A promessa de Pituca. Se depender do Palmeiras, o Corinthians não será pentacampeão do Brasil…

reproducao4848 A promessa de Pituca. Se depender do Palmeiras, o Corinthians não será pentacampeão do Brasil...

Os bastidores do Palmeiras são sensacionais.

Principalmente depois da eleição do presidente Arnaldo Tirone.

Conhecido por Pituca, ele conseguiu se eleger graças a correntes que se odeiam.

A de Mustafá Contursi que carrega nas costas o pesado Roberto Frizzo.

Tirone representa, além dos próprios interesses, membros conservadores do conselho.

Que odiavam as ideias reformistas de Belluzzo.

E deram cambalhotas de alegria com o seu fracasso como presidente.

Só que ainda há muito rancor.

Há inúmeras denúncias sobre a administração passada.

E graves.

Não envolvendo o nome de Belluzzo diretamente.

Mas de muita gente que trabalhou na sua administração.

Com medo do rebaixamento para a Série B, Pituca propôs uma paz temporária.

E todos só tocarão no assunto em dezembro, após o Brasileiro.

Será quando o dirigente tentará colocar seu plano de aproximação da Traffic em prática.

Ele sabe o quanto a dívida do Palmeiras cresceu.

Está batendo nos R$ 180 milhões.

Não quer mais ficar de joelhos para os bancos.

E está insistindo para que Jota Hawilla volte como mecenas do clube.

Só que Pituca não tem noção que a Traffic vive uma revolução financeira.

A investidora já reformulou seu quadro de funcionários.

Mandou os que ganhavam mais embora.

O presidente Julio Mariz, homem de total confiança de Hawilla, foi dispensado.

Mesmo assim, Pituca insiste nos contatos para cercar a Traffic.

O dirigente está apavorado.

Scolari lhe deu uma lista de 12 jogadores para contratar em 2012.

Três opções por posição.

Ele quer quatro reforços significativos.

Ou não.

O nome de Obina faz parte da lista que tem também Oswaldo do Ceará.

Pituca está feliz por ter conseguido mandar embora do clube Kleber.

Ganhou moral com Frizzo e Felipão.

E sem brigar com a Mancha Verde, sua maior preocupação.

Vai tentar negociar Valdivia com o Oriente Médio.

O chileno só ficará se o Palmeiras não conseguir despachá-lo para longe.

Marcos vai mesmo se aposentar.

Felipão o quer na comissão técnica.

Para ser outro escudo do time.

Deola está sendo enquadrado.

O treinador não gostou nada de o goleiro ter apoiado Kleber.

E para continuar no clube, o jogador já se desculpou e se aproximou de novo de Felipão.

Pituca está feliz.

Acredita que acertou em cheio ao trazer César Sampaio.

Um especialista em dar nó em pingo d'água.

A fantasia que ele contou a respeito da consulta aos jogadores para demitir Felipão foi aplaudida de pé por Pituca.

Sampaio passou a imagem de poderoso para a maioria da imprensa.

Mesmo sabendo que ele nunca teve autonomia para demitir treinador nem dos fraldinhas do Palmeiras.

Ganhou moral com a imprensa.

Era o que precisava.

Galeano está começando a ficar irritado com o esvaziamento de sua função.

Tudo passou para o colo de Sampaio.

Os jogadores estão empolgados com a vitória diante do Bahia.

Ao mesmo tempo, não acreditam na promessa de Felipão e dos dirigentes.

Eles não são alienados.

Sabem que haverá uma lista de dispensa no Palmeiras.

Mas o assunto reformulação é tratado como um tabu no clube.

Até pelo menos o final do Brasileiro.

Para ganhar moral com seus conselheiros de pizzaria de segunda-feira, Pinduca fez uma promessa.

Avisou que, se depender do Palmeiras, o Corinthians não será campeão brasileiro.

O presidente sabe que esse é o maior desejo de todos os conselheiros que o apoiam.

E até os que são contra ele.

O dirigente já passou o desejo a Felipão.

O treinador não quer divulgar publicamente essa vontade.

Por isso, a postura politicamente correta de querer entregar as faixas de campeão ao rival.

Na verdade, se pudesse, ele usaria as faixas para enforcar os corintianos.

Por ordem de Pituca, o time vai se desdobrar para que o Corinthians não seja campeão em cima do Palmeiras.

Inclusive com premiação especial.

Será o último dinheiro a mais que muitos jogadores que serão dispensados podem receber.

Esse é o clima no entusiasmado Palmeiras.

Livre do rebaixamento.

E cuja maior alegria de 2011 seria impedir o pentacampeonato brasileiro do Corinthians...

Esse é o grande projeto de Pituca...

 

Adriano, Luís Fabiano ou Fred? Quem merece jogar na Seleção ao lado de Neymar? Ajude o inseguro Mano Menezes…

reproducaoplayboy1 Adriano, Luís Fabiano ou Fred? Quem merece jogar na Seleção ao lado de Neymar? Ajude o inseguro Mano Menezes...
Foi o fim de semana dos atacantes.

Para ser mais saudosista, dos centroavantes.

Fred, Adriano e Luís Fabiano.

Cada um com seu estilo.

Com seu clube.

Com a idolatria de sua torcida.

Corinthians, São Paulo e Fluminense por trás para os valorizar.

Pressão da mídia paulista e da carioca.

Os três renascem no noticiário em uma hora crucial para a Seleção.

Mano Menezes já perdeu um ano e meio e ainda não tem base para o time de 2014.

E sofre principalmente para achar um companheiro para Neymar no ataque.

Por coincidência, o trio de goleadores veteranos ficou no País com o mesmo objetivo.

Todos querem se fixar como o artilheiro da Seleção.

Sonham em ser a referência na área.

O privilegiado com a missão de empurrar a bola para as redes.

Já que Mano Menezes se mostra tão sem rumo...

Tão inseguro...

Ele só sabe que deseja um jogador experiente, vivido, na frente.

Para variar, só não sabe qual...

Adriano, Luís Fabiano ou Fred?

Quem merece ter a confiança do incoerente treinador do Brasil?

Alguém tem a capacidade de bater no peito...

E garantir que é muito melhor, mais confiável...

Do que Leandro Damião e Alexandre Pato juntos?

Ou será que nenhum dos três?

Esta é a enquete da segunda-feira...

Neste volúvel mundo do futebol brasileiro...

O possuído Fred. O inacreditável Fluminense de Abel Braga. E o Figueirense de Jorginho, que lembrou uma certa seleção na África…

reproducao30 O possuído Fred. O inacreditável Fluminense de Abel Braga. E o Figueirense de Jorginho, que lembrou uma certa seleção na África...
Foi a goleada menos esperada da rodada.

O Fluminense conseguiu arrebatar a vaga para a Libertadores de forma absurda.

Massacrou o até então organizado Figueirense de Jorginho por 4 a 0.

Dentro do Orlando Scarpelli.

Resultado inacreditável até para o mais fervoroso tricolor.

A partida foi reveladora.

Lembrou, não por acaso, o que aconteceu com o Brasil contra a Holanda na África.

O time de Jorginho mostrou que não estava preparado para tomar o primeiro gol.

Exatamente como a Seleção de Dunga, não suportou a pressão da desvantagem.

O time de Santa Catarina é a maior surpresa do Brasileiro de 2012.

Faz uma campanha espantosa diante das condições financeiras.

E da perspectiva que tinha ao começar a competição.

Pretendia apenas permanecer na Série A.

Só que o trabalho de Jorginho encaixou.

O time ganhou consistência tática.

Um time com jogadores razoáveis se mostrou compacto, veloz nos contragolpes.

Ousado.

E foi somando pontos e mais pontos.

Chegou à partida contra o Fluminense calculando matematicamente a chance de ser campeão do Brasil.

As declarações dos jogadores e a campanha incendiaram seus torcedores.

Eles lotaram o estádio esperando a consagração.

Uma vitória para deixar o time com um pé e meio na Libertadores de 2012.

E sonhando em ser o melhor do País.

Foi com essa responsabilidade que o time de Jorginho entrou em campo.

Era tudo o que Abel Braga e sua equipe queriam.

A iniciativa toda do Figueirense.

E o time carioca, traiçoeiro como uma cobra, pronto para explorar os contragolpes.

Perder a inteligência de Túlio no começo da partida foi um golpe para o Figueirense.

Vivido, ele orientava a marcação quando o time carioca esboçava os contragolpes.

Os catarinenses pressionaram durante todo o primeiro tempo.

Mas o intervalo chegou com o 0 a 0 no placar.

Só que logo no início do segundo tempo, o possuído Fred marcou 1 a 0.

Ele aproveitou a desatenção da zaga e seu faro de artilheiro.

Foi aí que ficou escancarada a influência de Jorginho na Seleção Brasileira.

Como aconteceu na África, o Figueirense entrou em pânico.

O time não raciocinava.

Queria empatar na força.

Se os jogadores pudessem, jogariam com as mãos a bola no gol de Diego Cavalieri.

Querendo mostrar mais técnica do que realmente possui, o time se escancarou tentando empatar.

Foi uma maravilha para Deco, o articulador de Abel.

Fred marcou mais um de cabeça.

Depois, Marquinhos.

E novamente Fred.

O possuído chegou a inacreditáveis 20 gols.

Diante de incrédulos catarinense, 4 a 0 Fluminense.

A conquista da vaga para a Libertadores por parte dos cariocas.

A simples malandra estratégia dos contragolpes aniquilou o Figueirense.

Jorginho ficou desolado.

Abel Braga justificou toda a espera do time carioca para a sua difícil contratação.

E deixou no ar que, se houvesse chegado 15 dias mais cedo, o Brasileiro poderia ser muito diferente...

Mas a luta pelo título ainda não acabou.

Como duvidar do Fluminense?

Quem ousa colocar dúvidas sobre o possuído Fred?

Marcelo Bertanha Barison. O bandeira foi o melhor jogador do Cruzeiro contra o Atlético Paranaense. Triste futebol brasileiro…

reproducao52 Marcelo Bertanha Barison. O bandeira foi o melhor jogador do Cruzeiro contra o Atlético Paranaense. Triste futebol brasileiro...
Marcelo Bertanha Barison.

O melhor jogador do confuso Cruzeiro de Vagner Mancini.

Foi uma atuação inesquecível.

Se não fosse por ele, o time mineiro perderia para o Atlético Paranaense em Sete Lagoas.

Caso o delegado Antônio Lopes não tivesse sido amansado...

Poderia dar voz de prisão ao auxiliar e ninguém consideraria exagero.

Ele apontou impedimento inexistente no lance que daria a vitória aos paranaenses.

Mais um resultado para a contabilidade de Sérgio Corrêa, o presidente da Comissão de Arbitragem.

Auxiliares sem personalidade e com problemas de visão são cada vez mais comuns em finais de Brasileiro.

Foi assim que o Cruzeiro escapou da derrota hoje.

A apaixonada torcida cruzeirense tentou fazer a sua parte.

Mas com o time refletindo a insegurança de Mancini era impossível.

O treinador resolveu escancar o time buscando a exigente vitória.

Colocou Anselmo Ramon, Wellington Paulista e Ortigoza no ataque.

Pensou que bastaria para golear e sair da Arena do Jacaré consagrado.

Ledo engano.

Tudo o que ele fez foi possibilitar ao time de Antônio Lopes espaço fundamental no meio de campo.

E foi por lá que a equipe dominou o jogo.

Era a consciência diante da vontade irracional.

O Atlético Paranaense dominou o jogo com autoridade e toque de bola.

E fez o seu merecido gol, em um cruzamento de Wendel...

A bola chegou para Marcinho livre fazer 1 a 0...

O gol desmoronou o pouco de estratégia cruzeirense.

E acabou com os nervos do time.

A torcida, atônita, se calou.

O primeiro tempo ia para o seu final quando o acaso e a coragem mudaram o cenário.

Wendel jogou fora toda a vantagem paranaense.

Ele rebateu de cabeça para cima, de maneira bizonha, uma bola na área.

Conseguiu complicar o goleiro Renan e todo o trabalho atleticano.

Charles mostrou atrevimento e raça.

Entrou entre os dois e cabeceou para as redes.

Gol vindo do acaso, da falta de talendo de Wendel.

O empate injusto no fim da primeira etapa acalmou as arquibancadas.

Deveria ser impossível que o Cruzeiro voltasse pior.

A ordem natural das coisas era que os mineiros se empolgassem atrás da virada.

Só que o Atlético voltou com mais objetividade.

E obrigou Fábio a excelentes defesas.

O desespero com a grande possibilidade de derrota dominava a Arena do Jacaré.

Quando Branquinho encontrou livre Paulo Baier, diante de Fábio.

E a tranquilidade do experiente jogador para em um toque marcar o justo 2 a 1.

Foi quando entrou em campo, ele.

Marcelo Bertanha Barison.

Lance limpo, só do auxiliar.

Pressionado pela torcida, a única explicação é que o medo levantou seu braço, a bandeira.

É melhor pensar no medo do que em qualquer outra situação.

E o Atlético Paranaense foi profundamente prejudicado.

O incompreensível impedimento de Paulo Baier não tem justificativa.

Foi só assim que travado Cruzeiro de Vagner Mancini escapou da derrota.

O empate foi uma vitória para o clube do senador Zezé Perrella.

De revoltar qualquer torcedor de futebol.

Os paranaenses foram prejudicados de maneira inaceitável.

Mais um lance vergonhoso no estranho Brasileiro de 2011.

Faltando duas rodadas para o fim do campeonato...

O Cruzeiro só não está na zona de rebaixamento graças ao amigo do peito, Marcelo...

E o Atlético Paranaense tem dois importantíssimos pontos a menos graças ao auxiliar.

Por essas lances, a credibilidade do Brasileiro vai pelo ralo.

A injustiça impera.

E Sérgio Corrêa não se manifesta.

Não há quem não tenha saído da Arena do Jacaré com dois sentimentos.

Ou envergonhado ou revoltado.

Por que quando um grande time depende de um bandeira para não perder...

Mostra que talvez seu lugar não seja a Primeira Divisão de um país...

O Corinthians a um passo do pentacampeonato brasileiro. Graças a ele: nobre Adriano I. Novo Imperador da Zona Leste paulistana…

divulgacao23 O Corinthians a um passo do pentacampeonato brasileiro. Graças a ele: nobre Adriano I. Novo Imperador da Zona Leste paulistana...
Um ano e cinco meses sem ter a sensação de marcar um gol.

E ele veio na hora do descrédito total.

Quando a diretoria do Corinthians se articulava para rescindir seu contrato.

Com direito a pelo menos oito quilos a mais.

E nenhuma mobilidade.

Adriano reverteu toda a lógica, a expectativa.

E aos 44 minutos do segundo tempo materializou a virada empolgante corintiana.

Sofrida, suada, merecida.

O Atlético Mineiro de Cuca foi bem demais em dois terços da partida.

Marcou forte os articuladores das jogadas corintianas.

Não deixou o time de Tite respirar.

Os laterais travados, Danilo, Emerson, Willian, Liédson.

Até Paulinho e Ralf eram muito bem vigiados.

O sistema 4-3-2-1 de Cuca encurtava os espaços.

E ainda contava com uma atuação perfeita de Renan no gol.

Os cerca de 30 mil torcedores que inchavam o Pacaembu estavam desesperados.

Isso com o 0 a 0.

A consciência mineira ao retomar a bola também era impressionante.

Os contragolpes em velocidade perturbavam, assustavam.

O jogo era de altíssimo risco.

Tanto que a tensão no intervalo com o 0 a 0 logo virou desespero.

Mal começou o segundo tempo e Cuca mostrou a que veio.

Em uma bela jogada ensaiada em cobrança de falta, Leonardo Silva cabeceou e fez 1 a 0.

Uma nuvem negra pairou sobre o Pacembu.

O medo era fácil de perceber em cada jogador, em Tite, na torcida.

Logo o treinador resolveu apelar para o nome, para o carisma.

Não para o atleta que está oito quilos acima, sem ritmo e que deveria voltar a jogar em 2011.

As dezenas de sessões de fisioterapia que faltou deixam o seu corpo ainda mais travado.

Mas era hora de Tite assumir a responsabilidade.

Enfrentou a torcida, os críticos e o bom senso.

Tirou Willian que fazia uma ótima partida.

Deixou em campo Emerson que nada produzia.

Coisa de louco.

Mas quem falou que os loucos não têm bom senso?

Ainda mais quando o Corinthians está envolvido.

Quem é o louco?

As vaias na arquibancadas para a substituição, para Tite só pressionavam ainda mais Adriano.

O Atlético Mineiro começou a jogar fora tudo o que havia produzido com tática e dedicação.

Cuca cometeu o pecado capital de recuar demais o time buscando um hipotético contragolpe.

Até a novamente solteira Demi Moore sabe que isso é pedir pelo pior.

O Pacaembu se tornou um caldeirão incandescente.

A torcida empurrava o time e a bola para a área atleticana.

Tudo que é ruim pode ser pior.

Richarlyson foi substituído por Triguinho.

Mas o lateral esquerdo demorou para entrar.

Foi quando Alessandro se aproveitou do espaço sem marcação e cruzou.

(Como muitos torcedores me alertam com razão, Alessandro deveria ter sido expulso antes do lance.

Wagner Renway depois de dar cartão desnecessário no primeiro tempo...

Não deu um outro e o expulsou depois de uma entrada violenta em Bernard...

O árbitro não teve coragem.

Titubeou de maneira vergonhosa no Pacaembu...)

Liédson surgiu livre e empatou o jogo.

Marcou seu 22º gol na temporada, o 11º no Brasileiro.

A contratação mais acertada do Corinthians.

O gol já trazia de volta a liderança.

A igualdade de pontos com o Vasco que havia vencido o Avaí.

Mas jogava a vantagem de dois pontos no lixo.

Sofrendo a igualdade, o Atlético Mineiro se enervou, perdeu a concentração.

Foi como os jogadores se lembrassem do quão próximos estão ainda da zona do rebaixamento.

E acabou a consciência.

Chutões para longe, o temor de sofrer a virada.

O tempo passava e parecia que o empate seria decretado.

Mas os anjos da guarda de Tite, de Emerson e de Adriano se juntaram.

E aos 44 minutos veio o improvável.

Emerson, que era o pior jogador em campo, acertou passe maravilhoso para Adriano.

A bola veio para o seu pé esquerdo, livre de marcação diante de Renan.

O chute foi cruzado, calculado, preciso.

Parecia o Adriano da Copa América de 2004.

O corpo tem mesmo memória.

E a bola foi obediente para as redes, sem chances para o excelente goleiro atleticano.

O Pacaembu parecia que iria desabar de felicidade.

Todos os 95% de corintianos se levantaram, se abraçaram, choraram...

Era a virada do coração, da coragem de Tite.

Da redenção de Adriano.

Justo ele que já se preparava psicologicamente para deixar São Paulo e voltar para o Rio.

Acreditava que seu espaço no Corinthians estava acabado.

O próprio Andres Sanchez deixava escapar isso para amigos.

Adriano que sentia ter decepcionado Ronaldo...

Justo ele fez um dos gols mais importantes do Corinthians em 2011...

O gol que colocou o Corinthias a duas rodadas do título do Brasileiro com dois pontos de vantagem.

Com a matemática podendo fazer o clube campeão já no domingo.

Basta vencer o Figueirense e o Vasco parar no Fluminense.

Adriano subverteu a ordem natural das coisas.

Um jogador muito mal fisicamente e desacreditado colocou um time a um passo do título.

Virada emocionante, chorada.

Vitória com cara de Corinthians.

Graças a um jogador com o carimbo do Flamengo na testa.

A partida não poderia ser mais sensacional, épica.

Esse imperador pode estar gordo, mas mostra que tem estrela, sangue real.

O sofrimento e a redenção de Adriano tem a cara do Corinthians.

Este pentacampeonato nunca esteve tão perto...

E tão emocioante...

Salve Adriano, nobre imperador da Zona Leste paulista...

Henderson vence Shogun. Na melhor luta do ano no UFC. Foi um combate sangrento que resumiu o encanto do MMA…

AP1 Henderson vence Shogun. Na melhor luta do ano no UFC. Foi um combate sangrento que resumiu o encanto do MMA...
A melhor luta do ano.

O encontro sonhado do Pride.

O UFC 139 proporcionou ontem o épico combate.

O octógano ficou manchado de sangue do brasileiro Shogun.

Foram três rounds de domínio total de Dan Henderson.

Mas nos dois últimos, a reviravolta do brasileiro.

Com o rosto desfigurado dos diretos do americano, Shogun mostrou merecer o apelido.

Sangrando, ele acertou um soco de encontro que deixou bambas as pernas de quem o massacrava.

E terminou o combate montado, desferindo socos.

O público no HP Pavillon em San Jose na Califórnia urrava de empolgação.

Não acreditava no que via.

Estava boquiaberto com a reviravolta do combate.

O cansaço impediu Shogun de finalizar o americano.

As pancadas que sofreu no início da luta o desgastaram demais.

A estratégia de franca trocação com Henderson foi errada.

Shogun tem 29 anos.

O americano já chegou aos 41.

O brasileiro deveria chutar muito mais e manter o braço direito de Henderson longe.

Cansá-lo, já que o combate era de cinco assaltos.

E depois partir para a definição.

Foi no coração que Shogun superou o massacre que recebeu nos três primeiros rounds.

Como um alvo fixo para os socos do rival, acabou desfigurado.

Cansado e psicologicamente relaxado, Henderson não esperava a espetacular reação de Shogun.

Apanhou nos dois últimos assaltos.

Terminou o combate extenuado, quase sem conseguir ficar em pé.

Só que ele sabia.

Havia feito o suficiente no início da luta para vencê-la.

Shogun ficou arrasado.

Não com o resultado, porque sabia que havia perdido.

Mas por faltar um pouco mais de força física para finalizar o americano nos dois últimos rounds.

No final, um justo e unânime 48 a 47 para o americano.

Henderson pediu e deverá ficar mesmo de prontidão.

Tem toda a chance de decidir o cinturão com o vencedor do combate entre Jon Jones e Lyoto Machida.

Mas Shogun não tem do que se envergonhar.

Desceu um degrau com a derrota.

Mas continuará como um dos ídolos do UFC, com lutas importantes.

Ganhando bolsas altas e com o sonho de um dia voltar a brigar pelo cinturão.

O que ele fez hoje merece ser reverenciado.

Quem acompanha MMA sabe, os dois ganharam com o combate na Califórnia.

Dan Henderson vai disputar o cinturão.

E Shogun mostrou ter o coração de um dos melhores lutadores do UFC.

Sorte de quem viu a luta esperada por tanto tempo...

O fã do MMA merece uma revanche...

O pior que o Flamengo poderia fazer. Deixar o irritado Ronaldinho sem receber a maior parte dos salários há três meses. E a palavra de Patricia Amorim que pagaria sempre em dia?

reproducao7341 700x1024 O pior que o Flamengo poderia fazer. Deixar o irritado Ronaldinho sem receber a maior parte dos salários há três meses. E a palavra de Patricia Amorim que pagaria sempre em dia?
Uma aula de como não fazer marketing.

O Flamengo havia combinado uma ação com 9ine e a Procter & Gamble.

O time deveria jogar contra o Figueirense com uma camisa diferente.

Nela a estrela que representa a conquista do mundial de clubes brilharia.

A ação era era para divulgar a pilha Duracell.

Campanha simpática, bem bolada.

Se a Inglaterra pôde usar um flor estilizada em homenagem aos seus mortos na Primeira Guerra Mundial...

Nada mais justo.

Só que esqueceram que a maior estrela do time não recebe a maior parte dos salários há três meses.

O Flamengo banca 'apenas' 450 mil do R$ 1,2 milhão que o meia tem direito a 30 dias.

Não que Ronaldinho esteja passando fome com o R$ 1,350 milhão que recebeu nos últimos 90 dias.

Mas está irritadíssimo por não receber a parte da Traffic.

A empresa se comprometeu a pagar R$ 750 mil mensalmente ao jogador.

Só que parou de pagar.

O motivo: Traffic e Flamengo assinaram um memorando.

A investidora teria direito a 10% do patrocínio master da camisa do Flamengo.

Só que pelo Flamengo, a Traffic ficou de arrumar esse patrocinador.

E não conseguiu.

O clube carioca conseguiu a Duracell.

E não pagou nada à Traffic.

Jota Hawilla, dona da investidora, acredita que a empresa deveria receber de qualquer maneira.

Mesmo que o patrocinador veio pelo clube.

E por isso parou de pagar Ronaldinho.

O jogador que não quer saber deste conflito está travado de raiva, perturbado.

Acredita que está sendo usado em jogo de interesses financeiros que não tem a ver com ele.

É verdade.

A sua parte está fazendo.

Até melhor do que muitos imaginavam.

Está treinando religiosamente no horário.

E jogando.

Essas são suas obrigações.

E está três meses sem receber o que a direção do Flamengo jurou pagar.

A presidente Patricia Amorim assinou seu contrato.

Lhe deu a palavra que receberia em dia.

E agora, justo na fase decisiva do Brasileiro, esse impasse.

Ronaldinho está com a razão.

E sua reação pode ir muito além de não colocar camisa com estrelinha.

O Panathinaikos quer levá-lo.

Seu nome passou a ser comentado no Anzhi, o novo rico da Europa.

Clubes do Oriente Médio e dos Estados Unidos se assanham.

A multa contratual do jogador é de R$ 400 milhões.

Mas ninguém segura quando o atleta deseja sair de um clube.

Principalmente por falta de pagamento.

Houve duas reuniões entre a Traffic e o Flamengo.

Na quinta-feira e ontem.

Nada ficou acertado.

E o dinheiro ainda não caiu na conta de Ronaldinho.

O clube está brincando com fogo.

A chance de conquista do título brasileiro já não existe.

Será que ficar fora da Libertadores será um bom castigo?

Não interessa se é Traffic, Banco da Bósnia ou a Disney...

Seu comportamento contra o Figueirense já foi estranho.

Ele estava visivelmente perturbado, irritado, disperso...

É assim, se sentindo enganado, que vai jogar contra o Atlético Goianiense.

Quem está devendo é o Flamengo.

Não é assim que o clube deve tratar a sua maior estrela.

Depois que ninguém venha censurar qualquer atitude que Ronaldinho tomar.

Quem trabalha sem receber?

A transação mais nebulosa de 2011. Quem comprou os 20% de Montillo? Por quê Zezé Perrella escondeu de junho até hoje que havia vendido? Por quanto foi?

reproducao739 A transação mais nebulosa de 2011. Quem comprou os 20% de Montillo? Por quê Zezé Perrella escondeu de junho até hoje que havia vendido? Por quanto foi?
A transação mais estranha de 2011...

A direção do Cruzeiro fez a melhor compra de 2010.

Por apenas R$ 6,2 milhões comprou o mais talentoso argentino na América do Sul.

Montillo.

Ele foi o grande jogador no Brasileiro que o Fluminense ganhou.

Seu talento se destacou também na Libertadores.

Mesmo com a desclassificação precoce, o meia não deixou dúvidas sobre o seu talento.

O time mineiro havia adquirido 80% dos direitos federativos do atleta.

Os outros 20% foram comprados pelo onipresente BMG.

Esse discurso durou até este mês, quando o senador Zezé Perrella revelou.

O Cruzeiro tem 60% dos direitos de Montillo?

Que matemática é essa, Delfim Netto?

100 menos 20 é igual a 60?

A dúvida foi crescendo entre os poucos membros da oposição...

Até atingir os conselheiros ligados a Zezé e Gilvan...

A pergunta que não queria calar..

Cadê os 20%?

A desmoralização chegou a um ponto insuportável.

Até que ontem a direção de comunicação do clube mineiro revelou o segredo.

E deixou tudo ainda mais misterioso, feio para uma instituição como o Cruzeiro.

Em junho, um investidor teria comprado os 20% que sumiram de Montillo.

E ele teria pedido para não ter o seu nome revelado.

A quantia também que foi paga virou um mistério a pedido do comprador.

Lembrando: o meia é o jogador mais valioso da Toca da Raposa!

Estamos em novembro.

Foi por meados de junho que a família Perrella anunciou publicamente que deixaria o clube.

Tudo foi é muito estranho.

Por que esconder essa venda até agora?

Não da imprensa.

Mas dos conselheiros do Cruzeiro.

O clube não tem um dono que pode fazer o que quiser, sem dar satisfações a ninguém.

Ou tem?

Como o maior patrimônio do time foi dilapidado e todos ficaram meses sem saber?

Até quando os conselheiros cruzeirenses vão agir como marionetes?

O clube é um dos maiores da América Latina.

Precisa ser administrado com transparência, com respeito.

De forma democrática.

Ninguém pode fazer o que quiser com o patrimônio cruzeirense.

Ninguém.

Tenha o cargo que tiver.

Ainda mais se for um senador da República...

Eleito com os votos dos cruzeirenses...

Não tem cabimento o que aconteceu com os 20% de Montillo...

Quanto rendeu ao clube?

Foi vendido para quem?

Por quê?

Senador Perrella, a palavra é sua...

Corinthians se alia a Bahia para vingar Dodô. Pressão no STJD contra Bolivar. E na Comissão de Arbitragem contra Paulo César Oliveira…

reproducao6 Corinthians se alia a Bahia para vingar Dodô. Pressão no STJD contra Bolivar. E na Comissão de Arbitragem contra Paulo César Oliveira...
Corinthians e Bahia se uniram para vingar Dodô.

Os alvos são Bolivar e o árbitro Paulo César Oliveira.

O jovem lateral ficará mesmo mais de seis meses sem jogar.

Rompeu os ligamentos cruzados do joelho esquerdo.

Tudo por causa da entrada irracional de Bolivar do Internacional.

O jogador de 19 anos invadia a área driblando.

O zagueiro quis se mostrar mais homem e intimidar o garoto.

E lhe deu uma pancada fortíssima, de cima para baixo, para arrebentar.

Arrebentou.

Paulo César Oliveira entra como cúmplice.

O árbitro não expulsou o zagueiro do Inter e nem marcou pênalti.

Atitudes totalmente equivocada.

Inadmissíveis para um árbitro do seu nível.

Dodô era uma das grandes revelações corintianas.

O Manchester United chegou a pedir prioridade na compra do jogador.

Mas quando ele tinha 17 anos.

Era uma das estrelas nas Seleções Brasileiras de base.

Só que não conseguiu se firmar quando subiu para o profissional.

Foi emprestado para o Bahia para ganhar experiência.

Um favor de Andres ao amigo Paulo Angioni.

Na época da MSI de Kia Joorabchian, os dois trabalhavam no futebol corintiano.

A direção do Bahia e do Corinthians estão fazendo de tudo para que Bolivar e Paulo César sejam punidos.

Os dois clubes já acionaram seus contatos na CBF para que o STJD seja rigoroso com o jogador do Inter.

E Sérgio Corrêa está sendo atormentado para que crucifique Paulo César.

O árbitro que já foi apontado como o melhor do Brasil há alguns anos perdeu prestígio.

Por erros parecidos com o da partida em Porto Alegre.

Criou inimigos poderosos no futebol paulista por seu início implacável.

Foi pressionado para que passasse a ser mais complacente.

E mudou demais.

Se tornou omisso.

Ele marcou jogo perigoso e deu o cartão amarelo a Bolivar por estar doutrinado.

Foram conselhos demais para que maneirasse, não fosse tão rígido.

Um grande árbitro foi estragado.

E agora paga por isso.

Bolivar já foi o grande líder do time do Inter.

Hoje é um atleta dispensável.

Há vários comentários que sairá do clube em 2012.

Há empresários que o ofereceram por coincidência ao próprio Corinthians.

O que já era ruim ficou pior.

Além da entrada covarde que vai tirar o jogador dos campos por seis meses...

Bolivar ainda tem a coragem de afirmar que tudo aconteceu por causa de Dodô.

Por ele ter sido afoito.

Como não foi expulso, é necessária a participação do STJD para suspendê-lo.

Mas já passou da hora de o Brasil adotar o que muitos jogadores sonham.

Que se um atleta machuca o adversário, que fique proibido de jogar enquanto ele não se recupere.

Seria o ideal para Bolivar.

Que ele ficasse pensando seis meses na entrada que deu em Dodô.

O STJD deve ceder à pressão corintiana e baiana.

E o zagueiro do Inter terá a sua punição.

Mas será muito menor do que os seis meses que Dodô não poderá jogar.

Paulo César deverá entrar por um período na geladeira.

Mas estará em breve apitando no próprio Brasileiro.

Ou no Campeonato Paulista.

Como se nada tivesse acontecido.

Essas situações explicam um pouco da grande decadência do futebol no País...

Alvo de investigações do Ministério Público, Zezé Perrella cede Toca da Raposa para torneio de promotores…

reproducao9321 Alvo de investigações do Ministério Público, Zezé Perrella cede Toca da Raposa para torneio de promotores... Antes tarde do que nunca.

A bela matéria do jornal Hoje em Dia de ontem...

Perrella abre a Toca da Raposa I para torneio de promotores...

Cartola e senador é alvo de duas investigações do Ministério Público em Minas Gerais

Ezequiel Fagundes e Lucca Figueiredo (autores da reportagem...)

Alvo direto de duas investigações do Ministério Público Estadual (MPE) de Minas - enriquecimento ilícito e uso indevido de verbas públicas na época em que era deputado estadual (2007/2010) -, o senador e presidente do Cruzeiro Esporte Clube, Zezé Perrella (PDT), abriu as portas da Toca da Raposa I, na orla da Lagoa da Pampulha, em Belo Horizonte, para cerca de 600 procuradores e promotores de Justiça de 20 estados do país, incluindo Minas Gerais, disputarem uma competição de futebol anual da classe.

Patrocinado pela Associação Mineira do Ministério Público (AMMP), em parceria com a Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (ANMP), o 10° Torneio Nacional de Futebol Society do MP foi realizado durante todo o feriado prolongado da Proclamação da República e contou com o aporte de verbas públicas.

Já a direção do Cruzeiro cedeu quatro dos cinco campos do centro de treinamento do time para receber o grupo de promotores, enquanto os gastos com hospedagem, passagens aéreas, translados e alimentação foram custeados pelas associações do MP. As inscrições variavam de R$ 3 mil a R$ 5 mil, dependendo do número de categorias inscritas.

Depois de quatro dias de futebol, a competição terminou anteontem à noite com uma grande festa de confraternização na sede da Associação Mineira do MP, na Região Centro Sul da capital. Oferecida pela entidade mineira, a recepção foi regada a chope, água mineral e refrigerante, tudo acompanhado de tradicionais quitutes da culinária mineira.

Procurador confirma recursos e nega conflito

O presidente da AMMP, procurador Rômulo Ferraz, confirmou que o torneio contou com dinheiro público e negou qualquer tipo de constrangimento em relação ao fato de Perrella ser investigado por promotores de Belo Horizonte.

"Não há constrangimento nenhum. Tenho total confiança na atuação dos promotores nas investigações contra o presidente do Cruzeiro. O clube existe há décadas, então temos que diferenciar a instituição dos seus comandantes", considerou.

Ferraz declarou que a escolha pela Toca I atendeu a pedido da Associação Nacional do MP e que a excelente infraestrutura do local foi o que foi levado em consideração. "Não existe outro lugar na capital que dispõe de cinco campos de futebol", argumentou.

O procurador afirmou que tratou da cessão do espaço com o diretor de Futebol do Cruzeiro, Dimas Fonseca - sócio de Perrella em empreendimentos -, e que não teve contato com o cartola e senador. "Não estivemos com o presidente", disse.

Na investigação de enriquecimento ilícito, que ganhou novo fôlego depois que o Hoje em Dia revelou que Perrella é dono de uma fazenda de R$ 60 milhões, os promotores de BH apuram a origem do dinheiro usado na compra da propriedade, além dos termos de uma suposta doação da fazenda para o casal de filhos e um sobrinho do senador. Convocado a prestar esclarecimentos sobre a fazenda, o cartola não compareceu ao interrogatório.

Já no inquérito de uso indevido de dinheiro público, ele é suspeito de ter apresentado notas fiscais de abastecimento de seus aviões particulares, no valor de R$ 26,3 mil, quando era deputado dentro da verba indenizatória. Procurado, Perrella não atendeu às ligações.

(Uma palavra apenas: revoltante...)

.