gritos de Felipão nos vestiários.

Ainda mais com o clube devendo salários, não lhe dando o carro prometido e nem a simbólica carteirnha de sócio remido do Palmeiras.

Mesmo com a proteção dos torcedores que ainda o amam, ele não está satisfeito no Palestra Itália.

Não é o ambiente que sonhava.

Acompanha diariamente o noticiário sobre as contratações e sabe que a responsabilidade continuará sob os seus ombros.

Assim como a postura controladora de Felipão.

Essa falta de liberdade sufoca Kléber.

Até mais do que os atrasos de salários.

A direção do clube está irritada porque sabe que não tem como calar a boca do jogador.

Fosse qualquer outro que assumisse os atrasos cairia em desgraça com a diretoria e Felipão.

Como foi o caso de Valdivia.

Enquanto isso, vivendo a eterna calmaria financeira, o Cruzeiro sente falta de Kléber.

Os comportados e instáveis Welligton Paulista e Thiago Ribeiro só fizeram aumentar a saudade do briguento artilheiro.

O sonho é ter na Libertadores uma nova dupla: Kléber e Rafael Moura.

Zezé Perrella sabe que o Palmeiras só pagou €$ 1,5 milhão (R$ 3,33 milhões).

E o clube paulista está vivendo uma grave crise financeira.

Fez uma proposta para lá de tentadora.

Ofereceu o atacante argentino Farias, o meia Bernardo e a liberação do pagamento de €$ 1,5 milhão.

Tudo para ter Kléber de volta.

A proposta abalou o atacante.

Seu empresário, envolvido no processo eleitoral do Palmeiras, tenta acalmá-lo.

Giuseppe promete que se for diretor de futebol, acalmará Felipão, fará com que os salários não atrasem e trará grandes jogadores ao Palmeiras.

O empresário promete milagres.

Só que Kléber e os torcedores palmeirenses estão cansados de promessas vazias.

O Gladiador sabe que terá vida de rei se retornar a Belo Horizonte.

Disputará a Libertadores em uma equipe muito mais forte do que a palmeirense.

Receberá até aumento sobre o ótimo salário que negociou no Palestra Itália.

Sabe que, se insistir com Belluzzo e com Felipão, será liberado.

Ele está tentado.

Zezé Perrella promete até aumentar a proposta aos palmeirenses, oferecendo mais dois jogadores.

Este triângulo amoroso está perto de mais uma reviravolta.

O Palmeiras fez tudo errado depois de reconquistar o atacante.

E está por um triz de perder Kléber outra vez.

E para o mesmo rival...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Juvenal Juvêncio a um passo de se tornar o Alberto Dualib do Morumbi…

divulgação231 569x1024 Juvenal Juvêncio a um passo de se tornar o Alberto Dualib do Morumbi...
O Corinthians sempre foi usado como exemplo nas eleições no São Paulo.

Exemplo do que nunca aconteceria no clube.

O continuísmo de Alberto Dualib era apontado como atraso de vida...

Comportamento típico de clube de uma república de bananas...

A modernidade impunha a alternância no poder, de idéias, de homens...

E que tal fato não aconteceria no São Paulo porque a oposição e mesmo a situação não permitiriam.

Os dirigentes do clube do Morumbi sempre batiam no peito repetindo que lá imperava a democracia.

Pois bem...

Nada como o passar do tempo.

Juvenal Juvêncio já é presidente do clube há cinco anos.

Ou seja: dois mandatos, como prevê os estatutos do clube.

O máximo que qualquer ser vivente poderia ficar.

O máximo.

Um mandato e outra reeleição, no máximo.

Pois bem, Juvenal Juvêncio quer ficar no poder.

Tem energia e apoio político para ficar mais três anos.

Assim como Dualib já teve um dia.

Ele sabe que pode concorrer e ganhar com larga margem de vantagem.

Seja qual for o adversário.

A oposição no São Paulo atualmente é tão representativa quanto era a corintiana com Dualib.

E na situação, Leco, Marco Aurélio Cunha, Jesus Lopes são espertos.

Não assumem que desejam o cargo.

Todos tem a certeza que Juvenal deseja a continuidade.

A virada de mesa.

Quando se quer achar uma possibilidade legal, advogados fazem milagres.

E quase todos são advogados no São Paulo.

Até o pipoqueiro que fica na entrada do clube tem OAB.

Para preparar o caminho para o continuísmo de Juvenal há uma boa desculpa.

Que quando ele ficou no primeiro mandato, o estatuto foi mudado.

Então, os dois primeiros anos não contariam.

E ele poderia concorrer a uma reeleição para ficar mais três anos, como é o seu atual mandato.

O caminho está aberto.

Juvenal Juvêncio quer ficar.

Deve anunciar no começo do ano que está sendo 'forçado' a concorrer por mais três anos.

Exatamente como fazia Alberto Dualib.

E para quem ninguém se esqueça: houve um período que ele adorado, bajulado no Corinthians.

Foi o presidente de maior número de conquistas.

Com a chegada da MSI ele se perdeu de vez e acabou expulso do clube por sócios e torcedores.

"Meu maior erro foi o apego ao poder.

Não soube a hora de sair", me confessou o dirigente em exclusiva para o blog.

Já que Juvenal Juvêncio está seguindo os passos do ex-corintiano, o aviso está dado.

Geralmente não funciona para quem está comandando sem oposição.

Seja um clube ou um país.

O poder enebria, cega.

Só depende de você, Juvenal seguir o exemplo de Dualib e se perpetuar no poder.

O São Paulo está a seus pés.

Democracia ou continuísmo.

A decisão é sua.

O que já por si só é um enorme erro.

Nunca um clube tão poderoso quanto o São Paulo poderia estar nas mãos de um só homem.

Esse foi o maior erro do Corinthians e de várias republiquetas na era das ditaduras...