divulgação227 O maior vexame do Corinthians na história da Libertadores tem dono: Andrés Sanchez...
Logo no dia 2 de fevereiro acabou o ano para o Corinthians.

Liédson terá todo o Campeonato Paulista para se divertir.

Não precisa se preocupar com a Libertadores da América.

Ela acabou antes de começar para o Corinthians.

Ronaldo não foi suficiente, não deu o campeonato mais sonhado pela torcida.

Gordo, ineficiente, atrapalhando o time, a sua última partida na competição será inesquecível para o corintiano.

Mas o bom é que ele poderá continuar a almoçar e jantar com artistas.

Que regime, o quê?

Para quê?

Quando deveria estar magro, disputar a sério a Libertadores, não estava.

Agora não precisa.

O presidente sempre o quis para atrair patrocinadores, dinheiro.

Se esqueceu do futebol, cobrar gols.

Principalmente o título que a torcida tanto sonhava.

Mas sobra tempo para twittar à vontade...

O time de Tite e de Andrés Sanchez conseguiu fazer história.

Foi o primeiro clube brasileiro a ter a capacidade de ser eliminado na Pré-Libertadores.

O Tolima fez o que quis em Ibagué e venceu por 2 a 0.

Não há desculpa.

Foram dois jogos.

180 minutos contra os colombianos.

E eliminação justa, justíssima...

Desde a chegada no final do Brasileiro, ficou claro que Tite nunca foi o técnico indicado para assumir o cargo.

Ele ganhou o cargo de presente pela amizade que tem com Andrés.

O presidente corintiano quis corrigir o enorme erro de ter dado o time a Adilson Batista.

Substituiu mal Mano Menezes.

E pior ainda Adilson.

Tite estava em uma péssima fase.

Depois de decepcionar no centenário do Grêmio, estragou o do Internacional.

Estava sem mercado no Brasil.

Foi para o Oriente.

Andres ofereceu o cargo mesmo assim.

Queria corrigir a lamentável demissão de Tite por Kia Joorabchian, nos vestiários.

Ainda na época da MSI.

Tite não soube o que fazer com o grupo experiente, cansado.

Andres não conseguiu enxergar um palmo à sua frente.

Liberou o melhor jogador corintiano.

Não dito por mim, mas por Ronaldo.

Ele pediu para que Elias não fosse liberado.

Adiantou?

O jogador queria ir para ganhar mais dinheiro.

Cadê a capacidade do dirigente de segurá-lo pelo menos na Libertadores?

O time perdeu Elias e a experiência de William.

Leandro Castan ganhou a posição ao lado de Chicão.

Com enorme prejuízo ao time.

A defesa passou a ser um grande ponto fraco.

Roberto Carlos sentiu a contusão na coxa direita e não pôde jogar contra o Tolima.

Fábio Santos, quase apedrejado pela torcida do Grêmio, foi contratado.

E jogou no lugar de Roberto Carlos.

Deu no que deu.

E pelo setor esquerdo, dos dois abriram a porteira para o Tolima.

Com a zaga fazendo linha de impedimento, batizada por propriedade de linha burra, o Tolima fez o primeiro gol.

Chicão deu condição de jogo.

E destruiu os frágeis nervos do time.

O peruano Ramirez foi expulso como uma criança no seu primeiro lance no jogo.

Deixou o Corinthians com dez jogadores.

E logo em seguida, o pior.

No segundo gol, um mero cruzamento que a zaga assistiu.

E adeus Libertadores, antes mesmo de começar.

Andres Sanches bateu no peito que conseguiu o estádio corintiano.

Seus inúmeros companheiros de diretoria queriam que ele fosse conhecido como o melhor presidente corintiano da história.

Será?

O clube deve mais de R$ 100 milhões.

Ganhou com ele o Campeonato Paulista e a Copa do Brasil de 2009 e só...

No centenário do Corinthians, o clube não venceu sequer uma competição.

Fracassou no Paulista, na Libertadores e no Campeonato Brasileiro.

Tinha a chance de ganhar o título nacional.

Mas desde a chegada de Tite, o time parou de atacar.

E só disputou a Pré-Libertadores porque fracassou contra reservas do Goiás, empatando a partida.

Deixou de ser campeão para a terceira colocação, que levou o time para Ibagué.

A grande sorte de Andres é a sua enorme ligação com os comandantes das torcidas uniformizadas.

Só essa aliança que evitou à última hora protestos depois do empate com o Tolima no Pacaembu.

E sorte também que o Carnaval está próximo.

E a torcida conta com o apoio da diretoria para montar seus carros alegóricos.

Só por isso, os protestos de amanhã acontecerão.

Mas não da maneira veemente que acontecia no Corinthians.

É preciso entender porque as coisas estão calmas.

A premonição de Andrés Sanchez foi perfeita.

O desembarque do Corinthians será em Campinas.

Tudo foi acertado antes do jogo contra o Tolima.

Embora disfarçasse, o presidente sabia que time havia escolhido para representar o Corinthians.

Mesmo assim, ele tinha uma esperança prepotente de contratar reforços de verdade depois da Pré-Libertadores.

Agora ele que descubra o que fazer com o dinheiro economizado.

E que Liédson dispute com todo o prazer o paulistinha.

E que Andres tenha coragem de fazer o que precisa fazer.

Não tem cabimento manter Tite...

Aliás, ele poderia até deixá-lo comandando o clube.

O que tinha para perder em 2011 ele já perdeu...

Assim como fez em 2010...

Parabéns Andrés Sanchez, pré-candidato à presidência da CBF...

À prefeitura de São Paulo pelo PT...

Parabéns...

Você conseguiu o que parecia impossível...

Acabou com 2011 de quem ama o Corinthians no dia 2 de fevereiro...

Parabéns...

E agora?

Como o departamento de marketing vai aproveitar essa derrota para vender algumas camisetas?

(Andrés Sanchez acaba de dar entrevista.

Disse que se mantivesse Tite seria chamado de burro.

Se o demitisse também.

Então, preferiu mantê-lo como treinador corintiano.

Lavou as mãos.

Tite disse que não pede demissão.

Enquanto isso conselheiros ligados a Andrés vão pressioná-lo para tentar fazer Parreira voltar a treinar.

E outros defendem uma proposta para Abel Braga.

O ambiente para Tite no retorno da delegação será o pior possível...

Domingo, no Pacaembu, o jogo é com o líder do Paulista, o Palmeiras...)

Veja mais:
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

http://r7.com/Ng6U