divulgacao2000 O sonho de Adriano era ser a surpresa da Seleção Brasileira na Copa América. Agora, 150 dias longe do futebol. No mínimo...
Clima de consternação no Parque São Jorge.

A ruptura do tendão de aquiles de Adriano era tudo o que não poderia acontecer.

Operação amanhã e, no mínimo, cinco meses sem poder jogar futebol.

O jogador estava em um ritmo frenético tentando emagrecer.

Como se publicou no blog, ele não iria mais às tevês enquanto não diminuísse bastante o sobrepeso.

No programa de Fausto Silva, o jogador disse todo contente que havia perdido dois quilos.

Mas deixava evidente que precisava perder mais de dez.

O apresentador até ironizou o peso do jogador do Corinthians.

E, de acordo com a assessoria do clube, o treino leve de hoje foi o suficiente para romper o tendão do jogador.

Tudo fica compreensível quando se analisa que Adriano não treinava a sério, há muito tempo.

Desde que seu pai morreu em 2004, sua briga com a balança tem sido constante.

A depressão e o alcoolismo atrapalharam demais sua vida de atleta.

As grandes atuações rarearam.

Na Copa de 2006, ele já estava cerca de oito quilos acima do seu peso ideal.

Fez um péssimo Mundial.

Desde então, começou o efeito sanfona.

Gordo, mais magro, gordo, muito gordo...

No Flamengo ele teve muitas regalias.

Tanto que ao chegar na Roma, a nutricionista revelou que ele estava 15 quilos acima do ideal.

Não conseguiu sequer marcar um gol para o time italiano.

Voltou para o Corinthians depois que Vanderlei Luxemburgo lhe fechou as portas da Gávea.

Depois da sua apresentação, teve dez dias para tratar de problemas particulares.

Estava se recuperando de uma operação no ombro.

E dos muitos quilos que ganhou.

O departamento de marketing preparava duas festas para a estreia do jogador com a camisa corintiana.

Adriano e Ronaldo tinham um sonho.

A recuperação do jogador para o Corinthians e para a Seleção Brasileira.

A meta era a Copa América, competição que foi importantíssima para o jogador em 2004.

Ronaldo via uma brecha para Adriano ganhar um lugar no time de Mano Menezes.

Para isso, ele precisaria entrar em forma o mais rápido possível.

E marcar muitos gols pelo Corinthians.

Adriano estava tendo um comportamento exemplar nos treinamentos.

Não se atrasou e nunca faltou.

Ele sabe que seu contrato é de risco e não queria bobear, se expor.

E estava empolgado com o regime e os exercícios físicos.

Falava com Ronaldo quase todos os dias.

A 9ine também tratou de limpar sua imagem no futebol mundial.

Mas nada pôde ser colocada em prática.

A ruptura do tendão de aquiles complicou tudo.

Agora, a preocupação no Parque São Jorge é para que Adriano não se deprima com a situação.

O médico Joaquim Grava, que vai operá-lo amanhã, se prontificou.

Fará o papel de um psicólogo.

Se perceber que não está dando conta de Adriano, o clube contratará um psicólogo de verdade.

A ruptura do tendão de aquiles interferiu até no clima da equipe que se prepara para jogar com o Oeste pelas quartas-de-final do Campeonato Paulista...

Há muita consternação e tristeza por Adriano...

Ninguém sabe como ele irá reagir a 150 dias longe dos gramados...

"Era tudo o que não poderia acontecer", disse um dirigente corintiano ao saber da notícia...

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Conheça todos os blogs do R7


http://r7.com/O1gH