divulgacao292 O Santos perdeu o apetite cedo demais. Por isso pegará o adversário mais difícil na Libertadores. Ah, um agradecimento especial a Adilson Batista também, lógico..
A falta de apetite fez o Santos ficar com o pior adversário nas oitavas-de-final da Libertadores.

O time de Muricy Ramalho se contentou em vencer o Deportivo Tachira por 3 a 1.

Se a equipe não se poupasse no segundo tempo poderia ter goleado o time venezuelano.

Marcar quantos gols precisasse para ser o primeiro colocado do seu grupo.

Precisaria de mais três gols.

No saldo de gols acabou pendendo para o Cerro Portenho que surpreendeu o Colo Colo...

Vitória paraguaia em Santiago por 3 a 2...

Há que se lembrar também de Adilson Batista.

E o péssimo empate santista diante do péssimo Tachira na Venezuela por 0 a 0.

Mas mesmo assim, se não houvesse o Campeonato Paulista, Muricy Ramalho não pediria para o time se poupar...

O Santos não diminuiria o seu ritmo no segundo tempo, depois de estar vencendo por 2 a 0.

Com a Ponte Preta pela frente, o time do Litoral se segurou no Pacaembu.

Na segunda etapa, os jogadores procuravam tocar a bola, deixar o tempo passar.

O time havia conseguido dois gols de vantagem graças à sua infinita superioridade técnica.

Neymar, Ganso, Elano, Arouca e o surpreendente Danilo demoliram o as duas linhas de marcação venezuelana...

Com cinco atletas na zaga e quatro na intermediária...

E apenas uma no ataque....

Com dribles, tabelas e troca de posição, o Santos já criava chance aos 30 segundos de partida...

Neymar e Jonathan conseguiram marcar 2 a 0.

Se o Santos tivesse um atacante um pouco melhor do que Zé Eduardo, marcaria pelo menos mais dois gols no primeiro tempo.

Depois, resolveu cedo demais 'cozinhar o galo'.

A maravilhosa torcida de 37 mil pessoas que foi ao Pacaembu acompanhava irritada o Santos desistir da goleada.

E vale a pena lembrar que o fraco Tachira obrigou Rafael a duas grandes defesas.

Ainda marcou um belíssimo gol de falta.

Ficou provado o que todos enxergam: Edu Dracena e Durval não formam uma dupla de zagueiros que mereça ser campeã da Libertadores.

Lenta, proporciona chances a todos os times que enfrentam o Santos.

É sempre a mesma coisa.

Não é por acaso que Muricy fala em Breno e, atenção, em Alex Silva salivando.

Ele sabe que o Santos precisa demais de zagueiros.

Mas depois de o time sofrer o gol venezuelano, resolveu jogar.

Neymar fez mais uma jogada absurda, driblou dois com a bola dominada.

Entrou na área e deu o gol ao seu amigo, companheiro, irmão Zé Eduardo...

Ele errou a bola...

Mas conseguiu correr atrás dela e a ajeitar para Danilo marcar o terceiro gol...

A partida estava decidida.

E os atletas tiraram o pé.

Pensaram de maneira equivocada que eram os primeiros do grupo.

E só por isso o placar parou nos 3 a 1.

"Nós tomamos um susto, mas lutamos muito e ainda terminamos em primeiro.

Foi ótimo...

Como?

Não somos o primeiro colocado?

Ficamos em segundo mesmo ganhando?

Ah...Mas está bom...", disfarcava o veterano Léo.

O Santos enfrentará o bem montado América.

Jogará a primeira partida na Vila na próxima semana.

E a segunda no México, daqui 15 dias.

Se fosse primeira colocada, jogaria com o conturbado Estudiantes de La Plata.

Começaria a disputa na Argentina.

E decidiria na Vila Belmiro...

Mas faltou apetite...

Ousadia...

E agora terá um indigesto time mexicano pela frente...

É, meu filho, a bola pune...

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Conheça todos os blogs do R7


http://r7.com/7Ygn