divulgacao032 O perigo de a Seleção Brasileira depender tanto do instável Júlio César...

No vestiário do estádio Nelson Mandela Bay, Júlio César chegou com o rosto inchado.

Chorando muito.

Sua dor na consciência era maior do que a dos pilotos que lançaram as bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki.

A prepotência havia ido embora com a falha infantil no levantamento para a área de Sneijder.

Precipitado, se chocou com Felipe Mello.

A bola desviou no volante e foi para as redes.

A falha do goleiro mexeu com a confiança de todo o time.

Os jogadores não acreditavam que Júlio César pudesse dar o gol aos holandeses daquela maneira.

Logo o melhor goleiro do mundo...

Sentindo o descontrole dos brasileiros, os holandeses fariam o segundo, também com Sneijder.

E fim do sonho do hexa...

Eu estava lá em Port Elizabeth e não acreditei na cena.

Não parecia o mesmo jogador intimidador das coletivas.

Onde estava a confiança do goleiro que se achava o melhor do mundo?

Lembrei-me do que colegas cariocas haviam me dito.

Júlio César é um jogador com características especiais.

Ele é tão prepotente, tão cheio de si, que a cada falha entra em profundo processo de depressão.

Sempre foi assim, desde as categoria de base do Flamengo...

E, de novo, Júlio César passa pela mesma situação.

Seu mundo caiu depois da falha absurda que custou a derrota da Inter contra o Bayern de Munique.

O chute do holandês (sempre eles...) Robben era fácil de segurar para um goleiro do nível do brasileiro.

O cronômetro apontava 44 minutos do segundo tempo.

O empate na Itália já não era bom para Leonardo, que tenta fugir da sombra de José Mourinho.

Mas Júlio César inexplicavelmente tornou tudo pior.

Rebateu a bola para a frente.

Ela caiu nos pés de Mario Gomez: 1 a 0 Bayern...

A situação ficou dramática para a Inter.

Terá de derrotar o Bayern em Munique.

O goleiro brasileiro deu o direito do empate aos alemães...

A feição de Júlio César já denunciava o que viria pela frente.

Ele foi para o vestiário e pediu desculpas para todo o time.

Depressivo, foi para a sua casa andando.

Deixou o carro no estacionamento do estádio.

Ela fica perto do San Siro, mas o goleiro fez questão de encarar o frio, a tristeza, o fracasso, a vida...

Como me disseram jornalistas cariocas, ele leva dias, semanas para se recuperar de uma falha.

Isso é péssimo para o goleiro escolhido por Mano Menezes para ser o goleiro da Copa de 2014.

O Brasil não pode ficar dependendo de um atleta com comportamento tão extremo.

Ou age como se fosse o enviado dos Céus...

Ou como o culpado pelos pecados da humanidade...

Se alguém tem dúvida da importância de um psicólogo particular acompanhando um jogador de futebol...

Olhe bem para Júlio César...

Preste atenção nos altos e baixos de sua carreira...

Repare na sua fisionomia transtornada ao encostar na trave do San Siro, depois do gol que sofreu...

O Brasil precisa ter um goleiro reserva preparado para Júlio César...

Não é possível que dependa de um atleta tão instável...

E nem se preocupe em formar um reserva para 2014...

Veja mais:
+
Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

http://r7.com/ycdL