divulgacao O marketing rasteiro e caipira do Corinthians. O clube ficou de joelhos para um garoto só por ser chinês. Foi uma festa digna do Terceiro Mundo...
Ele passou 2011 jogando futebol de salão...

Sem time para atuar.

Havia entrado em litígio com a diretoria do Nanchang Hengyuan.

A equipe que estava na Segunda Divisão da China.

Chen Zhizhao é um jogador insignificante.

A direção do Corinthians sabe disso.

Mesmo assim o contratou por dois anos.

E o tratou melhor do que na apresentação de Ronaldo.

Fez do Parque São Jorge um ridículo salão de festa oriental por ambição.

Ambição de quem se acha mais esperto do que os outros.

Como se mostrando algumas belas orientais...

E algumas fantasias de dragões o dinheiro chinês desabaria em cascata.

O alegado golpe de marketing foi na verdade um ato teatral patético.

De fundo de quintal.

O marketing natural trazido por Ronaldo não será repetido.

E muito menos superado artificialmente com uma jogada tão rasteira.

Vale a pena recordar 25 de julho de 2011.

O então diretor de marketing, Luis Paulo Rosenberg revelou seu plano maquiavélico.

O Corinthians havia sido eliminado da Libertadores.

Estava sem Ronaldo.

Andres Sanchez não quis mudar os estatutos e continuar.

A Hypermarcas já começava a mandar sinais de desinteresse em continuar gastando R$ 37 milhões com a camisa do clube.

Rosenberg precisava aprontar alguma.

Até porque seu sonho é ser presidente corintiano.

Fez alguns contatos com pessoas ligadas a Nike.

Queria um jogador chinês no Corinthians.

Os contatos começaram no final de maio.

Quando acertou, revelou, feliz, o que viria a ser realidade hoje.

"Estou trazendo um moleque da seleção chinesa.

É ruim de bola, o desgraça... (risos).

Mas não faz mal.

Nossa, a chinesada vai saber que tem um chinês jogando no Brasil,

Vai pagar os tubos para passar o jogo na TV local.

E vai comprar camiseta do Corinthians com o nome do cara.

Ling, Shing, Ling...

Tenho que apelar, já que não ganhei a Libertadores."

Esse era e é o conceito de Rosenberg.

"Ling, Shing, Ling..."

Ele acredita que apenas por ter um chinês na reserva da reserva do Corinthians, o mundo de Mao vai parar.

Uma enorme bobagem, típica de um economista posando de publicitário.

Tite ficou irritadíssimo quando soube de toda essa ópera bufa.

O Corinthians já disputará a Libertadores mais do que pressionado.

É a competição que o clube nunca venceu.

Precisa de reforços de verdade.

Treinar forte, ter toda a atenção voltada para o torneio.

Mas graças a Rosenberg, terá um jogador de segunda divisão chinesa no elenco.

E com direito a tradutor, para cima e para baixo.

Tite já avisou que se ele não tiver condições, não ficará nem no banco de reservas.

Se for mesmo a 'desgraça' que Rosenberg antevia, jura que não perderá tempo com ele.

Perdido com tanta pompa para o fraco futebol que possui, o jovem chinês não disfarçava o seu desconforto.

Procurava apenas fazer o que lhe mandavam.

Nunca imaginou tamanha festa por seu futebol.

Nem foi cogitado por um time grande chinês.

Nunca imaginaria que acabaria servindo como isca...

Isca de um clube brasileiro ao dinheiro de investidores do seu país.

Mas para ele, o que vier é lucro.

Estava jogando futebol de salão na China.

Hoje teve uma apresentação digna de um grande craque do futebol mundial.

Com direito à foto da apresentação do primeiro novo jogador do novo presidente.

Mario 'futebol é business' Gobbi estreava terno e gravata novos.

E dava feliz a camisa 200 ao chinês 'Chiu'.

Ele e Rosenberg posavam e falavam como homens de visão.

Se sentem 'Marcos Polos' contemporâneos.

Dirigentes que usaram a rota da seda para chegar à China atual.

E contratar um garoto de 23 anos pelo seu passaporte chinês.

Posam de sábios, piscam para os amigos.

Mas na verdade não passam de ingênuos caipiras.

E expõem o Corinthians a um dos seus maiores constrangimentos.

Se a China quiser investir no futebol brasileiro fará por valer a pena.

Pela força midiática do clube mais popular da cidade mais rica da América Latina.

Não pelo orgulho de ver um chinesinho perdido em um time de Terceiro Mundo.

Não é dona de uma das economias mais agressivas do planeta por acaso.

A festa de hoje no Parque São Jorge foi mentirosa, vergonhosa.

E antes de tudo, oportunista.

Como somos subdesenvolvidos...

http://r7.com/J66Q