“O São Paulo poderia ter Lugano. Mas o Juvenal não gosta de trazer de volta ídolos que não possa controlar. Por isso Lúcio, três anos mais velho. E o Corinthians foi campeão mundial porque o São Paulo ensinou o caminho. Nossos reservas até carimbaram o passaporte deles.” Marco Aurélio Cunha…

ae135 O São Paulo poderia ter Lugano. Mas o Juvenal não gosta de trazer de volta ídolos que não possa controlar. Por isso Lúcio, três anos mais velho. E o Corinthians foi campeão mundial porque o São Paulo ensinou o caminho. Nossos reservas até carimbaram o passaporte deles. Marco Aurélio Cunha...
"O São Paulo poderia ter Lugano e não Lúcio.

Um jogador quase três anos mais novo.

Era só negociar.

Mas o Juvenal não gosta de trazer de volta ídolos.

Ainda mais aqueles que não pode controlar."

" O Corinthians está se modernizando.

Aprendeu com o São Paulo como se faz.

Nós ensinamos.

Clube grande tem de ter estádio, CT, CT para a base.

E os corintianos estão aprendendo.

Tanto que conseguiram finalmente o passaporte internacional.

Ganhou um Mundial, nós temos três.

Mas não vamos esquecer que o passaporte já chegou carimbado.

Pelos reservas do São Paulo, na derrota antes do embarque para o Japão."

O vereador e ex-gerente de futebol Marco Aurélio Cunha continua o mesmo.

Com muita influência nos bastidores do Morumbi.

Rompeu politicamente com Juvenal depois da reforma nos estatutos.

O que permitiu o terceiro mandato consecutivo do presidente.

De quem foi genro, inclusive.

Ele se afastou da diretoria, mas continua ligado demais aos jogadores.

Que estão e os que saíram do clube.

Kaká, Lugano, Luís Fabiano, Rogério Ceni são seus amigos pessoais.

Conselheiro, acompanha de perto tudo o que acontece no São Paulo.

Vereador acompanha politicamente os milhões movimentados pela Copa no Brasil.

Brigou contra a isenção de R$ 420 milhões para o Itaquerão.

Adora provocar o rival em qualquer entrevista.

Nesta ele mistura seriedade ao falar de Lugano, Libertadores, Tigre.

Exercita sua ironia ao parabenizar o título mundial do Corinthians...

Marco, de forma direta, o São Paulo poderia ter Lugano?

E preferiu Lúcio?

Os dirigentes escolheram um jogador quase três anos mais velho, que vai fazer 35 anos. Sei que haveria sim a possibilidade real do Lugano voltar. Ele está afastado no Paris Saint Germain. O Juvenal tinha plena consciência disso. Só que preferiu ouvir outras pessoas e investir no Lúcio. Zagueiro, por sinal, que o próprio presidente havia dito que não contrataria no passado por ser muito religioso. E poderia influenciar os garotos do time. Há uma certa preocupação no clube com os atletas que são profundamente evangélicos. Mas com o Juvenal Juvêncio o que vale ontem, não vale hoje. Ele é imediatista demais. E fechou com o Lúcio. O clube tinha no planejamento a contratação de apenas um zagueiro caro e mais vivido. As portas ficaram fechadas para o Lugano. Uma pena, um desperdício.

O Juvenal não gosta de recontratar ídolos?

Não. Ele usa como exemplo o Cicinho, que não deu certo. Mas isso é uma desculpa. Em relação ao Lugano, se ele voltasse, não haveria como não relacioná-lo com a diretoria do [falecido] presidente Marcelo Portugal Gouvea. Situações que o Juvenal quis evitar. Além do que é o uruguaio é um jogador de muita personalidade. Não é fácil de comandar. Em relação aos ídolos, Juvenal não se esforça mesmo. O Danilo queria voltar ao Brasil e o primeiro clube que procurou foi o São Paulo. O presidente disse que era muito caro e ele fez o que fez pelo Corinthians. O Luís Fabiano agora e, muito provavelmente, o Kaká no futuro têm explicação simples. A falta de conquistas individuais dos dois no clube. Qualquer título, como essa Sul-Americana é um diferencial a favor da administração Juvenal. Agora, retornar com o Lugano, que saiu campeão do mundo, se trata de uma história diferente. O patamar de comparação é outro. Qualquer coisa menos do que outro título mundial poderia ser visto como uma derrota.

Para onde Lugano vai?

Com a desistência do São Paulo, ele está negociando. Não ficará no Paris Saint Germain. As conversas com o Grêmio foram da gestão do Paulo Odone. O América do México ofereceu um contrato em branco ao zagueiro, para que ele colocasse preço. E também há o interesse forte de um clube pequeno inglês. O Lugano ainda não decidiu. Mas, repito, haveria sim a chance de retorno ao Morumbi. Só que Juvenal preferiu nem tentar.

Você sabe tudo de bastidores do São Paulo.

O que aconteceu de verdade na briga com o Tigre?

Me faltam alguns detalhes, lógico. Mas só vou dizer que o São Paulo estava 80% certo. Errou em incentivar o clima bélico com uma equipe sem tradição alguma no futebol internacional. Bobagem como reconhecimento de campo, se aquecer no gramado. Bobagens que acabaram só criando um clima insustentável de conflito. O São Paulo entrou no clima de guerra porque ficou algum tempo longe da Libertadores. Não conseguiu classificação e se esqueceu de detalhes importantes. Entrou em provocações; brigas quando deveria apenas ter goleado o Tigre e fazer a festa como campeão. Mas teve gente que se inflamou e que quis se impor. Ficou uma situação lamentável. E que não combina com a história do São Paulo. Nosso clube foi e sempre será campeão jogando futebol.

Muito se fala que o Corinthians era protegido por Ricardo Teixeira.

E tinha até a influência do Lula em tudo que acontecia.

Até na construção do Itaquerão.

Agora chegou a vez do São Paulo se aproveitar?

Com o Marin na CBF?

Olha, o Corinthians soube usar sua força política no futebol até pouco tempo. Mérito dos seus dirigentes. Do Itaquerão não quero nem falar. Já briguei muito. Mas o São Paulo não vai se aproveitar tanto do Marin na CBF. Pelo simples motivo que ele é político profissional. Quer agradar todo mundo e não ficar mal com ninguém. O Ricardo Teixeira não era assim. Embora a ligação do Marin com o São Paulo é grande, não haverá privilégio. Ele não vai se indispor com os outros. Ele é muito inteligente para isso. A grande diferença é que antes, com o Ricardo Teixeira, o São Paulo era excluído. Hoje o clube está incluído nas decisões mais importantes do futebol brasileiro. É ouvido. Isso é um mérito. Mas não terá o que outras equipes tiveram na administração passada da CBF.

Como você analisa a queda do Palmeiras?

O segundo rebaixamento em dez anos?

Mostra o que acontece quando um clube é conturbado internamente. Com as divisões não deixando ninguém trabalhar. É muito ruim para a história do Palmeiras, de tantas conquistas. Ele foi capaz de cair depois de ganhar a Copa do Brasil. E com o treinador da Seleção Brasileira na Copa de 2014. Precisa se reestruturar. Acredito na força do Palmeiras. Vai subir de novo em 2013. Mesmo se a diretoria continuar dividida, a torcida empurra. O Palmeiras terá quatro chances. Quatro vão subir da B. Não é possível que os dirigentes não consigam uma vaga. Não é possível.

O que você tem para falar da conquista do Mundial do Corinthians?

O Corinthians está se modernizando. Aprendeu com o São Paulo como se faz. Nós ensinamos. Clube grande tem de ter estádio, CT, CT para a base. E os corintianos estão aprendendo. Tanto que conseguiram finalmente o passaporte internacional. Ganhou um Mundial, nós temos três. Mas não vamos esquecer que o passaporte já chegou carimbado. Pelos reservas do São Paulo, na derrota antes do embarque para o Japão. Fiquei contente que não houve pênaltis, ganharam sem lances contestados. Foi ótimo. Assim como o São Paulo costuma fazer quando é campeão. Estão no caminho. O São Paulo mostrou como se faz.

O que você acha do patrocínio da Caixa ao Corinthians?

É uma situação justa?

Mérito das ligações políticas que o clube tem. Mas um absurdo para os outros clubes. A Caixa Econômica Federal é um banco de parte do seu capital estatal. Ou ajuda todos ou não ajuda ninguém. Mas no nosso país, as ligações das pessoas são muito importantes e prevalecem em situações que não deveriam. Como no caso da Petrobrás que ajudou o Flamengo, a Eletrobrás o Vasco. E agora, a Caixa Econômica com o Corinthians. Não posso concordar nunca com esse patrocínio. Só reconheço o mérito das alianças corintianas. Assim tudo fica mais fácil.

Ao que você atribui esse progresso corintiano?

Não tenho a menor dúvida. Tudo se deve à passagem do Ronaldo no Parque São Jorge. Ele abriu os olhos dos dirigentes sobre tudo o que um clube grande deveria ser feito. Para a rede de relacionamentos. Teve espaço como ídolo de futebol. Como o Pelé já fez por um período no Santos. Como o Neymar tem tudo para fazer. O São Paulo precisa estar aberto aos ídolos internacionais, não pode ficar nas mãos apenas de dirigentes. A minha esperança é que o Rogério Ceni, quando parar, revolucione, modernize muita coisa no Morumbi que está estagnada. Voltando ao Corinthians, o clube soube usar bem demais Ronaldo. E está colhendo os frutos até hoje. Como o Mundial, estádio, modernização. Se ele não tivesse jogado lá, tudo estaria da maneira atrasada com que era conduzido o clube. Os dirigentes brasileiros precisam de um choque de modernidade. O Corinthians teve o dele. Agora acaba virando exemplo para os outros, que seguem com presidentes por anos e anos. E não saem do lugar.

103 Comentários

"“O São Paulo poderia ter Lugano. Mas o Juvenal não gosta de trazer de volta ídolos que não possa controlar. Por isso Lúcio, três anos mais velho. E o Corinthians foi campeão mundial porque o São Paulo ensinou o caminho. Nossos reservas até carimbaram o passaporte deles.” Marco Aurélio Cunha…"

26 de December de 2012 às 13:41 - Postado por Cosme Rímoli

* preenchimento obrigatório



Digite o texto da imagem ao lado: *

Política de moderação de comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Comentários
  • Marllon
    - 26 de dezembro de 2012 - 13:53

    Futuro presidente do tricolor...Parabéns MAC.

  • Rafael
    - 26 de dezembro de 2012 - 13:57

    são paulo 2 interclubes e 1 mundial da fifa , corinthians 2 mundiais da fifa, mundial interclubes não é mundial da fifa é outro formato e feita pela FIFA e a outra por uma empresa de automoveis, n tem esse papo de mundial interclube é como se fosse o mundial da fifa, a fifa pelo menos até agora não fez como a politiqueira cbf q transformou taça do brasil em campeonato brasileiro, vamos colocar cada coisa no seu devido lugar.

  • Paulo
    - 26 de dezembro de 2012 - 14:01

    Falastrão. Só aparece na TV quando o SP ganha algo. Foi o SP que inventou a infraestrutura, o CT, a continuidade de treinador? Tá bom. Para quem não sabe o corinthians esta tentando copiar o BARCELONA. Sempre mantendo o mesmo time há 3-4 anos e só mudando algumas peças, sem precisar vender jogador para fazer caixa e talvez algum dia não ter nenhum patrocinador master na camisa. E fazer um CT da base onde, como no barcelona, os goleiros desde os 12 anos são ensinados a não rifar a bola. Essa fisolosia deste a base.

  • Laercio Paixao
    - 26 de dezembro de 2012 - 14:08

    Na minha opiniao uma atitude correta do Juvenal em trocar o guerreiro Lucio pelo utrapassado Lugano.. O corinthians apredeu o bastante ao longo do caminho da conquista mundial tanto que e o clube exemplo do Brasil. Cosme otima entrevista, Marco Aurelio Cunha estava sumido, gosto muito dele admiro sua conpetencia.

  • José BSB
    - 26 de dezembro de 2012 - 14:11

    Mundial com a chancela da FIFA os bambis só tem 1. Enquanto o Corinthians renova antecipadamente o contrato com a Nike por uns R$ 30 milhões por ano, o são paulo tem como fornecedor a... penalty!? Os maiores patrocínios, cotas de TV, audiência insuperável dos jogos do Timão... e esse dirigente bambi insiste em fazer graça.

  • andre
    - 26 de dezembro de 2012 - 14:15

    Rafael, se preocupe com o seu time e deixe o nosso corinthians em paz. Nao precisamos de mais gente opinando sobre os nossos titulos.

  • Estevam Rodrigues
    - 26 de dezembro de 2012 - 14:16

    Marco Aurélio Cunha como sempre polêmico em suas declarações. Isso faz parte do futebol já que ele não foi desrespeitoso com o Corinthians no caso. Em relação a contratação de zagueiros ainda bem que o Lugano não veio, já que é um baita reforço, não que o Lúcio não seja, mas o uruguaio tem muito mais lenha para queimar que o Xerife. E São Paulo tem que ganhar mais uma Libertadores e um Mundial para alcançar o Corinthians porque a Copa JEEP não vale. Abraço Cosme.

  • Henrique
    - 26 de dezembro de 2012 - 14:17

    Respeito o Marco Aurélio. Deixando as provocações clubísticas de lado, ele me parece uma pessoa séria e que conhece bastante de futebol. Cosme, feliz natal atrasado! Abraços

  • sergio murilo
    - 26 de dezembro de 2012 - 14:23

    Não se compara incomparáveis....temos marketing eles não,temos um estádio padrão FIFA eles um estádio de projeto antigo, caro para manter e o acesso é um caos,temos um CT moderníssimo eles um antigo, enfim, Corinthians e SPFC o timão esta muito a frente,acabe com essa lenda.

  • THIAGO NAKACIMA
    - 26 de dezembro de 2012 - 14:23

    Sou corinthiano, acho o Marco Aurelio Cunha uma figura folclórica no futebol, assim como o Citadini. Tomara que apareça mais pessoas como estas no futebol... o politicamente correto é muito chato. Queria so fazer uma pergunta ao Marco Aurélio, já que ele foi um dos vereadores que se posicionou contra o arrendamento do Pacaembu, como será viável o estádio aberto depois que a Arena Corinthians e Palestra forem inauguradas? Já tem algum projeto em vista? Só tem 2013 pra se manter com o aluguel dos clubes.

1 2 3 4 5
6234