divulgação3333 664x1024 O São Paulo que nunca jogou junto vai para a semifinal contra o Inter...

A maior aposta da vida de Ricardo Gomes como técnico.

Ele percebeu que não adianta posar de racional na partida que pode ser a última sua como comandante do São Paulo.

E foi para o tudo ou nada.

Depois da absurda postura covarde de Porto Alegre, o extremo.

Ele escancara o São Paulo e coloca três atacantes.

O que pode parecer ousadia e vai ganhar elogios de comentaristas na tevê e rádio pode ser exagero.

Falta de equilíbrio.

O ideal seria tirar Dagoberto, manter Marlos na meia e ter na frente Fernandão e Ricardo Oliveira.

Ainda mais porque o Internacional de Celso Roth foi montado exatamente para o contragolpe.

Ele quer ser atacado e responder em velocidade quando retomar a bola.

Fernandão terá a missão de jogar na vaga de Marlos.

Será um meia.

Na frente, Ricardo Oliveira e Dagoberto.

Os três foram orientados para se preocuparem com o ataque.

4-3-1-2 nunca é 4-3-1-2 com o time Cléber Santana.

O jogador de meio-campo tem jogado um pouco mais à frente em uma tentativa de ganhar a torcida.

Sente a resistência que grande parte dos torcedores nutre por ele.

Não por ter jogado n0 Santos, como gosta de imaginar.

Mas está passando uma fase muito ruim e não gosta de admitir.

O Internacional terá cinco jogadores no meio de campo.

A ordem de Celso Roth é travar o ritmo da partida nas intermediárias.

E explorar nos contragolpes a velocidade de Taison e D'Alessandro.

Além de ter a vantagem de haver vencido a partida em Porto Alegre por 1 a 0, ele aposta na pressão da torcida tricolor para atrapalhar o time escancarado de Ricardo Gomes.

Os próprios jogadores do São Paulo estranharam a escalação e a maneira de entrar em campo.

Eles sabem que Ricardo Gomes está dando a sua última cartada.

Hernanes já foi vendido para a Lazio, mas os dirigentes não estão nem um pouco preocupados.

Têm a certeza de que ele colocará o pé, a cabeça, o pescoço nas divididas.

O medo é mesmo do que Ricardo Gomes aprontará.

Ele já sabe.

Não há salvação se o São Paulo for eliminado da competição que mais ama.

Ainda dentro do Morumbi.

E por isso aposta tudo.

Ricardo Gomes tem o seu emprego a perder.

Mas o São Paulo, muito mais.

A obsessão de Juvenal Juvêncio pelo Morumbi na Copa de 2014 acabou por expor demais o clube.

Inacreditável o time chegar à semifinal da Libertadores e improvisar...

Colocar a equipe que tem um treino.

E nunca jogou junta.

No sábado, Fernandão entrou no segundo tempo no lugar de Xandão.

Juntos, os onze só treinaram hoje no Morumbi.

Uma estratégia, digamos, revolucionária.

Nem parece que é o Ricardo Gomes que deseja Ricardo Oliveira, Fernandão e Dagoberto juntos.

Não é e nunca foi o seu estilo...

Veja mais:

+ Tudo sobre futebol no R7
+ Veja as principais notícias do dia
+ Todos os blogs do R7

http://r7.com/mcky