325 Obcecado por Rogério Ceni, o milionário dirigente, e fã do técnico do São Paulo, garante. Ceni ficará até 2018. Não importam os resultados.  Quanto ao planejamento caótico, que fez do clube um balcão de vendas, ele resume. É o que tem para hoje...

"A ideia é mantê-lo até o fim do contrato e se possível renovar. Uma coisa é estar satisfeito com resultados, e isso não estamos, mas estamos contentes com o trabalho dele, com a metodologia que ele implantou, com o que ele traz de novo para nós.

"O Rogério conta com nosso apoio irrestrito. Continuamos a ver o trabalho evoluindo."

Foi o diretor-executivo de futebol, Vinicius Pinotti quem foi prometer aos jornalistas e avisar os conselheiros e torcedores. Rogério Ceni não será demitido até o final de 2018. Valeu o pedido do treinador, feito no domingo, após o péssimo empate com o Fluminense, de querer seguir aprendendo a ser treinador no São Paulo.

Vinicius Pinotti era um fã obcecado pelo goleiro Rogério Ceni. O fato de ser milionário garantiu uma vaga na diretoria do clube. Os R$ 12,7 milhões que emprestou ao clube, em 2015, para a contratação de Centurión, abriram a porta da diretoria. Se tornou diretor de marketing, levado por Carlos Miguel Aidar. Ele seguiu dando discretamente outras ajudas financeiras ao clube. Hoje, o São Paulo deve R$ 21 milhões a ele.

Foi ele quem organizou a festa de despedida de Rogério Ceni. Os dois se aproximaram e se tornaram mais do que dirigente e treinador, viraram amigos. Quando Vinicius defende o técnico, defende o seu ídolo pessoal e o seu amigo. O que é uma demonstração de quanto o São Paulo ficou amador.

Só este envolvimento emocional pode explicar a tolice de afirmar que o trabalho está evoluindo. O time não vence há cinco jogos. A equipe joga cada vez pior. O clube está a um ponto da zona do rebaixamento. O aproveitamento do São Paulo no ano é de apenas 52%. Tomou 40 gols em 34 partidas no ano. Já foi eliminado do Campeonato Paulista, Copa do Brasil e Copa Sul-Americana.

A incompetência e inexperiência de Pinotti é absurda.

E pública.

Perguntado sobre planejamento, o dirigente milionário predileto de Leco deu a seguinte resposta.

"É difícil falar do planejamento deste ano, não é o ideal, óbvio.

Mas é o que tem para hoje."

"É o que tem para hoje", a frase merece ser trazida à tona. Nem em um time de várzea o diretor de futebol teria a coragem de falar tamanha bobagem. Mas no São Paulo atual, tudo é permitido.

Até mesmo o presidente Leco sumir em momentos de crise.

Deveria ser ele a falar com a imprensa.

Mas cadê a coragem?

4reproducao4 1024x681 Obcecado por Rogério Ceni, o milionário dirigente, e fã do técnico do São Paulo, garante. Ceni ficará até 2018. Não importam os resultados.  Quanto ao planejamento caótico, que fez do clube um balcão de vendas, ele resume. É o que tem para hoje...

O dirigente foi aconselhado pelos torcedores, no domingo, a vender sua honra. E respeitar a história do São Paulo. A referência é clara ao balcão de vendas que se tornou o clube, ao assumir Leco.

Perdido, Pinotti age como se fosse normal, em pleno meio do ano perder Luiz Araújo e Maicon. E contratar Jonatan Gomez, Robert Arboleda, Denilson, e está próximo de anunciar Petros.

O milionário dirigente talvez não conheça a palavra entrosamento.

Sem ela, não há time de futebol vitorioso.

Os próximos jogos não são nada favoráveis a Pinotti e seu ídolo.

O São Paulo enfrentará o Flamengo, no Rio de Janeiro, depois o Santos, na Vila Belmiro. Se perder para os cariocas no domingo, o time já poderá mergulhar na zona de rebaixamento. E ela costuma ser terrível para as equipes grandes. Talvez o novato Pinotti possa entender que a cobrança para uma equipe grande, e que nunca caiu para a Segunda Divisão no Brasileiro, é massacrante.

O balcão de negócios não para no Morumbi. Aderlan Santos e Matheus Jesus seguem sendo negociados. Thiago Mendes tem nova proposta do Lille. O clube ainda espera proposta concreta por Rodrigo Caio. Ele segue de sobreaviso. Lucão está sendo oferecido por empresários para todos os clubes da Série A. E também no Exterior. Ele não atua mais no São Paulo.

 Obcecado por Rogério Ceni, o milionário dirigente, e fã do técnico do São Paulo, garante. Ceni ficará até 2018. Não importam os resultados.  Quanto ao planejamento caótico, que fez do clube um balcão de vendas, ele resume. É o que tem para hoje...

A única alegria de Rogério Ceni neste momento de profunda pressão foi saber que Lugano renovou contrato. Ficará até o final de 2017. O motivo de o uruguaio ficar é terminar o Brasileiro. E ajudar não só a evitar o rebaixamento, como no sonho da busca de uma vaga para a Libertadores. Quanto à festa de despedida do futebol, ele dispensa. Pelo patético motivo que ninguém perguntou a ele se deseja se aposentar. E ele não quer. Deseja voltar ao futebol uruguaio em 2018. Pode, no máximo, se despedir da torcida são paulina.

Em conversa com seu fã, Vinicius Pinotti, reafirmou.

Não vai pedir demissão.

Venha a pressão que vier.

Principalmente se o time cair para a zona do rebaixamento, domingo.

Pinotti, claro, concordou.

E reafirmou que, por ele, Ceni não ficará até 2018.

 Obcecado por Rogério Ceni, o milionário dirigente, e fã do técnico do São Paulo, garante. Ceni ficará até 2018. Não importam os resultados.  Quanto ao planejamento caótico, que fez do clube um balcão de vendas, ele resume. É o que tem para hoje...

Quer sua renovação.

Deseja ver Rogério como o Alex Ferguson dos Trópicos.

Não reclamaria se ficasse 27 anos no cargo.

"O torcedor está chateado e xinga no portão, mas eu também estou xingando por dentro. Não vou me entregar e não vou jogar a toalha. Sonhei com isso para a minha vida e sonhei que ia trabalhar para ser campeão. Esse é o clube do meu coração e é isso que eu vou fazer até o dia em que as pessoas me permitirem", desabafou Rogério Ceni, no domingo.

Mas ele pode ficar tranquilo.

Se depender de Vinicius Pinotti, o time pode perder, ser rebaixado, não há problema.

Ele não leva em conta o resultado.

Afinal, estar perto do seu ídolo é que interessa.

E assim, o São Paulo segue com seu vergonhoso 2017.

Com o presidente desaparecendo nas crises.

O diretor, deslumbrado, agindo como fã.

E que confunde o épico goleiro com o novato técnico.

"É o que tem para hoje", resume, com acerto, Pinotti...
2reproducao13 1024x681 Obcecado por Rogério Ceni, o milionário dirigente, e fã do técnico do São Paulo, garante. Ceni ficará até 2018. Não importam os resultados.  Quanto ao planejamento caótico, que fez do clube um balcão de vendas, ele resume. É o que tem para hoje...

http://r7.com/h1m7