O que está acontecendo com o São Paulo Futebol Clube? Andrés Sanchez insinua que já viu esse filme em 2007...

Nada no São Paulo acontece por acaso.

Nenhuma noviça pisa no Centro de Treinamento sem autorização do presidente Juvenal Juvêncio.

Quando mais de 50 torcedores não só entram quando passam o tempo xingando e ameaçando jogadores, há algo por trás.

Bastaram algumas míseras ligações e a confirmação de que a diretoria queria essa "dura".

Depois do vexatório comportamento contra o Corinthians. os jogadores teriam de ser cobrados.

Não da maneira elegante, sutil de Sergio Baresi.

Nem de Juvenal, que já se cansou de cobrar, xingar, dar socos na mesa.

Depois dos 3 a 0, acabou a proteção.

Que os jogadores sentissem a pressão verdadeira.

Dos torcedores.

E com eles não houve espaço para desculpas.

O time foi eliminado da Libertadores em casa nas semifinais.

Ninguém confiava em Ricardo Gomes, mas ele ficou até o clube ser eliminado da competição mais amada por seus torcedores.

Tudo porque Juvenal Juvêncio havia dado a sua palavra ao ex-treinador que permitiria sua saída antes do final da participação do São Paulo da Libertadores.

Um absurdo.

E agora não consegue reagir no Brasileiro.

É apenas o 15º colocado em 15 rodadas.

Campanha fraquíssima.

Sem criatividade ou competência para contratar um treinador de verdade, os portões do Centro de Treinamento foram abertos para os torcedores.

Na década de 70 as invasões dos torcedores ao Parque São Jorge também tinham as autorizações da diretoria.

A estratégia que o São Paulo utilizou foi ultrapassada.

Não são palavrões e ameaças que o time vai melhorar.

Os jogadores precisam de um comandante, um técnico profissional.

A hora não é de aprendiz.

Paulo Autuori é o desejo.

Antônio Lopes foi oferecido.

Empresários insistem em lançar o nome de Luxemburgo, técnico que seria vetado pelo próprio Juvenal.

Enquanto isso Miranda diz que seu ciclo está acabando.

Dagoberto deixa claro que a diretoria o quer longe do clube.

Jorge Wagner está acreditando ser melhor jogar na segunda divisão com o Bahia.

Marcelinho Paraíba diz que está feliz demais por haver deixado o São Paulo e estar na segunda divisão com Sport.

Juvenal Juvêncio continua voltando sua atenção para Brasília, tentando ainda fazer o Morumbi o estádio da Copa de 2014 por São Paulo.

Não há patrocínio fechado na camisa por conta da indefinição em relação à Copa.

Há muitos e muitos anos, o clube não estava tão conturbado, sem rumo.

Não é à toa que o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, aconselhou o rival abrir o olho, para tentar fugir do rebaixamento no Brasileiro.

Sanches sabe muito bem o que diz.

Ele conhece o caminho.

Lembra bem de 2007...

Veja mais:

+ Acompanhe os Jogos da Juventude em Cingapura
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

http://r7.com/b4ZA