1reproducao6 O Palmeiras é o primeiro semifinalista do Paulista de 2017. Treinando para enfrentar o Peñarol pela Libertadores, o time, com autoridade, venceu o Novorizontino. 3 a 0 foi muito pouco...
O Palmeiras é o primeiro semifinalista do Campeonato Paulista de 2017. Venceu com a autoridade o Novorizontino. 3 a 0, no Pacaembu. Gols de Willian, Borja e Dudu. A primeira partida já havia sido 3 a 1. O jogo foi muito além do que a vista pôde alcançar. Eduardo Baptista colocou em campo o time preferido para enfrentar o Peñarol na quarta-feira, pela Libertadores. Ou seja, usou o Estadual como treino para o torneio que é prioridade em 2017.

E o Palmeiras será muito ofensivo diante dos uruguaios.

O time, líder geral do Paulista, enfrentará nas semifinais o que tiver a quarta melhor campanha. Com a vantagem de decidir em casa, na sua arena. Exatamente como Eduardo Baptista tanto queria.

29.145 torcedores foram passar a sexta à noite no Pacaembu.

"Entramos com um espírito de humildade muito grande, sabendo da nossa qualidade, da qualidade do adversário e com pegada. Temos que exaltar o Palmeiras de hoje, é o espírito justo, é o Palmeiras que todos querem ver", disse, empolgado, Felipe Melo.

"Vamos ser favoritos sempre se jogarmos desse jeito. Esse favoritismo tem de vir após os 90 minutos, hoje posso falar, porque provou em campo. Essa história de melhor elenco, de ser favorito, não vai passar de palavras se não tiver atitude, organização.

"Eu cresci vendo o Palmeiras de Ademir da Guia, com a bola no chão, sem posição fixa. A gente está buscando isso. Não é a cara do Eduardo, é a cara do Palmeiras. Precisamos evoluir ainda, é começo de trabalho, mas essa variação é treinada."

"Os jogadores terem a paciência de esperar a bola chegar, não é toda hora sair entre as linhas para buscar a bola no pé dos zagueiros ou dos volantes. Essa troca também é treinada, quando o Borja saía, o Willian entrava, o Dudu entrava. O importante é que os espaços estejam ocupados, não pode ficar todo mundo fora de posição e com posições vazias."

O discurso foi de Eduardo Baptista, empolgado.

O que chamou a atenção na partida de hoje foi a atuação de Guerra. Ele foi o grande articulador das jogadas ofensivas palmeirense. Com ele, o time fica muito mais objetivo, mortal no ataque. O time de Eduardo Baptista precisa de sua visão, de sua habilidade, do seu talento.

Foi muito importante, o treinador palmeirense aproveitar a chance de já ter os 3 a 1 da partida de ida, em Novo Horizonte. Ele pôde se dar ao luxo de colocar o time que pretende enfrentar o Peñarol pela Libertadores. Viu na prática o que está treinando. Seu time mostrou que qualquer equipe atuando no 4-1-4-1 pode ser alegre, objetiva, competitiva. E extremamente ofensiva.

O Palmeiras, impedido de atuar na sua arena por causa dos shows de Justin Bieber e Elton John, jogou no Pacaembu. E treinou com afinco para enfrentar o Peñarol. O time encurralou o Novorizontino de Silas. A marcação alta travou o time interiorano. Foi um massacre do início ao fim. A qualidade do elenco é absolutamente desproporcional.

4sitepalmeiras O Palmeiras é o primeiro semifinalista do Paulista de 2017. Treinando para enfrentar o Peñarol pela Libertadores, o time, com autoridade, venceu o Novorizontino. 3 a 0 foi muito pouco...

A ideia de Eduardo era ter o adversário acuado. Sem saída, sem oxigênio. Para evitar que o velocista ataque do Novorizontino tivesse a oportunidade de aparecer, o Palmeiras fez uma blitz. Matou as jogadas no nascedouro. Evitou os lançamentos para a corrida de Roberto e Everaldo. O Palmeira foi intenso, implacável na intermediária.

Com Guerra no time, a equipe tocou a bola com inteligência, maturidade. Visão de jogo. Sabia o que queria. E não deu a menor chance para o voluntarioso, mas fraco poder defensivo do Novorizontino.

Willian, autor do primeiro gol, mostrou uma versatilidade interessante. Atuou bem tanto na ponta como centralizado. Segue sendo a grande surpresa entre os jogadores contratados. Sua utilidade o faz imprescindível ao time. Borja também mostra cada vez mais confiança. Faz questão de buscar a bola na intermediária, tabela, dribla. Está começando a se sentir em casa.

Apesar do domínio, o primeiro gol só veio aos 32 minutos. Tchê Tchê errou chute a gol, mas serviu, sem querer, Willian. Livre diante do bom goleiro Michael, ele não teve o menor trabalho em marcar. O atacante se redimiu de um gol feito que desperdiçou aos 23 minutos, cabeceando livre para o alto, sozinho na pequena área.

No segundo tempo, o massacre continuou. Com a partida ganha antes mesmo de começar, Eduardo Baptista mostrou o elenco poderoso que possui. Mal Michel Bastos entrou no lugar do cansado Willian e já deu um toque precioso para Guerra. O meia ajeita com açúcar e afeto para Borja, sozinho na grande área. O clube de esquerda foi violentíssimo. 2 a 0, Palmeiras.

O gol arrasou de vez o time interiorano. Abatido, propiciou chance de o Palmeiras golear. E até tentou. Mas Dudu, Borja e até Thiago Santos desperdiçaram chances livres na grande área. Só aos 43 minutos, Dudu recebeu ótimo passe de Alecsandro. 3 a 0.

Com a semifinal garantida, agora, a concentração para a Libertadores.

E o jogo que o Palmeiras tem a obrigação de ganhar.

O Peñarol vai sentir a força da nova arena palmeirense.

Do mais versátil, o melhor elenco do País.

Foi uma das melhores atuações do Palmeiras em 2017.

A torcida deixou o Pacaembu feliz e agradecida.

Mais do que isso.

Esperançosa...
 O Palmeiras é o primeiro semifinalista do Paulista de 2017. Treinando para enfrentar o Peñarol pela Libertadores, o time, com autoridade, venceu o Novorizontino. 3 a 0 foi muito pouco...

http://r7.com/dtq_