Na primeira convocação de Andres Sanchez, a incoerência de Mano até piorou. 19 meses não serviram para nada…

divulgacao12 Na primeira convocação de Andres Sanchez, a incoerência de Mano até piorou. 19 meses não serviram para nada...
Na primeira convocação da Seleção em 2012...

A pessoa mais influente foi Andres Sanchez...

Ele disse que não daria palpites sobre os convocados.

Mas houve várias coincidências com o que havia dito antes.

Por ele, jogadores com mais de 30 anos não deveriam ser chamados.

Fora honrosas exceções.

Como Ronaldinho Gaúcho, na sua pior fase.

E acusado de conspirar pela queda de Luxemburgo.

Ele é o maior 'projeto' de Mano.

A casualidade se encontrou com a 'coerência' do treinador.

Ele, por acaso, confirmou na Seleção o ídolo do Flamengo.

Por acaso.

E por coincidência, a Seleção Olímpica se concentrará na Gávea.

Qual seria o sossego de Mano treinando no clube sem chamar o seu mais importante jogador?

Ninguém saberá o seu critério para chamar Ronaldinho na sua pior fase...

E deixar de fora Kaká, agora jogando no Real Madrid.

O motivo: nem Mano soube explicar.

Ficou completamente constrangido quando foi perguntado sobre o assunto.

Ainda mais com a pergunta partindo da Globo.

Mano, não chamou Lúcio, seguindo, por acaso, a tese de Andres...

O zagueiro da Inter tem 33 anos.

Não vive boa fase.

Assim como Ronaldinho Gaúcho, às vésperas dos 32 anos.

Se agora ele mostra não ter energia durante boa parte do jogo...

Como estará com 34 anos.

Que base é essa que Mano está buscando?

Por que então o treinador dizia que se espelhava na seriedade de Lúcio?

Era o que queria para a Seleção Brasileira...

Queria, deu um abraço em Andres e mudou de ideia.

E por que não chamou Oscar contra a insignificante Bósnia?

O jogador com idade olímpica e ótimo futebol ficou de fora sem motivo...

Mano simplesmente não quis.

Chamou oito jogadores com idade olímpica.

Ricardo Teixeira jurou que conseguir o ouro em Londres era uma das prioridades...

Disse isso ao dar o cargo a Mano.

Ainda bem que pouca gente acredita nos juramentos de Teixeira.

As Olimpíadas acontecem em julho e o treinador não se mostra nem um pouco preocupado...

Disse que irá começar a treinar a sério em maio.

Em maio...

Só quer convencer Andres a deixar que leve três atletas com mais de 23 anos como a lei permite.

Thiago Silva e Daniel Alves estão decididos.

Há dúvida no terceiro nome.

Mano deu outra demonstração que a sua coerência é incoerente...

Não chamou seu jogador de total confiança: Robinho...

O motivo?

Nem o treinador sabe colocar em palavras.

Porque ser titular absoluto do Milan, Robinho nunca foi.

E mesmo assim era chamado.

Agora, não.

Júlio César passando por uma fase fraca na Inter foi convocado.

O goleiro está tão ruim quanto Lúcio.

E completará 33 anos em setembro.

O treinador garante que acabou o período de testes.

E nasceu hoje o time de 2014...

Só perdemos um ano e sete meses.

O que são 19 meses?

Nada, no calendário de treinador...

Ele aposta que com Andres terá imunidade para ficar quanto tempo quiser comandando a Seleção...

E depois partir para uma carreira em um grande time europeu...

Por isso estuda com tanto afinco idiomas nas muitas horas livres na CBF...

Quer vencer onde Felipão e Luxemburgo fracassaram...

Mano Menezes acha que vai traçar o próprio destino.

Mesmo com a Seleção não tendo nem desenho tático definido.

E sua permanência no cargo um desperdício...

Ele é mais imaturo do que o grupo que convoca.

A insegurança transparece por cada poro.

Mesmo assim, não muda a sua convicção.

Se ilude como se não enxergasse o que acontece com o Brasil no campo.

Acredita que a sua incoerência e o escudo de Andres o levarão longe.

Pelo menos no mundo de Mano...

Um mundo cada vez mais incompreensível...

Neymar acredita que a altitude de La Paz não existe para ele. Ela só não existe para os lhamas, Edmundo, Ronaldo e André Rizek…

reuters83 Neymar acredita que a altitude de La Paz não existe para ele. Ela só não existe para os lhamas, Edmundo, Ronaldo e André Rizek...
Leitores não cansam de pedir no blog e no chat histórias pessoais.

E para quem tiver paciência, mais uma delas.

Ri muito por dentro quando ouvi Neymar.

A sua declaração de que não teme a altitude de La Paz é simbólica.

A arrogância se mistura com a falta de vivência.

Apesar da tentação, não farei mais um post mostrando o quanto ele é mimado.

Me fixarei em La Paz.

Nas duas terríveis experiências que tive na altitude boliviana.

A primeira em 1993.

Acompanhei com meu companheiro Luís Prósperi um jogo histórico.

Foi a primeira derrota do Brasil em uma partida das Eliminatórias.

O adversário foi a Bolívia.

O placar de 2 a 0 para o time da casa quase derrubou Parreira.

Ele foi mantido e no ano seguinte, ganhou a Copa do Mundo.

Mas a sensação de desembarcar em La Paz pela primeira vez continua viva, apesar dos anos.

A Seleção adotou a mesma estratégia do Santos.

Só foi para as alturas horas antes do jogo.

E no mesmo avião, os jornalistas.

Chegar em La Paz é como participar de um videogame.

Você vê a cidade, o avião desce e depois tem de subir.

Não é por acaso que o aeroporto se chama "El Alto".

Mal pisamos no chão de La Paz, eu e o Prósperi sentimos a vingança andina.

O sangue começou a escorrer do seu nariz.

E tampa da minha cabeça parecia que iria estourar.

O ar rarefeito parecia que não queria entrar nos nossos narizes brasileiros.

Fomos direto para o estádio Hernando Siles.

Lá vimos a derrocada brasileira.

Com direito a tubos de oxigênio nos vestiários.

Não acreditamos que a Fifa pudesse realizar jogos eliminatórios para a Copa em um lugar tão alto.

Voltamos no hotel para escrever as matérias e enviá-las para o jornal por fax, sim sou velho...

Como Prósperi já tinha molhado de sangue quase todos os lenços de La Paz...

E eu estava a ponto de dar um tiro na minha cabeça...

Fui até a recepção do hotel.

E pedi dois bules de chá de coca.

Tomamos de uma vez.

E ficamos como dois lhamas mascando folhas de coca.

O efeito foi imediato.

O sangue parou.

A minha cabeça já não doía.

E ficamos eufóricos.

Não conseguimos dormir por dois dias.

Mas tenho certeza que não escaparíamos de nenhum antidoping do planeta.

Para terminar esta primeira viagem, coube a mim ser o mensageiro da mais constrangedora notícia da carreria de Zetti.

Ao ligar para o jornal, soube que a Fifa havia anunciado que ele e Rimba da Bolívia haviam sido pegos no doping.

O motivo: resíduos de cocaína no sangue dos dois.

Zetti estava almoçando.

Esperei ele terminar.

E dei a notícia.

Sim, é verdade, naquele tempo não havia Internet.

Ele ficou branco, pálido e foi falar com Parreira.

Depois de alguns minutos, a confirmação.

O santo Zetti começou a me jurar que nunca havia cheirado cocaína na vida.

Nem tinha tomado chá de coca.

Nada.

Nada?

Nada, não.

Lembrou que havia comido no hotel alguns biscoitos bolivianos.

Só que esses biscoitos de papoula misturavam folhas de coca.

Em uma decisão inédita da Fifa, a santificada carreira de Zetti o livrou de uma prolongada suspensão.

Para não ficar claro que a entidade estava ajudando o Brasil, liberou também o boliviano Rimba de pena.

"Se fosse o Edmundo jurando inocência e com vestígios de cocaína no sangue, tomaria uns 15 anos", brincou Zetti ao ser perdoado.

Essa primeira aventura havia até sido apagada da memória.

Quando veio a segunda.

Final da Copa América de 1997.

Havia ficado durante o torneio todo em Santa Cruz de La Sierra.

Com meu colega de profissão, André Rizek.

Lá ele conseguiu se trancar no banheiro e depois de horas, pedindo ajuda, se cansou.

Ele estourou a porta aos pontapés.

Sim, ele misturou seu lado Jerry Lewis com Bruce Lee.

A convivência com a Seleção de Zagallo foi melhor do que com Rizek.

A ponto de formamos a dupla de cobertura do jornal...

E tomarmos taxi diferentes em todos os lugares que íamos...

Mas veio o jogo em La Paz.

Brasil decidindo o título com a seleção local.

Outra vez o bendito vôo.

Fui ruminando folhas de coca que coloquei no computador, sim a informática havia chegado.

Mas mal o avião chegou em La Paz, um enorme susto.

Enorme literalmente.

Mauro Leão, competente e engraçadíssimo jornalista de O Dia, caiu desmaiado.

Ele tem cerca de dois metros.

Foi um terror.

Os jogadores não viram porque em avião que mistura jornalistas e times ou seleção, eles ficam na parte da frente da aeronave.

Descem antes.

As folhas que masquei amenizaram os sintomas.

Minha cabeça não parecia uma chaleira a ponto de explodir.

Só que a sensação de tontura veio pesada.

Os jogadores do Brasil pouco sentiram.

Principalmente Ronaldo, que decidiu o título para o Brasil.

E foi lá que Zagallo avisou ao mundo que 'teríamos de engoli-lo"...

Edmundo era o mais animado.

E logo tratou de dar um soco em um zagueiro boliviano.

Não foi expulso por sorte.

Zagallo queria matá-lo porque quase complica a final.

Mas o polêmico atacante correu e se sentiu à vontade no campo.

Assim como Edmundo, André Rizek parecia ter parentesco com as alpacas andinas...

Não sentiu nada...

Eu só voltei a melhorar tomando litros do chá de coca...

De novo a euforia...

O texto ficou até mais leve, com o Brasil campeão...

E o gosto do chá...

Lembrei dessas duas situações pessoais graças a Neymar...

Muricy já pediu para os seus jogadores não prenderem a bola...

E que joguem perto uns dos outros contra o The Strongest, na estréia da Libertadores, amanhã.

Neymar disse que não vai fazer isso...

Vai prender a bola, partir para os dribles em velocidade.

Isso a 3.640 metros...

Fica o aviso, James Dean do Suarão...

Se você não tiver parentesco com Edmundo, Rizek ou com os lhamas...

Vai sofrer...

E o chá de coca é restrito para quem não é atleta.

Se os homens não conseguem domar o ego do jovem de 20 anos...

Talvez os Andes consigam.

Eu que não quero voltar mais para lá...

Neto foi eleito conselheiro do Corinthians. Da situação. Do grupo do presidente Mario ‘futebol é business’ Gobbi. De pedra virou vidraça. E agora, José Ferreira?

divulgacao84 Neto foi eleito conselheiro do Corinthians. Da situação. Do grupo do presidente Mario futebol é business Gobbi. De pedra virou vidraça. E agora, José Ferreira?
Neto acalenta o sonho de ser presidente do Corinthians.

Nunca escondeu isso de ninguém.

Fala há muito tempo nos seus canais de comunicação: na tevê, no rádio e no blog.

É um direito justo, transparente.

Ele acaba de ser eleito conselheiro.

Além de ter sido ídolo, teve o apoio de Andrés Sanches.

Representa a situação.

Para ser presidente, o caminho obriga o candidato a ser conselheiro.

A ligação de Neto com o Corinthians sempre foi umbilical.

Assim como a sua relação fraterna com Andrés.

Ele sabia que quando seu desejo começasse a se transformar em realidade seria pesado.

O questionamento é óbvio.

Neto é comentarista.

Tem a obrigação profissional de questionar, cobrar, criticar todos os clubes.

Principalmente os de São Paulo, já que é aqui que ele trabalha.

Como fica a sua postura ética?

A questão é delicada.

Uma situação é ser ídolo, ex-jogador.

Outra é ser conselheiro da situação.

Pertencer à chapa que comanda o clube.

Neto sempre foi uma pessoa transparente.

Até demais.

Mas não há como negar que a questão é mais do que delicada.

Os veículos de comunicação que trabalha lhe deram um voto de confiança.

A audiência continua a mesma.

Ele garante que continuará o mesmo, sem amarras, como sempre foi.

Milton Neves é conselheiro santista há muito tempo, por exemplo.

E faz questão de lembrar isso dia sim e no outro também.

Ambos tomaram uma decisão difícil, com a audiência que têm.

Com a diferença que Milton nunca quis ser presidente do Santos.

Tenho recebido inúmeros comentários em relação à decisão de Neto.

Não há meio termo.

Há quem garanta que não problema algum.

E há aqueles que não aceitam.

Por mais isento que seja, acabará pendendo para o Corinthians.

Trabalhei com Neto e acredito na sua lisura.

Sei do sonho que acalenta em ser presidente do clube que ama há anos.

E ele deu o primeiro passo em direção ao cargo.

Muito inteligente e instintivo, ele sabia que haveria reação assim que fosse eleito conselheiro.

E se diz preparado para as cobranças éticas.

Cada análise sua do Corinthians ou dos rivais será questionada de maneira diferente.

Será um conselheiro da situação, de Mário 'futebol é business' Gobbi, opinando.

Na teoria, teria de votar, apoiar todas as iniciativas da situação.

Eu acredito na honestidade de Neto.

Ele continuará polêmico, engraçado, controverso, irritante e irritado.

Mas não há como negar que, de pedra, virou vidraça.

Precisará usar sua forte personalidade para suportar as cobranças que virão.

Apesar de não concordar com a situação...

Na minha visão há conflito de interesses...

Na teoria, ele deveria apoiar qualquer decisão de Gobbi...

E em qualquer lugar.

Até na televisão, no rádio, na internet.

Isso na teoria.

Acredito que Neto não vá se prestar a esse papel.

Mas não sou ingênuo.

Cada comentário sobre o Corinthians e dos rivais pode ser questionado de maneira diferente.

Ele se colocou na alça de mira de qualquer um...

Precisa se preparar que sua vida não ficará fácil...

Na verdade, nunca foi...

Eu o respeito e confio nele.

Até porque tive a chance de trabalhar com Neto.

Ser seu colega de trabalho.

Sei o quanto é honesto, justo.

Mas quem conhece apenas o comentarista, ex-jogador do Corinthians?

Cobri sua carreira como meia talentoso e indisciplinado...

Há mais de 20 anos ele escolhe os caminhos mais difíceis...

E este talvez seja o pior deles...

Inglaterra, Pará, Ceará. Nada como um fim de semana de futebol para mostrar o quanto a humanidade evoluiu…


Pará, Ceará e a Inglaterra nunca estiveram tão unidos.

No mais abominável no futebol.

No país da rainha, Luiz Suárez conseguiu ser mais preconceituoso do que em outubro de 2011.

Ele, um representante do nosso Terceiro Mundo foi muito bem recebido na Europa.

Destaque no tradicional Liverpool.

Mas decidiu tratar o francês Patrice Evra do Manchester United por sua cor de pele.

O ofendeu, o xingou, tentou humilhá-lo por ser negro.

Foi suspenso por oito partidas.

No sábado, todos esperavam o reencontro.

O ato asqueroso aconteceu antes mesmo de o jogo começar.

No tradicional cumprimento entre todos os atletas do Manchester United e Liverpool.

E Suárez se negou a estender a mão a Evra.

O francês ficou tão desconsertado que quis agarrar a sua mão à força.

A revolta dominou a Inglaterra.

Sir Alex Ferguson classificou Suárez como a 'desgraça' no Liverpool.

Pressionado por todos os lados e percebendo que poderia ser afastado do clube, o racista pediu desculpas.

Da forma mais fria possível.

Palavras atribuídas a ele foram colocadas no site do Liverpool.

E a direção do Manchester United se apressou a aceitar as desculpas para tentar colocar um final na questão.

Só que os clubes não esperavam a postura firme do primeiro ministro David Cameron.

Ele convocou uma reunião para discutir e tomar atitudes sobre o racismo no futebol da Inglaterra.

Essa postura de Suárez mancha a imagem do país.

E dá um péssimo exemplo.

Que já foi seguido.

A atitude racista do uruguaio aconteceu no sábado.

No domingo, o menino, mascote do Aston Villa, não quis cumprimentar o mascote do Manchester City...

Eram duas crianças...

O Pará deu sua contribuição ao absurdo na briga entre Águia de Marabá e Remo.

O jogo valia uma vaga para a final do primeiro turno do campeonato paraense.

O clima ficou descontrolado e houve um princípio de briga entre os jogadores dos dois times.

Quando o volante reserva do Águia, Alexandre Carioca, pegou um tripé de ferro de um fotógrafo...

E não teve dúvidas...

Acertou com toda a força as costas do lateral do Remo, Aldivan.

O agredido chegou a ir para a delegacia para registrar queixa pela agressão.

Mas Alexandre levou sua esposa e filho e implorou para que o lateral desistisse da idéia.

O detalhe é que ambos haviam jogado juntos no Paysandu...

A queixa não foi registrada.

Pior mesmo só o que aconteceu no Ceará.

Três torcedores com camisa do Fortaleza estavam ontem indo para o estádio Presidente Vargas.

Iriam acompanhar o clássico Ceará e Fortaleza.

Quando dois homens em uma moto começaram a atirar no trio.

Mataram duas pessoas.

Francisco Nascimento de 27 anos.

E um menor, identificado só pelas letras.

Virou notícia como P.W. B. S.

Ninguém foi preso.

Este foi apenas um final de semana do futebol pelo mundo...

Falta de personalidade de Marcelinho ou Lucas é a grande decepção no São Paulo. Leão está matando seu futebol e ele não reage…

reuters44 Falta de personalidade de Marcelinho ou Lucas é a grande decepção no São Paulo. Leão está matando seu futebol e ele não reage...
Ele já aceitou que mudassem o apelido Marcelinho, que adorava.

O vice Leco não aceitou que o São Paulo tivesse um jogador que remetesse a um ídolo corintiano.

Dirigente com a apelido de fábrica de laticínio pode.

E sem pia batismal, Leco trouxe Lucas ao mundo.

Ele é uma das cem almas que Wagner Ribeiro é dono.

Ao chegar no elenco principal do São Paulo, Ribeiro repetiu sua estratégia.

O que sempre faz quando um jogador seu é lançado em um time grande.

Diz que haverá a Terceira Guerra Mundial.

Todos os grandes clubes da Europa querem o seu pupilo.

Alguns dirigentes ainda caem neste truque.

Como a ingênua diretoria corintiana pensou que Lulinha era filho de Messi e Marta...

Ribeiro conseguiu fazer que sua multa chegasse a absurdos US$ 50 milhões...

Obteve um ótimo aumento mensal, justificando a sua enorme lábia...

E logo o meia estava sendo dispensado do Olhanense de Portugal...

Marcelinho ou Lucas é muito mais talentoso do que Lulinha.

Só que padece de um grave defeito.

Não tem personalidade para se impor.

Um dos motivos para a rápida queda de Adilson Batista no Santos foi Neymar.

Contra o Corinthians, o treinador teve a coragem de colocá-lo no segundo tempo como lateral direito.

A obrigação do habilidoso atacante era fechar o setor, defender.

Os dirigentes ficaram revoltados.

Mas Neymar não se conteve.

Além de não ficar como uma marionete cumprindo a determinação de Adilson...

Ele também reclamou com gente importante na Vila Belmiro.

Adilson caiu.

Ninguém defende que Marcelinho ou Lucas saia organizando um motim contra Leão.

Mas com todo o potencial que possui ele não poderia aceitar o que o treinador fez ontem.

Colocá-lo como um poste na ponta direita é matar o seu potencial.

Marcelinho ou Lucas sabe disso.

Só que não teve personalidade para se deslocar...

Esquecer a determinação tática sem fundamento...

E jogar pelo meio das intermediárias como gosta e rende.

Mas faltou coragem, peito, personalidade para desobedecer Leão.

Cada vez mais, Marcelinho ou Lucas vai ficando para trás.

Ele tem futebol, potencial para ser um grande jogador.

Se impor na Seleção Brasileira Olímpica...

E brigar de verdade por uma vaga na principal.

Mas ele está sendo tolhido dia após dia.

Se submetendo a vontade de outras pessoas.

Aceitar livrar o apelido que adorava já foi um sinal.

Ter pela frente a falta de visão de Leão e não reagir pode ser fatal.

Ele está perdendo a idolatria da torcida e dos dirigentes são-paulinos.

Ninguém admira alguém omisso, que não se posiciona.

Que faz questão de se desperdiçar.

É o que está acontecendo com Marcelinho ou Lucas.

De que adianta ter professor de inglês, aulas de fono, estilista?

Fazer media treining (treinamento para falar com jornalistas)?

Criar um site próprio?

Ter multa de R$ 180 milhões?

Se falta personalidade, firmeza para se impor?

Marcelinho ou Lucas tem de reagir.

Talvez seja a hora de olhar um pouco para Neymar.

Mas só um pouco...

Depois de 30 anos, Washington Olivetto é convidado a voltar ao Corinthians. Rosenberg quer os holofotes do criador da Democracia Corintiana. E os seus clientes milionários, lógico…

divulgacao82 Depois de 30 anos, Washington Olivetto é convidado a voltar ao Corinthians. Rosenberg quer os holofotes do criador da Democracia Corintiana. E os seus clientes milionários, lógico...

Luís Paulo Rosenberg quer mergulhar de cabeça na administração do Corinthians.

Tem três anos para trilhar o caminho até a presidência, seu sonho.

O eleito, Mario 'futebol é business' Gobbi deixará que seu vice-presidente se articule.

Ele quer é tratar do futebol, seguindo a orientação diária de Andres Sanchez.

Rosenberg já percebeu que terá dois rivais pelo cargo.

Roberto Andrade experimentou o gostinho como interino e adorou.

André Negão acha que já cedeu demais.

E vai brigar pelo cargo.

Enquanto isso, Paulo Garcia acredita que foi distante demais do clube.

Sem o carisma e as ligações de Sanches com Lula e Ricardo Teixeira, será mais fácil questionar Gobbi.

E ter chances reais daqui a três anos.

Rosenberg já leu o quadro e falou a amigos que precisa se fortalecer.

E que precisa de mais holofotes.

Sem Andres, ele pretende alguém capaz de instigar a mídia.

Mas que não deseje o cargo de presidente.

Ele tem o nome perfeito.

E já mandou enviados lhe mandarem um convite informal.

Ele ficou de estudar se aceita ou não.

O novo 'case' de Rosenberg se chama Washington Olivetto.

Ganhador de 40 leões de Cannes, prêmio máximo da propaganda.

Sócio da W/McCann, o publicitário mais conhecido do Brasil está pensando se aceita.

Ele já comandou o marketing corintiano.

Há exatos 30 anos...

Em 1982, foi convidado pelo diretor de futebol e sociólogo Adilson Monteiro Alves.

Foi Washington quem batizou o movimento comandado por Sócrates de Democracia Corintiana.

Olivetto classifica o marketing de Rosenberg no Corinthians como 'intuitivo', já que ele não é formado na área.

Mas não o cansa de elogiar.

O novo primeiro vice corintiano quer Olivetto comandando um grupo de cinco publicitários importantes para 'tocar o marketing'.

Esse grupo se reportaria a ele.

Esperto, Rosenberg sabe que, além de tudo, o corintiano apaixonado Olivetto garantiria holofotes por três anos.

Além dos excelente contatos publicitários que ele tem para atrair ao Corinthians.

A sondagem foi feita.

Ansionso, Roseberg espera a resposta do publicitário...

Juiz estraga Fluminense e Vasco. Se não tiver coragem, não é possível ser árbitro de futebol. Não há desculpa para Antônio Frederico Schneider…

divulgacao74 Juiz estraga Fluminense e Vasco. Se não tiver coragem, não é possível ser árbitro de futebol. Não há desculpa para Antônio Frederico Schneider...
Antônio Frederico Schneider fez duas façanhas ontem.

A primeira: colocou abaixo o mito que o poder econômico se impõe sempre.

A segunda, mostrou que os dois árbitros atrás do gol realmente não servem para nada.

Tudo isso em uma vergonhosa arbitragem do clássico entre Vasco e Fluminense.

Ele implodiu o endinheirado clube de Celso Barros.

Acabou com os nervos dos jogadores.

Não marcou dois pênaltis claros.

O primeiro de Dedé em Fred, mas sutil.

O segundo, de Fagner em Carlinhos, um escândalo.

Chega a ser um milagre que apenas Fred e Edinho levaram vermelho.

Pelos erros absurdos é incrível pensar como essa partida chegou ao fim.

Como Abel Braga pôde se conter e não tirar o seu time de campo.

Seria uma atitude exagerada, ridícula, mas compreensível.

O Vasco com seus salários atrasados não teve nada a ver com os erros.

Até prova em contrário, não pediu nada a Antônio Frederico Schneider.

Foi a sua própria incompetência e falta de personalidade que interferiram no jogo.

Principalmente contra o Fluminense.

Daí a revolta de seus jogadores justificarem oito amarelos e dois vermelhos.

Enquanto os vascaínos tiveram apenas três amarelos.

Além de toda ira contra o fraco árbitro Antônio Frederico Schneider...

Vale a pena destacar a falta de visão de Abel Braga.

Ele ajudou demais ao Vasco tirando Deco de campo.

O veterano meia fazia ótima partida, mas o preconceito da idade pesa.

Abel não acreditou que ele poderia manter o ótimo ritmo do primeiro tempo.

E o tirou.

Deco ficou revoltado e a atitude deverá ter desdobramentos nas Laranjeiras.

Abel precisa justificar seu alto salário e corrigir o marcação do seu time.

Seus zagueiros falham demais.

E deram toda a liberdade a Alecsandro virar o jogo.

Os gols que o Fluminense tomou foram infantis.

O Vasco brigou do início ao final do clássico.

Mostrou um futebol solidário, de muita luta.

Quando não deu na técnica, foi no coração.

Mas sem a ajuda de Antônio Frederico Schneider não venceria o jogo.

Agora a Federação Carioca tem a obrigação de afastar Schneider.

Também rever o pagamento de dois árbitros para ficarem atrás do gol.

De nada adianta eles acompanharem os lances a dois metros e não ter coragem de marcar nada.

Os pênaltis e um escanteio ridículo para o Fluminense foram lances claros não assinalados.

E implodiram o time das Laranjeiras.

Chegou a hora de os dirigentes mostrarem que têm muito mais do que o dinheiro de Celso Barros.

E pressionar a Federação Carioca.

Uma pessoa como Antônio Frederico Schneider não tem o direito de estragar um clássico tão tradicional.

Ele será afastado.

Ele precisa se reciclar.

Sem coragem é impossível apitar.

Ou então, terá de buscar outra profissão...

Leão abriu um corredor chamado João Filipe e ainda travou Lucas na ponta. Foi o melhor personagem corintiano na vitória por 1 a 0 sobre o São Paulo. O coro de ‘o freguês voltou’ é dedicado a ele…

divulgacao903 Leão abriu um corredor chamado João Filipe e ainda travou Lucas na ponta. Foi o melhor personagem corintiano na vitória por 1 a 0 sobre o São Paulo. O coro de o freguês voltou é dedicado a ele...
O Corinthians nem precisou de Alex, Émerson e Liédson.

Poupou o trio e mesmo assim venceu o São Paulo por 1 a 0.

O clássico do Pacaembu foi o melhor jogo deste início modorrento de Paulista.

O grande personagem acabou sendo Danilo.

Não só pelo gol.

Mas porque sem Alex e com a concorrência pesada de Douglas ele fez o que precisava.

Atuou onde rende muito mais, do lado esquerdo do campo, armando e fechando pelo meio.

Articulou os principais ataques, ditou o ritmo corintiano e ainda foi presente na área.

Como no gol de cabeça que decidiu a partida.

Jorge Henrique foi o seu parceiro ideal.

Ele é o jogador corintiano mais talhado para disputar a Libertadores.

Inteligente, rápido e muito provocador.

Desestabilizou vários jogadores do São Paulo.

Foi fundamental no lado emocional da partida.

No primeiro tempo, a gana e a técnica de Danilo desequilibraram o jogo para o Corinthinas.

No segundo, Jorge Henrique roubou a cena.

Jogando no Pacaembu, o Corinthians se impôs aproveitando o presente de Leão.

Ao improvisar João Filipe na lateral direita, ele deu o caminho das pedras.

Os corintianos criaram e desperdiçaram inúmeras chances pelo setor.

Se Fábio Santos fosse um pouco menos afobado, o time de Tite teria feito pelo menos três gols no primeiro tempo.

Oportunidade não faltou.

E o futebol é cruel.

O intimidado São Paulo teve tudo para empatar o jogo em um lance esporádico.

Em bola cruzada por Jadson, Rodolpho cabeceou e Ralf salvou o empate.

Mas na sobra, Alesandro deixou a bola escapar e Cortez iria para a linha de fundo...

Quando o afobado lateral cometeu pênalti infantil...

Um raro parênteses para a ótima arbitragem no Pacaembu.

Rafael Klaus conduziu muito bem a partida.

Teve firmeza no primeiro tempo embaixo de chuva.

E personalidade na segunda etapa.

Que continue assim...

O pênalti foi do lado do Tobogã...

A torcida corintiana fez toda a pressão possível...

E Jadson se enervou e cobrou longe do gol, por cima...

Mesmo com 15 minutos para pensar, Leão não enxergou a falha óbvia...

E manteve o corredor João Filipe...

Mesmo com Tite segurando mais sua equipe para tentar os contragolpes, que tanto ama...

Jorge Henrique provocou o tensão João Filipe e tomou o pontapé que queria.

E tirou o jogador do São Paulo de campo.

Com um a mais, o Corinthians perdeu seu ímpeto.

Tratou de marcar forte para conseguir vencer sem se expor ou se desgastar.

Leão colaborou com o plano de Tite para a Libertadores.

Desperdiçou todo o potencial de Lucas.

O meia talentoso virou um ponta direita das antigas, parado em cima da linha lateral.

Acabou um peso morto.

Os gritos de Leão já não surtem mais o mesmo efeito entre dirigentes e torcedores.

O time está sendo montado durante o Paulista.

Mas o treinador que estava aposentado mostra o quanto é fraco taticamente.

Só vontade, pressão e ameaças não estão resolvendo.

Os empates contra Guarani e Comercial no Morumbi foram muito observados.

Como mais essa derrota diante do detestado rival.

Além da derrota, o que pesa contra ele foi a maneira com que o time atuou.

Sem nada a ver com a incompetência no treinador do São Paulo, o Corinthians venceu.

E ganhou força psicológica para iniciar mais uma Libertadores.

Vai para a Venezuela para enfrentar o Deportivo Táchira.

O clima com a vitória no clássico ficou ótimo.

Melhor ainda com a inscrição de Adriano.

Como o blog antecipou há duas semanas ele faz parte dos 25 inscritos.

Há uma única situação que o Corinthians deve lamentar na competição sul-americana...

O fato de nenhuma equipe ter um treinador aposentado e tão amigo como Leão...

Capaz de dar o caminho da vitória...

E ainda anular seu principal jogador...

Isso só no Morumbi de Juvenal Juvêncio.

Esse foi o motivo para o coro final dos torcedores no Pacaembu.

"O freguês voltou...

O freguês voltou..

O motivo de Sanchez não comemorar a vitória de Gobbi: os fortes boatos que Ricardo Teixeira decidiu renunciar à presidência da CBF…

AE21 O motivo de Sanchez não comemorar a vitória de Gobbi: os fortes boatos que Ricardo Teixeira decidiu renunciar à presidência da CBF...
A saída abrupta de Andres Sanchez do Parque São Jorge seria um indício.

Ele teria todos os motivos para dar entrevistas, beijos, risadas para as câmeras.

Colocou seu representante, pupilo, aluno Mario 'futebol é business' Gobbi na presidência.

O grupo que lidera ficará mais três anos no poder.

Tempo suficiente para inaugurar o Itaquerão.

Vender o nome do estádio para algum patrocinador aliado da Globo.

Construir e inaugurar o CT para as categorias de base.

Ganhar por três anos muito mais dinheiro da tevê do que os concorrentes.

Ou seja, só havia motivos para comemorar.

Mas em vez disso, fumando um cigarro atrás do outro, a tensão não passava do seu rosto.

Irritadiço avisou para nenhum repórter se aproximar dele.

Ninguém entendeu nada no Parque São Jorge.

Nem correligionários de Gobbi.

O motivo da tensão de Andres é outro.

E tem origem no Rio de Janeiro.

As notícias começaram a vazar para os dirigentes ainda na sexta-feira à noite.

Ricardo Teixeira estaria disposto a abandonar o cargo de presidente da CBF.

Seria um acordo.

Como o que teria feito seu sogro, João Havelange, ao renunciar a seu cargo no Comitê Olímpico Internacional.

De acordo com a imprensa inglesa, Havelange renunciou para a Fifa não divulgar documentos sobre a sua participação no escândalo ISL.

E que Ricardo Teixeira estaria tomando o mesmo caminho.

Ele também foi denunciado.

Sua relação com Blatter é péssima.

Teixeira é uma figura que a presidente Dilma Rousseff evita nas cerimônias oficias sobre a Copa de 2014.

A pressão sobre a sua presença na presidência do Comitê Organizador da Copa também é imensa.

Colocar Ronaldo como escudo foi uma atitude que teve efeito temporário.

Tudo o que Dilma não quer e já avisou a intermediários de Teixeira é um escândalo internacional.

E avisou que o governo federal não vai defender o presidente da CBF.

É apontado como o responsável pela grande rejeição ao Mundial por parte da população.

Ele pediu licença da entidade neste início do ano.

Mas já demitiu seu próprio tio Marco Antônio Teixeira da secretaria-geral.

Também decidiu que o diretor financeiro Antônio Ozório vai sair.

Ele está tirando peças chaves e de sua total confiança.

Sendo verdadeira a versão de que está perto de renunciar, resta saber o que será de Andres Sanches.

O novo diretor de Seleções mal assumiu.

Se Teixeira abandonar o cargo, o vice mais velho, José Maria Marin ficará com seu invejável emprego.

É impossível saber o que fará o homem que colocou uma medalha de premiação da Copa São Paulo no bolso.

Desde a sexta-feira, quem encontra Marco Polo del Nero fica preocupado.

O presidente da FPF e amigo íntimo de Marin está sorrindo.

O medo é que trave a sua mandíbula de tanta felicidade.

Se Marin assumir o cargo, Marco Polo pode se transformar no homem forte do futebol brasileiro.

Roubar a vaga que seria de Andres.

O clima é esse.

De extrema ansiedade.

A postura de Andres após a vitória de Gobbi denuncia.

Há algo de muito errado no reino dos Teixeira...

Andres Sanchez será reeleito hoje presidente do Corinthians. Mario ‘futebol é business’ Gobbi será apenas o seu intermediário de confiança…

AE5 1024x576 Andres Sanchez será reeleito hoje presidente do Corinthians. Mario futebol é business Gobbi será apenas o seu intermediário de confiança...
Andres Sanchez e Mario Gobbi têm uma ligação paterna com Dualib.

Foi o ex-presidente quem deu poder à dupla no Parque São Jorge.

Com Dualib caindo em desgraça por causa da MSI, eles se viraram contra ele.

E trabalharam de forma oportunista para derrubá-lo.

Andres herdou o cargo de presidente.

Mario Gobbi que já confessou não entender nada de futebol queria a política interna.

Tentou ser presidente do Conselho Deliberativo.

Perdeu.

Andres lhe deu como consolação o futebol.

Justo o que ele revelou não entender.

O cargo caiu no seu colo porque Andres queria que se tornasse popular.

Ele e Mano Menezes mandavam no futebol.

Gobbi tinha só a missão de dar entrevistas.

O delegado dominou seus nervos e a articulação das palavras e se mostrou para a imprensa.

Duas frases ficaram marcadas na sua passagem como presidente.

Ao tentar explicar as absurdas vendas de Douglas, André Santos e Cristian, que desmancharam o excelente time de 2009...

"Futebol é business."

Mostrando realmente não entender a paixão, a volúpia pelas conquistas, ele resumiu o esporte a busca de dinheiro apenas.

E na hora da raiva, quando questionado pela torcida, não pensou duas vezes.

"Torcedor é um analfabeto de arquibancada."

Raposa política, Andres percebeu que Gobbi estava se expondo muito.

Falando bobagens e perdendo força para sucedê-lo.

E Gobbi se despediu da diretoria em 2010.

Foi para a geladeira esperar a eleição.

Neste meio tempo, os conselheiros de Andres insistiram que virasse a mesa.

Que rasgasse os estatutos e que ficasse mais três anos como presidente do Corinthians.

Seria ir contra tudo o que pregou.

E também a sua aproximação de Ricardo Teixeira fez que com que mudasse seus planos pessoais.

Assumir primeiro como diretor de Seleções e depois a própria CBF.

E ainda continuar sendo a eminência nem tão parda de Gobbi.

Ele quer e assume precisar desesperadamente de Andres no Parque São Jorge.

"O Andres cuidará das Seleções Brasileiras.

Terá tempo para tocar comigo o Corinthians.

Conto sim com o seu apoio, sua orientação", confirmou Gobbi nas várias entrevista pré-eleitorais.

Ele assume que Andres continuará mandando e ele obedecendo.

Até por essa relação sem conflito que Gobbi foi escolhido.

A comparação entre Lula e Dilma não vale.

Por que Dilma tem voz ativa.

Gobbi não terá.

A situação corintiana soube construir a sua permanência no poder.

A conquista do estádio, seja que maneira for, é um trunfo inegável.

Com dinheiro público ou não, o Itaquerão de um bilhão está ficando em pé.

O Corinthians terá o privilégio de abrir a Copa do Mundo de 2014.

Com Lula, Globo e Ricardo Teixeira nas costas não importa.

No plano maquiavélico não importou os meios.

Além disso, a contratação de Ronaldo mudou o panorama provinciano.

Ele trouxe carisma e patrocinadores fortíssimos.

A modernização passou pela construção de um excelente Centro de Treinamento.

O Corinthians arrecadou R$ 290 milhões em 2011.

Mas as dívídas que Andres jurou que iria zerar chegaram a R$ 172 milhões.

A Libertadores não veio.

Mas veio o acordo com a Globo que fará que Corinthians e Flamengo ganhem bem mais que os outros clubes no Brasil.

Com uma arena moderníssima após a Copa construída sem tanto esforço financeiro próprio...

A atual cúpula sabe o salto financeiro que o Corinthians dará para ser mesmo um dos clubes mais ricos do mundo.

Ninguém tem essa equação: apoio do governo federal, Globo, CBF e estádio moderno próprio.

Por tudo isso, Gobbi sabe que será eleito.

Até mesmo a oposição tem consciência da derrota.

Ela foi muito omissa durante todo o mandato de Andres.

Acabou intimidada pela força de articulação de Sanchez.

Até mesmo o falante Citadini se calou.

O máximo que ele, Paulo Garcia, Osmar Stábili fazem é repetir que o baixo clero, Kia e os bicheiros dominaram o clube.

Argumentos que podem ser verdadeiros, mas frágeis diante da revolução que o prepotente Andres fez no Corinthians.

O eleito será Gobbi.

Mas quem vai continuar mandando, sem se expor, sem se desgastar será Andres Sanchez.

Sua ascensão é meteórica, sim.

Quem na história teve o comando total do Corinthians e da Seleção Brasileira?

Esta eleição de hoje no Parque São Jorge será a consagração de Sanchez.

Os métodos, os aliados, a articulação política...

Ele sabe com quem aprendeu.

E agradece a ele todos os dias.

Seu grande amigo, Lula...