divulgacao999 O time de guerreiros do Fluminense orgulhou o Brasil. Essa classificação é dedicada aos trogloditas do Argentinos Juniors. E a Muricy Ramalho...
O raio caiu duas vezes na Laranjeiras.

O coração, a matemática e Fred se juntaram ontem novamente.

Em 2009, eles salvaram o Fluminense do garantido rebaixamento para a Segunda Divisão do Brasileiro.

E há pouco conseguiram evitar a desclassificação da Libertadores.

Com matemáticos garantindo que havia apenas 8% de possibilidade de a situação ser revertida...

O campeão brasileiro foi ao minúsculo e vergonhoso estádio Diego Armando Maradona em Buenos Aires...

Vergonhoso de tão ultrapassado, acanhado, usado para assustar os adversários...

Mas o time brasileiro não se intimidou e arrancou uma vitória a fórceps por 4 a 2.

Tomou socos e pontapés, diante da omissa polícia argentina...

E foi bafejado pela sorte, pelo incompetência do Nacional em ganhar do América do México...

Foi uma façanha...

O time foi abandonado por Muricy Ramalho depois de dois empates em casa e derrota para o América...

Restavam duas partidas fora e uma em casa.

O time venceu o América no Rio...

Perdeu para o Nacional em Montevidéu...

Tinha a obrigação de ganhar do Argentinos Juniors...

E foi para a guerra...

Com uma baixa de última hora...

Emerson.

O jogador já havia cometido inúmeras indisciplinas no clube...

Fez a mais infantil delas...

Voltando do último treinamento, antes do jogo, teria cantado o Bonde do Mengão Sem Freio...

Mais do que uma traição, uma bobagem, uma molecagem...

Só que mostrou total falta de consideração pelo clube que o paga...

E com seus companheiros de time...

Lamentável...

Foi desligado da delegação em Bueno Aires...

Com a promessa da diretoria de nunca mais jogar no Fluminense...

A ausência do atacante 'traidor' só fortaleceu o time....

No estádio o que se viu foi mesmo uma batalha épica.

De passar para a história do Fluminense.

Escudero, péssimo jogador que passou pelo Corinthians, parecia chefe de gangue...

Xingava, provocava, tentava intimidar a todos...

Seus companheiros seguiam na mesma batida...

O Argentino Juniors não tinha técnica, só truculência...

O Fluminense saiu na frente em uma jogada ensaiada.

Júnior César recebeu de Marquinho e, livre, marcou 1 a 0.

Depois, o péssimo árbitro colombiano Wilmar Roldán marcou ingênuo pênalti de Gum.

O zagueiro segurou sem bola Salcedo.

Polêmico, mas pênalti de verdade.

Salcedo mesmo empatou o jogo.

Roldán se mostrou fraquíssimo permitindo os pontapés do fraco time argentino.

Não tinha coragem para dar cartões, punir os jogadores.

Foi um omisso.

O Fluminense tinha a determinação de Enderson Moreira de chutar de longe.

A aposta era na fragilidade de Navarro, goleiro do Argentinos Juniors.

E deu certo.

Fred cobrou uma falta do início da intermediária.

Navarro falhou e o time brasileiro fez 2 a 1....

No segundo tempo, o Argentino Juniors partiu todo para o ataque.

Passou a marcar a saída de bola do Fluminense.

A ordem era para não deixar ninguém respirar.

O empate veio em um chute forte de Oberman.

A bola desviou em Valencia: 2 a 2.

Aí foi a vez do Fluminense partir para tudo ou nada.

E Rafael Moura, que jogou no lugar de Emerson, pegou um rebote de Navarro e fez 3 a 2.

Não havia tática de lado a lado.

Só correria e luta dos times.

O Fluminense precisava desesperadamente de mais um gol para se classificar.

E o Argentinos Júniors só do empate.

Foi quando Araújo lançou Edinho.

Sim...ele mesmo...

Improvisado no ataque, o pesado jogador dividiu bola com Navarro...

E o árbitro colombiano viu pênalti.

A falta não aconteceu...

Eram 43 minutos do segundo tempo quando Fred correu para a bola...

Era um teste para cardíacos...

Com raiva, o atacante cobrou e marcou: 4 a 2...

A partir daí até os 49 minutos, só desespero do truculento Argentino Júniors...

O Fluminense conseguiu segurar o resultado...

Escudero não se conteve com a desclassificação...

E provocou uma estúpida briga...

O time argentino, com ajuda de seguranças, partiu para cima dos brasileiros...

Houve troca de socos, pontapés e muita correria do time do Fluminense, em menor número...

Mas depois de passada a briga, no vestiário a equipe brasileira entendeu a façanha que havia conseguido...

E os jogadores choraram, comemoraram, cantaram juntos...

Enquanto isso, 800 torcedores do Fluminense não paravam de cantar o hino do clube nas arquibancadas do estádio Diego Armando Maradona...

Uma noite épica, inesquecível,

Heróica...

O Fluminense orgulhou o futebol brasileiro...

A vitória deu a adrenalina necessária para o clássico contra o Flamengo no domingo...

E para enfrentar o Libertad pelas oitavas-de-final da Libertadores...

O Fluminense renasceu...

Com 8% de chances...

E 100% de coração...

Essa classificação foi dedicada a alguém em especial....

A Muricy Ramalho, que abandonou o time à própria sorte...

Mostrou sua indignação em relação a uma diretoria prepotente...

Mas virou as costas aos seus jogadores...

E eles tiveram forças para, sozinhos, darem a volta por cima...

Para orgulho do futebol brasileiro...

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Conheça todos os blogs do R7


http://r7.com/BRtR