O UFC fez história. Recebeu as mulheres. Ronda Rousey e Liz Carmouche mereceram ser as pioneiras. Não pela beleza ou homossexualismo. Pelo talento dentro do octógono…

reproducao O UFC fez história. Recebeu as mulheres. Ronda Rousey e  Liz Carmouche mereceram ser as pioneiras. Não pela beleza ou homossexualismo. Pelo talento dentro do octógono...
Não foi o massacre que Dana White sonhava.

A bela Ronda Rousey esteve a ponto de ser finalizada.

Sua oponente, e zebra, Liz Carmouche, calou por segundos o Honda Arena.

Ela mochilou Ronda e encaixou um mata-leão.

A maior aposta do UFC esteve por um triz.

Por sorte, as mãos de Liz se fixaram na boca e não no pescoço de Rousey.

Ronda suportou a pressão e mostrou garra e talento para se livrar do golpe.

E se vingou.

Jogou Liz no chão e as duas passaram a duelar pela melhor posição.

Foram várias transições, a busca do ângulo fatal.

Mais forte, com uma impressionante técnica vindo do judô, a campeã se impôs.

E aplicou o golpe que todos esperavam.

Na sua sétima luta de MMA, veio a sétima chave de braço.

Sétima no primeiro assalto.

Vitória empolgante, arrebatadora.

Enquanto Dana White suava, alivado, festa para Ronda e Liz.

As duas fizeram história ontem.

Acabou o tabu.

As mulheres invadiram de vez o UFC.

Fizeram a principal luta da noite, da edição 157.

Já lutaram decidindo o cinturão dos galos.

E abriram caminho no principal evento de MMA do mundo.

Dana queria a vitória de Ronda por um motivo mercadológico.

E machista.

Ela é muito bonita.

Loira, sorridente, corpo muito feminino, repleto de curvas.

Se diz solteira, sem namorados.

Sensacional atrativo para as tevês, fotógrafos e fãs esperançosos.

Tem apenas 26 anos.

Foi medalha de bronze na Olimpíada de Pequim.

Teve uma vida sofrida.

Com o pai cometendo suicídio para interromper uma doença degenerativa.

Ronda expôs o lado obscuro de uma atleta olímpica.

"Dediquei minha vida inteira ao judô.

Ganhei uma medalha de bronze em Pequim.

Recebi dez mil dólares (cerca de R$ 20 mil) da Federação Norte-Americana de Judô.

E depois viraram as costas para mim.

Pensaram nas novas lutadoras e me esqueceram.

Tive de trabalhar como garçonete, não sabia o que fazer.

Minha vida era o judô.

Foi quando descobri o MMA.

É um sonho para mim entrar no UFC."

Sorridente para as câmeras, é muito agressiva lutando.

Campeã no Strikeforce.

Com um cartel espantoso, seis vitórias, seis chaves de braço.

Todas no primeiro assalto.

Como o UFC comprou o Strikeforce, Dana ficou à vontade para negociar com Ronda.

Ela já é uma estrela nos Estados Unidos, capas de várias revistas.

reproducaoespn O UFC fez história. Recebeu as mulheres. Ronda Rousey e  Liz Carmouche mereceram ser as pioneiras. Não pela beleza ou homossexualismo. Pelo talento dentro do octógono...

Convites para filmes, campanhas de publicidade.

E excelente lutadora.

A combinação perfeita para abrir nova fonte de renda para o UFC.

Esperta, Ronda fez questão de ser sexy até na pesagem de sexta-feira.

Em cima da balança, colocou os braços para trás e sorriu.

Foi uma festa para os fotógrafos.

Sua oponente também foi um achado.

Liz foi fuzileira naval.

Eletricista de helicópteros.

Participou da guerra do Iraque.

Foram três idas e vindas para os Estados Unidos durante o confronto.

Quando o conflito acabou, decidiu lutar MMA.

Fez uma boa campanha no Strikeforce.

Mas foi chamada por Dana por outro motivo.

Homossexual assumida, quebrou outra barreira no UFC.

Fez filmes promocionais para a luta ao lado de sua companheira.

Além de agradar as mulheres, o público gay também foi atraído para o combate.

Preconceitos foram quebrados.

A noite foi histórica.

Porém o mais importante foi a luta em si.

De altíssimo nível.

É isso o que importa no mundo do UFC.

O mundo da elite do MMA está aberto para mulheres talentosas.

Como Ronda e Liz...

(A decepção do UFC 157 foi masculina.

A luta entre Lyoto Machida e Dan Henderson.

Tão aguardada quanto frustrante.

Os dois adversários se respeitaram demais.

O brasileiro fugiu do confronto, queria só contragolpes.

Buscou a vitória sem riscos.

Foi o que conseguiu diante de um grande adversário.

Só que com 42 anos e que não lutava há um ano e três meses.

A luta não teve golpes contundentes de lado algum.

Lyoto fugiu quase o tempo todo.

A torcida não perdoou e vaiou o combate.

Vaiou muito.

O brasileiro venceu em decisão dividida, contestável até.

29/28, 28/29 e 29/28.

Se houvesse empate, ninguém protestaria.

Talvez uma compensação pela luta que venceu diante de Rampage Jackson.

E que os juízes deram a vitória ao norte-americano.

Mas a vitória deu a Lyoto a chance da disputa pelo título.

Vai esperar a luta entre Jon Jones e Chael Sonnen.

Seu sonho é a revanche contra Jones.

Se lutar contra ontem, o sonho vai virar pesadelo.

De novo...)

reproducao3 O UFC fez história. Recebeu as mulheres. Ronda Rousey e  Liz Carmouche mereceram ser as pioneiras. Não pela beleza ou homossexualismo. Pelo talento dentro do octógono...

http://r7.com/wq5U

22 Comentários

"O UFC fez história. Recebeu as mulheres. Ronda Rousey e Liz Carmouche mereceram ser as pioneiras. Não pela beleza ou homossexualismo. Pelo talento dentro do octógono…"

24 de February de 2013 às 05:54 - Postado por Cosme Rímoli

* preenchimento obrigatório



Digite o texto da imagem ao lado: *

Política de moderação de comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Comentários
  • Renato
    - 24 de fevereiro de 2013 - 08:06

    O Lyoto fez a luta certa, nao poderia se arriscar a tomar cruzados do poderoso Henderson. E outra, agora ele esta na fila para lutar com J.J. e apto a ganhar de volta o cinturao. Adoro ver o Lyoto lutar, principalmente por ter sua base no Karate e sempre respeitar seus oponentes.

  • Rafael
    - 24 de fevereiro de 2013 - 08:37

    Lyoto sendo Lyoto pra variar...perdeu o primeiro round, deu sorte pela queda faltando 20 seg...mas foi 29 a 28 Hendo, seria o justo...Independente disso, os dois longe de ameaçar perigo a Jones...acredito q fique soberano na categoria por um tempo....Cosme, estranhei só vc nao comentar a vitoria do Renan Barão, vc sempre comenta...e foi una vitoria casca contra um top, o MacDonald...grande abraço Rafael, é impossível cobrir tudo. Escrever todos os dias e ainda tentar viver um pouco. Farei de qualquer jeito o grande Barão na luta que todos queremos ver: contra Dominick Cruz. Grande abraço. Cosme Rímoli...

  • Douglas_SC
    - 24 de fevereiro de 2013 - 09:25

    Bom concordo plenamente sobre a luta de Lyoto e Henderson, mas todos nós sabemos que Lyoto luta assim mesmo, só ataca quando tem certeza que vai acertar. Ronda e Liz foi uma luta ótima mesmo, Ronda é talentosa de mais e linda. Mas sem dúvida a melhor luta da noite foi Bermudez vs Grice, lutão que vale apena assistir várias vezes.

  • Cleverson
    - 24 de fevereiro de 2013 - 09:46

    Muito importante o que aconteceu ontem no UFC, mas conhecendo a cúpula dessa instituição é bom que dê lucro, senão as mulheres terão seus dias contados no octágono. Esporte à parte, que linda essa moça. E essa foto, ficou um gosto de cadê o resto dela? rsrs.

  • Celso Nakamoto
    - 24 de fevereiro de 2013 - 11:13

    Cosme, viu o UFC ontem e concordo com você, o Lyoto é uma caricatura de lutador de MMA, não tem a competitidade do José Aldo, a garra do Belfort, a inteligência do Anderson e muito o carisma do Wanderlei, será uma muito facil para o Jones, o Chael é o bobo da corte do UFC. Decepcionante, chato e desde a primeira luta contra o Shogum, só recebe vaias da torcida. Suas teses são ridiculas, tomar sua propria urina, então, falta vontade, garra, vibração, se continuar neste caminho o Dana ira demiti-lo em breve e faltou pouco para dispensa-lo recentemente.

  • Celso Nakamoto
    - 24 de fevereiro de 2013 - 11:15

    Cosme, viu o UFC ontem e concordo com você, o Lyoto é uma caricatura de lutador de MMA, não tem a competitidade do José Aldo, a garra do Belfort, a inteligência do Anderson e muito o carisma do Wanderlei, será uma muito facil para o Jones, o Chael é o bobo da corte do UFC. Decepcionante, chato e desde a primeira luta contra o Shogum, só recebe vaias da torcida. Suas teses são ridiculas, tomar sua propria urina, então, falta vontade, garra, vibração, se continuar neste caminho o Dana ira demiti-lo em breve e faltou pouco para dispensa-lo recentemente.

  • Ambiss
    - 24 de fevereiro de 2013 - 11:16

    Não consigo entender como o MMA feminino ainda não percebeu a prevesibilidade da Ronda, nenhuma das mulheres tem um bom Jiu Jitsu para defender e/ou envitar o "ArmLock"? Tomam o "100 Kg" e não conseguem fazer a inversão? Acho que seria mesmo interessante a Ronda pegar a Cris (Cyborg) ou num futuro próximo quem sabe a Kira Gracie, aí eu queria ver se ela encaixaria a chave de braço, como ela fez com todas as adversárias. Cosme o que você acha desse golpe tão prevísivell, mas ainda tão bem sucedido no primeiro round ? Já não eras paras as adversárias estudar melhor a defesa do braço? Ambis, não se esqueça que o jiu e o judô são entrelaçados, são irmãos. A técnica da chave de braço mostra movimentos que ela treinou a vida toda, desde menina no judô. Foi medalha de bronze na olimpíada. O que ela faz é forçar as adversárias para o golpe que ela tem mais facilidade para aplicar. É previsível, mas difícil de evitar. A Ronda é uma atleta de ponta, da elite mundial. Mal comparando é como o drible pela direita que o Garrincha dava. Todos seus marcadores sabiam e não conseguiam evitar. Mas você tem razão, as próximas rivais precisam treinar até a exaustão. Sabem que será o golpe que ela tentará aplicar. Grande abraço. Cosme Rímoli...

  • Alessandro Paiva
    - 24 de fevereiro de 2013 - 11:53

    Quem bom que a bela Ronda Rousey venceu a luta,a vitória de uma mulher de verdade que não precisa se masculinizar para se impor, a vitória da feminilidade, da beleza, enfim, a vitória de uma mulher em todo seu esplendor e sentido. Quanto ao Lyoto, realmente a uta foi chata e os juízes poderiam ter dado a vitória para qualquer um dos dois, o que o lyoto mostrou ontem não será suficiente para vencer o Jones.

  • Thiago Farina
    - 24 de fevereiro de 2013 - 12:09

    Não achei a luta das mulheres realmente muito técnica. Me pareceu muito sem estratégia, igual futebol de crianças, todo mundo atrás da bola. E quanto ao lyoto, ele luta sempre no contra ataque. Acaba ficando muito passivo na luta e a envergadura do jon Jones não permite muito esse tipo de estratégia

  • Elias
    - 24 de fevereiro de 2013 - 12:09

    Cosme, tenho outra visão..pra mim o MMA feminino ainda engatinha em termos técnicos. Ontem vi vários buracos no jogo da Ronda q basicamente é uma lutadora de judô aplicando judô numa luta de MMA..ela ofereceu as costas várias vezes e quase foi finalizada por uma atleta q tem habilidades de chão de um faixa amarela de jiu jitsu. O jogo da Ronda é muito previsível..hoje ela não tem adversárias pq é muito pouca a quantidade de lutadoras e sua qualidade técnica ainda é muito primária..na media em que mais atletas de alto nível vierem atrás dos milhões do UFC a Ronda vai ficar pra trás se não melhorar o jogo em pé e corrigir certas posições no solo.mais atletas de outras artes começarem a praticar o MMA.

1 2 3
6234